Em dezembro de 1922, Uberaba recebeu a visita de um Combinado Carioca, formado por jogadores filiados a clubes da Liga Metropolitana, para a disputa de duas partidas contra os principais clubes da cidade, o Uberaba Sport e a Associação Athlética do Triângulo (ex-Red and White Association). As partidas foram motivo de muita polêmica na imprensa brasileira, repercutindo por todo o final do ano de 1922. Segundo os jornais da época, o conjunto carioca foi formado às pressas e, por isso, não representava a força do futebol do então Distrito Federal. Diziam que os cariocas estavam em Uberaba a passseio, sem treino e cansados da viagem, para justificar os maus resultados que acabaram por colher na cidade.

A idéia da realização das partidas surgiu em uma visita de Oswaldo Gomes, então presidente da Confederação Brasileira de Desportos, a Uberaba. Oswaldo se comprometeu a reunir, se fosse possível, alguns dos mais renomados jogadores do futebol carioca e prometeu vir ele próprio chefiando a delegação. Foi o que bastou para se criar uma imensa expectativa em Uberaba. O Lavoura e Comércio, de 23/11/1922, noticiava que atletas como Kuntz, Palomone, Oswaldino, Almeida Netto, Brillhante e Welfare, além do uberabense Junqueira poderiam fazer parte do Selecionado Carioca.

Mas no Rio, a dificuldade para se conseguir jogadores que concordassem em fazer a excursão era enorme. Por fim, a organização do grupo coube ao velho esportista Antônio Carneiro de Campos, do Flamengo, aposentado dos gramados há cerca de dois anos, que foi obrigado a participar também como jogador, graças à desistência de última hora do meio campista Frederico, do Bangu. A embaixada Carioca contava ainda com o Dr. Souto Castagnino e Luiz Vianna, redator do Correio da Manhã, a quem coube fazer as matérias sobre a excursão, e que acabaria apitando o jogo do combinado carioca contra o Uberaba.

Não era, de fato, uma Seleção Carioca. Alguns bons jogadores, mas nenhum dos “cracks” sonhados pela imprensa uberabense.

Eis a relação dos jogadores do Combinado Carioca:
Waldemar – Goleiro do São Cristóvão
Antonico (Antônio Carneiro Campos) – Zagueiro do Flamengo
Bráulio – Bangu
Luiz Antonio (Luiz Antônio da Guia) – Zagueiro do Bangu e irmão mais velho de Domingos da Guia.
Joppert (Antenor Silva) – Meio campista do Bangu
Tatá (Oswaldo Silva) – Meio campista do Bangu
Gabriel (Gabriel Nascimento) – Mangueira
Zezé (José Carlos Guimarães) – Atacante do Fluminense
Chiquinho – Atacante do América
Simas – Atacante do América
Antenor (Antenor Vicente Correa) – Atacante do Bangu

O fato é que a viagem do Rio de Janeiro a Uberaba durou estafantes 32 horas, com escalas em São Paulo, Campinas e Ribeirão Preto. Enfim na cidade, os bravos atletas foram recepcionados na Estação da Mogiana e seguiram até o Hotel Toscano, muito criticado pela imprensa carioca pela precariedade das instalações.

Os dois clubes uberabenses, por sua vez, viviam um momento delicado de sua rivalidade. A Associação havia perdido o denominado “Jogo do Século” contra o Uberaba, mas ganhou os pontos por ter o rival escalado de maneira supostamente irregular o atleta Hildebrando de Moraes. Revoltados com a decisão do Comitê Disciplinar da Sub-Liga do Triângulo, que ajudaram a fundar, os dirigentes do Uberaba retiraram o clube do Campeonato do Triângulo, facilitando o caminho do rival rumo ao título.

O primeiro jogo foi disputado contra a Associação (RED). Extenuados pela longa viagem os cariocas foram presa fácil para o recém coroado “Campeão do Triângulo” e perderam por 3×1. O Uberaba, que acabara de vencer novamente ao RED em jogo amistoso realizado poucos dias antes, esperava também bater o combinado visitante. Nesse jogo, o árbitro escolhido pelos cariocas foi o jornalista Luiz Vianna, redator do jornal “Correio da Manhã”, que talvez previnido pelos recém conquistados amigos do “Red”, atuou, segundo ele próprio, de modo a impedir o jogo violento por parte dos jogadores do Uberaba. Enfrentando um adversário mais descansado e mais entrosado, o Uberaba não conseguiu vencer, empatando em dois gols.

Para Luiz Vianna, a imensa rivalidade entre os dois principais clubes de Uberaba extrapolava qualquer análise meramente esportiva. O redator opinou que não entendia como a Associação não conseguia vencer o Uberaba, coisa que só se explicaria pela violência com que o Uberaba disputava suas partidas. E Vianna foi além. Seus comentários sobre o médio uberabense Badu (Egydio Matheus Junior) acabariam, nos dias de hoje, em sua prisão, dado o imenso preconceito racial explícito em suas palavras:

..Um negrão boçal, narinas super dilatadas, voz cavernosa, chegou se ao juiz, e numa attitude francamente ameaçadora disse: – O que isso “sô” juiz? Ponha a mão na “conciença”moço. Foi “fisaide”…

O bate boca seguiu pelos maiores jornais do país à época. Em uma carta enviada à Folha da Noite, Badu se defendia das colocações de Vianna:

“De facto, não sou branco, mas isso não é uma desonra para mim. Quanto à minha “boçalidade”, parece que ella não é tão grande como disse o Sr. Vianna. Porque, afinal de contas, eu tenho a competência de defender a mim, à minha terra e ao meu club das calumnias assacadas por um cocaínomaníaco. Se essa defesa não é literatura fina, serve ao menos para provar que eu não sou tão burro como o Sr. Vianna”.

Os jornais fizeram também graves acusações contra o zagueiro uruguaio Villa, defensor do Uberaba, que teria visitado a delegação no Hotel e se insinuado para entregar o jogo e criticaram a indiferença com que foram tratados os cariocas pela diretoria do Uberaba Sport.

Um final de ano conturbado onde a rivalidade entre o Uberaba e o “RED” atingiu um alto nível de animosidade e fez com que as equipes crescessem juntas. Mas parece que o esforço foi grande demais. Já no ano seguinte, sucumbiu o “RED” e quase morreu o Uberaba Sport.

Fichas Técnicas:
10/12/1922
A.A. Triângulo 3×1 Combinado Carioca
Local: Estádio da AAT, Uberaba – MG
Árbitro: Aristides Cunha Campos
Red: Emile, Bado e Pereira; Luiz, Maurício e Américo; Ramid, Vinhola, Machado, Carnaval e Otacílio.
Cariocas: Waldemar, Antonico e Bráulio; Tatá, Joppert e Luiz Antônio; Gabriel, Zezé, Chiquinho, Simas e Antenor.
Gols: Machado (2) e Vinhola; Antenor.

12/12/1922
Uberaba 2×2 Combinado Carioca
Local: Estádio das Mercês
Árbitro: Luiz Vianna
Uberaba: Pino, Villa e Mário; Badú, Tango e Walter; Gumercindo, Targino, Walfredo, Salim e Fortes.
Cariocas: Waldemar, Antonico e Bráulio; Tatá, Joppert e Luiz Antônio; Gabriel, Zezé, Chiquinho, Simas e Antenor.
Gols: ? (1º T) e Walfredo (2º T); ? (1º T) e Simas (2º T)

Curiosidades:
Profissão dos jogadores do Uberaba em 1922:
Walter Fonseca, negociante
Badu, empregado da Casa Caldeira
Walfredo Vieira, empregado de Francisco Ricioppo e Cia.
Antônio Targino, Construtor e pedreiro
Generoso Fortes, Caixeiro do Bazar Modelo
De Marco, zagueiro, empregado da Livraria Seculo XX, de Osório Augusto de Mello
Francisco Villanova, empregado de Andrade & Oliveira,
Tango, Guarda livros da Casa Gabarra
Edson Pino, goleiro, pintor

Fontes:
- Jornal Correio da Manhã, edições dos dias 19/12/1922, 20/12/1922 e 09/01/1923.
- Jornal Lavoura e Comércio, edições dos dias 23 e 26/11/1922, 07, 10 e 14/12/1922.
- Folha da Noite, Acervo Folha, Dez/1922

 

Participantes:

  • América Futebol Clube – Belo Horizonte
  • Clube Esportivo de Futebol – Passos
  • Clube Rio Branco – Andradas
  • Uberaba Sport Club – Uberaba

Tabela:

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 19/08/1990 Rio Branco 1×3 América
1 19/08/1990 Uberaba 1×1 Esportivo
2 22/08/1990 Esportivo 0×0 Rio Branco
2 22/08/1990 América 0×0 Uberaba
3 26/08/1990 Esportivo 0×0 América
3 26/08/1990 Rio Branco 2×1 Uberaba
4 02/09/1990 Uberaba 0×0 Rio Branco
4 02/09/1990 América 3×1 Esportivo
5 05/09/1990 Uberaba 1×3 América
5 05/09/1990 Rio Branco 1×1 Esportivo
6 09/09/1990 Esportivo 1×0 Uberaba
6 09/09/1990 América 4×1 Rio Branco

 

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 América 10 6 4 2 0 13 4 9
2 Esportivo 6 6 1 4 1 4 5 -1
3 Rio Branco 5 6 1 3 2 5 9 -4
4 Uberaba 3 6 0 3 3 3 7 -4

 

Com estes resultados, o América e o Esportivo classificaram-se para a Série C 1990.

 

Em 1922 foi disputado o primeiro campeonato de futebol no Triângulo Mineiro. Após alguns anos de intensa movimentação, vários clubes das principais cidades da região, Uberaba, Uberlândia, Araguari e Sacramento, liderados pelo Uberaba Sport, fundaram a primeira versão da Liga de Sports do Triângulo (várias vezes ressuscitada posteriormente) e esta organizou o torneio, que contou apenas com clubes de Uberaba e Araguari.

Curiosamente, o clube que mais se empenhou para a concretização da Liga, o Uberaba, abandonou o torneio e a Liga, ao final do primeiro turno, inconformado com a decisão do Conselho Divisional, que decretou a perda dos pontos da partida ganha pelo Uberaba contra a Associação Athlética do Triângulo, o famoso RED, naquele que até hoje é considerado, o “Jogo do Século” em Uberaba, pela escalação irregular do atleta Hildebrando de Moraes. Sem o principal rival, o caminho ficou livre para o “RED”, que conquistou seu primeiro título.

Essa história é apenas um dos vários capítulos da breve, mas intensa rivalidade entre o Uberaba e seu principal filho, o RED, que nasceu RED and WHITE, em homenagem ao clube que o hospedava, o Uberaba, e como que renegando todos os laços com seus antigos companheiros, adotou um novo nome, Associação Athlética do Triângulo, e novas cores, preto e branco.

Até hoje, cultiva-se em Uberaba, a lenda de que o “Jogo do Século” foi combinado para marcar o fim das atividades de quem fosse derrotado. Isso não é verdade. O RED ganhou os pontos da partida e ainda disputou outros jogos, no segundo turno, até chegar ao título. Depois ainda fez amistosos dentro e fora de Uberaba no ano de 1922 e também em 1923, mas foi extinto pouco tempo depois, em meados de 1923, o que pode ter alimentado a lenda. O RED morreu sem nunca ter vencido, em campo e com seus primeiros quadros, ao Uberaba Sport Club.

A seguir todos os resultados disponíveis nos jornais da época.

Campeonato do Triângulo 1922
Participantes:
Operário Football Club – Araguari-MG
Americano Futebol Clube – Araguari-MG
Associação Athlética do Triangulo – Uberaba-MG
13 de Maio Futebol Clube – Uberaba-MG
Uberaba Sport Club – Uberaba-MG

TABELA DE JOGOS:
09/04/1922
Operário 2×0 Uberaba
23/04/1922
Americano 5×1 13 de Maio
07/05/1922
13 de Maio 1×4 Triângulo
21/05/1922
Americano 1×0 Operário
04/06/1922
Uberaba 6×0 13 de Maio
18/06/1922
Triangulo 2×0 Americano
02/07/1922
13 de Maio x Operário (O 13 de Maio, sem jogadores para realizar a partida, entregou os pontos ao Operário).
16/07/1922
Uberaba 0×1 Americano*
*Jogo suspenso ao final do 1o tempo, quando o Americano vencia por 1×0, gol de Salim. O Uberaba, posteriormente, entregou os pontos da partida, que deveria ser retomada no dia 20/08/1922.
23/07/1922
Operário 1×3 Triângulo
13/08/1922
Triângulo 1×2 Uberaba*
* O Conselho Divisional da Liga de Sports do Triângulo não aceitou o boletim oficial, confeccionado pelo representante designado para a partida, pelo fato do jogador Hildebrando de Moraes não residir no Triângulo Mineiro. A Associação foi declarada vencedora do encontro, o que motivou o pedido de desligamento da LST por parte do Uberaba.
03/09/1922
Triângulo WOx Operário
17/09/1922
Operário 1×0 Americano
24/09/1922
Triângulo 6×0 13 de Maio
08/10/1922
Americano 1×1 Triângulo

Operário x 13 Maio e 13 de Maio x Americano, sem resultados conhecidos.

Fontes:
- Jornal Lavoura e Comércio, de Uberaba – MG, várias edições do ano de 1922.
- Jornal Iris de Araguari – MG, várias edições do ano de 1922.

 

Em 09/07/1931 foi fundada a Sub Liga do Triângulo Mineiro, com a finalidade de controlar e estimular o desenvolvimento do futebol na região. A iniciativa foi da Associação dos Empregados no Commercio em Uberaba.

Ficou definida a realização de um torneio de futebol com os mais importantes clubes da cidade de Uberaba, então a maior cidade da região, onde o entusiasmo com o futebol atingia enormes proporções, embora a Sub Liga pretendesse representar todo o Triângulo Mineiro.

Esperava-se, para o campeonato de 1932, a participação de representantes das cidades de Araguari, Uberlândia, Conquista e Araxá. E, além do futebol, já se cogitava a inserção de outras atividades esportivas, tais como Bola ao Cesto e Atletismo.

A diretoria ficou assim composta:

  • 1º Presidente: Sebastião Bráz
  • 2º Presidente: Carlos Biella
  • 1º vice presidente: Antônio Duarte da Silva
  • 2º vice presidente: Jeronymo de Oliveira
  • 1º Tesoureiro: Benedicto de Oliveira
  • 2º Tesoureiro: Carlos Bernardes Filho
  • 1º Secretário: José Descon
  • 2º Secretário: Antônio de Vasconcellos

Participantes (todos de Uberaba):

  1. América Football Club
  2. Associação Athletica Uberabense
  3. Corinthians Football Club
  4. Diocesano Football Club
  5. Ítalo Brasileiro Football Club
  6. Operário Football Club
  7. Uberaba Sport Club

Tabela:

Data

Mandante

1º Q

2º Q

Visitante

19/07/1931

América

1×6

2×1

Associação

26/07/1931

Uberaba

3×0

4×1

Operário

09/08/1931

Ítalo Brasileiro

2×2

2×2

Corinthians

15/08/1931

América

1×1

x

Operário

23/08/1931

Diocesano

4×2

x

Associação

30/08/1931

Uberaba

5×2

2×1

Corinthians

13/09/1931

Diocesano

1×5

1×1

Ítalo Brasileiro

20/09/1931

Associação

2×1

3×1

Operário

27/09/1931

Corinthians

1×1

3×1

América

04/10/1931

Operário

1×3

1×1

Ítalo Brasileiro

11/10/1931

Diocesano

0×9

3×3

Uberaba

18/10/1931

Corinthians

0×0

1×0

Associação

25/10/1931

Uberaba

10×0

5×2

América

01/11/1931

Ítalo Brasileiro

3×0

1×2

Associação

08/11/1931

Corinthians

1×3

1×2

Diocesano

19/11/1931

América

2×3

0×5

Diocesano

22/11/1931

Uberaba

4×2

5×1

Associação

29/11/1931

Operário

2×2

1×3

Diocesano

06/12/1931

Ítalo Brasileiro

4×2

3×2

América

08/12/1931

Operário

1×3

1×2

Corinthians

13/12/1931

Ítalo Brasileiro

1×2

0×0

Uberaba

 

Classificação – primeiros quadros:

Pos

Time

Pts

J

V

E

D

GP

GC

SG

1

Uberaba

12

6

6

0

0

33

5

28

2

Ítalo Brasileiro

9

6

4

1

1

18

8

10

3

Diocesano

7

6

3

1

2

13

21

-8

4

Associação

5

6

2

1

3

12

13

-1

5

Corinthians

5

6

1

3

2

9

12

-3

6

Operário

2

6

0

2

4

6

14

-8

7

América

2

6

0

2

4

7

25

-18

 

Classificação – segundos quadros:

Pos

Time

Pts

J

V

E

D

GP

GC

SG

1

Uberaba

10

6

4

2

0

19

8

11

2

Diocesano

8

5

3

2

0

14

6

8

3

Corinthians

7

6

3

1

2

10

8

2

4

Ítalo Brasileiro

6

6

1

4

1

8

8

0

5

Associação

4

5

2

0

3

7

10

-3

6

América

2

5

1

0

4

7

17

-10

7

Operário

1

5

0

1

4

5

13

-8

 

Com estes resultados, o Uberaba sagrou-se campeão uberabense de 1931 em ambos os quadros.

Fontes:

 

A Federação Mineira de Futebol organizou, em 1984, um seletivo para apontar os participantes da Taça CBF, que seria a segunda divisão daquele ano.

Os clubes foram divididos em dois grupos de 4 equipes. Os campeões dos grupos se classificaram para a Taça CBF e fizeram a final simbólica da competição.

Participantes:

América Futebol Clube (Belo Horizonte)
Democrata Futebol Clube (Sete Lagoas)
Guarani Esporte Clube (Divinópolis)
Nacional Futebol Clube (Uberaba)
Uberaba Sport Club (Uberaba)
Uberlândia Esporte Clube (Uberlândia)
Valeriodoce Esporte Clube (Itabira)
Villa Nova Atlético Clube (Nova Lima)

GRUPO A

1ª rodada 04/02/84 América 1×0 Democrata-SL
1ª rodada 05/02/84 Villa Nova 3×0 Valeriodoce
2ª rodada 08/02/84 América 2×1 Villa Nova
2ª rodada 08/02/84 Valeriodoce 2×1 Democrata-SL
3ª rodada 12/02/84 Democrata-SL 2×2 Villa Nova
3ª rodada 12/02/84 Valeriodoce 0×0 América
4ª rodada 14/02/84 Democrata-SL 4×1 Valeriodoce
4ª rodada 14/02/84 Villa Nova 0×0 América
5ª rodada 16/02/84 Democrata-SL 0×1 América
5ª rodada 16/02/84 Valeriodoce 1×1 Villa Nova
6ª rodada 18/02/84 América 1×1 Valeriodoce
6ª rodada 19/02/84 Villa Nova 1×3 Democrata-SL

 

Classificação

Pos Equipe Pts J V E D GF GC SG
1 América 9 6 3 3 0 5 2 3
2 Democrata-SL 5 6 2 1 3 10 8 2
3 Villa Nova 5 6 1 3 2 8 8 0
4 Valeriodoce 5 6 1 3 2 5 10 -5

 

GRUPO B

1ª rodada 05/02/84 Guarani 2×2 Uberaba
1ª rodada 05/02/84 Nacional-U 0×3 Uberlândia
2ª rodada 08/02/84 Uberaba 2×3 Nacional-U
2ª rodada 08/02/84 Uberlândia 2×1 Guarani
3ª rodada 12/02/84 Guarani 2×0 Nacional-U
3ª rodada 12/02/84 Uberaba 0×0 Uberlândia
4ª rodada 14/02/84 Uberaba 1×0 Guarani
4ª rodada 14/02/84 Uberlândia 2×0 Nacional-U
5ª rodada 16/02/84 Guarani 2×0 Uberlândia
5ª rodada 16/02/84 Nacional-U 1×1 Uberaba
6ª rodada 19/02/84 Nacional-U 1×0 Guarani
6ª rodada 19/02/84 Uberlândia 3×0 Uberaba

 

Classificação

Pos Equipe Pts J V E D GF GC SG
1 Uberlândia 9 6 4 1 1 10 3 7
2 Guarani 5 6 2 1 3 7 6 1
3 Nacional-U 5 6 2 1 3 5 10 -5
4 Uberaba 5 6 1 3 2 6 9 -3

 

FINAL DO SELETIVO

22 ou 23 de fevereiro de 1984
UBERLÂNDIA 1×1 AMÉRICA
Estádio Parque do Sabiá, Uberlândia
Gol do América: Dario
Prorrogação: 0×0
Pênaltis: 2×4

Com esses resultados, o América sagrou-se campeão do Torneio Seletivo para a Taça CBF 1984. Curiosamente, o América foi eliminado logo de cara pelo Volta Redonda, enquanto o Uberlândia passou por todos os adversários e se sagrou campeão do torneio.

Fontes: Almanaque do Leão do Bonfim (Wagner Augusto), Blog do Marcão, Revista Placar, jornal Diário de Minas

© 2017 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha