Nas primeiras décadas do Campeonato Mineiro, os campeonatos eram, via de regra, disputados em pontos corridos, com uma ou outra exceção, tendo dois ou três turnos. Mas o ano de 1954 introduziu novidades nunca antes vistas.

Naquele ano, as circunstâncias do regulamento causaram por acidente um fenômeno jamais repetido no campeonato: uma overdose de clássicos entre Atlético e Cruzeiro. No total, foram nada menos do que TREZE confrontos em uma única edição!

Participaram daquele campeonato nove times:

  1. América Futebol Clube (Belo Horizonte)
  2. Associação Atlética Asas (Lagoa Santa)
  3. Clube Atlético Mineiro (Belo Horizonte)
  4. Cruzeiro Esporte Clube (Belo Horizonte)
  5. Democrata Futebol Clube (Sete Lagoas)
  6. Esporte Clube Siderúrgica (Sabará)
  7. Metalusina Esporte Clube (Barão de Cocais)
  8. Sete de Setembro Futebol Clube (Belo Horizonte)
  9. Villa Nova Atlético Clube (Nova Lima)

O regulamento, perto de algumas pérolas que a FMF conseguiu parir décadas mais tarde, é até simples, apesar de um capricho inusitado na final do campeonato:

  • Campeonato dividido em três turnos
  • Os campeões dos turnos vão à fase final do campeonato
  • Os seis primeiros na soma dos dois primeiros turnos se classificam ao terceiro turno, neutro, todo disputado no Independência

Até aí, tudo bem, nada de anormal. Mas o desenrolar do campeonato deu cria à overdose de clássicos…

PRIMEIRO TURNO

Rodada Data Mandante Placar Visitante
1 20/06/1954 Metalusina 0-2 Atlético
1 20/06/1954 Sete de Setembro 1-3 Siderúrgica
1 20/06/1954 Democrata 2-3 Cruzeiro
1 29/06/1954 América 2-4 Asas
2 26/06/1954 Cruzeiro 11-1 Metalusina
2 27/06/1954 Siderúrgica 2-0 Atlético
2 27/06/1954 Democrata 2-2 Sete de Setembro
2 27/06/1954 Villa Nova 2-1 Asas
3 03/07/1954 América 2-0 Metalusina
3 04/07/1954 Atlético 1-0 Democrata
3 04/07/1954 Asas 2-2* Sete de Setembro
3 04/07/1954 Villa Nova 0-2 Cruzeiro
4 10/07/1954 Atlético 2-2 Sete de Setembro
4 10/07/1954 América 3-1 Villa Nova
4 10/07/1954 Asas 7-1 Metalusina
4 10/07/1954 Democrata 1-1 Siderúrgica
5 17/07/1954 Cruzeiro 0-0 Asas
5 18/07/1954 Siderúrgica 2-1 América
5 18/07/1954 Metalusina 1-6 Democrata
5 18/07/1954 Sete de Setembro 0-0 Villa Nova
6 24/07/1954 América 4-0 Democrata
6 25/07/1954 Asas 1-2 Siderúrgica
6 25/07/1954 Villa Nova 4-1 Metalusina
6 25/07/1954 Atlético 1-0 Cruzeiro
7 31/07/1954 Atlético 1-0 Asas
7 01/08/1954 Siderúrgica 0-2 Villa Nova
7 01/08/1954 Metalusina 4-2 Sete de Setembro
7 01/08/1954 Cruzeiro 2-1 América
8 08/08/1954 Villa Nova 2-1 Democrata
8 08/08/1954 América 1-3 Atlético
8 08/08/1954 Metalusina 0-2 Siderúrgica
8 08/08/1954 Sete de Setembro 2-3 Cruzeiro
9 14/08/1954 Sete de Setembro 0-0 América
9 15/08/1954 Atlético 3-1 Villa Nova
9 15/08/1954 Democrata 1-1 Asas
9 15/08/1954 Siderúrgica 0-3 Cruzeiro

*O Asas ganhou os pontos desta partida.

Classificação:

Pos Equipe J V E D GP GC Pts
1 Cruzeiro 8 6 1 1 24 7 13
2 Atlético 8 6 1 1 13 6 13
3 Siderúrgica 8 5 1 2 12 9 11
4 Villa Nova 8 4 1 3 12 11 9
5 Asas 8 3 2 3 16 11 8
6 América 8 3 1 4 14 12 7
7 Democrata 8 1 3 4 13 15 5
8 Sete de Setembro 8 0 4 4 11 16 4
9 Metalusina 8 1 0 7 8 36 2

 

Tendo terminado o primeiro turno empatados em pontos, Cruzeiro e Atlético procederam a uma melhor de três para decidir o campeão.

1º jogo – 5 de setembro de 1954
ATLÉTICO 1×0 CRUZEIRO
Local: Estádio Independência - Renda: Cr$ 214.980,00
Árbitro: Joseph Guilden (SUI)
ATLÉTICO: Zeca; Afonso, Osvaldo; Geraldino, Monte, Cléver; Gastão, Múcio, Ubaldo, Orlando Pingo de Ouro, Murilinho. Técnico: Ondino Vieira.
CRUZEIRO: Chico; Tião, Pampolini; Adelino, Lazarotti, Bené; Raimundinho, Guerino, Áureo, Paulo Florêncio, Sabu. Técnico: Niginho.
Gol: Ubaldo 14′

2º jogo - 12 de setembro de 1954
CRUZEIRO 1×1 ATLÉTICO
Local: Estádio Independência - Renda: Cr$ 259.070,00.
Árbitro: Francisco Trindade (MG)
CRUZEIRO: Chico; Tião, Pampolini; Adelino, Lazarotti, Bené; Raimundinho, Ismael, Genuíno, Paulo Florêncio, Sabu. Técnico: Niginho.
ATLÉTICO: Zeca; Afonso, Osvaldo; Geraldino, Monte, Cléver; Gastão, Múcio, Ubaldo, Orlando Pingo de Ouro, Nilsinho. Técnico: Ondino Vieira.
Gols: Sabu 5′; Orlando Pingo de Ouro 81′
Expulsões: Ubaldo (A); Bené (C).

3º jogo - 16 de setembro de 1954
CRUZEIRO 0×1 ATLÉTICO
Local: Estádio Otacílio Negrão de Lima (Alameda) - Renda: Cr$ 316.677,00.
Árbitro: Joseph Guilden (SUI)
CRUZEIRO: Chico; Tião, Paulo Florêncio; Pampolini, Lazarotti, Bené; Raimundinho, Guerino, Genuíno, Ipojucan, Sabu. Técnico: Niginho.
ATLÉTICO: Zeca; Afonso, Osvaldo; Geraldino, Monte, Cléver; Múcio, Bolero, Ubaldo, Orlando Pingo de Ouro, Nilsinho. Técnico: Ondino Vieira.
Gol: Ubaldo 46′

Assim, o Atlético venceu o primeiro turno do campeonato e se classificou à fase final. Veio então o segundo turno.

SEGUNDO TURNO

Data Mandante Placar Visitante
26/09/54 América 3-1 Sete de Setembro
26/09/54 Democrata 1-1 Asas
26/09/54 Siderúrgica 5-0 Metalusina
02/10/54 Atlético 1-3 Asas
09/10/54 Cruzeiro 2-1 Democrata
10/10/54 América 1-0 Siderúrgica
10/10/54 Villa Nova 1-4 Sete de Setembro
16/10/54 Sete de Setembro 0-2 Atlético
17/10/54 Siderúrgica 2-1 Asas
17/10/54 Metalusina 0-1 América
17/10/54 Cruzeiro 4-4 Villa Nova
24/10/54 Atlético 4-1 Siderúrgica
24/10/54 Democrata 1-0 América
24/10/54 Cruzeiro 3-0 Metalusina
30/10/54 Asas 0-2 Villa Nova
31/10/54 Democrata 2-3 Atlético
31/10/54 Sete de Setembro 3-3 Metalusina
06/11/54 Atlético 1-0 Metalusina
07/11/54 Siderúrgica 2-0 Democrata
07/11/54 Villa Nova 0-1 América
07/11/54 Cruzeiro 5-2 Sete de Setembro
14/11/54 Villa Nova 1-1 Atlético
14/11/54 Metalusina 0-2 Asas
14/11/54 Cruzeiro 1-0 Siderúrgica
20/11/54 Sete de Setembro 1-0 Asas
21/11/54 Democrata 1-4 Villa Nova
21/11/54 América 1-2 Cruzeiro
27/11/54 Cruzeiro 3-1 Asas
27/11/54 Villa Nova 0-3 Siderúrgica
27/11/54 Democrata 3-1 Metalusina
28/11/54 Atlético 2-1 América
02/12/54 Sete de Setembro 2-1 Democrata
04/12/54 América 2-0 Asas
05/12/54 Siderúrgica 2-1 Sete de Setembro
05/12/54 Metalusina 0-7 Villa Nova
05/12/54 Cruzeiro 0-1 Atlético

 

Classificação:

Pos Equipe J V E D GP GC Pts
1 Cruzeiro 8 6 1 1 20 10 13
2 Atlético 8 6 1 1 15 8 13
3 Siderúrgica 8 5 0 3 15 8 10
4 América 8 5 0 3 10 6 10
5 Villa Nova 8 3 2 3 19 14 8
6 Sete de Setembro 8 3 1 4 14 17 7
7 Asas 8 2 1 5 8 12 5
8 Democrata 8 2 1 5 10 15 5
9 Metalusina 8 0 1 7 4 25 1

 

Cruzeiro e Atlético, tendo repetido as campanhas do turno, tiveram que jogar mais uma melhor de três para se decidir o campeão do returno.

1º jogo – 9 de dezembro de 1954
ATLÉTICO 2×1 CRUZEIRO
Local: Estádio Otacílio Negrão de Lima - Renda: Cr$ 150.180,00
Árbitro: Joseph Guilden (SUI)
ATLÉTICO: Nenén; Afonso, Osvaldo; Geraldino, Bolero, Haroldo; Paulinho Valentim, Tomazinho, Joel, Orlando Pingo de Ouro, Osvaldinho. Técnico: Ondino Vieira.
CRUZEIRO: Chico; Avelino, Licinho; Adelino, Lazarotti, Paulo Florêncio; Raimundinho, Áureo, Guerino, Genuíno, Sabu. Técnico: Niginho.
Gols: Bolero 20′, Orlando Pingo de Ouro 30′; Áureo 46′

2º jogo – 12 de dezembro de 1954.
CRUZEIRO 3×1 ATLÉTICO
Local: Estádio Independência - Renda: Cr$ 215.420,00
Árbitro: Joseph Guilden (SUI)
CRUZEIRO: Chico; Avelino, Pampolini; Adelino, Lazarotti, Paulo Florêncio; Raimundinho, Áureo, Guerino, Genuíno, Sabu. Técnico: Niginho.
ATLÉTICO: Nenén; Afonso, Osvaldo; Geraldino, Monte, Haroldo; Joel, Gastão, Ubaldo, Orlando Pingo de Ouro, Osvaldinho. Técnico: Ondino Vieira.
Gols: Lazarotti, Avelino, Genuíno; Joel.

3º jogo – 19 de dezembro de 1954.
CRUZEIRO 0×0 ATLÉTICO
Local: Estádio Independência
Árbitro: Alberto da Gama Malcher, RJ.
CRUZEIRO: Chico; Avelino, Pampolini; Adelino, Marambaia, Paulo Florêncio; Raimundinho, Guerino, Fuinha, Genuíno, Sabu. Técnico: Niginho.
ATLÉTICO: Sinval; Afonso, Osvaldo; Geraldino, Monte, Haroldo; Murilinho, Tomazinho, Ubaldo, Orlando Pingo de Ouro, Joel. Técnico: Ondino Vieira.

Assim, o Cruzeiro foi o campeão do segundo turno, no critério de goal average, e também se classificou à fase final da competição.

A classificação somada dos turnos apontou os seguintes classificados:

Pos Equipe J V E D GP GC Pts
1 Cruzeiro 16 12 2 2 44 17 26
2 Atlético 16 12 2 2 28 14 26
3 Siderúrgica 16 10 1 5 27 17 21
4 América 16 8 1 7 24 18 17
5 Villa Nova 16 7 3 6 31 25 17
6 Asas 16 5 3 8 24 23 13
7 Sete de Setembro 16 3 5 8 25 33 11
8 Democrata 16 3 4 9 23 30 10
9 Metalusina 16 1 1 14 12 61 3

 

Procedeu-se, então, ao turno neutro, todo jogado no Independência.

Data Mandante Placar Visitante
15/01/1955 Cruzeiro 4×3 Villa Nova
16/01/1955 América 1×0 Siderúrgica
19/01/1955 Atlético 4×0 Asas
22/01/1955 Cruzeiro 2×1 América
23/01/1955 Siderúrgica 4×2 Villa Nova
29/01/1955 Siderúrgica 0×3 Asas
30/01/1955 Cruzeiro 1×0 Atlético
02/02/1955 América 2×0 Villa Nova
05/02/1955 Atlético 2×0 Siderúrgica
06/02/1955 Asas 1×0 Villa Nova
13/02/1955 América 3×1 Atlético
16/02/1955 Cruzeiro 4×1 Siderúrgica
19/02/1955 Asas 0×4 América
26/02/1955 Atlético 2×0 Villa Nova
27/02/1955 Cruzeiro 2×1 Asas

 

Classificação:

Pos Equipe J V E D GP GC Pts
1 Cruzeiro 5 5 0 0 13 6 10
2 América 5 4 0 1 11 3 8
3 Atlético 5 3 0 2 9 4 6
4 Asas 5 2 0 3 5 10 4
5 Siderúrgica 5 1 0 4 5 12 2
6 Villa Nova 5 0 0 5 5 13 0

 

Apenas o terceiro turno não teve um desempate para decidi-lo. Aliás, notem a “perfeição” da classificação, por ela é perfeitamente possível deduzir quem venceu quem…

Atlético e Cruzeiro foram, então, à final do campeonato. E aqui revelo a peculiaridade daquele regulamento: por ter vencido um turno, o Atlético carregou consigo dez pontos de bônus para aquela final. Por ter vencido os outros dois, o Cruzeiro levou vinte pontos de bônus. E não para por aí: o campeão seria aquele que primeiro alcançasse 25 pontos na classificação da final. Mas a pontuação nela não era a pontuação da regra: ali, a vitória valeria 5 pontos. Um empate, por sua vez, valeria 2,5 pontos.

Qualquer pessoa com um conhecimento mínimo de matemática poderia dividir os pontos envolvidos por 2,5 e descobrir que o efeito seria o mesmo se cada time levasse 4 pontos de bônus por turno vencido, se o campeão fosse o primeiro a acumular 10 pontos, e se vitória e empate valessem… 2 e 1 ponto!

Uma breve análise também leva a crer que o Cruzeiro teve a mãe de todas as vantagens, pois a ele bastaria uma simples vitória ou dois empates para chegar a 25 pontos e sagrar-se campeão daquele ano. Fácil, não? Mas, bem, fácil era ganhar também a final da Copa do Mundo de 1950, não é?

Pois bem, começou-se a jogar a final e o inacreditável começou a dar as caras.

1º jogo – 17 de abril de 1955.
ATLÉTICO 2×0 CRUZEIRO
Local: Estádio Independência - Renda: Cr$ 328.230,00.
Árbitro: Carlos de Oliveira Monteiro “Tijolo” (SP)
ATLÉTICO: Sinval; Afonso, Osvaldo; Geraldino, Monte, Haroldo; Joel, Gastão, Ubaldo, Tomazinho, Amorim. Técnico: Ricardo Díez.
CRUZEIRO: Chico; Avelino, Bené; Adelino, Paulo Florêncio, Lazarotti; Raimundinho, Guerino, Genuíno, Marambaia, Sabu. Técnico: Niginho.
Gols: Joel 24′, Gastão 37′

2º jogo – 21 de abril de 1955.
CRUZEIRO 0×3 ATLÉTICO
Local: Estádio Independência.
Público: 11.159 pagantes - Renda: Cr$ 310.035,00
Árbitro: Alberto da Gama Malcher (RJ)
CRUZEIRO: Chico; Avelino, Tião; Adelino, Lazarotti, Dirceu; Raimundinho, Guerino, Genuíno, Paulo Florêncio, Sabu. Técnico: Niginho.
ATLÉTICO: Sinval; Afonso, Osvaldo; Geraldino, Monte, Haroldo; Murilinho, Tomazinho, Ubaldo, Joel, Amorim. Técnico: Ricardo Díez.
Gols: Ubaldo 3′ 84′, Joel 39′

3º jogo – 24 de abril de 1955.
CRUZEIRO 1×1 ATLÉTICO
Local: Estádio Independência
Público: 19.061 pagantes - Renda: Cr$ 325.970,00.
Árbitro: Antônio Viug (RJ)
CRUZEIRO: Chico; Avelino e Pampolini; Adelino, Lazarotti, Bené; Raimundinho, Guerino, Genuíno, Paulo Florêncio, Sabu. Técnico: Niginho.
ATLÉTICO: Sinval; Afonso, Osvaldo; Geraldino, Monte, Haroldo; Joel, Gastão, Tomazinho, Ubaldo, Amorim. Técnico: Ricardo Díez.
Gols: Raimundinho 81′; Ubaldo 65′

O gol de Raimundinho evitou a humilhação de perder três jogos consecutivos quando bastava apenas uma vitória, mas apenas adiou o destino inefável do campeonato.

Vendo Atlético e Cruzeiro empatados em 22,5 pontos após 3 partidas, a FMF anunciou uma decisão inóspita, inédita e inacreditavelmente salomônica: caso se registrasse novo empate entre os clubes no tempo normal e prorrogação, dividir-se-ia o título entre os finalistas.

Mas veio o quarto jogo e dessa vez não houve quem evitasse a reviravolta que já se desenhava.

4º jogo – 1° de maio de 1955.
ATLÉTICO 2×0 CRUZEIRO
Local: Estádio Independência.
Renda: Cr$ 517.245,00.
Árbitro: Mário Gonçalves Vianna (RJ)
ATLÉTICO: Sinval; Afonso, Osvaldo; Geraldino, Monte, Haroldo; Joel, Gastão, Tomazinho, Ubaldo, Amorim. Técnico: Ricardo Díez.
CRUZEIRO: Geraldo II; Avelino, Pampolini; Adelino, Lazarotti, Dirceu; Raimundinho, Guerino, Genuíno, Paulo Florêncio, Sabu. Técnico: Niginho.
Gols: Ubaldo 16′, Joel 88′

Dessa forma, o Atlético sagrou-se campeão do epopeico Campeonato Mineiro de 1954, após nada menos do que treze clássicos contra o rival.

Abaixo, o resumo dos clássicos do campeonato:

Motivo Data Mandante Placar Visitante Estádio
1º turno 25/07/1954 Atlético 1×0 Cruzeiro Independência
1º turno (Desempate) 05/09/1954 Atlético 1×0 Cruzeiro Independência
1º turno (Desempate) 12/09/1954 Cruzeiro 1×1 Atlético Independência
1º turno (Desempate) 16/09/1954 Cruzeiro 0×1 Atlético Alameda
2º turno 05/12/1954 Cruzeiro 0×1 Atlético Independência
2º turno (Desempate) 09/12/1954 Atlético 2×1 Cruzeiro Alameda
2º turno (Desempate) 12/12/1954 Cruzeiro 3×1 Atlético Independência
2º turno (Desempate) 19/12/1954 Cruzeiro 0×0 Atlético Independência
3º turno 30/01/1955 Cruzeiro 1×0 Atlético Independência
Final 17/04/1955 Atlético 2×0 Cruzeiro Independência
Final 21/04/1955 Cruzeiro 0×3 Atlético Independência
Final 24/04/1955 Cruzeiro 1×1 Atlético Independência
Final 01/05/1955 Atlético 2×0 Cruzeiro Independência

 

Total: 8 vitórias do Atlético, 3 empates, 2 vitórias do Cruzeiro. O Atlético marcou 16 gols e o Cruzeiro, 7.

Nem no Campeonato Paraense e seus mais de 700 Re-Pa é comum ver tantos clássicos assim de uma só tacada…

Fonte: Conteúdo Esportivo, Blog “O Canto do Galo”, RSSSF Brasil, Jornal “A Gazeta”

© 2017 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha