O União Football Club foi uma agremiação da cidade de São Pedro da Aldeia (RJ). Fundado em 1927, há poucas informações sobre o Alvinegro Aldeense. No entanto, merece uma citação porque juntamente com o River FC, América FC e Tamoyo SC, ajudaram a fundar a Liga Sportiva de Cabo Frio (LSCF), em 1930.

 

FONTE:  José Francisco de Moura, ‘Professor Chicão’

 

O Nacional Esporte Clube foi uma agremiação da cidade de São Pedro da Aldeia (RJ). A sua sede ficava no Bairro Ponta do Ambrósio, em São Pedro da Aldeia. Foi Fundado na quarta-feira, do dia 10 de Maio de 1961. Na foto abaixo, o time posado do Nacional, que foi Campeão do Campeonato Citadino de São Pedro da Aldeia de 1968.

FONTE: Acervo de Marcelão, Marcelo Santos, ex-goleiro da Cabofriense

 

O Ríver Futebol Clube é uma agremiação da cidade de Cabo Frio (RJ). Sediado no Bairro da Gamboa, o clube foi Fundado em 1930, por um grupo de dissidentes do Luzitano FC. Porém, no ano seguinte (1931), o River acabou porque os dissidentes retornaram para o Luzitano.

Contudo, em 1949, o River foi reativado. Apesar de ser de 1930, no escudo consta o ano da sua reorganização (1949) como uma forma de afirmar que a partir daquele momento o River veio para ficar. Ainda em 1930, o clube foi um dos fundadores da Liga Sportiva de Cabo Frio (LSCF).

O Rubro-negro cabofriense tem no seu currículo três títulos do Campeonato Citadino de Cabo Frio, organizado pela Liga Cabofriense de Desportos (LCD): 1989, 1990 e 2001.

 Em 1929, dois grupos entraram em rota de colisão, o que acabou por extinguir o Luzitano Football Club. Após esse episódio, um grupo fundou o Ríver Futebol Clube, em 1930; enquanto o outro criou o América Futebol Clube. Neste mesmo ano, as duas agremiações, juntamente com o Tamoyo SC e União FC,  ajudaram a fundar a Liga Sportiva de Cabo Frio (LSCF).

Em 1931, River FC (vermelho e preto) e América FC (vermelho e branco) acabam e o Luzitano FC, retorna para a felicidade dos cabofrienses. Afinal, o Luzitano era o “Flamengo” de Cabo Frio, sendo um clube da massa. Essa popularidade era tamanha, que o lendário jornalista Mário Filho dedicou um poema ao clube.

Essa confusão ainda ganhou o último capítulo. Dezoito anos depois, o Ríver Futebol Clube foi reativado. Apesar de manter o mesmo escudo e uniforme, a nova diretoria colocou no escudo o ano de 1949, quando foi reaberto. Inspirado dessa ação, seis anos depois, foi à vez do América Futebol Clube, ser reativado em 1955.

 

FONTE:  José Francisco de Moura, ‘Professor Chicão’

 

O América Futebol Clube é uma agremiação da cidade de Cabo Frio (RJ). Sediado na Avenida América Central, s/n, no Bairro Praia Siqueira, em Cabo Frio. O Mecão foi Fundado em 1930, por um grupo de dissidentes do Luzitano FC. . Ainda em 1930, o clube foi um dos fundadores da Liga Sportiva de Cabo Frio (LSCF). Porém, no ano seguinte (1931), o América acabou porque os dissidentes retornaram para o Luzitano. Contudo, em 1955, o América foi reativado.

 Em 1929, dois grupos entraram em rota de colisão, o que acabou por extinguir o Luzitano Football Club. Após esse episódio, um grupo fundou o Ríver Futebol Clube, em 1930; enquanto o outro criou o América Futebol Clube. Neste mesmo ano, as duas agremiações, juntamente com o Tamoyo SC e União FC,  ajudaram a fundar a Liga Sportiva de Cabo Frio (LSCF).

Em 1931, River FC (vermelho e preto) e América FC (vermelho e branco) acabam e o Luzitano FC, retorna para a felicidade dos cabofrienses. Afinal, o Luzitano era o “Flamengo” de Cabo Frio, sendo um clube da massa. Essa popularidade era tamanha, que o lendário jornalista Mário Filho dedicou um poema ao clube.

Essa confusão ainda ganhou o último capítulo. Dezoito anos depois, o Ríver Futebol Clube foi reativado. Apesar de manter o mesmo escudo e uniforme, a nova diretoria colocou no escudo o ano de 1949, quando foi reaberto. Inspirado dessa ação, seis anos depois, foi à vez do América Futebol Clube, ser reativado em 1955.

 

FONTE:  José Francisco de Moura, ‘Professor Chicão’

 

Fonte: Diario Nacional

 

Villa Fonseca Football Club foi uma agremiação da cidade de São Pedro da Aldeia (RJ). Fundado em 1928, pelos dois irmãos da família Fonseca, que tinham uma fábrica de tijolos, no Bairro de Porto do Carro, em São Pedro da Aldeia.

Como a Liga Aldeense de Desportos (LAD) só foi fundada em 08 de Março de 1953, antes desta data os clubes de São Pedro da Aldeia e até de Araruama disputavam as competições em Cabo Frio, por serem municípios vizinhos.

A 1ª liga criada em Cabo Frio surgiu em 1926, a Liga Sportiva de Cabo Frio (LSCF), por ordem da Associação Fluminense de Esportes (AFE), de Niterói. Quatro anos depois, em 1930, a entidade foi refundada com a mesma nomenclatura: Liga Sportiva de Cabo Frio (LSCF). Na ocasião, contou com a presença de quatro agremiações:

Tamoyo Sport Club;

River Football Club, da Gamboa;

América Football Club, do bairro Praia do Siqueira;

União Football Club.

Em 1933, nova mudança:  surgiu a é Associação Leste Fluminense de Sports Atléticos (ALFSA). Esta em especial tinha uma peculiaridade, uma vez que englobavam as cidades de Araruama – Cabo Frio – São Pedro da Aldeia – Silva Jardim. Esta liga foi a que mais tempo durou: oito anos até a criação da Liga Cabofriense de Desportos (LCD), em 1941.

O Villa Fonseca Football Club participou das competições organizadas pelas Liga Sportiva de Cabo Frio (LSCF), de 1926 e 1930; e Associação Leste Fluminense de Sports Atléticos (ALFSA), 1933. Na criação da Liga Cabofriense de Desportos (LCD), em 1941, o Villa Fonseca  já tinha desaparecido.

 

FONTE:  José Francisco de Moura, ‘Professor Chicão’

 

O Sport Club Pimenta de Mello foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). O Rubro-negro foi Fundado na sexta-feira, do dia 13 de Setembro de 1918, por funcionários da firma Pimenta de Mello & Cia. A sua 1ª Sede ficava situada na Rua da América, nº 171 (sobrado) – Santo Cristo, Rio de Janeiro. Posteriormente, o Pimenta de Mello se mudou para o Centro do Rio e por fim, para o Bairro imperial de São Cristóvão.

Em 1919, se filiou na Alliança Sportiva Municipal  (ASM), onde disputou o Torneio Início e do Campeonato da ASM. Esta liga contou com a participação das seguintes equipes:

Cruz de Malta Athletico Club (Santo Cristo);

Athletico Cajuense Football Club (de São Cristóvão).

Sport Club Avenida Liberdade (do Centro).

Sport Club Bonsucesso (de Bonsucesso).

Sport Club Boa Vista (do Alto da Boa Vista).

Navarro Football Club (do Catumbi-Rio Comprido).

Pereira Passos Football Club (da Saúde-Centro).

Sport Club Pimenta de Mello (de S. Cristo-Centro-S. Cristóvão).

Vinte e Cinco de Novembro Football Club (da Gamboa-Santo Cristo).

Tiradentes Athletico Club (da Aldeia Campista-Maracanã).

Na foto acima os diretores e atrás a bandeira do SC Pimenta de Mello. Na imagem abaixo o time posado

Na segunda-feira, do dia 08 de março de 1920, se filiou a Associação Carioca de Sports Athleticos (ACSA). Porém, pouco tempo depois acabou se retirando, que sem que a razão tenha sido informada pelos veículos de comunicação da época.

Dois meses depois com o patrocínio do Sport Club Pimenta de Mello foi fundado  a liga da Alliança Sportiva Carioca (ASC). A sede provisória da nova liga ficava no SC Pimenta de Mello. Os clubes filiados foram:

Sant’Anna Football Club;

Dois de Junho Football Club;

Triângulo Football Club;

Independente Football Club;

Para se filiar as exigências da ASC eram: ter Estatutos; ter uma Praça de Esportes própria ou alugada; para a jóia de 30$000 (30 mil Réis); pagar mensalmente a quantia de 15$000 (15 mil Réis).

1ª Sede: Rua da América, nº 171 (sobrado) - Santo Cristo, Rio de Janeiro (RJ)

No domingo, do dia 23 de Maio de 1920, foi realizado o 1º Torneio Início, organizado pela ASC, no campo do Progresso Football Club, localizado na Rua João Rodrigues, s/n, no Bairro da São Francisco Xavier, na Zona Norte do Rio. Os participantes foram:

Dois de Junho Football Club;

Nova York Football Club;

Penha Football Club;

Sant’Anna Football Club;

SC Pimenta de Mello;

Triângulo Football Club.

No 1º jogo, que teve início às 13 horas, o Nova York venceu o Triângulo 1 a 0 (2 a 1, nos escanteios). Na segunda partida, o Dois de Junho bateu o Pimenta de Mello por 1 a 0 (2 a 0, nos escanteios). No 3º jogo, o Penha eliminou o Sant’Anna por um escanteio a zero.

Na fase semifinal, o Dois de Junho venceu o Nova York por 2 a 1 (2 a 1, nos escanteios). Na decisão, o Dois de Junho conquistou o título ao empatar em 1 a 1, mas vencer o Penha nos escanteios: 2 a 1.

Com isso, o  campeão Dois de Junho recebeu um artístico bronze, enquanto o Penha, vice-campeão, ganhou uma rica taça.

 

Time-base de 1920: Ernesto; Sexta e M. Souza; Alberto F., Erasmo e Raul; Cosme, Bahianinho, Victorio, Vicente e Rubens.

FONTES: O Paiz – O Malho

 

 

No início de maio de 1920, com o patrocínio do Sport Club Pimenta de Mello foi fundado  a liga da Alliança Sportiva Carioca (ASC). A sede provisória da nova liga ficava no SC Pimenta de Mello ( Rua da América, nº 171 (sobrado) – Santo Cristo, Rio de Janeiro). Os clubes filiados foram:

Sant’Anna Football Club;

Dois de Junho Football Club;

Triângulo Football Club;

Independente Football Club;

No domingo, do dia 23 de Maio de 1920, foi realizado o 1º Torneio Início, organizado pela ASC, no campo do Progresso Football Club, localizado na Rua João Rodrigues, s/n, no Bairro da São Francisco Xavier, na Zona Norte do Rio. Os participantes foram:

Dois de Junho Football Club;

Nova York Football Club;

Penha Football Club;

Sant’Anna Football Club;

SC Pimenta de Mello;

Triângulo Football Club.

 

No 1º jogo, que teve início às 13 horas, o Nova York venceu o Triângulo 1 a 0 (2 a 1, nos escanteios). Na segunda partida, o Dois de Junho bateu o Pimenta de Mello por 1 a 0 (2 a 0, nos escanteios). No 3º jogo, o Penha eliminou o Sant’Anna por um escanteio a zero.

Na fase semifinal, o Dois de Junho venceu o Nova York por 2 a 1 (2 a 1, nos escanteios). Na decisão, o Dois de Junho conquistou o título ao empatar em 1 a 1, mas vencer o Penha nos escanteios: 2 a 1. Com isso, o  campeão Dois de Junho recebeu um artístico bronze, enquanto o Penha, vice-campeão, ganhou uma rica taça.

 

FONTE: O Paiz

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

A Cruz de Malta Athletico Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). Fundado no dia 1º de Fevereiro de 1918, tinha sede própria no Bairro de Santo Cristo, na Zona Portuária do Rio.

O clube participou do Torneio Início e do Campeonato da Liga Municipal de Futebol (LMF), em 1918. No ano seguinte, já na Alliança Sportiva Municipal  (ASM), em 1919, o do Torneio Início e do Campeonato da ASM.

Nesta edição participaram:

Athletico Cajuense Football Club (de São Cristóvão).

Sport Club Avenida Liberdade (do Centro).

Sport Club Bonsucesso (de Bonsucesso).

Sport Club Boa Vista (do Alto da Boa Vista).

Navarro Football Club (do Catumbi-Rio Comprido).

Pereira Passos Football Club (da Saúde-Centro).

Sport Club Pimenta de Mello (de S. Cristo-Centro-S. Cristóvão).

Vinte e Cinco de Novembro Football Club (da Gamboa-Santo Cristo).

Tiradentes Athletico Club (da Aldeia Campista-Maracanã).

 

FONTES: Rsssf Brasil – Revista Época Sportiva

 

No domingo, do dia 13 de janeiro de 1929,  o América Football Club, então campeão Carioca de 1928, viajou até Cabo Frio, na Região dos Lagos, para enfrentar o Tamoyo Sport Club, no antigo campo da Nilo Peçanha. Um fato curioso é que esta partida amistosa não consta nos dados estatísticos do América, mesmo tendo sido o time titular que jogou e goleou pelo placar de 4 a 0.

 

FONTES: José Franscico de Moura, ‘Profº Chicão’ – A Crítica – O Imparcial

 

Com a preciosa colaboração de José Francisco de Moura, ou simplesmente Professor Chicão, foi possível montar o “esqueleto” do Tamoyo de Cabo Frio. A história começou a partir da sua Fundação no dia 13 de Novembro de 1915, quando surgiu o Tamoyo Football Club.

Cerca de uma década depois, a agremiação alterou o nome para Tamoyo Sport Club. A partir do aportuguesamento, no final dos anos 40, passou a se chamar Tamoyo Esporte Clube.

Agremiação Tricolor (Verde, branco e vermelho) está localizada na Avenida Nilo Peçanha, 153, no Centro de Cabo Frio, que fica na Região dos Lagos do Estado do Rio de Janeiro.

FONTE: José Francisco de Moura, ‘Profº Chicão

 

Com a preciosa colaboração de José Francisco de Moura, ou simplesmente Professor Chicão, foi possível montar o “esqueleto” do Tamoyo de Cabo Frio. A história começou a partir da sua Fundação no dia 13 de Novembro de 1915, quando surgiu o Tamoyo Football Club.

Cerca de uma década depois, a agremiação alterou o nome para Tamoyo Sport Club. A partir do aportuguesamento, no final dos anos 40, passou a se chamar Tamoyo Esporte Clube.

Agremiação Tricolor (Verde, branco e vermelho) está localizada na Avenida Nilo Peçanha, 153, no Centro de Cabo Frio, que fica na Região dos Lagos do Estado do Rio de Janeiro.

FONTE: José Francisco de Moura, ‘Profº Chicão

 

O Pereira Passos Football Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). Foi Fundado no sábado, do dia 03 de Maio de 1913. A sua Sede ficava localizada na Rua do Livramento, 85 (sobrado), no bairro Saúde, no Rio de Janeiro.

Na sexta-feira, do dia 28 de Maio de 1915, patrocinado pelo Pereira Passos Football Club foi  Fundado a Associação Carioca de Foot-Ball (ACF), com Sede provisória na Rua da Saúde, nº 333. A nova entidade recebeu os seguintes filiados:

Foto posada de 1919

Avenida Foot-Ball Club;

Confiança Athletico Club;

Municipal Foot-Ball Club;

Sport Club Mackenzie.

O Pereira Passos participou do Campeonato Carioca de 1929, organizado pela Liga Metropolitana de Desportos Terrestres (LMDT). No ano seguinte, o clube fechou às portas. Meses depois, já em 1931, um grupo se reuniu para reorganizar o clube. Posteriormente, existiu por mais uma década até desaparecer em definitivo.

Sede da Rua do Livramento, 85 (sobrado), no bairro Saúde, no Rio de Janeiro

FONTES: Google Maps – Revista Época Sportiva – Jornal do Brasil (JB) – Correio da Manhã – A Época – A Rua – A Batalha

 

O Atlas Foot-Ball Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). O ‘Querido Club da Haddock Lobo’ foi Fundado no domingo, do dia 19 de Novembro de 1916. A Sede Social do clube Alvirrubro ficava na Rua Haddock Lobo, s/n, o Bairro da Tijuca – Zona Norte do Rio; enquanto o seu Campo estava situado na Rua Barão de Itapagipe, nº 113, no Bairro Rio Comprido – Zona Norte do Rio.

O Campo do Atlas, atualmente fica o Edifício Geral do Hospital Central da Aeronáutica

Uma curiosidade do Atlas é que no Estatuto constava que “era dever dos sócios não perturbar a administração, os jogos do clube e a ordem nas arquibancadas“.

Na Revista Sports uma matéria contando um pouco do Atlas, em 05 de Abril de 1919. Abaixo a reportagem na íntegra:

“Seguindo o nosso programa, que é dar impulso aos pequenos clubes, que constituem o celeiro de abastecimento do nosso núcleo de jogadores, vamos dar publicidade ao que notamos numa visita feita ao Atlas, o Querido Clube da Haddock Lobo.

O seu campo, sitio á Rua Barão de Itapagipe, passa atualmente por reformas, a fim de ser aumentada  a área do ground, para o que foi aproveitada uma grande extensão de terreno adjacente, outrora ocupada por uma chácara.

Pretende também a atual diretoria, aumentar as arquibancadas, pois as existentes tornaram-se pequena para a assistência que sempre afluem aos jogos deste querido clube.

O Atlas conta em seu quadro principal, com elementos de real valor, entre os quais destacam-se: Juca Lima, o magistral e simpático keeper (goleiro), a principal barreira da defesa alvirrubra; e os irmãos Jacy, dois players completos, exímios fowards. Por todo mês, será realizado um festival esportivo; fazendo parte do programa um encontro entre o teamverde“, vencedor do torneio interno e o teamazul“, o segundo colocado. Nesta festa serão entregues as medalhas aos vencedores do último campeonato interno”.

 

FONTES: Google Maps – Revista Época Sportiva  

 

FONTE: Revista Época Sportiva  

 

Olá amigos e membros do História do Futebol, bom dia.

Como já é  conhecimento de todos, sobretudo dos mais antigos,

Neste período necessitamos quitar a anuidade do Blog.

Para isso, contamos com a participação e colaboração de todos os membros.

O valor este ano é de R$ 270 reais. Portanto preciso saber quem pode colaborar, a fim de mantermos este espaço ativo.

Por gentileza, deixe um comentário daqueles que colaborarão. A partir daí sabendo o número de pessoas que irão ajudar, poderei agilizará para dividir o valor total e disponibilizar as contas (Bradesco e Caixa Econômica) para fecharmos essa etapa o mais rápido possível.

 

Desde já agradeço pela atenção

 

Abs.

 

FONTE: Revista Época Sportiva  

 

O Esporte Clube Brasil (Brasil do Baixo Grande) é uma agremiação da cidade de São Pedro da Aldeia (RJ). Fundado em 1943, a sua Sede fica localizada na Rua Amélio Soares dos Santos, em frente ao nº 17 – Baixo Grande – São Pedro da Aldeia .

O tradicional Brasil do Baixo Grande  foi campeão do Campeonato Citadino de São Pedro da Aldeia em 1963. Em 1965, dividiu o título do Campeonato Citadino de Cabo Frio com o Tamoyo.

O motivo pelo qual o Brasil do Baixo Grande participou de algumas edições do Campeonato de Cabo Frio é pela proximidade. Ou seja: os bairros de Baixo Grande e Porto do Carro estão muito mais perto de Cabo Frio do que do centro de São Pedro da Aldeia.

Por isso, os clubes desses bairros sempre se dividiram entre os dois municípios. Além disso, a Liga de São Pedro da Aldeia só surgiu em 1953. Antes, os clubes de São Pedro da Aldeia como: Palmeiras, Villa Fonseca, União, São Pedro Esporte Clube, Brasil, Estado Novo, disputavam o Campeonato Citadino de Cabo Frio.

Foto de 1953, da Sede do Brasil do Baixo Grande. No cume do telhado é possível ver o alto-falante.

 

FONTE & FOTOS: Página no Facebook “Se Essa Aldeia Fosse Nossa” – José Francisco de Moura, Chicão  

 

O Vila Nova Futebol Clube é uma agremiação da cidade de Armação dos Búzios (RJ). A sua Sede e o campo localizados no Bairro São José em Armação dos Búzios. Fundado em 1937, quando a cidade ainda engatinhava, com cerca de 600 habitantes, disputava apenas amistosos. Nos anos 90, o clube passou a ter uma pequena sede e um campo.

Uma curiosidade é que o Vila Nova tem uma relação estreita com a família do ex-goleiro Marcelão. Como morava em frente ao campo, a avó materna (mãe do Lenilson e do Luiz Carlos; e avó do meio-campista Marcos Marins, que jogou na Cabofriense entre 1998 a 2009), que fazia os ofícios para marcação de jogos na década de 50.

Marcos Marins e Léo Marins são primos de Marcelão

FONTES: Marcelo Santos, Marcelão, ex-goleiro da Cabofriense – José Francisco de Moura, Chicão  

FOTOS: Página do clube no Facebook

 

FOTOS: Acervo de Marcelão, Marcelo Santos, ex-goleiro da Cabofriense

 

FOTO: Acervo de Marcelão, Marcelo Santos, ex-goleiro da Cabofriense

 

 ACADEMIA DE FUTEBOL SPORT BRASIL LTDA.

FUNDAÇÃO: 05/05/2005

ENDEREÇO: R. BRUNO ANTUNES FARIAS/SN – CAPIVARI DE BAIXO/SC

ESTÁDIO: MUNICIPAL ENGENHEIRO LIRIO BURIGO.

SITUAÇÃO: EXTINTO.

DISPUTOU O CAMPEONATO CATARINENSE DA SÉRIE B1 (3. DIVISÃO)  EM 2005.

CAMPANHA: 18 J – 7 V – 6E – 5D – 34GP – 30GC

ACUMULOU 27 PONTOS GANHOS, O QUE LHE VALERIA A 4. COLOCAÇÃO GERAL, PORÉM, DEVIDO A PERDA DE 12 PONTOS PELA ESCALAÇÃO DE DIVERSOS JOGADORES IRREGULARES, FECHOU A COMPETIÇÃO EM ULTIMO LUGAR (10.)  COM APENAS 15 PG.

Fonte: Acervo pessoal.

 

FOTO: Acervo de Marcelão, Marcelo Santos, ex-goleiro da Cabofriense

 

Participantes:

Dom Bosco – Cuiabá

Mixto – Cuiabá

Operário – Campo Grande

Operário – Várzea Grande

Dom Bosco 3 x 1 Operário-VG

Data: 18/04/1969

Local: Estádio Presidente Dutra

Árbitro: Osmar Marques

Gols: Damasceno (2), Jaburu e Toninho

Dom Bosco: Saldanha, JK, Gonçalo (Fumaça), Dunga, Nenê, Luiz Carlos, Ferrari (Franklin), Toninho, Damasceno, Jaburu e Edinho (Mineiro).

Operário: Águia Negra, Brasil (Disney), Orlando, Alair, Zinho, Manoel, Naldo, Célio, Curi (Delmare), Toninho e Odenir.

 

Mixto 2 x 2 Operário-CG

Data: 18/04/1969

Local: Estádio Presidente Dutra

Árbitro: Airton de Souza Franco

Gols: Ruiter, Ariel, Abuhassan e Pelé (Ope)

Mixto: Zé Rondonópolis, Miguel, Felizardo (Severino), Glauco, Darcy Avelino, Adalberto, Ruiter, Ariel, Rômulo, Wilson e Arnon.

Operário: Ailton, Adilson, Aderbal, Sérgio, Cezário, Hélvio (Elão), Aldo, Gabriel, Pafuncio, Abuhassan (Pelé) e Ramulo (Dilvan).

 

Operário-VG 0 x 0 Operário-CG

Data: 20/04/1969

Local: Estádio Presidente Dutra

Árbitro: Osmar Marques

Operário: Walter, Brasil, Paulo (Saborosa), Alair (Orlando), Tinho, Nelsinho (Tatu), Nelson (Manoel), Célio, Manoel (Delmare), Toninho e Fião (Odenir).

Operário: Ailton, Adilson, Aderbal, Sérgio, Cezário, Hélvio, Aldo, Gabriel, Pafuncio, Abuhassan e Ramulo.

 

Dom Bosco 0 x 0 Mixto

Data: 20/04/1969

Local: Estádio Presidente Dutra

Árbitro: Airton de Souza Franco

Dom Bosco: Saldanha, Ramão, Fumaça, Dunga, Nenê, Luis Carlos (Waldemir), Jaburu, Toninho, Ferreira (Nélson Leão), Damasceno e Edinho (Pé de Pato).

Mixto: Zé Rondonópolis, Pelé, Felizardo, Glauco, Darcy Avelino, Adalberto, Ruiter, Ariel, Ademir Moreira, Valtinho (Rômulo) e Arnon.

 

Obs.: O Dom Bosco venceu nos pênaltis, por 2×1, sagrando-se campeão do Torneio Bento Machado Lobo.

 

Fonte: Jornal O Estado de Mato Grosso

 

 

 

 

 

O São Cristóvão, do Rio de Janeiro disputou 11 jogos (todos amistosos) contra equipes de Cuiabá. Dez delas em Cuiabá e 01 no Rio de Janeiro, numa preliminar da Seleção Brasileira. Abaixo os jogos:

 

DATA

LOCAL

19.04.1959

Mixto

2

x

4

São Cristóvão

Cuiabá

21.04.1959

Atlético

0

x

1

São Cristóvão

Cuiabá

23.04.1959

Mixto

1

x

0

São Cristóvão

Cuiabá

25.04.1959

Atlético

2

x

4

São Cristóvão

Cuiabá

11.02.1968

Operário (VG)

1

x

3

São Cristóvão

Cuiabá

13.02.1968

Dom Bosco

1

x

1

São Cristóvão

Cuiabá

19.05.1968

Dom Bosco

2

x

2

São Cristóvão

Cuiabá

29.04.1970

Dom Bosco

1

x

1

São Cristóvão

Rio de Janeiro

30.08.1973

Mixto

1

x

2

São Cristóvão

Cuiabá

02.09.1973

Dom Bosco

3

x

0

São Cristóvão

Cuiabá

13.11.1974

Operário (VG)

0

x

2

São Cristóvão

Cuiabá

 

Fonte: Boletim Informativo do Clube Atlético Matogrossense e Jornal O Estado de Mato Grosso

 

 

Em 1977, a antiga Federação Matogrossense de Desportos, realizou o Torneio Dr. Carlos Orione, com a participação de Dom Bosco, Palmeiras de Cuiabá, Operário de Várzea Grande e como convidado, o Botafogo do Rio de Janeiro. A equipe carioca veio com uma equipe de reservas.

1ª Rodada (23/01/1977)

 Palmeiras 2 x 1 Botafogo

Local: Estádio Governador José Fragelli (Cuiabá)

Renda: Cr$ 125.210,00

Árbitro: Paulo Fernandes

Gols: César, Tupã e Luisinho

Palmeiras: Peron, J. Alves, Wilson Bozó, Oliveira, Paulinho (Tadeu), Nunes, César, Altair (Jurandir), Carlos, Tupã (Pastel) e Pindú (Márcio).

Botafogo: Luiz Carlos, Miguel, Milton, Pereira, Sérgio, Vieira, Ademir, Fernando, Valdo (Jô), Luisinho e Clóvis (Campos).

 

Dom Bosco 1 x 0 Operário

Local: Estádio Governador José Fragelli (Cuiabá)

Renda: Cr$ 125.210,00

Árbitro: Olandir Rondon

Gol: Fidélis

Dom Bosco: Leomário (Valdeci), Gali, Pereira, Gaguinho (Alair), Dirceu Batista, Joel Diamantino, Gérson, Gonçalves, Djalma (Carlos Alberto), Fidélis e Pelego.

Operário: Roque, Bassi (Luiz Carlos), Alemão, Paulo César (Hamilton), Justino (Chiquinho), Figueiró (Rui), Nélson Lopes, Zé Hélio, Puruca, Pelezinho e Odenir.

 

2ª Rodada (26/01/1977)

 Operário 0 x 0 Botafogo

Local: Estádio Governador José Fragelli (Cuiabá)

Renda: Cr$ 85.335,00

Árbitro: Orlando Antunes

Operário: Nélson, Luiz Carlos (Índio), Paulo César (Zezinho), Jofre, Zé Mário, Nélio Ramos, Nelson Lopes (Tonho), Pelezinho, Puruca e Zé Hélio (Odenir).

Botafogo: Brandão, Beto, Tião, Nilton, Sérgio, Shirley, Índio, Gil (Clóvis), Paulista, Silva e Milton.

 

Palmeiras 1 x 1 Dom Bosco

Local: Estádio Governador José Fragelli (Cuiabá)

Renda: Cr$ 85.335,00

Árbitro: Benedito Pio dos Santos

Gols: Wilson e Pelego

Palmeiras: Peron, J. Alves, Wilson Bozó, Oliveira, Paulinho, Nunes, César, Edmar (Carlos), Wilson, Ferreira e Pindú.

Dom Bosco: Valdeci, Gali, Pereira, Alair, Gaguinho, Dirceu Batista, Gerson, Gonçalves, Fidélis, Djalma (Carlos Alberto) e Pelego.

Nos pênaltis, o Palmeiras venceu por 5 x 4 e ficou com o título do quadrangular.
Fonte: Verdão – 04 Anos de História – 1980 

 

 

 

 

 

Em 1974, o Dom Bosco saiu de Cuiabá para Porto Velho, Rondônia. Lá disputou três partidas contra equipes locais e saiu-se invicto da breve excursão. Abaixo os resultados e as escalações da equipe cuiabana, nos três jogos.

 

Dom Bosco 1 x 1 Ferroviário (RO)

Data: 26/10/1974

Local: Estádio Aluísio Ferreira (Porto Velho)

Árbitro: Não divulgado

Gols: Pelego (Dom Bosco) e Dindon (Ferroviário)

Dom Bosco: Saldanha (Almeida), Luis Carlos (Nide), Saborosa, Neórico, Vitamina, Joel Diamantino, Luis Afonso, Dulcelino (Carlos Alberto), Adilson (Carlos Eduardo), Valdemir e Pelego.

 

Dom Bosco 3 x 0 Flamengo (RO)

Data: 28/10/1974

Local: Estádio Aluísio Ferreira (Porto Velho)

Árbitro: Brasil José de Siqueira

Gols: Carlos Eduardo (2) e Luis Carlos

Dom Bosco: Saldanha (Almeida), Luis Carlos (Nide), Saborosa, Neórico, Vitamina, Luis Afonso, Joel Diamantino, Dulcelino (Lúcio), Valdemir (Carlos Alberto), Adilson (Carlos Eduardo) e Pelego.

 

Dom Bosco 2 x 0 Moto Clube (RO)

Data: 31/10/1974

Local: Estádio Aluísio Ferreira (Porto Velho)

Árbitro: Não divulgado

Gols: Joel Diamantino e Carlos Eduardo

Dom Bosco: Saldanha (Almeida), Nide, Saborosa, Neórico, Dulcelino, Luis Afonso, Joel Diamantino (Carlos Eduardo), Lúcio, Vitamina, Adilson e Pelego (Carlos Alberto).

 

Fonte: Jornal O Estado de Mato Grosso

 

Participantes:

Clube Atlético Mato-grossense – Cuiabá
Mixto Esporte Clube – Cuiabá
Clube Esportivo Operário Várzea-grandense – Várzea Grande
União Esporte Clube – Rondonópolis
Primeiro Turno

 

16.02.1986
Mixto
3
x
1
Atlético
Cuiabá
16.02.1986
Operário
3
x
1
União
Cuiabá
19.02.1986
Operário
1
x
0
Atlético
Cuiabá
19.02.1986
Mixto
1
x
0
União
Cuiabá
23.02.1986
União
0
x
0
Atlético
Rondonópolis
23.02.1986
Operário
1
x
0
Mixto
Cuiabá

 

Segundo Turno

 

26.02.1986
Operário
3
x
1
Atlético
Cuiabá
27.02.1986
União
0
x
2
Mixto
Rondonópolis
02.03.1986
Atlético
1
x
1
União
Cuiabá
02.03.1986
Operário
4
x
0
Mixto
Cuiabá
05.03.1986
Mixto
1
x
1
Atlético
Cuiabá
06.03.1986
União
?
x
?
Operário
Rondonópolis

 

Finais

 

09.03.1986
Operário
2
x
1
Mixto
Cuiabá
16.03.1986
Mixto
0
x
0
Operário
Cuiabá

 

Com estes resultados o Clube Esportivo Operário Várzea-grandense, sagrou-se campeão da Taça Cuiabá 1986

Fonte: Jornal O Estado de Mato Grosso/Diário de Cuiabá/Jornal do Dia

 

 

DATA
LOCAL
11.05.1975
MARÍTIMOS
1-7
COMERCIAL
CORUMBÁ
14.05.1975
COMERCIAL
1-0
OPERÁRIO(VG)
CAMPO GRANDE
21.05.1975
COMERCIAL
3-0
DOM BOSCO
CAMPO GRANDE
08.06.1975
COMERCIAL
3-0
UNIÃO
CAMPO GRANDE
18.06.1975
COMERCIAL
2-0
UBIRATAN
CAMPO GRANDE
25.06.1975
COMERCIAL
1-0
OPERÁRIO(CG)
CAMPO GRANDE
06.07.1975
UNIÃO
0-0
COMERCIAL
RONDONÓPOLIS
09.07.1975
OPERÁRIO(VG)
0-2
COMERCIAL
CUIABÁ
13.07.1975
DOM BOSCO
1-1
COMERCIAL
CUIABÁ
16.07.1975
MIXTO
0-1
COMERCIAL
CUIABÁ
20.07.1975
OPERÁRIO(CG)
1-0
COMERCIAL
CAMPO GRANDE
27.07.1975
COMERCIAL
4-0
MARÍTIMOS
CAMPO GRANDE
03.08.1975
UBIRATAN
0-3
COMERCIAL
DOURADOS

 

Fonte: Jornal O Estado de Mato Grosso e Revista Placar

 

 

DATA
LOCAL
24.11.1974
OPERÁRIO(CG)
2-0
UBIRATAN
CAMPO GRANDE
27.11.1974
OPERÁRIO(CG)
3-0
UNIÃO
CAMPO GRANDE
01.12.1974
OPERÁRIO(VG)
2-0
OPERÁRIO(CG)
CUIABÁ
04.12.1974
MIXTO
0-0
OPERÁRIO(CG)
CUIABÁ
08.12.1974
DOM BOSCO
2-1
OPERÁRIO(CG)
CUIABÁ
15.12.1974
OPERÁRIO(CG)
1-1
COMERCIAL
CAMPO GRANDE
16.02.1975
OPERÁRIO(CG)
1-1
OPERÁRIO(VG)
CAMPO GRANDE
05.03.1975
OPERÁRIO(CG)
1-0
DOM BOSCO
CAMPO GRANDE
23.03.1975
OPERÁRIO(CG)
4-0
MIXTO
CAMPO GRANDE
06.04.1975
UNIÃO
0-2
OPERÁRIO(CG)
RONDONÓPOLIS
13.04.1975
COMERCIAL
0-0
OPERÁRIO(CG)
CAMPO GRANDE
19.04.1975
UBIRATAN
1-2
OPERÁRIO(CG)
DOURADOS
20.04.1975
DOM BOSCO
2-2
OPERÁRIO(CG)
CUIABÁ
23.04.1975
OPERÁRIO(CG)
1-1
DOM BOSCO
CAMPO GRANDE
27.04.1975
OPERÁRIO(CG)
2-1
DOM BOSCO
CAMPO GRANDE

 

Fonte: Jornal O Estado de Mato Grosso e Revista Placar

 

 

DATA
LOCAL
14.10.1973
OPERÁRIO(VG)
1-0
UNIÃO
RONDONÓPOLIS
20.10.1973
OPERÁRIO(VG)
1-1
OPERÁRIO(CG)
CAMPO GRANDE
28.10.1973
OPERÁRIO(VG)
?-?
PALMEIRAS
CUIABÁ
11.11.1973
OPERÁRIO(VG)
2-2
MIXTO
CUIABÁ
18.11.1973
OPERÁRIO(VG)
0-0
DOM BOSCO
CUIABÁ
03.03.1974
OPERÁRIO(VG)
1-0
UNIÃO
CUIABÁ
24.03.1974
OPERÁRIO(VG)
1-1
COMERCIAL
CUIABÁ
07.04.1974
OPERÁRIO(VG)
4-1
PALMEIRAS
CUIABÁ
05.05.1974
OPERÁRIO(VG)
2-1
MIXTO
CUIABÁ
12.05.1974
OPERÁRIO(VG)
0-0
DOM BOSCO
CUIABÁ
02.06.1974
OPERÁRIO(VG)
2-2
UNIÃO
RONDONÓPOLIS
16.06.1974
OPERÁRIO(VG)
1-2
MIXTO
CUIABÁ
19.06.1974
OPERÁRIO(VG)
2-2
PALMEIRAS
CUIABÁ
30.06.1974
OPERÁRIO(VG)
1-1
COMERCIAL
CAMPO GRANDE
14.07.1974
OPERÁRIO(VG)
1-4
DOM BOSCO
CUIABÁ
21.07.1974
OPERÁRIO(VG)
0-0
DOM BOSCO
CUIABÁ
28.07.1974
OPERÁRIO(VG)
4-0
DOM BOSCO
CUIABÁ
04.08.1974
OPERÁRIO(VG)
0-0
DOM BOSCO
CUIABÁ

 

Fonte: Jornal O Estado de Mato Grosso e Revista Placar

© 2017 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha