O Clube Atlético Coxim é uma agremiação do Município de Coxim (MS). Fundado na quinta-feira, do dia 10 de Janeiro de 2002, as cores escolhidas é o azul e vermelho, a mesma da cidade. A sua Sede, o CT e o Estádio estão localizada na Avenida Virgínia Ferreira, nº 1.450 / Fundos, no Centro de Coxim.

A equipe rubro-anil coxinense manda seus jogos no Estádio Municipal André Borges, o ‘Calderão do Borjão’, que tem capacidade para 3.500 pessoas. A maior lotação foi no dia 25 de junho de 2006, quando o Chapadão montou a sua própria arquibancada e o número ampliou para mais de 5 mil pessoas na final do campeonato.

Mascote

O mascote do CAC é o Jaú, e o clube é conhecido também como os Jaús Furiosos. O Jaú, um peixe forte e traiçoeiro, que exige muita paciência. Por ser conhecedor das correntezas locais, o Jaú exige muita paciência do pescador, que muitas vezes tem de trabalhar por mais de uma hora para que a linha não arrebente e o peixe escape levando a isca por água abaixo.

HISTÓRIA

Na realidade, o Clube Atlético Coxim foi criado no ano de 2001, porém no dia 10 de janeiro de 2002 foi oficializada a data de sua fundação. A equipe surgiu de fato quando uma seleção sub-23 disputou em 2001 o Campeonato Estadual da Série B, ficando em 2º lugar, onde a equipe do Águia Negra de Rio Brilhante ficou em 1º lugar.

Acesso a Elite do futebol Sul-Mato-grossense

As duas primeiras colocadas subiram para a Série A e houve a necessidade de se fundar um time com o nome da cidade e que fosse profissionalizado. O Sr. José Carlos, o engenheiro Zanin e outros membros da LEC (liga Esportiva Coxinense) convencidos de que era a hora de investir e aproveitar o bom momento da equipe fundaram oficialmente o Clube Atlético Coxim.

No ano de 2002, a equipe fez boa campanha e chegou na 12° colocação. Em 2003, chegou as quartas de final com cinco vitórias em 10 jogos, acabou parando em 5° lugar e começou a ser um dos mais temidos do estado.

Queda e o retorno a Primeirona

O Coxim permaneceu até 2004 quando fez sete pontos em 18 jogos, parando na penúltima colocação em 9° lugar e sendo rebaixado para a segunda divisão do Campeonato Sul-Mato-Grossense. Numa recuperação, o time voltou a elite outra vez chegando na segunda colocação na Série B, em 2005.

Em 2006, com os belos jogadores Chaveirinho e Tainha, o clube sagrou-se campeão estadual em uma bela campanha de 41 pontos em 22 jogos, com duas goleadas por 9 a 0 sobre o Maracaju e o Pantanal no Calderão do Borjão, e na final levando o título sobre o Chapadão por dois resultados de 0 a 0.

Coxim debutou na Copa do Brasil

Com essa conquista, o clube obteve o direto de disputar a Copa do Brasil de 2007. O time pegou de cara o Atlético Paranaense e em uma partida no estádio Morenão, na cidade de Campo Grande, foi derrotado pelo placar de 5 a 3, sendo eliminado logo na primeira fase da competição.

No estadual do mesmo ano, era o grande favorito da competição, mas a equipe acabou sendo punida pelo TJD de Mato Grosso do Sul, pois escalou um jogador de forma irregular e teve seis pontos a menos na segunda fase, acabando ficando de fora da fase final parando em 5° lugar.

Em 2008, teve uma crise geral pelo ocorrido no interior, e conseguiu apenas cinco pontos em 12 jogos, mas graças a desistência dos times campeões da série B o clube continuou na elite do futebol sul-mato-grossense. Em 2009, a equipe terminou na 12° colocação.

Crise obrigou o clube a se ausentar em 2010

No início de 2010 iria participar do estadual da série A, mas por falta de patrocínio, ficou de fora da competição e cedeu espaço para o Guaicurus. Em 2011, o time estava cotado para participar da Série B do Campeonato Sul-Mato-Grossense, mas recusou outra vez.

O Clube Atlético Coxim só retornou em 2014, onde disputou o Campeonato Sul-Mato-grossense da Segunda Divisão. A competição contou com sete equipes, divididas em dois grupos de três e quatro times. Os dois primeiros avançariam para a fase semifinal. Porém, o Coxim, terminou na 3ª colocação no Grupo A (que contou com quatro agremiações), e acabou de fora.

Em 2015, o clube se ausentou, mas na temporada seguinte (2016) retornou a Segundona. Com apenas quatro clubes, e duas vagas de acesso, e mesmo assim o Coxim não conseguiu. Terminou na 3ª posição. Neste ano (2017), o clube mais uma vez optou em se ausentar, prometendo retornar em 2018.

 

FONTES: Wikipédia – Página do clube no Facebook

 

A Associação Esportiva Colorado é uma agremiação da cidade de Caarapó (MS). O “Alvirrubro Caarapoense” foi Fundado em 1978. A equipe manda os seus jogos no Estádio Municipal de Caarapó, o “Carecão“, tem capacidade para 4 mil pessoas.

Na década de 80 o Colorado era conhecido pelas disputas amadoras com os times da região e tendo bastante destaque. Em 2010, disputou o Campeonato Sul-Mato-Grossense da 2ª Divisão, ficando em 3º lugar no seu grupo e sendo eliminado na primeira fase.

Em 2011, porém, a equipe subiu um degrau. Na primeira fase do Campeonato Sul-Mato-Grossense da 2ª Divisão o time terminou na frente do clube três-lagoense, mas com novas contratações o Misto venceu praticamente todas na 2° fase.

Na grande final, o Misto de Três Lagoas e o Colorado decidiram o título. Melhor para o Misto que levantou a taça. Mesmo com o vice, o Colorado também conquistou o acesso para a Elite do Futebol de Mato Grosso do Sul.  

Na sua estreia do Campeonato Sul-Mato-Grossense da 1ª Divisão da 2012, o Colorado terminou na lanterna do Grupo B, com apenas nove pontos em 36 possíveis. Com isso, acabou rebaixado.

Com treinador inexperiente no profissional e jogadores contratados de última hora sem ritmo de jogo, o time voltou para a Segundona, não conseguindo superar o Urso de Mundo Novo na disputa do rebaixamento. Atualmente o clube está fora das competições e dívidas fizeram seu antigo presidente desistir das competições.

 

FONTE: Wikipédia

 

O Gianini Esporte Clube foi uma agremiação do Município da Costa Rica (MS). O “Tricolor Costariquense(cores: amarelo, vermelho e preto) foi Fundado na quarta-feira, do dia 1º de Janeiro de 1986. A sua Sede ficava localizada na Avenida José Ferreira da Costa, nº 89, no Centro da cidade.

O Município é relativamente novo: fundado em 12 de maio de 1980, fica na Região Leste de Mato Grosso do Sul, a 863 km da capital (Campo Grande-MS). Conta com uma população de 19.335 habitantes segundo o Censo do IGBE/2016.

Na esfera do futebol profissional, o Gianini conquistou o acesso para a Elite do estadual, quando conquistou o Vice-Campeonato no Sul-Mato-Grossense da 2ª Divisão, de 1987. O campeão foi o EASA Futebol Clube.

Em 1988, debutou na Primeira Divisão do Estado. Num total de dez clubes participantes, o Gianini terminou na modesta 8ª colocação: foram 17 jogos, com 14 pontos (naquela época a vitória ainda valiam dois e não três pontos como é atualmente); com cinco vitórias, quatro empates e oito derrotas; marcando seis gols, sofrendo 15, com um saldo negativo de nove.

O Gianini Esporte Clube ainda esteve presente no Campeonato no Sul-Mato-Grossense da 1ª Divisão, em 1989 e 1990.


FOTO: Luiz Yamashita Corrêa Jr., ex-jogador do clube 

FONTES: Wikipédia – Rsssf Brasil

 

FONTE: Mercado Livre

 

 

 

FONTE: Mercado Livre

 

FONTE: Chavantes/SP por Lilian Afonso

 
Presidente: Leopoldo Peres
Vice-Presidente: Silverio A. De Souza
1º Secretário: Oscar Toledo
2º Secretário: Angelo C. Albaneze
Tesoureiro: Juan M. Vallejo
Adjunto Tesoureiro: Antonio Senna
1º Diretor de Esporte: Tenente Erico Moraes
2º Diretor de Esporte: Waldemar Rabello
Conselho Fiscal: João B. Alves do Couto, Pedro Celestino Pedroso e Matheus Candia
Comissão de Sindicância: Francisco Vieira de Almeida, Cronger Santerre Guimarães, Mário O. de Almeida Serra
 
Fonte: Tribuna (26/12/1927)
 
Tomou posse no dia 12 de março de 1949 a nova Diretoria da Liga de Esportes de Corumbá, para o biênio de 1949/1950.

 

Presidente: Ricardo Christovam
1º Vice-Presidente: Major Crescêncio Monteiro da Silva
2º Vice-Presidente: Dr. José Attilio Tenuta
1º Secretário: Alcindo Serra Pinheiro
2º Secretário: Djalma Alberto de Medeiros
Tesoureiro: Nilo Carmello Cestari
Adjunto de Tesoureiro: Hermenegildo Torres
Diretor de Estádio: João Rostey
Conselho Técnico: Felicio Carmelio Calabris, Feliciano Christovam e Helio Benzi
Conselho Fiscal: Dr. Pedro Ivo Rostey, Francisco Inacio da Silva Filho e Abilio Nascimento
Junta Disciplinar Desportiva: Dr. José Barros do Valle, Dr. Caio Leite de Barros e João Bernardino Alves do Couto
 
Fonte: Tribuna (MT)
 
 

 

 
No dia 24 de fevereiro de 1925 tomou posse a nova Diretoria do Riachuelo Football Club, da cidade de Corumbá.

 

Presidente: José Silvino da Costa
Vice-Presidente: Dr. Walter Jefferi
1º Secretário: Indalecio de Proença
2º Secretário: Salomço Santiago de Abreu
Tesoureiro: Gustavo M. Cabrita
Adjunto do Tesoureiro: Clarindo d’Albuquerque Araujo
Capitão Geral: Emilio C. Fontanilles
Vice-capitão: Melchiades Velasquez
Comissão Fiscal: Aristides Ramos, Antônio Gregório de Medeiros, Manoel Herculano Marques Fontes, Guilherme Balthar Vaz e Alfredo Almedinha

 

Fonte: O Pharol
 

FONTE: Revista da Semana (03 de Fevereiro de 1923)

 

 

FOTO: Revista Fon-Fon

 

A Liga Esportiva Municipal de Amadores, sob a presidência do Sr. José Fontanilas Fragelli, realizou no dia 21 de abril, um domingo, o Torneio Início de futebol. Participaram as seguintes equipes: Esporte Clube Juventus, Operário Futebol Clube, Grêmio Esportivo Renner e Sociedade Esportiva Campograndense.

Os jogos foram realizados no Estádio Municipal da cidade e tiveram os seguintes resultados:

 

Renner 2 x 0 Operário

Gols: Lauro e Hélio

 

Campograndense 2 x 0 Juventus

Gols: Vanduca (2)

 

Final

Renner 0 x 0 Camporandense

Obs: O Renner venceu nos escanteios por 3 x 2

Com estes resultados o Grêmio Esportivo Renner sagrou-se campeão do Torneio Inicio de Campo Grande em 1940 e recebeu a Taça “Garaína”, oferecida pelo Laboratório Raul Leite.

 

As equipes estiveram assim constituídas:

Renner — Barzi; Raupp e Sá Carvalho; Pito, Chiquilin e Juca; Sebastião, Vilai, Lauro, Hélio e Maimone.

Campograndense — Delmo; Oziride e Anésio; Ipiranga, Ari e Barriga; Luiz, Gibi, Vaduca, Miranda e Teixeira.

Juventus — Pepino; Osvaldo e Moisés; Chicalize, Mesquita e Charbel; Sardinha, Lerner, Bermal, Xavier e Mário.

Operário — Natanael; Alvarenga e Levino; Rolinha, Viol e Dácio; Neguinho, Dudú, Maurício, Ciloca e Evandro.

 

FONTE: Jornal do Comércio (Campo Grande)

 

A história do Novoperário Futebol Clube começou a ser contada em 11 de outubro de 2010, fruto da paixão de torcedores e entusiastas do futebol sul-mato-grossense, ansiosos por ver novamente o nosso esporte se destacando no cenário nacional.

A ideia de um clube novo foi sendo rapidamente disseminada entre os apaixonados pelo futebol, fazendo surgir um grupo sólido e disposto a transformar estes anseios em algo concreto. Os sócios-fundadores reuniram-se por diversas ocasiões, e após vários debates, o clube começou a tomar forma: foi escolhido o nome Novoperário Futebol Clube, assim como as cores que o simbolizam – preto, branco e dourado. Posteriormente, também foi definido o escudo, com referências ao estado de Mato Grosso do Sul, à cidade de Campo Grande e às origens do clube.

No começo de 2011, já com toda a documentação regularizada, o Novoperário pôde iniciar suas atividades. Os diretores reuniram-se com empresários, representantes de outras entidades e potenciais parceiros, conseguindo apoio para dar os primeiros passos do clube.

Com pouco mais de um ano de existência, o NOFC tem vários motivos para celebrar. Sendo até pouco tempo atrás federado apenas como uma equipe amadora, o Galo é agora oficialmente um clube profissional, com registro na Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul e na Confederação Brasileira de Futebol, estando apto a disputar o Campeonato Estadual. Além disso, o Novoperário já possui um polo de categorias de base, estabeleceu o projeto Esporte é Vida (sediado no bairro das Moreninhas) e tem presença significativa na internet, através do site oficial e das diversas redes sociais.

Estes são apenas os primeiros passos da história do Novoperário Futebol Clube!

META

O Novoperário tem a inovação como princípio norteador– pensar diferente, fazer diferente. E para seguir neste caminho, é necessário agir de maneira distinta ao que é visto atualmente dentro do futebol.

Com isso em mente, surgiu o slogan “Novoperário: Paixão Antiga, Uma Nova Idéia!”, que simboliza o conceito do resgate da força e da tradição do futebol de Mato Grosso do Sul de maneira inovadora, sempre atuando com seriedade, responsabilidade, transparência e respeito aos outros clubes, entidades, patrocinadores e principalmente aos torcedores.

Temos certeza que trilhando este caminho, esta história do Novoperário Futebol Clube irá se tornar em breve uma grande história, dando ao clube destaque nos cenários estadual e nacional!

Em busca de identidade própria, Novo adota a cor verde nos uniformes

Conjunto titular será todo verde, enquanto que o reserva será verde e branco; ideia é desvincular imagem do Operário, clube que serviu de inspiração ao Novo

Torcedor do Novo, não se espante: o verde estará mais presente do que nunca no uniforme do clube a partir deste ano. O motivo é simples. Com o retorno do Operário à elite do futebol sul-mato-grossense em 2016, cada vez mais o Novo quer forjar uma identidade própria e totalmente desvinculada da imagem do clube que inspirou sua criação, há sete anos. Então, adeus preto e branco. O uniforme titular do Novo será 100% verde, enquanto que o reserva terá listras horizontais verdes sobre fundo branco.

Criador versus criatura: Operário-MS e Novoperário fazem confronto inédito

Uniforme titular do Novo (Foto: Divulgação/Novo)Uniforme titular do Novo (Foto: Divulgação/Novo)

Mas por que verde? A diretoria diz que pretende prestar uma homenagem ao Pantanal e à natureza exuberante de Mato Grosso do Sul. Além disso, a cor está presente na bandeira do Estado. Os novos conjuntos já estarão em ação na estreia do clube na Copa São Paulo, contra o Atlético-MG, nesta terça-feira.

O nome oficial do clube, aquele que serve para preencher a papelada burocrática, permanece inalterado: Novoperário Futebol Clube. Mas na boca do povo, é Novo mesmo. O escudo passou por uma adaptação, e no lugar da palavra Novoperário, entra Campo Grande-MS. A diretoria de marketing do clube também investe na criação de novos elementos, como um mascote.

 

FONTES: Site do clube – GloboEsporte.Com

FOTO: Noé Faria/FFMS

 

FONTE: Revista Placar

 

FONTE: Revista Placar

 

 

FONTE: Revista Placar

 

FONTE: Revista Placar

 

O Clube de Esportes União/ABC é uma agremiação da cidade de Campo Grande, do Estado de Mato Grosso do Sul. Fundado no dia 19 de Janeiro de 1998, pelo sonho idealista de dois desportistas Gil e Maroca, onde reuniram forças com o Plínio, Zé Buião, Elias, Santos e outros para reunir apenas atletas dos campeonatos amadores de Campo Grande (por isso UNIÃO).

O União/ABC faturou o título de Campeão do Campeonato Sul-Mato-Grossense Sub-19 de 2015. No Estádio Jacques da Luz, o time do técnico Vina, ex-meia do Cene, ficou no empate sem gols com o Guaicurus, campeão em 2014, e conquistou o título no seu primeiro ano de disputa na categoria.

Agora o União/ABC pretende dar um passo para o profissionalismo. O time estreia no próximo sábado, dia 19 de novembro, às 16 horas, diante do Coxim, no Estádio Jacques da Luz, pela 1ª rodada do Campeonato Sul-Mato-Grossense da Segunda Divisão de 2016.

FONTES: Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul (FFMS) – Gazeta de MS 

 

 

FONTE: Revista Placar

 

FONTE: Jornal do Comércio (MS)

FONTE: Jornal do Comércio (MS)

 

Abaixo a tabela do Torneio Início de Campo Grande do estado de Mato Grosso (atual Mato grosso do Sul), de 1940. A princípio seria realizado no domingo, no dia 14 de Abril de 1940. No entanto, devido ao mau tempo a Liga Esportiva Municipal de Amadores (LEMA), entidade que organizava as competições em Campo Grande, decidiu adiar para o domingo seguinte: dia 21 de abril de 1940. Com início previsto para às 14 horas, no Estádio Municipal, situado na Rua Dom Aquino.

FONTE: Jornal do Comércio (MS)

 

 

 

FONTE: Jornal do Comércio (MS)

 

Andaraí Football Club (Campo Grande - MS) - 1941

 

Esporte Clube Comercial (Campo Grande-MS) - 1973

 

Asas Esporte Clube de Campo Grande, município que pertencia ao antigo Estado do Matto Grosso, foi fundado  em 1955, por funcionários da Base Aérea de Campo Grande, vinculados a aeronautica, com sede no bairro de Amambaí.

Disputou os campeonatos da Liga Esportiva Municipal Campograndense – LEMC em 1959 a 1965, sendo campeão em 1963. Foi extinto em 1972.

 

fontes: Livro ‘A História do Futebol Campo-grandense’, de autoria Reinaldo Alves de Araújo e artigo do Sergio Mello do Blog Historia do Futebol.

 Para mais detalhes do Asas EC, veja o artigo do Sergio Mello deste blog.

Com relação aos detalhes do escudo, foi utilizado o desenho das “asas” que são reproduzidas nos broches e brasões da aeronautica, que parecem ser como na foto da equipe, diferente do escudo da capa do livro fonte.

 

 

O Internacional Sport Club de Campo Grande, município que pertencia ao antigo Estado do Matto Grosso, foi fundado como Guarany SC por alguns dias, em 25 de agosto de 1929, sendo um dos fundadores da Aliança Sportiva Campograndense, e disputou o primeiro campeonato em 1930 e 1931, e provavelmente mais alguns anos subsequentes.

 fontes: site da Biblioteca Nacional – arquivos do Jornal do Commercio de Campo Grande.

 

O Mamoré Futebol Clube foi uma agremiação da cidade de Campo Grande (MS). Liderados pelos irmãos da família Capriota, o Alviverde foi Fundado em 1947, na  Travessa Mamoré, s/n, na Vila Alta (pequeno bairro engolido pela grande São Francisco), situado nas proximidades da atual Santa Casa de Misericórdia de Campo Grande. O zagueiro Alonso Simioli foi o 1º Presidente.

O Mamoré fez uma campanha brilhante no Campeonato Citadino no final da década de 40 e inesquecíveis conquistas na década de 50, nas acirradas competições da LEMC (Liga Esportiva Municipal Campo-grandense). A 1ª formação era constituída da seguinte forma: Gabriel; Alonso e Gilberto; Veloso, Eduardo  e Bubi; Beto Nassim Abrão, Milton Ayala, Carlito, Nelo e Gregório.

FONTE: Livro ‘A História do Futebol Campo-grandense’, de autoria Reinaldo Alves de Araújo 

 

O ASAS Esporte Clube foi uma agremiação da cidade de Campo Grande (MS). Fundado em 1955, a sua Sede ficava na Avenida Duque de Caxias, nº 2.905, no Bairro de Amambaí, em Campo Grande. A 1ª Diretoria foi composta da seguinte maneira:

Presidente de Honra - Cel. Ari Saião Caldeira;

Presidente - Luiz Gonzaga Del Nero;

Vice-presidente - João Batista de Campos;

Tesoureiro - Alan Chaves Rachel;

Secretário - Mair Vieira;

Técnico - Maurício Peludo.

HISTÓRIA

Na década de 40 as unidades militares implantadas no sul de Mato Grosso, em diversas cidades, disputam entre si, torneios alusivos as datas cívicas e comemorativas da pátria. Essas festas esportivas (em várias modalidades) representam um verdadeiro congraçamento das instituições militares da região, especialmente da cidade de Campo Grande.

No início da década de 50 as disputas militares nas unidades cresceram  e numa viagem da equipe da Base Aérea de Campo Grande, para mais uma jornada esportiva, na cidade de Jardim, aflorou no meio da rapaziada que compunha a equipe,  a feliz teria um quadro para representá-lo nos campeonatos de futebol da cidade.

Decorria o ano de 1955, quando o comandante da Base Aérea de Campo Grande, Coronel Ari Saião Caldeira recebeu em seu gabinete uma comissão composta dos atletas da instituição: cabo Alan Chaves Rachel, tenente Luiz Gonzaga Del Nero, sargento Elizeu Ferreira Anunciação, sargento José de Castro Barros, sargento Mair Vieira Almeida, sargento Maurício Peludo e o civil Nilton Castro que, não somente apoiou a luminosa ideia, como determinou providências para a formação do quadro de futebol. Assim surgiu o ASAS Esporte Clube, nome que homenageia o símbolo maior da Aeronáutica brasileira, o avião.

CAMPEÃO CITADINO DE 1963

O ASAS Esporte Clube foi dono de campanhas memoráveis, todavia, nenhuma foi comparada a de 1963 quando levantou o título de campeão do Campeonato Citadino, organizado pela LEMC (Liga Esportiva Municipal Campo-grandense), invicto, transformando-se num time imbatível naqueles idos.

Outros títulos vieram somente com a chegada do profissionalismo no Estado, em 1972. O ASAS E.C. deixou de existir, porém enquanto durou, honrou de sobremaneira, o símbolo, os emblemas e as cores da Base Aérea de Campo Grande.

 

 UNIFORMES (CORES)

 FONTE: Livro ‘A História do Futebol Campo-grandense’, de autoria Reinaldo Alves de Araújo 

 

© 2017 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha