A intenção era lembrar apenas alguns narradores esportivos e também de mencionar apenas por onde passaram . No final está colocada lista de narradores na ativa e daqueles que nos deixaram. Como a lista é extensa fica apenas a lembrança.

HAROLDO FERNANDES

O ex-narrador esportivo Haroldo Fernandes, “o homem da camisa 10″ da equipe 1.040 da Rádio Tupi de São Paulo, está aposentado – também como advogado-, e alterna sua vida mansa em dois endereços: no bairro do Campo Belo em São Paulo e na bela São Lourenço em Minas Gerais. “Quem ganhou, ganhou, quem não ganhou, não ganha mais”. Quem não se lembra?

Haroldo Fernandes, brilhante, defendeu também os prefixos das rádios Bandeirantes, Difusora, Record, Panamericana e, na galeria dos grandes locutores esportivos do rádio brasileiro, joga no mesmo time de gênios da história como Jorge Cury, Oduvaldo Cozzi, Osmar Santos, Pedro Luiz, Edson Leite, Fiori Giglioti, José Silvério, Flávio Araújo e Joseval Peixoto.

MILTON CAMARGO

Quem não se lembra de Milton Camargo, o chefe do departamento de esportes da saudosa e célebre equipe 1.040 da Rádio Tupi de São Paulo? Pois, saibam que o cafelandense Milton Camargo César mora hoje em São Paulo (SP) ao lado de sua esposa Celeste Irene, ex-atriz da TV Tupi, e está aposentado como jornalista e como assessor de imprensa do TCM, o Tribunal de Contas do Município. Milton Camargo tem quatro filhos, oito netos e fez sua brilhante carreira praticamente nos Diários Associados, criados por Assis Chateaubriand. Só na Rádio Tupi, Milton Camargo trabalhou de 1950 a 1982, tendo começado no rádio em 1947, na Rádio Clube Marília (SP). Lá, ficou até 1950, quando veio para São Paulo. Também comentarista da TV Tupi, Camargo brilhou ainda em jornal, tendo sido colunista dos extintos “Mundo Esportivo”, de Geraldo Bretas, “Equipe”, de Wilson Brasil, e dos Diários de São Paulo e da Noite, de Assis Chateaubriand. No rádio, ele foi o criador da célebre “Looooteeeeeriiiiiiaaaaa….. espooooortiiiiiivaaaaa… Tupiiiiiiii…. Quem não se lembra? E você sabia que a atriz Celeste Irene, esposa de Milton Camargo, fez o quadro “Somos Dois” ao lado de Luiz “Tatá”” Gustavo, que foi o embrião do célebre “Alô, Doçura”, consagrado por Eva Vilma e Carlos Zara, na TV Tupi?

EDEMAR ANNUSECK

Trabalhou na Rádio Jovem Pan-AM, de São Paulo. Também chegou a narrar alguns jogos para a antiga TV Jovem Pan, canal em UHF, no começo dos anos 90 e depois retornou para o Sul do país.

Em 2003, o narrador chegou a transmitir futebol pela extinta Rádio News de São Paulo. Dentre as principais coberturas jornalísticas de que participou, destacam-se as Copas de 1974, 78, 82, 86 e 90. Em todos estes mundiais, atuou como narrador

Ennio Rodrigues

Famoso narrador esportivo, veio de Araraquara (interior paulista) onde era diretor e narrador da Rádio “A Voz da Araraquarense”, depois de ter iniciado sua carreira na Rádio Cultura local.

Ennio trabalhou por 27 anos na Rádio Bandeirantes AM. Sua estréia foi num Ferroviária 3×3 Corinthians, no dia 23 de outubro de 1963.

Quando saiu da Rádio Bandeirantes foi para a Tupi, onde trabalhou, em 1991 e 1992, ao lado de Barbosa Filho. Em seguida foi para a Rádio Gazeta, onde era chefe da equipe de esportes e narrador da emissora. Ficou por lá até 1996, quando a direção da emissora optou por mudar radicalmente sua programação e desfez a equipe de esportes.

Como narrador Ennio Rodrigues esteve em oito copas do mundo (Inglaterra-1966, México-1970, Alemanha-1974, Argentina-1978, Espanha-1982, EUA-1994, França-1998).

FIORI GIGLIOTTI

Natural de Barra Bonita, interior do Estado de São Paulo, Fiori Gigliotti nasceu no dia 27 de setembro de 1928.

Sua carreira começou em 1947, na Lins Rádio Clube, onde apresentava o programa “Alô Gurizada”. Mas foi como narrador esportivo que se destacou e marcou história no Rádio.

Em toda sua carreira, cobriu 10 Copas do Mundo e participou de outras 3 como comentarista. Passou pelas Rádios Jovem Pan, Bandeirantes, Record, Tupi de São Paulo e Capital.

OSMAR SANTOS

Nascido em Osvaldo Cruz em julho de 1949, Osmar Santos, o “Pai da Matéria”, transformou-se ao longo de sua carreira, no mais popular locutor esportivo do Brasil.

Seu início de carreira foi em 1963, aos 14 anos, na Rádio Clube de Osvaldo Cruz, destacando-se mais tarde no Rádio de Marília, até ser contratado pela Jovem Pan (SP) em 1972.

Em São Paulo, Osmar Santos foi o pivô de uma revolução no Rádio esportivo, tendo introduzido uma forma diferenciada e criativa nas transmissões esportivas. Em 1977, aceitou o desafio de comandar o Sistema Globo de Rádio, na época ainda Rádio Nacional, onde transmitiu a histórica final de 77, cujo campeonato marcou o fim da agonia corinthiana de 23 anos sem títulos.

Osmar Santos foi ainda, a voz das Diretas em 1984, num dos momentos mais importantes da “História do Brasil”. Fenômeno de comunicação, atuou também com destaque na TV.

Sua trajetória vitoriosa foi interrompida bruscamente no dia 22 de dezembro de 1994, quando foi vítima de um grave acidente na BR 153, trecho que liga Marília a Lins. Esse acidente calou a voz do maior locutor esportivo do Rádio brasileiro, que mais do que um mito se transformou num verdadeiro

A-NI-MALLLL da comunicação.

FLAVIO ARAUJO

Maravilhoso narrador esportivo da Rádio Bandeirantes AM, durante quase 25 anos nos tempos do “Scratch do Rádio”, era o locutor que andava em cima da bola.

Natural da cidade paulista de Presidente Prudente, Flávio Araújo foi co-proprietário da Rádio Cultura-AM de Poços de Caldas-MG, hoje de propriedade de seu irmão Chico de Assis. Flávio trabalhou também na Rádio Gazeta-AM, de São Paulo, e na Rádio Central de Campinas-SP (de propriedade do ex-governador de São Paulo Orestes Quércia).

Ele teve quatro filhos (um deles morreu no trágico acidente da TAM no Jabaquara em São Paulo em 1996) e tem nove netos.

Flávio militou no Rádio esportivo e na imprensa esportiva de São Paulo durante 30 anos. Foi locutor da Rádio Bandeirantes de 1957 a 1982 e encerrou suas atividades em São Paulo na Fundação Cásper Líbero como superintendente de esportes da Rádio e TV Gazeta, nos tempos do saudoso Constantino Cury no comando do tradicional grupo de comunicação da Avenida Paulista.

 

Narradores que já nos deixaram:

Antonio Rangel, Aurélio Campos, Darcy Reis, Edson Leite, Fiori Gigliotte, Galeano Neto, Geraldo José de Almeida, João Batista, Jorge de Souza, José Carlos Silva, José Italiano, Marco Antonio Mattos, Mário Garcia, Milton Peruzzi, Nelson Balançando Oliveira, Nelson Spinelli, Otávio Muniz ( o pai ), Pedro Luís, Rebelo Júnior, Roberto Leite, Valter Fonseca, Walter Abraão e Pedro Luiz.

Narradores na ativa:

Alberto César, Antonio Edson, Carlos Batista, Dirceu Maravilha, Douglas Porto, Eder Luís, Edmar Anuseck, Ennio Rodrigues (agora comentando), Fausto César, Gustavo Vilani, Hélio Claudino, Hugo Botelho, Ivo Morganti, João Guilherme (atualmente na tevê e no rádio carioca), Jorge Vinicius, José Maia, José Manoel de Barros, José Silvério, Nilson César, Odinei Edson, Odinei Ribeiro (no Sportv), Oscar Ulisses, Osvaldo Maciel, Cacá Fernando (hoje no BandSports), Paulo Soares, Reinaldo Costa, Reinaldo Moreira, Reinaldo Porto, Rogério Aquiles, Silva Júnior, Ulisses Costa, Vander Luís (hoje plantonista da Pan), Vanderlei Ribeiro, Willie Gonzer.

www.bastidoresdoradio.com

http://blogjotajr.blogspot.com

   
© 2014 História do Futebol-Final Suffusion theme by Sayontan Sinha