O Volta Redonda conseguiu sua segunda vitória em três rodadas na Taça Rio ao derrotar por 2 a 1 o Bonsucesso, no último domingo (11/03/12), em uma partida marcada pela forte chuva de granizo na Cidade do Aço, que atrasou em uma hora o início do jogo. O resultado positivo manteve o time na briga por uma das duas vagas do Grupo B para as semifinais da Taça Rio (segundo turno do Campeonato Estadual do Rio).

 Estreante no clube, o lateral-esquerdo Leílton (abaixo) ficou muito feliz ao final da partida. Além dos três pontos ganhos celebrados coletivamente, ele também comemorou o fato de voltar a disputar uma partida oficial após quase cinco meses.

 

“Foi muito importante ter entrado em campo, mesmo que nos minutos finais. Precisava sentir essa sensação gostosa de disputar um jogo valendo três pontos de novo. Isso ajuda muito nesse processo de readquirir o melhor condicionamento. À volta aos poucos já estava programado pela comissão técnica. Na próxima partida, contra o Olaria, devo participar um pouco mais para melhorar ainda mais física e tecnicamente, já pensando no confronto diante do Flamengo”, disse o jogador de 30 anos, referindo-se à partida válida pela quinta rodada da Taça Rio.

 Leílton chegou ao clube como o principal reforço para a disputa da Taça Rio. Revelado pelo Vitória, em 2002, ele passou nove anos no futebol russo. Defendeu de 2003 a 2006 o Krylia Sovetov. Em 2006 também, foi emprestado ao Shinnik, e no ano seguinte retornou ao clube de origem, onde ficou até 2010. Ano passado foi transferido para o Volga, atuando por lá até o final de outubro.

 

 Sutilmente, o escudo ganhou pequenas mudanças

Depois de olhar o escudo do Volta Redonda Futebol Clube e comparar com o anterior puderam notar duas diferenças. A estrela, uma referência ao título da Taça Guanabara de 2005, quando Túlio Maravilha foi o destaque. E a outra é a borda dourada.

Anterior

 

Atual

Foto: Ideallize

   
© 2019 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha