LIGA NITEROIENSE – 1973

Bom Jardim Futebol Clube Niterói
Canto do Rio Football Club Niterói
Clube Recreativo Espanhol Niterói
Cruzeiro Futebol Clube Niterói
Esporte Clube Agra Niterói
Esporte Clube Costeira Niterói
Esporte Clube Independente Niterói
Falcões Futebol Clube Niterói
Fluminense Atlético Clube Niterói
Fonseca Atlético Clube Niterói
Niterói Atlético Clube Niterói
Niteroiense Futebol Clube Niterói
Manufatora Atlético Clube Niterói
São Diogo Futebol Clube Bairro Ponta da Areia – Niterói
Unidos da Vila Futebol Clube Niterói

 

FONTE: Confederação Brasileiro de Desportos (CBD)

 

LIGA DE NOVA IGUAÇU – 1973

Associação Atlética Onze Amigos Nova Iguaçu
Associação Atlética Filhos de Iguaçu Nova Iguaçu
Associação Atlética Volantes Mesquita
Bairro da Luz Nova Iguaçu
Cabuçu Futebol Clube Nova Iguaçu
Esporte Clube Boketi Nova Iguaçu
Esporte Clube Iguaçu Nova Iguaçu
Iguaçuano Futebol Clube Nova Iguaçu
Fazenda Futebol Clube São João de Meriti
Mesquita Futebol Clube Mesquita
Nova Iguaçu Country Club Nova Iguaçu
Rupturita Esporte Clube Vila de Cava – Nova Iguaçu

 

FONTE: Confederação Brasileiro de Desportos (CBD)

 

LIGA PETROPOLITANA – 1973

Esporte Clube Cascatinha Petrópolis
Esporte Clube Dona Isabel Petrópolis
Palmeira Futebol Clube Petrópolis
Petropolitano Football Club Petrópolis
Posse Futebol Clube Petrópolis
Serrano Football Club Petrópolis
DP Mesquita Petrópolis
Vasco Petrópolis
Cruzeirinho Petrópolis

 

FONTE: Confederação Brasileiro de Desportos (CBD)

 

LIGA FRIBURGUENSE – 1973

Esperança Futebol Clube Nova Friburgo
Fluminense Atlético Clube Nova Friburgo
Friburgo Football Club Nova Friburgo
Nova Friburgo Futebol Clube Nova Friburgo
Rio Grande de Cima 2º Distrito de Nova Friburgo

 

FONTE: Confederação Brasileiro de Desportos (CBD)

 

LIGA DE DUQUE CAXIAS – 1973

Associação Atlética Ipiranga  
Associação Atlética Piauí  
Associação Atlética Tricolor  
Bravo Futebol Clube  
Canarinho  
Capri Futebol Clube  
Caxias Futebol Clube  
Clube Náutico União do Centenário  
Esporte Clube Reação  
Friburgo  
Guanabara Futebol Clube  
Largo do Ganso  
Lecoar Futebol Clube  
Mug Futebol Clube  
Municipal  
Nacional Futebol Clube  
Royal Sport Club  
Sport Club Sul América  
União Guarani  
Vasco Caxias Futebol Clube  

FONTE: Confederação Brasileiro de Desportos (CBD)

 

Federação de Mato Grosso – 1971

Araes Esporte Clube  
Associação Santa Cruz de Esportes  
Associação Atlética Real Madrid  
Associação Esportiva Bela Vista  
Botafogo Futebol e Regatas  
Canarinha Esporte Clube  
Campinas Esporte Clube  
Chicote Futebol Clube  
Clube Atlético Matogrossense  
Clube Esportivo Dom Bosco  
Clube Esportivo Operário  
Clube de Regatas Atlético Cuiabano  
Clube de Regatas Vasco da Gama  
Comercial Esporte Clube  
Esporte Clube 7 de Setembro  
Esporte Clube Jardim  
Esporte Clube Noroeste, de Maracaju  
Grêmio Recreativo Corpo de Bombeiros  
Grêmio Recreativo João Mixto  
Internacional Futebol Clube  
Juventus Atlético Clube  
Núcleo Cidade Verde Esporte Clube  
Palmeiras Esporte Clube  
Riachuelo Esporte Clube  
São Cristóvão Esporte Clube  
Várzeagrandense  
XV de Novembro Atlético Clube  

 

FONTE: Confederação Brasileiro de Desportos (CBD)

 

FEDERAÇÃO METROPOLITANA DE FOOTBALL – 1950

Andarahy Atlético Clube Bairro: Andaraí
Anajé Esporte Clube Rua Ricardo de Albuquerque, 70 – Ricardo de Albuquerque
Associação Atlética Nova América Bairro: Inhaúma
Associação Atlética Portuguesa Bairro: Centro (atual: Ilha do Governador)
Atlético Clube Nacional Bairro: Ricardo de Albuquerque
América Football Club Bairro: Tijuca
Bangu Atlético Clube Bairro: Bangu
Bento Ribeiro Atlético Clube Bairro: Bento Ribeiro
Bonsucesso Futebol Clube Bairro: Bonsucesso
Botafogo Futebol e Regatas Bairro: Botafogo
Brasil Novo Atlético Clube Bairro: Madureira
Cacique Futebol Clube Rua Visconde de Santa Cruz, 22 – Engenho Novo
Campo Grande Atlético Clube Bairro: Campo Grande
Canto do Rio Football Club Centro – Niterói
Clube de Regatas Flamengo Bairro: Gávea
Clube de Regatas Vasco da Gama Bairro: São Cristóvão
Confiança Atlético Clube Bairro: Tijuca
Del Castilho Futebol Clube Bairro: Del Castilho
Distinta Atlético Clube Bairro: Santa Cruz
Engenho de Dentro Atlético Clube Bairro: Engenho de Dentro
Esporte Clube Anchieta Bairro: Anchieta
Esporte Clube Corintians Bairro: Realengo
Esporte Clube Guanabara Bairro: Santa Cruz
Esporte Clube Ideal Bairro: Parada de Lucas
Esporte Clube Oity Bairro: Senador Vasconcelos
Esporte Clube Oposição Bairro: Piedade
Esporte Clube Rosita Sofia Bairro: Cosmos
Esporte Clube São José Bairro: Magalhães Bastos
Esporte Clube Tavares Bairro: Engenho de Dentro
Esporte Clube Valim Bairro: Méier
Fluminense Football Club Bairro: Laranjeiras
Irajá Atlético Clube Bairro: Irajá
Kosmos Atlético Clube Bairro: Cosmos
Madureira Atlético Clube Bairro: Madureira
Manufatura Nacional Porcelana Futebol Clube Bairro: Pilares
Mavilis Futebol Clube Bairro: Caju
Olaria Atlético Clube Bairro: Olaria
Oriente Atlético Clube Bairro: Santa Cruz
Pau Ferro Futebol Clube Bairro: Jacarepaguá
River Futebol Clube Bairro: Piedade
Ruy Barbosa Football Club Bairro: Centro
São Cristóvão Futebol e Regatas Bairro: São Cristóvão
Sport Club União Bairro: Marechal Hermes
Transporte Futebol Clube Bairro: Campo Grande
Unidos de Ricardo Futebol Clube Bairro: Ricardo de Albuquerque

 

FONTE: Confederação Brasileiro de Desportos (CBD)

 

 

FEDERAÇÃO AMAZONENSE 1950

 

América Futebol Clube Manaus
Atlético Rio Negro Clube Manaus
Clube General Osório Manaus
El Dourado Atlético Clube Manaus
Independência Futebol Clube Manaus
Nacional Fast Clube Manaus
Nacional Futebol Clube Manaus
Olímpico Clube Manaus
Sul América Esporte Clube Manaus
União Esportiva Luso Brasileira Manaus

 

FONTE: Confederação Brasileiro de Desportos (CBD)

 

Campeonato de São Gonçalo – 1946

Carioca Futebol Clube Neves – São Gonçalo
Clube Esportivo Mauá São Gonçalo
Esporte Clube Metalúrgico Neves – São Gonçalo
Gradim Futebol Clube São Gonçalo
Forte Futebol Clube São Gonçalo
Tamoio Futebol Clube São Gonçalo

 

FONTE: Confederação Brasileiro de Desportos (CBD)

 

 

Olá amigos, pois então, na verdade melhorando o título, um time de descendentes do Kurdistão acabou de conquistar nessa temporada o acesso a primeira divisão da Suécia.Para quem não sabe o Kurdistão é uma região com cerca de 500.000 km², estende-se pela Turquia, Irã, Síria e Iraque.Seu povo são os curdos.

O Dalkurd FF tem sede na cidade de Borlange, o clube utiliza o estádio Domnarvsvallen para 6.500 pessoas.Foi fundado em 2004 como um projeto social com jovens até 17 anos, posteriormente ingressou no futebol profissional, iniciando uma trajetória vencedora na sexta divisão sueca, superou todas até 2009, quando alcançou a 3º divisão, posteriormente ficou 6 anos nesta etapa, conseguindo acesso a 2ºdivisão em 2015 e o grande salto nesta temporada.

Uma história curiosa envolve o clube, em 2015, em uma viagem para Espanha estavam retornando a Borlange, tinham reservado lugar no voô fatídico do acidente da Germanwings Flight 9525 que se despedaçou nos Alpes Franceses, mas no último instante acharam que a escala para a Alemanha era muito longa e desistiram da reserva.

Sua média de público hoje chega a 1200 torcedores por partida.

Boa sorte para este clube nesse novo desafio, onde as distâncias são encurtadas com um único objetivo e propósito.

Fontes: https://www.facebook.com/Rojfans, wikipedia.

 

O Administracion del Puerto de Valparaíso foi uma agremiação da cidade da região de Valparaíso, no Chile. O clube, Fundado na década de 40 por estivadores, foi uma das grandes forças de Valparaíso, onde chegou a participar do Campeonato Chileno da Segunda Divisão, nos anos 50. Atualmente se encontra extinto.

FONTES: Blog Futuro 88.9 FM – Revista Estadio – Amante Futbolero

 

 

Pessoal buenas,

Traduzi e dei uma encrementada no significado dos apelidos dos clubes argentinos, colocarei aos poucos, achei bem interessante a materia de um site hermano.

BOCA JUNIORS
Xeneize, significa genovês em seu dialeto, os barcos que vinham de Gênova desciam no porto do bairro de La Boca os xeneizes(genoveses).Boca nasceu um pequeno clube oriundo de imigrantes italianos, a maior parte de origem genovesa.
O outro apelido de “bosteros”, surgiu de um cântico da torcida do River Plate, que provocavam os torcedores do Boca, porque naquela época tinham muitas inundações no Bairro La Boca e eles falavam que os “bosteros” iriam se afogar na m….., literalmente.

RIVER PLATE
Com o passar do tempo o River Plate mudou para um bairro nobre de Buenos Aires e com a chegada do profissionalismo armou uma grande equipe e pagou na época, 1923, uma quantia elevada por Carlos Peucelle, cerca de 10 mil pesos ao Sportivo Buenos Aires.Assim nasceu o apelido “Los Millonarios”.
O apelido “Gallinas”, vem de um jogo contra o Banfield, quando o clube estava a 18 anos sem conquistar nada e perdeu uma final de Libertadores em 1966 para o Peñarol após estar vencendo por 2×0.Na prorrogação o clube uruguaio marcou mais dois gols e o jejum do River continuou.Neste jogo com o Banfield, logo após a final, os torcedores do clube local, jogaram uma galinha com uma faixa vermelha como o uniforme do River, para provocar os do River após essa derrota incrível.Desde esse ocorrido o apelido ficou, os “Gallinas”, e o Monumental de Nuñez se chama El Gallinero.
Outro apelido do River Plate, “La Máquina”, foi devido que nos anos 40 o clube formou sua maior equipe em todos os tempos, e toda vez que o clube aparece com uma boa equipe o apelido surge novamente.

RACING CLUB
Racing foi sucessor do Alumni.Devido a ser uma equipe que ganhou sete títulos consecutivos no amadorismo e que deu a identidade ao futebol argentino de hoje, começou a se chamar “La Academia”
Na década de 60, o Racing entrou na história como a “El equipo de José”, esse nome se deve ao técnico Juan Jose Pizzutti, que em 1965 pegou s equipe nos últimos lugares e levou a conquistar títulos importantes.

Fonte:https://futbolfierrosytango.wordpress.com/2016/10/05/los-apodos-de-los-clubes-argentinos-i/

 

Olá amigos segue umas informações diretas da fonte, livro sobre o futebol boliviano.

Fonte:Historia del Futbol Boliviano,um siglo de futbol autor na pagina inserida abaixo.

 

O Tupy Football Club foi o primeiro time de futebol da Ilha de Paquetá e foi fundado por José Mathias, Paulo Brito e José Saldanha, em 6 de junho de 1918. A sua camisa também era vermelha e preta, como a do Flamengo do R.J. e o seu campo ficava na Rua Manoel de Macedo, nas imediações de onde se encontra a Rua Frei Leopoldo.

O seu primeiro time tinha a seguinte formação: Nilton (depois Nezinho), Antenor e Manoel “Duduca”, Pedro, Rodrigo e Campo Grande, Nini, Edmundo, Cecéu, Zeca e Otinho.

FONTE: Marcelo Cardoso - Jornal A Noite  ((02/12/1941)

 

A Associação Atlética Portuguesa é uma agremiação do Bairro da Ilha do Governador, na cidade do Rio de Janeiro (RJ). A ideia de Fundação surgiu após os empresários do ramo de sacos vazios e usados Constantino Paiva e Joaquim Martins Leal, em excursão a Santos (SP), no dia 13 de novembro de 1924, terem conhecido a Portuguesa Santista.

Nessa visita, os empresários disputaram, com seus colegas e empregados, uma partida de futebol amistosa com os representantes daquela cidade, que trabalhava no mesmo ramo. O resultado do jogo foi 1 a 1 e serviu de incentivo para a fundação da Portuguesa-RJ, uma vez que a maioria dos participantes do jogo eram portugueses e, ainda vários (da cidade de Santos), eram simpatizantes da Portuguesa Santista.

De volta ao Rio, resolveram se organizar para um “jogo contra”. Foi quando que, em 17 de dezembro de 1924, Luiz Gomes Teixeira (primeiro presidente ratificado pelos estatutos de 2 de janeiro de 1925), patrões e empregados do ramo de sacaria fundaram um Clube também chamado Associação Atlética Portuguesa. A primeira sede foi na rua Visconde de Itaúna, 201, no centro da cidade (rua extinta para abertura da avenida Presidente Vargas, nos anos 40).

Apesar de ter sido fundada para prática do futebol em 1924, a Associação Atlética Portuguesa somente se filiou a uma liga em 1926. Isso aconteceu na Liga Brasileira de Desportos (LBD), que era uma sub-liga da entidade principal, a Associação Metropolitana de Esportes Atléticos (AMEA), que norteava o futebol carioca na ocasião.

CONQUISTAS

A equipe insulana participou dos campeonatos da primeira divisão de 33 e 34, na Associação Metropolitana de Esportes Athléticos – AMEA, de 35 e 36, e na Liga Carioca e como agregada, em 1937, na Liga de Futebol do Rio de Janeiro. A Portuguesa chegou a ser campeã na Associação de Futebol do Rio de Janeiro, em 1939. Já em 1949, se filou ao Departamento Autônomo e participou dos seus primeiros campeonatos, voltando ao cenário principal do futebol em 1953.

A Portuguesa também teve as suas façanhas internacionais. A equipe fez excursões à Europa em 1955, 56, 68, 69. Nesse último ano, venceu o Real Madri por 2 a 1, no Santiago Bernabeu. A equipe possui mais de 130 jogos internacionais. Outro momento histórico ocorreu em 1976, quando a Portuguesa se sagrou campeã do Torneio Internacional Otávio Pinto Guimarães, ao ganhar do Benfica de Portugal na final realizada no Estádio São Januário, no Rio de Janeiro.

Fases marcantes da Lusa após 1953:

• 1955 - Primeira excursão internacional a Europa e Israel. Foram 13 vitórias, cinco empates e quatro derrotas.
• 1956 – Grande excursão à Europa e África. Nessa campanha, jogou no estádio de Leningrado, na Rússia. Obteve seis vitória, nove empates e 16 derrotas.
• 1969 – Vitória sensacional sobre o Real Madri por 2 a 1, gols de Miguel.
• 1969 – O bicampeão mundial Edwaldo Izídio Netto, o Vavá, “Leão da Copa”, encerrou a sua carreira na Portuguesa.
• 1976 – O grande resultado do Benfica, de Portugal, em São Januário, no dia 13 de agosto, quando venceu a equipe lisboeta por 3 a 1, gols de Bruno, Albedã e Carlinhos.
• 1996 – Campeã do Torneio Ivan Drumond
- Campeã do Modulo Especial
• 2000 – Campeã da Série A2 (2ª Divisão)
- Campeã da Copa Rio
• 2003 – Campeã da 2ª Divisão

 

Jogos Históricos

10/Junho/1956 – Wisla Kraków 2 x 4 Portuguesa-RJ – Kraków (Polônia).
18/Junho/1956 – Dinamo Moscow 1 x 1 Portguesa-RJ – Moscow (Rússia).
02/Agosto/1968 – TP ENGLEBERT(*) 1 x 3 Portuguesa-RJ – Kinshasa (Congo).
04/Setembro/1969 – Real Madrid 1 x 2 Portuguesa-RJ – Estádio Santiago Bernabeu.
13/Agosto/1976 – Portuguesa-RJ 3 x 1 Benfica (POR) – Rio de Janeiro.

Títulos
• Estaduais
Campeonato Carioca – Série B (1996, 2000 e 2003)
Copa Rio: (2000)

• Outros Torneios Estaduais
Taça Ivan Drumonnd: 1996.

• Categorias de Base

Copa Light Sub-13: 2007;
Copa Luiz Mendes Sub-13: 2011;
Copa Paquetá Sub-15: 2011;
Campeonato Carioca Sub-15 – Série Especial: 2011;
Copa SEC Fiocruz Sub-20 (Atuando com a equipe Sub-16): 2011;
Troféu Luiz Mendes – Sub-13: 2011;
Copa Dinamite/Campo – Sub-13: 2012;

 Torneios Internacionais
Torneio Octávio Pinto Guimarães: 1976;
Vice-Campeão Trofeo Ciudad Bahía de Cartagena (Cartagena): 2001;
Torneio Internacional Brasil-Angola: 2002.

Jogadores famosos

Luizinho das “Arábias”, Jerry, Mario Breves, Inaldo, Neca, Foguete, Lua, Zezinho. No final de carreira, jogaram na Portuguesa: Otávio, Carlyle Sabará (64), Zózimo (65), Vavá (69), Escurinho (69/70).

Técnicos famosos: Zoulo Rabelo, Flávio Costa, Gentil Cardoso, Daniel Pinto, Lourival Lorenzi, Mário Vianna, Paulo Amaral, Paulo Emílio, Sérgio Cosme e Denoni Alves.

 

FONTES: Site do clube – Livro “Vai dar Zebra”, de José Rezende e Raymundo Quadros – ManulaGalo

 

A Associação Tupy de Esportes é uma agremiação da cidade de Jussara (GO). O Tricolor Jussarense foi Fundado no dia 20 de Novembro de 1963. O time manda os seus jogos no Estádio Municipal Geraldo Rodrigues, ”Geraldão”, com capacidade para 3 mil pessoas.

O Tupy só participou das edições na esfera profissional a partir de 2006 que começou a disputar competições oficiais (o campeonato goiano). Antes era apenas o maior time amador da cidade e o time formado por amigos jussarenses. O Tupy disputou seu primeiro campeonato no futebol profissional em 2006, conseguindo o vice-campeonato da Terceira Divisão do Goiano, perdendo a final para a Itauçuense por 3 a 0.

2006

  • 05/11 - Monte Cristo 0 X 1 - Tupy de Jussara - Jaime Guerra
  • 12/11 - Tupy de Jussara 1 X 0 Inhumas - Geraldo Rodrigues
  • 26/11 - Inhumas 1 X 2 Tupy de Jussara - Zico Brandão
  • 29/11 - Tupy de Jussara 4 X 0 Monte Cristo - Geraldo Rodrigues
  • 02/12 - Alexaniense 0 X 2 - Tupy de Jussara - Orias Silva Lima
  • 10/12 - Tupy de Jussara 1 X 1 Alexaniense - Geraldo Rodrigues
  • 17/12 - Tupy de Jussara 0 X 3 Itauçuense - Geraldo Rodrigues

Posição: 2º lugar – 16PTS – 7J – 5V – 1E – 1D – 11GP – 5GC

Campanha no Goianão – Segunda Divisão

2007

  • 24/06 - Novo Horizonte 2 X 0 Tupy de Jussara - Durval Ferreira Franco
  • 30/06 - Tupy de Jussara 1 X 1 Grêmio Anápolis - Geraldo Rodrigues
  • 03/07 - Goianésia 2 X 0 Tupy de Jussara - Valdeir José de Oliveira
  • 08/07 - Anápolis 2 X 0 - Tupy de Jussara - Jonas Duarte
  • 11/07 - Tupy de Jussara 2 X 2 Iporá - Geraldo Rodrigues
  • 15/07 - Tupy de Jussara 1 X 1 CRET - Geraldo Rodrigues
  • 18/07 - Itauçuense 3 X 2 Tupy de Jussara - Cruzeiro do Sul
  • 22/07 - Tupy de Jussara 1 X 3 Goiatuba - Geraldo Rodrigues
  • 28/07 - Tupy de Jussara 2 X 1 Novo Horizonte - Geraldão
  • 05/08 - Grêmio Anápolis 2 X 1 Tupy de Jussara - Jonas Duarte
  • 08/08 - Tupy de Jussara 0 X 1 Goianésia - Geraldão
  • 12/08 - Tupy de Jussara 1 X 3 Anápolis - Geraldão
  • 15/08 - Iporá 3 X 2 Tupy de Jussara - Ferreirão
  • 19/08 - CRET 1 X 1 Tupy de Jussara - Zico Brandão
  • 22/08 - Tupy de Jusssara 2 X 1 Itauçuense - Geraldo Rodrigues
  • 26/08 - Goiatuba 2 X 2 Tupy de Jussara - Divino Garcia Rosa

Posição: 8º lugar – 11PTS – 16J – 2V – 5E – 9D – 18GP – 29GC

2008

  • 15/06 - Tupy de Jussara 1 X 1 Santa Helena - Geraldo Rodrigues – Público: 602 pagantes
  • 22/06 - Goiânia 0 X 4 Tupy de Jussara - Hailé Pinheiro
  • 25/06 - Tupy de Jussara 2 X 1 Nerópolis - Geraldo Rodrigues – Público: 672 pagantes
  • 29/06 - Goiatuba 3 X 2 Tupy de Jussara - Divino Garcia Rosa
  • 05/07 - Aparecidense 0 X 0 - Tupy de Jussara - Annibal B. Toledo
  • 13/07 - Iporá 1 X 1 Tupy de Jussara - Ferreirão
  • 20/07 - Tupy de Jussara 2 X 2 Morrinhos - Geraldo Rodrigues – Público: 811 pagantes
  • 27/07 - Goianésia 0 X 6 Tupy de Jussara - Valdeir J. de Oliveira

Posição: 5º lugar – 13PTS – 8J – 3V – 4E – 1D – 18GP – 10GC | Público Total: 2.085 / Média de Público: 695

2009

  • 31/05 - Tupy de Jussara 1 X 1 Goiânia - Geraldo Rodrigues – Público: 731 pagantes
  • 07/06 - Novo Horizonte 4 X 0 Tupy de Jussara Durval F. Franco
  • 14/06 - Morrinhos 1 X 0 Tupy de Jussara - João Vilela
  • 20/06 - Tupy de Jussara 1 X 0 União de Itaberaí - Geraldo Rodrigues – Público: 231 pagantes
  • 28/06 - Canedense 1 X 0 Tupy de Jussara - Plínio José de Souza
  • 05/07 - Tupy de Jussara 1 X 1 Iporá - Geraldo Rodrigues – Público: 273 pagantes
  • 12/07 - Goianésia 2 X 0 Tupy de Jussara - Valdeir J. de Oliveira
  • 19/07 - Tupy de Jussara 1 X 5 Inhumas - Geraldo Rodrigues – Público: 129 pagantes
  • 25/07 - Nerópolis 3 X 1 Tupy de Jussara - Cruzeiro do Sul

Posição: 9º lugar – 5PTS – 9J – 1V – 2E – 6D – 5GP – 18GC | Público Total: 1.364 / Média de Público: 341

 

FONTES: Mercado Livre – Wikipédia – Federação Goiana de Futebol (FGF)

 

O Grêmio Esportivo Tiradentes foi uma agremiação da cidade de Ceilândia (DF). Fundado no dia 03 de Fevereiro de 1967. A sua Sede fica no Setor Policial Sul, Quadra 611 Sul – Brasília. Em 1988, foi campeão Brasiliense tendo como destaque o veterano zagueiro Beto Fuscão. Em 1989 participou da Copa do Brasil comandado pelo técnico Dadá Maravilha auxiliado pelo Ribeiro, quando conseguiu chegar até as oitavas-de-final, quando foi eliminado pelo Corinthians. Esta seria a sua única participação naquela competição.

Em 1994, conseguiu uma das vagas disponíveis para Série B daquele ano, com merito em ter ganho um qualificatório para Série B entre equipes do Distrito Federal e de Minas Gerais, porém, uma derrota para o Bangu, além de eliminar o time candango da Série B, acabaria decretando o rebaixamento para Série C de 1995, junto com o Fortaleza.

Entre 1995 e 1996 usou a denominação Flamengo Tiradentes. Ficou na divisão principal do DF até 1996, quando foi rebaixado juntamente com Samambaia, Taguatinga e Ceilândia, no quadrangular da morte (Taguatinga e Ceilândia não disputaram e foram rebaixados).

Após esse ano, o time ficou inativo até 2000, quando voltou, disputando a segundona, e também em 2001, sem conseguir o acesso. Após esses anos, o Tiradentes nunca mais voltou a disputar um campeonato brasiliense, sendo que nunca mais se ouviu falar em uma possível volta do clube, assim como acontece com Taguatinga e Planaltina, que também encerraram suas atividades e nunca mais voltaram, em um período onde clubes como Brasília, Sobradinho e Guará também começaram a declinar.

FONTES & FOTO: Wikipédia – Placar – ManulaGalo

 

FONTE: Página do Clube no Facebook

 

O Messejana Esporte Clube é uma agremiação da cidade de Fortaleza (CE). A sua Sede fica na Rua Coronel Francisco Pereira, nº 384, no Bairro de Messejana, em Fortaleza. Fundado no dia 28 de Setembro de 1938, para ser um clube de prática  desportiva entre amigos do Distrito de Messejana.

Durante toda a década de 40 e 50, o Messejana Esporte Clube promoveu o futebol amador, participando de diversos campeonatos das ligas de bairros da capital cearense. Nesta época, o foco eram as equipes formadas por moradores da região e de bairros vizinhos, que participavam mais por diversão e confraternização do que por competição e resultado. Na Década de 60, começou um trabalho de melhoria das condições técnicas com o objetivo de profissionalização na Federação Cearense de Futebol, que possuía apenas duas divisões.

Em 1966, ingressou nas categorias profissionais, filiando-se a Federação. Teve uma participação discreta neste ano, mas em 1967, com um brilhante campanha conseguiu se consagrar vice-campeão da Segunda Divisão do Cearense. Mas, em 1969, diante de dificuldades financeiras, o então, “Esporte Clube Messejana“, desistiu de participar da Primeira Divisão e voltou a apenas participar dos campeonatos de bairro e liga, se mantendo até hoje nesta situação.

Atualmente, desenvolvendo seu trabalho no Estádio Municipal Walter Lacerda, o conhecido Murilão, o Messejana Esporte Clube, tem foco nas categorias de base, mantendo um projeto social de escolinha de futebol, e tem participado ativamente das principais competições promovidas na Região Metropolitana de Fortaleza, voltadas para os mais jovens.

Tendo alcançado resultados significativos. O Messejana mantém ainda a tradição das equipes de bairros, como Quarentões e Titulares e Aspirantes. A expectativa do Messejana é poder, daqui a dois anos, voltar a disputar as categorias profissionais, ingressando na terceira divisão do cearense.

 
FONTE: Blog do Clube

 

O Miguelense Futebol Clube é uma agremiação da cidade de São Miguel dos Campos (AL). A sua Sede fica localizada na Travessa Sampaio Marques, 55, no Centro de São Miguel dos Campos. O clube Alviverde foi Fundado no dia 22 de Junho de 1995, como Clube Sportivo Miguelense. A equipe manda os seus jogos no Estádio Manoel Ferreira, com capacidade para 15 mil pessoas.

O seu melhor resultado foi no Campeonato Alagoano da 1ª Divisão de 1999, quando terminou com o vice-campeonato, atrás apenas do campeão CSA. Depois desse momento, o Miguelense entrou em dificuldades financeiras até fechar as portas em 2010. Agora, seis anos depois o retorna ao cenário alagoano de futebol, quando disputará o Campeonato Alagoano da 2ª Divisão desse ano.


FONTE: Página do clube no Facebook – Wikipédia – Site Cada Minuto

 

Para muitos supersticiosos, a sexta-feira 13 é o Dia do Azar. No entanto, para alguns clubes de futebol ao redor do mundo, a falta de sorte parece ser uma característica que já faz parte de suas histórias.

Se você acredita em azar, cruze os dedos, se agarre a um pé-de-coelho e confira a lista que o Paixão Libertadores fez com os dez clubes mais “zicados” do mundo. Agora, se você não acredita, também pode dar uma olhada. Mas, por via das dúvidas, cuidado na rua se cruzar com um gato preto…

10º Lugar – Tottenham (Inglaterra): originalmente batizado com o nome de “Hotspur”, em alusão a um personagem criado por Sheakpeare, a história do clube tem muitos capítulos de tragédia. Foi primeiro clube inglês a vencer uma competição européia – Recopa de 1963 – e venceu duas Copas da Inglaterra nos anos de 81 e 82. Mas não ganha o título inglês desde 1961!

9º Lugar – Schalke 04 (Alemanha): O que falar de um clube que não vence o Campeonato Alemão há 49 anos? Mas a situação é ainda pior, pois o Schalke chegou a liderar toda a competição em três oportunidades – 1972, 2001 e 2007, sendo que em 2001 perdeu o título para o Bayern quando comemorava em campo. Isso porque o rival fez o gol que arrancou o título do Schalke aos 49 minutos do segundo tempo. Que fase!

8º Lugar – América de Cáli (Colômbia): Em quatro decisões de Libertadores, perdeu as quatro. Próximo!

7º Lugar – Gimnasia y Esgrima (Argentina): Em 76 anos como um clube profissional, JAMAIS ganhou um bom campeonato. E para piorar, o seu rival de La Plata, o Estudiantes, já venceu quatro Libertadores, um Mundial de Clubes e um Sulamericana. Além disso, o Gimnasia perdeu cinco campeonatos que tinha praticamente garantido os títulos.

6º Lugar – Botafogo (Brasil): “Há coisas que só acontecem com o Botafogo”. Esse famoso ditado no futebol talvez sirva para explicar o motivo pelo qual o clube que mais cedeu jogadores para a Seleção Brasileira nunca tenha vencido um grande torneio internacional. Mesmo com lendas como Garrincha, Didi e Nilton Santos, o Glorioso foi eliminado de uma semifinal de Libertadores em pleno Maracanã pelo Santos, de Pelé, ao perder por 4 a 0. Detalhe: no jogo de ida, em São Paulo, empatou em 1 a 1. Mas, além disso, o time de General Severiano já perdeu quatro campeonatos nacionais. No Rio de Janeiro, ficou longos 21 anos sem conquistar um título estadual, quebrou o jejum em 1989.

5º Lugar – Feyenoord (Holanda): Teve o seu auge na conquista da Liga dos Campeões da temporada 1969-70. No entanto, mesmo com apenas dois outros grandes clubes (Ajax e PSV), não vence o campeonato nacional desde 1999. Venceu a Copa da Uefa de 2002.

4º Lugar – Atlas (México): Em 1951, foi o primeiro campeão do Estádio Jalisco. Porém, a glória parou por aí, pois o rival Chivas, de Guadalajara, se tornou o maior vencedor do México com 11 conquistas.

3º Lugar – Genoa (Itália): A venda de um jogador provocou uma mudança no clube. Meroni foi vendido para o Torino e isso fez com que vários torcedores ilustres ficassem frustrados depois que os mesmos se mobilizaram financeiramente para ajudar a manter o craque no clube. Entre os colaboradores influentes estava Paolo Mantovani, que na década de 70 comprou o rival Sampdoria. Sabe o que aconteceu? Em 91, a Sampdoria venceu a Copa da Itália, a Copa Européia e o Campeonato Italiano.

2º Lugar – Racing (Argentina): Dono de 17 Campeonatos Argentinos e uma Libertadores, o Racing chegou a decretar falência no ano de 2009, mas foi salvo pelos seus torcedores. Em 2001, quebrou um jejum de título nacionais que já durava 35 anos.

1º Lugar – Torino (Itália): Chegou a ser considerado o maior time do mundo na década de 40 por vencer cinco campeonatos consecutivos. Só que uma tragédia abalou profundamente a história do clube. Em 1949, o avião que levava toda a equipe caiu, matando todos os jogadores e integrantes da comissão técnica. O trauma durou até meados dos anos 60 quando o clube revelou o craque Gigi Meroni, que recolocou o Torino novamente nos holofotes. Porém, aos 24 anos, Gigi morreu atropelado por um fanático torcedor do próprio Torino.

Fonte: Pasion Futbol

 

O Clube Bahiano de Tennis é uma agremiação da cidade de Salvador, capital do estado da Bahia. Fundado no dia 28 de Julho de 1916, tem a sua Sede localizada na Rua Oito de Dezembro, 525, no Bairro da Barra, na capital baiana. Entre suas atividades, dedica-se ao futebol, natação e balé. Mas foi idealizado como um clube de tênis em 1916, sendo o pioneiro na implantação desse esporte na sociedade soteropolitana.

No futebol, o Clube Bahiano de Tennis fez história na década de 20. Foi campeão do Campeonato Baiano da 1ª Divisão de 1927. No ano seguinte acabou o vice-campeonato de 1928. No Torneio Início foram três títulos: 1920, 1923 e 1927.

FONTES: Wikipédia - Marlon Krüger Compassi

 

EC Vitória
História: O Início

Um dos primeiros clubes brasileiros, o Club de Cricket Victoria foi fundado no ano de 1899, em um a noite chuvosa do dia 13 de maio, quando os irmãos Valente, Arthur e Arthêmio, reuniram um grupo de amigos formado pelos mais representativos jovens da sociedade baiana, no casarão da família, no Corredor da Victória. Onde, hoje, está localizado o Edifício Casablanca.

O encontro reuniu os jovens Adolfo Irineu dos Santos, Alberto Teixeira, Antônio Almeida, Antônio Guimarães, Augusto Francisco Lacerda, Carlos Carvalho, Carlos Teixeira, Herbert Filgueiras, Joaquim Costa Pinto, Joaquim Chaves, Jorge Wilcox, Juvenal Teixeira, Leobino Cavalcante, Octavio Rabelo, Pedro Almeida, Quintino Ferreira, Arthur Valente, Arthêmio Valente (primeiro presidente, eleito por aclamação) e Fernando Kock (que veio assumir a presidência 18 dias depois).

Como quase todos residiam no bairro da Vitória, no centro de Salvador, optaram pelo nome Victória, pela forte influencia da língua inglesa na época e por se tratar de uma equipe de críquete, esporte inglês muito disputado pela colônia britânica que residia em Salvador.

Essa modalidade esportiva era apreciada pelos baianos da época, mas era praticada estritamente pelos ingleses, restando aos brasileiros a tarefa de buscar e repor as bolas no campo, como gandulas privilegiados. O que gerava uma marginalização dos brasileiros neste esporte. Com o intuito de combater essa discriminação, foram sugeridos nomes e cores patrióticas para o Club de Cricket Victória, como o verde e amarelo. Mas a dificuldade em encontrar tecidos nessas cores fez com que fosse escolhido o preto e branco como as cores do Club.

Em outubro de 1901, José Ferreira Júnior, conhecido como Zuza, retorna da Inglaterra trazendo o Futebol. Reúne alguns amigos que jogavam críquete e promove o primeiro “baba” registrado em Salvador, no Campo da Pólvora. Anos depois Zuza chegou a jogar pelo Victória em partidas amistosas.

Logo em 1902, o Victória adotou o futebol como modalidade, assim como o atletismo, a natação e o remo. Ainda nesse ano, a agremiação mudou de nome para Sport Club Victória, pois o críquete já não era a único esporte praticado; e adota as cores vermelho e preto por sugestão do Sr. Cesar Godinho Spínola, vindo do Rio de Janeiro e ex-remador do Flamengo.

 

História: Primeiro Jogo e Primeiro Título

 

Em 13 de setembro de 1902, o Vitória realizou sua primeira partida de futebol vencendo o São Paulo Bahia Football Club por 2×0, na inauguração do Campo dos Mártires – atual Campo da Pólvora, “quando foram vivamente aplaudidos, saindo de campo nos braços dos seus admiradores e sob os beijos das ilustres senhorinhas que lá estiveram”, comentou o jornal Correio do Brasil.O futebol era um esporte amador em todo o Brasil nessa época, tendo se profissionalizado apenas em 1933. Mas em 1905 foi fundada a Liga de Bahiana de Sports Terrestres, com quatro clubes: o Sport Clube Bahiano, o Clube Internacional de Críquete, o São Paulo Bahia Football Club e o Sport Club Victória. O primeiro título do Victória no Campeonato Baiano, organizado pela Liga, foi em 1908 (com 100% de aproveitamento), seguido do bicampeonato em 1909.A PROFISSIONALIZAÇÃO
Os Esportes Olímpicos continuaram sendo a prioridade do Sport Club Victória até o início dos anos 50, quando o futebol deixa de ser uma categoria amadora e em 1953 monta uma equipe profissional, que viria a conquistar o Campeonato Bahiano deste ano (o primeiro a ser disputado integralmente na Fonte Nova). Era o início da paixão do rubro-negro pelo futebol do seu clube. Ainda na década de 50, o Vitória levantou as taças de 1955 e 1957.
História: Os Anos 80 e o Barradão
O início dessa década anunciou mudanças favoráveis para o Vitoria. Foi nesse período que começou uma gestão voltada para a conquista de um antigo sonho Rubro Negro: ter um estádio próprio. Junto a uma maior valorização das categorias de base. Tais decisões representaram os primeiros passos para a mudança do Vitória e da história do futebol na Bahia. Nessa década o Vitória ergueu as taças de 80, 85 e 89.Um dos fatos marcantes desta década aconteceu no dia 1º de agosto de 1985, quando o clube lançou o seu novo Hino, de autoria do compositor Walter Queiroz Júnior. Era a campanha “Este hino vai levantar o Estádio”, que pretendia arrecadar recursos para a conclusão do Barradão. E em 1986 o Estádio Manoel Barradas é inaugurado, dando continuidade ao projeto do Complexo Esportivo da Toca do Leão, que depois passou a se chamar Complexo Esportivo Benedito Dourado da Luz, iniciado no final dos anos 70.A primeira vez que o Vitória entrou no campo do estádio “Manoel Barradas”, que acabou por se popularizar como o famoso Barradão, foi no dia 19/07/85 para treinar, pois, em sua primeira etapa, esse estádio configurou-se como local de treinamentos; que ate então, eram realizados em outros campos. Nesses primeiros anos de vida o Estádio Manoel Barradas quase não era utilizado, nem mesmo para amistosos, tendo sido realizado apenas quatro jogos durante esse período no templo rubro-negro. Reinaugurado em 1991, quase todas as partidas restantes do Campeonato Baiano desse ano passaram a ser realizadas no Barradão, quando o mando de campo era rubro-negro. Porém, no início do ano de 1992, os jogos voltaram a ser realizados na Fonte Nova, com o argumento de que, a iluminação do Manoel Barradas impedia partidas que começassem após as 15 horas, sendo possível a realização de jogos apenas nos finais de semana.No entanto, em 1994 acontece implantação do sistema de iluminação do Estádio Manoel Barradas e a sua ampliação, habilitando definitivamente o Barradão a receber qualquer partida de futebol e se consolidando, de vez, como Estádio. Combatendo duramente a resistência de muitos em aceitarem o campo como oficial do Vitória, chega-se ao ano de 1995 e, finalmente, conquista-se o mando de campo do clube para seu estádio que passou a ser um grande símbolo de mudança na história do futebol da Bahia.
Desse momento em diante, só deu Vitória.
História: A Década da Consolidação Rubro Negra
Reflexo do que foi feito nos anos 80, na década de 90 o Vitória já havia alcançado sua independência financeira e fortaleceu as suas divisões de base, com isso os resultados foram aparecendo. Foram seis Campeonatos Baianos conquistados durantes esses 10 anos: 1990, 1992, 1995, 1996, 1997 e 1999.O ano de 1993 foi um marco para o Vitória. Com um elenco que mesclava garra e juventude, o rubro negro fez um Campeonato Brasileiro memorável, superando times como Flamengo, Santos e Corinthians. A Final foi contra o poderoso Palmeiras (cuja equipe era o esqueleto da seleção brasileira daquele ano), que venceu as duas partidas e também o Brasileirão de 94. Mas, independente do revés na Final, o time de 93 é lembrado com muito carinho pelos torcedores rubro negros. Comandado por Fito Neves o time que jogou a primeira final tinha: Dida – Rodrigo, João Marcelo, China, Renato Martins – Gil Sergipano, Alex Alves, Paulo Isidoro, Roberto Cavalo – Pichetti e Claudinho.
O primeiro Tricampeonato Estadual foi conquistado em 97, ano em que também ganhou o primeiro título da Copa do Nordeste; vencendo o Bahia nas finais de ambas as competições. Dois anos depois, na comemoração do seu centenário o Vitória sagrou-se novamente Campeão do Nordeste e teve uma bela participação no Campeonato Brasileiro de 1999, quando foi 3º colocado. Depois de passar pelo Vasco, com direito a um 5 x 4 inesquecível, considerado por muitos o melhor jogo da Era Barradão; perdeu a primeira e ganhou a segunda partida da semi final contra o Atlético Mineiro, sendo eliminado na última e decisiva partida. A nível local, a divisão do Título Baiano daquele ano, entre Bahia e Vitória, não foi suficiente para manchar o aniversário de 100 anos do Vitória. Mas para fechar bem o século, o rubro negro conquista o Campeonato Baiano de 2000.
História: Hegemonia Estadual no Século XXI
Entramos no século XXI e o Esporte Clube Vitória se firma como o time, do Brasil, com o maior número de títulos da primeira década desse novo século. Apenas em 2001 o Vitória não conquistou nenhum troféu. Em 2002 e 2003, veio o bicampeonato baiano, além da Copa do Nordeste de 2003.O ano de 2004 foi de altos e baixos. Esperava-se muito do time no ano. E o início foi empolgante: ganhou o estadual, a Taça Estado da Bahia de 2004, ficou na ponta do Campeonato Brasileiro e chegou às semifinais da Copa do Brasil. Mas o segundo semestre foi catastrófico levando o time ao rebaixamento para a Série B.Em 2005 se concretizou o tão almejado Tetracampeonato Estadual, com o time invicto. Jogando a Série B, a equipe lutou para se classificar para a próxima fase, mas nas cinco últimas partidas o Vitória só somou um ponto e depois de uma série de combinações de resultados, acabou rebaixado para a Série C.Mas logo no ano seguinte, com um elenco formado por apostas e revelações o Vitória conseguiu a ascensão a Série B. Porém, em 2007, todos sabiam da competitividade daquela Série B, mas o time manteve uma grande regularidade, permanecendo na ponta da tabela durante quase todo o campeonato, o que resultou na volta do Vitória a elite do futebol brasileiro.De 2007 a 2010, o rubro negro conquistou novamente o Tetracampeonato Estadual. E teve boa participação no Brasileirão de 2008, terminando na décima posição e se classificando para a Copa Sul americana do ano seguinte, quando também garantiu a participação no campeonato continental de 2010.A hegemonia no Estado se consolida em 2010 conquistando, pela segunda vez na década, o Tetracampeonato Baiano, vencendo o Bahia na Final. Esse time também conseguiu chegar, pela primeira vez na história do Clube, à Final da Copa do Brasil; mas o triunfo por 2 x 1 contra o Santos, não foi suficiente para erguer a Copa, pois o badalado time da Vila Belmiro havia vencido por 2 x 0 o primeiro jogo em Santos.Na volta do Nordestão em 2010, que não era disputado desde 2003, o Vitória participou da competição, e mesmo com a equipe “B” e ganhou o seu quarto título regional. Mas o segundo semestre voltou a ser traiçoeiro com rubro negro. Pelo Campeonato Brasileiro o Vitória tropeçou e acabou sendo rebaixado na última rodada
FONTES: Site do clube –  Marlon Krüger Compassi
 

Esporte Clube Ypiranga é uma agremiação da Cidade de Salvador (BA). O Aurinegro, clube do coração de Jorge Amado (um dos maiores escritores do país), é o 3º clube com mais títulos baianos, depois doBahia e do Vitória, com 10 conquistas. E também um dos mais tradicionais clubes baianos. No início do século XX, jovens excluídos da sociedade por vários motivos, principalmente por fatores étnicos, sociais e econômicos e por conta disso, impedidos de participaram de clubes de futebol no Brasil.

Com isso, decidiram fundar um clube que unisse o povo pobre da cidade em detrimento dos privilégios das elites, surgiu o Sport Club Sete de Setembroem 17 de abril de 1904, mas que em 07 de Setembro de1906, surge uma nova equipe, agora chamada de Sport Club Ypiranga, nome escolhido por causa da conjuntura nacional do momento.

A partir daí então o Esporte Clube Ypiranga figurou como destaque no cenário baiano, ganhando 10 títulos estaduais (sete de forma invicta), assim como também 10 vezes ficou como segundo colocado. Já no Campeonato Baiano da 2ª Divisão, o clube detém 2 títulos, um conquistado em 1983 e outro em 1990 (de forma invicta). A categoria Juvenil do Ypiranga também conquistou diversos títulos ao longo dos anos.

FONTES: Wikipédia –  Marlon Krüger Compassi

 

Mais um distintivo enviado por Marlon Krüger Compassi do ano de 1943. O Clube de Natação e Regatas São Salvador é uma agremiação da cidade de Salvador (BA). Fundado no dia 1º de Setembro de 1902, tem a sua Sede localizada na Avenida Men de Sá, 16, no Bairro da Ribeira, em Salvador, CEP: 40420-240 – Telefone: (71) 314-2507.

A equipe alviverde mandava os seus jogos no Estádio Campo da Pólvora, com capacidade para 2 mil pessoas. O São Salvador participou de algumas edições do Campeonato Baiano da 1ª Divisão, obtendo um vice em 1905, e o Bicampeonato: 1906 e 1907. Atualmente, dedica-se às atividades nos esportes aquáticos.

HISTÓRIA

Foi seu idealizador e fundador Torquato Corrêa, ao regressar do Rio de Janeiro, onde remava pelo Clube de Regatas Flamengo. Notando a falta de clubes náuticos nesta capital, onde existia apenas o Esporte Clube Vitória com uma pequena flotilha, resolveu consultar alguns amigos e no dia 1º de Setembro de 1902, na sua residência na Piedade fundou o Clube de Natação e Regatas São Salvador.

Animado com a grande adesão de associados, voltou ao Rio de Janeiro e de lá trouxe duas canoas e aos domingos e feriados no Porto dos Tainheiros se exercitavam os amadores e amantes do novo esporte, despertando grande interesse público.

Em janeiro de 1905, devido a um mal entendido, 20 associados do Esporte Clube Vitória deixam o clube, e se transferem para o São Salvador, sendo criada a seção de futebol sob a direção de Carlos Costa Pinto. Conquistando logo a preferência do público, tornou-se a sociedade esportiva mais querida da época.

Nesta mesma ocasião, por proposta de Arthur Moraes, são mudadas suas cores de amarelo e preto para o branco e verde, que adota até hoje. Em 1905 tomou parte no 1º Campeonato Baiano de Futebol no Campo da Pólvora sagrando-se vice-campeão. No ano seguinte levanta o título, e no outro o bi-campeonato.

No remo era o “Bicho Papão” levantando quase todas as regatas. Com o correr dos tempos, deixou o futebol devido a extinção da Liga Bahiana e a decadência no remo, sofreu o alviverde algumas crises, perdendo a liderança para o E. C. Vitória. Agora o C.N.R. São Salvador se reorganiza, voltando a ocupar o seu lugar de destaque nos meios náuticos para alegria da sua grande torcida.

CAMPO DA PÓLVORA

Surgiu em 21 de Outubro de 1901 quando José Ferreira Junior, o Zuza Ferreira, improvisou um campo de futebol no Campo da Pólvora, que até então era denominado de Campo dos Mártires. Zuza marcou o espaço do gol com duas pedras grandes, dez metros entre uma e outra, sendo também disputado o primeiro jogo.

Em 30 de outubro de 1903 foi disputada a primeira partida internacional, por marinheiros americanos que se encontravam em Salvador e um combinado anglo-brasileiro. Em 9 de abril de 1905, o Campo se tornou oficial com os jogos realizados da Liga Baiana de Esportes Terrestres (atual Campeonato Baiano).

A estreia foi com um jogo realizado entre Internacional e Vitória, com uma vitória de 3 a 1 do Internacional. O Campo da Pólvora não tinha arquibancada. O público se posicionava pelos quatro cantos do campo que era “cercado” por cadeiras onde se sentavam as senhoras, além disso o público tinham que se vestir a rigor, pois o futebol naquela época era feito para a elite. Atualmente, o Campo da Pólvora foi demolido para dar lugar a uma estação do futuro metrô da capital baiana, a Estação Campo da Pólvora.

 

FONTES: Wikipédia – Confederação Brasileira de Remo – Marlon Krüger Compassi

 

Outra Contando com a importante ajuda do internauta Marlon Krüger Compassi é o escudo de 1943 da Associação Atlética da Bahia. É uma agremiação da cidade de Salvador (BA). O clube Alvianil foi Fundado no dia 04 de Outubro de 1914. A sua Sede fica localizada na Rua César Zama, 316, no Bairro da Barra Avenida, na capital baianaNa esfera futebolística, a AA Bahia foi campeão do Campeonato Baiano da 1ª Divisão em 1924; campeão do Torneio Início de 1928; e vice-campeão Estadual quatro vezes: 1921, 1922, 1923 e 1925.

FONTES: Site do clube – Wikipédia - Marlon Krüger Compassi

 

Contando com a preciosa colaboração do internauta Marlon Krüger Compassi, segue um escudo inédito da Associação Desportiva Guarany de 1943. O Alvinegro foi uma agremiação da cidade de Salvador (BA). Fundado no dia 12 de janeiro de 1920, o Guarany mandava os seus jogos no Estádio Roberto Santos​. Na história do futebol baiano, o clube possui dois títulos: Campeão do Campeonato Estadual da 2ª Divisão (1939) e da Primeira Divisão (1946).

 

FONTES: Wikipédia – Marlon Krüger Compassi

 

Pessoal!!!Muito Feliz!!!

Finalmente cheguei a fórmula final de um trabalho realizado já a alguns anos.É um banco de dados do futebol mundial.As informações mais corretas possíveis dos clubes, sem invenções, sem achômetros, baseadas somente em pesquisas, tem!!!tem!!!, não tem!!!não tem!!!, de TODOS OS PAÍSES E TERRITÓRIOS do mundo.Agradeço ao Sergio Mello e ao Kussarev pelas ideias repassadas para formatação final.Ainda não sei o que irei fazer de concreto com esse banco de dados, a parte mais dificil eu já fiz, tenho várias ideias vamos ver o que seria possivel.Tem o blog aqui, apesar de ser 99% futebol brasileiro, talvez tenha espaço para isso, tem a possibilidade de e-book, de um livro impresso, a Soccer Logos!!!
O que ele possui este trabalho?
A princípio eu dei uma enxugada para facilitar as pesquisas, portanto tem as informações do escudo, cidade, divisão, uniforme do clube.

ESCUDOS: o mais real que encontrei, baseado sempre em fotos das camisas, dentro do possível.
UNIFORMES:a mesma coisa, SEMPRE baseado em fotos dos clubes.
DIVISÃO:a temporada 2015-2016 de TODAS AS DIVISÕES, eu disse todas , por exemplo da CROÁCIA são 8 divisões e aí por diante, o que o colecionador imaginar tem.
ALL CLUB RANKING:o que é isso??Me baseei no que já tem no RSSSF então além dos clubes atuais, eu fiz uma tabela de todos os tempos dos clubes que atuaram na primeira e segunda divisões.Portanto tem os clubes atuais, os extintos e os que já atuaram alguma vez nas divisões de cima.

ARQUIVOS JÁ FINALIZADOS(estão formatados e organizados)

ABKHAZIA- (13 ESCUDOS/9 UNIFORMES) muita coisa não tem na web
ILHAS ALAND- (20 ESCUDOS/24 UNIFORMES) incluindo os clubes que jogam os campeonatos filandês, sueco e o campeonato regional de Aland.

É isso, fiquem com Deus e vou inserindo as novidades no facebook do meu blog Almanaque dos Clubes e suas Cores.

 

História interessante esta na Romênia.
Em 2012 o tradicional time da Politecnica Timisoara foi dissolvido, campeão duas vezes da Copa da Romênia em 1958 e 1980, vice nacional também duas vezes 2009 e 2011, clube com grande tradição no país e também uma grande torcida.Pois bem foi fundado em 2012 o ACS Poli Timișoara, que “teoricamente” é o sucessor deste tradicional clube, inclusive as cores são idênticas, oficialmente a prefeitura local repassou toda a história, títulos, estádio do clube antigo, somente o nome não pode ser utilizado por causa dos problemas financeiros que causaram sua falência.
O clube subiu da segunda para primeira esta temporada, até aí tudo bem.Mas…..
Quem disse que a torcida concordou?Não concordou!!!
Os fiéis e numerosos torcedores da Poli, simplesmente não abraçaram a nova instituição por conciderarem que a venda e modificação do clube tinha “outros” interesses e fundaram em 2012 a equipe do SS Politehnica Timişoara, este sim, considerado o “verdadeiro” sucessor do antigo clube, o clube começou disputando a 5º divisão em 2012 e nesta temporada subiu a 3º divisão e pelo ritmo de promoções em breve teremos dois times com o mesmo passado, sendo que um oficial e outro na paixão de seus torcedores, disputando o mesmo campeonato nacional, uma história incrível!!!!

 

Liga de Barbacena

AMERICA FC
ANDARAI EC
INDEPENDENTE EC
IPANEMA EC
OLIMPICO CLUBE
VILA DO CARMO EC
JUVENTUS EC

Liga de Carangola

AMERICA FC
ATLETICA CLUBE
COMERCIAL FC
EC BRASIL
EC JUVENTUS
EC OLIMPICO
EC SANTA FÉ
OPERARIO FC
VASCO FC

LIVRO DESPORTOS EM TODO MUNDO

© 2017 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha