FONTE: Revista Placar.

 

 

FONTE: site Revide.

 

 O Botafogo Futebol Clube de Ribeirão Preto é um dos poucos clubes de que já venceu o tradicional Boca Júniors em solo Argentino.

Em 11 de Julho de 1971, o clube ribeirão-pretano venceu o time portenho por 5 x 3. 

O jogo foi realizado no estádio Dr. Luis Güemes em Salta.

As duas equipes já haviam se enfrentado anteriormente, em La Bombonera, em 1962, quando os anfitriões venceram por 2 x 1.

Ficha do Jogo:

Boca Júniors: Roma, Meléndez e Marzolini; Suñe, Cabrera (Peracca) e Rogel; Coch (Pianetti), Medina, Curioni, Savoy e Tarabini.

Botafogo-SP: Jeninho; Manuel e Luis Celso; Galli, Cunha e Jackson; Paulinho, Marco Antônio, Ferreyra, Alfredo e Geraldinho (Geraldo).

 Estádio: Dr. Luis Güemes – Salta (ARG).

 Árbitro: A. Ducatelli

 Renda: $ 4.818,000.

 Gols: Paulinho (bota), Ferreyra (2) (bota), Savoy (boca), Marco Antônio (bota), Curioni (2) (boca).

Fonte: Anotando Fútbol, Revide e Botafogo Futebol Clube.

 

 

 

Associação Rosário de Futebol. Clube de futebol da cidade de Rosário do Sul . Fundação: 7 de fevereiro de 1977. Estádio: Centenário – Alcides da Silva

Fonte: Rosário do Sul em fotos.

 

 

Em pé: Oliveira,Beto,Jota Alves,Abel,Castilho,Carlinhos. Agachados: Quarentinha,Pau Preto,Édson Piola,Milton Dias e Ércio.

Fonte:Enciclopédia do Futebol Paraense

 

 

 

FONTE: Revista Placar.

 

 

 

No dia 02 de abril de 1978, ainda de camisa azul, o Criciúma fez o primeiro jogo da sua história, em um amistoso contra o Clube Náutico Marcílio Dias de Itajaí.

 Fonte: site Criciúma E. C.

 

Fonte: Site Juventus Santa Rosa

 

De pé, da esquerda para a direita, o roupeiro Faustino, Bordão, Lambari, Chicão, Luia, ? , Ismar, Bilu, ? , e o treinador Braulio Blos. Agachados, na mesma ordem, o massagista Edo Schein, Flávio, Ivan, Auri, Paulo Schuh e Silvio.

No ano de 1978, a Federação Gaúcha de Futerbol convocou jogadores amadores, formando uma seleção, que disputou alguns jogos amistosos. O 15 de Campo Bom, além do treinador Braulio Blos, colaborou com os jogadores Luia, Ismar, Bilu, Ivan e Paulo Schuh. Também prestaram serviços o roupeiro Faustino e o massagista Edo Schein.

Esta seleção teve também jogadores do Riachuelo, de São Sebastião do Caí, Juventude, de Ibirubá, e do Juventus, de Encruzilhada do Sul.

Fonte: Clube 15 de Campo Bom.

 

 

 

Fonte: Museu Virtual do Futebol

 

 

 

FONTE: Museu Virtual do Futebol

 

Em um dia como hoje, há 113 anos (06/03/1904), realizou-se o Troféu Wanderpreis, a primeira partida oficial do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense disputada contra o time do FussBall Club Porto Alegre.

A partida foi realizada em campo não conhecido, possivelmente da várzea, e foi ganho pelo Grêmio pelo placar de 1 x 0.

Segue a ficha do jogo:

Troféu Wanderpreis:

Fussball 0 x 1 Grêmio

Data: 06/03/1904.

Horário: 15:30.

Local: desconhecido.

Árbitro: Waldemar Bromberg

Gol: desconhecido.

Escalações:

Fussball: Schoeler (C), O. Matte, A. Matte, W. Trein, Schmitt, Schaitza, A. Becker, O. Becker, Heuser, Krämer e E. Becker.

Grêmio: Siebel (C), Knewitz, Fädrich, Uhrig, Pedro Huch, A. Siebel, Black, Cattaneo, Cleres, J. Knewitz e Stelczyk.

Jornal “A Federação” do dia 07/03/1904, pós jogo:

 

Fonte: site grêmiopédia.

 

O campeonato gaúcho de 1919 foi primeiro campeonato regional do Estado do Rio Grande do Sul, organizado pela recém-criada Federação Riograndense de Desportos.

Originalmente, fariam parte do campeonato as equipes vencedoras de sete importantes cidades do Estado: Grêmio (Porto Alegre), Nacional (São Leopoldo), Guarany (Bagé), representante de Cruz Alta (sem referências), Brasil (Pelotas), Uruguaiana (Uruguaiana) e 14 de julho (Santana do Livramento).

Entretanto, 5 clubes perderam o prazo peremptório estabelecido pela Federação para a inscrição de atletas, restando assim, apenas Grêmio e Brasil de Pelotas para a disputa de uma espécie de “final em jogo único”.

O vencedor, levaria o título de primeiro campeão gaúcho da história, além de ser convidado para participar do Torneio de Campeões Estaduais, organizado pela CBD, no ano de 1920 no Rio de Janeiro.

Os finalistas:

O Grêmio Sportivo Brasil (depois Esportivo, com a nacionalização do nome) credenciou-se à disputa do título após sagrar-se tricampeão da Liga Pelotense. Título conquistado de forma invicta naquele ano de 1919. Disputaram a liga em 1919: Brasil, Guarany, Ideal, Rio Branco, União e o arquirrival Pelotas.

Em 3 anos, a equipe havia sofrido apenas uma derrota, ocorrida no ano de 1917, para o mesmo Grêmio, por 2-1.

Na época, somente o zagueiro Ary não participou daquele “match”.

Segundo fontes, o defensor era o único do plantel não nascido em Pelotas. Havia sido trazido do Sport Club Internacional no início de 1919.

Os demais jogadores eram pratas da casa do clube pelotense.

 Foto: equipe do Brasil de 1919

o Grêmio FootBall Portoalegense, chegou para a disputa do título após ter se sagrado campeão do Campeonato Citadino de Porto Alegre.

Naquele ano, o campeonato foi disputado por Cruzeiro, Grêmio, Internacional, Porto Alegre, Tabajara e São José.

 Na final, o Grêmio venceu o São José pelo placar de 3×2.

O local do jogo.

A partida foi marcada pela Federação para às 16h do dia 9 de novembro de 1919 no “Ground do Moinhos de Vento”, como era chamado o estádio do Fortim da Baixada, pertencente ao Grêmio FootBall Portoalegrense.

Com isso, até mesmo os sócios tricolores, tiveram que comprar ingresso para assistir ao match,. Contudo, teriam a preferência para ocupar as dependências do Pavilhão da Baixada.

Na época, os ingressos foram disponibilizados ao preço de 2$00 e 3$00 (arquibancadas).

Segundo informações do Jornal Correio do Povo, do dia 8 de novembro de 1919, cada cavalheiro teria direito de levar duas senhoritas ou dois cavalheiros como acompanhantes.

As entradas podiam ser adquiridas na Rua do Andradas, 375 (antiga Rua da Praia, no Centro de Porto Alegre).

Foto: pintura do antigo Fortim da Baixada (fonte:www.guascatur.com)


 Antecedentes da partida.

O Brasil, chegou a Porto Alegre na véspera da partida, a bordo do Vapor Mercedes. A delegação foi chefiada pelo seu presidente na época, o Cel. Manoel Simões Lopes.

Ficaram hospedados no Hotel Paris, em Porto Alegre.

Faziam parte da delegação, pessoas influentes do meio esportivo pelotense, mais conhecidos na época como “Sportmans”. Entre eles, Francisco Ferreira, Farias Guimarães e Solon Silveira, além sócios do clube, familiares dos atletas, torcedores importantes e representantes dos demais clubes pelotenses.

Para a partida, a Federação Riograndense de Desportos, convidou o Sr. Fontoura, dirigente do Cruzeiro de Porto Alegre para ser o árbitro.

 O jogo

O Grêmio levada um certo favoritismo para o Match, visto que jogava em casa, apesar do campo ser considerado neutro em face do arrendamento requisitado pela Federação.

Além disso, a única derrota imposta ao Brasil em três anos foi justamente frente ao Grêmio.

O Jornal Correio do Povo, na véspera da partida, referia que o time Gremista com certeza conquistaria o inédito titulo de campeão estadual, amanhã, no Ground do Moinhos de Vento.

Como se vê, o maracanaço portoalegrense ocorreria naquela data, 31 anos antes da Copa do Mundo no Brasil.

O tricolor, apesar do favoritismo da imprensa da Capital, tinha problemas para montar a equipe, pois o goleiro Demétrio e o atacante Bruno eram as dúvidas na escalação.

O “já ganhou” da equipe Porto Alegrense, aliado ao grande entrosamento do time Pelotense, resultaram, no final, em um placar elastico: 5×1 para o Brasil.


Foto: Correio do povo de 11/11/1919.

 

Súmula

 

Final – Jogo Único

Grêmio 1-5 Brasil

Local: Fortim da Baixada (Porto Alegre);

Horário: 16:00

Arbitro: Sr. Fontoura (Pertencente ao Sport Club Cruzeiro)

Gols: Proença (B) aos 12′, Correa (B) aos 19′, Máximo (G) aos 28′,

Proença (B) aos 49′, Alvarizza (B) aos 51′ e Proença (B) aos 71′;

GRÊMIO: DEMÉTRIO Silveira; Pedro PINTO e Jorge Tavares PY; DORIVAL Fonseca, Francisco Fernandes – CHIQUINHO e Luiz ASSUMPÇÃO; Oscar GERTUM, Severino Franco da Silva – LAGARTO, MÁXIMO Laviaguerre, Alcides MENEGHINI e Walter Lewis – LIVI.

BRASIL: Oswaldo FRANCK; Francisco NUNES e ARY Xavier; FLORIANO Lourenço, Pedro ROSSELLI e Waldomiro Victorio – BABA; Jorge FARIA, Alberto CORREA, Pelágio PROENÇA, Ignácio GERLACH e Ismael ALVARIZZA

 

FONTES: Súmulas-Tchê, Wikipédia, RSSSF Brasil, Livro Grêmio Foot-Ball Portoalegrense – Imortal Tricolor, Correio do Povo e Diário Popular.

© 2017 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha