Após muito tempo de pesquisas, enfim, consegui chegar ao primeiro clube campeão do Campeonato Pernambucano da 2ª Divisão: Associação Atlética Maguary, que fica no Município de Bonito (com 58.122 habitantes, segundo o IBGE/2004), localizado a 104 km da capital Recife.

O ‘time alvianil bonitense’ foi Fundado no dia 1º de Maio de 1971, para a distração dos funcionários das Industrias Alimentícias Maguari, fabricante e exportador de sucos. A sua Sede fica localizada na Avenida Joaquim Nabuco, s/n, no Centro de Bonito (outro endereço: Rua Cônego Cavalcante, 153, no centro da cidade).

O Maguary mandava os seus jogos no Estádio é o Municipal Artur Tavares de Melo (o nome foi uma homenagem ao fundador das Industrias Alimentícias Maguari), o ‘Artuzão’, com capacidade para 3 mil pessoas.

HISTÓRIA

Em outubro de 1975, que o presidente do clube, Antonio Mauri Figueiredo, gerente industrial da firma, resolveu partir para a formação de um verdadeiro time de futebol, iniciando pela contratação do treinador Leonildo Vila Nova – com passagens pelo Santa Cruz e Sport Recife – e aos poucos chegaram os reforços, jogadores sem chances nos times da capital.

Foi uma revolução na cidade, cujo moradores consideravam os jogadores não mais do que malandros, não entendiam que eles fossem pagos regiamente e comessem do bom e do melhor só para correr atrás da bola, quando na própria fábrica um mínimo de 800 operários dava duro para garantir tão somente a comida, isso sem falar os que trabalhavam de sol a sol na lavoura ou que passavam horas a pé nos balcões das lojas. Moça flagrada em conversa com jogador não tinha jeito: caía na boca do povo.

Vista do Estádio é o Municipal Artur Tavares de Melo

Propaganda: “Alma do negócio”

Hoje, a coisa está diferente.

Quando o Maguari joga, vou ver; meu pai também. Aqui só temos cinema três vezes por semana, baile uma vez ou outra. Futebol é diversão“, afirmou Bete, balconista, que labuta das 6 da matina às 10 da noite no Restaurante Cafona.

Para que tais declarações fossem possíveis, os dirigentes tiveram que trabalhar duro – até distribuíram panfletos explicativos, de casa em casa, mostrando os benefícios do futebol.

A coisa melhorou tato que, hoje, os jogadores já podem andar na rua, sem o risco de observações impertinentes. Se antes as conversas eram exclusivamente sobre a produção da fábrica, falta ou excesso de chuva ou política, agora o futebol também tem vez.

Fácil de explicar: o time divulgou basta o nome da cidade. Afinal passou 26 jogos sem perder, entre os que derrotou estavam América, Ferroviário, Íbis, Santo Amaro e Esporte Caruaru. Orgulhosamente, o técnico Cidinho lembra os empates de 0 a 0 com o Central e 1 a 1 com o Botafogo da Paraíba.

 

A Prefeitura paga ?

Em Bonito há noves meses, depois de passar, entre outros, por Santa Cruz e Sport Recife , Cidinho ganha 4 mil cruzeiros  mensais, mais casa e comida. Os 14 jogadores sob contrato ganham todos o mesmo salário: 1.100 cruzeiros, mais casa e comida. A única exceção é o zagueiro Carlos, ex-Náutico, que mora em Gravatá, a 66 km, onde estuda e Educação Física e dá aulas num colégio. Só às quintas-feiras ele chega a Bonito, quando então se íntegra a turma.

Naturalmente, o elenco é pequeno para o torneio – e por isso Cidinho pretende buscar reforços no Recife. E os dirigentes desejam melhorar as condições do estádio: o gramado é bom, embora as chuvas o transformem num charco (1) – estão sendo realizados trabalhos de drenagem; as acomodações para o público também estão em obras.

O orçamento de Bonito para este ano (1977) foi de 5 milhões de cruzeiros. Os dirigentes do Maguari esperam que a prefeitura suba de 10 mil para 15 mil cruzeiros a verba concedida ao clube, aumento já prometido pelo prefeito Abelardo Câncio de Godói.

O Maguari tem ainda tem uma renda fixa mensal de 17 mil cruzeiros – os operários descontam duas pratas por semana e funcionários mais categorizados contribuem com 200 a 500 cruzeiros por mês.

O Maguari também espera as boas rendas – mas para isso vai depender da ultimação das obras do seu estádio (em terreno cedido pela fábrica), em condições de receber 10 mil torcedores.

Goleiro Prédio

Prédio: o goleiro

Um grande goleiro, geralmente, quando se destaca ganha o apelido de ‘Muralha’, certo? Imaginem então quando a alcunha do arqueiro era ‘Prédio’? Assim era chamado Valdeildo José da Silva, que foi negociado pelo Ferroviário do Recife e desembarcou em Bonito, no ano de 1976.

Após duas temporadas, onde foi campeão Pernambucano do I Campeonato da Segundona de 1977, acabou sendo vendido ao Náutico, em seguida foi para São Luiz do Maranhão, onde passou apenas um ano. Em 1981 casou, mas já teria pendurado as chuteiras e já fazia parte do quadro de funcionários da Prefeitura do Recife.

Primeiro Campeão Pernambucano da 2ª Divisão

A Federação Pernambucana de Desportos (FPD), visando atrair o futebol do Interior, criou o Campeonato Pernambucano da 2ª Divisão, em 1977. A competição começou em 28 de agosto e terminou no dia 09 de outubro, e contou com a participação de dez clubes:

Associação Esportiva Central Barreiros (Barreiros);

Associação Atlética Maguari (Bonito);

Associação Esportiva DR-5 (Goiana);

Flamengo Esporte Clube (Arcoverde);

União Peixe Esporte Clube (Pesqueira);

Associação Garanhuense de Atletismo e Independente Atlético Clube, ambos de Garanhuns;

Associação Atlética Santo Amaro, Clube Ferroviário e Íbis Sport Club; todos do Recife.

No final, três equipes terminaram empatadas com 14 pontos: Maguary, Ferroviário e União Peixe. Porém, 1º critério de desempate, o União ficou na terceira colocação por ter cinco vitórias contra seis das duas outras equipes. Então no 2º critério de desempate deu Associação Atlética Maguary com um saldo de 10 gols contra nove do Ferroviário, conquistando o inédito título. A campanha foi a seguinte: nove jogos, com seis vitórias, dois empates e apenas uma derrota; marcando 17 gols e sofrendo sete.

Os jogadores posando com torcedoras, mostrando orgulhosamente a faixa de campeão da Segundona de 1977

PS (1): O significado de ‘Charcos’ são massas de água parada ou de corrente muito reduzida, de caráter permanente ou temporário, de tamanho superior a uma e inferior a um lago. 

 

Fontes e Fotos: Revista Placar – Rsssf Brasil – Site Bonito 360 Graus

  8 Responses to “INÉDITO! Associação Atlética Maguary, de Bonito: 1º campeão da Série B Pernambucana de 1977”

  1. Grande Cicero!!

    Esse é o espírito!! rsrss

    Menos um!!

    De grão em grão… Rsrsrs

    Abração meu amigo!!

  2. Menos um!!!
    Parabéns mais uma vez.

  3. Obrigado meu amigo Rodolfo!!

    Abração!!

  4. Sensacional Sérgio!

  5. Meu amigo Ielo,
    Primeiramente obrigado pelas palavras!
    Eu também consumo os sucos desta fábrica!
    Eu me lembrava desta ave como logomarca e sempre me perguntava
    qual a relação desse pássaro para os sucos? rs
    Mas foi brabo até encontrar todo esse material!
    Estou tentando achar o Elmo EC, mas não é fácil, pois não há boa vontade de algumas
    pessoas de Jaboatão, mas não desisto!

    Sobre os dois times que faltam (AE DR-5 de Goiana e AA Central Barreiros de Barreiros), eu também não tenho, mas vamos encontrá-los!

    Um grande abraço!

  6. Sergio e Gerson,

    Excelente artigo, o Maguary pernambucano, este sim da fabrica “famosa” por todo o Brasil.
    Eu, particularmente sou consumidor de seus sucos desde justamente o inicio da decada de 70 e conheci o time mais famoso do mesmo nome, o Cearense Maguary de Fortaleza neste decada também, quando disputava o campeonato principal do Ceará e apareceu na Loteria Esportiva, logo pensei “é da fabrica”, para depois descobrir que o clube era mais antigo que a propria fabrica e a empresa era Pernambucana. Este ano descobrimos fotos da sede do Maguary paraense, que ainda não foi redescoberto seu escudo.

    Dos anos que tenho das 2a divisão pernambucana faltam 3 escudos, justamente de 1977:

    Associação Atlética Maguari de Bonito
    Associação Esportiva DR-5 de Goiana
    Associação Atlética Central Barreiros de Barreiros

    Agora falta 2 escudos…

    Parabens pelo belo trabalho

    Abs.

  7. Obrigado meu amigo Vitor!!

    Sobre o futebol paraibano, tenho um “consultor de luxo”. Trata-se do Júlio Cesar que está por
    vias de lançar um livro do futebol paraibano com, praticamente, todos os escudos!

    Vou perguntar para ele! Depois te falo, ok?

    Forte abraço!

  8. Fantástico, Sérgio!

    Aproveitando o ensejo, pergunto: o Santa Cruz de Goiana já jogou campeonatos profissionais? Vez por outra equipes de João Pessoa excursionavam até a cidade, que faz fronteira com a Paraíba, para amistosos.

   
© 2018 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha