FONTE: A Voz da Serra

 

FONTE: A Folha Esportiva

 

O LPB Futebol Clube foi uma agremiação da cidade de São Paulo (SP). O Clube Elepebense foi Fundado na quinta-feira, do dia 07 de Julho de 1932. A sua 1ª Sede ficava na Rua Bráulio Gomes, nº 4, na República, em São Paulo. Em 1937, se transferiu para a Rua José Bonifácio, 39/ 3º Andar – Praça da Sé. Depois passou para a Rua São Luís, nº 161, na República, em São Paulo, na década de 40.

O clube se filiou, em 1934, na ACEA (Associação Comercial de Esportes Atheticos, fundada em 1930). Após ver o Tewico FC faturar o Bicampeonato (1930 e 1931) e o Tetra do Mecânica FC (1934, 1935, 1936 e 1937), o LPB também faturou quatro títulos: 1938 e 1940, 1941 e 1942.

Em 1942, a A.A. Americana foi o 1º clube de Santos a jogar uma partida no Estádio do Pacaembu, enfrentando o LPB, de São Paulo, pelo Campeonato de Futebol Amador do Estado de São Paulo.

 

Campeonato Amador do Município de São Paulo: LPB é o Campeão!

A competição reuniu os campeões de diferentes divisões do futebol paulistano:

AA Light & Power - Campeão da Divisão Principal

AA Guarani - Campeão da Divisão Varzeana

LPB FC - Campeão da Divisão A.C.E.A.

União Vasco da Gama FC - Campeão da 1ª Divisão

AER Recabo - Campeão da Divisão Industrial Comercial “Leci”

EC Banespa - Campeão da Divisão Bancária

São Paulo FC - Campeão da Divisão Extra

Guarda Civil de São Paulo - Campeão da Divisão dos Funcionários Públicos

 

Quartas de final

14-11-1942 - Estádio do Pacaembu: São Paulo 1       x          0 Guarda Civil

15-11-1942 - Campo do Ipiranga: Recabo 3 x 1 Banespa

15-11-1942 - Campo do Juventus: LPB 3 x 0 União Vasco da Gama

18-11-1942 - Estádio do Pacaembu:  Light & Power 6 x 2 Guarani

 

Semifinal

21-11-1942 - Pacaembu: Recabo           2         x          0          São Paulo

22-11-1942 - Pacaembu: LPB     3          x          2          Light & Power

 

Final

06-12-1942 - Pacaembu: LPB     3          x          0          Recabo

FONTES: Memória Santista – Rsssf Brasil – Correio de São Paulo – Correio Paulistano – Celso Franco

 

O Dalva Football Club foi uma agremiação da cidade de Campinas (SP). O clube disputou o Campeonato do Interior de São Paulo, em 1925 e 1927.

FONTES: Correio Paulistano – Celso Franco

 

O Engenho Central Futebol Clube foi uma agremiação da cidade de Itaocara (RJ). O Alviverde foi Fundado em Outubro de 1939, por funcionários da Companhia Engenho Central Laranjeiras S/A. A sua Sede ficava localizada em Laranjais – 2º distrito do Município de Itaocara. O Engenho Central participou do Campeonato Fluminense de Futebol de 1944, chegando até a terceira fase, só caindo diante do forte Paduano de Santo Antonio de Pádua.

Para um clube do Interior do Rio, a sua estrutura era diferenciada. O seu Estádio, por exemplo, contava com arquibancadas cobertas. O Engenho Central revelou grandes jogadores como: Adhemar Gomes, Antônio Geraldo, Batista Oliveira, Flávio Campany, Jair Campany, João do Enéias, Oarci Ferraz, Olivier, Onivar, Paulinho “Boleba”, Porquita, Tião Sobrado, Waldemar Torres, entre outros.

Em 1948, o clube estava filiado a Liga Itaocarense de Desportos (LID), juntamente com o Portela Esporte Clube; América Futebol Clube; União Esportiva Itaocarense e Brasil Esporte Clube.

Em agosto de 1971, foi assinado pelo Sr. Fernando Leandro, foi aprovado em discussão única, o projeto que considera de utilidade pública o Engenho Central Futebol Clube, com sede em Itaocara.

FONTES: Itaocararj – Jornal do Commercio – Diário Carioca – O Fluminense – André Luiz Pereira Nunes – Liga Itaocarense de Desportos (LID)

 

FOTOS: Revista Fon-Fon

 

Aspecto da inauguração oficial do Pavilhão do Riachuelense Football Club, do Centro do Rio de Janeiro (RJ), Fundado no dia 20 de Janeiro de 1913. No momento da foto em que o Dr. Julio Furtado içava o novo pavilhão.

 

FONTE: Revista Fon-Fon 

 

O Henrique Valladares Football Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). O Alvinegro foi Fundado na quinta-feira, do dia 24 de Julho de 1913. A sua Sede ficava localizada na Avenida Henrique Valladares, nº 33 (Sobrado) – Centro do Rio.

Em 1919, ingressou na Associação Carioca de Sports Athleticos (ACSA), e faturou o título do Segundo Quadros. Em 14 de novembro de 1920, o Henrique Valladares excursionou para São João Nepomuceno, na Zona da Mata (MG), para realizar dois jogos amistosos: um diante do Mangueira Football Club e o outro contra o Operário Football Club.

FONTES: O Imparcial – O Paiz – O Malho

 

O Real Grandeza Football Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). A sua Sede ficava localizada na Travessa Oliveira, nº 27, no Bairro de Botafogo, na Zona Sul do Rio. Nos anos 30, o clube se transferiu para a Rua Real Grandeza, nº 243, também em Botafogo.

O clube Alvianil foi Fundado no domingo, do dia 06 de Novembro de 1910, por um grupo de operários e alunos do antigo Gymnasio de Botafogo: Ernesto Amaral; capitão Arthur Henrique Santos; Tenente Eloy Valentim Aguiar; Julio Kengen; José de Maria Ferreira; José Nascimento Ferreira; Leandro da Rocha, entre outros.

 

Campeão do 1º Campeonato da Liga Sportiva Suburbana

Após uma temporada realizando amistosos e festivais, o Real Grandeza FC foi um dos primeiros clubes  a se filiar na nova Liga Sportiva Suburbana (LSS), fundada em abril de 1912 (Sede na Rua do Senado, nº 164, no Centro do Rio).

No 1º campeonato, o Real Grandeza fez bonito, ao conquistar o título no 1º Quadro e o vice-campeonato nos 2º Quadros.

 

Amistoso em Niterói

O clube Alvianil atravessou a Baía de Guanabara, onde enfrentou o Esperança Football Club, do Bairro de Icarahy, no sábado do dia 27 de julho de 1912. No final, o Real Grandeza goleou por 6 a 0, nos Primeiros Quadros. Nos Segundos Quadros, outro triunfo sobre o clube niteroiense: 5 a 0.

 

Triunfo em cima do Carioca F.B.C.

Em 1913, saiu da LSS. Contudo, nesta temporada enfrentou um forte adversário: Carioca Football Club, duas vezes, ambos na casa do adversário: Estrada Dona Castorina, no Bairro da Gávea. No primeiro encontro, Real Grandeza goleou o Carioca pelo placar de 3 a 0. No segundo, melhor para os donos da casa, que venceram apertado o Real Grandeza, por 2 a 1.

 

Real Grandeza fez o jogo “da entrega das faixas” do 1º Campeão de Niterói

No domingo, do dia 14 de dezembro de 1913, o Real Grandeza enfrentou o Guarany Football Club, às 14h30, no ‘Ground dos Salesianos’, no Bairro de Santa Rosa, em Niterói. A peleja foi organizado pelo Jornal Gazeta da Manhã, a fim de celebrar a conquista do Campeonato Niteroiense daquele ano, pelo Guarany, que se sagrou campeão vencendo todos os seus jogos. Antes do início do jogo, o jornal entregou a belíssima medalha de ouro ao clube niteroiense, que foi muito aplaudido pelo público presente.

A partida foi movimentada e com uma “chuva de gols“: oito. Melhor para o Guarany que bateu o Real Grandeza pelo placar de 5 a 3. Além da vitória, o clube niteroiense encerrou a temporada de forma invicta sem perder nenhuma partida tanto em jogos oficiais quanto nos amistosos. Ao todo, Guarany Football Club realizou 21 jogos na temporada de 1913: foram 19 vitórias e dois empates. Após o jogo, o Guarany faturou mais um caneco: a Taça Freitas e Félix, destinada ao vencedor do confronto.

O Guarany jogou da seguinte forma: O. Medeiros; J. Failace e M. Alexandrino; Eurico, F. Ferreira e L. Tinoco; Gravano, Monteirinho, R. Medeiros, Cecy e Lydio.

O Real Grandeza atuou: Álvaro da Silva; Alberto Rocha e  Euclydes Oliveira (Cap.); J. Félix, M. Leite e José de Maria Ferreira (Nero); Jorge Menna, Julio Kengen, J. Marcellino, E. Menezes e J. Pinto.

 

Campeão do 1º Campeonato da Federação Brasileira de Football

Em 1914, a equipe Alvianil se filiou na Liga Sportiva de Football (LSF), onde ficou com o vice-campeonato ao lado do Dois de Junho Football Club. Em 1915, ajudou na Fundação da Federação Brasileira de Football (FBF).

Nesta competição, fez excelente campanha, chegando ao ponto de arrasar o seu principal adversário: Dois de Junho Football Club, pelo elevado escore de 8 a 0. No final se sagrou Campeão da temporada de 1915. Como a FBF acabou sendo dissolvida, apenas Real Grandeza foi aclamado campeão! Nos segundos e terceiros quadros não tiveram vencedores.

Em 1916, entrou para a Associação Brasileira de Sports Athleticos (ABSA), onde conseguiu o 2º lugar no campeonato. Em razão das boas campanhas, o Real Grandeza Football Club recebeu muitos convites para viajar pelo país. Contudo, o clube não aceitou em razão dos compromissos e a dificuldade de se ausentar do Rio. Em 1920, se filiou a Liga Alliança Sportiva Municipal (LASM).

 

W.O. deu o título da Liga Suburbana de Football em 1922

O Real Grandeza foi campeão da Liga Suburbana de Football em 1922. Porém, a final não foi da forma como todos desejavam. Afinal, o Brasil Football Club (que depois se tornou o Brasil Suburbano FC) não compareceu! Com isso, o Real Grandeza venceu por WO!

O Brasil FC foi o  campeão da Série B, enquanto o Real Grandeza foi o vencedor da Série A. O que foi especulado naquela época é que a superioridade do Real Grandeza é tão grande que o Brasil FC temendo sofrer uma goleada humilhante optou em não comparecer na grande final.

Os Campeões da Liga Suburbana de Football:

Engenho de Dentro (tricampeão): 1916, 1917 e 1918;

Bonsucesso: 1919;

Mavilis (bicampeão): 1920 e 1921;

Real Grandeza: 1922.

Em 1923, a Liga Suburbana de Football, que era uma Subliga da Metropolitana, foi perdendo credibilidade e a bagunça imperou. Diante desse quadro foi desfilada pela Liga Metropolitana, e, por conseqüente foi extinta. No início de 1926, entrou na Liga Graphica.

Revista Vida Domestica, novembro de 1923

Time de 1912: Saul; João Martins e C. Meira; M. Leite, Waldemar e A. Silva; Nero, J. Carvalho, Manoel, Jorge Menna e Costa.

 Time de 1913: Álvaro da Silva; Alberto Rocha e  Euclydes Oliveira (Cap.); J. Félix, M. Leite e José de Maria Ferreira (Nero); Jorge Menna, Julio Kengen, J. Marcellino, E. Menezes e J. Pinto.

 Time de 1917: Francisco (Laranjeiras); Raymundo e Theodoro (Nilo); Romeu (Parafuso), João Lino e Eurico (Xexê); E. Lima, Waldemar, Julio Kengen, Luiz (Amadeu) e J. Medeiros.

 Time de 1921: Olavo; Bento e Baptista; Moura, Ferreira e José de Maria Ferreira; Marques, Eduardo, Amadeu, Medeiros e Carregal.

 

 

FONTES: Gazeta de Notícias – A Época – O Paiz – O Imparcial – Vida Domestica – Correio da Manhã

 

O Sport Club Andarahy foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). Fundado na terça-feira, do dia 06 de Março de 1917. A sua 1ª Sede ficava na Rua Theodoro da Silva, nº 359, no Bairro de Vila Isabel – Zona Norte do Rio. O Campo estava situado na Rua Barão de Mesquita, 941 /1017 – Bairro da Tijuca – Zona Norte do Rio.

A 1ª Diretoria foi constituída da seguinte forma:

Presidente - Domingos Carvalho;

Vice-presidente - Domingos Pereira;

1º Secretário - Waldemar Jorge;

2º Secretário - Heitor Suzart;

1º Thesoureiro - João Nogueira;

2º Thesoureiro - Carlos Moraes;

Capitain geral - Agostinho Rezende Souto;

Vice-Capitain - Ismael Teixeira;

Cobrador - Álvaro Guimarães.

 

Na terça-feira, do dia 12 de Junho de 1923, o clube foi reorganizado. Em 1924, transferiu a Sede para a Rua Barão de Mesquita, 93 A – Bairro da Tijuca – Zona Norte do Rio, ficando próximo ao campo de jogo. Em 22 de Janeiro de 1924 – Se filiou a Liga Brasileira de Desportos (LBD).

 

Time de 1920: Lalau; Beléo (Manduca) e Ismac (Mario); Joaquim (José), Caxangá (Roberto) e Leite (Cap.); Baratinha (Gentil), Velho (Albertino), David (Antonio), Lobo e Velloso.

 

FONTES: Voz do Povo – Revista O Tico-Tico – A Razão

 

O Ingá Football Club foi uma agremiação da cidade de Niterói (RJ). Fundado em 1908, a sua Praça de Esportes ficava na Rua Boa Vista, s/n – São Francisco, em Niterói. Posteriormente, no local foi construído a Sede, em um vasto prédio, na Rua Boa Vista, inaugurado no domingo, do dia 1º de Junho de 1919. Em 1916, o seu campo passou a ser na Praia das Flechas, no Bairro do Ingá, em Niterói.

O Canto do Rio Football Club, fundado em 14 de novembro de 1913, surgiu com um time infantil. E, naquela época, o grande rival era justamente o Ingá FC, onde protagonizaram grandes jogos.

O Ingá participou do Campeonato Niteroiense em 1913. Essa competição teve uma característica ímpar.  Em Dezembro de 1911, foi Fundada a Liga Sportiva Fluminense (não confundir com a entidade homônima criada anos depois), que acabou sem ter organizado nenhum campeonato ou torneio.

Mesmo sem nenhuma liga, os clubes niteroienses se uniram para organizar o  Campeonato Niteroiense de 1913. Quem liderou essa empreitada audaciosa foi Associação Athletica Fluminense (que tem nome de liga mas era um clube), do Bairro Cubango  e também com apoio do jornal Gazeta da Manhã.

Os jogos foram realizados em dois campos: Ground da Travessa da Boa Vista, no Bairro do Cubango (propriedade da Associação Athletica Fluminense); e do Guarany F.C., no Ground dos Salesianos, no Bairro Santa Rosa (na realidade o campo pertencia ao Colégio Salesianos).

A participação de quatro agremiações: Associação Athletica Fluminense, Ingá Football ClubEsperança Football Club e Guarany Football Club (campeão invicto, vencendo todos os seus seis jogos. Aclamado campeão de 1913, recebeu o Taça Gazeta da Manhã, ofertada pelo jornal Gazeta da Manhã).

Na segunda-feira, do dia 26 de Janeiro de 1914, o Ingá solicitou filiação junto a Liga Metropolitana de Sports Athleticos (LMSA), onde disputou o Campeonato Carioca da Terceira Divisão em 1914 e 1915.

Na sua primeira participação na Terceirona de 1914, o Ingá Football Club terminou na 4ª colocado, num total de sete clubes. Esta edição contou com a participação das seguintes equipes:

Cattete Football Club (Bairro do Catete);

Club de Regatas Icarahy (Bairro do Icaraí, em Niterói);

Ingá Football Club (do Ingá, Niterói);

Palmeiras Athletico Club (Bairro de São Cristóvão);

Sport Club Brasil (Praia Vermelha- Bairro do Urca);

Sport Club Riachuelo (Bairro de São Cristóvão/ campo no Bairro de Vila Isabel);

Villa Isabel Football Club (Bairro de Vila Isabel).

Na sua segunda edição, o o Ingá Football Club fechou em 4º lugar, num total de cinco clubes. Esta edição contou com a participação das seguintes equipes:

Club de Regatas Icarahy (Bairro do Icaraí, em Niterói);

Ingá Football Club (do Ingá, Niterói);

Palmeiras Athletico Club (Bairro de São Cristóvão);

Sport Club Brasil (Praia Vermelha- Bairro do Urca);

Paladino Football Club (Centro do Rio).

Excursão à Campos, em 1914

Excursionou para Campos dos Goytacazes, onde ficaram hospedados no Grande Hotel Central. Assim, na tarde de sábado (27/06/1914), O Ingá enfrentou o Quinze de Novembro Football Club, às 16 horas, e goleou por 4 a 0. Os gols da partida foram assinalados por Ivo (duas vezes), Gilberto e Lafayette, um tento cada.

No dia seguinte (domingo, dia 28 de junho de 1914), foi a vez de encarar a Seleção da Liga Campista de Football, às 16 horas. Mesmo desfalcado de cinco titulares, o Ingá mostrou que a vida do adversário não seria moleza.

Telêmaco, de cabeça, abriu o placar para o Ingá. Depois Campos, em cobrança de falta, empatou e outro de pênalti, marcou o tento da virada do selecionado campista. Final do primeiro tempo: 2 a 1 para a Seleção de Campos.

Na etapa final, Gilberto voltou a empatar, dando números finais ao jogo: 2 a 2. O Ingá jogou com a seguinte formação: Ivan; Murillo (Cap.) e Egas; Couto, Affonso e Archimedes; Bocayuva, Rubens, Ivo, Gilberto e Telêmaco.

O goleiro Ivan era um dos destaques do Ingá. Tanto que em 1916, acabou sendo contratado pelo Botafogo do Rio para ser o titular da posição.

Por falta de pagamento, Ingá é excluído da Terceirona

Na quarta-feira, do dia 1º de Março de 1916, o conselho diretor da LMSA eliminou por unanimidade o Ingá Football Club, de acordo com o disposto pelos artigos 40 e 42 do estatuto.

O motivo foi que o clube niteroiense não quitou a dívida da mensalidade dentro do prazo de tolerância estipulada pela entidade.

FONTES: Correio da Manhã – Jornal do Brasil (JB) – O Paiz – O Fluminense – Gazeta de Notícias – O Imparcial – A Rua

 

O Victoria Football Club foi uma agremiação da cidade de Niterói (RJ). A sua Sede ficava localizada na Rua Bonfim, nº 132, no Bairro do Fonseca, em Niterói. O clube Alvianil foi Fundado na quinta-feira, do dia 10 de Junho de 1915. O Victoria disputou a Segundona da Liga Sportiva Fluminense (LSF), no final de 10 e início de 20.

O Jornal O Paiz descreveu assim, o surgimento da nova agremiação: “Fundou-se na vizinha capital, o Victoria Foot-Ball Club e que é composto por meninos da melhor sociedade fluminense. Para a estreia do “team“, será jogado, por esse Club e o Canto do Rio Foot-Ball Club, um “match”, que se realizará domingo, 13 do corrente, às 8 horas da manhã, no “ground” desta última sociedade“.

FONTES: A Rua – A Razão – O Paiz

 

O Torneio Início de Niterói de 1922, organizado pela Liga Sportiva Fluminense (LSF), foi realizado no domingo, do dia 26 de Março de 1922. Como o número de equipes era ímpar, um avançou para a segunda fase: Fluminense Athletico Club. A competição contou com a participação de 11 agremiações:

América Football Club;

Arariboya Football Club;

Barreto Football Club;

Byron Football Club;

Canto do Rio Football Club;

Fluminense Athletico Club;

Guarany Football Club;

Neves Athletico Club;

Nictheroyense Football Club;

Odeon Football Club;

Ypiranga Football Club.

 

Primeira Fase

1º Jogo - Byron FC venceu o Canto do Rio FC por 1 a 0, (dois escanteios a zero para o Byron). Árbitro: Francisco Monteiro.

2º Jogo - Arariboya FC venceu o América FC por 2 a 0, (em escanteios: 1 a 1). Árbitro: Euclydes de Araújo.

3º Jogo - Guarany FC venceu o América FC por 1 a 0. Árbitro: Franklin Baptista.

4º Jogo - Odeon FC venceu o Nictheroyense FC por 1 a 0. Árbitro: Thimotheo Pereira.

5º Jogo - Barreto FC empatou com o Neves AC em 0 a 0, mas venceu, em escanteios, por 1 a 0. Árbitro: Emygdio Nery.

 

Segunda Fase

6º Jogo - Fluminense AC empatou com o Byron FC em 0 a 0. Após duas prorrogações, o Flu venceu, em escanteios, por 1 a 0. Árbitro: Thomaz Goulart.

7º Jogo - Arariboya FC empatou com o Guarany FC em 0 a 0. Após uma prorrogação, o Arariboya venceu, em escanteios, por 2 a 0. Árbitro: Hércules Costa.

8º Jogo - Barreto FC empatou com o Odeon FC em 0 a 0. Após três prorrogações, o Barreto venceu, em escanteios, por 1 a 0. Árbitro: Joaquim Alves.

 

Terceira Fase

9º Jogo - Fluminense AC venceu o Arariboya FC por 1 a 0, (um escanteio a zero para o Fluminense). Árbitro: Waldemar Reis.

 

FINAL

10º Jogo - Fluminense AC venceu o Barreto FC por 1 a 0, com o gol do meia esquerda Carlos Almeida (um escanteio a zero para o Fluminense). Árbitro: Euclydes de Araújo.

 

Após o jogo, o Fluminense Athletico Club foi aclamado campeão do Torneio Início de Niterói de 1922, recebendo a Taça Ranulpho Bocayuva. O Barreto Football Club foi o vice-campeão e recebeu a Taça Eduardo Cotrim Filho. Os 11 clubes disputaram o torneio com as seguintes escalações:

 

Fluminense AC: Tristão; Henrique e Álvaro; Dedico, Tavares e Seraphim; Silvino, Freitas, Othon, Carlos Almeida e Roil.

Barreto FC: Alcides; Moreira e Monteiro; Julinho, Guarany e Gil; Minely, Sá, Nelson, Ferreira e Rubens.

Canto do Rio FC: Zezé; Nair e Orlando; Nestor, Guanabarino e Araujo; Segadas, Leopoldo, Oswaldo, Ary e Torreão.

Byron FC: Gonzaga; Coelho e Lauro; Napoleão, Laurindo e Julio; Alberto, Medeiros, Ranulpho, Vabo e Netto.

Arariboya FC: Enéas; Lydio e Dedmatto; Theodulo, Tide e Monteiro; Navado, Dóca, Accacio, Congo e Gabriel.

América FC: Vicente; Ulysses e José; Siqueira, Armando e Ferro; Zezé, Célio, Paixão, Capitão e Lagulo.

Guarany FC: Velarino; Lé e Marciano; Siqueira, Cunha e Pinho; Waldetaro, Nelson, Leal, Lomelino e Aurelio.

Ypiranga FC: Gastão; Ramos e Waldemar; Japonez, Manoelsinho e Irenio; Cabloco, Patacho, Roberto, Jacatibá e Dick.

Nictheroyense FC: Neves; Moreira e Menezes; Arnaldo, Bolinha e Zeca; Aristides, Roque, Cosme, Máximo e Oscar.

Odeon FC: Gama; Octavio e Pimenta; Genna, Lima e Zoroastro; Dantas, Paulo, Bibi, Affonso e Oswaldo.

Neves AC: Palmeirin; Armando e Waldemiro; Brito, Julio e Soares; Ferreira, Ismar, Caréca, Russo e Franklin.

 

FONTE: Jornal A Rua

 

O Sport Club Curupaity foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). A “Petizada (quer dizer: ajuntamento de crianças) Alvirrubra” foi Fundada na sábado, do dia 13 de Junho de 1914. O clube nunca teve um campo próprio. Atuava em diversos campos da região, como o Carioca F.C., o campo na Rua do Russell, entre outros.

História da Fundação

“Reunidos na residência do grande escriptor Dr. Coelho Netto, o ‘festejado homem de letras’, foi dado por Emmanuel Coelho Netto, o “Mano” (que era filho de Coelho Netto); o nome de Sport Club Curupaity. O nome dos demais fundadores:

George Coelho Netto; Paulo Coelho Netto; João Coelho Netto, o “Preguinho”; Francisco Paes Figueiredo, o “Chiquinho”; Manoel Correa; Ernesto, Sylvio de Sá; Gerdal Boscoli; Nilo Murtinho Broga; Floriano Guimarães; Joaquim Travesedo; Ricardo Salazar; Manuel Aarão; Álvaro de Sá; Evaristo Juliano de Sá; Dino; Galvão; Seabra e Euclydes Joaquim da Silva, o “Cuca” (1º Presidente).

A 1ª Diretoria foi constituída da seguinte forma:

Presidente - Euclydes Joaquim da Silva, o “Cuca” ;

Vice-Presidente - Álvaro de Sá;

1º Secretário - Gerdal Boscoli;

1º Tesoureiro - George Coelho Netto;

Capitão - Paulo Coelho Netto;

Fiscal de Campo - Joaquim Travesedo.

 

Significado do nome e uniforme

O nome “Curupaiti vem do Tupi-guarani, que pode significar: “a água do angico (curupaí+ti)” ou “lugar abundante em angicos (curupaí+ti [ba])“. O clube possuia o uniforme semelhante ao América Football Club: camisa rubra, escudo branco, calção branco e meiões negros.

Quem foi Coelho Neto?

Natural de Caxias, Henrique Maximiano Coelho Neto nasceu em 21 de fevereiro de 1864 e faleceu no Rio de Janeiro,  em 28 de novembro de 1934. Foi um escritor (cronista, folclorista, romancista, crítico e teatrólogo), político e professor brasileiro, membro da Academia Brasileira de Letras onde foi o fundador da Cadeira número 2.

Foi considerado o “Príncipe dos Prosadores Brasileiros“, numa votação realizada em 1928 pela revista O Malho. Apesar disto, foi consideravelmente combatido pelos modernistas, sendo pouco lido desde então, em verdadeiro ostracismo intelectual e literário.

Sobre Paulo Coelho Netto, foi autor do livro sobre o primeiro cinquentenário da História do Fluminense, historiador e dirigente deste clube.

Quem foi Preguinho?

 João Coelho Netto, mais conhecido como Preguinho (Rio de Janeiro, 8 de fevereiro de 1905 — Rio de Janeiro, 1º de outubro de 1979), foi um multi-esportista brasileiro. Filho do escritor Coelho Netto, e da professora de música Maria Gabriela Brandão Coelho Netto, Preguinho era sócio do Fluminense antes mesmo de nascer, ingressando nas equipes infantis do clube carioca em 1916, com 11 anos.

Clube Esportivo e Categorias de base

Apesar do futebol ser o “carro-chefe” da Petizada Alvirrubra, possuíam outros esportes Pingue Pongue (Tênis de Mesa), Water Polo, entre outros.  O futebol, além da categoria adulta, contava ainda com as categorias Infantil e Juvenil, onde enfrentou diversas vezes forças da época como o Clube de Regatas Flamengo e Fluminense Football Club, ambos no Infantil.

 

Sedes

A 1ª Sede ficava na Rua Pinheiro, nº 73, em Botafogo – Zona Sul do Rio. No Sábado, dia 29 de Março de 1919, se mudou para a Rua Dois de Dezembro, nº 52, no Bairro do Catete – Zona Sul do Rio. Enfim, em 1925, adquiriu a grandiosa Sede da Rua do Catete, nº 300, no Bairro do Catete – Zona Sul do Rio.

 

Dia que o Curupaity goleou o Tricolor das Laranjeiras

Em 1914, se filiou a Liga Veronista onde foi campeão no 1º e 2º Quadros, ambos de forma invicta, em 1915. Em 1916, o time infantil do Sport Club Curupaity contava com bons valores.

E, teve um teste de fogo para provar o seu potencial. Na época enfrentou o Fluminense, o melhor time daquela época, no campo do Carioca F.C., no Jardim Botânico.

No final, a Petizada Alvirrubra arrasou o Tricolor das Laranjeiras pelo elástico placar de 9 a 2. Vale lembrar, que no time do Fluminense haviam grandes jogadores que depois fizeram história no clube: Fortes, Mutz, China, Joel, C. Augusto, entre outros.

 

Campeonato Infantil de 1916, fez o Curupaity só retornar em 1917

Um fato curioso! A esmagadora vitória sobre o Fluminense, somado a criação do Campeonato Infantil, organizado pela Liga Metropolitana de Desportos Terrestres (LMDT), acabou causando, involuntariamente a paralisação do Sport Club Curupaity.

Por quê? Após ter arrasado o Fluminense, meses depois foi criado o Campeonato Carioca Infantil. Os jogadores empolgados com a notícia queriam participar da competição a qualquer custo. No entanto, naquele momento o clube não era filiado a LMDT, e por isso, não poderiam jogar.

Então, os jogadores se reuniram para buscar uma alternativa. A primeira ideia foi disputar pelo Carioca Football Club, que gentilmente sedia o seu campo para que o Curupaity pudesse jogar.

Contudo, os jogadores não chegaram a um consenso. No final, parte dos jogadores disputaram o certamente pelo Fluminense Football Club (Moreira, Mano, Preguinho e Zezé foram destaques no profissional) e a outra parte pelo Clube de Regatas Flamengo.

Porém, o resultado desse entusiasmo geral uma paralisação do Sport Club Curupaity, que sem jogadores, só retornou na temporada seguinte, em 1917. O retorno foi triunfal, mesmo perdendo alguns jogadores que optaram em continuar no Tricolor das Laranjeiras e no Rubro-Negro. Fechou a temporada de forma invicta, conquistando o Torneio no Mavilis.

Clube ajuda a fundar a Liga Sportiva Carioca (LSC)

Em 1918, o Sport Club Curupaity, juntamente com o Combinado Humaytá; Aymoré FC; Sport Club Emulação; Benjamin Constant AC; Paysandu AC; Leme AC e Pedro Ivo FC, fundaram a Liga Sportiva Carioca (LSC).

Naquele ano, o clube foi campeão no 1º e 2º Quadros, em ambos de forma invicta. O time adulto jogou com: Ramos; Peixoto e Dadá; Travesedo, Solntive e Dino; Chermont, Sylvio, Chiquinho, Merecker e Dedê.

Antenor Mayrinck Veiga foi o pivô da decadência do clube início dos anos 20

No Sábado, dia 29 de Março de 1919, o Curupaity adquiriu a sua Sede própria, na Rua Dois de Dezembro, nº 52, no Bairro do Catete. O que era para ser a alavancada do clube, acabou ocorrendo o contrário.

Três depois, por motivos que não foram divulgados, o então presidente do clube, David Villela retirou-se do clube. Em solidariedade os demais membros da diretoria também saíram.

O que se sabe é que dois dias antes da saída em massa da diretoria, tinha sido proposto que o conceituado industrial Antenor May             rinck Veiga que assumisse a presidência do Curupaity.

Diante do imbróglio Antenor May   rinck Veiga assumiu e realizou diversas melhoras. No entanto, ao notar que os demais membros da diretoria não deram o devido valor, o industrial decidiu sair, causando a decadência completa do clube, tendo perdido a Sede, móveis, etc.

Emmanuel Coelho Netto, o “Mano” morre e Seleção Brasileira jogou de luto

Filho do escritor Coelho Netto e irmão mais velho do também futebolista João Coelho Netto, o “Preguinho”, Mano veio falecer depois de um traumatismo ocorrido em confronto contra o São Cristóvão no qual o Fluminense venceu por 2 a 1.

Apesar de sentir fortes dores no abdômen, que lhe causou infecção generalizada, vindo a falecer na véspera de confronto entre a Seleção Brasileira e a Seleção Uruguaia pelo Campeonato Sul-Americano de Futebol de 1922, quando a Seleção Brasileira jogou com braçadeiras negras em sua homenagem, aos 24 anos.

Entre idas e vindas, o em torno em 1924

Mediante o quadro catastrófico que o clube atravessava, David Villela resolveu colocar as magoas de lado e retornou para reorganizar Sport Club Curupaity. Objetivo este alcançado. Em 1919, se filiou a Associação Carioca de Sports (ACS). O Curupaity não terminou o Campeonato por não concordar com uma resolução da diretoria da ACS.

Após esse incidente o clube paralisou o futebol, só retornando em 1921, quando ingressou na Associação Sportiva Rio de Janeiro (ASRJ). Posteriormente, ocorreu outra paralisação, só retornando em 1924.

Nesse ano mostrou a velha forma e se sagrou campeão do Torneio Início, realizado no campo do Metropolitano. E realizou duas excursões a Região Serrana: Teresópolis e Petrópolis, onde obteve destaque.

Curupaity adquire suntuosa sede e volta a crescer

Em 1925, buscando os status de outra, o presidente David Villela resolveu chamar antigos sócios para solidificar o clube. Os frutos dessa empreitada foi boa.

Em seguida, o Curupaity adquiriu a grandiosa Sede da Rua do Catete, nº 300, no Bairro do Catete – Zona Sul do Rio. O resultado elevou o número de sócios para 300, três times de futebol, três equipes de Ping Pong e diversos atletas de outras modalidades.

Em 10 de abril de 1926, se filiou a Federação Brasileira de Esportes Athleticos (FBEA). No mesmo ano se filiou a AMEA (Associação Metropolitana de Esportes Atléticos), onde foi campeão da AMEA II, em 1926.

No início de 1927, David Villela renunciou mais uma vez ao cargo de presidente do clube. Mas dessa vez, o clube se manteve em pé. Na tarde da terça-feira, do dia 28 de Fevereiro de 1928, se filiou a Liga Metropolitana de Desportos Terrestres (LMDT). Nesse momento, o Curupaity chegou a ter incríveis 400 sócios.

Ainda nessa temporada disputou o Campeonato da AMEA (1928), que contou com grandes forças como o Americano FC(do bairro Riachuelo); Campo Grande AC (do bairro Campo Grande); Esperança FC (Bangu); Fidalgo FC (Madureira); Mavilis FC (Caju); Modesto FC (Quintino Bocaiúva); Magno FC (Madureira); entre outros.

A Luz, enfim, se apagou!

Após duas décadas de alegrias, tristezas, conquistas, fracassos, união, desunião, o Sport Club Curupaity foi saindo do cenário futebolístico. Seus fundadores já não eram mais os mesmos. O interesse tinha mudado. O clube passou a ser social. Aquele brilho, se apagou! O fim chegou. Mas essa história se perpetuará por muito tempo! Onde grandes intelectuais fizeram parte do clube, deixando para aqueles que conheceram uma ponta nostalgia e saudade!

Hino do Sport Club Curupaity

(Hino de 1915: versos de Miranda Horta e música de Manuel Aarão)

“Glória, Glória, Aleluia,

Curupaity é Campeão,

Mano, George, Floriano,

Honório, Atilio, Galvão,

Miranda, Cadinho, Alcindo,

Zezé, esquerda inteira,

É o menino de ouro,

O Centerforward Raul Ferreira,

 

Nós temos bons directores,

Desde o Captain ao cobrador,

Um presidente afiado,

Um secretário cavador,

Atitude, não temor campo,

É uma cousa que eu não nego,

Se preciso ser expulso,

O Chiquinho come prego”.

Time-base de 1914-15: Renato (Atilio); Rodolpho (Crockat) e Moreira; Cadinho (Galvão), Honório e Floriano; Mano, Corregal, Raul, Zezé e Manduca (Miranda Horta).

 

Time-base de 1916: Gerdal; Chagas Leite e Armando; Joaquim Travesedo, Seabra e Lanzarotti; Nogueira, Floreano, Chiquinho, Nilo e Paulo Coelho Netto.

 

Time-base de 1918: Alberto Ramos; Edgard Andrade (Dudu) e Francisco Peixoto; Dimas M. Castro (Victor), Carlos Santivi e Joaquim Travesedo; Chermon Brito (Sylvio), Reynado Cintra (Torquato), Francisco P. Figueiredo, Jorge Merker (Guiol) e Edgard (Dedê).

 

Time-base de 1921: Annibal; Raul e Carlinhos; Joaquim Travesedo, Moreira e Merker; Jovianiano, Maruico, Santos, Sylvio e Matre.

 

 

FONTES: Wikipédia – Jornal A Rua – A Razão – Gazeta de Notícias – Correio da Manhã – O Paiz – O Brasil – A Noite – Jornal do Brasil – O Malho

 

 

FONTE: O Tico Tico

 

O Sport Club Brasileiro foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). Fundado na quinta-feira, do dia 31 de Agosto de 1916. A sua Sede e a Praça de Esportes (que pertencia ao Sport Clube Minerva), ficava na Rua Itapiru, 137 (atualmente o local fica o Cemitério do Catumbi) – Rio Comprido, Rio de Janeiro.

Em 1917, o Sport Club Brasileiro disputou o Campeonato Carioca da Terceira Divisão, organizado pela Liga Metropolitana de Desportes Terrestres (LMDT). Num total de nove clubes, o Brasileiro terminou na 8ª posição, com 10 pontos.

No dia 12 de Maio de 1918, o Royal Football Club  se fundiu ao Sport Club Brasileiro do Rio Comprido, dando origem ao Metropolitano Athletico Club (que herdou a praça de sports do Royal e a vaga do Brasileiro na Liga Metropolitana).

 

Clássico Vovô marcou a inauguração do campo da Rua Itapiru

O campo do Sport Club Brasileiro merece uma menção à parte. Campo da Rua Itapiru era o campo de jogo do Sport Clube Minerva, clube social e esportivo da cidade do Rio de Janeiro, então localizado no bairro do Rio Comprido. O Minerva, na rua Itapiru, cujo ponto forte era o “futebol de salão“, atual “futsal

O SC Brasileiro fez melhorias no campo e realizou um grande festejo, que contou com a partida principal entre Fluminense e Botafogo, o maior clássico naquela época.

A Inauguração ocorreu na quinta-feira, do dia 03 de Maio de 1917, com três jogos. O , aconteceu às 9 horas, com vitória do Americano por 2 a 0 sobre o Progresso.

Na 2ª partida, às 11 horas, o Hellenico venceu o Sport Club Brasileiro, dono da festa, por 3 a 2. No 3º jogo, às 13 horas, o América, campeão Carioca de 1916, diante do Andarahy, que surpreendeu e venceu pelo placar de 2 a 1.

Na última partida, às 15 horas, Fluminense e Botafogo fizeram um grande jogo, que terminou empatado em 2 a 2.

Após a sua inauguração, o campo da Rua Itapiru, passou a receber jogos, como partida do Vasco da Gama pelo Campeonato Carioca Segunda Divisão daquele ano.

Sobre as partidas de inauguração, o jornal “O Imparcial”, de 4 de maio de 1917, publicou o seguinte, mantida a grafia original: “Conforme annunciado, foi hontem levado a effeito a inauguração official do ground do Sport Club Brasileiro à rua Itapiru. A esse local affluiu elevada concorrencia, que acompanhou com vivo interesse o desenrolar das partidas que faziam parte do programma”.

Em 1920,  o Vasco venceu o Helênnico por 3 a 0, em 20 de junho neste campo, em partida válida pela Segunda Divisão. Em 1927, na Rua Itapiru, foi disputado um denominado “Festival Esportivo do São Paulo Rio F.C.“, reunindo três jogos entre seis clubes menores do Rio de Janeiro, todos disputados no dia 27 de julho.

Time de 1917: Peres; Tenório  e Armond; Abílio (Quinola), Laudelino e Vivi; Ernesto (Waldemar), Mario (Paulista), Procópio, Henrique e Mira (Moyses).

Time de 1918: VI; Baguet e Bahiano; Pedro, Lagreca e Peres; Neném, Frani, Eugenio, Ramiro e Homero.

 

FONTES: O Imparcial – Estatuto do clube – O Paiz – O Malho

 

O Royal Football Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). A equipe Alvirrubra foi Fundada na quinta-feira, do dia 31 de Julho de 1913. A sua 1ª Sede ficava na Rua da Piedade, nº 98, no Bairro Piedade – Zona Norte do Rio. Depois, em 1917, se transferiu para a Rua Arquias Cordeiro, 314/230 – Méier - Zona Norte do Rio. Ainda no Méier, teve uma sede provisória, em 1918, na Rua Torres Sobrinho, 44. Por fim, a Sede ficava na Rua Souto, nº 105 – Cascadura – Zona Norte do Rio. A sua Praça de Esportes ficava na Rua Dias da Cruz, nº 196 (próximo a Estação do Meyer), no Bairro do Méier, na Zona Norte do Rio.

Na esfera futebolística, após diversos torneios, festivais e excursões, o Royal Football Club ingressou na Associação Athletica Suburbana (AAS), em 1915. Na temporada seguinte trocou de entidade, se transferindo para a Liga Suburbana de Football (LSF), em 1916. No dia 12 de Maio de 1918, o Royal Football Club  se fundiu ao Sport Club Brasileiro do Rio Comprido, dando origem ao Metropolitano Athletico Club (que herdou a praça de sports do Royal e a vaga do Brasileiro na Liga Metropolitana).

 Time de 1913: Julinho; Cotia (Cap.) e J. Lourenço; Lino, Bulhões e Pequenino; Joaquim, Prata, Raul, Goivan e Attila.

 Time de 1916: Miro; Hergmann (Rubem) e Quintella (Joaquim Silva); Filóca, Danton e Lourenço; Aguinaldo (Nonô), Sampaio, J. Leite, Haroldo e Graciano.

 

FONTES: O Imparcial – Correio da Manhã- Jornal do Brasil – Lanterna

 

O Flamengo Futebol Clube foi uma agremiação da cidade de São Gonçalo (RJ). A sua Sede ficava no Bairro Sete Pontes, em São Gonçalo. Apesar da escassez de informações, sabe-se que o Flamengo foi vice-campeão Gonçalense de 1931 e uma década depois conquistou o título inédito do Campeonato Citadino de São Gonçalo de 1941.

Com inédito título, rendeu ao Rubro-Negro Gonçalense o direito de debutar no Campeonato Fluminense de 1941. Não confundir o Flamengo F.C. com o Flamenguinho Futebol Clube (campeão do Campeonato Citadino de São Gonçalo de 1932).

 

 

FONTES: Jornal dos Sports – Diário Fluminense

 

O Macambira Futebol Clube é uma agremiação da cidade de Macambira (SE). Localizado no Agreste Sergipano, fica a 58 km da capital de Aracaju e conta com uma população de 6.411 habitantes, segundo o Censo do IBGE/2010.

O Tricolor Macambirense (nas cores: azul, verde e grená) foi Fundado no Domingo, do dia 23 de Novembro de 2003. A sua Sede está situada na Avenida Ana Luiza Dortas Valadares, s/n, no Centro da cidade.

A equipe manda os seus jogos no Estádio Municipal José Francisco de Oliveira, o ‘Severão’, com Capacidade para 1.500 pessoas. A sua única participação na esfera profissional aconteceu em 2009, quando disputou o Campeonato Sergipano da Série A2 (2ª Divisão). No final, o Macambira terminou o certame na 6ª colocação.

FONTES: Wikipédia – Blog Macambira F.C.

FOTO: Givaldo Batista Zip Net

 

A Liga Esportiva Municipal de Amadores, sob a presidência do Sr. José Fontanilas Fragelli, realizou no dia 21 de abril, um domingo, o Torneio Início de futebol. Participaram as seguintes equipes: Esporte Clube Juventus, Operário Futebol Clube, Grêmio Esportivo Renner e Sociedade Esportiva Campograndense.

Os jogos foram realizados no Estádio Municipal da cidade e tiveram os seguintes resultados:

 

Renner 2 x 0 Operário

Gols: Lauro e Hélio

 

Campograndense 2 x 0 Juventus

Gols: Vanduca (2)

 

Final

Renner 0 x 0 Camporandense

Obs: O Renner venceu nos escanteios por 3 x 2

Com estes resultados o Grêmio Esportivo Renner sagrou-se campeão do Torneio Inicio de Campo Grande em 1940 e recebeu a Taça “Garaína”, oferecida pelo Laboratório Raul Leite.

 

As equipes estiveram assim constituídas:

Renner — Barzi; Raupp e Sá Carvalho; Pito, Chiquilin e Juca; Sebastião, Vilai, Lauro, Hélio e Maimone.

Campograndense — Delmo; Oziride e Anésio; Ipiranga, Ari e Barriga; Luiz, Gibi, Vaduca, Miranda e Teixeira.

Juventus — Pepino; Osvaldo e Moisés; Chicalize, Mesquita e Charbel; Sardinha, Lerner, Bermal, Xavier e Mário.

Operário — Natanael; Alvarenga e Levino; Rolinha, Viol e Dácio; Neguinho, Dudú, Maurício, Ciloca e Evandro.

 

FONTE: Jornal do Comércio (Campo Grande)

 

O Itarema Esporte Club é uma agremiação do Município de Itarema (CE). Localizado no Noroeste do Ceará, a cidade está a 204 km da capital Fortaleza e conta com uma população de 27.471 habitantes, segundo o Censo do IBGE/2010.

O clube itaremense foi Fundado na quarta-feira, do dia 12 de Dezembro de 2012. A sua Sede está situada na Rua Francisca Iêda Rios, nº 2 / Sala A, no Centro de Itarema. A equipe manda os seus jogos no Estádio Municipal de Itarema, o ‘Dedezão, com capacidade para 4 mil pessoas.

O Itarema debutou no futebol profissional, na temporada de 2013, quando participou do Campeonato Cearense da Terceira Divisão, organizado pela Federação Cearense de Futebol (FCF). Na ocasião, clube itaremense fez boa campanha terminando na 4ª colocação. Em 2014, novamente no Campeonato Cearense da Terceira Divisão, o Itarema voltou a realizar boa campanha, terminando na 3ª posição.

FONTES: Wikipédia – Federação Cearense de Futebol (FCF)

FOTOS: Escudo de clubes – site Julio de Souza “Portal do Futebol Amador”

 

O Civil Sport Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). O clube azul e branco foi Fundado no domingo, do dia 06 de Julho de 1919, por profissionais da guarda civil da cidade do Rio, no Bairro de Olaria. Três meses depois, em 07 de Outubro de 1919, o estatuto foi aprovado.

A comissão de Sport do clube conseguiu o campo na Barreira do Senado, cedido gentilmente pelo São Paulo-Rio. Apesar de ser da Zona Norte, a Sede foi longe. Na Rua dos Inválidos, nº 194, no Centro do Rio.

Na sexta, do dia 17 de junho de 1921, o Civil SC se mudou para a nova Sede (Foto abaixo, portão amarelo) na Rua Catumbi, nº 29, no Bairro do Catumbi, na Zona Central do Rio, onde funcionava o Clube Recreativo Boêmios de Paula Mattos. Nesse período, o clube treinava, às vezes, no Campo da Praia do Russell, no Bairro da Glória, na Zona Sul do Rio.

Sede (portão amarelo): Rua Catumbi, nº 29, no Bairro do Catumbi, na Zona Central do Rio

O início da história do Civil SC, em termos de estrutura, foi promissor. Em menos de um mês, em 10 de novembro de 1920, o clube saltou de 603 para 753 sócios. Ou seja, 150 sócios a mais, algo raro para clubes recém criados.

Três meses depois, da mudança para a nova Sede, na Rua Catumbi, nº 29, no Bairro do Catumbi, o Civil mudou o seu pavilhão. Trocou o azul e branco, pelo vermelho, branco e preto, no dia 22 de setembro de 1921.

Durante esse período, o clube realizou diversas excursões, como no domingo, do dia 21 de dezembro de 1919, quando viajou à Paracambi, onde enfrentou o Paracamby Football Club. Ou para São Gonçalo, onde jogou contra o CA Mutondo e Tamoyo; o Niteroiense, em Niterói.

Enfrentou adversários fortes como o Sport Club União; Americano FC do Rio; e até realizou um Festival no campo do Botafogo Football Club (atual: Botafogo de Futebol e Regatas).

Mas não apenas de pétalas viveu o Civil Sport Club. Após uma tentativa de se filiar a Liga Metropolitana de Desportes Terrestres (LMDT), o clube foi informado que os seus atletas não poderiam serem inscritos pelo simples fato de atuarem como policiais civis, que segundo o regulamento proibia que fossem aceiros.

Assim, o clube tornou público esse ato preconceituoso, na sexta-feira, dia 30 de Abril de 1920, quando o Civil SC enviou uma carta para a LMDT e com cópia para os principais jornais da época. Lamentavelmente, a entidade não aceitou e manteve o veto.

No mês seguinte, na Quarta-feira, do 05 de Maio de 1920, se filiou a Liga Carioca de Desportos (LCD). Menos de seis meses, na terça-feira, de 09 de novembro de 1920, se filiou a Liga Suburbana de Football (LSF), Sub-Liga da LMDT.

Cinco meses depois, nova filiação! Dessa vez, na Alliança Sportiva Municipal (ASM), na segunda-feira, 04 de abril de 1921. Em 1922, se filiou a Liga Brasileira de Desportos (LBD), Sub-Liga da LMDT.

Talvez a obra mais grandiosa do Civil Sport Club foi a inauguração da bela Praça de Esportes da Rua Leopoldina Rego, em frente da Estação de Olaria, no domingo, de 07 de novembro de 1920.

No entanto, o que era para ser a alavancada para seguir rescendo, o efeito foi inverso. O Civil Sport Club ainda seguiu até meados dos anos 30, até desaparecer sem deixar nenhum vestígio.

Time de 1919: Sizenando; Saissé e Gilberto; Braga, Barbosa e Ávila; Lincoln (Cap.), Cunha (Julinho), Manarelli, Dutra (Leonel) e Djalma.

 Time de 1922: Alberto; Saissé e Barifouse; Manduca, Cabral e Julinho; Torres, Nesl, Ávila, Caetano e Cunha.

 

FONTE: Google Maps – O Imparcial – A Razão – O Paiz – A Rua – Correio da Manhã

 

A Associação Atlética Araguaia é uma agremiação da cidade de Barra do Garça (MT). O ‘Galo da Serra‘ foi Fundado na quarta-feira, do dia 16 de Julho de 2014. A equipe manda os seus jogos no Estádio Zeca Costa, com capacidade para receber 5 mil pessoas.

No mesmo ano em que foi crido, o clube debutou no Campeonato Matogrossense da Segunda Divisão, terminando na 3ª colocação. Em 2015, subiu um degrau, e ficou com o vice-campeonato da Segundona de Mato Grosso, conquistando o inédito acesso para o Primeira Divisão do Estado.

Em 2016, o ‘Galo da Serra‘ estreou na elite do futebol Matogrossense. A equipe ficou no Grupo B, juntamente com Cuiabá, Dom Bosco, União Rondonópolis e Operário-MT. O Araguaia terminou na 3ª posição (foram oito jogos, com quatro vitórias, dois empates e duas derrotas; marcando nove gols e sofrendo oito), avançando para a Segunda Fase.

Novamente, surpreendeu e fechou na 2ª colocação no Grupo C (Foram seis jogos, com duas vitórias, dois empates e duas derrotas. assinalando sete gols e sofrendo oito), só atrás da Luverdense, e, a frente do Cacerense e Dom Bosco. Com isso, o Araguaia conquistou uma das vagas para as semifinais do Estadual.

Nas semifinais, em jogo único, O Araguaia acabou eliminado ao ser derrotado pelo Sinop por 3 a 1, dando adeus ao sonho de faturar o título. Na outra semifinal, a Luverdense bateu o Cuiabá por 2 a 0. Na grande final, após empate sem gols no jogo de ida, a Luverdense venceu o Sinop por 1 a 0, ficando o título do Campeonato Matogrossense da 1ª Divisão de 2016.

A boa campanha no Estadual rendeu uma vaga no Campeonato Brasileiro da Série D, em 2016. O ‘Galo da Serra‘ caiu no Grupo A10, juntamente com o Ceilândia (DF), Aparecidense (GO) e Comercial (MS). No entanto, a campanha não foi a esperada e o time terminou na 4ª colocação com uma vitória e cinco derrotas; marcando oito gols e sofrendo 13. A única vitória aconteceu na 2ª rodada, no dia 18 de junho, quando venceu o Comercial, fora de casa, pelo placar de 2 a 0.

Primeiro Escudo

FONTES: Wikipédia – Página do clube no Facebook – GloboEsporte.Com – Araguaia Notícias

 

O Santa Cruz Futebol Clube foi uma agremiação da cidade de Maceió (AL). Fundado no dia 25 de Agosto de 1931, no bairro do Prado, por militares (oficiais e praças) do 20º Batalhão de Caçadores do Exército. Sargento Geminiano Gomes foi seu 1º Presidente.

A sua Sede ficava localizada na Avenida Fernandes Lima, s/n, no Farol, em Maceió. A equipe mandava os seus jogos no Estádio Severiano Gomes Filho (propriedade: Clube de Regatas Brasil – CRB), com Capacidade para 6 mil pessoas. No Campeonato Alagoano da 1ª Divisão, o Santa Cruz conquistou o Bicampeonato em 1945 e 1948. Após chegar ao ápice, no ano seguinte (1949) acabou sendo extinto.

Santa Cruz - campeão Alagoano de 1948

FONTE: Pesquisador do futebol pernambucano, Luciano da Silva

 

O Vigilante Esporte Clube foi uma agremiação da Cidade de João Monlevade (MG).  O clube alvi-grená era formado pelos vigilantes da companhia Velho Mineira, que posteriormente alterou o nome e escudo para: Esporte Clube Olímpico, que ficava sediado na Rua Tupiniquins, nº 8, no Centro Industrial, em João Monlevade.

Esporte Clube Olímpico fez sucesso até o final dos anos 80. Este time sagrou-se campeão pela Liga Monlevadense de Futebol, no estádio Olímpico, no final dos anos 70. Na FOTO (Abaixo)… Em pé, da esquerda para a direita: Marquinhos, Patinho, Maurício, Bolô, Dirceu e OsmarAgachadosPercinho, Toca, Beijo, Zezé e Ruta.

Ainda como Vigilante Esporte Clube participou do Torneio Santos Dumont, entre 1973 a 1974. No final do ano de 1973, a Federação Mineira de Futebol promoveu um torneio que uniu equipes profissionais e amadoras de todo o estado.

Com um regulamento confuso, a campeã, já no ano de 1974, foi uma equipe que não participou da primeira fase do torneio, o Uberaba Sport, que acabara de conquistar o título de Campeão Mineiro do Interior, graças à terceira colocação no campeonato mineiro de 1973.

O Vigilante estava na chave “Região Metalúrgica“, que contou com a participação de quatro clubes: ACESITA Esporte Clube (Timóteo); Esporte Clube Democrata (Governador Valadares); Esporte Clube Caratinga (Caratinga).

O Vigilante juntamente com o ACESITA avançaram para a Fase seguinte. No Grupo B, com Ateneu, Cassimiro de Abreu, Acesita, Democrata e ESAB, novamente o clube alvi-grená fez história, obtendo a classificação.

Nas semifinais, o Vigilante provou que não chegara ali, de forma invicta, à toa. No dia 17 de março de 1974, foi à Governador Valadares e sapecou 3 a 1 no Democrata, avançando para a grande final.

Na grande final, no dia 24 de março de 1974, Vigilante e Uberaba chegaram sem perder nenhum jogo. No duelo entre o vermelho e o grená, melhor para o Uberaba Sport Club  que venceu por 4 a 0, ficando com o caneco do Torneio Santos Dumont. Apesar de ter ficado com o vice, o Vigilante voltou para casa com a sensação do dever cumprido, deixando o povo de João Monlevade orgulhosos.   

 

UBERABA S.C.      4          X         0          VIGILANTE E.C.

LOCAL: Estádio Municipal Engenheiro João Guido, ‘Uberabão’, em Uberaba (MG)

DATA: Domingo, dia 24 de Março de 1974

CARÁTER: Final do Torneio Santos Dumont de 1973/74

RENDA: Cr$ 28. 276,00

ÁRBITRO: Ângelo Ferrari (FMF)

AUXILIARES: Édson Campos (FMF) e Francisco Cândido (FMF)

UBERABA: Saraiva; Pablo, Modesto, Veran e Grimaldi; Fabinho e Zé Francisco; Jorge Luís, Toiruinho (Paríson), Nain e Élter.

VIGILANTE: Dali; João Batista, Marquinhos, Osmar e Vavá; Corgozinho e Lero; Paulinho, Pérsio (Cabinho), Zé Ilário e Guta.

GOLS: Jorge Luís aos 18 minutos (Uberaba), no 1º Tempo. Fabinho aos quatro minutos (Uberaba); Élter aos 12 e 20 minutos (Uberaba), no 2º Tempo.

 

FONTES: Blog do Leonam – Arquive.is – Jornal Lavoura e Comércio, de Uberaba – Jornal da Manhã, de Uberaba 

 

FONTE: Gazeta Suburbana

 

 

FONTE: Gazeta Suburbana

 

Campeões da Liga Leopoldinense de Football (LLF), Fundado no dia 10 de Fevereiro de 1921:

1921 – Del Castilho Football Club;

1922 – Mauá Football Club (campeão da Série A) e Athletico Cajuense Club (campeão da Série B);

1923 – Mauá Football Club;

1924 – Athletico Cajuense Club;

1925 – Mauá Football Club.

 

FONTE: Jornal ‘A Rua’ (10/02/1927)

 

O Santa Cruz Football Club (Atual: Santa Cruz Futebol Clube) é uma agremiação da cidade do Recife (PE). O Alvi-Negro da Bôa Vista foi Fundado no dia 03 de Fevereiro de 1914, por um grupo de jovens no Largo de Santa Cruz, liderados pelos Srs. Alberto Costa, Quintino Miranda de Paes Barreto, José Glacério Bonfim, Augusto Franklin Ramos, Orlando Elias dos Santos, Alexandre Carvalho, Osvaldo dos Santos Ramos, Uchôa Dornellas Câmara, Luiz de Gonzaga Barbalho e José Luiz Vieira que também foi seu 1º Presidente.

Foi Alvinegro por 17 meses até que em Julho 1915, o Santa Cruz FC aderiu a cor vermelha passado a ser tricolor. O seu Estádio era o Campo da Campina do Derby, em espaço aberto. O local pertencia a Intendência Municipal do Recife. A sua primeira Sede ficava na Rua da Mangueira, nº 02 – Bôa Vista Recife (PE).

 

FONTE: Pesquisador do futebol pernambucano, Luciano da Silva

 

 

O Leme Athletico Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). O Alvinegro foi Fundado em 1905, como Leme Football Club. A Sede da Rua Gustavo Sampaio, nº 26, no Bairro do Leme – Zona Sul do Rio, utilizada para as reuniões, na verdade pertencia a outro clube que sedia gentilmente: The Rio de Janeiro Athetic Association (Fundado no dia 04 de Julho de 1914, que mudou o nome em 1944 para: Leme Tênis Clube. O clube existe até hoje).

O Leme Athletico Club participou do Campeonato, organizado pela Liga Sportiva Carioca (LSC), em 1918. Time-base dessa temporada era: Lito; Manhães (Salazar) e Pedro Fortes (Cap.); Murillo (Lebre), Julinho (Moreira) e Maia; Mignani (M. Cunha), Durando (Gentil), Valladares (Salazar), Chiquito (Godofredo Mesquita, o ‘Godó′) e Hugo Fortes (Paulo Pinheiro).

Além do futebol, o clube também contava com um time de Hockey. No domingo, do dia 09 de setembro de 1917, o Leme enfrentou o São Paulo Hockey (SP). Os cariocas venceram os paulistas pelo placar de 3 a 1, no campo da Rua Salvador Correia.

O clube desapareceu nos anos 20. Coincidentemente, no dia 09 de outubro de 1929 foi fundado o Leme Club, mas aparentemente sem relação com o Leme AC. Nessa década, também surgiu o Leme Hockey Club.

Praça de Esportes, onde hoje fica a Avenida Princesa Isabel

O 1º Campo ficava na Praça Suzana (Atual: Praça Demétrio Ribeiro), no Leme. Logo depois mudaram para a Praça de Esportes, na Rua Salvador Correia, nº 52, no Leme, que ficava a 100 metros de distância.

Está história merece ser contada. Tudo começou em 1901, quando foi aberta nos terrenos de Alexandre Wagner, que em fins do século XIX havia comprado todos os terrenos do Leme e arruado a região em 16 de abril de 1894.

Era denominada de Rua Salvador Correia, em honra ao Governador do Rio de Janeiro, Salvador Correia de Sá, que administrou a cidade por duas vezes, de 1568 a 71 e de 1578 a 98. Em 1904 o Prefeito Francisco Pereira Passos abriu o túnel do Leme, inaugurado dois anos depois.

Pelo Decreto Municipal Nº. 6.305, de 1º de outubro de 1938, mudou de nome para Avenida Princesa Isabel, em comemoração aos cinqüenta anos da assinatura da Lei Áurea, que libertou os escravos no Brasil.

Rua Salvador Correia, na Década de 20

A fotografia mostra o campo de futebol onde jogava o “Desportivo Leme” (a foto foi feita da Rua Salvador Correa, atual Avenida Princesa Isabel, e a transversal é a Rua Barata Ribeiro).

Segundo L. V. Carvalho (“apud” G. Lamounier Junior), “este campo público ficava na saída do túnel que ligava Botafogo a Copacabana, numa área limitada pela atual Princesa Isabel, Demétrio Ribeiro, Prado Júnior e Felipe de Oliveira.
Era bem gramado, cercado por um bonito gradil e tinha em volta umas árvores. O campo não tinha dimensões regulamentares, mas nele jogavam bons jogadores dos “aspirantes” dos principais clubes.

Rua Salvador Correia, na Década de 30

Conta ainda L.V. Carvalho que naquela época, em frente ao campo de futebol, funcionava um modesto botequim que servia soda e sanduíches de mortadela. A soda vinha em pequenas garrafas de vidro, fechadas por bolas de gude.
Era preciso apertar a bola para dentro para que o líquido saísse.”
É interessante, além de ver uma fotografia de um campo público tão bem cuidado na saída da única galeria que existia no Túnel Novo, ler sobre detalhes do dia-a-dia daquele tempo, como as garrafas de soda fechadas com bolas de gude.
“Aspirantes”, para quem não sabe, eram os times formados por jogadores que ultrapassavam 18 anos de idade e já não podiam jogar pela categoria “Juvenil” e, também, por jogadores reservas que não eram aproveitados nos times principais dos clubes do Rio (pelo menos a partir da década de 50 e até a de 60 disputavam jogavam nas preliminares das partidas do time principal).

Avenida Princesa Isabel, nos anos 50

FONTES: Fotolog.com – Rio Antigo – O Paiz – O Imparcial – A Noite – A Batalha – Jornal da Manhã  - O Careta

 

 

O Unidos Atlético Clube foi uma agremiação da cidade de Cabo Frio, localizado na Região dos Lagos do Estado do Rio de Janeiro. O clube surgiu de uma cisão do Tamoyo Esporte Clube, de Cabo Frio. Apesar da escassez de informações desta equipe, resolvi publicá-la pelo fato de ter sido o vice-campeão do Campeonato Citadino de Cabo Frio de 1950, organizado pela  Liga Cabofriense de Desportos (LCD).

FONTE & FOTO:  Luta Democrática – Diário de Notícias – José Francisco de Moura, ‘Professor Chicão’

 

O Clube de Regatas Flamengo é uma agremiação cidade de Porto Velho (RO). O Rubro-Negro foi Fundado na terça-feira, do dia 15 de Novembro de 1955. O Flamengo de Porto Velho manda os seus jogos no Estádio Aluízio Ferreira com Capacidade para 8 mil pessoas. Atualmente, o clube está licenciado desde 1994. Em 2015, iniciou o processo para retornar ao futebol do Estado.

O Flamengo de Porto Velho é o segundo maior vencedor e um dos maiores clubes de Rondônia na era amadora. Faturou 10 Campeonatos Rondonienses: 1956, 1960, 1961, 1962, 1965, 1966, 1967, 1982, 1983 e 1985. Já na era profissional participou de três Campeonatos Rondoniense: 1991, 1992 e 1994. Depois disto nunca mais retornou ao futebol profissional.

Porto Velho já foi palco de grandes clássicos do futebol amador. Ferroviário e Moto Clube, Flamengo e Ypiranga, entre tantos outros. O estádio Aluízio Ferreira, com capacidade para 8  mil pessoas, parecia um caldeirão fervilhante: bandeiras se agitavam, charangas ditavam o ritmo das partidas e o futebol, embora amador, tinha craques que sabiam tratar a bola e brilhavam dentro de campo.

Na foto (abaixo), Flamengo de Porto Velho de 1963, com a seguinte formação: o goleiro Zé Viana, Asilvan, Delmar, Gervásio, Meireles, Manoel, Parruda, Toinho, Mundinho, Juquinha e Leonardo.

Na foto (abaixo), Flamengo de Porto Velho de 1972, com a seguinte formação: EM PÉ, da esquerda para a direita – Jorge Santos, Vicente, Gervásio, Dedé, Emanuel e Nonato. AGACHADOS: Rico, William, Manoel, Hermógenes e Rufino.

 FONTES: Wikipédia – Gente de Opinião – Ivo Feitosa (Acervo de família)

 

O Athletico Club Braz de Pinna foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). O Alviverde foi Fundado no domingo, do dia 19 de Janeiro de 1919. A sua Sede ficava na Rua Suruhy, 32 – Estação Brás de Pina – Zona Norte do Rio. Póximo à sede, ficava o Campo, situado acerca da Estação de Brás de Pina, na Estrada de Ferro Leopoldina Railway.

A 1ª Diretoria foi constituída da seguinte forma:

Presidente - Etelvino Barbosa;

Vice-Presidente - J. Antonio Alamino;

Thesoureiro - Rufino Ferreira;

1º Secretário - Henrique Denan;

2º Secretário - Álvaro Santos;

1º Cobrador - Ignacio de Souza;

2º Cobrador - Paulo Ferreira;

1º Fiscal - João de Almeida;

2º Fiscal - Antonio Cano;

1º Capitain - Coripe Ferreira;

2º Capitain - Francisco Dias;

Comissão de Sindicância - Moacyr Barbosa, Carlos de Oliveira e Alceu Ferreira;

Comissão Fiscal - Antônio Candeia, Antonio Sobrinho e Geraldo Lopes.

Time-base de 1919: Carvalho; Calazans e Chiquinho; Nicoláo, Esteves (Sylvino) e Oscar (Nelson); Sebastião (Camisa Preta), Martins (Querezipe), Tanck {Cap. (Juca Boi)}, Gradin (Valdeta) e Rufino (Esguelha).

Time-base de 1920: Oscar; Alceu e Ananias; João, Lobato e Juremar; Claudionor, Tanck, Oliveira, Chiquinho e Nelson.

Em 10 de Fevereiro de 1921, o Braz de Pinna, juntamente com o União Sportiva e Sport Club Luzitano ajudaram a fundar a Liga Leopoldinense de Football (LLF).

FONTES: O Imparcial – Correio da Manhã – O Paiz – A Rua

 


 

O Pedregulho Football Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). O Alvianil foi Fundado na quinta-feira, do dia 03 de Maio de 1906. Sete anos depois acabou sendo Reorganizado na quarta-feira do dia 1º de Outubro de 1913. O clube sofreu outra reorganização na segunda-feita, do dia 25 de Maio de 1925. A sua Sede estava localizada na Rua Costa Lobo, nº 17, no Bairro Benfica, na Zona Norte do Rio. E o Campo ficava na Rua Jockey Club, nº 42, também no mesmo bairro.

Sede: Rua Costa Lobo, nº 17, no Bairro Benfica, na Zona Norte do Rio

Vice-campeão da Liga Suburbana de Football de 1907

O Pedregulho disputou o 1º Campeonato organizado pela Liga Suburbana de Football (LSF), de 1907. O clube terminou com o vice-campeonato atrás do campeão Riachuelo Football Club. Esta competição oferecia prêmios para os 1º e 2º times, estava previsto para começar em 05 de maio de 1907 e, sob a presidência do sr. Augusto José Teixeira, foi criada uma comissão para a elaboração da lei orgânica da confederação das sociedades suburbanas nos mesmos moldes do que ocorria com a LMSA.

A atitude dessa comissão, que contava como vice-presidente da Liga, Arnaldo Joppert, e como tesoureiro Luiz Maia, “causou bela impressão nos subúrbios, porque o football só terá a lucrar com a ideia em boa hora lembrada e posta em prática pelas ditas sociedades”.

Participaram da 1ª edição do torneio, além do Riachuelo, vencedor dos 1º e 2º quadros, o Sport Club Mangueira (da Tijuca), fundado em 27 de julho de 1906 – vice-campeão no 2º quadro; o Nacional Football Club (do Riachuelo), fundado em 1º de agosto de 1906; o Pedregulho Football Club – vice-campeão no 1º quadro; e o Sampaio Football Club (do Sampaio), fundado em 17 de junho de 1906, mas que não chegou a terminar o torneio, pois se retirou por falta de jogadores.

 

Time-base de 1921: Lourinho; Alexandre e Zito (Décio); Ernesto (Jayme), Astrogildo (Nunes) e Caldeira; Antoninho, Antonio, Alegre, Pinheiro (Eugenio) e Celestino.

 

FONTES: A Noite – Correio da Manhã – Gazeta de Notícias – Jornal do Commercio – Jornal do Brasil – O Paiz 

 

O Sport Club Liberal foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). O Alvi-roxo foi Fundado no sábado, do dia 08 de Junho de 1907, pelo desportista Ernesto Loureiro, que foi o 1º presidente até 1918. Contudo, vale explicar que esta agremiação passou por algumas reorganizações. Em março de 1914, foi a primeira. A segunda ocorreu em 07 de março de 1917. E a terceira aconteceu em 09 de Setembro de 1921.

Sedes

Em relação as Sedes o clube também mudou algumas vezes. Em 1914: Rua Cunha Barbosa, nº 69, Gambôa, Rio de Janeiro. Em 1917: Rua dos Andradas, nº 155, no Centro do Rio. Em 1º de Abril de 1918: Rua Camerino, nº 91 (sobrado), Centro do Rio. Em 1922, na Rua Camerino, nº 103 (sobrado), Centro do Rio. Por fim, na Theodoro da Silva, 52, no Bairro de Vila Isabel, na Zona Norte do Rio.

Apesar de ser um clube modesto, no seu Estatuto, o Liberal mantinha um regime de disciplina e ordem. Por exemplo, colocou em seus Estatutos que seus sócios não podiam ser “ébrios habituais“, nem daqueles que “sofram de moléstia que cause repúdio“.

 

Excursão a Guaratinguetá, em 1919

Na esfera futebolística, o Liberal ingressou na Liga Municipal de Football (LMF), em 1918; e no ano seguinte (1919), se filiou a Associação Brasileira de Sports Terrestres (ABST).

No sábado, do dia 06 de setembro de 1919, viajou para enfrentar a Associação Sportiva Guaratinguetá, na época filiada a Associação Paulista de Sports Athleticos (APSA).  No mês de outubro viajou novamente para São Paulo, onde enfrentou o Sport Club Ipacaré, da cidade de Lorena.

Declínio do Liberal

Em 1920, após a renuncia do presidente da comissão de esportes, Mario R. Motta, o clube entrou numa séries de crises que resultou com o seu fechamento. No entanto, um ano depois, mais precisamente na sexta-feira, do dia 09 de Setembro de 1921, um grupo de antigos sócios se reuniram na sede do Commercio Club, na Avenida Passos, 106, no Centro, no intuito de reorganizar o clube. Após contar com o apoio de boa parte dos antigos sócios o clube voltou a ativa. A Sede, nesta nova etapa, ficava próxima a última: Rua Camerino, nº 103 (sobrado), Centro do Rio.

Cerca de uma década depois, na quarta-feira, do dia 21 de Maio de 1931, o Sport Club Liberal se mudou para a nova sede: Theodoro da Silva, 52, no Bairro de Vila Isabel, na Zona Norte do Rio.

Nessa nova etapa, o Liberal intensificou os eventos na sede, e diminuiu o futebol. O Ping-Pong (Tênis de Mesa) passou a ser o esporte principal. E assim caminhou o clube nos anos seguintes até desaparecer em definitivo.

 

 Time de 1914: Salles; Carvalhosa e Manoel; Chaves, Almeida e Floriano; Sebastião, Tymbira, José Violante (Cap.), Elysio e Rodrigues.

FONTES: O Imparcial – O Paiz – A Época – A Noite – A Batalha – Jornal do Brasil – Correio da Manhã

 

O Esporte Clube Dona Isabel foi uma agremiação da cidade imperial de Petrópolis, localizado na Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro. O Rubro-negro Petropolitano foi Fundado na segunda-feira, do dia 21 de Maio de 1945. A sua belíssima Sede ficava na Rua Doutor Sá Earp, nº 861 (andar superior), no Bairro Alto da Serra (atual: Morin), em Petrópolis. A equipe mandava os seus jogos no Estádio Palatinato, no Bairro Palatinato, que não existe mais. O nome era uma referência ao Rio Palatinato que fica próximo ao estádio.

Os uniformes eram da seguinte forma: O principal era constituído de Camisas em listras verticais em vermelho e preto; calções brancos e meias vermelhas. O número dois eram Camisas brancas, calções pretos e meias pretas.

O clube era diversificado e contava com diversas modalidades esportivas, como por exemplo, Bocha, Futebol, Futebol de Salão, Tênis de Mesa, Xadrez, entre outros. Na sua Sala de Troféus, títulos de Campeão Petropolitano de Bocha (1987); de Xadrez (1982, 1989, 1990, 1991, 1992, 1993, 1995 e 1996), entre tantos.

No esporte bretão, o Dona Isabel foi a cada Campeonato Citadino de Petrópolis, ganhando o respeito das grandes forças da cidade (Serrano, Internacional, Cascatinha, Petropolitano, Corrêas, Cruzeiro do Sul).

Em 1969, o Rubro-negro Petropolitano conquistou o seu título mais importante: campeão do Campeonato Citadino de Petrópolis, organizado pela Liga Petropolitana de Desportos (LPD), daquele ano. Esta competição contou com a participação de 14 clubes:

Bingen Futebol Clube (Fundado no dia 28 de Março de 1939);

Cruzeiro do Sul Futebol Clube;

Esporte Clube Cascatinha;

Esporte Clube Caxias;

Esporte Clube Centenário;

Esporte Clube Democrata;

Esporte Clube Dom Pedro;

Esporte Clube Dona Isabel;

Lusitano Futebol Clube;

Palmeiras Esporte Clube;

Petropolitano Football Club;

Serrano Football Club;

Sport Club Internacional;

Sport Club Magnólia.

 

Presidente da República visitou o Dona Isabel

No sábado, do dia 10 de fevereiro de 1968, às 21 horas, o então presidente da República, Costa e Silva visitou o clube. Na ocasião, a pianista Guiomar Novais promoveu o Concerto de Gala, em homenagem ao presidente da República.

Torneio Otávio Pinto Guimarães de 1970: Dona Isabel fez excelente campanha

No ano seguinte, um fato marcante. Poucos sabem, mas o E.C. Dona Isabel participou do Torneio Otávio Pinto Guimarães de Juniores de 1970, que depois do Estadual da categoria é a competição mais importante do Estado do Rio de Janeiro.

Naquele ano, o Rubro-negro Petropolitano honrou a cidade imperial. Na primeira fase estreou com vitória (07/10/1970) diante do Madureira por 2 a 0. Na segunda rodada, novo triunfo (25/10/1970), dessa vez contra a Portuguesa Carioca por 1 a 0. No último jogo, conheceu a primeira derrota (11/11/1970), ao ser batido pelo Bonsucesso, pelo placar de 2 a 0. Com esses resultados o Dona Isabel avançou na liderança da Chave do Rio de Janeiro, com quatro pontos. No Quadrangular final, terminou na 4ª colocação, atrás da Seleção do Departamento Autônimo, do vice-campeão Bonsucesso Futebol Clube e da campeã Associação Atlética Barbará, de Barra Mansa.

 

FONTES: Blog Gol de Placa – Jornal dos Sports – Jornal do Brasil – O Fluminense – Última Hora

FOTO: A flâmula pertence ao Acervo de DJ Ernest Jr.

 

 

O Cascadura Football Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). O Alvinegro foi Fundado na segunda-feira, do dia 08 de Outubro de 1906. A sua Sede e o Campo ficavam situados na Estrada Real Santa Cruz, 2.868/70 (depois nos anos 20, mudou o nome para Avenida Suburbana, 2.365, próximo a Estação de Cascadura, e atualmente: Avenida Dom Hélder Câmara), no Bairro de Cascadura, na Zona Norte do Rio.

Em 09 de abril de 1914, na Sede do Cascadura foi fundado a Liga Sportiva Fluminense (LSF). No ano seguinte, no dia 22 de abril de 1915, se filiou à Associação Brasileira de Sports Athleticos (ABSA). Nos anos 20, se filiou a Liga Leopoldinense de Football (LLF).

FONTES: Gazeta de Notícias – A Imprensa – O Imparcial – O Paiz – Correio da Manhã – Jornal do Commercio – Estatuto do Cascadura F.B.C.

 

O Vila Nova Sport Club é uma agremiação da cidade de Alto Paraguai (MT). Fundado na sexta-feira, do dia 03 de Julho de 1981, tem a sua Sede própria na Rua José Trindade, nº 372, no Centro de Alto Paraguai. O Vila Nova disputou o Campeonato Matogrossense da Segunda Divisão em 1990. Atualmente o clube se dedica ao Futsal.

 

FONTE: Página do clube no Facebook

 

O Santo Antônio Esporte Clube é uma agremiação da cidade de Santo Antônio do Leverger (MT). Localizado a apenas 27 km da capital Cuiabá, o município conta com uma população de 18.186 habitantes, sendo o Censo do IBGE/2016. O clube Alvirrubro Santoantoniense ou SAEC foi Fundado em 1932. Após longo tempo desativado, o Santo Antônio retornou as atividades esportivas no sábado, dia 05 de outubro de 2013.

O Santo Antônio Esporte Clube disputou o Campeonato Matogrossense da 1ª Divisão, entre 1955, 1956, 1957, 1958 e 1959. O SAEC disputou o Campeonato Matogrossense da 1ª Divisão de 1955, terminando na 6ª e última colocação com apenas dois pontos. Foram 10 jogos com uma vitória e nove derrotas; marcando 21 gols e sofrendo 44, com saldo negativo de 23. A única vitória aconteceu no domingo, do dia 24 de julho de 1955, quando bateu o Americano Esporte Clube pelo placar de 5 a 3.

O mais antigo clube esportivo de futebol Santo Antônio do Leverger ganhou uma sobrevida graças a dois irmãos e conceituados empresários na cidade, Valdirzinho Castro Filho (Posto Santo Antônio) e João Batista de Carvalho – JB (Nosso Lar Material de Construção), assumiram a missão de reativar aquele que já foi considerado a melhor e mais famosa equipe futebolística da Baixada Cuiabana nos seus áureos tempos.

Os novos diretores e patrocinadores foram buscar no mercado esportivo de Cuiabá uma das marcas mais famosas do mundo, a Umbro que veste as principais equipes do planeta e tem sua sede no país da Inglaterra. 


FONTE & FOTOS: LevergerNews
 

Por: André Luiz Pereira Nunes

O Serrano Esporte Clube é uma agremiação do Município de Trajano de Moraes (RJ). Localizado no Centro Fluminense, fica a 222 km da capital do Rio de Janeiro, e conta com uma população de 12.320 habitantes, segundo o Censo do IBGE/2015.

O Alviverde Trajanense foi Fundado no domingo, no dia 02 de Setembro de 1979, conta com a sua Sede situada na Avenida Castelo Branco, nº 13, no Centro de Trajano de Moraes. Atualmente o clube é presidido interinamente por Júnior Rodrigues.

No currículo, o Serrano possui diversos títulos do Campeonato Citadino. O sucesso motivou a diretoria e a cidade em buscar vôos maiores. Em 2007, o representou o Nova Friburgo FC na disputa do Campeonato Carioca da Série C de profissionais.

Na ocasião houve naquele campeonato foi que o Nova Friburgo emprestou seu registro na Ferj ao Serrano e fizeram uma parceria. No entanto, a parceria não deu certo. Por conta de mudanças políticas na cidade, diversos atletas ficaram irregulares, e o time acabou excluído da competição pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj). Na ocasião havia no elenco inclusive alguns jogadores emprestados pela Cabofriense.

O Serrano manda seus jogos no Estádio Municipal Francisco Limongi, localizado no Centro de Trajano de Moraes. Também utiliza o Estádio Milongão, de Visconde de Imbé, no qual já recebeu a Seleção Brasileira Sub 17, e outros adversários como o Fluminense Sub 20 e o America.

PS.: Agradecemos ao diretor do Serrano E.C., Fábio Rodrigues pelas informações e a cessão do escudo.



FONTES & FOTOS: Fábio Rodrigues - André Luiz Pereira Nunes

© 2017 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha