Em 1960 o Iraty Sport Club disputa pela primeira vez o
Campeonato Paranaense na Zona Centro Sul, ocupando uma posição
intermediária na tabela de classificação. Abaixo a sua campanha:

13.03.1960
Iraty 3x2 Caramuru (Castro), em Irati
27.03.1960
Iraty 2x2 Operário (Ponta Grossa), em Ponta Grossa
03.04.1960
Iraty 0x2 Guarani (Ponta Grossa), em Irati
10.04.1960
Iraty 0x6 Coritiba (Curitiba), em Curitiba
17.04.1960
Iraty 2x1 Atlético (Curitiba), em Irati
30.04.1960
Iraty 2x3 Água Verde (Curitiba), em Curitiba
15.05.1960
Iraty 1x2 Rio Branco (Paranaguá), em Paranguá
24.05.1960
Iraty 1x0 Ferroviário (Curitiba), em Irati
05.06.1960
Iraty 2x0 Britânia (Curitiba), em Curitiba
12.06.1960
Iraty 5x3 Palestra Itália (Curitiba), em Irati
19.06.1960
Iraty 2x1 Bloco Morgenau (Curitiba), em Irati
03.07.1960
Iraty 0x2 Operário (Ponta Grossa), em Irati
10.07.1960
Iraty 2x1 Bloco Morgenau (Curitiba), em Curitiba
24.07.1960
Iraty 1x5 Atlético (Curitiba), em Curitiba
07.08.1960
Iraty 1x2 Rio Branco (Paranaguá), em Irati
13.08.1960
Iraty 3x0 Ferroviário (Curitiba), em Curitiba
03.09.1960
Iraty 1x1 Palestra Itália (Curitiba), em Curitiba
07.09.1960
Iraty 0x1 Coritiba (Curitiba), em Irati
11.09.1960
Iraty 0x0 Caramuru (Castro), em Castro
16.10.1960
Iraty 2x3 Guarani (Ponta Grossa), em Ponta Grossa
23.10.1960
Iraty 3x0 Britânia (Curitiba), em Irati
30.10.1960
Iraty 0x0 Água Verde (Curitiba), em Irati
Fonte: Arquivos do Autor
 

O Vila Inah Esporte Clube foi uma agremiação esportiva fundada em 26 de março de 1943. Sua sede estava situada no bairro de Santa Quitéria. os homens que participaram de sua fundação foram: Feliciano Batista Scussiato, David Scuissiato, Abel Scuissiato, Luiz Scuissiato, Ambrósio Scuissiato, Natálio Scussiato (Nadir), João Scuissiato, Augusto Scuissiato, Benevenuto Tosin, Guilherme Kintop, Reinaldo Richter, José Stopinski, Miguel Parra, Darci de Lazzari, João Grden, João de Mil, Humberto Cantarelli, Valdemar Schultz, Argemiro de Souza, João Soares e outros.

Sua diretoria ficou assim constituída:

Presidentes: Feliciano Batista Scussiato, Antenor Ferreira de Souza, Darci de Lazzari, José Atalla, José Leite.
Diretores: Eduardo Antonio de Oliveira (Nêne), Manoel José Correa (Maneco), Lauro Hey, Antonio de Almeida Torres (Nenê Torres), Walmir Martins Brandão, Celso Leitoles, Paulino Leitoles, Altair Antonio Demio (Taico), Laertes Wille, Lino Scussiato, Baldonier Juarez Agostinho (Nhê), Luiz Stopinski (Zeninho), Cesar Duda, João Belo (Joanito), Evaristo Marquetti, Lourival Stopinski (Loro), Manoel Leocadio Serra (Maninho), Vicente Carraro, Afonso Schultz (Zé Raimundo), Vitalino Massinhã (Vitalo), Arnoldo Tozin (Nordo), e outros.

O nome da equipe foi em homenagem a senhora Inah Mader, esposa do Dr. Otto Mader, que loteou em 1935 a área denominada Loteamento Vila Inah. Suas cores eram verde e branco, com o campo de futebol situado onde hoje é a Praça Francisco R. A. de Macedo em Santa Quitéria. O terreno de sua sede social na rua Capiberibe foi adquirido de João Pedro Micheleto por 60 mil cruzeiros, valor este dividido entre 60 sócios beneméritos que contribuíram com hum mil cruzeiros cada, tendo na presidência do clube, Feliciano Batista Scussiato.

Sua 1ª partida foi em 1945, e teve como local e adversário o Vila Izabel F.C., do presidente Rochinha, com o resultado de 2×2, com os dois belíssimos gols assinalados pelo centro-avante Feliciano Batista Scussiato. O time entrou em campo com: Vatalino Massinhã (Vitalo)-Augusto-Toni-Darci-Claudio Tosin-Lauro-Luiz-Luiz Stopinski (Zeninho)-Clemir Vieira-Manoel José Correa (Maneco)-Feliciano Batista Scussiato-Arnoldo Tosin; técnico Eduardo Antonio de Oliveira (Nêne).

Nos dias de jogos no campo em Santa Quitéria, o locutor oficial Feliciano Batista Scussiato, no começo da manhã acordava os moradores através do “serviço de alto-falante verde e branco do alto da colina de Santa Quitéria” com músicas: Cisne Branco, Porta Aberta, O Ébrio, Serra da Boa Esperança, Boa Noite Amor, Rosas ao Pé da Cruz, Lábios que Beijei e tangos de Gardel, com cornetas direcionadas para que todos os moradores da região fossem informados e convidados a participar do delicioso churrasco à venda e das partidas de futebol contra o BECA (Bloco Esportivo Capão D’Amora), Seminário, São Jorge, Novo Mundo, Tamoio, Batelzinho, Capão Raso, Ipê, Vila Leão, Vila Izabel, Nova Orleans,São Braz, Lisboa, Campo da Cruz, Peñarol, Juventude, etc.

A 1ª excursão do time de futebol do Vila Inah E.C. foi realizada em 1945,  para jogar em Jaguariaíva-PR, contra o Esporte Clube Recreativo Ferroviário, tendo a lotação do Antonio de Almeida Torres (Nenê Torres) como transporte, na estrada macadamizada Curitiba-Jaguariaíva.
Foram 10 horas de viagem naquele sábado. Hospedagem no Hotel Jaguariaíva. No hotel havia um papagaio que gritava o tempo todo: o Ferroviário já ganhou.

Na tarde de domingo a Rádio local transmitiu a vitória do Vila Inah E.C. por 3×2, que jogou com Vitalino Massinhã (Vitalo)-Claudio Tosin-Clemir Vieira-Waldemiro de Souza (Vado)-Ariovaldo de Souza (Formiga)-Luiz Stopinski (Zeninho)-Carlos Tosin (Carlito)-Afonso Schultz (Zé Raimundo)-Nego Darci-Arnoldo Tosin-Raul Schultz (Banhe), tendo Ariovaldo de Souza (Formiga) marcado os 3 tentos.
Arnoldo Tosin (Nordo) jogava no E.C. Agua Verde e participou desta partida gentilmente cedido pelo clube profissional. Também neste jogo houve o 1º gol contra da história do Vila Inah E.C., o zagueiro Clemir Vieira no aperto e pressão do Ferroviário, dá uma “bicicleta”, que vai no ângulo esquerdo do goleiro Vitalino Massinhã (Vitalo). Após a brilhante vitória, comemorada pelo freguês da Ferroviário, a Associação Atlética Matarazzo, fogos de artifício, jantar, cantoria e o retorno cansativo da volta a Santa Quitéria.

Participou dos campeonatos citadinos de futebol amador de Curitiba de 1952 a 1970, quando da fusão com o Ipê F.C. passando a ser União Santa Quitéria em 1971.

Na 3ª divisão foi:

  • Campeão do Aspirante em 1962, tendo 44 concorrentes.
  • Campeão do Torneio Início e do campeonato em 1963 que contou com 46 equipes disputantes, com Altair Antonio Demio (Taico)- Laertes Wille-Haroldo Luiz Ribas-Davi Belo-Levir-Baldonier Juarez Agostinho (Nhê)-Luiz Carlos Ribas-Chiquinho-Altevir Stopinski-Antonio Carlos de Almeida (Ico)-José Anacleto Senter-Dario.
  • Bi-campeão do 1º quadro e Campeão de Aspirante em 1964 com 45 clubes na disputa, com Altair Antonio Demio (Taico)-Rui Gil Langowski (Rogil)-Túllio Cettina-Davi Belo-Darci Tesseroli (Pinguim)-Luiz Carlos Ribas-Altevir Stopinski-Pedro Luis da Silva (Taraíra)-Valdir Antônio Ribas-José Anacleto Senter-Percival Brandão (Percinho).
  • Bi-campeão do Aspirante em 1965, tendo 32 concorrentes, com Antoninho-Edson-Túllio Cettina-Darci Tesseroli (Pinguim)-Bolivar de Paula Nascimento-Osmar-Sidney Alves (Laco)-Augusto Sczepinski (Agostinho)-Pedro Luis da Silva (Taraíra)-Valdir Antônio Ribas-Guerrino Cettina-Arion-Jeferson Gonçalves do Nascimento (Tito).
  • Em todos estes títulos o técnico foi Eduardo Antonio de Oliveira (Nêne)
  • Campeão do campeonato juvenil da Rádio Marumbi em 1964, com Isidro Ballesca Redondo (Espanhol)-Madjo Knaut-Disco-Dinho-Milton-Zuza-Gilmar Hugo Rios-Bolacha-Joacir Duda (Krim)-Sapo-Índio-Edson Tozin (Edo)-Lauro-Caqui-Bimba-Dionisio Carrao-Adalberto de Barros Loyola Junior (Dalbertinho), tendo Celino Stopinski (Tutuca) como técnico e presidente José Atalla.

Acervo/Pesquisa: Mario Richter/Douglas Julio Toppel Reinaldim/Futebol do Paraná 100 anos de história (Heriberto Ivan Machado-Levi Mulford Chrestenzen)

Desenho do escudo e uniforme por Sergio Mello, jornalista e pesquisador.

 

O Palmeira Futebol Clube foi uma agremiação esportiva fundada em 07 de setembro de 1917, com o nome de Brasil Sport Club. Em 1933 trocou de nome para Palmeira FC. Sua sede ficava na rua Barão de Campos Gerais, no bairro do Juvevê. Como Brasil S.C. foi campeão suburbano em 1919 e jogou a 1ª divisão do campeonato paranaense em 1930. Como Palmeira F.C. a equipe foi Bi-Campeão suburbana em 1940/1942. Após trocar de nome só retornou a jogar os campeonatos a partir de 1937. Segue resumo de suas participações:

1937 – Liga Suburbana de Futebol (LSF)
1938 – Liga Curitibana de Futebol (LCF)
1939 – Liga Curitibana de Futebol (LCF)
1940 – Liga Curitibana de Futebol (LCF) – Campeão
1941 – Liga Curitibana de Futebol (LCF) – Vice
1942 – Liga Suburbana de Curitiba (LSC) – Campeão

Campanhas dos títulos:

1940 - Liga Curitibana de Futebol (LCF)Campeão Invicto - 8J – 5V – 3E – 0D – 19GP – 6GC – 13PG

05 Participantes: Palmeira FC; Clube dos Espartanos; C.A. Comercial; Madureira EC; Guarani AC.

Espartanos – 3-1 e 3-0
Comercial – 1-1 e 3-1
Madureira 2-2 e 0-0
Guarani – 2-0 e 5-1
 
Time Campeão: Jorge, Grané,Sandoval, Ricardo, Rui, Hercídio, Chepa, Dado, Maupa, valdi e Moque.
Reservas: Gandula, Molecão, Hermanito, Vile e Bigode.

1942 – Liga Suburbana de Curitiba (LSC)Campeão – 13J – 10V – 1D – 2E – 46GP – 16GC – 22PG

23 participantes: Palmeira FC; Botafogo FC; CA Comercial; Flamengo FC; BE Morgenau; Paraná SC; CA Primavera; Fluminense FC; Madureira EC; União Ahu FC; BE União Portão; Tupan FC; Ipiranga FC; Rio Branco SC; Vasco da Gama FC; CE Belmonte; GE 5 de Maio; Clube dos Espartanos; América FC; Operário SC do Ahu; Palestra Assungui SC; Vera Cruz FC; SOBE Iguaçu.

1ª Fase
Tupan 3-0
Flamengo 1-1
Comercial 2-1
Botafogo 2-3
B. Morgenau 2-1
Primavera 3-3
Paraná 7-0
Fluminense 4-1
Madureira 8-2
União Portão 5-1
União Ahú 4-1
 
Finais
Ipiranga 2-1 e 3-1
Artilheiro do campeonato – Butsi (Palmeira FC) – 14 gols.

Time Base: Jorge (Quadrado), Grané, Nenê, Sebastião, Davi (Hermanito), Alfredo (Hercídio), Cláudio, Chepa, Jorginho, Butsi e Canhoto.

Em 1943 a equipe foi extinta, após não comparecer ao Torneio Início da Liga Suburbana. Na mesma data enfrentou o Coritiba em um amisto. Alegou que não recebeu ofício da liga sobre o torneio.

Agradecimento especial ao Sr Levi Mulford Chrestenzen com seu depoimento para redesenho do escudo e cores do uniforme. Agradecimento especial ao jornalista e pesquisador Sergio Melho pelo redesenho dos mesmos.

Fontes:

Arquivos de Levi Mulford Chrestenzen
Recortes do jornal Tribuna do Paraná
Livro “Futebol do Paraná – 100 anos de história” (2005) – Heriberto ivan machado e Levi Mulford Chrestenzen
 

O Brasil Sport Club foi uma agremiação esportiva da cidade Curitiba-Pr, fundada em 07 de setembro de 1917. Sua sede ficava no bairro do Juvevê. Disputou os campeonatos suburbanos da capital paranaense por muitos anos. Já no seu primeiro campeonato em 1919 a equipe sagrou-se campeã suburbana da recém reorganizada Liga Sportiva Municipal (LSM). O campeonato contou com 10 participantes: Brasil SC; Elite FC; Aimoré FC; Ipiranga FC; Pinheiro SC; Torino FC; Belo Horizonte; Paraná SC; Tiradentes FC e Americano.

Após o título a equipe só retornaria a jogar a suburbana em 1922 – Liga Sportiva Curitibana (LSC); 1923 - Liga Sportiva Municipal (LSM). Após um hiato de 4 anos a equipe retorna em 1928 - Liga Curitibana de Desportos (LCD).

Em 1929 a equipe se inscreve para jogar o campeonato Estadual organizado pela Federação Paranaense de Desportos (FPD). O Brasil S.C. iria pela primeira vez enfrentar os grandes da cidade. Em um campeonato que reuniu 8 equipes a equipe Auriverde terminou em um honroso 5º lugar, atrás apenas dos 4 grandes (Atlético, Palestra Itália, Britânia e Coritiba).

Campanha do Brasil SC em 1929:

Turno

28/04 – Brasil 1-4 Palestra Itália
13/05 – Bangu 2-1 Brasil
16/06 – Coritiba 4-1 Brasil
07/07 – Atlético 4-1 Brasil
28/07 – Brasil 4-1 Paranaense
11/08 – Britânia 2-2 Brasil
25/08 – Brasil 6-0 Aquidaban

Returno

24/11 – Palestra Itália 3-0 Brasil
15/12 – Brasil 1-5 Coritiba
29/12 – Brasil 3-4 Britânia
19/01/1930 – Brasil 2-2 Atlético
26/01/1930 – Brasil 3-1 Bangu

3V – 2E – 7D – 25 GP – 32GC – 8PG – 16PP

A equipe consegui empates importantes frete ao Atlético e ao Britânia.

Após se aventurar entre os grandes a equipe retornou aos campeonatos suburbanos em 1932 – Liga Suburbana Independente (LSI) e 1933 – Liga Independente Suburbana de Curitiba (LISC). No fim de 1933 a equipe muda seu nome e passa a denominar-se Palmeira FC e voltaria a vencer os campeonatos suburbanos em 1940 e 1942. Mas essa História merece um capítulo à parte…

Fontes:

- Arquivos de Levi Mulford Chrestenzen
- Recortes do jorna Tribuna do Paraná 07/09/1959
- Livro Futebol do Paraná – 100 anos de História (2005) – Heriberto Ivan Machado e Levi Mulford Chrestenzen
 
Agradecimento especial ao depoimento do Sr Levi com informaçoes do escudo e do uniforme e ao Jornalista e Pesquisador Sergio Mello pelo redesenho dos mesmos.

 

 

 

 
No dia 21 de abril de 1959, tomou posse a nova diretoria do Clube Atlético Mato-grossense, para o biênio 1959/60:
 
Presidente: Áureo Matozo
Presidente de Honra: José Garcia Neto
1º Vice-Presidente:  Manoel Viera da Silva
2º Vice-Presidente:  Fabiano Biancardini
3º Vice-Presidente:  Luiz Assad Haddad
1º Tesoureiro: Décio Matozo
2º Tesoureiro: Eutiquio Bom Despacho Silva
1º Secretário: Makariozenagape João dos Santos Pires
2º Secretário: Hélio Paes de Arruda
Diretor Social: Luiz B. Maia
Diretor de Esportes: José Bardauil
Conselho Fiscal: Emilio Valqued, Benjamim Eubank, Rutênio da Silva, Lizandro P. de Souza, Fábio Corrêa, Acy Matozo
Conselho Deliberativo: Paulo L. Epaminondas, Domingos Valério, Alberto Chiavelli, Alberto Ritcher, Francisco Aurélio Campos, Hernan Centrurion, Eliseu Cerisara, João F. Silveira, Olímpio M. C. Silva, J. Pinto de Barros, Bento Machado Lobo, Filadelfo Z. de Souza, Antônio M. Bicudo, Zoroastro F. Braz, Nelson Padilha da Costa, Agostinho Dorileo e José Rodrigues do Prado
 
 
Fonte: Jornal o Estado de Mato Grosso e Arte de Sérgio Mello
 
 

Em 6 de novembro de 1952, numa casa situada a rua Sátiro Dias, no bairro da Guarita em Natal, com a presença de 32 ferroviários (entre engenheiros, diretores e demais funcionários) era fundado o FERROVIÁRIO ESPORTE CLUBE. Na realidade o clube foi fundado com o nome de TRAÇÃO ESPORTE CLUBE e sua mudança ocorreu posteriormente, conforme nota publicada nos jornais da época sobre a fundação do terceiro clube dos ferroviários da Estrada de Ferro Sampaio Corrêa.

A finalidade da reunião era a união dos funcionários da Rede Ferroviária em torno de uma associação esportiva. Esta primeira assembléia foi realizada sobre um clima de tristeza, pois nesta mesma data 2 ferroviários tinham falecido em um acidente quando manobravam a locomotiva nº 208.

Assinaram a ata de fundação os srs. José Sotero Sobrinho, Antonio José da Silva, Francisco Mariano de Souza, Nelson Luzia, Geraldo Sales, José Pereira Alves, Severiano Estevam dos Santos, Reginaldo Bento da Silva, José Euiripedes de Vasconcelos, Januário Sotero da Silva, José Moura de Vasconcelos, Joaquim Castriciano de Brito, Josué Fernandes Primo, Manoel David Bezerra, José da Penha Siqueira Costa, Francisco Pereira Feitosa, Manoel Laurindo da Silva, José Francisco de Souza e Aluízio Menezes de Melo.

Na oportunidade foi eleita a primeira diretoria que ficou assim constituída:

Presidente de Honra – Engenheiro João Galvão de Medeiros
Presidente – José Sotero Sobrinho
Vice Presidente – Antonio José da Silva
Secretário – Francisco Mariano da Silva
Tesoureiro – Januário Sotero da Silva
Diretor de Esportes – José Pereira Alves
Diretor Social – Severino Estevam dos Santos
Orador – José Moura de Vasconcelos

Os estatutos do novo clube sómente foram registrados no Diário oficial em 1960, na gestão do presidente Aluízio Menezes de Melo. Em seus primeiros anos de vida, o clube participou apenas de amistosos e no final da década de 50 se inscreveu na Liga Desportiva do Bairro das Quintas, onde conquista seu último título amador em 1960. Após esta conquista e já contando com uma base sólida de associados (na época 535 sócios pagantes) e boa situação financeira, o clube solicita filiação junto a Federação Norte-riograndense de Desportos, sendo aceito seu pedido conforme boletim oficial divulgado em 29 de dezembro de 1960.

Disputa o Campeonato Potiguar durante o período de 1961 até 1980. Abaixo a tabela de participações do clube durante este período:

 

Ano

Jogos

Vitórias

Empates

Derrotas

Gols Marcados

Gols Sofridos

1961

15

02

01

12

14

43

1962

14

04

01

09

15

31

1963

14

03

04

07

20

25

1964

17

08

02

07

33

24

1965

16

07

01

08

22

25

1966

12

04

02

06

18

26

1967

10

00

01

09

04

28

1968

10

02

01

07

06

14

1969

18

05

05

08

27

38

1970

19

06

01

12

27

51

1971

07

00

03

04

04

16

1972

12

00

03

09

07

29

1973

12

00

07

05

04

21

1974

06

00

00

06

02

19

1975

06

00

01

05

02

22

1976

08

00

02

06

05

20

1977

10

01

01

08

04

31

1978

12

02

00

10

11

36

1979

12

03

04

05

15

18

1980

17

08

07

02

34

13

1981

11

01

02

08

05

23

 

Durante sua participação na divisão principal do futebol potiguar, a equipe realiza campanhas modestas. Suas maiores conquistas foi o título do Torneio Início de 1964 e a conquista da Série B (2ª divisão) em 1980.

 

Manchete sobre o título do Torneio Início de 1964

Nota-se na camisa do goleiro o nome Ferroviário Esporte Clube (1964)

Observa-se a partir do início da década de 70, a queda acentuada em suas participações. Este fato deve-se a uma série de fatores: custos maiores para manter o futebol profissional, falta de torcedores, queda do número de sócios e desinteresse de dirigentes em dirigir o clube.

Ao final do campeonato de 1981, a equipe comunica a Federação que não iria disputar a partida de 11 de outubro contra o Baraúnas, por falta de dinheiro para custear a viagem e ao mesmo tempo dá entrada no pedido de licenciamento por dois anos. No mês seguinte o clube é envolvido de forma indireta no escândalo da loteria esportiva por uma vitória sobre o ABC (aliás a única na competição), onde houve suspeita de suborno aos jogadores do ABC para facilitar a vitória da equipe ferroviária. Com isto a equipe afasta-se definitivamente das competições e logo depois desaparece para sempre.

Cabe salientar, que dentro a grande maioria de clubes representativos dos ferroviários, este foi um dos poucos que não recebeu nenhuma ajuda financeira da rede Ferroviária. Foi mantido pelas mensalidades não obrigatórias dos sócios e ajuda financeira de seus abnegados.

 Ferroviário Esportivo Clube x Clube Ferroviário de Natal

Existe uma dúvida entre os pesquisadores sobre o verdadeiro nome da equipe. Circula na internet um escudo e o nome de Clube Ferroviário de Natal. Existe a dúvida se o clube mudou durante sua vida de nome, entretanto em nossas pesquisas, através de boletins oficiais da Federação, da Confederação Brasileira de Desportos e editais de convocação de assembléia do clube, sempre aparece o nome FERROVIÁRIO ESPORTE CLUBE. A última citação do clube em boletins oficiais ocorreu em 07 de junho de 1981 e a equipe ao final do ano foi desfeita, portanto não seria possível fazer a mudança para as disputas já em andamento da competição, além de que naquela época não era uma prática freqüente a mudança de nome para não assumir as dívidas assumidas.

Existem ao longo da existência do clube, a publicação de diversos boletins oficiais publicados em jornais potiguares, pois era a forma de comunicação da época e em todos estes boletins o nome permanece o mesmo. Abaixo seguem boletins e convocações do período de existência do clube, para ilustrar o fato. Não são notas ou artigos de jornalistas, que podem por muitas vezes trocar ou confundir os nomes de algum clube, mas boletins oficiais publicados nos jornais em sua formatação original, o que não deixa dúvida quanto a veracidade dos documentos e que durante sua existência manteve-se fiel ao nome original. Sobre a existência ou não deste Clube Ferroviário de Natal, aí é motivo de uma nova pesquisa. Evitei nestas pesquisas, me basear em blogs e sites, pois hoje a grande maioria não passa de reprodutores de informações incorretas coletadas na internet,  centralizei em documentos oficiais para tentar evitar erros. Finalmente saliento que em pesquisas nos jornais disponíveis e em contato com pesquisadores locais, não foi mencionado ou não é de conhecimento a existência deste clube, mas continuaremos a pesquisa…

Quanto ao escudo original do clube, ao que me parece o mais próximo do correto seria o abaixo. A pesquisa de escudos não é o meu foco, mas este espaço fica aberto a opiniões e comentários.

Fontes: Diário de Natal, O Poti, Livro “Esportes em Natal” de Procópio Neto, Livro “Da bola de pito ao apito final” de Everaldo Lopes, Marcos Trindade (Natal/RN), Boletins oficiais da FND/FNF

 
Presidentes de Honra: Dr. Antônio de Cerqueira Pereira Leite e Dr. Manoel José de Arruda
Presidente: Guilherme Garcia
Vice-Presidente: Ten. Otiles Moreira da Silva
2º Vice-Presidente: Dr. Paulo Vilá
1º Secretário: Joaquim Francisco de Assis
2º Secretário: Felix Lopes de Almeida
1º Tesoureiro: José de Carvalho
2º Tesoureiro: Jesus Adherbal de Figueiredo
 
 
 
 
Fonte: Jornal O Estado de Mato Grosso
 
No dia 07 de outubro de 1913 tomou posse a primeira diretoria da história de um clube de futebol em Cuiabá. Trata-se do Cuyabá Foot-ball Club, que elegeu os seguintes nomes:
 
Presidente: Professor Leovegildo Martins de Mello
Vice-Presidente: Carlos Brandes
Thesoureiro: José de Souza Vieira
Secretário: Alcindo de Siqueira
 
 
 
Fonte: Jornal O Debate
 
 

 

O Luverdense Esporte Clube, fundado em 24 de janeiro de 2004. Em seus 14 anos de existência tornou-se um dos principais clubes de Mato Grosso, juntamente com o Cuiabá. Conquistou os Campeonatos Mato-grossenses de 2009, 2012 e 2016; Copa Governador de 2004, 2007 e 2011; Copa Pantanal 2011 e Copa Verde 2017. O primeiro jogo da história do clube aconteceu em 15 de fevereiro de 2004, em um amistoso contra a Seleção de Nova Mutum. A equipe de Lucas do Rio Verde venceu pelo placar de 2 a 0. Crister foi o autor do primeiro gol. Abaixo a ficha técnica da partida:
 
Luverdense 2 x 0 Seleção de Nova Mutum
Data: 15/02/2004
Validade: Amistoso
Local: Nova Mutum
Árbitro: Não divulgado
Gols: Cristhian e Manoel
Luverdense: Aylan, Chiba, Cacá, Souza, Jackson, Dudé, Fernando Becker, Chocolate, Reinaldo, Crister e Manoel. Técnico: Gilmar Ferreira
 
 
Fonte: Jornal A Gazeta

 

 
Presidente: Guilherme da Costa Garcia
Vice-Presidente: Salustiano Pereira da Silva
1º Secretário: João Pereira Fernandes
2º Secretário: Gumercindo Alves C. Filho
1º Tesoureiro: Francisco de O. Fortes
2º Tesoureiro:  Mirairtsi Sá Costa
Diretor Esportivo: Edmundo Souza de Carvalho
Preparador Físico: José Carlos de Oliveira
Supervisor: Gerônimo José Teixeira Neto
 
 
 
Fonte: Jornal O Estado de Mato Grosso
© 2018 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha