3 de dezembro de 2023

CACELLAIN COPA DO MUNDO JOGOS AO VIVO

, Prognósticos, palpites de futebol ESCALAÇÕES E NOTÍCIAS, Prognósticos, palpites de futebol ESCALAÇÕES E NOTÍCIAS Blog do Apostador on-line, dedicado a dicas das melhores casas de apostas, prognósticos e palpites de partidas de futebol no Brasil e Mundo

SES firma parceria com Marinha e Friocruz para instituir vigilância genômica em ribeirinhos de MS – Portal do Governo de Mato Grosso do Sul

3 min read

Parceria inovadora entre SES, Fiocruz e Marinha do Brasil para Monitoramento Genômico em Populações Ribeirinhas de Mato Grosso do Sul

A SES (Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul), em parceria com a Marinha do Brasil e a Fundação Oswaldo Cruz de Minas Gerais (Fiocruz Minas) instituiu o Projeto NAVIO (Navegação Ampliada para a Vigilância Intensiva e Otimizada), voltado para as populações ribeirinhas da região de Corumbá, Ladário e Porto Murtinho.

De acordo com a coordenadora de Saúde Única da SES, Danila Frias, o objetivo do projeto é realizar a vigilância genômica de patógenos em populações ribeirinhas. “Esse projeto com cunho em saúde única é muito importante, pois vamos trabalhar com vigilância genômica não apenas de patógenos em seres humanos, mas também em animais e no ambiente”, afirmou.

A coordenadora explica que as mudanças climáticas foram uma das justificativas para que o projeto fosse instituído. “As mudanças climáticas alteram o ambiente e, consequentemente, os patógenos podem sofrer alterações, se tornando cada vez mais graves para a população”, acrescentou.

O projeto será executado por meio de um sistema móvel de monitoramento genômico em tempo real, instalado em um barco da Marinha para detectar e caracterizar patógenos emergentes e reemergentes a partir de amostras ambientais, humanas e de animais. Além disso, o projeto prevê a realização de atendimentos médicos, odontológicos, educação em saúde e vacinação em humanos e animais.

Para a secretária adjunta de Saúde, Dra. Crhistinne Maymone, a parceria entre as instituições proporciona apoio às populações ribeirinhas do Rio Paraguai entre Corumbá e Porto Murtinho, onde inicia a Rota Bioceânica em Mato Grosso do Sul.

“Podemos apoiar essas comunidades ribeirinhas levando atendimento, bem como uma vigilância intensificada nas condições de vida e saúde que interferem nessas populações. Potencializamos forças, unimos as questões assistenciais e a ciência, trouxemos parceiros exponenciais para que possamos cada vez mais ter uma vigilância em tempo real. É um projeto único e inovador e um projeto com a soma de muitos esforços, tudo baseado na ciência e visando a qualidade de vida e saúde dessas populações”, considerou.

Embarcação da Marinha no Mato Grosso do Sul

Ao reforçar o apoio da Marinha do Brasil, o comandante do 6º Distrito Naval, Contra-Almirante Iunis Távora Said, falou sobre a importância do projeto para a população ribeirinha da região do Tramo Sul do Rio Paraguai.

“A Marinha do Brasil, na figura do Comando do 6º Distrito Naval, tem a satisfação muito grande de apoiar o projeto NAVIO, que vai proporcionar à população ribeirinha melhorias no atendimento, novas perspectivas e novas informações de como tratar doenças e identificar problemas, além de contribuir com melhores condições de vida para a população de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso”, afirmou.

Conforme o cronograma do projeto, que contempla também o estado de Mato Grosso, as atividades iniciam já em novembro com duração de 5 anos. Neste mês a rota inicia-se entre Ladário e Porto Murtinho. Já em fevereiro, a rota chega a Cáceres, em Mato Grosso e a previsão é que em abril a rota chegue a Cuiabá, capital do estado vizinho.

Além da SES, Fiocruz Minas e Marinha, o projeto conta com o apoio da SES-MT, LACENs de MS, MT, MG e PR, universidades federais de Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Ouro Preto, Universidades Estaduais do MS e de Feira de Santana da Bahia, Embrapa, OPAS-OMS, Ministério da Saúde, LOCCUS, Biomanguinhos, IBMP, prefeituras de Ladário, Corumbá e Porto Murtinho, Instituto Erasmus de Roterdan da Holanda, Universidade de Stellenbosch da África do Sul e Universidade de Sidney da Austrália.

Joilson Francelino, Comunicação SES
Fotos: Projeto Navio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.