Colaboração: Walter Iris.

A temporada internacional no Brasil foi intensa em 1930.

Antes da Copa do Mundo, quatro equipes estrangeiras visitaram o Brasil: a Seleção de Tucumán, o Sportivo Buenos Aires e o Huracán, todos da Argentina, e o Hakoah, clube israelita de New York (EUA). Após o campeonato mundial, três seleções nacionais realizaram amistosos no Brasil. Os resultados foram estes:

SELEÇÃO DE TUCUMÁN

O primeiro quadro estrangeiro a visitar o Brasil em 1930 foi o selecionado de Tucumán, segundo colocado do campeonato argentino de Ligas de 1929.

Pouca sorte tiveram os jogadores do Prata. Conseguiram vencer apenas um encontro. Praticaram os tucumanos um futebol veloz e de estilo mas tratava-se de uma turma inexperiente em jogos internacionais. Melhor impressão nos causaram a sua simpática disciplina e perfeito cavalheirismo.

Além de jogadores novos, como Paez, pequenino jogador que deixou estupefato o público de Santos nos dois treinos realizados de passagem, no campo da Vila Belmiro, e Trejo, um goleiro índio, integrante do selecionado da Província de Santiago del Estero, que veio especialmente convidado. A Seleção de Tucumán trouxe ainda o grande Alberto Chividini, de 23 anos, o jogador que mais se destacou no último Campeonato Sul-Americano jogado em Buenos Aires, do qual saiu campeão, e Juan Antônio Rivarola, um atacante também campeão na meia-direita pelo poderoso escrete argentino. Chividini também disputou a Copa do Mundo, no Uruguai, neste ano de 1930.

05.01.1930

SELEÇÃO DA AMEA 3 x 2 SELEÇÃO DE TUCUMÁN

Local: Estádio de São Januário, Rio de Janeiro

Árbitro: Jorge Marinho

Gols: Russinho, Nilo e Paschoal; Maydana e Itália (contra)

SELEÇÃO DA AMEA: Jaguaré, Sylvio e Itália; Tinoco, Fausto e Fortes; Paschoal, Doca, Russinho, Nilo e Sant’Anna (Teophilo).

SELEÇÃO DE TUCUMÁN: Trejo, Martínez e Gaúna; Chividini, Ferreyra e Paco Garcia; Jara, Paez (Rivarola), Maydana, Albernoz e Ruiz.

Comentário do Jornal do Brasil: os argentinos atuaram melhor, principalmente no segundo tempo, e sofreram uma derrota injusta e para a qual concorreu a má atuação do árbitro, que praticou dois erros decisivos, quer quando não marcou uma falta de Fortes dentro da área (pênalti), quer quando anulou um gol dos argentinos no primeiro tempo, perfeitamente legível, alegando impedimento de um jogador que absolutamente não interviu no lance. Os jogadores argentinos deram provas da maior disciplina, acatando sem o menor gesto de protesto tudo o que o árbitro marcou.

12.01.1930

AMÉRICA 2 x 6 SELEÇÃO DE TUCUMÁN

Local: São Januário

Árbitro: Edgard Gonçalves

Gols (na ordem): 1º tempo – Araken e Maydana; 2º tempo – Maydana, Telê, Jara, Maydana, Ruiz e Albernoz.

AMÉRICA: Joel, Pennaforte e Marcelo; Walter, Bisoca e Hermógenes; Alemão (Telê), Sobral, Mineiro, Araken e Miro.

SELEÇÃO DE TUCUMÁN: Sanchez, Alberti e Martínez; Ibañez, Ferreyra e Chividini; Jara, Rivarola, Maydana, Albernoz e Ruiz.

Obs.: os jogadores Bisoca e Araken atuaram emprestados pelo Clube Atlético Santista, de Santos.

19.01.1930

VASCO DA GAMA 1 x 1 SELEÇÃO DE TUCUMÁN

Local: São Januário

Árbitro: Luiz Vinhaes

Gols: 1º tempo – Russinho; 2º tempo – Jara.

VASCO DA GAMA: Jaguaré, Brilhante e Itália; Gradim, Fausto e Mola; Paschoal, 84, Russinho, Mário Mattos e Sant’Anna.

SELEÇÃO DE TUCUMÁN: Sanchez, Alberti e Martínez; Ibañez, Ferreyra e Chividini; Jara, Rivarola, Maydana, Albernoz e Ruiz.

23.01.1930

SELEÇÃO B DA AMEA 3 x 3 SELEÇÃO DE TUCUMÁN

Local: Campos Sales, Rio de Janeiro

Árbitro: Homero Acuri

Gols: Benedicto, Sobral e Gradim; Paez, Rivarola e Maydana.

SELEÇÃO B DA AMEA: Jaguaré, Brilhante e Zé Luiz; Hermógenes, Fernando e Walter; Ripper, Sobral, Gradim, Benedicto e Sant’Anna.

SELEÇÃO DE TUCUMÁN: Sanchez, Alberti e Martínez; Chividini, Ferreyra e Paco Garcia; Paez, Rivarola, Maydana, Figueroa e Espeche.

26.01.1930

PALESTRA ITÁLIA 4 x 1 SELEÇÃO DE TUCUMÁN

Local: Parque Antarctica

Árbitro: Arthur Friedenreich

Gols (na ordem): Lara, Ministrinho, Ministrinho, Maydana e Osses.

PALESTRA ITÁLIA: Nascimento, Amílcar e Magalhães; Pepe, Gogliardo e Serafini; Ministrinho, Carrone, Heitor, Lara e Osses.

SELEÇÃO DE TUCUMÁN: Sanchez, Corrales e Martínez; Ibañez, Ferreyra e Paco Garcia; Jara, Rivarola, Maydana, Albernoz e Ruiz.

30.01.1930

COMBINADO PALESTRA ITÁLIA/CORINTHIANS 5 x 2 SELEÇÃO DE TUCUMÁN

Local: Parque Antarctica

Árbitro: Luís Mattoso (Feitiço)

Gols (na ordem): Heitor, Martínez (contra), Heitor, Jara, Ministrinho, Maydana e Heitor.

COMBINADO PALESTRA ITÁLIA/CORINTHIANS: Tuffy, Grané e Del Debbio; Pepe, Gogliardo e Serafini; Ministrinho, Heitor, Friedenreich, Rato e De Maria.

SELEÇÃO DE TUCUMÁN: Sanchez, Alberti e Martínez; Ibañez, Ferreyra e Paco Garcia; Jara, Rivarola, Maydana, Albernoz e Ruiz.

02.02.1930

CORINTHIANS 7 x 2 SELEÇÃO DE TUCUMÁN

Local: Parque São Jorge

Árbitro: Arthur Friedenreich

Gols: Paez, 6; Apparicio, 16; Gambinha, 18; Apparicio, 20; Jara, 40; Gambinha, 43; De Maria, 55 e 57 e Filó, 64.

CORINTHIANS: Tuffy, Grané e Del Debbio; Nerino, Guimarães e Munhoz; Filó, Apparicio, Gambinha, Rato e De Maria. Técnico: Virgílio Montarini.

SELEÇÃO DE TUCUMÁN: Trejo, Alberti e Martínez; Ibañez, Ferreyra e Paco Garcia; Paez, Jara, Albernoz, Ruiz e Espeche.

06.02.1930

COMBINADO SANTISTA 2 x 2 SELEÇÃO DE TUCUMÁN

Local: Santos

Árbitro: Alzemiro Ballio

Gols: Albernoz, Benito, Maydana e Cardoso.

COMBINADO SANTISTA: Edmundo (Hespanha), Pedro (Hespanha) e Álvaro (Portuguesa Santista); Bellido (Hespanha), Bino (Hespanha) e Abelha (Portuguesa Santista); Bonelli (Hespanha), Cruz (Portuguesa Santista), Benito (Hespanha), Cardoso (?) e Victor (Hespanha).

SELEÇÃO DE TUCUMÁN: Sanchez, Alberti e Martínez; Ibañez, Ferreyra e Paco Garcia; Jara, Rivarola, Maydana, Albernoz e Ruiz.

09.02.1930

SANTOS 4 x 1 SELEÇÃO DE TUCUMÁN

Local: Vila Belmiro, Santos

Árbitro: Cid Roso

Gols: Feitiço, Albernoz, Evangelista, Camarão e Feitiço.

SANTOS: Athiê, Aristides e David; Oswaldo, Júlio e Alfredo; Narba, Camarão, Cepo, Feitiço e Evangelista.

SELEÇÃO DE TUCUMÁN: Sanchez, Alberti e Martínez; Ibañez, Ferreyra e Paco Garcia; Jara, Rivarola, Maydana, Albernoz e Ruiz.

SPORTIVO BUENOS AIRES

Reforçado com jogadores de outros clubes argentinos, o Club Sportivo Buenos Aires disputou jogos amistosos em várias cidades das Américas.

Foram quatro no Chile, mais quatro no Peru e, depois do Peru, a equipe argentina se dirigiu ao México, Cuba, Estados Unidos (perdeu, em 14.03, de 1 x 0 para o Hakoah, de New York) e Brasil.

Trouxe, dentre outros, Juan Botasso, goleiro do Quilmes, de 21 anos, Rodolfo Orlandini, do Club Atlético Estudantil Porteño, 25 anos, e Alejandro Scopelli, de 21 anos, todos da Seleção Argentina que disputaria a Copa do Mundo no Uruguai.

De volta dessa excursão, o Sportivo Buenos Aires foi o segundo quadro estrangeiro que aqui se exibiu.

Embora constituído por jogadores renomados, fracassou, dado seu estado de cansaço. Uma equipe completamente esgotada, daí, pois, nada pôde fazer.

27.03.1930

SELEÇÃO CARIOCA 5 x 2 SPORTIVO BUENOS AIRES

Local: São Januário

Árbitro: ?

Gols: Arthur (2), Doca, Paschoal e Theóphilo; Abalascasa e Ambrosetti.

SELEÇÃO CARIOCA: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Paschoal, Doca, Gradim, Arthur e Theóphilo.

SPORTIVO BUENOS AIRES: Botasso, Cherro e Comaschi; Bartolucci, Chalu e Orlandini; Cilento, Abalascasa, Ambrosetti, Appolito e Lauri.

28.03.1930

SELEÇÃO PAULISTA 8 x 1 SPORTIVO BUENOS AIRES

Local: Chácara da Floresta

Árbitro: William Rowlland

Gols: Rato, Filó, Filó, Heitor, De Maria, De Maria, Friedenreich, Lauri e De Maria.

SELEÇÃO PAULISTA: Nestor, Grané e Del Debbio; Pepe, Bisoca e Serafini; Filó, Heitor, Friedenreich, Rato e De Maria.

SPORTIVO BUENOS AIRES: Botasso, Cherro e Comaschi; Chalu, Alboracini e Orlandini; Lauri, Scopelli, Arrillaga, Cilento e Larroca.

Obs.: primeiro jogo entre clubes realizado durante a noite em São Paulo.

29.03.1930

HESPANHA 3 x 2 SPORTIVO BUENOS AIRES

Local: Antônio Alonso, Vila Macuco, Santos

Árbitro: Luiz Michel

Gols: Apolito, Caccioli, Arrillaga, Benito e Benito.

HESPANHA: Edmundo, Dicto e Pedro; Bellido, Bino e Frederico; Bonelli, Napoli, Benito, Caccioli e Colombino.

SPORTIVO BUENOS AIRES: Martínez, Cherro e Comaschi; Bartolucci, Alboracini e Arzeni; Lauri, Scopelli, Arrillaga, Cilento e Appolito.

HAKOAH, DOS ESTADOS UNIDOS

O Sport Club Hakoah Wien, uma sociedade poliesportiva da colônia judaica, foi fundada em 1909, em Viena, na Áustria.

A Hakoah Viena foi uma das primeiras equipes de futebol a efetuar excursão por todo o mundo, atraindo milhares de torcedores em cidades como Londres e New York.

Na temporada 1924/1925 venceu pela primeira vez o campeonato austríaco e, em 1926, parte para uma turnê pelos Estados Unidos, exibindo-se diante de um público de mais de 40 mil pessoas no Polo Ground, de New York, recorde de público no futebol nas Américas, superado somente muitos anos depois. Muitos dos jogadores do Hakoah decidiram ficar nos Estados Unidos e formaram em New York uma nova equipe, chamada Hakoah All Stars. Esta equipe venceu a US Open Cup de 1929.

Era, portanto, constituído por profissionais europeus (em sua maioria húngaros) e precedido de grande fama. Fez sua estréia aqui com derrota mas, nos jogos seguintes deu melhores provas.

Do quadro norte-americano o destaque ficou com Lajos Fischer, Mac Millan e Laszlo Sternberg, um enérgico trio defensivo. Fischer, um arqueiro de grande classe, fez bastante sucesso. Bela Guttmann também agradou como centro-médio. Este jogador de origem húngara mais tarde ficaria famoso como treinador, tendo, inclusive, trabalhado no São Paulo F. C.

Também digna de nota foi a boa disciplina que reinou nos jogos disputados pelo Hakoah.

19.06.1930

SELEÇÃO PAULISTA 3 x 1 HAKOAH

Local: São Paulo

Árbitro: Alzemiro Ballio

Gols: Friedenreich, Del Debbio (contra), Petronilho de Brito e Feitiço.

SELEÇÃO PAULISTA: Athiê, Clodô e Del Debbio; Pepe, Gogliardo e Serafini; Filó, Petronilho de Brito, Friedenreich, Feitiço e De Maria.

HAKOAH: Fischer, Mac Millan e Sternberg; Neufeld, Guttmann e Schneider; Grunfeld, Häusler, Carlsson, Wortmann e Dick.

22.06.1930

SELEÇÃO DA AMEA 2 x 0 HAKOAH

Local: Estádio de São Januário, Rio de Janeiro

Árbitro: Diogo Rangel, do Vasco da Gama

Gols: 1º tempo – Ladislau; 2º tempo – Paschoal,

SELEÇÃO DA AMEA: Joel, Domingos da Guia e Hélcio; Tinoco, Martim e Mola; Paschoal, Ladislau, Alfredo, Arthur e Sant’Anna.

HAKOAH: Fischer, Mac Millan e Sternberg; Schneider, Drucker e Nicholsburger; Schwarz, Häusler, Carlsson, Wortmann e Grunfeld.

Obs.: a seleção da AMEA foi constituída de jogadores que não estavam entre os vinte requisitados pela Confederação Brasileira de Desportos para a escolha do escrete brasileiro que vai a Montevidéu disputar a Copa do Mundo. Os jogadores da seleção brasileira, na sua grande maioria do futebol carioca, estavam treinando em Niterói para a Copa do Mundo.

26.06.1930

VASCO DA GAMA 0 x 1 HAKOAH

Local: Estádio São Januário, Rio de Janeiro

Gol: Schneider

VASCO DA GAMA: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Pascoal, 84 (Hamilton), Russinho, Ennes e Sant’anna.

HAKOAH: Fischer, Mac Millan e Sternberg; Schneider, Guttmann e Mahrer; Neufeld, Häusler, Gruenfeld, Wortmann e Dick.

28.06.1930

SELEÇÃO CARIOCA DA ZONA NORTE 0 x 0 HAKOAH

Local: São Januário

Árbitro: Diogo Rangel

SELEÇÃO CARIOCA (*): Jaguaré, Domingos da Guia e Sá Pinto; Zé Maria, Arnô (Eurico) e Ernesto; Paschoal, Ladislau, Gradim, Arthur e Sant’Anna.

HAKOAH: Fischer, Mac Millan e Sternberg; Schneider, Guttmann e Mahrer; Neufeld, Häusler, Grünwald, Carlsson e Dick.

(*) combinado de jogadores pertencentes aos clubes da zona norte da cidade do Rio de Janeiro.

03.07.1930

COMBINADO PALESTRA ITÁLIA/SÃO PAULO 2 x 3 HAKOAH

Local: Chácara da Floresta, São Paulo

Árbitro: Pedro Thomaz

Gols: Friedenreich e Lara; Barthô (contra) e Gruenfeld (2).

COMBINADO: Nestor, Clodô e Barthô; Emílio Armiñana, Gogliardo e Serafini; Ministrinho, Heitor, Friedenreich, Lara e Osses.

HAKOAH: Fischer, Mac Millan e Sternberg; Mahrer, Guttmann e Schneider; Nemes, Gruenfeld, Häusler, Wortmann e Dick.

06.07.1930

CORINTHIANS 5 x 1 HAKOAH

Local: Parque São Jorge

Árbitro: William Rowlland

Gols: Gambinha, Gruenfeld, Filó, Rato e De Maria (2).

CORINTHIANS: Tuffy, Grané e Del Debbio; Nerino, Guimarães e Munhoz; Filó, Apparicio, Gambinha, Rato e De Maria.

HAKOAH: Fischer, Mac Millan e Sternberg; Mahrer, Guttmann e Schneider; Nemes, Gruenfeld, Häusler, Wortmann e Dick.

Depois de cumprir esses amistosos no Brasil, o clube norte-americano ainda se apresentou na Argentina e no Uruguai, perdendo apenas dois jogos nos oito realizados (curiosamente, as demais partidas terminaram empatadas).

Antes de embarcar de volta para os Estados Unidos, retornou a Santos e realizou mais um amistoso, que apresentou a seguinte ficha técnica:

17.08.1930

SELEÇÃO DE SANTOS 2 x 2 HAKOAH

Árbitro: Alzemiro Ballio

Gols: Wortmann, Feitiço, Carlston e Victor.

SELEÇÃO DE SANTOS: Athiê, Aristides e Álvaro; Oswaldo, Dino e Alfredo; Bonelli, Camarão, Feitiço, Victor e Evan.

HAKOAH: Fischer, MacMillan e Sternberg; Schneider, Drucker e Vickers; Gruenfeld, Häusler, Carlsson, Wortmann e Grünwald.

C. A. HURACÁN, DA ARGENTINA

Logo após o Hakoah, outro clube argentino se exibiu no Brasil. Foi o C. A. Huracán, de Buenos Aires.

Os argentinos trouxeram um bom conjunto de jogadores. Impressionou na estréia, mas a seguir deixou muito a desejar não só quanto à sua atuação como à disciplina, que foi das piores, tirando todo o brilho de sua excursão ao Brasil.

Iniciou sua excursão pelo Brasil atuando em gramados de São Paulo.

13.07.1930

CORINTHIANS 4 x 2 HURACÁN

Local: Parque São Jorge

Árbitro: Luís Mattoso (Feitiço)

Gols: Onzari, De Maria, De Maria, Chiesa, De Maria e Grané.

CORINTHIANS: Tuffy, Grané e Del Debbio; Nerino, Guimarães e Munhoz; Filó, Apparicio, Gambinha, Rato e De Maria. Técnico: Virgílio Montarini.

HURACÁN: Molteni, Basilico e Pratto; Settis, Danil e Echeverria; Carricaberry, Espósito, Ferreyra, Chiesa e Onzari.

17.07.1930

COMBINADO PORTUGUESA/GUARANI 3 x 6 HURACÁN

Árbitro: William Rowlland

Gols: Chiesa, Ferreyra, Salles, Carricaberry, Machado, Onzari, Esposito, Chiesa e Machado.

COMBINADO: Spíndola, Machado e Raposo; Cabral, Amleto e Ramon; Paulo, Lolico, Salles, Zeca e Robertinho.

HURACÁN: Ceresetto, Basilico e Pratto; Amadeo, Danil e Souza; Carricaberry, Espósito, Ferreyra, Chiesa e Onzari.

20.07.1930

PALESTRA ITÁLIA 2 x 1 HURACÁN

Local: Parque Antarctica

Árbitro: Pedro Thomaz

Gols: Espósito, Ministrinho e Osses.

PALESTRA ITÁLIA: Nascimento, Volponi e Loschiavo; Pepe, Gogliardo e Serafini; Ministrinho, Carrone, Heitor, Lara e Osses.

HURACÁN: Molteni, Basilico e Pratto; Souza, Danil e Echeverria; Carricaberry, Espósito, Ferreyra, Chiesa e Onzari.

24.07.1930

SANTOS 4 x 1 HURACÁN

Árbitro: Eduardo Panariello.

Gols: Omar, Camarão, Chiesa, Feitiço e Mário.

SANTOS: Athié, Aristides e Meira; Oswaldo, Roberto e Alfredo; Omar, Camarão, Feitiço, Mário e Evan.

HURACÁN: Molteni, Settis e Pratto; Amadeo, Danil e Echeverria; Carricaberry, Espósito, Ferreyra, Chiesa e D’Alessandro.

27.07.1930

SELEÇÃO DA AMEA 2 x 2 HURACÁN

Local: São Januário.

Árbitro: Juan Scurzoni (Argentina).

Gols: Sobral e Gradim; Frederico e Chiesa.

SELEÇÃO DA AMEA: Jaguaré, Hélcio e Pennaforte; Tinoco, Nesi e Molla; Ary, Sobral, Gradim, Telê e Celso.

HURACÁN: Cereseto, Basílico e Pratto; Echeverria, Danil e Settis; Carricaberry, Sposito, Frederici, Chiesa e Onzari.

31.07.1930

VASCO DA GAMA 5 x 1 HURACÁN

Local: São Januário

Árbitro: Virgilio Fedrighi, do América

Gols (na ordem): 1º tempo – Chiesa, Russinho e Paes; 2º tempo – Mário Mattos, Russinho e Fausto.

VASCO DA GAMA: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Bahianinho, Paes, Russinho, Mário Mattos e Sant’Anna.

HURACÁN: Cereseto, Settis e Pratto; Echeverria, Frederici e Sauza; Carricaberry, Sposito, Ferreyra, Chiesa e D’Alessandro.

03.08.1930

COMBINADO CARIOCA 4 x 4 HURACÁN

Local: São Januário.

Árbitro: Alderico Solon Ribeiro, do América.

COMBINADO CARIOCA: Jaguaré, Pennaforte e Octávio; Tinoco, Fausto e Ernesto; Sobral, Paes, Alfredo, Arthur e Teophilo.

HURACÁN: Malteni, Settis e Pratto; Amadeo, Daniel e Souza; Carricaberry, Sposito, Ferreyra, Chiesa e Onzari.

Na hora do jogo, poucos eram os jogadores brasileiros que se achavam presentes, de sorte que o Vasco da Gama teve que fazer uma verdadeira “pescaria”, inclusive fazer jogar Jaguaré e Fausto, que já haviam tomado parte nos jogos com o próprio Huracán, quinta-feira, à noite, e com os franceses na sexta-feira, no estádio do Fluminense.

Afinal conseguiram juntar um time e o puseram em campo. O primeiro tempo terminou com o escore de 3 x 2 a favor dos argentinos. Paes marcou primeiro para os cariocas, Chiesa empatou para os argentinos, Alfredo voltou a colocar os cariocas na frente do placar. Novamente Chiesa e Onzari marcaram os gols argentinos que os colocaram na frente do placar.

De acordo com o que ficara combinado previamente, aliás, a pedido do próprio chefe da delegação argentina, os cariocas mudaram jogadores para o segundo tempo, fazendo entrar Agenor e Rodrigues, do Syrio, em lugar de Arthur e Jaburu.

Para surpresa geral, os argentinos resolveram modificar o acordo e se negaram a prosseguir no jogo.

Após muita discussão, os cariocas cederam e o jogo começou no nove jogadores locais. Jaburu e Arthur foram de novo chamados e tornaram a se uniformizar e entraram em campo seis minutos depois.

Num ataque dos cariocas, o zagueiro do Huracán comete pênalti, que Jaburu transforma no terceiro ponto carioca.

Nesse momento, dois jogadores argentinos se retiram de campo, não atendendo aos apelos feitos para que continuassem a jogar.

A retirada desses jogadores estabeleceu o desequilíbrio e os cariocas passaram a dominar o jogo e bombardearam o arco contrário. Arthur desempatou a partida, marcando de cabeça o quarto gol.

Quando maior era o domínio carioca, Ferreyra consegue marcar o quarto ponto do Huracán, empatando, novamente, a partida.

Logo depois, retira-se de campo um jogador argentino, sendo acompanhado pelo goleiro e pelo beque e depois pelos demais.

O empate inesperado foi o causador desse gesto antidesportivo e de mal educados.

E assim terminou a fraquíssima temporada do Huracán.

Estados Unidos, França e Iugoslávia foram as três seleções nacionais que depois de disputarem a Copa do Mundo no Uruguai realizaram diversos amistosos no Brasil.

Antes, duas delas se apresentaram no Uruguai e Argentina:

03.08 – Argentina 3 x 1 Iugoslávia

03.08 – Peñarol 4 x 1 Estados Unidos

Os resultados no Brasil foram esses:

SELEÇÃO DA FRANÇA

O selecionado da França, de volta de Montevidéu, desembarcou em Santos e foi duramente batido pelo Santos Futebol Clube, por 6 x 1.

A atuação da equipe francesa esteve, na verdade, longe de ser o reflexo de seus jogos na capital uruguaia, mas é preciso convir que o Santos, graças a uma tarde das mais felizes, tornou justo o fracasso dos visitantes.

30.07.1930

SANTOS 6 x 1 SELEÇÃO DA FRANÇA

Árbitro: Enéas Sgarzi.

Gols: Feitiço, Feitiço, Delfour, Mário, Feitiço, Mário e Feitiço.

SANTOS: Athiê, Aristides e Meira; Oswaldo, Roberto e Alfredo; Omar, Camarão, Feitiço, Mário e Evan.

SELEÇÃO DA FRANÇA: Thepot, Mattler e Andoire; Laurent, Delmer e Chantrel; Liberati, Pinel, Machinot, Delfour e Villaplane.

Mais tarde, o selecionado brasileiro, constituído na maioria por jogadores paulistas, venceu de novo os gauleses, que assim conheceram sua segunda derrota no Brasil, embora se reabilitassem em parte de seu revés de Santos, perdendo apenas por 3 x 2. Veja a ficha técnica desse jogo:

BRASIL 3 x 2 FRANÇA

Data: 1º de agosto de 1930

Local: Estádio das Laranjeiras, Rio de Janeiro (Brasil)

Árbitro: Arthur Antunes Moraes de Castro (Brasil)

Gols: Delfour, 6 e 18; Heitor Domingues, 21 e Friedenreich, 40; no segundo tempo, Heitor Domingues.

Brasil: Veloso (Fluminense), Grané (Corinthians) e Del Debbio (Corinthians); Pepe (Palestra Itália), Fausto (Vasco da Gama) e Serafini (Palestra Itália); Ministrinho (Palestra Itália), Heitor Domingues (Palestra Itália), Friedenreich (São Paulo), Nilo (Botafogo) e Teóphilo (São Cristóvão). Técnico: Comissão Técnica. França: Thepot, Mattler e Capelle; Chantrel, G. Delmert e A. Villaplane; Liberati, Laurent (Maschinet), Pinel, Delfour e Langiller.

Obs.: A Federação Francesa não considera este jogo como oficial.

SELEÇÃO DA IUGOSLÁVIA

No dia 10 de agosto, no estádio do Vasco da Gama, a Seleção Brasileira voltou a enfrentar a Iugoslávia e aconteceu a desforra do Mundial. A vitória foi convincente, por 4 x 1. É bem verdade que não jogaram todos os titulares, entrando vários reservas no time iugoslavo.

10.08.1930

BRASIL 4 x 1 IUGOSLÁVIA

Local: Estádio São Januário

Árbitro: Diogo Rangel (Brasil)

Brasil: Joel (América), Zé Luiz I (São Cristóvão) e Itália (Vasco da Gama); Hermógenes (América), Fausto (Vasco da Gama) (Benevenuto) (Flamengo) e Fernando Giudicelli (Fluminense); Benedito (Botafogo), Nilo (Botafogo), Carvalho Leite (Botafogo), Russinho (Vasco da Gama) e Teóphilo (São Cristóvão) (Sant’Anna) (Vasco da Gama). Técnico: Comissão Técnica.

Iugoslávia: Yakovic, Ivkovic e Sussievic; Ardenievic, Nicolaivic e Djokic; Tirnanic, Marianovic, Jakadovic, Beck e Lekilic.

Gols: Carvalho Leite (2), Marianovic, Benedicto II, Russinho.

Obs.: A Federação Iugoslava não considera este jogo como oficial.

O campeão carioca Vasco da Gama também enfrentou no estádio de São Januário a seleção iugoslava que esteve em Montevidéu disputando o 1º Campeonato Mundial de Futebol e estava de passagem pelo Rio de Janeiro.

Foi uma partida fácil para o Vasco da Gama, não obstante achar-se desfalcado do jogador Fausto.

O escore de 6 x 1 bem demonstra a superioridade do clube cruzmaltino.

14.08.1930

VASCO DA GAMA 6 x 1 IUGOSLÁVIA

Local: São Januário, Rio de Janeiro

Árbitro: Otto Bandusch, do Andarahy.

Gols: 1º tempo – Sant’Anna, Russinho, Tirnanic, Mário Mattos e Sant’Anna; 2º tempo – Russinho (2).

VASCO DA GAMA: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Nesi e Mola; Bahianinho, Paes, Russinho, M. Mattos e Sant’Anna.

IUGOSLÁVIA: Jaksic, Ivkovic e Mihajlovic; Arsenijevic, Stefanovic e Djokic; Tirnanic, Marjanovic, Beck, Vujadinovic e Sekulic.

SELEÇÃO DOS ESTADOS UNIDOS

A Seleção dos Estados Unidos foi o último quadro estrangeiro a visitar o Brasil.

Não obteve vitória alguma nos três jogos disputados, apenas empatando em Santos. Foi vencido em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Apesar da proibição da Confederação Brasileira de Desportos de jogar com a seleção dos Estados Unidos, o Santos realizou o amistoso contra esse selecionado.

09.08.1930

SANTOS 3 x 3 SELEÇÃO DOS ESTADOS UNIDOS

Local: Vila Belmiro, em Santos

Árbitro: Aguinaldo de Abreu.

SANTOS: Athiê, Aristides e Bompeixe; Oswaldo, Júlio e Alfredo; Omar, Camarão, Feitiço, Franco e Evangelista.

ESTADOS UNIDOS: Douglas, Vaughan e Moorhouse; Gallagher, Gonsalves e Auld; Brown, Bookie, Patenaude, Florie e Mac Ghee.

Gols: o primeiro tempo terminou empatado em 1 x 1, marcando Feitiço para o time brasileiro e Patenaude para os norte-americanos. No segundo tempo, Franco desempatou para o Santos e novamente Patenaude empatou para a seleção dos Estados Unidos. O Santos volta a ficar na frente do marcador através de Franco, novamente. Quando faltavam cinco minutos para o final do jogo, Florie empatou, definindo o placar em 3 x 3.

10.08.1930

SÃO PAULO 5 x 3 SELEÇÃO DOS ESTADOS UNIDOS

Local: Chácara da Floresta, São Paulo (SP)

Árbitro: Attilio Grimaldi

Gols: Armandinho, Moorhouse, Friedenreich (3), Brown, Romeu e Bookie.

SÃO PAULO: Nestor, Clodô e Barthô; Milton, Bino e Abbate; Luizinho, Siriri, Friedenreich, Armandinho e Romeu. Técnico: Rubens Salles.

SELEÇÃO DOS EUA: Douglas, Moorhouse e Wood; Gallagher, Gonsalves e Auld; Brown, Bookie, Patenaude, Oliver e Mac Ghee.

Depois dos amistosos em São Paulo, a Seleção dos Estados Unidos disputou outros dois no Rio de Janeiro.

17.08.1930

BRASIL 4 x 3 ESTADOS UNIDOS

Local: Estádio das Laranjeiras

Árbitro: Virgilio Fedrighi (Brasil)

Gols: Doca, Carvalho Leite, Preguinho, Teóphilo, Patenaude, Gonçalves e Brown ou Patenaude (3).

Brasil: Joel (América), Zé Luiz I (São Cristóvão) e Itália (Vasco da Gama); Hermógenes (América), Oscarino (Ypiranga, de Niterói) e Benevenuto (Flamengo); Newton (Flamengo), Doca (São Cristóvão), Carvalho Leite (Botafogo), Preguinho (Fluminense) e Teóphilo (São Cristóvão). Técnico: Comissão Técnica.

Estados Unidos: Douglas, Wood e Moorhouse; Gallagher, Tracey e Auld; Brown, Gonçalves, Patenaude, Florie e McGhee.

Encerrando a série de amistosos, a seleção dos Estados Unidos enfrentou a equipe do Botafogo, perdendo mais um jogo.

19.08.1930

BOTAFOGO 2 x 1 SELEÇÃO DOS ESTADOS UNIDOS

Local: Laranjeiras, Rio de Janeiro

Árbitro: Jorge Marinho, do Fluminense

Gols: 1º tempo – Ariza; 2º tempo – Patenaude e Carvalho Leite.

BOTAFOGO: Germano, Benedito e Otacílio; Burlamaqui, Martim e Pamplona; Ariza, Paulinho, Carvalho Leite, Nilo e Celso.

ESTADOS UNIDOS: Douglas, Wood e Moorhouse; Gallagher, Mike e Stone; Brown, Gonsalves, Patenaude, Florie e James Gentle.

   
© 2019 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha