A Associação Esportiva Central Barreiros foi uma agremiação do Município de Barreiros (PE). Localizado 102 km da capital pernambucana, Barreiros conta com uma população de 42.105 habitantes (Segundo o IBGE de 2014). O clube barreirense foi Fundado no dia 12 de Setembro de 1939, por funcionários da Usina Central Barreiros, no setor da cana-de-açúcar.

A Sede da A.E. Central Barreiros ficava na Avenida Senador Felisbino Vasconcelos, s/n, no Centro de Barreiros. O time mandava os seus jogos no Estádio Municipal Luiz Brito Bezerra de Melo, com capacidade para 5 mil espectadores.

Time de 1969

HISTÓRIA

Um pioneiro. Assim poderíamos definir o Central Barreiros que faturou títulos expressivos e se tornando o 1º clube a faturar títulos em nível estadual. O clube barreirense  se sagrou Campeão da II Taça Pernambucana de 1964. Sete anos depois debutou no Campeonato Pernambucano da 2ª Divisão, em 1971. Já na temporada seguinte, o clube fez história!

1º CLUBE DO INTERIOR CAMPEÃO DA 2ª DIVISÃO

Em 1972, Associação Esportiva Central Barreiros fez história. Pela primeira vez um clube fora do Recife faturou um título estadual. O Central Barreiros chegou na fase final diante do Caxangá, numa melhor de três, chegou ao inédito título de Campeão do Campeonato Pernambucano da 2ª Divisão de 1972.

No primeiro jogo, no domingo, do dia 14 de maio de 1972, o Central Barreiros, mesmo jogando como visitante, venceu o Caxangá por 2 a 0, deixando o título bem encaminhado.

Uma semana depois, no domingo, do dia 21 de maio de 1972, atuando no Estádio Municipal Luiz Brito Bezerra de Melo, em Barreiros,  o Central Barreiros não desperdiçou a oportunidade e, de forma contundente, goleou o Caxangá por 4 a 0, faturando o caneco.

Time posado de 1973

FESTA DA ‘ENTREGA DAS FAIXAS’

Na quarta-feira, do dia 31 de maio, no jogo da ‘entrega das faixas’, o Central Barreiros recebeu a visita do Náutico Capibaribe (vice-campeão da 1ª Divisão ao lado do Sport Recife), mas acabou derrotado pelo placar de 3 a 1. Gols de Camutanga, duas vezes, e Dimas, contra; enquanto Lulinha fez o de honra do clube barreirense.

Em 1977, o Central Barreiros participou do Torneio Governador Moura Cavalcanti Torneio Seletivo, organizado pela Federação Pernambucana de Futebol, que na prática era uma Segunda Divisão, numa versão profissional. A motivação pela competição contagiou desde os funcionários da Usina Central Barreiros até o prefeito da cidade.

Contudo, o que era confiança se transformou num grande fiasco, com a fraca campanha do clube. Apesar de ter jogado como mandante em seis das nove rodadas, o Central Barreiros não venceu nenhum jogo, somando apenas um pontinho em 18 disputados. 

Time posado de 1977

Time-base de 1951: Tempestade; Dida e Béu; Chico, Figueira e Paraíba; Chocolate, Zé Pequeno, Alcides, Dija e Eures. Técnico: Nelson Fonseca

Time-base de 1970: Reginaldo; Zoni, Dema, Lima e Paulo; Paulo Roberto e Cacá; João, Biola, Lulinha e Doge.

Time-base de 1971-72: Maurício; Zome, Dema (Dimas), Lima e Luís (Doge); Bagé e Cacá; Matuto, Frazão, Lulinha e Tana.

Time-base de 1973: Maurício; Ernane (Louro), Zé de Lima, Amaro e Dimas; Géo e José Alfredo; Prego, Pajé, Ariba e Beto (Doge). Técnico: Onildo Belo.

Time-base de 1977: Luizito; Zone, Neném, Neto e Silva; Arnon e Moacir; Rubens, Edvaldo, Cacá e Moisés. Técnico: Paulo Domingues.

  

FONTES: Diário de Pernambuco – Jornal de Recife – A Província

   
© 2019 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha