BLUMENAU ESPORTE CLUBE 
CAMPEÃO CATARINENSE SÉRIE C 2017

O Campeonato Catarinense da Série C de 2017 foi realizado no período de 21 de maio a 5 de agosto e teve como campeão o Blumenau Esporte Clube, que garantiu o acesso para a Série B de 2018. Além do Blumenau, participaram do certame as seguintes equipes: Curitibanos/Orleans, Caçador, Imbituba e Porto.

TABELA DE JOGOS

Turno

21/05/2017 – Imbituba 2 x 0 CEC/Orleans

21/05/2017 – Caçador 1 x 4 Blumenau

28/05/2017 – Porto 1 x 3 CEC/Orleans

28/05/2017 – Blumenau 3 x 1 Imbituba

04/06/2017 – Porto 2 x 1 Caçador

04/06/2017 – CEC/Orleans 2 x 2 Blumenau

11/06/2017 – Blumenau 3 x 0 Porto

11/06/2017 – Caçador 2  x 3 Imbituba

18/06/2017 – Imbituba 2 x 2 Porto

18/06/2017 – CEC/Orleans 1 x 0 Caçador

Returno

25/06/2017 – Porto 2 x 4 Imbituba

25/06/2017 – Caçador 0 x 2 CEC/Orleans

02/07/2017 – Porto 0  x 0 Blumenau

02/07/2017 – Imbituba 2 x 0 Caçador

08/07/2017 – Caçador 1 x 2 Porto

10/07/2017 – Blumenau 5 x 0 CEC/Orleans

16/07/2017 – CEC/Orleans 1 x 0 Porto

16/07/2017 – Imbituba 0 x 0 Blumenau

23/07/2017 – CEC/Orleans 2 x 0 Imbituba

23/07/2017 – Blumenau 5 x 0 Caçador

Final

30/07/2017 – CEC/Orleans 2 x 2 Blumenau

05/08/2017 – Blumenau 4 x 2 CEC/Orleans


FONTE

Federação Catarinense de Futebol

 

Fonte: site do clube

 

 

Estrela do Mar: o clube campeão paraibano de futebol em 1959 surgiu aproximadamente em 1953. 

A matriz do Rosário mais o Convento São José possuía agremiações religiosas como a Cruzada (Liga Infanto-Juvenil) e a Congregação Mariana. A primeira era composta por meninos que ajudavam nos ofícios religiosos, além de se reunirem para assistirem palestras e ensinamentos relativos à fé católica.  A segunda –  a Congregação Mariana – compunha-se de jovens adolescentes e adultos que assistiam e participavam das missas, novenas, etc. e, também se reuniam em grêmios literários que promoviam encontros e palestras.Como diversão eles tinham a prática do futebol campinho que ficava atrás da Igreja. Esse campinho tinha uma trave junto ao muro que dá para a Avenida Vasco da Gama e, a outra ficava colada à parede da marcenaria da igreja. Depois que o campo mudou sua posição, e ficou maior, junto àquela parede foi construída uma quadra de futebol de salão. Várias equipes se revezaram naquele pequeno espaço, sob o comando de Frei Albino. (…)

Os mais velhos tinham os “bate-bolas” nos sábados à tarde. Dessas peladas, e de jogos contra equipes visitantes, surgiu a ideia de se formar uma equipe a fim de pelejar com outras dos bairros vizinhos, e do próprio bairro de Jaguaribe. Assim apareceu o Estrela do Mar Esporte Clube, nome originário de uma revista religiosa que circulava entre os paroquianos. A denominação do clube foi sugerida por um componente de grupo que se reuniu para discutir qual o nome da que daria a nova agremiação futebolística. “Baú”, apelido do irmão do excelente jogador do Botafogo e Seleçao Paraibana de nome Eugênio, foi a pessoa que apresentou o nome ESTRELA DO MAR e que logo recebeu a aprovação de todos.

 

As cores do novo clube foram com base nas vestes da Virgem Maria – o azul celeste e o branco – , que ainda hoje continuam inalteradas, mas na lembrança dos apaixonados pelo clube. Frei Albino, um dos fundadores e incentivadores da prática desse esporte, era a mola-mestra, o esteio que sustentava a agremiação. De um pequeníssimo campo e uma sede precária, o frade conseguiu transformar tudo aquilo. Com esforço e dedicação conseguiu verbas na Alemanha, destinadas à agremiação para construir o prédio que serviu de sede do clube e, também, autorização para ampliar a área esportiva (como esteve por muitos anos à vista de todos).

 

Em 1956 o clube participou do campeonato de amadores promovido pela Federação (não havia segunda divisão naquela época), sendo campeão invicto da temporada. Dessa jornada participaram: Brandão, André, Pinheiro, Hélio, Breno Formiga, Gilberto Cara de Gato, Hermes Taurino, Caju, J. Heráclito, Roberto Biribita, Izinho, Valdecir Pereira, Adjamir, Carrinho e Lauro Almeida.

 

O Estrela do Mar foi tri-campeão aspirante nos anos 58/59/60. No ano de 1957 o clube passou a disputar o Campeonato Paraibano de Profissionais. Foi vice-campeão paraibano em 1958, e, em 1959, sagrou-se campeão estadual (Imagem 1), utilizando nessa temporada os seguintes atletas: Jola, Carrinho, Davi, – Gilberto Cara de Gato, Tem. Gilberto e Aderbal Pitombeira (goleiros), Hermes Taurino e Teófilo Luna, Coelhinho, Caju, Lúcio Câmara, Izinho (Antenor Pereira), Emilson Adjamir, Valdecir Pereira, Celso Piaba (Imagem 2). Os diretores: Severino Holanda, mais conhecido por “Viu” e Lucemar Navarro; Pedro Gomes; Rômulo Camboin, a que todos o chamavam Senhor Pila e João Batista Cruz, foram os colaboradores eficientes na vida do clube. Depois deles, os antigos pupilos – “as crias de casa” -, conduziram, bem ou mal, os destinos do clube até o ano de 2003 quando foi extinto.

 

Imagem 1. Notícia publicada no jornal “A União” em 1959

Imagem 2. Atletas que faziam parte do time campeão paraibano de futebol de 1959

O clube, desde a morte de Frei Albino, passou a ser dirigido por sócios-atletas, isto é, pelos jovens de antigamente, a exemplo de Marcos Macena, de José Freire, de Carlos Pereira (Carrinho), de Emilson, de Roberto Oliveira, de Jobério Martins, de Gladston Castro (Estaca) que foi o último presidente. *[1]

 

* Trecho retirado do livro  “Retratos De Jaguaribe: Um Passeio Histórico” de autoria de Emilson Ponce de Leon Ribeiro.

[1] RIBEIRO, E. P. L.  Retratos De Jaguaribe: Um Passeio Histórico. 2ed. João Pessoa: Mídia Gráfica e Editora, 2012, v.1, 350 p.

 

Fonte: Estrela do Mar Esporte Clube e Jornal “A União”.

 

Copa do Nordeste/2017 – 3ª Fase – Semifinal – Ida
Sport/PE    1x2    Santa Cruz/PE

Campeonato Alagoano/2017 – 4ª Fase – Decisão do 3º Lugar – Volta
ASA    3x0    Murici
[ASA 3º Lugar]

Campeonato Brasiliense/2017 – 4ª Fase – Final – Ida
Ceilândia 2×2 Brasiliense

Campeonato Sul-Matogrossense/2017 – 4ª Fase – Decisão do 3º Lugar – Ida
7 de Setembro 3×2 Operário

Campeonato Capixaba/2017 – 3ª Fase – Final – Ida
Doze 2×2 Atlético Itapemirim

Campeonato Sergipano/2017 – 3ª Fase – Final – Ida
Confiança 1×1 Itabaiana

Campeonato Maranhense/2017 – 2º Turno – Final – Ida
Cordino 1×1 Sampaio Corrêa

Campeonato Piauiense/2017 – 2º Turno – 1ª Fase – 7ª Rodada
Piauí 0×0 4 de Julho
Flamengo 1×1 Parnahyba

[River, Altos, 4 de Julho e Piauí classificados para as Semifinais do 2º Turno]

Campeonato Amazonense/2017 – 1ª Fase – 11ª Rodada
Fast  x  Nacional
[Suspenso devido ao choque entre dois jogadores no primeiro minuto de jogo]
[O atleta Charles do Fast foi internado. Nova partida será realizada no dia 30/04 às 15:00 local]
Penarol 0×0 Princesa do Solimões
Holanda 3×1 Rio Negro
Manaus 3×0 São Raimundo

Campeonato Tocantinense/2017 – 2ª Fase – Semifinal – Volta
Sparta 1×1 Gurupi
Interporto 0×0 Tocantinópolis

[Interporto e Sparta na final]

Campeonato Paulista – 2ª Divisão/2017 – 2ª Fase – Semifinal – Ida
Bragantino 1×0 Água Santa
Rio Claro 2×2 São Caetano

Campeonato Mineiro – 2ª Divisão/2017 – 2ª Fase – Hexagonal Final – 6ª Rodada
Uberaba 1×0 Betinense
Tupynambás 2×0 Patrocinense(CA)

Campeonato Baiano – 2ª Divisão/2017 – 1ª Fase – 3ª Rodada
Ypiranga  x  Colo Colo
[Ypiranga desistiu][Colo Colo ganhou os pontos da partida][Placar atribuído: 0x1]
Atlético 1×1 Pituaçu

Campeonato Capixaba – 2ª Divisão/2017 – 1ª Fase – Preliminar – 7ª Rodada
Estrela do Norte 2×0 Vilavelhense
Castelo 4×1 Sport Linharense

Campeonato Paulista – 3ª Divisão/2017 – 2ª Fase – Volta
Monte Azul 1×0 Taboão da Serra
Rio Branco 1×3 Nacional
Internacional 2×1 Desportivo Brasil

[Internacional, Nacional e Monte Azul classificados para a Semifinal]

Campeonato Gaúcho – 3ª Divisão/2017 – 1ª Etapa – Classificatória – 8ª Rodada
Rio Grande 1×0 Sapucaiense
Nova Prata 1×2 PRS
Grêmio B 0×1 Três Passos

Campeonato Paulista – 4ª Divisão/2017 – 1ª Fase – 4ª Rodada
Manthiqueira 2×0 Jabaquara
América 4×1 Assisense
Primavera 0×2 Elosport

Campeonato Espanhol/2016-2017 – Fase Única – 35ª Rodada
Las Palmas 0×5 Atlético de Madrid
Espanyol 0×3 Barcelona
Real Madrid 2×1 Valencia
Real Sociedad 2×1 Granada

Campeonato Alemão/2016-2017 – Fase Única – 31ª Rodada
Wolfsburg 0×6 Bayern de Munique
Borussia Dortmund 0×0 Colônia
Mainz 1×2 Borussia Mönchengladbach
Darmstadt 98 3×0 Freiburg
Werder Bremen 2×0 Hertha Berlim
RB Leipzig 0×0 Ingolstadt 04

Campeonato Italiano/2016-2017 – Fase Única – 34ª Rodada
Torino 1×1 Sampdoria

Campeonato Inglês/2016-2017 – Fase Única – 35ª Rodada
Southampton 0×0 Hull City
Crystal Palace 0×2 Burnley
Stoke City 0×0 West Ham
West Bromwich 0×1 Leicester City
Sunderland 0×1 Bournemouth

Campeonato Francês/2016-2017 – Fase Única – 35ª Rodada
Montpellier 0×3 Lille
Monaco 3×1 Toulouse
Nantes 1×0 Lorient
Metz 2×1 Nancy
Bastia 1×0 Rennes
Guingamp 0×2 Saint-Étienne

Campeonato Argentino/2016-2017 – 1ª Fase – 22ª Rodada
Unión Santa Fe 0×0 Patronato
Sarmiento Junín 0×4 Colón
Tigre 0×1 Banfield
Huracán 0×1 Newell’s Old Boys
Gimnasia y Esgrima 0×1 San Lorenzo
Temperley 3×0 Racing

Campeonato Português/2016-2017 – Fase Única – 31ª Rodada
Chaves 0×1 Porto
Nacional 0×2 Rio Ave
Benfica 2×1 Estoril
Boavista 1×0 Tondela

Fonte: futebolnacional.com.br

 

 

1ª CATEGORIA

PROFISSIONAL

CORITIBA FOOTBALL CLUB

1ª CATEGORIA

ASPIRANTE

PALESTRA ITÁLIA FUTEBOL CLUBE

1ª CATEGORIA

JUVENIL

SOCIEDADE EDUCAÇÃO FÍSICA JUVENTUS

2ª CATEGORIA

1º QUADROS

OPERÁRIO DO AHÚ SPORT CLUB

2ª CATEGORIA

2º QUADROS

CLUBE ATLÉTICO PRIMAVERA

3ª CATEGORIA

1º QUADROS

BANGU FUTEBOL CLUBE

3ª CATEGORIA

2º QUADROS

NOVO MUNDO FUTEBOL CLUBE

Fonte: Diário da Tarde – PR

 

Participaram do campeonato as seguintes ligas:

Associação Campista de Esportes Terrestres (ACET) – CAMPOS
Associação Iguassuana de Esportes (AIE) – NOVA IGUAÇU
Associação Leste Fluminense de Esportes Athleticos (ALFEA) – CABO FRIO
Associação Petropolitana de Sports (APS) – PETRÓPOLIS
Associação Serrana de Esportes Athleticos (ASEA) – NOVA FRIBURGO
Associação Sudoeste Fluminense de Esportes Athleticos (ASFEA) – PARAÍBA DO SUL
Associação Therezopolitana de Esportes Athleticos (ATEA) – TERESÓPOLIS
Liga Esportiva Norte Fluminense (LENF) – MIRACEMA
Liga Esportiva Sul Fluminense (LESF) – BARRA DO PIRAÍ
Liga Nictheroyense de Football (LNF) – NITERÓI

Observem que muitas das mesmas eram ligas regionais, e não apenas municipais. Caso da campeã Liga Esportiva Sul Fluminense, que tinha clubes de Barra do Piraí, Barra Mansa etc.

Contudo, era costume de alguns jornais considerar as seleções como sendo representantes da cidade onde as mesmas estavam sediadas. Por isso, o título da Liga Esportiva Sul Fluminense costuma ser contabilizado como um título da Seleção de Barra do Piraí.

 

 

FONTE: Revista Placar.

 

 

Em pé: Oliveira,Beto,Jota Alves,Abel,Castilho,Carlinhos. Agachados: Quarentinha,Pau Preto,Édson Piola,Milton Dias e Ércio.

Fonte:Enciclopédia do Futebol Paraense

 

 

 

FONTE: Revista Placar.

 

O campeonato gaúcho de 1919 foi primeiro campeonato regional do Estado do Rio Grande do Sul, organizado pela recém-criada Federação Riograndense de Desportos.

Originalmente, fariam parte do campeonato as equipes vencedoras de sete importantes cidades do Estado: Grêmio (Porto Alegre), Nacional (São Leopoldo), Guarany (Bagé), representante de Cruz Alta (sem referências), Brasil (Pelotas), Uruguaiana (Uruguaiana) e 14 de julho (Santana do Livramento).

Entretanto, 5 clubes perderam o prazo peremptório estabelecido pela Federação para a inscrição de atletas, restando assim, apenas Grêmio e Brasil de Pelotas para a disputa de uma espécie de “final em jogo único”.

O vencedor, levaria o título de primeiro campeão gaúcho da história, além de ser convidado para participar do Torneio de Campeões Estaduais, organizado pela CBD, no ano de 1920 no Rio de Janeiro.

Os finalistas:

O Grêmio Sportivo Brasil (depois Esportivo, com a nacionalização do nome) credenciou-se à disputa do título após sagrar-se tricampeão da Liga Pelotense. Título conquistado de forma invicta naquele ano de 1919. Disputaram a liga em 1919: Brasil, Guarany, Ideal, Rio Branco, União e o arquirrival Pelotas.

Em 3 anos, a equipe havia sofrido apenas uma derrota, ocorrida no ano de 1917, para o mesmo Grêmio, por 2-1.

Na época, somente o zagueiro Ary não participou daquele “match”.

Segundo fontes, o defensor era o único do plantel não nascido em Pelotas. Havia sido trazido do Sport Club Internacional no início de 1919.

Os demais jogadores eram pratas da casa do clube pelotense.

 Foto: equipe do Brasil de 1919

o Grêmio FootBall Portoalegense, chegou para a disputa do título após ter se sagrado campeão do Campeonato Citadino de Porto Alegre.

Naquele ano, o campeonato foi disputado por Cruzeiro, Grêmio, Internacional, Porto Alegre, Tabajara e São José.

 Na final, o Grêmio venceu o São José pelo placar de 3×2.

O local do jogo.

A partida foi marcada pela Federação para às 16h do dia 9 de novembro de 1919 no “Ground do Moinhos de Vento”, como era chamado o estádio do Fortim da Baixada, pertencente ao Grêmio FootBall Portoalegrense.

Com isso, até mesmo os sócios tricolores, tiveram que comprar ingresso para assistir ao match,. Contudo, teriam a preferência para ocupar as dependências do Pavilhão da Baixada.

Na época, os ingressos foram disponibilizados ao preço de 2$00 e 3$00 (arquibancadas).

Segundo informações do Jornal Correio do Povo, do dia 8 de novembro de 1919, cada cavalheiro teria direito de levar duas senhoritas ou dois cavalheiros como acompanhantes.

As entradas podiam ser adquiridas na Rua do Andradas, 375 (antiga Rua da Praia, no Centro de Porto Alegre).

Foto: pintura do antigo Fortim da Baixada (fonte:www.guascatur.com)


 Antecedentes da partida.

O Brasil, chegou a Porto Alegre na véspera da partida, a bordo do Vapor Mercedes. A delegação foi chefiada pelo seu presidente na época, o Cel. Manoel Simões Lopes.

Ficaram hospedados no Hotel Paris, em Porto Alegre.

Faziam parte da delegação, pessoas influentes do meio esportivo pelotense, mais conhecidos na época como “Sportmans”. Entre eles, Francisco Ferreira, Farias Guimarães e Solon Silveira, além sócios do clube, familiares dos atletas, torcedores importantes e representantes dos demais clubes pelotenses.

Para a partida, a Federação Riograndense de Desportos, convidou o Sr. Fontoura, dirigente do Cruzeiro de Porto Alegre para ser o árbitro.

 O jogo

O Grêmio levada um certo favoritismo para o Match, visto que jogava em casa, apesar do campo ser considerado neutro em face do arrendamento requisitado pela Federação.

Além disso, a única derrota imposta ao Brasil em três anos foi justamente frente ao Grêmio.

O Jornal Correio do Povo, na véspera da partida, referia que o time Gremista com certeza conquistaria o inédito titulo de campeão estadual, amanhã, no Ground do Moinhos de Vento.

Como se vê, o maracanaço portoalegrense ocorreria naquela data, 31 anos antes da Copa do Mundo no Brasil.

O tricolor, apesar do favoritismo da imprensa da Capital, tinha problemas para montar a equipe, pois o goleiro Demétrio e o atacante Bruno eram as dúvidas na escalação.

O “já ganhou” da equipe Porto Alegrense, aliado ao grande entrosamento do time Pelotense, resultaram, no final, em um placar elastico: 5×1 para o Brasil.


Foto: Correio do povo de 11/11/1919.

 

Súmula

 

Final – Jogo Único

Grêmio 1-5 Brasil

Local: Fortim da Baixada (Porto Alegre);

Horário: 16:00

Arbitro: Sr. Fontoura (Pertencente ao Sport Club Cruzeiro)

Gols: Proença (B) aos 12′, Correa (B) aos 19′, Máximo (G) aos 28′,

Proença (B) aos 49′, Alvarizza (B) aos 51′ e Proença (B) aos 71′;

GRÊMIO: DEMÉTRIO Silveira; Pedro PINTO e Jorge Tavares PY; DORIVAL Fonseca, Francisco Fernandes – CHIQUINHO e Luiz ASSUMPÇÃO; Oscar GERTUM, Severino Franco da Silva – LAGARTO, MÁXIMO Laviaguerre, Alcides MENEGHINI e Walter Lewis – LIVI.

BRASIL: Oswaldo FRANCK; Francisco NUNES e ARY Xavier; FLORIANO Lourenço, Pedro ROSSELLI e Waldomiro Victorio – BABA; Jorge FARIA, Alberto CORREA, Pelágio PROENÇA, Ignácio GERLACH e Ismael ALVARIZZA

 

FONTES: Súmulas-Tchê, Wikipédia, RSSSF Brasil, Livro Grêmio Foot-Ball Portoalegrense – Imortal Tricolor, Correio do Povo e Diário Popular.

 

 

DATA
LOCAL
11.05.1975
MARÍTIMOS
1-7
COMERCIAL
CORUMBÁ
14.05.1975
COMERCIAL
1-0
OPERÁRIO(VG)
CAMPO GRANDE
21.05.1975
COMERCIAL
3-0
DOM BOSCO
CAMPO GRANDE
08.06.1975
COMERCIAL
3-0
UNIÃO
CAMPO GRANDE
18.06.1975
COMERCIAL
2-0
UBIRATAN
CAMPO GRANDE
25.06.1975
COMERCIAL
1-0
OPERÁRIO(CG)
CAMPO GRANDE
06.07.1975
UNIÃO
0-0
COMERCIAL
RONDONÓPOLIS
09.07.1975
OPERÁRIO(VG)
0-2
COMERCIAL
CUIABÁ
13.07.1975
DOM BOSCO
1-1
COMERCIAL
CUIABÁ
16.07.1975
MIXTO
0-1
COMERCIAL
CUIABÁ
20.07.1975
OPERÁRIO(CG)
1-0
COMERCIAL
CAMPO GRANDE
27.07.1975
COMERCIAL
4-0
MARÍTIMOS
CAMPO GRANDE
03.08.1975
UBIRATAN
0-3
COMERCIAL
DOURADOS

 

Fonte: Jornal O Estado de Mato Grosso e Revista Placar

 

 

DATA
LOCAL
24.11.1974
OPERÁRIO(CG)
2-0
UBIRATAN
CAMPO GRANDE
27.11.1974
OPERÁRIO(CG)
3-0
UNIÃO
CAMPO GRANDE
01.12.1974
OPERÁRIO(VG)
2-0
OPERÁRIO(CG)
CUIABÁ
04.12.1974
MIXTO
0-0
OPERÁRIO(CG)
CUIABÁ
08.12.1974
DOM BOSCO
2-1
OPERÁRIO(CG)
CUIABÁ
15.12.1974
OPERÁRIO(CG)
1-1
COMERCIAL
CAMPO GRANDE
16.02.1975
OPERÁRIO(CG)
1-1
OPERÁRIO(VG)
CAMPO GRANDE
05.03.1975
OPERÁRIO(CG)
1-0
DOM BOSCO
CAMPO GRANDE
23.03.1975
OPERÁRIO(CG)
4-0
MIXTO
CAMPO GRANDE
06.04.1975
UNIÃO
0-2
OPERÁRIO(CG)
RONDONÓPOLIS
13.04.1975
COMERCIAL
0-0
OPERÁRIO(CG)
CAMPO GRANDE
19.04.1975
UBIRATAN
1-2
OPERÁRIO(CG)
DOURADOS
20.04.1975
DOM BOSCO
2-2
OPERÁRIO(CG)
CUIABÁ
23.04.1975
OPERÁRIO(CG)
1-1
DOM BOSCO
CAMPO GRANDE
27.04.1975
OPERÁRIO(CG)
2-1
DOM BOSCO
CAMPO GRANDE

 

Fonte: Jornal O Estado de Mato Grosso e Revista Placar

 

 

DATA
LOCAL
14.10.1973
OPERÁRIO(VG)
1-0
UNIÃO
RONDONÓPOLIS
20.10.1973
OPERÁRIO(VG)
1-1
OPERÁRIO(CG)
CAMPO GRANDE
28.10.1973
OPERÁRIO(VG)
?-?
PALMEIRAS
CUIABÁ
11.11.1973
OPERÁRIO(VG)
2-2
MIXTO
CUIABÁ
18.11.1973
OPERÁRIO(VG)
0-0
DOM BOSCO
CUIABÁ
03.03.1974
OPERÁRIO(VG)
1-0
UNIÃO
CUIABÁ
24.03.1974
OPERÁRIO(VG)
1-1
COMERCIAL
CUIABÁ
07.04.1974
OPERÁRIO(VG)
4-1
PALMEIRAS
CUIABÁ
05.05.1974
OPERÁRIO(VG)
2-1
MIXTO
CUIABÁ
12.05.1974
OPERÁRIO(VG)
0-0
DOM BOSCO
CUIABÁ
02.06.1974
OPERÁRIO(VG)
2-2
UNIÃO
RONDONÓPOLIS
16.06.1974
OPERÁRIO(VG)
1-2
MIXTO
CUIABÁ
19.06.1974
OPERÁRIO(VG)
2-2
PALMEIRAS
CUIABÁ
30.06.1974
OPERÁRIO(VG)
1-1
COMERCIAL
CAMPO GRANDE
14.07.1974
OPERÁRIO(VG)
1-4
DOM BOSCO
CUIABÁ
21.07.1974
OPERÁRIO(VG)
0-0
DOM BOSCO
CUIABÁ
28.07.1974
OPERÁRIO(VG)
4-0
DOM BOSCO
CUIABÁ
04.08.1974
OPERÁRIO(VG)
0-0
DOM BOSCO
CUIABÁ

 

Fonte: Jornal O Estado de Mato Grosso e Revista Placar

 

 

 

DATA
LOCAL
21.03.1976
OPERÁRIO(CG)
5-0
UBIRATAN
CAMPO GRANDE
28.03.1976
OPERÁRIO(D)
0-1
OPERÁRIO(CG)
DOURADOS
31.03.1976
OPERÁRIO(CG)
2-0
INDUSTRIÁRIA
CAMPO GRANDE
04.04.1976
OPERÁRIO(CG)
2-1
COMERCIAL(CG)
CAMPO GRANDE
18.04.1976
OPERÁRIO(CG)
5-0
UBIRATAN
CAMPO GRANDE
02.05.1976
OPERÁRIO(CG)
4-0
INDUSTRIÁRIA
CAMPO GRANDE
05.05.1976
OPERÁRIO(CG)
3-0
OPERÁRIO(D)
CAMPO GRANDE
09.05.1976
COMERCIAL(CG)
0-0
OPERÁRIO(CG)
CAMPO GRANDE
22.05.1976
OPERÁRIO(CG)
4-0
INDUSTRIÁRIA
CAMPO GRANDE
06.06.1976
UBIRATAN
0-1
OPERÁRIO(CG)
DOURADOS
13.06.1976
OPERÁRIO(CG)
2-0
OPERÁRIO(D)
CAMPO GRANDE
20.06.1976
OPERÁRIO(CG)
1-0
COMERCIAL(CG)
CAMPO GRANDE
30.06.1976
OPERÁRIO(CG)
2-2
UNIÃO
CAMPO GRANDE
03.07.1976
MIXTO
1-1
OPERÁRIO(CG)
CUIABÁ
07.07.1976
DOM BOSCO
1-2
OPERÁRIO(CG)
CUIABÁ
11.07.1976
OPERÁRIO(CG)
1-0
COMERCIAL(CG)
CAMPO GRANDE
21.07.1976
OPERÁRIO(CG)
4-0
UBIRATAN
CAMPO GRANDE
25.07.1976
OPERÁRIO(CG)
2-0
MIXTO
CAMPO GRANDE
01.08.1976
OPERÁRIO(CG)
7-0
UBIRATAN
CAMPO GRANDE
08.08.1976
OPERÁRIO(CG)
2-0
DOM BOSCO
CAMPO GRANDE
11.08.1976
OPERÁRIO(CG)
3-0
UNIÃO
CAMPO GRANDE
15.08.1976
OPERÁRIO(CG)
1-0
COMERCIAL(CG)
CAMPO GRANDE

 

Fonte: Jornal O Estado de Mato Grosso e Revista Placar

 

 

DATA
LOCAL
13.03.1977
OPERÁRIO(CG)
3-1
DOM BOSCO
CAMPO GRANDE
20.03.1977
OPERÁRIO(CG)
5-0
OPERÁRIO(VG)
CAMPO GRANDE
27.03.1977
MIXTO
3-1
OPERÁRIO(CG)
CUIABÁ
03.04.1977
CÁCERES
0-5
OPERÁRIO(CG)
CÁCERES
10.04.1977
OPERÁRIO(CG)
4-1
PALMEIRAS
CAMPO GRANDE
15.04.1977
OPERÁRIO(CG)
3-0
INDUSTRIÁRIA
CAMPO GRANDE
17.04.1977
OPERÁRIO(CG)
2-0
UNIÃO
CAMPO GRANDE
21.04.1977
OPERÁRIO(CG)
2-1
COMERCIAL
CAMPO GRANDE
01.05.1977
UNIÃO
2-0
OPERÁRIO(CG)
RONDONÓPOLIS
27.04.1977
PALMEIRAS
2-3
OPERÁRIO(CG)
CUIABÁ
08.05.1977
OPERÁRIO(CG)
4-0
CÁCERES
CAMPO GRANDE
18.05.1977
OPERÁRIO(CG)
2-2
INDUSTRIÁRIA
CAMPO GRANDE
22.05.1977
OPERÁRIO(VG)
1-1
OPERÁRIO(CG)
CUIABÁ
25.05.1977
DOM BOSCO
1-1
OPERÁRIO(CG)
CUIABÁ
29.05.1977
OPERÁRIO(CG)
1-0
MIXTO
CAMPO GRANDE
05.06.1977
COMERCIAL
0-0
OPERÁRIO(CG)
CAMPO GRANDE
22.06.1977
MIXTO
0-3
OPERÁRIO(CG)
CUIABÁ
25.06.1977
DOM BOSCO
0-0
OPERÁRIO(CG)
CUIABÁ
29.06.1977
OPERÁRIO(CG)
3-1
INDUSTRIÁRIA
CAMPO GRANDE
13.07.1977
OPERÁRIO(CG)
3-0
OPERÁRIO(VG)
CAMPO GRANDE
17.07.1977
OPERÁRIO(CG)
2-1
COMERCIAL
CAMPO GRANDE
20.07.1977
OPERÁRIO(CG)
2-1
MIXTO
CAMPO GRANDE
24.07.1977
OPERÁRIO(CG)
1-1
DOM BOSCO
CAMPO GRANDE
27.07.1977
OPERÁRIO(CG)
2-0
INDUSTRIÁRIA
CAMPO GRANDE
14.08.1977
COMERCIAL
2-0
OPERÁRIO(CG)
CAMPO GRANDE
17.08.1977
OPERÁRIO(VG)
0-1
OPERÁRIO(CG)
CUIABÁ

 

Fonte: Jornal O Estado de Mato Grosso e Revista Placar

 

 

DATA
LOCAL
03.09.1978
21 DE ABRIL
0-1
OPERÁRIO(CG)
FÁTIMA DO SUL
12.09.1978
OPERÁRIO(CG)
2-0
OPERÁRIO(VG)
CAMPO GRANDE
17.09.1978
OPERÁRIO(CG)
3-0
PALMEIRAS
CAMPO GRANDE
24.09.1978
UNIÃO
0-2
OPERÁRIO(CG)
RONDONÓPOLIS
08.10.1978
DOM BOSCO
0-0
OPERÁRIO(CG)
CUIABÁ
15.10.1978
BARRA DO GARÇAS
0-2
OPERÁRIO(CG)
BARRA DO GARÇAS
22.10.1978
MIXTO
1-2
OPERÁRIO(CG)
CUIABÁ
29.10.1978
OPERÁRIO(CG)
1-0
COMERCIAL
CAMPO GRANDE
01.11.1978
OPERÁRIO(CG)
2-1
21 DE ABRIL
CAMPO GRANDE
09.11.1978
OPERÁRIO(CG)
4-0
UNIÃO
CAMPO GRANDE
12.11.1978
OPERÁRIO(CG)
4-0
MIXTO
CAMPO GRANDE
16.11.1978
OPERÁRIO(VG)
4-0
OPERÁRIO(CG)
CUIABÁ
19.11.1978
PALMEIRAS
2-10
OPERÁRIO(CG)
CUIABÁ
23.11.1978
OPERÁRIO(CG)
2-0
BARRA DO GARÇAS
CAMPO GRANDE
03.12.1978
COMERCIAL
1-1
OPERÁRIO(CG)
CAMPO GRANDE
10.12.1978
OPERÁRIO(CG)
1-0
DOM BOSCO
CAMPO GRANDE
04.02.1979
OPERÁRIO(CG)
3-0
MIXTO
CAMPO GRANDE
11.02.1979
BARRA DO GARÇAS
0-2
OPERÁRIO(CG)
BARRA DO GARÇAS
14.02.1979
OPERÁRIO(CG)
4-0
OPERÁRIO(VG)
CAMPO GRANDE
18.02.1979
OPERÁRIO(CG)
0-1
DOM BOSCO
CAMPO GRANDE
24.02.1979
OPERÁRIO(CG)
1-1
COMERCIAL
CAMPO GRANDE
04.03.1979
OPERÁRIO(VG)
1-1
OPERÁRIO(CG)
CUIABÁ
07.03.1979
OPERÁRIO(CG)
13-0
BARRA DO GARÇAS
CAMPO GRANDE
11.03.1979
MIXTO
2-2
OPERÁRIO(CG)
CUIABÁ
21.03.1979
DOM BOSCO
1-2
OPERÁRIO(CG)
CUIABÁ
25.03.1979
OPERÁRIO(CG)
1-0
COMERCIAL
CAMPO GRANDE

 

Fonte: Jornal O Estado de Mato Grosso e Revista Placar

 

O Mixto sagrou-se bicampeão Matogrossense após disputar a final com o União da cidade de Rondonópolis. Abaixo as fichas técnicas:

 

Mixto 2 x 1 União

Data: 16/11/1980

Validade: Campeonato Mato-grossense – Final – 1º jogo

Local: Estádio Governador José Fragelli (Cuiabá)

Renda: Cr$ 773.200,00

Público: 12.629

Árbitro: Maurílio José Santiago

Gols: Gilmar, Bife e Mário Sérgio

Mixto: Ernani, Gilmar, Fumaça, Miro, Jairo, Fabinho, Ademar, Tostão, Marcinho (Ideraldo), Bife e Toninho Campos (Luis Márcio). Técnico: Helio Machado

União: Almeida, Maurinho, Mário Sérgio (Gilmar), China, Nélson, De Paula, Osmário, Edson, Xaxá, Pindu e Zuza. Técnico: Genésio do Carmo

 

União 1 x 1 Mixto

Data: 23/11/1980

Validade: Campeonato Mato-grossense – Final – 2º jogo

Local: Estádio Lutero Lopes (Rondonópolis)

Renda: Cr$ 994.300,00

Público: 5.926

Árbitro: Romualdo Arppi Filho (SP)

Gols: Edson e Tostão

União: Almeida, China, Maurinho, Mário Sérgio, Nélson, Dideus, Edson, Chundi, Xaxá, Osmário (Juari), Zuza. Técnico: Genésio do Carmo

Mixto: Ernani, Gilmar, Fumaça, Miro, Jairo, Fabinho, Gole, Ademar, Toninho Campos (Luis Márcio), Bife e Tostão. Técnico: Helio Machado

 

Mixto 2 x 0 União

Data: 26/11/1980

Validade: Campeonato Mato-grossense – Final – 3º jogo

Renda: Cr$ 954.230,00

Público: 15.290

Árbitro: José Roberto Wright (RJ)

Gols: Ademar e Bife

Mixto: Ernani, Gilmar, Fumaça, Miro (Folha), Jairo, Fabinho, Golê (Arildo), Ademar, Toninho Campos, Bife e Tostão. Técnico: Helio Machado

União: Almeida, China, Mário Sérgio, Maurinho (Gilmar), Nélson, Zé Coco, Chundi, Edson, Xaxá, Juari (Joãozinho) e Zuza. Técnico: Genésio do Carmo

 

 

Fonte: Jornal O Estado de Mato Grosso e Revista Placar

 

Atlético 2 x 1 XV de Novembro

Data: 27/05/1956

Local: Estádio Presidente Dutra (Cuiabá)

Renda: Cr$ 2.430,00

Árbitro: Elpidio Gonçalves Preza

Gols do Atlético: Ariel e Luiz Toucinho

Atlético: Levy, Guiauro, Vital, Sebastião, João 19, Totó Traçaia, Ariel, Portela, Luiz Toucinho, Bianchi e Proença.

 

Atlético 5 x 0 Palmeiras

Data: 08/07/1956

Local: Estádio Presidente Dutra (Cuiabá)

Renda: Cr$ 2.955,00

Árbitro: Samuel Torquato da Silva

Gols do Atlético: Proença (2), Bianchi (2) e Ataíde

Atlético: Fulepa, Luiz Toucinho, Vital, Sebastião, Guiauro, Totó Traçaia, Ariel, Portela, Ataíde, Bianchi e Proença.

 

Atlético 5 x 0 Campinas

Data: 29/07/1956

Local: Estádio Presidente Dutra (Cuiabá)

Renda: Cr$ 3.000,00

Árbitro: Elpidio Gonçalves Preza

Gols do Atlético: Proença (2), Ariel, Bianchi e Luiz Toucinho

Atlético: Fulepa, Luiz Toucinho, Vital, Sebastião, Guiauro, Totó Traçaia, Ariel, Portela, Proença, Bianchi e Bosco.

 

Atlético 2 x 1 Cruzeiro

Data: 19/08/1956

Local: Estádio Presidente Dutra (Cuiabá)

Renda: Cr$ 6.900,00

Árbitro: Elpidio Gonçalves Preza

Gols do Atlético: Bianchi (2)

Atlético: Fulepa, Luiz Toucinho, Vital, Sebastião, Guiauro, Totó Traçaia, Ariel Portela, Preto, Bianchi e Proença.

 

Atlético 1 x 0 Dom Bosco

Data: 02/09/1956

Local: Estádio Presidente Dutra (Cuiabá)

Renda: Cr$ 12.500,00

Árbitro: Elpidio Gonçalves Preza

Gol do Atlético: Preto

Atlético: Levy, Luiz Tocuinho, Vital, Sebastião, Guiauro, Totó, Ariel, Portela, Preto, Bianchi e Proença.

 

Atlético 2 x 3 Santo Antônio

Data: 15/09/1956

Local: Estádio Presidente Dutra (Cuiabá)

Renda: Cr$ 3.415,00

Árbitro: José B. Pinto

Gols do Atlético: Preto e Bianchi

Atlético: Fulepa, Luiz Toucinho, Luiz Guimarães, Sebastião, Guiauro, Totó Traçaia, Ariel, Portela, Preto, Bianchi e Proença.

 

Atlético 1 x 0 Mixto

Data: 30/09/1956

Local: Estádio Presidente Dutra (Cuiabá)

Renda: Cr$ 14.970,00

Árbitro: Francisco Moreno

Gol do Atlético: Preto

Atlético: Fulepa, Luiz Toucinho, Vital, Sebastião, Guiauro, Totó Traçaia, Ariel, Portela, Preto, Bianchi e Proença.

 

Atlético 1 x 1 XV de Novembro

Data: 13/01/1957

Local: Estádio Presidente Dutra (Cuiabá)

Renda: Cr$ 2.600,00

Árbitro: João Batista de Carvalho

Gol do Atlético: Preto

Atlético: Fulepa, Luiz Toucinho, Vital, Sebastião, Guiauro, Totó Traçaia, Ataíde, Portela, Vico, Preto e Batista.

 

Atlético 2 x 3 Cruzeiro

Data: 26/01/1957

Local: Estádio Presidente Dutra (Cuiabá)

Renda: Cr$ 1.260,00

Árbitro: João Batista de Carvalho

Gols do Atlético: Portela e Ariel

Atlético: Antônio, Luiz Toucinho, Vital, Sebastião, Guiauro, Totó Traçaia, Ariel, Portela, Edson, Preto e Ataíde.

 

Atlético 15 x 1 Santo Antônio

Data: 16/02/1957

Local: Estádio Presidente Dutra (Cuiabá)

Renda: Cr$ 1.245,00

Árbitro: José B. Pinto

Gols do Atlético: Luiz Toucinho (6), Preto (4), Ariel (2), Ataíde (2) e Portela

Atlético: Fulepa, Guiauro, Vital, Robustiano, Sebastião, Totó Traçaia, Ariel, Portela, Luiz Toucinho, Preto e Ataíde.

 

Atlético 5 x 1 Campinas

Data: 24/02/1957

Local: Estádio Presidente Dutra (Cuiabá)

Renda: Cr$ 4.090,00

Árbitro: Beendito Rodrigues de Souza

Gols do Atlético: Luiz Toucinho (2), Preto (2) e Totó Traçaia

Atlético: Fulepa, Guiauro, Vital, Robustiano, Sebastião, Totó Traçaia, Ariel, Portela, Luiz Toucinho, Preto e Ataíde.

 

Atlético 3 x 2 Palmeiras

Data: 16/03/1957

Local: Estádio Presidente Dutra (Cuiabá)

Renda: Cr$ 3.385,00

Árbitro: Florizel Soares da Silva

Gols do Atlético: Ariel, Ataíde e Preto

Atlético: Fulepa, Guiauro, Vital, Lisboa, Sebastião, Ruy, Ariel, Portela, Luiz Toucinho, Preto e Ataíde.

 

Atlético 2 x 1 Dom Bosco

Data: 24/03/1956

Local: Estádio Presidente Dutra (Cuiabá)

Renda: Cr$ 18.230,00

Árbitro: José Carlos Lopes

Gols do Atlético: Ariel e Luiz Toucinho

Atlético: Fulepa, Guiauro, Vital, Robustiano, Sebastião, Dilson, Ariel, Portela, Luiz Toucinho, Preto e Ataíde.

 

Atlético 3 x 1 Mixto

Data: 21/04/1957

Local: Estádio Presidente Dutra (Cuiabá)

Renda: Cr$ 14.080,00

Árbitro: Dimas Carrate

Gols do Atlético: Luiz Toucinho, Ataíde e Portela

Atlético: Fulepa, Guiauro, Vital, Robustiano, Sebastião, Mário Tatu, Ariel, Portela, Luiz Toucinho, Preto e Ataíde.

Fonte: Boletim Oficial do Clube Atlético Matogrossense 1957

 

 

CATEGORIA INFANTIL

CAMPEÃO SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS (SÃO PAULO)
VICE CAMPEÃO ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE DESPORTOS (SÃO PAULO)

CATEGORIA JUVENIL

CAMPEÃO SPORT CLUB CORINTHIANS PAULISTA (SÃO PAULO)
VICE CAMPEÃO CLUBE ATLÉTICO JUVENTUS (SÃO PAULO)

CATEGORIA ASPIRANTES

CAMPEÃO ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE DESPORTOS (SÃO PAULO)
VICE CAMPEÃO SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS (SÃO PAULO)

CATEGORIA AMADOR – 1ª DIVISÃO – CAPITAL

CAMPEÃO UNIÃO TIETÊ FUTEBOL CLUBE (GUARULHOS)
VICE CAMPEÃO ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA AÇUCENA (SÃO PAULO)

TORNEIO DOS CAMPEÕES AMADORES – CAPITAL

CAMPEÃO ESPORTE CLUBE SAMPAIO MOREIRA (SÃO PAULO)

CAMPEONATO AMADOR DO INTERIOR

CAMPEÃO ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA XI DE AGOSTO (TATUÍ)
VICE CAMPEÃO COMERCIAL FUTEBOL CLUBE (ARARAS)

CAMPEONATO AMADOR DO ESTADO

CAMPEÃO ESPORTE CLUBE SAMPAIO MOREIRA (SÃO PAULO)
VICE CAMPEÃO ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA XI DE AGOSTO (TATUÍ)
 

CATEGORIA INFANTIL

CAMPEÃO ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE DESPORTOS (SÃO PAULO)
VICE CAMPEÃO SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS (SÃO PAULO)

SPORT CLUB CORINTHIANS PAULISTA (SÃO PAULO)

CATEGORIA JUVENIL – SÉRIE B

CAMPEÃO SPORT CLUB CORINTHIANS PAULISTA (SÃO PAULO)
VICE CAMPEÃO ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE DESPORTOS (SÃO PAULO)

CATEGORIA JUVENIL – SÉRIE A

CAMPEÃO SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE (SÃO PAULO)
VICE CAMPEÃO SPORT CLUB CORINTHIANS PAULISTA (SÃO PAULO)

CATEGORIA MISTOS

CAMPEÃO SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS (SÃO PAULO)
VICE CAMPEÃO ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA SÃO BENTO (SÃO CAETANO DO SUL)

CATEGORIA VARZEANA – CAPITAL

CAMPEÃO ESPORTE CLUBE SAMPAIO MOREIRA (SÃO PAULO)
VICE CAMPEÃO GRÊMIO MARANHENSE (SÃO PAULO)

CATEGORIA AMADOR – 1ª DIVISÃO – CAPITAL

CAMPEÃO VILA PRIMAVERA FUTEBOL CLUBE (SÃO PAULO)
VICE CAMPEÃO ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA AÇUCENA (SÃO PAULO)

TORNEIO DOS CAMPEÕES AMADORES – CAPITAL

CAMPEÃO CLUBE RECREATIVO NITROQUÍMICA (SÃO MIGUEL PAULISTA)
VICE CAMPEÃO ESPORTE CLUBE SAMPAIO MOREIRA (SÃO PAULO)

CAMPEONATO AMADOR DO INTERIOR

CAMPEÃO ATLÉTICO BRASIL CLUBE (PARAGUAÇU PAULISTA)
VICE CAMPEÃO COMERCIAL FUTEBOL CLUBE (ARARAS)

CAMPEONATO AMADOR DO ESTADO

CAMPEÃO CLUBE RECREATIVO NITROQUÍMICA (SÃO MIGUEL PAULISTA
VICE CAMPEÃO ATLÉTICO BRASIL CLUBE (PARAGUAÇU PAULISTA)
 

O Clube Atlético Itajaí conquistou na tarde deste domingo o título de campeão catarinense da Série C. A conquista veio mesmo com a derrota para o Fluminense de Joinville, em Joinville, por 3 a 1. É que no primeiro jogo da decisão, realizado no sábado anterior em Itajaí, o Itajaí goleou o Fluminense por 6 a 2.

Com o título, o Clube Atlético Itajaí garantiu uma vaga na Série B de Santa Catarina em 2017, já que apenas o campeão garante o acesso. O curioso é que este campeonato foi o primeiro disputado pelo Atlético Itajaí, que foi fundado em abril deste ano e já começa sua história com uma importante conquista.

O futebol de Santa Catarina é atualmente um dos mais organizados no Brasil e a Série C teve seis equipes disputando o torneio, sendo que o Santa Catarina, de Imbituba, desistiu do torneio no meio da competição.

Fonte: Futebol Interior

 
CAMPEONATO CLUBE CIDADE
PROFISSIONAL CORITIBA FOOTBALL CLUB CURITIBA
ASPIRANTES ESPORTE CLUBE ÁGUA VERDE CURITIBA
AMADORES CLUBE ATLÉTICO FERROVIÁRIO CURITIBA
JUVENIS CORITIBA FOOTBALL CLUB CURITIBA
2ª DIVISÃO OPERÁRIO SPORT CLUB DO AHÚ CURITIBA
3ª DIVISÃO IPÊ FUTEBOL CLUBE CURITIBA
TORNEIO DO INTERIOR RIO BRANCO SPORT CLUB PARANAGUÁ
 

Além do Campeonato Catarinense de 2015, que foi decidido nos tribunais, listamos sete casos em que o Campeonato Catarinense teve um campeão por motivos extracampo:

1931
O primeiro campeão por W.O
O clube Lauro Müller, de Itajaí, durou apenas 19 anos. O maior feito da equipe foi chegar à final do Catarinense de 1931. Com apenas um ano de história o clube do Itajaí conseguiu tal feito e o duelo prometia ser quente com o Atlético Catarinense, equipe de Florianópolis. A data da decisão foi 24 de janeiro de 1932, porém a Federação Catarinense de Desportos decidiu adiar o jogo por mais uma semana e isso irritou os cartolas do time da Capital. Insatisfeitos, os dirigentes proibiram os jogadores de entrar no campo do Estádio Adolfo Konder, no dia 31 de janeiro, e assim a FCD declarou o Lauro Müller campeão catarinense por W.O.

1942
Exército atrapalha a final
A decisão do Estadual de 1942, teve como finalistas América, de Joinville, e Avaí. Porém, o jogo final nunca aconteceu e o Leão ficou com a taça por conta de um decreto. Os jogadores do time joinvilense foram impedidos de jogar pelo batalhão do exército de viajar para a partida decisiva porque o América tinha no elenco atletas que faziam partida do 13º Batalhão de Caçadores. Assim, o time do Norte do Estado tentou realizar a partida em outra data, ou mesmo em Joinville — onde os jogadores que serviam o exército poderiam jogar —, mas a FCF não cedeu e decretou o Avaí campeão.

1956
Amador campeão profissional
Em 1956, 10 dos principais clubes do Estado criaram a Liga Especial de Futebol Profissional e organizaram seu campeonato Estadual, vencido pelo Paysandu, de Brusque. A Federação Catarinense de Futebol (FCF), embora reconhecesse a iniciativa da Liga, também promoveu a sua competição. O melhor time foi o Operário, time da Usina Metalúrgica de Joinville, uma equipe praticamente amadora. A FCF decidiu unificar os títulos e ainda com protestos do Paysandu, que já tinha dispensado boa parte de seu elenco, realizou uma grande final. Com um plantel remendado, o alviverde brusquense perdeu as duas partidas pra o tricolor de Joinville. O título ficou com o Operário, que mesmo sendo amador tem um troféu profissional na estante.

1963
Marinheiro campeão 20 anos depois de vencer a partida final
O Campeonato Catarinense de 1962 se estendeu até maio de 1963 e consagrou o Metropol, de Criciúma, como tricampeão do Estado. Logo depois do triunfo, a equipe viajou para Europa, onde disputou 23 jogos. Como o Estadual de 1962 se estendeu até 63, a Federação decidiu não fazer Campeonato Catarinense em 1963. Para os clubes não ficarem parados criou o torneio Luiza de Mello — então primeira dama do futebol catarinense, por ser casada com o presidente da FCF, Osni Mello. Com a vitória sobre o Carlos Renaux, de Brusque, o Marcílio Dias garantiu o primeiro lugar e ficou com a taça. Em 1983, a FCF decidiu homologar o Marinheiro como campeão do Estadual de 63 por ter vencido o único torneio organizado em Santa Catarina naquele ano.

1978
Campeonato do artigo 50
O Avaí ficou tão irritado com um pênalti marcado a favor do Joinville, que decidiu abandonar o Catarinense de 1978. O artigo 50 do regulamento do torneio, que tratava do assunto, não esclarecia o que aconteceria com os pontos das partidas que o Leão ainda iria disputar. O JEC terminou em primeiro, porém, a Chapecoense considerou os pontos ganhou do jogo que não teve contra o Avaí e também se proclamou campeã. O caso foi acabar no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Depois de quatro meses de disputa o advogado Waldomiro Falcão conseguiu levar o título para o Tricolor do Norte.

1994
O jogo que terminou com invasão
O Figueirense voltou a ser campeão do Catarinense depois de 20 anos. A ansiedade da torcida era tanta que aos 32 minutos do segundo tempo da partida final contra o Criciúma invadiram o gramado do Estádio Orlando Scarpelli. O Alvinegro vencia por 2 a 0 quando o árbitro Dalmo Bozzano decidiu acabar o jogo, afinal, os torcedores fizeram tanta festa que levaram para casa inclusive as traves do estádio. Depois de uma disputa nos tribunais, o título foi confirmado para o Furacão.

1996
Final em três atos
Campeão do primeiro turno, o JEC precisava vence o jogo final do returno contra a Chapecoense por uma diferença de dois gols para ficar com o título antecipado, caso contrário o título seria definido em dois jogos finais. A partida estava empatada até os 42 minutos do segundo tempo, quando o zagueiro Lucio, do Verdão do Oeste, foi expulso. Depois de muita confusão, o Joinville desempatou. Aos 56, o árbitro João Paulo Araújo não viu o bandeirinha sinalizar a bola da cobrança de escanteio tricolor tinha passado por fora. O JEC marcou o quarto gol, fazendo o Ernestão explodir de alegria. No vestiário, pressionado pelo time visitante o árbitro voltou atrás e a partida terminou 3 a 2 para o Joinville.
Na primeira final, o JEC venceu por 2 a 0. Na véspera da decisão no Regional Índio Condá ninguém dormiu na delegação tricolor. Um foguetório acordou os jogadores do Joinville. Os dirigentes do time do Norte do Estado irritados decidiram voltar para casa. Os torcedores da Chape comemoraram o título, porém, o JEC conseguiu, depois de uma árdua batalha nos tribunais, remarcar o jogo para dezembro de 1996.

Com gols de Marquito e Gilmar Fontana o Verdão foi campeão catarinense pela segunda vez em sua história.

Fonte: DIÁRIO CATARINENSE

 

O campeonato de 1919 da Liga Sportiva Fluminense, entidade oficial do Estado do Rio de Janeiro, foi disputado apenas por clubes da capital (Niterói). O disputa foi realizada em turno único, e o Fluminense Athletico Club, de Icaraí (hoje o clube fica no Centro), foi campeão com 100% de aproveitamento. Uma outra curiosidade: o Ypiranga ainda usava um uniforme azul e branco.

Participantes:
AMERICA Football Club (Niterói-RJ)
ARARIGBOYA Football Club (Niterói-RJ)
BARRETO Football Club (Niterói-RJ)
BYRON Football Club (Niterói-RJ)
CANTO DO RIO Football Club (Niterói-RJ)
FLUMINENSE Athletico Club (Niterói-RJ)
GUARANY Football Club (Niterói-RJ)
NICTHEROYENSE Football Club (Niterói-RJ)
ODEON Football Club (Niterói-RJ)
YPIRANGA Football Club (Niterói-RJ)

Turno único:
01/06/1919    Nictheroyense 0 – 1 Fluminense
01/06/1919    America 2 – 0 Odeon (partida anulada, uma nova foi marcada)
08/06/1919    Byron 2 – 3 Barreto
15/06/1919    Odeon 3 – 2 Ypiranga (partida anulada, uma nova foi marcada)
22/06/1919    Guarany 2 – 2 Canto do Rio
29/06/1919    Ararigboya 0 – 0 America (o America ganhou os pontos da partida)
06/07/1919     Fluminense 3 – 1 Barreto
13/07/1919     Ypiranga 0 – 2 Nictheroyense
14/07/1919     Ararigboya 2 – 0 Guarany
20/07/1919     Byron 2 – 4 Odeon
27/07/1919     America 1 – 2 Canto do Rio
28/07/1919     Odeon 2 – 4 Ypiranga
03/08/1919     Fluminense 5 – 2 Ypiranga
10/08/1919     Barreto 3 – 1 Nictheroyense
17/08/1919     Odeon 2 – 2 America
24/08/1919     Byron 3 – 1 Canto do Rio
31/08/1919     Fluminense 6 – 2 Guarany
07/09/1919     Barreto 3 – 0 Odeon
14/09/1919     Ypiranga 3 – 0 Ararigboya
21/09/1919     Nictheroyense 4 – 2 Byron
28/09/1919     America 2 – 1 Guarany (o Guarany ganhou os pontos da partida)
05/10/1919     Canto do Rio 2 – 3 Ararigboya
12/10/1919     Fluminense 3 – 1 Byron
19/10/1919     Ypiranga 2 – 2 Barreto
26/10/1919     Odeon 2 – 1 Nictheroyense
02/11/1919     Byron 4 – 2 Guarany
09/11/1919     America 0 – 2 Fluminense
15/11/1919     Canto do Rio 2 – 2 Nictheroyense
16/11/1919     Ararigboya 2 – 3 Barreto
23/11/1919     Fluminense 5 – 3 Odeon
30/11/1919     Byron 4 – 2 Ypiranga
07/12/1919     Barreto 3 – 2 Guarany
21/12/1919     America 3 – 1 Nictheroyense
25/12/1919     Ararigboya 1 – 5 Odeon
28/12/1919     Ypiranga 0 – 1 Canto do Rio
11/01/1920     Fluminense 3 – 1 Ararigboya
18/01/1920     Guarany 0 – 8 Odeon
25/01/1920     America 0 – 0 Barreto
01/02/1920     Canto do Rio 0 – wo Odeon (o Odeon não compareceu)
01/02/1920     Byron 0 – wo Ararigboya (o Ararigboya não compareceu)
08/02/1920     Canto do Rio wo – 0 Fluminense (o Canto do Rio não compareceu)
08/02/1920     Nictheroyense wo – 0 Guarany (o Nictheroyense não compareceu)
15/02/1920     Ararigboya wo – 0 Nictheroyense (o Ararigboya não compareceu)
22/02/1920     Ypiranga 4 – 1 America
24/02/1920     Guarany 2 – 0 Ypiranga
29/02/1920     America 3 – 3 Byron
02/03/1920     Canto do Rio 0 – 4 Barreto

Classificação final:

Time                        J    V    E    D   GP   GC    Pts
1.Fluminense         9    9    0   0    28     10    18
2.Barreto                9    6    2    1     22     12    14
3.Odeon                  9    4    1    4     26     19    9
3.Byron                   9    4    1    4     21     22    9
5.Canto do Rio       9    3   2    4    10     16     8
6.Ypiranga              9    3    1    5    17      19     7
6.Nictheroyense      9    3    1    5    11      14     7
6.Guarany               9    3    1    5    10     25     7
6.America               9    2    3    4    10     15     7
10.Ararigboya        9    2    0    7    9       19    4

Obs: Gols de partidas anuladas ou cujos pontos reverteram para o adversário não contabilizados

 

Fonte: Revista Sport Ilustrado

 

Nacional AC de Belém

Contando com a parceria do amigo, jornalista e pesquisador Felipe Costa, conseguimos resgatar alguns times das Séries A e B do futebol paraense entre os anos de 20 a 60.

O primeiro a ser apresentado é o Nacional Athlético Club da cidade de Belém do Pará (PA). Esta equipe participou do Campeonato Paraense entre as décadas de 20 a 40.

A sua grande conquista ficou marcada no ano de 1918, quando se sagrou campeão do Torneio Inicio.

 

Participantes:

  1. Auto Esporte Clube Recreativo – João Pessoa
  2. Botafogo Futebol Clube – João Pessoa
  3. Felipeia Esporte Clube – Santa Rita
  4. Palmeiras Sport Club – João Pessoa
  5. Sport Club João Pessoa – João Pessoa
  6. Treze Futebol Clube – Campina Grande

Todas as partidas foram realizadas em João Pessoa, no estádio do Paraíba Clube, na Av. 1º de Maio, bairro de Jaguaribe. Suspeito que possa ser o mesmo campo do Esporte Clube Cabo Branco, que sediou a imensa maioria das partidas oficiais na capital tabajara até sua demolição em 1957.

Campeonato disputado em dois turnos. Os vencedores dos turnos disputaram uma final em três partidas.

PRIMEIRO TURNO

Data Mandante Placar Visitante
14/04/1940 Palmeiras 1×2 Sport-JP
21/04/1940 Auto Esporte 4×2 Treze
28/04/1940 Botafogo 4×4 Felipeia
05/05/1940 Sport-JP 2×5 Auto Esporte
12/05/1940 Felipeia 2×4 Treze
19/05/1940 Auto Esporte 8×2 Palmeiras
26/05/1940 Botafogo 5×1 Sport-JP
02/06/1940 Felipeia 0×1 Palmeiras
09/06/1940 Sport-JP 1×5 Treze
16/06/1940 Palmeiras 2×2 Botafogo
23/06/1940 Felipeia 0×5 Auto Esporte
30/06/1940 Palmeiras 3×6 Treze
07/07/1940 Auto Esporte 0×1 Botafogo
14/07/1940 Sport-JP 2×10 Felipeia
21/07/1940 Botafogo 2×1 Treze

 

Classificação

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Auto Esporte 8 5 4 0 1 22 7 15
2 Botafogo 8 5 3 2 0 14 8 6
3 Treze 6 5 3 0 2 18 12 6
4 Felipeia 3 5 1 1 3 16 16 0
5 Palmeiras 3 5 1 1 3 9 18 -9
6 Sport-JP 2 5 1 0 4 8 26 -18

 

Desempate

Data Mandante Placar Visitante
28/07/1940 Auto Esporte 0×2 Botafogo

Botafogo sagrou-se campeão do primeiro turno. O Sport não jogou o segundo turno, não se sabe se o clube desistiu ou se o regulamento previa a eliminação do último colocado.

SEGUNDO TURNO

Data Mandante Placar Visitante
11/08/1940 Felipeia 3×4 Botafogo
18/08/1940 Palmeiras 4×2 Auto Esporte
25/08/1940 Felipeia 3×1 Treze
01/09/1940 Auto Esporte 4×2 Felipeia
15/09/1940 Palmeiras 0×5 Treze
22/09/1940 Palmeiras 1×4 Felipeia
29/09/1940 Botafogo 0×1 Treze
06/10/1940 Botafogo 6×1 Palmeiras
20/10/1940 Auto Esporte 0×2 Treze
27/10/1940 Botafogo 4×3 Auto Esporte

 

Classificação

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Botafogo 6 4 3 0 1 14 8 6
2 Treze 6 4 3 0 1 9 3 6
3 Felipeia 4 4 2 0 2 12 10 2
4 Auto Esporte 2 4 1 0 3 9 12 -3
5 Palmeiras 2 4 1 0 3 6 17 -11

 

Desempate

Rodada Data Mandante Placar Visitante
1 30/10/1940 Botafogo 2×2 Treze
2 10/11/1940 Botafogo 3×3
(1×2 pro.)
Treze

Treze sagrou-se campeão do segundo turno.

FINAL

Rodada Data Mandante Placar Visitante
1 15/11/1940 Botafogo 3×1 Treze
2 24/11/1940 Botafogo 3×5 Treze
3 29/12/1940 Botafogo 3×6 Treze

 

Com estes resultados, o TREZE FUTEBOL CLUBE sagrou-se, pela primeira vez, Campeão Paraibano de futebol.

Classificação final:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Treze 16 12 8 0 4 39 24 15
2 Botafogo 16 12 7 2 3 37 28 9
3 Auto Esporte 10 9 5 0 4 31 19 12
4 Felipeia 7 9 3 1 5 28 26 2
5 Palmeiras 5 9 2 1 6 15 35 -20
6 Sport-JP 2 5 1 0 4 8 26 -18
 

PRELIMINARES

1ª REGIÃO

DATA

LOCAL

18.11.1956

RONDÔNIA

2

X

1

ACRE PORTO VELHO

18.11.1956

AMAPÁ

1

X

0

RIO BRANCO BOA VISTA

25.11.1956

ACRE

2

X

1

RONDÔNIA (1-0 PR) RIO BRANCO

25.11.1956

AMAPÁ

1

X

1

RIO BRANCO MACAPÁ

02.12.1956

AMAPÁ

1

X

1

PARÁ MACAPÁ

02.12.1956

AMAZONAS

6

X

1

RONDÔNIA PORTO VELHO

09.12.1956

PARÁ

4

X

0

AMAPÁ BELÉM

09.12.1956

AMAZONAS

4

X

0

RONDÔNIA MANAUS

16.12.1956

AMAZONAS

1

X

0

PARÁ MANAUS

23.12.1956

PARÁ

3

X

0

AMAZONAS (4-0 PRO) BELÉM

2ª REGIÃO

DATA

LOCAL

18.11.1956

MARANHÃO

4

X

2

CEARÁ SÃO LUÍS

18.11.1956

RIO GRANDE DO NORTE

4

X

0

PIAUÍ NATAL

25.11.1956

CEARÁ

3

X

0

MARANHÃO (3-1 PRO) FORTALEZA

25.11.1956

RIO GRANDE DO NORTE

2

X

1

PIAUÍ TERESINA

02.12.1956

RIO GRANDE DO NORTE

3

X

1

CEARÁ NATAL

09.12.1956

CEARÁ

1

X

0

RIO GRANDE DO NORTE (1-0 PRO) FORTALEZA

16.12.1956

PERNAMBUCO

2

X

0

CEARÁ RECIFE

23.12.1956

PERNAMBUCO

1

X

0

CEARÁ FORTALEZA

3ª REGIÃO

DATA

LOCAL

18.11.1956

ALAGOAS

2

X

2

PARAÍBA MACEIÓ

18.11.1956

ESPÍRITO SANTO

2

X

1

SERGIPE ARACAJU

25.11.1956

PARAÍBA

2

X

2

ALAGOAS (2-0 PRO) JOÃO PESSOA

25.11.1956

ESPÍRITO SANTO

2

X

1

SERGIPE VITÓRIA

02.12.1956

PARAÍBA

0

X

0

ESPÍRITO SANTOS JOÃO PESSOA

12.12.1956

ESPÍRITO SANTO

2

X

1

PARAÍBA VITÓRIA

16.12.1956

BAHIA

4

X

1

ESPÍRITO SANTO VITÓRIA

23.12.1956

BAHIA

3

X

1

ESPÍRITO SANTO SALVADOR

4ª REGIÃO

DATA

LOCAL

18.11.1956

GOIÁS

2

X

1

MATO GROSSO GOIÂNIA

25.11.1956

MATO GROSSO

2

X

2

GOIÁS CUIABÁ

02.12.1956

GOIÁS

2

X

0

RIO DE JANEIRO GOIÂNIA

02.12.1956

PARANÁ

3

X

1

SANTA CATARINA FLORIANÓPOLIS

09.12.1956

RIO DE JANEIRO

0

X

0

GOIÁS CAMPOS

09.12.1956

PARANÁ

2

X

1

SANTA CATARINA CURITIBA

16.12.1956

GOIÁS

0

X

0

PARANÁ GOIÂNIA

23.12.1956

PARANÁ

5

X

2

GOIÁS CURITIBA

SEMIFINAIS

DATA

LOCAL

13.01.1957

DISTRITO FEDERAL

3

X

0

PARÁ BELÉM

13.01.1957

MINAS GERAIS

1

X

0

BAHIA SALVADOR

13.01.1957

SÃO PAULO

8

X

0

PARANÁ SÃO PAULO

17.01.1957

PERNAMBUCO

2

X

1

RIO GRANDE DO SUL RECIFE

20.01.1957

DISTRITO FEDERAL

6

X

0

PARÁ RIO DE JANEIRO

20.01.1957

MINAS GERAIS

4

X

3

BAHIA BELO HORIZONTE

20.01.1957

PARANÁ

0

X

0

SÃO PAULO CURITIBA

24.01.1957

RIO GRANDE DO SUL

5

X

1

PERNAMBUCO PORTO ALEGRE

26.01.1957

PERNAMBUCO

2

X

1

RIO GRANDE DO SUL PORTO ALEGRE

FINAIS

DATA

LOCAL

27.01.1957

SÃO PAULO

2

X

1

MINAS GERAIS SÃO PAULO

03.02.1957

PERNAMBUCO

0

X

0

DISTRITO FEDERAL RECIFE

06.02.1957

SÃO PAULO

2

X

0

PERNAMBUCO RECIFE

07.02.1957

MINAS GERAIS

2

X

2

DISTRITO FEDERAL BELO HORIZONTE

10.02.1957

PERNAMBUCO

1

X

0

MINAS GERAIS RECIFE

10.02.1957

DISTRITO FEDERAL

4

X

0

SÃO PAULO RIO DE JANEIRO

13.02.1957

SÃO PAULO

3

X

1

MINAS GERAIS BELO HORIZONTE

13.02.1957

DISTRITO FEDERAL

4

X

0

PERNAMBUCO RIO DE JANEIRO

17.02.1957

DISTRITO FEDERAL

2

X

2

MINAS GERAIS RIO DE JANEIRO

17.02.1957

SÃO PAULO

3

X

1

PERNAMBUCO SÃO PAULO

23.02.1957

MINAS GERAIS

4

X

2

PERNAMBUCO BELO HORIZONTE

23.02.1957

SÃO PAULO

2

X

0

DISTRITO FEDERAL SÃO PAULO

CAMPEÃO – FEDERAÇÃO PAULISTA DE FUTEBOL

© 2017 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha