BLUMENAU ESPORTE CLUBE 
CAMPEÃO CATARINENSE SÉRIE C 2017

O Campeonato Catarinense da Série C de 2017 foi realizado no período de 21 de maio a 5 de agosto e teve como campeão o Blumenau Esporte Clube, que garantiu o acesso para a Série B de 2018. Além do Blumenau, participaram do certame as seguintes equipes: Curitibanos/Orleans, Caçador, Imbituba e Porto.

TABELA DE JOGOS

Turno

21/05/2017 – Imbituba 2 x 0 CEC/Orleans

21/05/2017 – Caçador 1 x 4 Blumenau

28/05/2017 – Porto 1 x 3 CEC/Orleans

28/05/2017 – Blumenau 3 x 1 Imbituba

04/06/2017 – Porto 2 x 1 Caçador

04/06/2017 – CEC/Orleans 2 x 2 Blumenau

11/06/2017 – Blumenau 3 x 0 Porto

11/06/2017 – Caçador 2  x 3 Imbituba

18/06/2017 – Imbituba 2 x 2 Porto

18/06/2017 – CEC/Orleans 1 x 0 Caçador

Returno

25/06/2017 – Porto 2 x 4 Imbituba

25/06/2017 – Caçador 0 x 2 CEC/Orleans

02/07/2017 – Porto 0  x 0 Blumenau

02/07/2017 – Imbituba 2 x 0 Caçador

08/07/2017 – Caçador 1 x 2 Porto

10/07/2017 – Blumenau 5 x 0 CEC/Orleans

16/07/2017 – CEC/Orleans 1 x 0 Porto

16/07/2017 – Imbituba 0 x 0 Blumenau

23/07/2017 – CEC/Orleans 2 x 0 Imbituba

23/07/2017 – Blumenau 5 x 0 Caçador

Final

30/07/2017 – CEC/Orleans 2 x 2 Blumenau

05/08/2017 – Blumenau 4 x 2 CEC/Orleans


FONTE

Federação Catarinense de Futebol

 

Na terra alencarina a realização de TORNEIO INÍCIO também se dava com grande expectativa e sucesso. Desde a vitória do Bangu (CE) em 1920 até a última conquista, no caso a do Ceará Sporting em 1978, foram realizados 53 ‘Torneios Inícios’, sendo que ao logo de sua existência foram 14 os clubes cearenses que conquistaram títulos em tais competições.

Segue abaixo um resumo ano a ano:

ANO CAMPEÃO
1920 Bangu;
1922 Ceará;
1923 Ceará;
1924 América;
1925 Fortaleza;
1926 Ceará;
1927 Fortaleza;
1928 Fortaleza;
1929 MAGUARY;
1930 Orion;
1931 Orion;
1932 Ceará;
1933 Fortaleza;
1934 Liceu;
1935 Fortaleza;
1936 Ceará;
1937 Ceará;
1938 Carioca;
1939 Penarol;
1940 Ferroviário;
1941 Ferroviário;
1942 MAGUARY;
1943 Ceará;
1944 MAGUARY;
1945 MAGUARY;
1946 Ferroviário;
1947 Ceará;
1948 Fortaleza;
1949 Ferroviário;
1950 América;
1950 Nacional;
1951 Nacional;
1952 Ceará;
1953 Ceará;
1954 Usina Ceará;
1955 Calouros do Ar;
1956 América;
1957 América;
1958 Calouros do Ar;
1959 Gentilândia;
1960 Fortaleza;
1961 Fortaleza;
1962 Fortaleza;
1963 América;
1964 Fortaleza;
1965 Fortaleza;
1966 Ferroviário;
1967 Ceará;
1968 Calouros do Ar;
1970 América;
1971 Calouros do Ar;
1977 Fortaleza;
1978 Ceará.

NÚMEROS DE TÍTULOS RELACIONADOS POR CLUBES:

12 – Ceará (1922, 1923, 1926, 1932, 1936, 1937, 1943, 1947, 1952, 1953, 1967 e 1978);
12 – Fortaleza (1925, 1927, 1928, 1933, 1935, 1948, 1960, 1961, 1962, 1964, 1965 e 1977);

06 – América (1924, 1950, 1956, 1957, 1963 e 1970);

0 5 – Ferroviário (1940, 1941, 1946, 1949 e 1966);

04 – MAGUARY (1929, 1942, 1944 e 1945);
04 – Calouros do Ar (1955, 1958, 1968 e 1971);

02 – Orion (1930 e 1931);
02 – Nacional (1950 e 1951);

01 – Bangu (1920);
01 – Liceu (1934);
01 – Carioca (1938);
01 – Penarol (1939);
01 – Usina Ceará (1954);
01 – Gentilândia (1959);

Relação dos múltiplos campeões sequenciais do TORNEIO INÍCIO CEARENSE e os respectivos ANOS:

TRI-CAMPEÃO:
Fortaleza em 1960/1961/1962.

BI-CAMPEÕES:
Ceará em 1922/1923;
Fortaleza em 1927/1928;
Orion em 1930/1931;
Ceará em 1936/1937;
Ferroviário em 1940/1941;
MAGUARY em 1944/1945;
Nacional em 1950/1951;
Ceará em 1952/1953;
América em 1956/1957;
Fortaleza em 1964/1965.

FONTES:

Jornal ‘Correio do Ceará’;
Jornal ‘Unitário’;

Livro ‘História do Campeonato Cearense de Futebol – 1903 a 2001’ (Autor: Nirez de Azevedo. Equatorial Produções/2002. Impressão: TIPROGRESSO);

Livro ‘Almanaque do Ferrão’ (Autor: Evandro Ferreira Gomes. Tatics Comunicação e Marketing Esportivo/2013. Impressão: Gráfica Pouchain Ramos).

 

 

 

 

Clube Atlético Ypiranga - Campeão Paulista Infantil de 1944

 

 

 

Em 1936 o futebol carioca estava dividido em duas ligas. Ambas tinham suas segunda divisões. Pela Federação Metropolitana de Desportos, o campeonato se intitulava Divisão Intermediária. Foi um torneio com muitas desistências durante seu transcurso. O título ficou com o SPORT CLUB BENFICA. Abaixo a sua campanha:

DATA

LOCAL

16.08.1936

BENFICA

4

X

2

VALLIM RIO DE JANEIRO

23.08.1936

BENFICA

1

X

5

ORIENTE RIO DE JANEIRO

13.09.1936

BENFICA

2

X

0

PORTUGAL BRASIL RIO DE JANEIRO

27.09.1936

BENFICA

2

X

1

SÃO JOSÉ RIO DE JANEIRO

04.10.1936

BENFICA

1

X

1

SPORTING RIO DE JANEIRO

06.12.1936

BENFICA

2

X

2

ORIENTE RIO DE JANEIRO

20.12.1936

BENFICA

6

X

2

PORTUGAL BRASIL RIO DE JANEIRO

27.12.1936

BENFICA

2

X

1

SÃO JOSÉ RIO DE JANEIRO

03.01.1937

BENFICA

0

X

2

VALLIM RIO DE JANEIRO

10.01.1937

BENFICA

4

X

1

SPORTING RIO DE JANEIRO
 

Em 1936 o futebol carioca estava dividido em duas ligas. Ambas tinham suas segunda divisões. Pela Liga Carioca de Futebol, o campeonato se intitulava Sub Liga Carioca e teve no CARBONÍFERA FOOTBALL CLUB  seu campeão. Abaixo a sua campanha ao título:

DATA

LOCAL

20.09.1936

CARBONÍFERA

3

X

3

TIJUCA RIO DE JANEIRO

27.09.1936

CARBONÍFERA

6

X

0

ANCHIETA RIO DE JANEIRO

04.10.1936

CARBONÍFERA

5

X

1

JAPOEMA RIO DE JANEIRO

11.10.1936

CARBONÍFERA

2

X

3

DEODORO RIO DE JANEIRO

18.10.1936

CARBONÍFERA

5

X

2

RAMOS RIO DE JANEIRO

25.10.1936

CARBONÍFERA

4

X

1

TIJUCA RIO DE JANEIRO

28.10.1936

CARBONÍFERA

2

X

1

ANCHIETA RIO DE JANEIRO

08.11.1936

CARBONÍFERA

4

X

0

JAPOEMA RIO DE JANEIRO

15.11.1936

CARBONÍFERA

4

X

2

DEODORO RIO DE JANEIRO

06.12.1936

CARBONÍFERA

3

X

4

RAMOS RIO DE JANEIRO

20.12.1936

CARBONÍFERA

1

X

1

RAMOS RIO DE JANEIRO

23.12.1936

CARBONÍFERA

5

X

2

RAMOS RIO DE JANEIRO

27.12.1936

CARBONÍFERA

6

X

1

RAMOS RIO DE JANEIRO
 

A Associação Esportiva Santa Tereza, clube amador do bairro homônimo de Belo Horizonte, sagrou-se pela primeira vez Campeã Mineira de Juniores no ano de 1987.

Clubes participantes daquele campeonato:

  1. América Futebol Clube – Belo Horizonte
  2. Associação Desportiva Ateneu – Montes Claros
  3. Associação Esportiva Santa Tereza – Belo Horizonte
  4. Bela Vista Futebol Clube – Sete Lagoas
  5. Canto do Rio Futebol Clube – Brumadinho
  6. Cavaleiro Negro Esporte Clube – Belo Horizonte
  7. Clube Atlético Mineiro – Belo Horizonte
  8. Cruzeiro Esporte Clube – Belo Horizonte
  9. Democrata Esporte Clube – Divinópolis
  10. Democrata Futebol Clube – Sete Lagoas
  11. Esporte Clube Democrata – Governador Valadares
  12. Guarani Esporte Clube – Divinópolis
  13. Uberlândia Esporte Clube – Uberlândia
  14. Valeriodoce Esporte Clube – Itabira
  15. Venda Nova Futebol Clube – Belo Horizonte
  16. Villa Nova Atlético Clube – Nova Lima

Campanha do Santa Tereza:

Primeira fase, grupo A

31/5 – Villa Nova 0×2 Santa Tereza
7/6 – Santa Tereza 2×0 Guarani
14/6 – Santa Tereza 2×2 Valeriodoce
17/6 – Uberlândia 2×2 Santa Tereza
21/6 – Santa Tereza 3×1 Cavaleiro Negro
28/6 – Santa Tereza 0×0 Bela Vista
5/7 – Cruzeiro 1×0 Santa Tereza
Santa Tereza 1×0 Villa Nova
Guarani 0×3 Santa Tereza
Valeriodoce 0×0 Santa Tereza
Santa Tereza 1×1 Uberlândia
Cavaleiro Negro 0×4 Santa Tereza
Bela Vista 1×3 Santa Tereza
Santa Tereza 3×0 Cruzeiro

Fase final

Santa Tereza 1×0 América
Santa Tereza 1×1 Democrata-SL
Santa Tereza 2×1 Cruzeiro
Santa Tereza 1×0 Atlético
Santa Tereza 1×3 Venda Nova
Santa Tereza 0×0 Valeriodoce
Santa Tereza 1×1 Uberlândia
Santa Tereza 0×4 América
Santa Tereza 1×0 Democrata-SL
Santa Tereza 2×0 Cruzeiro
Santa Tereza 0×0 Atlético
Santa Tereza 1×0 Venda Nova
Santa Tereza 0×0 Valeriodoce
21/11 – Santa Tereza 3×0 Uberlândia

Curiosidade: o grupo B dessa competição teve provavelmente a maior concentração de xarás do futebol mineiro. Dos 8 times – América, Ateneu, Atlético-MG, Canto do Rio, Democrata-DIV, Democrata-GV, Democrata-SL, Venda Nova) – 3 se chamavam Democrata!

Fonte: Jornal Estado de Minas

 

Atendendo a um pedido do amigo Vitório Botega Deziró, publico a campanha do PALMITAL ATLÉTICO CLUBE de Palmital/SP para a conquista do título do Campeonato Paulista da 3ª divisão de 1987. Abaixo os resultados:

DATA

 

  LOCAL

24.05.1987

PALMITAL

1

x

0

RANCHARIENSE RANCHARIA

31.05.1987

PALMITAL

1

x

0

BEIRA RIO PALMITAL

03.06.1987

PALMITAL

0

X

1

CORINTHIANS PRESIDENTE WENCESLAU

07.06.1987

PALMITAL

3

X

0

SÃO BENTO PALMITAL

11.06.1987

PALMITAL

0

X

1

PARAGUAÇUENSE PARAGUAÇU PAULISTA

18.06.1987

PALMITAL

2

X

0

PIRAJÚ PALMITAL

21.06.1987

PALMITAL

1

X

0

RANCHARIENSE PALMITAL

28.06.1987

PALMITAL

2

X

2

BEIRA RIO PRESIDENTE EPITÁCIO

02.07.1987

PALMITAL

1

X

1

CORINTHIANS PALMITAL

04.07.1987

PALMITAL

1

X

0

SÃO BENTO MARÍLIA

09.07.1987

PALMITAL

2

X

0

PARAGUAÇUENSE PALMITAL

19.07.1987

PALMITAL

1

X

0

PIRAJÚ PIRAJÚ

26.07.1987

PALMITAL

0

X

0

MATONENSE MATÃO

29.07.1987

PALMITAL

1

X

0

TUPÃ PALMITAL

02.08.1987

PALMITAL

0

X

1

JOSÉ BONIFÁCIO JOSÉ BONIFÁCIO

05.08.1987

PALMITAL

2

X

1

JOSÉ BONIFÁCIO PALMITAL

09.08.1987

PALMITAL

1

X

1

MATONENSE PALMITAL

12.08.1987

PALMITAL

1

X

1

TUPÃ TUPÃ
 

Campeonato Novaerense 1952

Participantes:

  • Clube Atlético Itabirano (Itabira)
  • Clube Atlético Prateano (São Domingos do Prata)
  • Comercial Futebol Clube
  • Industrial Sport Club (Alvinópolis)
  • Minas Esporte Clube
  • Viminas Esporte Clube

Campanha do Comercial:

Turno

  • Comercial 2×1 Minas
  • Comercial 4×2 Atlético Prateano
  • Comercial 2×1 Industrial
  • Comercial 3×1 Viminas
  • Comercial 3×1 Atlético Itabirano

Returno

  • Comercial 0×1 Minas
  • Comercial 2×1 Viminas
  • Comercial 3×2 Atlético Prateano
  • Comercial 5×1 Atlético Itabirano
  • Comercial 4×1 Industrial

Classificação final:

1º Comercial, 2 p.p.
2º Minas, 3 p.p.
3º Atlético Itabirano, 5 p.p.
3º Viminas, 5 p.p.
5º Industrial, 8 p.p.
6º Atlético Pratense, 10 p.p.

Equipe titular: Zé Praça; Pedro Silva, Gastão; Zé Cláudio, Paulão, Pedro I; Valtinho, Pedro II, Zezé, Repolho, Dico.

Fonte: A Semana Esportiva (Belo Horizonte), 18 de dezembro de 1952

 

DATA

 

 

 

 

  LOCAL

08.07.1923

Rio Branco

0

x

0

Internacional (Limeira) Limeira – SP

22.07.1923

Rio Branco

1

x

1

Carioba (Americana) Americana – SP

12.08.1923

Rio Branco

1

x

3

Rio Claro (Rio Claro) Americana – SP

19.08.1923

Rio Branco

3

x

1

Guarani (Campinas) Americana – SP

02.09.1923

Rio Branco

3

x

1

XV de Novembro (Piracicaba) Americana – SP

09.09.1923

Rio Branco

3

x

3

Ponte Preta (Campinas) Campinas – SP

16.09.1923

Rio Branco

2

x

0

Velo Clube (Rio Claro) Rio Claro – SP

23.09.1923

Rio Branco

2

x

1

Palestra Itália (São Carlos) Americana – SP

07.10.1923

Rio Branco

1

x

0

União Agrícola (Sta Bárbara d’Oeste) Sta Bárbara d’Oeste

21.10.1923

Rio Branco

1

x

0

Palestra Itália (São Carlos) São Carlos – SP

28.10.1923

Rio Branco

4

x

0

União Agrícola (Sta Bárbara d’Oeste) Americana – SP

04.11.1923

Rio Branco

0

x

3

Rio Claro (Rio Claro) Rio Claro – SP

15.11.1923

Rio Branco

1

x

0

Carioba (Americana) Americana – SP

18.11.1923

Rio Branco

1

x

1

Guarani (Campinas) Campinas – SP

25.11.1923

Rio Branco

1

x

1

Internacional (Limeira) Americana – SP

02.12.1923

Rio Branco

3

x

1

Ponte Preta (Campinas) Americana – SP

23.12.1923

Rio Branco

1

x

0

Velo Clube (Rio Claro) Americana – SP

06.01.1924

Rio Branco

1

x

0

Paulista (Jundiaí) São Paulo – SP

25.01.1924

Rio Branco

1

x

0

Francana (Franca) São Paulo – SP

10.02.1924

Rio Branco

0

x

0

Sorocabano (Sorocaba) São Paulo – SP
 

Em 1968, a CBD criou o Torneio Centro Sul e Minas Gerais teve direito a três vagas. Para isto, a FMF organizou um torneio seletivo com dois grupos em turno único e as fases semifinais e finais disputadas no Estádio Independência, classificando os três primeiros.

Participantes:

AMÉRICA Futebol Clube (Belo Horizonte)
ARAXÁ Esporte Clube (Araxá)
DEMOCRATA Futebol Clube (Sete Lagoas)
FORMIGA Esporte Clube (Formiga)
INDEPENDENTE Atlético Clube (Uberaba)
UBERABA Sport Club (Uberaba)
UBERLÂNDIA Esporte Clube (Uberlândia)
VALERIODOCE Esporte Clube (Itabira)
VILLA NOVA Atlético Clube (Nova Lima)

1ª Fase

 Grupo Centro 

05/10/68

América

1

x

0

Valeriodoce

06/10/68

Formiga

1

x

1

Democrata

10/10/68

Democrata

1

x

1

Villa Nova

10/10/68

América

4

x

1

Formiga

13/10/68

Valeriodoce

2

x

1

Villa Nova

13/10/68

América

4

x

1

Democrata

16/10/68

Formiga

0

X

2

Valeriodoce

19/10/68 *

Villa Nova

1

X

1

América

20/10/68

Villa Nova

6

x

1

Formiga

20/10/68

Valeriodoce

5

x

1

Democrata

 * Partida seria disputada em 16/10, mas foi adiada devido às chuvas.

CLASSIFICAÇÃO

J

V

E

D

G+

G-

PTS

1

América

4

3

1

0

10

3

7

2

Valeriodoce

4

3

0

1

9

3

6

3

Villa Nova

4

1

2

1

9

5

4

4

Democrata

4

0

2

2

4

11

2

5

Formiga

4

0

1

3

3

13

1

 

Grupo Triângulo 

06/10/68

Uberlândia

2

x

0

Araxá

06/10/68

Uberaba

0

x

0

Independente **

13/10/68

Araxá

4

x

2

Independente

13/10/68

Uberaba

2

x

2

Uberlândia

19/10/68

Uberaba

1

x

1

Araxá

20/10/68

Independente

0

x

3

Uberlândia

* * O Uberaba ganhou os pontos no TJD, pois o Independente escalou o jogador Marquinhos com irregularidades no seu registro. 

CLASSIFICAÇÃO

J

V

E

D

G+

G-

PTS

1

Uberlândia

3

2

1

0

7

2

5

2

Uberaba

3

1

2

0

3

3

4

3

Araxá

3

1

1

1

5

5

3

4

Independente

3

0

0

3

2

7

0

 

Semifinais 

24/10/68

Valeriodoce

1

x

0

Uberlândia

24/10/68

América

2

x

0

Uberaba

 

Decisão do 3° Lugar 

26/10/68

Uberlândia

2

x

1

Uberaba ***

* * * O Uberaba abandonou o campo aos 22 minutos do 2º tempo discordando do 2º gol do Uberlândia.

FINAL 

América-MG  3x1  Valeriodoce
26/10/1968 – Torneio Seletivo Centro Sul
Belo Horizonte-MG
Local: Estádio Independência
Renda: NCr$ 8.512,00
Árbitro: José Alberto Teixeira
Auxiliares: Francisco Quaresma e Laércio Ferreira
América: Élcio; Ferrari, Gilson, Misael e Halle; Pedro Omar (Carlos Pedro) e Cássio (Zuca); Zé Carlos, Cristóvão, Ferreira, Crispim. Coach: Artur Nequessaurt.
Valeriodoce: Arésio, Jorge, Zé Borges, Zé Horta e Nelson; Carlos Alberto e Ildeu (Dilsinho); Nerival, Jarbas, Tonel (Prego) e Canhoto. Técnico: Vicente Lage “109”
Gols: Nerival 37′, Zé Carlos 64′ e Ferreira 80′ e 83′.

AMÉRICA CAMPEÃO !

Nota: América, Valeriodoce e Uberlândia se classificaram para o Torneio Nacional, porém houve adiamento da estréia do Uberlândia no Espírito Santo com o time já embarcado dentro do ônibus (mais uma da CBD), os mineiros não concordaram com a desorganização e abandonou o Torneio. O Uberaba foi consultado e não aceitou substituí-lo e assim passou-se ao Villa Nova a 3ª vaga mineira.

Saluti a tutti

Claudio

Fonte: Jornal Estado de Minas

 

DATA

 

 

 

 

  LOCAL

03.05.1925

SILEX

12

X

0

PALMEIRAS SÃO PAULO

17.05.1925

SILEX

4

X

0

INDEPENDÊNCIA SÃO PAULO

07.06.1925

SILEX

5

X

1

BARRA FUNDA SÃO PAULO

21.06.1925

SILEX

6

X

1

ÍTALO SÃO PAULO

05.07.1925

SILEX

5

X

0

UNIÃO BRASIL SÃO PAULO

19.07.1925

SILEX

4

X

0

SÃO GERALDO SÃO PAULO

23.08.1925

SILEX

4

X

0

UNIÃO BELÉM SÃO PAULO

06.09.1925

SILEX

1

X

0

1º DE MAIO SÃO PAULO

13.09.1925

SILEX

3

X

1

REPÚBLICA SÃO PAULO

27.09.1925

SILEX

1

X

1

ANTÁRCTICA SÃO PAULO

11.10.1925

SILEX

3

X

0

FLOR DO BELÉM SÃO PAULO

18.10.1925

SILEX

4

X

1

REPÚBLICA SÃO PAULO

25.10.1925

SILEX

1

X

0

ANTÁRCTICA SÃO PAULO

08.11.1925

SILEX

3

X

3

INDEPENDÊNCIA SÃO PAULO

15.11.1925

SILEX

2

X

1

1º DE MAIO SÃO BERNARDO DO CAMPO

22.11.1925

SILEX

2

X

0

BARRA FUNDA SÃO PAULO
 

 

DATA

 

 

 

 

  LOCAL

19.05.1929

COT. RODOLFO CRESPI

1

X

0

BARRA FUNDA SÃO PAULO

02.06.1929

COT. RODOLFO CRESPI

7

X

1

ROMA SÃO PAULO

16.06.1929

COT. RODOLFO CRESPI

3

X

0

VOLUNTÁRIOS DA PÁTRIA SÃO PAULO

14.07.1929

COT. RODOLFO CRESPI

5

X

2

ESTRELA DE OURO SÃO PAULO

25.08.1929

COT. RODOLFO CRESPI

4

X

0

UNIÃO LAPA SÃO PAULO

06.10.1929

COT. RODOLFO CRESPI

1

X

1

SCARPA SÃO PAULO

12.10.1929

COT. RODOLFO CRESPI

2

X

1

REPÚBLICA SÃO PAULO

20.10.1929

COT. RODOLFO CRESPI

1

X

1

SÃO PAULO ALPARGATAS SÃO PAULO

27.10.1929

COT. RODOLFO CRESPI

5

X

0

VOLUNTÁRIOS DA PÁTRIA SÃO PAULO

03.11.1929

COT. RODOLFO CRESPI

2

X

0

BARRA FUNDA SÃO PAULO

10.11.1929

COT. RODOLFO CRESPI

1

X

2

ROMA SÃO PAULO

17.11.1929

COT. RODOLFO CRESPI

5

X

1

ESTRELA DE OURO SÃO PAULO

01.12.1929

COT. RODOLFO CRESPI

3

X

1

UNIÃO LAPA SÃO PAULO

29.12.1929

COT. RODOLFO CRESPI

4

X

0

SCARPA SÃO PAULO

19.01.1930

COT. RODOLFO CRESPI

1

X

0

SÃO PAULO ALPARGATAS SÃO PAULO

26.01.1930

COT. RODOLFO CRESPI

1

X

0

REPÚBLICA SÃO PAULO

Agradecimento ao José Farah (São Paulo/SP) pelo desenho do escudo

 

DATA

 

 

 

 

  LOCAL

29.05.1932

PARQUE DA MOÓCA

4

X

3

CAMBUCY SÃO PAULO – SP

05.06.1932

PARQUE DA MOÓCA

3

X

2

UNIÃO BELÉM SÃO PAULO – SP

12.06.1932

PARQUE DA MOÓCA

2

X

2

LUSÍADAS SÃO PAULO – SP

03.07.1932

PARQUE DA MOÓCA

4

X

2

HUNGARO IPIRANGA SÃO PAULO – SP

27.11.1932

PARQUE DA MOÓCA

2

X

2

ESTRELA DA SAÚDE SÃO PAULO – SP

04.12.1932

PARQUE DA MOÓCA

4

X

2

DANTE ALIGHIERI SÃO PAULO – SP

11.12.1932

PARQUE DA MOÓCA

1

X

0

SÃO GERALDO

SÃO PAULO – SP

 

 

Em 1935 o futebol carioca estava dividido entre duas entidades esportivas, a Federação Metropolitana de Desportos e a Liga Carioca de Futebol. Esta última tinha a sua Divisão Principal e a Sub-Liga, uma espécie de 2ª divisão. Esta última foi uma competição equilibrada e ao seu final o título ficou com o ESPORTE CLUBE ANCHIETA. Abaixo a campanha da equipe:

 

DATA

 

 

 

 

  LOCAL

08.09.1935

ANCHIETA

2

X

2

MARACANÃ RIO DE JANEIRO

15.09.1935

ANCHIETA

4

X

3

BANDEIRANTES RIO DE JANEIRO

29.09.1935

ANCHIETA

3

X

2

TIJUCA RIO DE JANEIRO

06.10.1935

ANCHIETA

2

X

1

SC AMÉRICA RIO DE JANEIRO

27.10.1935

ANCHIETA

3

X

3

SUDAN RIO DE JANEIRO

03.11.1935

ANCHIETA

2

X

1

DEODORO RIO DE JANEIRO

10.11.1935

ANCHIETA

0

X

5

ENGENHO DE DENTRO RIO DE JANEIRO

17.11.1935

ANCHIETA

3

X

0

MARACANÃ RIO DE JANEIRO

24.11.1935

ANCHIETA

2

X

2

BANDEIRANTES RIO DE JANEIRO

08.12.1935

ANCHIETA

3

X

1

TIJUCA RIO DE JANEIRO

15.12.1935

ANCHIETA

3

X

2

SC AMÉRICA RIO DE JANEIRO

05.01.1936

ANCHIETA

5

X

0

SUDAN RIO DE JANEIRO

12.01.1936

ANCHIETA

4

X

2

DEODORO RIO DE JANEIRO

19.01.1936

ANCHIETA

5

X

2

ENGENHO DE DENTRO RIO DE JANEIRO
 

NOME: ESPORTE CLUBE RIACHO
FUNDAÇÃO: 1940
BAIRRO: VILA DO RIACHO
SITUAÇÃO: AMADOR
 
 
FONTE:
http://www.esportecomsaude.com.br
 

OLARIA ATLÉTICO CLUBE - CAMPEÃO CARIOCA DA 2ª DIVISÃO - 1931

 

DATA

 

 

 

 

  LOCAL

26.04.1931

OLARIA

2

X

1

BANDEIRANTES RIO DE JANEIRO

10.05.1931

OLARIA

3

X

1

CORDOVIL RIO DE JANEIRO

17.05.1931

OLARIA

3

X

1

MUNICIPAL RIO DE JANEIRO

24.05.1931

OLARIA

3

X

0

CENTRAL RIO DE JANEIRO

31.05.1931

OLARIA

9

X

3

BRASIL SUBURBANO RIO DE JANEIRO

07.06.1931

OLARIA

3

X

2

MAVILIS RIO DE JANEIRO

14.06.1931

OLARIA

2

X

1

ANCHIETA RIO DE JANEIRO

21.06.1931

OLARIA

4

X

0

RIVER RIO DE JANEIRO

28.06.1931

OLARIA

4

X

1

ARGENTINO RIO DE JANEIRO

05.07.1931

OLARIA

3

X

2

ENGENHO DE DENTRO RIO DE JANEIRO

12.07.1931

OLARIA

6

X

2

MACKENZIE RIO DE JANEIRO

26.07.1931

OLARIA

4

X

1

AMÉRICA SUBURBANO RIO DE JANEIRO

02.08.1931

OLARIA

1

X

1

MODESTO RIO DE JANEIRO

09.08.1931

OLARIA

1

X

1

CONFIANÇA RIO DE JANEIRO

16.08.1931

OLARIA

3

X

1

EVEREST RIO DE JANEIRO

23.08.1931

OLARIA

1

X

1

BANDEIRANTES RIO DE JANEIRO

30.08.1931

OLARIA

2

X

1

CORDOVIL RIO DE JANEIRO

06.09.1931

OLARIA

4

X

1

MUNICIPAL RIO DE JANEIRO

13.09.1931

OLARIA

4

X

2

CENTRAL RIO DE JANEIRO

20.09.1931

OLARIA

5

X

3

BRASIL SUBURBANO RIO DE JANEIRO

27.09.1931

OLARIA

4

X

0

MAVILIS RIO DE JANEIRO

04.10.1931

OLARIA

2

X

0

ANCHIETA RIO DE JANEIRO

11.10.1931

OLARIA

3

X

2

RIVER RIO DE JANEIRO

18.10.1931

OLARIA

3

X

0

ARGENTINO RIO DE JANEIRO

25.10.1931

OLARIA

3

X

0

ENGENHO DE DENTRO RIO DE JANEIRO

01.11.1931

OLARIA

3

X

2

MACKENZIE RIO DE JANEIRO

15.11.1931

OLARIA

9

X

2

AMÉRICA SUBURBANO RIO DE JANEIRO

22.11.1931

OLARIA

1

X

1

MODESTO RIO DE JANEIRO

29.11.1931

OLARIA

2

X

0

CONFIANÇA RIO DE JANEIRO

06.12.1931

OLARIA

6

X

1

EVEREST RIO DE JANEIRO
 

 

 Parece que foi ontem, mas neste sábado (30 de junho), faz 10 anos que a Seleção Brasileira conquistou o Penta na Copa do Mundo de 2002, no Japão/ Coréia do Sul. Gostem ou não, a campanha de sete jogos e sete vitórias (18 gols e quatro sofridos) é a melhor de todas as Copas.

 O escrete Canarinho do técnico Luiz Felipe Scolari chegou à Copa desacreditada. má participação nas Eliminatórias e as mudanças de técnicos desde 1999 tiraram do time canarinho o rótulo de favorito no mundial realizado em solo asiático.

 Grande motivador, Luiz Felipe Scolari conseguiu fazer um grupo coeso. A equipe brasileira ganhou o apelido de “Família Scolari”.

O corte do atacante Romário deixou parte da imprensa e dos torcedores com de ‘nariz torcido’ com o treinador. Ronaldo Fenômeno era visto como um contrapeso, a defesa era muito questionada, o meio de campo não agradava.

 Contudo, a atmosfera da Copa transformou o grupo e o Brasil foi crescendo jogo a jogo. Na primeira fase: vencendo a Turquia por 2 a 1 (3 de junho); 4 a 0 na China (8 de junho); e Costa Rica (13 de junho).

Nas Oitavas de Final, que para Luiz Felipe Scolari foi o jogo mais difícil (17 de junho); nas Quartas de final 2 a 1 na Inglaterra (21 de junho); nas Semifinais 1 a 0 Turquia (26 de junho), garantindo vaga na decisão inédita contra a poderosa Alemanha.   

Então, chegou o dia e a Seleção Brasileira fez uma atuação impecável. Com dois gols do “contrapeso” Ronaldo Fenômeno e se tornou artilheiro da competição com oito gols, o Brasil conquistou o seu quinto título mundial.

E, o placar ficou barato para os alemães, pois o Brasil inúmeras chances e não seria exagero nenhum se o resultado tivesse sido de goleada.  No primeiro tempo, Ronaldo perdeu dois gols cara a cara com o goleiro Kahn e Kleberson num chute que carimbou o travessão.  

 No final (quem diria…), o contestado lateral-direito e capitão Cafu  foi o responsável por erguer a taça de campeão mundial para milhares de espectadores em todo mundo. Reprovado em 11 peneiras, o jogador foi o exemplo de quem a persistência é o caminho para quem sonha em realizar seus sonhos.


BRASIL         2          X         0          ALEMANHA

 Competição: Final da Copa do Mundo

 Data: 30 de junho de 2002

 Local: Yokohama International Stadium

 Púlbico: 69.029

 Árbitro: Pierluigi Colina (Itália)

 BRASIL: Marcos; Lúcio, Edmilson e Roque Júnior; Cafu, Gilberto Silva, Kléberson, Rivaldo e Roberto Carlos; Gilberto Silva, Kléberson, Rivaldo e Roberto Carlos; Ronaldinho Gaúcho (Juninho Paulista) e Ronaldo (Denílson). Técnico: Luiz Felipe Scolari

 ALEMANHA: Kahn; Link, Ramelow, Metzelder, Frings, Hamann, Jeremies (Asamoah), Schneider, Bode (Ziege), Neuvile e Klose (Bierhoff). Técnico: Rudi Voller. 

Gols: Ronaldo aos 22 e 33 minutos do segundo tempo

ELENCO DO BRASIL

 Goleiros – Marcos (Palmeiras), Dida (Milan) e Rogério Ceni (São Paulo)

 Laterais – Cafu (Roma), Belletti (São Paulo), Roberto Carlos (Real Madrid) e Júnior (Parma)

 Zagueiros – Lúcio (Bayer Leverkusen), Roque Júnior (Parma), Edmilson (Lyon) e Anderson Polga (Grêmio)

 Meios-campistas – Gilberto Silva (Atlético Mineiro), Kléberson (Atlético Paranaense), Vampeta (Corinthians), Ricardinho (Corinthians), Juninho Paulista (Flamengo), Rivaldo (Barcelona) e Kaká (São Paulo)

Atacantes – Ronaldinho Gaúcho (PSG), Ronaldo (Internazionale), Edílson (Cruzeiro) e Luizão (Grêmio)

 

Fotos: CBF / JS/ Lance!

 Link do Vídeo da final:http://www.youtube.com/watch?v=ZRl49g1e0lg

 
O campeonato organizado pela Associação Nictheroyense de Esportes Athleticos, em 1928, é talvez o mais polêmico da história. O título conquistado pelo Byron é tão contestado que muitas fontes preferem considerar o Ypiranga como o verdadeiro campeão – sem asteriscos. E a tendência piorou quando o Byron saiu de cena. Mas gostando ou não, a história deve ser respeitada: o título é mesmo da Cruz de Malta. Vamos ao campeonato.
Campeonato da A.N.E.A. – 1928
Participantes:
Byron F.C. (Barreto)
Canto do Rio F.C. (Icaraí)
S.C. Elite (Centro)
Flamengo S.C. (São Domingos)
Fluminense A.C. (Icaraí)
G.R. Gragoatá (Gragoatá)
Nictheroyense F.C. (Centro)
Rio Cricket A.A. (Icaraí)
C.A. São Bento (Icaraí)
Ypiranga F.C. (São Lourenço)
Torneio Initium (8/4/1928):
Byron 2-0 Nictheroyense
—————————–
Gragoatá 0-1 Ypiranga
Canto do Rio 0-0 São Bento (Corners: 2-0)
Elite 0-0 Fluminense (Corners: 0-1)
Byron 2-0 Flamengo
——————————
Canto do Rio 0-0 Ypiranga (Corners: 1-0)
Fluminense 3-0 Byron
——————————–
Fluminense 0-0 Canto do Rio (Corners: 1-0)
Fluminense Athletico Club, campeão do Initium!
Turno:
15/4
Byron 2-2 Nictheroyense
Gragoatá 2-1 Fluminense
Elite 3-3 Rio Cricket
Ypiranga 6-0 Flamengo
22/4
Canto do Rio 4-3 São Bento
Nictheroyense 3-1 Flamengo
Byron 8-1 Elite
Ypiranga 0-wo Rio Cricket (o Rio Cricket não compareceu)
29/4 – sem jogos oficiais, festival esportivo ao prefeito de Nictheroy
6/5
Nictheroyense 2-0 Canto do Rio
Byron 3-0 Gragoatá
Ypiranga 8-3 Elite
13/5
Canto do Rio 6-0 Elite
Gragoatá - Rio Cricket (jogo adiado a pedido dos clubes)
Ypiranga 3-3 Byron (jogo interrompido com a marcação de um penalty para o Ypiranga, torcida, jogadores, dirigentes armaram um sururu e não deixaram o penalty ser batido. A liga deixou para resolver o caso depois)
20/5
Gragoatá 5-4 Nictheroyense
Fluminense 3-3 Byron
São Bento 0-wo Flamengo (o Flamengo não compareceu)
27/5
Ypiranga 4-2 Gragoatá
São Bento 4-1 Elite
Byron 0-wo Flamengo (o Flamengo não compareceu, revelou-se que o clube estava em frangalhos, encerrando suas atividades pouco depois. Seus matches foram desconsiderados)
3/6
Ypiranga 4-2 Fluminense
São Bento 3-2 Rio Cricket
10/6
Canto do Rio 2-2 Ypiranga
Fluminense 0-wo Rio Cricket (mais um não-comparecimento do Cricket)
Nictheroyense 0-wo Elite (e o Elite também se desligou do campeonato, desconsiderando-se os seus resultados)
17/6
Ypiranga 5-1 São Bento
Rio Cricket 2-9 Byron
Nictheroyense 3-5 Fluminense
24/6
São Bento 0-1 Nictheroyense
Canto do Rio 4-3 Byron
1/7
Canto do Rio 1-1 Fluminense
Nictheroyense 0-2 Ypiranga
Gragoatá 3-1 São Bento
8/7
São Bento 2-2 Fluminense
Canto do Rio 0-wo Rio Cricket (mais uma derrota por wo do Cricket, desta vez por chegar dez minutos atrasado e o Canto do Rio, usando o regulamento, recusou-se a jogar)
15/7
Gragoatá 8-3 Rio Cricket (jogo adiado do dia 13/5, pouco depois o Rio Cricket seria o terceiro a abandonar o campeonato e ter os resultados desconsiderados)
22/7 – sem jogos oficiais, festa esportiva
29/7
Canto do Rio 1-2 Gragoatá
Byron 4-1 São Bento
Returno (só começou em 23/9, entre 5/8 e 16/9 houve uma pausa para a realização do Campeonato Fluminense de Seleções):
23/9
Byron 2-1 Ypiranga
Canto do Rio 4-3 Gragoatá
30/9 até 11/11 - campeonato novamente interrompido, desta vez por conta do Campeonato Brasileiro de Seleções
18/11
Fluminense 3-2 São Bento
Ypiranga 10-0 Canto do Rio
25/11
Ypiranga 4-0 Gragoatá
Byron 3-3 Fluminense
São Bento 6-3 Nictheroyense
2/12
Ypiranga 4-2 São Bento
Fluminense 6-0 Nictheroyense
Byron 0-wo Gragoatá (o Gragoatá entregou os pontos, sem explicação)
9/12
Fluminense 2-3 Ypiranga
São Bento 4-0 Canto do Rio
Gragoatá 3-1 Nictheroyense
16/12
Nictheroyense 3-2 Ypiranga
Fluminense 0-wo Canto do Rio (o Canto do Rio entregou os pontos, sem explicação)
23/12
Byron 5-3 São Bento
Nictheroyense 8-3 Canto do Rio
30/12
Fluminense 4-1 Gragoatá
Byron 3-0 Canto do Rio
6/1/1929
Gragoatá 0-wo São Bento (o São bento entregou os pontos)
13/1/1929
Byron 6-1 Nictheroyense
Classificação por pontos perdidos:
1. Byron                      5pp, 11j (*)
1. Ypiranga               5pp, 11j (*)
3. Fluminense          10pp, 12j
4. Gragoatá                12pp, 12j
5. Nictheroyense    15pp, 12j
6. Canto do Rio        16pp, 12j
7. São Bento              19pp, 12j
- Elite, Flamengo e Rio Cricket sem classificação e com jogos desconsiderados
(*) Como se pode ver, só faltava o resultado de Ypiranga versus Byron do turno, não concluído quando estava em 3-3 e com um penalty a favor do Ypiranga. Foram dias e dias sem solução, fizeram uma pausa para o carnaval até que resolveram ANULAR o jogo e disputá-lo novamente do zero no dia 17/3/1929. O Ypiranga não gostou nada e em assembléia geral decidiu não disputar a partida. No dia 11/3 enviou à imprensa e à A.N.E.A. uma carta informando o seu descontentamento e ABRINDO MÃO DO TÌTULO, sugerindo que a A.N.E.A. “dê o título a quem quiser”. Sendo assim, a A.N.E.A. marcou os pontos da partida anulada ao Byron, que se tornou campeão de 1928.
17/3/1929
Byron 0-wo Ypiranga
Classificação Final oficial:
1. Byron                       5pp, 12j
2. Ypiranga                7pp, 12j
3. Fluminense           10pp, 12j
4. Gragoatá                12pp, 12j
5. Nictheroyense    15pp, 12j
6. Canto do Rio        16pp, 12j
7. São Bento              19pp, 12j
- Elite, Flamengo e Rio Cricket sem classificação e com jogos desconsiderados
Time-base do Byron: China; Achilles e Rosa; Djalma, Terrível e Luiz; Miguel, Dias, Fonseca, Hernani e Zacharias
Pouco depois do polêmico wo, o Ypiranga desafiou o Byron para uma taça amistosa (Taça Mme. Ribeiro de Almeida), disputada no dia 31/3/1929. A disputa tornou-se uma “final moral”, e o Ypiranga venceu por 3-1, se considerando, com apoio da imprensa, o “verdadeiro campeão”. Passados os anos, muitos passaram a contar esse jogo como uma final, mas a verdade é que não fazia parte do campeonato, era mesmo uma disputa amistosa.
Outro exemplo do quanto o título do Byron foi desrespeitado foi a criação da Taça Niterói-Campos, organizada pela Associação dos Cronistas Desportivos do Estado do Rio com aval da A.F.E.A. O Byron deveria enfrentar o Rio Branco, mas esse se recusou a jogar, pois “o Byron não merecia ser considerado campeão niteroiense”.
 

Abaixo a campanha da equipe do BONSUCESSO FUTEBOL CLUBE que conquistou o título da 2ª Divisão Carioca de 1921. A equipe foi beneficiada pela eliminação do São Paulo Rio, que não providenciou um campo de futebol no prazo de 90 dias dado pela Liga Metropolitana. Após conquistar a Série B, venceu na 1ª eliminatória o último colocado da Série A (Progresso) e decidiu o título com o campeão da Série A (Rio de Janeiro)

 

DATA

 

 

 

 

  LOCAL

03.04.1921

Bonsucesso

4

x

2

Ramos Rio de Janeiro / RJ

10.04.1921

Bonsucesso

2

x

1

Campo Grande Rio de Janeiro / RJ

24.04.1921

Bonsucesso

1

x

0

Modesto Rio de Janeiro / RJ

08.05.1921

Bonsucesso

1

x

1

Everest Rio de Janeiro / RJ

15.05.1921

Bonsucesso

0

x

3

São Paulo Rio Rio de Janeiro / RJ

12.06.1921

Bonsucesso

4

x

1

Ypiranga Rio de Janeiro / RJ

19.06.1921

Bonsucesso

2

x

1

Ramos Rio de Janeiro / RJ

26.06.1921

Bonsucesso

4

x

1

Everest Rio de Janeiro / RJ

17.07.1921

Bonsucesso

5

x

2

Ypiranga Rio de Janeiro / RJ

14.08.1921

Bonsucesso

2

x

1

Modesto Rio de Janeiro / RJ

21.08.1921

Bonsucesso

0

x

0

São Paulo Rio Rio de Janeiro / RJ

28.08.1921

Bonsucesso

2

x

0

Campo Grande Rio de Janeiro / RJ

18.09.1921

Bonsucesso

1

x

0

Progresso Rio de Janeiro / RJ

25.09.1921

Bonsucesso

3

x

2

Rio de Janeiro Rio de Janeiro / RJ
 

Em 1927 o futebol carioca era administrado por duas entidades, a ASSOCIAÇÃO METROPOLITANA DE ESPORTES ATLÉTICOS e a LIGA METROPOLITANA DE DESPORTOS TERRESTRES, que congregava equipes de menor expressão. Nesta Liga o campeão foi o MODESTO FOOTBALL CLUB de Quintino Bocaiúva (bairro do subúrbio carioca). A sua campanha para a conquista do título foi a seguinte:

15.05.1927
Modesto 0-0 Fidalgo, no Rio de Janeiro
22.05.1927
Modesto 2-0 Americano, no Rio de Janeiro
29.05.1927
Modesto W0-0 Mavilis, no Rio de Janeiro
12.06.1927
Modesto 2-1 Campo Grande, no Rio de Janeiro
19.06.1927
Modesto 2-0 São Paulo Rio, no Rio de Janeiro
26.06.1927
Modesto 5-3 Esperança, no Rio de Janeiro
10.07.1927
Modesto 2-1 Engenho de Dentro, no Rio de Janeiro
14.07.1927
Modesto 2-1 Metropolitano, no Rio de Janeiro
17.07.1927
Modesto 2-1 Dramático, no Rio de Janeiro
31.07.1927
Modesto 0-0 Fidalgo, no Rio de Janeiro
14.08.1927
Modesto 0-0 Campo Grande, no Rio de Janeiro
04.09.1927
Modesto 0-1 Mavilis, no Rio de Janeiro
18.09.1927
Modesto 1-1 Engenho de Dentro, no Rio de Janeiro
25.09.1927
Modesto 2-1 São Paulo Rio, no Rio de Janeiro
02.10.1927
Modesto 3-2 Americano, no Rio de Janeiro
09.10.1927
Modesto 5-0 Esperança, no Rio de Janeiro
23.10.1927
Modesto 6-0 Metropolitano, no Rio de Janeiro
30.10.1927
Modesto 0-0 Dramático, no Rio de Janeiro

Fonte: Jornal O Paiz (Rio de Janeiro/RJ)

 

Em 1932 o Sport Club Boa Vista – o “Alviverde do Alto” – conquistou o campeonato da Liga Metropolitana de Desportos Terrestres. Muito embora a LMDT fosse descendente direta da primeira liga de futebol do Rio de Janeiro, a Liga Metropolitana de Football, esse título permanece largamente ignorado. O motivo: todos os seus participantes eram clubes pequenos.

A LMDT foi desfiliada pela Confederação Brasileira de Desportos em 1924. Naquele ano o Vasco da Gama conquistou o título, histórico, sendo o único ano da “era sem filiação” atualmente lembrado na galeria de campeões da FERJ.

Curiosamente, no mesmo período o estado de São Paulo também possuía duas ligas, APEA e LAF. A Liga de Amadores de Football (LAF), liderada pelo Paulistano, estava “do lado” da LMDT nesses anos difíceis. As seleções e clubes das duas ligas se enfrentavam amistosamente – e algumas partidas são memoráveis, como o inusitado encontro entre Paulistano e Campo Grande (o primeiro) em 1929, com esmagadora vitória paulista por 9 a 2, ou ainda a vitória da seleção carioca da LMDT sobre a seleção paulista da LAF por 4 a 3 em 1926 – isso mesmo, uma seleção carioca com jogadores de Modesto, Campo Grande e Engenho de Dentro venceu uma seleção com jogadores de Paulistano, Germânia e AA das Palmeiras. Talvez a LAF não fosse tão elitista assim…

Para o bem da história, São Paulo reconhece seus campeões da Liga Amadora de Football. Já o Rio de Janeiro só reconhece parte da Liga Metropolitana de Desportos Terrestres. Por mais fraca que fosse em seus anos finais, o limbo jamais será justo.

Voltando ao ano do título do Boa Vista, 1932, o último antes da LMDT ser absorvida pela profissional Liga Carioca de Football.

 

PARTICIPANTES

Foram 13 as equipes participantes. Os favoritos, primeiro:
- Sport Club Boa Vista, o Alviverde do Alto da Boa Vista, que fazia boas campanhas desde seu ingresso na Liga, em 1929
- Magno Football Club, o Azulino de Madureira, também favorito
- Oriente Atlético Clube, os camisas rubras de Santa Cruz, campeão de 1931 e que tantos títulos conquistaria no Departamento Autônomo
- Sportivo Santa Cruz, campeão de 1930, de rápida e marcante trajetória no futebol da Zona Oeste

Dos que poderiam fazer um bom papel:
- Curva do Mattoso F.C., que durante o campeonato mudou de nome para Sportivo Campo Grande, sem relação com o Campo Grande atual ou o anterior, cuja participação era uma incógnita
- Sport Club Campinho, do bairro homônimo
- Sudan A.C., de Cascadura
- S.C. São José, de Magalhães Bastos

E os que eram considerados zebras:
- Deodoro A.C., do bairro homônimo
- Esperança F.C., de Santa Cruz
- Vasquinho F.C., do Engenho de Dentro
- Triângulo Azul F.C., do Centro
- Rio-São Paulo, de Madureira, considerado forte candidato à lanterninha

Desses, apenas Boa Vista, Oriente e São José ainda existem…

 

RESULTADOS

E, com início em 26 de Junho, o campeonato apresentou os seguintes resultados:

26/Jun

Boa Vista 1-0 T. Azul
Campinho 2-1 São José
C. do Mattoso 3-1 Oriente
Deodoro 0-2 Magno
Esperança 1-2 Sportivo S.C.
Sudan 3-3 Vasquinho

03/Jul

Magno 1-0 Sudan
Oriente 1-0 Rio-S.Paulo
Sportivo S.C. 1-2 Campinho
São José 1-2 Boa Vista
T. Azul 1-0 C. do Mattoso (cancelled, remarcadi para 27/Nov)
Vasquinho 4-3 Esperança

10/Jul

Boa Vista 2-1 Oriente
Deodoro 1-1 Vasquinho
Esperança 1-1 Campinho
Magno 3-0 Sportivo S.C.
Sudan 1-1 T. Azul
Rio-S.Paulo 1-3 C. do Mattoso

17/Jul

Campinho 1-0 Rio-S.Paulo
C. do Mattoso 2-3 Magno
Deodoro 1-1 Oriente
Sportivo S.C. 3-2 Sudan (cancelado, não chegou a ser remarcado)
T. Azul 1-1 São José
Vasquinho 0-0 Boa Vista

24/Jul

Boa Vista 1-2 C. do Mattoso
Magno 3-2 Vasquinho
Oriente 2-2 Esperança
São José 1-1 Sportivo S.C.
Sudan 2-2 C. do Mattoso
Rio-S.Paulo 1-0 T. Azul

31/Jul

Campinho 1-1 Sudan (cancelado, remarcado para 6/Nov)
C. do Mattoso n/d São José (adiado)
Esperança 2-3 Magno
Sportivo S.C. 2-1 Deodoro
T. Azul 3-3 Oriente
Rio-S.Paulo 1-3 Boa Vista

07/Ago

Campinho 3-1 Vasquinho
Deodoro 2-0 Rio-S.Paulo
Sportivo S.C. 1-1 Oriente
São José 4-1 Esperança
Sudan 2-2 Campinho

14/Ago

Campinho 1-0 Oriente
C. do Mattoso 3-1 Deodoro
Esperança 3-0 Rio-S.Paulo
Magno 3-1 T. Azul
Sportivo S.C. 4-1 Vasquinho
São José 3-5 Sudan

21/Ago

Boa Vista 5-0 Esperança
C. do Mattoso 2-1 T. Azul
Deodoro 0-0 São José
Magno 2-0 Campinho
Vasquinho 3-1 Oriente
Rio-S.Paulo 3-2 Sportivo S.C.

28/Ago

Boa Vista 2-0 Sportivo S.C.
Campinho 0-0 Deodoro
Esperança 1-1 C. do Mattoso
São José 2-2 Magno
Sudan 3-0 Rio-S.Paulo
T. Azul 1-2 Vasquinho

04/Set

Boa Vista 2-1 Deodoro
C. do Mattoso 2-0 Campinho
Oriente 1-2 Sudan
Vasquinho 3-0 São José

11/Set

Boa Vista 1-0 Sudan
Campinho 2-1 T. Azul
Deodoro 4-1 Esperança
Magno 2-1 Rio-S.Paulo
Sportivo S.C. 2-1 C. do Mattoso
São José 1-1 Oriente
Rio-S.Paulo 3-3 Vasquinho

18/Set

Boa Vista 4-2 Campinho
C. do Mattoso 4-3 Vasquinho
Esperança 2-2 Sudan
Oriente 2-2 Magno
T. Azul 2-3 Sportivo S.C.

25/Set

Magno 0-1 Boa Vista
T. Azul 4-0 Deodoro

09/Out

Boa Vista 2-0 São José
Campinho 3-1 Sportivo S.C.
Deodoro 0-WO T. Azul
Esperança 3-2 Vasquinho

02/Out

Magno 2-1 Deodoro
Oriente 4-2 C. do Mattoso
Sportivo S.C. 2-1 Esperança
São José 2-1 Campinho
T. Azul 2-4 Boa Vista
Vasquinho 2-2 Sudan

09/Out

Sudan 0-1 Magno
Rio-S.Paulo 3-4 Oriente

16/Out

Campinho 1-1 Esperança
C. do Mattoso 5-0 Rio-S.Paulo
Oriente 3-2 Boa Vista
Sportivo S.C. 1-2 Magno
T. Azul 0-1 Sudan
Vasquinho 5-1 Deodoro (*)

(*) O Deodoro abandonou o campeonato. Partidas restantes, contra Boa Vista, Campinho,Curva do Mattoso, Oriente, Esperança, Sportivo Santa Cruz, Sudan (2 jogos), São José e Rio-São Paulo contabilizadas como WO.

23/Out

Boa Vista 2-1 Vasquinho
Magno 1-1 C. do Mattoso (*)
São José 4-1 T. Azul
Sudan 2-2 Sportivo S.C.
Rio-S.Paulo 1-2 Campinho

(*) Em 28/Out o Curva do Mattoso mudou de nome: Sportivo Campo Grande

30/Out

Sp. C.Grande 7-2 Boa Vista
Esperança 0-1 Oriente
Sportivo S.C. 5-1 São José
T. Azul 4-2 Rio-S.Paulo
Vasquinho 2-3 Magno

06/Nov

Boa Vista 0-WO Rio-S.Paulo (*)
Campinho 4-2 Sudan
Magno 2-0 Esperança (*)
Oriente 3-0 T. Azul
São José 2-4 Sp. C.Grande

(*) Rio-São Paulo foi suspenso do campeonato. Partidas restantes, contra Vasquinho, Esperança, Magno, São José (2 jogos), Sudan e Sportivo Santa Cruz contabilizadas como WO. Mais tarde, nesse mês, o Esperança também abandonou, e jogos contra C. do Mattoso, Boa Vista, São José, T. Azul (2 jogos) e Sudan também contabilizados como WO.

13/Nov

Sp. C.Grande 6-0 Sudan
Oriente 1-2 Sportivo S.C.
Vasquinho 0-1 Campinho

20/Nov

Oriente 1-1 Campinho
Sudan 1-2 São José
T. Azul 0-1 Magno
Vasquinho 1-1 Sportivo S.C.

27/Nov

Campinho 0-0 Magno
Oriente 2-3 Vasquinho
T. Azul 2-2 Sp. C.Grande (não terminado, conclusão em 24/Jan)

04/Dez

Magno 2-1 São José
Vasquinho 3-1 T. Azul (*)

(*) Triângulo Azul abandonou. Partidas contra Sportivo Santa Cruz e Campinho contabilizadas como WO.

11/Dez

Campinho 0-0 Sp. C.Grande
São José 3-2 Vasquinho
Sudan 0-1 Oriente

18/Dez

Sp. C.Grande 4-2 Sportivo S.C.
Oriente 0-WO São José (*)
Sudan 0-8 Boa Vista

(*) São José decidiu não disputar a partida restante, contra Sportivo Campo Grande (WO). Depois, Sportivo Santa Cruz e Oriente também abandonaram. As partidas restantes (Magno-Oriente, Sportivo-Boa Vista and Sportivo-Sudan) foram consideradas WO.

31/Dez

Campinho 0-3 Boa Vista
Vasquinho 4-1 Sp. C.Grande

08/Jan/1933 Boa Vista 3-1 Magno

24/Jan/1933 T. Azul 0-WO Sp. C.Grande(*)

(*) Minutos restantes do jogo de 27/Nov, mas o Sportivo Campo Grande não compareceu.

………………………….P   G   W   D   L  GF  GA  GD
1. Boa Vista …………..41  24  20   1     3  50   22   28 … campeão
2. Magno ……………..40  24  18   4     2  41   22    19
3. Sp. C.Grande …….34  24  15   4     5  55    31   24
4. Campinho …………31  24  12    7    5  29    26    3
5. Sportivo S.C. ………26  24   11   4    9  34    33    1
6. Oriente …………….25  24    9   7    8  35    34    1
6. Sudan ………………25  24    9   7    8  28    42  -14
8. Vasquinho …………..24  24    9   6   9   51    46     5
9. São José ……………23  24    9   5  10  29    36    -7
10. T. Azul …………….13  24    5   3  16  23    37   -14
10. Esperança ………..13  24   4   5  15  22     36   -14
12. Deodoro …………..10  24   3   4  17  13     23  -10
13. Rio-S.Paulo ………..7  24    3   1  20  16    38   -22

A partida final, entre Magno e Boa Vista, decidiu o título.

O Magno tinha 40 pontos e o Boa Vista 39, portanto, o Magno só precisava de um empate para ser o campeão. Mas o jogo era no campo do Boa Vista, na Estrada das Furnas. Os dois times entraram em campo com os seguintes jogadores (na época, não havia substituição):

Boa Vista – Capeto; Gigante e Bahiano; Manolo, Viveiros e Sinhô; Antoninho, Almeida, Sapo, Congo e João.

Magno – Guilherme; Canhoto e Lourival; Citto, Cavallaria e Gerê; Lindo, Noca, Gereba, Camisa e Joaquim.

Juiz: Sr. Antônio Drummond

A partida foi emocionante. Logo aos 15 minutos o Boa Vista abriu o placar, com um belo chute de João. Porém o Magno conseguiu empatar, com gol de Gereba. No segundo tempo, Sapo fez de cabeça após cruzamento e colocou o Boa Vista de novo na frente do placar. Porém os minutos finais seriam de tensão. O Magno pressionava, tentando o empate (que lhe daria o título) a qualquer custo, e o Boa Vista tentava segurar o placar. Aí veio o lance que decidiu tudo. Sinhô, jogador de linha, salvou uma bola que entraria no gol do Boa Vista, e armou o contra-ataque fulminante. Antoninho recebeu a bola e, com a defesa do Magno aberta, fuzilou: 3 a 1, e título para o “Alviverde do Alto”.

MAGNO 1 x 3 BOA VISTA
Data – 08 / 01 / 1933
Local – Estrada do Furnas (Rio de Janeiro – RJ)
Árbitro – Antônio Drummond
Gols – Gereba p/o Magno; João, Sapo e Antoninho p/o Boa Vista
Magno – Guilherme; Canhoto e Lourival; Citto, Cavallaria e Gerê; Lindo, Noca, Gereba, Camisa e Joaquim.
Boa Vista – Capeto; Gigante e Bahiano; Manolo, Viveiros e Sinhô; Antoninho, Almeida, Sapo, Congo e João.

 

Infelizmente hoje dá pena ver o Guarani Futebol Clube de Campinas/SP jogar. Uma equipe muito fraca e que deve cair para a Série C do Brasileiro em 2012. Mas para alegrar o amigo Jorge Farah (bugrino de coração !!!), publico abaixo a campanha da equipe campineira quando conqusitou o título da Taça de Prata do Brasileirão de 1981 (equivalente a 2ª Divisão). Veja pelos nomes dos jogadores, o verdadeiro esquadrão que era:

GUARANI(SP) 1-0 CORITIBA(PR)
Data: 11 de janeiro de 1981
Local: Campinas/SP
Renda: Cr$ 692.400,00 (7.564 pagantes)
Juiz: José Marçal Filho
Gol: Careca
Guarani(SP): Birigui; Gaspar, Jaime, Édson e Miranda (Almeida); Edmar, Ângelo e Paulo César; Lúcio, Careca e Marcelo (Paulo Borges).
Coritiba(PR): Roberto; Paulo Maurício, Eduardo, Gardel e Serginho; Sérgio Ronaldo, Maurício e Viana (Valderez); Alarcon (Gil), Lance e Tico.

GUARANI(SP) 1-1 MARINGÁ(PR)
Data: 14 de janeiro de 1981
Local: Campinas/SP
Renda: Cr$ 263.700,00 (2.819 pagantes)
Juiz: Airton Domingos Bernardoni
Gols: Jorge Mendonça / Zé Carlos
Guarani(SP): Birigui; Gaspar, Jaime, Édson e Miranda; Edmar, Paulo César (Paulo Borges) e Jorge Mendonça; Lúcio, Careca e Angelo.
Maringá(PR): Rafael; Augusto, Edvaldo, Osires e Elói; Élcio, Zé Carlos e Ademir; Paulo César, Arlindo (Lazinho) e João Paulo (Nelo).

GUARANI(SP) 0-2 JUVENTUS(SP)
Data: 18 de janeiro de 1981
Local: São Paulo/SP
Renda: Cr$ 107.700,00 (1.134 pagantes)
Juiz: Romualdo Arppi Filho
Gols: Sávio e Ataliba
Guarani(SP): Birigui; Gaspar, Jaime, Édson e Miranda; Edmar (Almeida), Angelo e Jorge Mendonça; Lúcio, Careca e Fernando (Paulinho).
Juventus(SP): Colonezzi; Deodoro, Fagundes, Leis e Bizi; Ruço, Toninho Vanuza e César (Gilmar); Ataliba, Silva (Cuca) e Sávio.

GUARANI(SP) 6-0 SERRANO(RJ)
Data: 21 de janeiro de 1981
Local: Campinas/SP
Renda: Cr$ 261.950,00 (2.934 pagantes)
Juiz: José Muniz Brandão
Gols: Jorge Mendonça (3), Careca, Ângelo e Lucio
Guarani(SP): Birigui; Gaspar, Jaime, Édson (Magalhães) e Miranda (Almeida); Edmar, Angelo e Jorge Mendonça; Lúcio, Careca e Capitão.
Serrano(RJ): Acácio; Paulo Verdum, Renato, paulo Ramos e Candido; Israel, Wellington e Moreno; Gilberto, Índio e Átila.

GUARANI(SP) 2-1 CASCAVEL(PR)
Data: 25 de janeiro de 1981
Local: Cascavel/PR
Renda: Cr$ 707.220,00
Juiz: Julio César Cosenza
Gols: Careca (2) / Daniel
Guarani(SP): Birigui; Gaspar, Jaime, Édson e Miranda (Almeida); Edmar, Angelo e Jorge Mendonça; Lúcio, Careca e Capitão.
Cascavel(PR): Claudinho; Renê, Gritti, Rubens Paula e Valdeir (Ademar); Moacir, Maurinho e Doquinha; marcos, Daniel e Sérgio Ramos.

GUARANI(SP) 2-1 CAMPO GRANDE(RJ)
Data: 28 de janeiro de 1981
Local: Rio de Janeiro/RJ
Renda: Cr$ 408.150,00 (2.658 pagantes)
Juiz: Rui Cañedo
Gols: Jorge Mendonça e Marcelo / Caio
Guarani(SP): Birigui; Gaspar, Jaime, Édson e Miranda (Almeida); Edmar, Angelo e Jorge Mendonça; Paulo Borges (Marcelo), Careca e Paulinho.
Campo Grande(RJ): Jorge; Orlando, Neném, Paulo Siri e Jacenir; Brás, Pingo e Edu; Tuchê (Manfrini), César e Caio.

GUARANI(SP) 4-1 BOTAFOGO(SP)
Data: 01 de fevereiro de 1981
Local: Campinas/SP
Renda: Cr$ 659.750,00 (7.186 pagantes)
Juiz: Ulisses Tavares da Silva Filho
Gols: Lúcio (2), Careca e Jorge Mendonça / Vander
Guarani(SP): Birigui; Gaspar, Jaime, Édson e Almeida; Edmar (Magalhães), Angelo e Jorge Mendonça; Lúcio (Paulo Borges), Careca e Paulinho.
Botafogo(SP): Altevir; Wilson Campos, Batista, Isidoro e Beto; Flamarion, Osmarzinho (Silvinho) e De Rosis; Didi, Vander e Zito (Pedrinho).

GUARANI(SP) 0-1 AMERICANO(RJ)
Data: 07 de fevereiro de 1981
Local: Campos/RJ
Renda: Cr$ 600.150,00 (4.001 pagantes)
Juiz: Valdir Louroz
Gol: Té
Guarani(SP): Birigui; Gaspar (Ariovaldo), Jaime, Édson e Almeida; Edmar, Angelo e Jorge Mendonça; Paulo Borges, Careca e Capitão (Banana).
Americano(RJ): Gato Félix; Totonho, Oliveira, Tita e Valdir; Índio, Manuel (Maguinho) e Sousa; Luis Carlos, Té e Sérgio Pedro.

GUARANI(SP) 2-1 PALMEIRAS(SP)
Data: 15 de fevereiro de 1981
Local: Campinas/SP
Renda: Cr$ 2.442.250,00
Juiz: Romualdo Arppi Filho
Gols: Careca e Jorge Mendonça / Sena
Guarani(SP): Birigui; Gaspar (Ariovaldo), Jaime, Édson e Miranda (Almeida); Edmar, Angelo e Jorge Mendonça; Lúcio, Careca e Capitão.
Palmeiras(SP): João Marcos; Nenê, Édson (Deda), Marquinhos e Jaime Bôni; Vitor Hugo, Pires e Sena; Osni, Paulinho e Baroninho (Romeu).

GUARANI(SP) 4-1 AMERICANO(RJ)
Data: 18 de fevereiro de 1981
Local: Campinas/SP
Renda: Cr$ 1.164.350,00 (12.521 pagantes)
Juiz: Maurílio José Santiago
Gols: Jorge Mendonça (3) e Lúcio / Tita
Guarani(SP): Birigui; Gaspar (Magalhães), Jaime, Édson e Almeida; Edmar, Angelo e Jorge Mendonça; Lúcio (Paulo Borges), Careca e Capitão.
Americano(RJ): Gato Félix; Totonho, Oliveira, Tita (Sérgio Nunes) e Valdir; Índio, Maguinho e Sousa; Luis Carlos, Té e Sérgio Pedro.

GUARANI(SP) 0-2 PALMEIRAS(SP)
Data: 25 de fevereiro de 1981
Local: São Paulo/SP
Renda: Cr$ 3.710.600,00 (33.863 pagantes)
Juiz: Dulcídio Wanderley Boschilla
Gols: Sena (2)
Guarani(SP): Birigui; Miranda, Magalhães, Édson e Almeida; Edmar (Paulo César), Angelo e Jorge Mendonça; Lúcio, Careca e Capitão (Da Costa).
Palmeiras(SP): João Marcos; Benazzi, Marquinhos, Darinta e Jaime Bôni; Vitor Hugo, Célio e Sena; Osni, Paulinho e Baroninho (Romeu).

GUARANI(SP) 2-1 COMERCIAL(MS)
Data: 07 de março de 1981
Local: Campo Grande/MS
Renda: Cr$ 795.160,00 (5.396 pagantes)
Juiz: Bráulio Zanoto
Gols: Ângelo e Lúcio / Zé Cláudio
Guarani(SP): Birigui; Miranda, Magalhães, Da Costa e Almeida; Edmar, Angelo e Banana; Lúcio, Capitão, Paulinho (Paulo César).
Comercial(MS): Dorival; Cardoso, Odair, Arouca e Mug; Dema, Jenildo e Zé Cláudio (Valter); Cido, Toninho e Sérgio Américo.

GUARANI(SP) 3-0 COMERCIAL(MS)
Data: 14 de março de 1981
Local: Campinas/SP
Renda: Cr$ 809.050,00 (6.238 pagantes)
Juiz: Wilson Carlos dos Santos
Gols: Horge Mendonça, Capitão e Jaime
Guarani(SP): Birigui; Miranda, Jaime, Édson e Almeida; Edmar (Paulo César), Angelo e Jorge Mendonça; Lúcio (Banana), Careca e Capitão.
Comercial(MS): Dorival; Cardoso, Odair, Arouca e Mug; Dema, Jenildo e Zé Cláudio; Cido, Toninho e Sérgio Américo.

GUARANI(SP) 4-2 ANAPOLINA(GO)
Data: 21 de março de 1981
Local: Anápolis/GO
Renda: Cr$ 1.072.300,00 (8.595 pagantes)
Juiz: Maurílio José Santiago
Gols: Careca (2), Lúcio e Miranda / Nei e Fernando
Guarani(SP): Birigui; Miranda, Jaime, Édson e Almeida; Edmar, Angelo e Banana (Paulo César); Lúcio, Careca e Capitão.
Anapolina(GO): Nilson; Assis (Wilson Soares), Sidnei, Ribas e Milton; Paulo Sérgio, Nei e Esquerdinha; Jorge Cruz, Fernando e Edu.

GUARANI(SP) 1-1 ANAPOLINA(GO)
Data: 27 de março de 1981
Local: Campinas/SP
Renda: Cr$ 1.625.400,00 (12.452 pagantes)
Juiz: Manuel Serapião Filho
Gols: Marcelo / Osmário
Guarani(SP): Birigui; Miranda, Jaime, Édson e Almeida; Edmar, Angelo e Jorge Mendonça; Marcelo (Paulo César), Lúcio e Capitão (Frank).
Anapolina(GO): Nilson; Assis (Wilson Soares), Sidnei, Ribas e Milton; Paulo Sérgio, Nei e Mário; Jorge Cruz, Osmário e Esquerdinha (Rodrigues).

 

Na década de 60, o futebol paraense foi um vasto campo para a realização de torneios amistosos, somente a cidade de Belém chegou a organizar 3 edições e sempre com um time de outro estado como convidado, para disputar com os seus três clubes mais populares, Paysandu, Remo e Tuna Luso, o Vasco da Gama participou e venceu o 2º quadrangular e no mês de e inicio de novembro o Esporte Clube Bahia desembarcou na cidade para participar da 3º edição.

24/10/1964 – BAHIA 3 X 0 REMO

Local: Estádio Baenão

Gols: Gilson Porto, Raimundo Mario e Valença

BAHIA: Caballero; Thiago, Henrique, Roberto e Florisvaldo; Marivaldo e Miro; Caçote, Valença, Raimundo Mario (Edinho) e Gilso Porto (Abilio).

REMO: Arlindo; Sérgio, Carvalho, Valcino e Edilson; Zé Luis e Zeca; Pipico, Neves, Valter (Zezé) e Chaminha (Rangel).

PAYSANDU 1 X 1 TUNA LUSO

27/10/1964 – BAHIA 2 X 0 TUNA LUSO

Local: Estádio da Curuzu

Gols: Valença e Edinho

BAHIA: Caballero; Helio (Thiago), Henrique, Roberto e Florisvaldo; Bronzeado (Marivaldo) e Miro (Aurelino); Valença, Edinho (Caçote), Abilio (Raimundo Mario) e Gilson Porto.

TUNA LUSO: Celso; Almeida (Carlos), Prata, Geraldo e Valdir; Isaias e Morais (Vanjinho); Joãozinho (Indio), Nascimento, Da Silva (Rodrigo) e Santiago.

PAYSANDU 0 X 1 REMO

01/11/1964 – BAHIA 1 X 1 PAYSANDU

Local: Estádio da Curuzu

Gols: Gilson Porto (Bah) e Ercio (Pay)

BAHIA: Caballero; Helio , Henrique, Roberto (Bronzeado) e Florisvaldo; Marivaldo e Miro ; Valença (Abilio), Edinho (Caçote), Raimundo Marioe Gilson Porto (Hamilton).

PAYSANDUJorge, Oliveira e Zé Ferreira; Mangaba, Casemiro (Abel) e Paulo; Laércio, Ferreira (Sirothou), Carlos Alberto (Beto), Purifica e Ercio.

REMO 4 X 0 TUNA LUSO

O Esporte Clube Bahia se sagrou o grande campeão do 3º Quadrangular da cidade de Belém, com duas vitórias e um empate marcando 6 gols e sofrendo um tento sendo Gilson Porto com sua potentosa canhota o artilheiro da equipe, Chaminha do Remo foi o goleador com 3 gols.

Fontes: Textos Galdino Silva

Pesquisa: RSSSF, Site Bau Velho e Arquivo Pessoal Galdino Silva

 

15 JOGOS
10 VITÓRIAS
03 EMPATES
02 DERROTAS
25 GOLS MARCADOS
08 GOLS SOFRIDOS

20.08.1995
SÃO FRANCISCO 0-0 SISAL BONFINENSE (SENHOR DO BONFIM), em Senhor do Bonfim

27.08.1995
SÃO FRANCISCO 3-0 ESTRELA DE MARÇO (SALVADOR), em Salvador

03.09.1995
SÃO FRANCISCO 1-0 BAHIA (FEIRA DE SANTANA), em São Francisco do Conde

07.09.1995
SÃO FRANCISCO 1-1 JACUIPENSE (RIACHÃO DO JACUÍPE), em São Francisco do Conde

10.09.1995
SÃO FRANCISCO 2-3 JUAZEIRO (JUAZEIRO), em Juazeiro

24.09.1995
SÃO FRANCISCO 1-0 SIMÕES FILHO (SIMÕES FILHO), em São Francisco do Conde

01.10.1995
SÃO FRANCISCO 1-0 BAHIA (FEIRA DE SANTANA), em Feira de Santana

08.10.1995
SÃO FRANCISCO 2-0 ESTRELA DE MARÇO (SALVADOR), em São Francisco do Conde

12.10.1995
SÃO FRANCISCO 0-0 JACUIPENSE (RIACHÃO DO JACUÍPE), em Riachão do Jacuípe

15.10.1995
SÃO FRANCISCO 3-0 SIMÕES FILHO (SIMÕES FILHO), em Simões Filho

22.10.1995
SÃO FRANCISCO 1-0 JUAZEIRO (JUZEIRO), em São Francisco do Conde

02.11.1995
SÃO FRANCISCO 1-0 SISAL BONFINENSE (SENHOR DO BONFIM), em São Francisco do Conde

12.11.1995
SÃO FRANCISCO 7-1 SISAL BONFINENSE (SENHOR DO BONFIM), em São Francisco do Conde

15.11.1995
SÃO FRANCISCO 1-0 JACUIPENSE (RIACHÃO DO JACUÍPE), em Riachão do Jacuípe

19.11.1995
SÃO FRANCISCO 1-3 JACUIPENSE (RIACHÃO DO JACUÍPE), em São Francisco do Conde

sfrancisco

Fonte: arquivos pessoais do autor

 

23 jogos
14 vitórias
05 empates
04 derrotas
50 gols marcados
19 gols sofridos

15.03.1998
UNICLINIC 6-1 MARANGUAPE (MARANGUAPE), em Fortaleza
22.03.1998
UNICLINIC 0-1 GUARANI (JUAZEIRO DO NORTE), em Juazeiro do Norte
24.03.1998
UNICLINIC 3-0 CRATO (CRATO), em Crato
29.03.1998
UNICLINIC 0-1 MARANGUAPE (MARANGUAPE), em Maranguape
05.04.1998
UNICLINIC 1-0 GUARANI (JUAZEIRO DO NORTE)
07.04.1998
UNICLINIC 4-0 CRATO (CRATO), em Fortaleza
26.04.1998
UNICLINIC 1-0 ITAPAJÉ (ITAPAJÉ), em Itapajé
01.05.1998
UNICLINIC 3-0 ITAPAJÉ (ITAPAJÉ), em Fortaleza
09.05.1998
UNICLINIC 3-0 ITAPIPOCA (ITAPIPOCA), em Fortaleza
17.05.1998
UNICLINIC 4-3 TERRA E MAR (FORTALEZA), em Fortaleza
06.06.1998
UNICLINIC 1-1 ITAPAJÉ (ITAPAJÉ), em Fortaleza
11.06.1998
UNICLINIC 4-1 TERRA E MAR (FORTALEZA), em Fortaleza
14.06.1998
UNICLINIC 3-2 AMÉRICA (FORTALEZA), em Fortaleza
17.06.1998
UNICLINIC 0-0 ITAPIPOCA (ITAPIPOCA), em Itapipoca
21.06.1998
UNICLINIC 0-1 ITAPAJÉ (ITAPAJÉ), em Itapajé
28.06.1998
UNICLINIC 5-2 TERRA E MAR (FORTALEZA), em Fortaleza
05.07.1998
UNICLINIC 1-2 ITAPIPOCA (ITAPIPOCA), em Fortaleza
11.07.1998
UNICLINIC 4-0 AMÉRICA (FORTALEZA), em Fortaleza
19.07.1998
UNICLINIC 1-1 ITAPAJÉ (ITAPAJÉ), em Itapajé
26.07.1998
UNICLINIC 2-2 ITAPAJÉ (ITAPAJÉ), em Fortaleza
28.07.1998
UNICLINIC 1-0 ITAPAJÉ (ITAPAJÉ), em Fortaleza
02.08.1998
UNICLINIC 1-1 ITAPIPOCA (ITAPIPOCA), em Fortaleza
09.08.1998
UNICLINIC 2-0 CRATO (CRATO), em Crato

Fonte: arquivos pessoais do autor

 

16 jogos
07 vitórias
05 empates
04 derrotas
26 gols marcados
14 gols sofridos

09.10.1994
CONQUISTA 2-0 SISAL BONFINENSE (SENHOR DO BONFIM), em Vitória da Conquista
12.10.1994
CONQUISTA 2-1 BAHIA (FEIRA DE SANTANA), em Feira de Santana
16.10.1994
CONQUISTA 0-0 EUNÁPOLIS (EUNÁPOLIS), em Vitória da Conquista
19.10.1994
CONQUISTA 1-1 BANCÁRIOS (SALVADOR), em Salvador
23.10.1994
CONQUISTA 2-0 JACUIPENSE (RIACHÃO DO JACUÍPE), em Vitória da Conquista
02.11.1994
CONQUISTA 2-2 RATRANS (SÃOSEBASTIÃO DO PASSÉ), em São Sebastião do Passé
06.11.1994
CONQUISTA 0-1 BAHIA (FEIRA DE SANTANA), em Vitória da Conquista
09.11.1994
CONQUISTA 1-1 EUNÁPOLIS (EUNÁPOLIS), em Eunápolis
13.11.1994
CONQUISTA 2-1 BANCÁRIOS (SALVADOR), em Vitória da Conquista
20.11.1994
CONQUISTA 1-2 JACUIPENSE (RIACHÃO DO JACUÍPE), em Riachão do Jacuípe
23.11.1994
CONQUISTA 1-3 SISAL BONFINENSE (SENHOR DO BONFIM), em Senhor do Bonfim
27.11.1994
CONQUISTA 4-0 RATRANS (SÃOSEBASTIÃO DO PASSÉ), em Vitória da Conquista
30.11.1994
CONQUISTA 5-1 SISAL BONFINENSE (SENHOR DO BONFIM), em Vitória da Conquista
04.12.1994
CONQUISTA 0-0 SISAL BONFINENSE (SENHOR DO BONFIM), em Senhor do Bonfim
07.12.1994
CONQUISTA 3-1 EUNÁPOLIS (EUNÁPOLIS), em Vitória da Conquista
11.12.1994
CONQUISTA 0-0 EUNÁPOLIS (EUNÁPOLIS), em Eunápolis

Fonte: arquivos pessoais do autor

 

vitoCom um time  mesclado  o Vitória se impôs ao ABC, campeão potiguar e da Série C do Brasileiro, calando a torcida que lotou o Frasqueirão, em Natal (quarta, 1/12).

Com um gol de João Paulo, o ABC saiu na frente e permitiu a virada do Vitória, com gols de Cleiton e Marconi, e perdeu a chance de conquistar a tríplice coroa, já que venceu o estadual e Serie C. O ABC estava muito confiante.

O Vitoria com nove triunfos, quatro empates e três derrotas, 26 gols marcados e 18 sofridos, conquistou o tetra em sete decisões. O time foi uma mescla da garotada com alguns profissionais mais experientes, e teve no comando Ricardo Silva que  conquistou seu segundo título em três disputados: é tetracampeão baiano e do Nordeste, e vice da Copa do Brasil.

Nos 16 jogos, o rubro-negro obteve vitórias memoráveis, como a diante do rival Bahia, goleando por 5 x 1, no Estádio Roberto Santos, mando de campo do adversário.

Os campeões:

1994 – Sport
1997 – Vitória
1998 – América de Natal
1999 – Vitória
2000 – Sport
2001 – Bahia
2002 – Bahia
2003 – Vitória
2010 – Vitória

 

A aura que envolveu aquele Campeonato Brasileiro da Série C de 1997 foi diferente, de um misticismo que não há como explicar, a não ser pelo sentimento vivido por aqueles que lá estavam. E eu era um deles; a inédita possibilidade de presenciar um momento glorioso de um clube do meu Estado dava o toque ufanista que faltava à essa mistura de sensações…

O Clube já havia passado por uma situação igual em 1972, é verdade, quando vencera a Segundona e fora elevado à elite do futebol brasileiro, com várias pratas da casa em um talentosíssimo elenco. Mas dessa vez era diferente, era algo palpável, discernível, crível e, por que não, indescritível?!

Lembranças de um Estádio Castelão lotado, mesmo em campeonatos locais. Lembranças das “gerais”, já quase extintas Brasil afora e seus personagens emblemáticos, sua “ola”, seus irritantes apitos a confundir a tudo e a todos, seus tradicionais lançamentos de sacos cheios de urina arquibancada abaixo…tempo bom que, apesar de recente, talvez nunca volte.

A irretocável campanha do clube não deixou dúvidas quanto à sua capacidade tática e técnica e força de planejamento. Só que todos esquecem de um detalhe precioso nessas horas; no futebol, depois da bonanza é que vem a tempestade! O plantel seria inevitavelmente desestruturado no ano seguinte, deixando para trás títulos e, com certeza, alguns prejuízos. Mas torcedor não lembra disso; o imediatismo é o maior dos pecados futebolísticos! Nada estragaria aquela festa, e foi o que aconteceu!

Depois de uma 1ª fase mais regionalizada e de árduos confrontos nas fases de “mata-mata”, o time havia chegado invicto no último jogo do Quadrangular Final contra a Francana, de São Paulo. Havia a possibilidade real de igualar o feito histórico e, até então, único do Sport Club Internacional em 1979. Em um Castelão abarrotado com aproximadamente 70.000 “bolivianos”, o Sampaio desfilou talento em gramado timbira, abrindo 2 gols contra nenhum da Francana, que só diminuiria o placar no 2º tempo, com um gol de pênalti. O tempo de jogo estava se exaurindo…a euforia tomava conta de uma enorme platéia sedenta e carente de títulos, mas historicamente amadora do tão refinado esporte bretão.

Foi quando, faltando poucos minutos para o término da partida, um infernal atacante de nome Cal sacramenta a vitória, o título e uma delirante invasão ao campo, tudo de uma só vez! Eram heróis! Talvez até desconhecidos de muitos que ali estavam, mas ainda assim heróis…não tinham idéia da dimensão daquilo que haviam acabado de fazer! A imensa massa tricolor veio abaixo…era mesmo o maior do Maranhão, o maior do Brasil! E pensar que tudo aquilo havia começado entre gente humilde, funcionários fabris, carvoeiros, peladeiros e pescadores, muitos anos atrás…a iniciativa de pioneiros havia construído uma nação, tijolo por tijolo, em três cores intercaladas; o encarnado, o verde e o amarelo.

Saí do estádio com meu pai naquele dia enebriado com o clima do acontecido. Os torcedores sem saber o que fazer, ou mesmo sem acreditar, comemoravam a esmo, como se expressassem a carência de eventos tão gloriosos como aquele. Naquele dia havia virado, definitivamente, mais um “boliviano”. Quem sabe fadado ao sofrimento…mas qual torcedor não é fadado a tal “sorte”? Futebol sem sofrimento não é futebol, é simples mecanismo!

Desde então venho sofrendo, na ânsia de um novo e duradouro período de bonanza, sempre na esperança de que não haja tanta tempestade…

Ramssés Silva.

** BÔNUS:

Vídeos

http://www.youtube.com/watch?v=ESY0omy5EHg

http://www.youtube.com/watch?v=etRUEhB7i5M

http://www.youtube.com/watch?v=EYX4x9SeGUo

Resultados

Primeira Fase
Santa Rosa/PA 0×0 Sampaio
Sampaio 1×0 River/PI
4 de Julho/PI 0×1 Sampaio
Sampaio 4×0 Santa Rosa/PA

Segunda Fase
Sampaio 1×1 Quixadá/CE
Quixadá/CE 0×1 Sampaio

Terceira Fase
Santa Rosa/PA 0×0 Sampaio
Sampaio 3×2 Santa Rosa/PA

Quadrangular Final
Francana/SP 1×1 Sampaio
Sampaio 3×0 Tupi/MG
Sampaio 1×1 Juventus/SP
Juventus/SP 2×2 Sampaio

Tupi/MG 0×1 Sampaio
Sampaio 3×1 Francana/SP

Estatísticas

Jogos: 18
Vitórias: 12
Empates: 6
Derrotas: 0
Gols pró: 31
Gols contra: 11
Saldo de gols: 20

Artilheiro: Marcelo Baron (Sampaio Corrêa): 9 gols

Maior média de Público da Série C 1997.
Maior público (70.000) Sampaio 3×1 Francana

Jogadores

Geraldo, Erly, Ney, Gelásio e Lélis; Luís Almeida, Renato Carioca, Ricardo (Edmilson) e Adãozinho; Jó (Cal) e Marcelo Baron.
Técnico: Pinho.

© 2017 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha