Clássicos do Norte

1 – Remo (PA) x Paysandu (PA) – É o maior clássico da região, e um dos mais importantes e mais disputados de todo país. Em dias de confronto entre ambas equipes, a cidade de Belém simplesmente pára, pois no Pará há um grande envolvimento da torcida para com seu clube, isso é o que difere o estado das outras unidades federativas do Norte. Nas partidas, o Mangueirão torna-se palco de uma linda festa, que vai desde o início até seu fim.

2 – Paysandu (PA) x São Raimundo (AM) – É a principal partida interestadual da região. Ambas equipes já chegaram a disputar a final da Copa Norte (2001 e 2002), com um título para cada, mostrando a rivalidade com que cada jogo é disputado. Ambas equipes conquistaram ótimos resultados nos últimos anos, e que credencia essa partida a ser o segundo confronto mais importante da região, ficando apenas atrás do tradicional Remo x Paysandu.

3 – Remo (PA) x São Raimundo (AM) – O confronto é um dos mais importantes da região e ganhou grande importância após a grande projeção do Tufão da Colina, o qual bateu de frente com o tradicional clube paraense. Ambas equipes atualmente estão na Série B do Campeonato Brasileiro. Apesar de possuir muito mais história no cenário nacional e do bom momento do futebol paraense, o Remo deixa um pouco a desejar nas partidas contra o São Raimundo.

4 – Nacional (AM) x Rio Negro (AM) – É o maior clássico do estado do Amazonas e ganhou tamanha importância por toda sua história e tradição, que recebeu o nome de Rio-Nal. Ambas equipes não passam por um grande momento e o jogo não tem motivado os torcedores a prestigiarem a partida. Seu apogeu ocorreu nas décadas de 70 e 80, quando as agremiações possuíam bons elencos e faziam grandes confrontos. Nas últimas edições do Estadual, os clubes voltaram a reinar no cenário amazonense, tanto que fizeram a final da competição nas duas últimas edições.

5 – Ferroviário (RO) x Moto Clube (RO) – O confronto é considerado, por jornalistas e torcedores como o maior e melhor de toda história do futebol em Rondônia. Ambas equipes participaram da chamada “Era Amadora” do futebol rondoniense. Na época, era normal ver o “velho” Aluízio Ferreira lotado, onde vários torcedores empurravam seus respectivos clubes rumo à vitória. Com a profissionalização, ambas agremiações se afastaram do futebol, o Ferroviário chegou a disputar o Estadual de 1991, mas após o vice-campeonato, licenciou-se e hoje vive apenas de seus sócios. Já o Moto Clube de tantas glórias e conquistas, seguiu o rumo do Ferroviário, porém devido a várias más gestões de seus dirigentes, o clube encontra-se completamente falido, o que é uma pena para o esporte do estado.

6 – Nacional (AM) x São Raimundo (AM) – O confronto popularizou-se nos últimos anos, principalmente pela ascensão do Tufão da Colina. Já o Nacional é uma equipe tradicional e que encontra em seu rival, umas das melhores equipes do Norte. O clássico tem crescido imensamente e vem entrando para a história do Amazonas. Em seu início, a partida não era tão acirrada, mas ultimamente tem sido considerada pela própria imprensa amazonense, a principal partida do estado após o Rio-Nal.

7 – Remo (PA) x Tuna Luso (PA) – O clássico é considerado o segundo em importância do estado do Pará. Durante a década de 90, o confronto esfriou um pouco garantindo ao Remo, uma grande vantagem. Seu apogeu ocorreu nas décadas de 70 e 80. Em 2003, ambas equipes voltaram a rivalizar num bom nível técnico, tanto que chegaram a decisão do Estadual, porém o Remo levou a melhor e ficou com a taça de campeão.

8 – Paysandu (PA) x Tuna Luso (PA) – Os clubes estão entre os três mais importantes do estado do Pará. O clássico já foi considerado o segundo maior do estado, mas com a crise que afetou a Tuna e a ascensão do Papão da Curuzu, o confronto passou a ser um jogo sem tantas emoções. Porém, aos poucos a Tuna vem conseguindo destaque no cenário estadual e nacional, tentando voltar a ser o grande time de antes.

9 – Rio Negro (AM) x São Raimundo (AM) – É um dos clássicos mais novos da região, pois com a ascensão do Tufão da Colina nos últimos anos, o Rio Negro ganhou mais um adversário de peso no estado do Amazonas.

10 – Ji-Paraná (RO) x União Cacoalense (RO) – Após a chamada “Era Amadora”, a partida fixou-se nos últimos anos como o maior clássico do estado de Rondônia. O confronto é disputado desde 1991, porém só a partir de 2000, a partida adquiriu tanta importância. Apesar do melhor momento da União Cacoalense, por ter chegado a três finais consecutivas (2001, 2002 e 2003), o Ji-Paraná tem grande vantagem no número de vitórias e além de muita tradição no estado.

11 – Ariquemes (RO) x Ji-Paraná (RO) – Durante o início da década de 90, o confronto foi considerado o principal do estado e era sério candidato a substituir o antigo Ferroviário x Moto Clube, porém após o Ariquemes ter licenciado-se, o Ji-Paraná passou a comandar o futebol do estado. O confronto iniciou-se em 1992 e alcançou seu apogeu entre os anos de 1993 à 1995. A partida envolve por inteiro as duas cidades do interior de Rondônia, fazendo com que o jogo seja um dos mais disputados e onde a rivalidade é posta a prova.

12 – Baré (RR) x Atlético (RR) – Apelidado de Bareima, é o principal confronto do estado de Roraima, onde coloca frente a frente as duas melhores equipes do estado. Após a profissionalização do futebol, os clubes passaram por dificuldades, mas atualmente estão um pouco mais adaptados a nova realidade. É uma partida tradicional e cheia de emoções.

13 – Juventus (AC) x Rio Branco – O confronto já foi considerado o maior do estado do ACRE, mas após o Juventus se licenciar, a rivalidade simplesmente esfriou de vez. Atualmente, o Estrelão impera sozinho no futebol acreano, pois está a frente de seus rivais e não encontra nenhum adversário a altura. Os melhores anos ocorreram durante as décadas de 70 e 80, onde ambas agremiações revezavam nas conquistas dos títulos.

14 – CFA x União Cacoalense – É um dos confrontos mais novos e mais importantes do estado de Rondônia. As decisões dos Estaduais de 2002 e 2003, fizeram com que ambas equipes ocupassem seu espaço com grande destaque na região. O clássico é um dos mais nivelados e disputados da região. Nessa partida, nunca o resultado ficou em 0 a 0, o que é promessa de muitas emoções e grandes jogos.

15 – Rio Branco (AC) x Ji-Paraná (RO) – Atualmente, é a principal partida do clássico entre Acre e Rondônia. O confronto começou a ser disputado em 1995, quando a equipe rondoniense eliminou o time acreano da Série C do Campeonato Brasileiro. O jogo popularizou-se pelas agremiações sempre se enfrentarem em fases decisivas e por serem os clubes com mais títulos em seus respectivos estados, o que faz dessa partida uma das mais importantes da região.

16 – São Raimundo (AM) x Sul-América (AM) – É uma partida à parte e é conhecida como Galo Preto. São equipes de bairros vizinhos e o clássico recebeu esse nome devido a uma época longínqua dos torcedores, onde faziam “trabalhos” de umbanda ou “macumba”. Nos dois bairros sempre era encontrado uma galinha ou um galo morto com velas e adornos diversos, sendo constante o nome do time perdedor na véspera do clássico, que inclusive hoje faz com que aconteça um certo fenômeno da Colina, quando tem jogo ambas torcidas vão em peso com bandeiras, foguetes, papel picado e promovem uma grande festa nas arquibancadas.

17 – Palmas (TO) x Tocantinópolis (TO) – São os principais clubes e nos últimos três anos, as equipes chegaram a decidir o Estadual, sendo duas conquistas para o Palmas (2002 e 2003) e uma para o Tocantinópolis (2001). As agremiações estão sendo grandes destaques no Tocantins e estão em franca ascensão, conseguindo bons resultados e demonstrando um bom nível técnico.

18 – CFA (RO) x Ji-Paraná (RO) – Esse tem tudo para ser o grande clássico do estado de Rondônia, pois ambas equipes oferecem uma partida muito movimentada e recheada de emoções. O primeiro confronto ocorreu em na decisão da Copa Rondônia em 2001, com a conquista do título por parte do Ji-Paraná. Os clubes até hoje disputaram oito partidas, sendo três vitórias para o Ji-Papão e duas do CFA, o que prova a igualdade entre as agremiações.

FONTE – SITE www.futeboldonorte.com

   
© 2019 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha