O Kaburé Esporte Clube é uma agremiação da cidade de Colinas do Tocantins (TO). A sua Sede fica na Avenida Dr. Corinto Florêncio, 1.334, no Centro da cidade. Fundado no dia 5 de Janeiro de 1985. O 1º Presidente foi Ewaldo Borges de Resende. Estiveram presentes na reunião de fundação do clube:

Ewaldo Borges de Resende, José Eustáquio Pires, Eduardo de Assis Albuquerque, Juscelino Ferreira da Silva, Paulo Cesar Capel, João Branco de Moraes Sobrinho, Pedro Alves Chaves, José Carlos Ximenes Leão, José Gaspar Silva Morais, José Cândido, José Alves de Lima, José Nascimento Neto, José Messias, Inaldo G. Guimarães Filho, Claudson Santana Batista, Antônio Pereira dos Anjos, Nelson Alves Castro, Luiz Bispo Dias Noleto, Hamilton Fernandes Naves, Raimundo Costa, Ajuri Fernandes da Silva, Plínio Cesar Gracia, Roberto Batista, Wilson de Assis Sobrinho, Rubens Fernandes Marçal e Lucimar de Souza França.

Em 1989, o Kaburé foi campeão da 1ª competição estadual amadora a ser realizada no Tocantins: a Copa Tocantins. Treinada por Wilson Tapuio, a equipe campeã era formada por: Gentil, Martins, Rubão, Rubinho e Lucimar; Babal, Giordany e Juscelino; Wilsinho, Mundeco e Sandro.

Em 1991, sob o comando de Carlucio Divino, o Kaburé foi bicampeão da competição. A equipe bicampeã: Edinaldo, Elinho, Paixão, Rubinho e Martins; Juscelino, Babal e Giordany; Wilsinho, Paulo Dias e Josa. Em dezembro de 1993, com o profissionalismo já tendo atingido o futebol tocantinense, o Kaburé conquistou a Copa Tocantins e obteve o direito de ser o 1º representante do Tocantins na Copa do Brasil.

A equipe, treinada por Amarildo, foi campeã vencendo o Intercap na prorrogação e estava assim formada: Marcinho, Luiano, Paixão, Alex e Vanderlei; Babalzinho, Gilberto e Luizinho; Taguá, Paulão e Juscelino. Na Copa do Brasil de 1994, o Kaburé passou pelo América Mineiro na 1ª fase, sendo eliminado pelo Comercial de Campo Grande na fase seguinte. Ao conquistar novamente a Copa Tocantins no mesmo ano, garantiu nova participação na competição nacional.

Em 1995, o Kaburé eliminou o Maranhão na 1ª fase e se despediu da segunda fase da Copa do Brasil com duas derrotas (1 x 0, em casa, e 8 x 0, fora) para o Flamengo. No ano seguinte, conquistou mais uma vez a Copa Tocantins, vencendo o Tocantinópolis na final. Ainda em 1996, o clube realizou a melhor campanha de sua história no Campeonato Tocantinense, sagrando-se vice-campeão ao perder a decisão nos pênaltis para o Gurupi.

Em 1997, o Kaburé não passou da primeira fase da Copa do Brasil: empatou o primeiro jogo com a então vice-campeã brasileira Portuguesa em 1 x 1 e foi goleado no segundo por 8 x 0, no Estádio do Canindé, na capital paulista.

Em 2007, após dez anos sem disputar o campeonato estadual, terminou na 5ª colocação e só não se classificou para as semifinais por ter escalado o jogador Cassius de forma irregular. A vaga acabou ficando com o Gurupi, que havia sido derrotado nos pênaltis pelo Kaburé por 6 x 5. Após uma péssima campanha em 2009, o Kaburé foi rebaixado para o Campeonato Tocantinense da 2ª Divisão.

 

FONTE & FOTO: Wikipédia – Ismael Carlos

   
© 2018 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha