O Sport Club Bonsucesso foi fundado em 19 de abril de 1917, com a finalidade de rivalizar com o Bonsucesso Futebol Clube, localizado no mesmo bairro, fundado alguns anos antes. A equipe possuía sua sede na rua Luiz Ferreira, 35 e seu campo estava localizado na rua 7 de março.


                                        A equipe teve duração efêmera, sendo extinta no início dos anos 20. Ela não chegou a disputar qualquer competição oficial, ficando restrita a amistosos com outras equipes suburbanas.
Em 21 de abril de 1918 para comemorar seu primeiro ano de fundação, promoveu um festival esportivo em sua praça de esportes, com os seguintes resultados:

Infantil    -    Olaria FC 3-0 SC Bonsucesso
3º teams  -   SC Bonsucesso 1-1 Manguinhos FC
2º teams  -   SC Bonsucesso 2-2 Manguinhos FC
1º teams   -   SC Bonsucesso 3-0 Manguinhos FC

Tinha no jornal “A Época”, seu principal órgão de divulgação de suas partidas, notícias de festas, editais de convocação entre outras funções.

Mapa de distância entre a sede e o campo esportivo (Google Maps)

Fontes: Jornal A Época – Google Maps

 

O Cotinguiba Esporte Clube é um clube esportivo e social de Aracaju, capital do estado do Sergipe. Fundado no dia 10 de outubro de 1909, é o primeiro campeão estadual do Sergipe e conquistou o campeonato em 1918, 1920, 1923, 1936, 1942, 1952 e 1957. É conhecido como o Tubarão da Praia.

Com o nascimento do Cotinguiba Esporte Clube a vida sócio-esportiva sergipana começa a se organizar. Sensível aos anseios da gente sergipana, um valioso grupo de intelectuais e desportistas deu início às demarches para a criação da agremiação.A data oficial de fundação é 10 de outubro de 1909. Na ocasião lá estavam os mais autênticos representantes das famílias Franco, Leite, Rollemberg, Garcez e Vasconcelos. Seus primeiros sócios e dirigentes.

Era, pois, um clube elitista. Criado e dirigido pelo ‘high-society”.Nasceu onde ainda hoje vive. Tomou o nome de Cotinguiba em homenagem ao rio que nos separa da Barra dos Coqueiros.Depois o rio mudou de nome nesta região e passou a se chamar Rio Sergipe, de acordo com determinação emanada do Poder Legislativo.Começou com o remo e, já no ano seguinte, arrebatava, triunfal-mente, a primeira colocação do primeiro campeonato de remo.

O futebol veio logo depois, em 1916, quando foi criada a Liga Desportiva Sergipana, e era praticado na Praça da Conceição, primitivo nome da praça Pinheiro Machado, que depois passou a ser denominada de Praça Tobias Barreto, com um monumento ao centro, em homenagem ao gênio sergipano. Os rivais do remo, das regatas, passavam a ser, também, rivais no futebol.

Equipe do Cotinguiba
Em 1918 começam, precariamente, os Campeonatos e o Cotinguiba saiu na frente, conquistando o 1º título. No ano seguinte, 1919, não houve campeonato, mas os dois clubes ganharam um terreno, cedido por Adolfo de Faro Rollemberg, para ser preparado e utilizado como campo de futebol. Foi o Campo do Adolfo, que durante pelo menos três décadas sediou as partidas de futebol, abrigou desfiles cívicos e estudantis, festas e outros eventos. Em 1920 o Cotinguiba ganhou de novo.
Voltou a ser campeão sergipano em 1923 e depois somente em 1936. Voltou a ser campeão no ano de 1942 e em 1952.
Cotinguiba campeão de 1942
Na década de 40, o Tubarão encontra seu ponto culminante na administração de Clóvis Cardoso, homem que modificou o cenário arquitetônico de Aracaju, realizou consideráveis reformas na sua sede, surgindo a feição mediterránea que até hoje possui, apesar da rebeldia de algumas reformas que ali foram realizadas em outras gestões.
Foi o primeiro campeão de Remo, Futebol, Voleibol, Basquetebol, Pedestrianismo e Natação. No ocaso da década de 50 surgiu em nossa Capital o Futebol de Salão. No futebol conquistou mais um título em 1957.
 Cotinguiba campeão de 1957
 Com o passar do tempo, a rivalidade com o Sergipe caia e terminava desaparecendo. É quando entra em cena a Associação Desportiva Confiança, que passa a ser o principal rival do Clube Esportivo Sergipe. Tal fato coincide com a implantação do profissionalismo do futebol sergipano, o que significa mais exigências, compromissos, formação de equipes remuneradas, a corrida em busca do público pagante para lotar os estádios e dos auxílios do Poder Público, que é, em si, um capítulo da história do futebol em Sergipe. Com o domínio do futebol sergipano pelo Sergipe, Confiança e Itabaiana, o Cotinguiba perdeu espaço no futebol sergipano.
Em 1975 ficou em 4° lugar no sergipano e em 1977 também fez boa campanha. Nos anos 90 ainda se mantinha no futebol profissional, mas não acompanhando o ritmo da dupla de ferro da capital.
Em 1996 acabou sendo rebaixado juntamente com o Propriá para a segunda divisão sergipana.No ano seguinte ficou em 4° lugar na segunda divisão, longe do acesso.
O Cotinguiba voltou aos gramados em 2005, eliminado nas semifinais da segundona pelo Olímpico Pirambu com duas derrotas. Em 2006 acabou afastado do campeonato por seu estádio não atender aos padrões exigidos pela FSF.
Disputou os campeonatos de 2007 e 2008, mas em 2009 acabou não disputando a segunda divisão.
O Cotinguiba manteve sua sede social, promoveu festas, praticou outros esportes, ainda hoje tem o Remo que o consagrou, sendo que a sua sede é uma das mais importantes de Aracaju.
Escudos Anteriores
Hino (Autor: Gilson Nascimento)

Tubarão da Praia
Sou tubarão da praia, 
Sou campeão na bola e na raia,
Sou do time de valor,
Sou Cotinguiba com muito amor
Sua história relevante,
Vai sempre evocar esse time vibrante,
Sua torcida brava: “Pra frente guerreiros!”
Sou Cotinguiba, somos pioneiros.

O tempo passa, mas fica a lembrança,
Quem tem fé, tem esperança,
Decano da fundição sua morada é no meu coração,
Amo essa camisa querida,
Sou Cotinguiba por toda vida.

Sou tubarão da praia, 
Sou campeão na bola e na raia,
Sou do time de valor,
Sou Cotinguiba com muito amor.

 

FONTES: Revista Vida Sportiva – História dos Clubes Nacionais

 
Nome: Gonçalo Paes da Conceição
Nascimento: 16/06/1942 – Cuiabá (MT)
Posição: Zagueiro
Período em que jogou: 1956/58 Cruzeiro; 1959/61 Campinas; 1961/66 Atlético; 1966/68 Operário; 1969/71 Dom Bosco; 1972 Operário; 1973 Palmeiras

Gonçalo foi zagueiro e jogou por diversos clubes de Cuiabá, sendo campeão cuiabano em 1967/68/72 (Operário) e 1971 (Dom Bosco).

Fonte:  Arquivo Pessoal
 
Nome: Benedito Severo Gonçalves
Nascimento: 06/11/1926 – Cuiabá (MT)
Posição: Atacante
Período em que jogou: 1941/49 Mixto; 1949/50 Atlético (MG); 1950 Uberlândia; 1951/58 Mixto

O atacante Leônidas é até hoje, por muitos, considerado o maior centro avante de todos os tempos do futebol de Mato Grosso. Benedito Severo Gonçalves ganhou o apelido numa partida do Mixto em que ele deu uma bicicleta, jogada do famoso Leônidas da Seleção Brasileira. Daí em diante o nome pegou. Em 1949 foi para o Atlético Mineiro onde disputou apenas oito jogos e marcou um gol. Teve ainda uma passagem rápida pelo Uberlândia (MG). Em 1951 voltou para o Mixto e encerrou a carreira em 1958. Foi campeão cuiabano em 1945/47/48/49/51/52/53/54. Atuou também como árbitro e depois foi técnico. Fez parte da Seleção Matogrossense que foi campeã da Chave Norte do Campeonato Brasileiro em 1952. Integrou várias vezes a Seleção Cuiabana.

 
Fonte: Arquivo Pessoal
 
Nome: Manoel Vital de Campos
Nascimento: 28/04/1934 – Cuiabá (MT)
Posição: Lateral-equerdo e Center -half
Período em que jogou:1952/54 Palmeiras; 1955/62 Atlético; 1963/66 OperárioVital iniciou a carreira no Palmeiras do Porto em 1952 de onde saiu em 1955 para defender as cores do Atlético Matogrossense, e viver com outros craques a melhor fase da história do galo cuiabano. Pelo novo clube venceu os campeonatos cuiabanos de 1955/56/57/60. Em 1963 foi contratado pelo Operário e formou o Rolo Compressor, vencendo o campeonato de 1964 e o Torneio dos Campeões. Encerrou a carreira em 1966. Convocação certa nas Seleções Cuiabana de sua época.

 
 
 
 
Fonte: Arquivo Pessoal 
 

 

Fonte: A Época / RJ

 

O Ypiranga Football Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). Fundado na quinta-feira, do dia 22 de Julho de 1915, com o nome de Smart Athletic Club, nas cores vermelha e branca, sediado no Bairro de Vila Isabel, na Zona Norte do Rio. Os Fundadores: Alberto Garcia, Arthur Cardoso, Clóvis Ribeiro, Edgard Corrêa Gama, João Gomes, Joaquim Lyra, Júlio Guanabara, Mário Pinto Fonseca e Sandoval Silva.

1917: fusão com a Black & White dá origem ao Ypiranga

Após 23 meses, o Smart Athletic Club se fundiu com o Black & White Football Club, da Tijuca, na terça-feira em 19 de Junho de 1917, dando origem ao Ypiranga Football Club. A sua Sede ficava localizada no Bairro da Praça da Bandeira. As cores também foram alteradas para o preto e branco.

A directoria do Smart Athletic Club, filiado a Metropolitana fez entrar na secretária dessa instituição um officio communicando a mesma ter mudado seu nome para Ypiranga Football Club, conforme deliberaram seus associados na última assembléia levada a effeito.

A Primeira Directoria com o nome de Ypiranga Football Club foi composta da seguinte forma:

Presidente - Amâncio Ribeiro de Souza;

1° Vice-Presidente - Antônio de Guimarães Moraes;

2° Vice-Presidente – Fernando Veiga Pinto;

Procurador - Joaquim Alves;

Captain Geral - Antônio Dias da Silva;

Vice-Captain - Adalberto Mello.

 

1918: Vice-campeão Carioca da Terceira Divisão

O Ypiranga participou do Campeonato Carioca da Terceira Divisão da 1918, no qual terminou como o vice-campeão. Aliás, das seis equipes que disputaram o certame somente o escudo do Ypiranga ainda não tinha sido encontrado. Os participantes foram:

Esperança Football Club (de Bangu);

Sport Club Everest (da Tijuca);

Hellênico Athletico Club (do Rio Comprido);

Metropolitano Athletico Club (do Méier);

Tijuca Football Club (da Tijuca);

Ypiranga Football Club (da Praça da Bandeira).

No ano seguinte (1919),  o Ypiranga, já sediado no Centro do Rio, disputou, novamente, a Terceirona, ficando na 3ª colocação no geral. Em 1920, voltou a disputar o Campeonato Carioca da Terceira Divisão, terminando em 5º lugar. Em 1921, mudou de Sede passando a se fixar no Bairro de Cascadura.

Em junho de 1926, mudou novamente a denominação, passando a se chamar: Dramático Athletico Club. Cores: preto e branco.

OUTROS YPIRANGA:

1. Ypiranga Football Club 29/06/1911 Rua Eugênia, Rio Comprido
2. Ypiranga Football Club Divulgado em 1912 Rua Vaz de Toledo, Eng. Novo
3. Sport Club Ypiranga 12/05/1912 Maracanã-Botafogo
4. Ypiranga Football Club 24/06/1914 ?
5. Ypiranga Athletic Club 18/09/1914 São Cristóvão
6. Ypiranga Football Club*********** 22/07/1915 Centro-Cascadura
7. Sport Club Ypiranga 25/07/1916 Vila Isabel
8. Ypiranga Suburbano Football Club 10/10/1917 Bento Ribeiro

 

FONTES: O Imparcial – O Paiz – A Época – Revista Vida Sportiva – Pedro Varanda

 

 

O Tijuca Football Club foi o vice-campeão do Torneio Início da Terceira Divisão de 1918. O Campeão foi o Esperança Football Club, de Bangu.

Na foto é possível ver a bandeira, nos seus mínimos detalhes, do Tijuca FC.

FONTE: Revista Vida Sportiva

 

 

 

Fonte: Vida Sportiva / RJ

 

 

Fonte: Vida Sportiva / RJ

 

FONTE: Revista Vida Sportiva

 

FONTE: Revista Vida Sportiva

 

FONTE: Revista Vida Sportiva

 

FONTE: Revista Vida Sportiva

 

Royal Football Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). A equipe Alvirrubra foi Fundada na quinta-feira, do dia 31 de Julho de 1913. A sua 1ª Sede ficava na Rua da Piedade, nº 98, no Bairro Piedade – Zona Norte do Rio. Depois, em 1917, se transferiu para a Rua Arquias Cordeiro, 314/230 – Méier - Zona Norte do Rio. Ainda no Méier, teve uma sede provisória, em 1918, na Rua Torres Sobrinho, 44. Por fim, a Sede ficava na Rua Souto, nº 105 – Cascadura – Zona Norte do Rio. A sua Praça de Esportesficava na Rua Dias da Cruz, nº 196 (próximo a Estação do Meyer), no Bairro do Méier, na Zona Norte do Rio.

Na esfera futebolística, após diversos torneios, festivais e excursões, o Royal Football Club ingressou na Associação Athletica Suburbana (AAS), em 1915. Na temporada seguinte trocou de entidade, se transferindo para a Liga Suburbana de Football (LSF), em 1916. No dia 12 de Maio de 1918, o Royal Football Club  se fundiu ao Sport Club Brasileiro do Rio Comprido, dando origem ao Metropolitano Athletico Club (que herdou a praça de sports do Royal e a vaga do Brasileiro na Liga Metropolitana).

 Time de 1913: Julinho; Cotia (Cap.) e J. Lourenço; Lino, Bulhões e Pequenino; Joaquim, Prata, Raul, Goivan e Attila.

 Time de 1916: Miro; Hergmann (Rubem) e Quintella (Joaquim Silva); Filóca, Danton e Lourenço; Aguinaldo (Nonô), Sampaio, J. Leite, Haroldo e Graciano.

FONTES: O Imparcial – Correio da Manhã- Jornal do Brasil – Lanterna – Revista Vida Sportiva

 

Fonte: Vida Sportiva / RJ

 

 

 

Fonte: Vida Sportiva / RJ

 

Fonte: Vida Sportiva / RJ

 

Fonte: Vida Sportiva / RJ

 

Fonte: Vida Sportiva / RJ

 

 

Fonte: Vida Sportiva - RJ

 

Fonte: Vida Sportiva / RJ

 

Fonte: Vida Sportiva / RJ

 

Fonte: Vida Sportiva / RJ

© 2017 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha