O IPÊ Futebol Clube foi uma agremiação da cidade de Curitiba (PR). O “Canarinho de Santa Quitéria” foi Fundado no sábado, do dia 05 de Outubro de 1940, com o nome de: Ipê Sport Club. A sua Sede e o campo (atual: Estádio Maurício Fruet), localizado na Rua Prof. Brasílio Ovídio da Costa, s/n, no Bairro Santa Quitéria, em Curitiba, foi doada em 1948, pelo prefeito. A reportagem do Jornal O Dia (PR), assim descreveu o fato:

Na terça-feira, do dia 16 de Novembro de 1948, o prefeito de Curitiba, Nei Leprevost, pela Lei nº 127, doou uma área (de 11 mil m²) destinada a construção do campo do Ipê Futebol Clube, situado no Bairro de Santa Quitéria. O prefeito lavrou ainda, os seguintes decretos: dando a denominação de “Alcides Munhoz” à primeira rua ao norte da Avenida Manoel Ribas, ao lado da Sociedade Operária Beneficente das Mercês, e terminando na Alameda Prudente de Morais; dando a denominação de “Augusto Stresser” à segunda paralela ao norte da Rua Simão Bolivar, partindo da primeira paralela ao sul da Avenida João Gualdaberto, situada entre a Rua Augusto Severo e a Rua Mauá até a Avenida Perimetral, nº 3; dando a denominação de “Cel. Nicolau Mader” à primeira paralela ao sul da Avenida João Gualberto, trecho compreendido entre as ruas Manoel Eufrásio e Rio Negro”.

 

Ipê Sport Club - 1942

Mudança de Sede e campo

Em 1959, a sede social do Ipê Futebol Clube ficava na Rua Petit Carneiro, nº 794, esquina com Saint Hilaire, no Bairro de Água Verde. E, no sábado, do dia 14 de Maio de 1966, o clube inaugurou a sua Praça de Esportes, no Bairro de Santa Quitéria.

 

1º escudo

Alguns presidentes e dirigentes do Canarinho de Santa Quitéria:

Alfeu Santos Garcia; José Fortes Coucero; Osmar Adalberto Kiel; José Boldossinieri. Diretores: Adolfo Kaminski, Airton Hauss, Alceu Tedesco, Augusto Klank, Eloi C. Veiga, Flávio L. Veras, Flávio O. Schuwertz, Henrique Granatto, Jardel de Oliveira, João A. Donadello, José F. Nogueira, Laertes de Abreu, Luiz Bonatto, Manoel ferreira, Mário Poltronieri, Pedro Castilho e outros.

Competições disputadas e títulos

Participou dos campeonatos citadinos de futebol amador de Curitiba de 1948 a 1971. Na 3ª divisão foi: Campeão do Torneio Início em 1948 que contou com 24 equipes disputantes. Vice-campeão de Aspirantes em 1951 com 20 equipes na disputa.

No Super-Campeonato da Terceira Divisão de 1952, o Ipê Futebol Clube se sagrou Campeão, terminando em 1º lugar com 10 pontos; o Celeste foi o vice, com oito pontos; o Uracan São Vicente terminou na 3ª posição com cinco pontos; e o Universal, na quarta e última colocação com quatro pontos.

A competição contou com um total de 35 equipes. O Ipê Futebol Clube contou com o seguinte elenco: Haroldo, Reinaldo, Rato, Paco, Kunga, Bizinelli, Tico, Passarinho, Tijolinho, Oscar, Breda e Djalma. No quadrangular final, o Ipê fez a seguinte campanha:

Ipê F.C. 2 x 2 Uracan São Vicente E.C.;

Ipê F.C. 2 x 1 Celeste F.C.;

Ipê F.C. 1 x 1 Universal E.C.;

Ipê F.C. 8 x 2 Uracan São Vicente E.C.;

Ipê F.C. 3 x 1 Celeste F.C.;

No domingo,do dia 26 de dezembro de 1954, o “Canarinho de Santa Quitérialevantou a taça da Série Azul, do Campeonato da Terceira Divisão de 1954, que contou com a participação de 46 equipes, ao vencer o Bloco Esportivo Capão da Amora pelo placar de 2 a 0. O herói da peleja foi o atacante Passarinho, autor dos dois gols.

O time formou com: Haroldo; Reinaldo e Bruda; Paco, Miltinho e Nilseu Brock; Tito, Djalma, Passarinho, Tijolo e Parnanguara. Outros atletas: Edilson, Aldir, Breda, Ratão, Kunga e Bizenelli.

Sete anos depois, o IPÊ Futebol Clube voltou a faturar o título Campeonato da Terceira Divisão de 1961, que teve a presença de 37 agremiações. O elenco: Izael, Nilceu, Flori, Duarte, Nelson, Heitor, J.Cirino, Zuzu, Orlando, Zé Carlos, Nereu, Atl, Ari, Rico, Vivi e Ferreira. Nesse ano, ainda tivemos o Novo Mundo como o campeão do Segundos Quadros da Segunda Divisão; o Vasco da Gama foi o melhor no Segundos Quadros, da Primeira Divisão.

Fusão, em 1971, decreta o fim da linha do Ipê Futebol Clube

Quase 34 anos depois do seu surgimento, o Ipê Futebol Clube, deixou de existir após se fundir com o Vila Inah Esporte Clube, na sexta-feira, do dia 20 de agosto de 1971, dando origem ao Sociedade Esportiva Santa Quitéria.

Há uma certa confusão com a data de fusão, mas o certo é que não aconteceu em 1974, mas sim na data citada acima (20/08/1971). A confusão é porque na quarta-feira, do dia 24 de Abril de 1974, ocorreu uma outra fusão. Dessa vez da Sociedade Esportiva Santa Quitéria com a Sociedade Beneficente e Recreativa Santa Quitéria, que nesse caso resultou na criação da União Recreativa e Esportiva Santa Quitéria, que está em atividade até os dias atuais.

FONTES: Livro “Futebol do Paraná 100 anos de história”, de Heriberto Ivan Machado e Levi Mulford Chrestenzen – Diário da Tarde (PR) – O Dia (PR) – Diário do Paraná – Acervo de Mario Richter e Douglas Julio Toppel Reinaldim

 

Em vários sites esportivos e inclusive no site do próprio Friburguense Atlético Clube, a data de fundação informada é de 14 de março de 1980. Porém pesquisando no Jornal dos Sports em sua edição de 15 de maio de 1980, aparece esta nota abaixo o que coloca em dúvida esta “data oficial”.

 

E aí podemos supor que realmente esta data de março está errada por outro motivo: em 1980 foi disputado o Torneio Incentivo no período de 22 de março a 04 de maio e o participante inscrito, inclusive nas escalas de arbitragem da Federação aparece como Fluminense Atlético Clube.

Desta forma, acredito que este seja mais um dos erros perpretados na internet e que acabaram virando verdade.

 
No dia 30 de novembro de 1930, tomou posse a nova Diretoria do Americano Esporte Clube, para 1931.

 

Presidente de Honra: Lázaro Papazian
Presidente: João Virgílio da Silva
1º Vice Presidente: Manoel do Espírito Santo
2º Vice Presidente: Romário P. do Espírito Santo
1º Secretário: Gabriel de Campos
2º Secretário: Almiro Rueda Saraiva
1º Tesoureiro: Pedro Moreira
2º Tesoureiro: Allyrio Rueda Saraiva
Comissão Esportiva: Aurélio de Almeida Peixoto, Sebastião Pinto de Aquino, Estevão Regolieto Capriata, Benedito Duarte de Figueiredo
Comissão Fiscal: Eduardo Rueda Saraiva, Venâncio Duarte, João Baptista Muniz, Abrahão Zaque, Manoel E. da Costa Marques
 

 

 
 
Fonte: Gazeta Oficial 
 


A Sociedade União Clubes (União Quedas) é uma agremiação do Município de Quedas do Iguaçu, localizado a 447km da capital do Paraná, e, conta com uma população de 33.543 habitantes, segundo dados de 2017, do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Fundado no sábado, do dia 28 de Outubro de 1972, a sua Sede está localizada na Rua Laranjeiras, nº 630, no Centro de Quedas do Iguaçu. As suas cores naquela época eram: branca e azul. Mandava os seus jogos no Estádio Benetão, em Quedas do Iguaçu.

O O União Quedas estreou na Taça Paraná de 1985, ficando no Grupo 12, com as seguintes agremiações: S.E.R. Cafelândia, de Cafelândia; Fazenda San Martin Futebol Clube, de Cascavel. Retornou duas temporadas depois, na Taça Paraná de 1987, onde ficou no Grupo VIII, juntamente com outras quatro equipes:

Sociedade Esportiva e Recreativa Juventude Lontrense, de Francisco Beltrão (atual Salto do Lontra);

Esporte Clube 7 de Setembro, de Francisco Beltrão;

Moestel Futebol Clube, de Pato Branco;

Juventude Esporte Clube, de Santo Antonio do Sudeste.

Voltou a disputar a Taça Paraná, em 1988, ficando na chave Setor-6 (Centro Oeste): Esporte Clube Brasília (vencedor do grupo), de Cascavel; Comercial Atlético Clube, de Ubiratã; Associação Desportiva Classista Agrototal, de Cascavel.

A sua última participação aconteceu na Taça Paraná de 1989, onde ficou no grupo  Micro Região Centro-Oeste . Os componentes dessa chave foram os seguintes: Sociedade Esportiva Ouro Verde, de Quedas do IguaçuSociedade Esportiva Recreativa Amizade, de Corbélia; Guarani Futebol Clube, de Guaraniaçu; Associação Desportiva Classista Agrototal, de CascavelComercial Atlético Clube, de UbiratãEsporte Clube Gramadinho, de Cascavel; União Quedas.

A sua primeira participação na esfera profissional, ocorreu no Campeonato Paranaense da Segunda Divisão de 1990, organizado pela Federação Paranaense de Futebol (FPF).

O União Quedas ficou na Chave Sul, que contou com a participação de seis equipes: União Operário, de Laranjeiras do Sul; Clube Esportivo Caxias, de Palmas; Coronel Vivida Esporte Clube, de Coronel Vivida; Tabu Esporte Clube, de Clevelândia; Grêmio Esportivo Caramuru, de Chopinzinho. Abaixo os resultados da equipe Alvianil de Quedas do Iguaçu:

DATAS

RESULTADOS DOS JOGOS

LOCAL

Domingo, dia 15 de Julho

União Quedas

0

X

0

União Operário

Quedas do Iguaçu

Domingo, dia 22 de Julho

Caxias

0

X

0

União Quedas

Palmas

Domingo, dia 29 de Julho

União Quedas

0

X

2

Coronel Vivida

Quedas do Iguaçu

Domingo, dia 5 de Agosto

União Quedas

1

X

1

Tabu

Quedas do Iguaçu

Domingo, dia 12 de Agosto

Caramuru

3

X

2

União Quedas

Chopinzinho

Domingo, dia 19 de Agosto

União Operário

5

X

0

União Quedas

Laranjeiras do Sul

Domingo, dia 26 de Agosto

União Quedas

0

X

2

Caxias

Quedas do Iguaçu

Domingo, dia 2 de Setembro

Coronel Vivida

6

X

1

União Quedas

Coronel Vivida

Domingo, dia 9 de Setembro

Tabu

4

X

0

União Quedas

Clevelândia

Domingo, dia 16 de Setembro

União Quedas

0

X

2

Caramuru

Quedas do Iguaçu

Após 10 rodadas, o debutante União Quedas terminou na 6ª e última colocação, sem nenhuma vitória, com apenas três empates e sete derrotas. A classificação final da Chave Sul ficou assim:

TIMES

J

PG

V

E

D

GP

GC

SG

União Operário

10

13

5

3

2

13

04

09

Tabu Esporte Clube

10

12

5

2

3

15

10

05

G.E. Caramuru

10

11

5

1

4

13

11

02

C.E. Caxias

10

11

4

3

3

09

07

02

Coronel Vivida E.C.

10

10

4

2

4

15

12

03

União Quedas

10

03

0

3

7

05

26

-21

A última participação numa edição profissional, aconteceu no ano seguinte. O União Quedas disputou o Campeonato Paranaense da Terceira Divisão de 1991, organizado pela Federação Paranaense de Futebol (FPF). O União Quedas ficou no Grupo Zona Sul, que contou com a participação de seis equipes:

Clube Esportivo Caxias, de Palmas;

Clube Esportivo e Social União Medianeirense, de Medianeira;

Clube Esportivo União, de Francisco Beltrão;

Grêmio Esportivo Caramuru, de Chopinzinho;

Tabu Esporte Clube, de Clevelândia;

Ubiratã Esporte Clube, de Ubiratã.

Abaixo a campanha do União Quedas:

DATAS

RESULTADO DO JOGO

LOCAL

Domingo, dia 17 de Março

Tabu E.C.

5

X

0

União Quedas

Clevelândia

Domingo, dia 31 de Março

União Quedas

1

X

0

Ubiratã E.C.

Quedas do Iguaçu

Domingo, dia 7 de Abril

G.E. Caramuru

3

X

0

União Quedas

Chopinzinho

Domingo, dia 14 de Abril

C.E. Caxias

5

X

1

União Quedas

Palmas

Domingo, dia 21 de Abril

União Quedas

1

X

3

C.E. União

Quedas do Iguaçu

Domingo, dia 28 de Abril

União Quedas

1

X

2

União Medianeirense

Quedas do Iguaçu

Domingo, dia 5 de Maio

União Quedas

0

X

2

Tabu E.C.

Quedas do Iguaçu

Domingo, dia 19 de Maio

Ubiratã E.C.

2

X

2

União Quedas

Ubiratã

Domingo, dia 26 de Maio

União Quedas

1

X

3

G.E. Caramuru

Quedas do Iguaçu

Domingo, dia 2 de Junho

União Quedas

2

X

3

C.E. Caxias

Quedas do Iguaçu

Domingo, dia 9 de Junho

C.E. União

2

X

0

União Quedas

Francisco Beltrão

Domingo, dia 16 de Junho

União Medianeirense

8

X

0

União Quedas

Medianeira

Após 12 rodadas, o União Quedas não fez uma boa campanha, terminando na última colocação, com apenas uma vitória, um empate e dez derrotas. A classificação final do grupo Zona Sul ficou assim:

TIMES

J

PG

V

E

D

GP

GC

SG

Tabu Esporte Clube

12

15

7

1

4

21

16

05

União Medianeirense

12

15

6

3

3

23

10

13

G.E. Caramuru

12

14

5

4

2

16

12

04

C.E. Caxias

12

13

4

5

3

14

09

05

C.E. União

12

12

4

4

4

14

11

03

Ubiratã E.C.

12

12

4

4

4

11

12

-1

União Quedas

12

03

1

1

10

09

38

-29

 

FONTES: Página do clube no Facebook - Correio de Notícias (PR) - “Livro Futebol do Paraná 100 anos de História”, de Heriberto Machado - Arquivos de Levi Mulford Chrestenzen

 

O futebol Paranaense possui um campeonato organizado desde 1915. Porém nesses mais de 100 anos as fórmulas de disputas foram as mais variadas possíveis. Abaixo faço um resumo, dividido em cinco fases, para um melhor entendimento de cada época:

1ª fase (1915-1928) – A primeira liga foi fundada e abrigou as equipes curitibanas e as equipes do Litoral (Antonina, Paranaguá, Morretes) e dos Campos Gerais (Ponta Grossa) que tivessem a possibilidade de deslocamento por trem. Assim se inscreveram para este primeiro campeonato 18 equipes. Ficou definido que a 1ª Divisão seria composta por 6 equipes e a 2ª divisão por 12, divididas em duas séries de 6 equipes cada. Na verdade era o campeonato curitibano com a participações de algumas equipes de outras cidades. Neste período houve 2ª divisão em 1915-1917; 1921-1922; 1924. Em 1917 houve o primeiro campeonato Suburbano organizado pela Liga Sportiva Municipal; em 1918 não houve este campeonato, retornando em 1919, ocorrendo até hoje.

OBS:  A partir de 1922 passou-se a ser jogado uma “final não-oficial” entre as equipes do interior (Ponta Grossa) contra o campeão da capital. Equipes da capital venceram todas as disputas.

2ª fase (1929-1941) – O campeonato Estadual é finalmente oficializado. A partir de 1929 o campeão da capital enfrentaria o campeão do interior. Foram criadas ligas regionais (Irati, Antonina, Paranaguá e Ponta Grossa. Depois União da Vitória, Jacarezinho/Jaguariaíva) e os campeões das ligas disputavam o Estadual no início do ano seguinte. Cada Liga tinha seu regulamento próprio. Algumas possuíam 2ª divisão (Exemplo Ponta Grossa). A capital venceu todas as finais.

3ª fase (1942-1956) – Neste período mais uma vez é jogado somente o campeonato de Curitiba, com as participações esporádicas de equipamentos do interior (Monte Alegre, Jacarezinho, Cambaraense, e as equipes de Ponta Grossa e Litoral). O destaque deste período foi a equipe do Clube Atlético Monte Alegre de Telêmaco Borba que em 1955 tornou-se a primeira equipe do interior Campeã Paranaense.

OBS: Desde o início da década de 1940 até metade da década de 1950 já havia a disputa de um campeonato norte paranaense. Nacional de Rolândia, Esportiva de Jacarezinho, Cambaraense foram campeões. No início era amador. A federação chegou a nomeá-lo como Campeonato da segunda divisão.

Em 1957, graças a fundação do Londrina FC, é criado o Campeonato Norte Paranaense de Profissionais. Em 1957, ainda era extra oficial, recebeu o nome de Torneio da Amizade, e o Londrina F.C. foi o campeão. Em 1958, já oficialmente reconhecido, o E.C Comercial de Cornélio Procópio foi campeão. Em 1957 e 1958 não houve finais estaduais.

4ª fase (1959-1965) – Com a criação dos campeonatos paranaenses por região (sul e Norte. Depois o Norte foi dividido em Norte Novo e Norte Velho), os campeões de cada região faziam as finais. O Interior foi campeão nos anos de 1961 (Comercial de Cornélio Procópio), 1962 (Londrina), 1963 e 1964 (Grêmio Maringá).

5ª fase (1966-2018) – É criada a lei de acesso e o campeonato passa a ser jogado por divisões, salvo em alguns anos que só teve a 1ª divisão. Não ocorreu divisões de acesso em 1971-1975 e 1980.

OBS: Já na década de 1950 a federação tentou amenizar as coisas criando um torneio do interior nos moldes de campeões de ligas; foram jogados dois torneios (1953 e 1954).  Na década de 1960 (1960 e 1962) foi jogado o Campeonato amador do Estado. E em 1964 era criada a Taça Paraná de amadores disputada até hoje.

FONTES:

Livros:

- Futebol do Paraná – 100 anos de História (2005) – Heriberto Ivan Machado e Levi Mulford Chrestenzen

- O Bugre Princesino – Guarani o clube que conta sua História (2007) – José Cação Ribeiro Junior

- O Fantasma da Vila (2002) – José Cação Ribeiro Junior

- Futebol Ponta-grossense – recortes da História (2004) – José Cação Ribeiro Junior

Jornais A Republica, Correio do Paraná, O Estado, Correio da Noite (Todos consultados na Hemeroteca Digital da Biblioteca Nacional).

 

Em material publicada no jornal O Imparcial de 21 de abril de 1921, conclui-se a correta data de fundação e as cores do clube:

 

Jornal O Imparcial(RJ) - 08 de abril de 1921

 

Abaixo segue recorte do jornal “O Imparcial” do Rio de Janeiro de 24 de janeiro de 1921, falando sobre a criação do escudo do Clube de Regatas do Flamengo:

 
Interessante nota do jornal O Imparcial de 16 de fevereiro de 1917, sobre a fusão do Palestra Itália com o Ítalo Football Club. Acredito que pouca gente sabia deste fato:

 

Segue abaixo transcrição de um interessante artigo publicado no jornal “O Fluminense” de Niterói – RJ do dia 21 de outubro de 1980. Nele existem mais curiosidades sobre esta extinta equipe niteroiense, inclusive sobre suas cores:

 

“O Byron, campeão de Niterói em 1922, 1924, 1925 e 1928 nasceu com o nome de Tupy e sua fundação data de 21 de outubro de 1913, Os cruzmaltinos da velha guarda lembram hoje da passagem do 67º aniversário de um clube que começou com Valentim Velasco, auxiliado por Domingos Guerra, Cândido Gomes e Miguel Alonso. A primeira providência foi organizar um grupo que pagasse 4 mil réis mensais e na zona norte, sem lugar qualquer, fizeram um campo com balizas de taquaruçu com Domingos Guerra, que viera do Andarahy AC, funcionando como diretor de futebol.

O clube era chamado Tupy e as cores eram verde e amarela. Com a chegada de alguns ingleses da Europa para a Fábrica de tecidos da rua Dr. March, Miguel Alonso conseguiu logo a cooperação deles e o clube passou a ser chamado Byron em homenagem a Lord Byron. Suas cores passaram a ser verde e branco. Após vários jogos sem compromisso, o Byron fez seu primeiro amistoso contra o Combinado Parrocos, organizado pelo Capitão Vitorino e integrado por Cordovil, Negrinho e os irmãos Couto. O resultado foi 1×1, gols de Henrique para o Byron e Negrinho para o Combinado.

As cores atuais foram em homenagem à direção da Fábrica Manufatura e sua primeira diretoria era presidida pelo Capitão Vitorino Schlusktler e integrada por Valentim Velasco, Nercino de Sousa, Cândido Gomes, Miguel Alonso e Domingos Guerra. O seu atual presidente é Ibê Cabreira Salmada. O campo com arquibancada foi idéia de Valentim Velasco, e para esse trabalho foi organizada a seguinte comissão: Roberto Santos, Mário Tinoco e Cândido Martins Gomes Em 21 de outubro de 1918 era inauguradas as arquibancadas com o jogo Botafogo 4×2 Byron.

O seu 1º título na 1ª Divisão foi em 1922 com Gonzaga, Coelho, Tesoura, João, Tesourão, Marcelino, Vabo, Carango, Gorró, Antenor Neto, Jorge, Laurinho e Albertinho. Já então, o Byron tinha até ode, feita com a melodia da canção do soldado paulista. A letra começava assim: O Byron, na luta ingente / É denodado, forte, valente / Não teme ao adversário / Qualquer surpresa que o desalenta / Nos prélios que toma parte / Leva a vitória sem desempate / Ainda mesmo que necessário / Se torne as vezes, vigor e arte. E a ode segue mais com duas estrofes publicadas em junho de 1919 quando seu 3º time foi campeão da cidade com Thomas, Coelho, Lucio, Hermogenio, Jeronimo, Sergio, Miguel, Gorró, Pedro, Lauro e Jorge. Depois dos títulos de 24 e 25, foi campeão em 28 com China, Lauro, Gudão, Djalma, Guarani, Luizinho, Vabo, Carango, Russo, Zacarias e China II. No 2º time foi campeão em 24, 23 e 27 e no 3º time de 19, 22 e 24.

Vários craques vestiram a camisa do Byron os longo dos 67 anos de sua existência.No início até 30 os destaques foram os que citamos acima e levantaram todos os títulos do clube. De 30 em diante, apesar de não ter sido campeão os destaques maiores foram o centro-médio Dequinha e os meias Didi e Zizinho, sendo que Zizinho saiu das fileiras cruzmaltinas para o Flamengo em novembro de 39, em noite chuvosa, veio a Niterói com Yustrich, Nilton, Caxambu e outros e venceu o Byron por 2×1 para pagar o passe do Mestre. O médio Doca não quis ficar no Rio e Didi estava no Flu quando foi para o Flamengo.”

© 2018 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha