O Bela Vista Futebol Clube surgiu em 21 de Abril de 1930, na cidade de Sete Lagoas (MG). Seu mascote é o periquito e as suas cores o verde e branco. O BV, como é conhecido, coleciona em sua história algumas façanhas. A equipe disputou o Campeonato Mineiro de Futebol entre os anos de 1958 e 1962. Nesse período derrotou o Atlético Mineiro em dois jogos oficiais, um deles em Belo Horizonte, em 1961 (3×2) e o outro em Sete Lagoas, em 1962 (3×1). Nessa época o Bela Vista disputava com o Democrata um dos maiores clássicos do futebol mineiro na década de 50 conhecido como o “Clássico do Sertão”.

 Em Agosto de 1958, o Bela Vista fez o que era comum para os times de futebol da época: foi excursionar pela Europa, jogando contra grandes e pequenos clubes do continente. Na conturbada excursão pela Europa o primeiro adversário foi justamente o galáctico Real Madrid de Di Stefano, Puskas, Gento, Kopa, Santamaría e Rial, considerado o melhor time europeu da época. O único clube brasileiro que encarou os galácticos carregou uma multidão de aproximadamente 80 mil pessoas para o estádio Santiago Bernabéu, e em um jogo disputado, perdeu por 2 a 1 sofrendo o gol aos 46 minutos do segundo tempo de pênalti.

 

Os jogadores Assis e Marinho, emprestados pelo Vasco, desertaram da delegação na França após a partida contra o Olimpic de Marselha, seduzidos por propostas de clubes europeus. Os dirigentes, que preferiam frequentar hipódromos franceses a tomar conta do time, e o próprio técnico Orlando Rodrigues também abandonaram o clube.

 

Na Inglaterra, já com o veterano jogador Gaia fazendo às vezes de técnico, o Bela Vista enfrentou o Newcastle, no Saint James Park, diante de 25 mil pessoas. Nessa partida o BV sofreu um duro golpe. Totalmente desfigurado e com o zagueiro Gaia fazendo às vezes de técnico, roupeiro e capitão, o time sofreu impiedosos 12 a 1. A goleada gerou preocupações no CND (Conselho Nacional de Desportos) e no próprio Itamaraty, que exigiram a volta do Bela Vista ao Brasil, para não ‘sujar o nome do futebol brasileiro no exterior’.

 

Mesmo com todos os percalços, o Bela Vista seguiu pelo velho continente, fazendo jogos duros com times tradicionais, como Grasshoper, da Suíça (1 a 1), Bologna, da Itália (2 a 3) e Hamburgo, da Alemanha (0 a 1).  O Bela Vista ainda fez mais quatro jogos – quatro derrotas – antes de voltar ao Brasil para a disputa do Campeonato Mineiro de 1958. Na bagagem, várias equipes tradicionais do futebol mundial como Real Madrid, Newcastle, Totenham, Middlesbrough, Birmingahm, Borussia, Hamburgo, Werder Bremen, Bolonha e Olimpic de Marselha foram adversárias do time setelagoano. O saldo de 24 jogos, com três vitórias, dois empates e 19 derrotas. O time fez 29 gols e sofreu 74 em gramados europeus.

 

Ao fim da conturbada e questionada aventura em solo europeu o BV retornou ao Brasil no final de Outubro de 1958. Na chegada a Sete Lagoas, uma grande surpresa. Como heróis, a delegação do Bela Vista foi recebida com festa. Uma multidão tomou conta das ruas da cidade para ovacionar o time, com direito a desfile de caminhão e foguetório. Uma faixa resumiu todo o sentimento dos apaixonados torcedores belavistanos: “Falem mal, mas falem do Bela Vista”

 

Hoje o Bela Vista Futebol Clube é referencia na formação de atletas. Com aproximadamente 200 atletas com idades entre 5 e 17 anos o clube já descobriu, dentre outros, o zagueiro Thiago Heleno, atualmente no Palmeiras e o lateral direito Marcos Rocha, atualmente no Clube Atlético Mineiro. O clube se reestrutura e planeja reativar o departamento de futebol profissional em 2014, ano da Copa do Mundo no Brasil.

 

Seu Estádio é o Santa Luzia, com capacidade para 3 mil pessoas, localizado, na Rua Tupiniquins, 340 – Santa Luzia – Sete Lagoas (MG).

 

 

 

 

 

 

Equipe atual

 

 

Fotos: Arquivo pessoal e o site do Bela Vista FC

 

   
© 2019 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha