Ficha do União de Pirassununga:

Nome Oficial: Esporte Clube União

Endereço: Rua Amador Bueno – Centro – Pirassununga – SP

Situação atual: Clube Social.

Data de Fundação: 09/10/1946

Participações: Campeonato Paulista do Interior de 1949 (ficou em 9º lugar na 1ª Fase do Setor 15 – 6ª Região)

 

 

 

 

 

Um pouco da história do clube:

Tudo começou no ano de 1944, durante um encontro entre amigos no bar do Neno Zaninetti localizado na Rua XV de Novembro, exatamente onde hoje abriga a Borracharia do Xerife. Um modesto, porém movimentado bar existia naquele local, frequentado pelos moradores da redondeza. Na maioria, de origem italiana e seus descendentes. Gente simples, quase todos exerciam a profissão de operário e buscavam na bocha e no futebol uma forma de entretenimento.

Com o entusiasmo do Pedro Zaninetti, o “Neno” e o apoio dos Marucci, dos Bignardi, dos Martelli, dos Souza, dos Pozzobom, dos Cassoli, entre outros, resolveu-se fundar um clube, o Esporte Clube Operário, batizado com as cores verde e branco, influência é claro da comunidade palestrina (italiana).

Daí então o bairro do “Pito Aceso” (assim era denominado pela comunidade da época) passou a vibrar com seu próprio time de futebol, formado basicamente por jovens operários da Fábrica de Tecidos (Fiação e Tecelagem de Pirassununga), do Expurgo (Posto de Sementes de Algodão), do Laticínio Pirassununga, e outras pequenas empresas da região. Jogadores que eram transportados para os locais de jogos através de carroças, que faziam ponto na estação Ferroviária da Companhia Paulista de Estrada de Ferro, que também cedia funcionários para reforçar o plantel do Esporte Clube Operário.

Em 1946, dois anos mais tarde, com a necessidade de se filiar à Federação Paulista de Futebol, por imposição da mesma, o Esporte Clube Operário teve que mudar o nome para Esporte Clube União uma vez que a denominação Operário não era simpático ao regime político vigente.

No dia 9 de Outubro de 1946, reuniram-se às 19h00, na Rua Siqueira Campos, antigo prédio de número 166, onde hoje existe um prédio comercial, 48 pessoas, todas radicadas em Pirassununga, que resolveram, de comum acordo, fundar oficialmente o grêmio esportivo voltado em primeiro plano ao futebol. Após o discurso de Cassoli foi procedida a eleição, e por aclamação, foi eleito como presidente o Sr. Renato Cassoli, Arlindo Augusto Filho (Vice-presidente), Benedito Tavares (1º Secretário), Reynaldo Martelli (2º Secretário), Ascendido Arruda (1º Tesoureiro) e José Felício (2º Tesoureiro).

Atualmente o clube é frequentado por seus sócios que sabatinamente ali realizam treinos futebolísticos, num ambiente de cordialidade e amizade.

Fonte:  http://www.reporternaressi.com.br/noticia.php?noticia=11370

 

 

FONTE: site Revide.

 

 O Botafogo Futebol Clube de Ribeirão Preto é um dos poucos clubes de que já venceu o tradicional Boca Júniors em solo Argentino.

Em 11 de Julho de 1971, o clube ribeirão-pretano venceu o time portenho por 5 x 3. 

O jogo foi realizado no estádio Dr. Luis Güemes em Salta.

As duas equipes já haviam se enfrentado anteriormente, em La Bombonera, em 1962, quando os anfitriões venceram por 2 x 1.

Ficha do Jogo:

Boca Júniors: Roma, Meléndez e Marzolini; Suñe, Cabrera (Peracca) e Rogel; Coch (Pianetti), Medina, Curioni, Savoy e Tarabini.

Botafogo-SP: Jeninho; Manuel e Luis Celso; Galli, Cunha e Jackson; Paulinho, Marco Antônio, Ferreyra, Alfredo e Geraldinho (Geraldo).

 Estádio: Dr. Luis Güemes – Salta (ARG).

 Árbitro: A. Ducatelli

 Renda: $ 4.818,000.

 Gols: Paulinho (bota), Ferreyra (2) (bota), Savoy (boca), Marco Antônio (bota), Curioni (2) (boca).

Fonte: Anotando Fútbol, Revide e Botafogo Futebol Clube.

 

Criada no ano de 1930, a ASEA – Associação Sant´Annense de Sports Athleticos – surgiu para agregar somente clubes de futebol sediados no bairro de Sant´Anna – Zona Norte da Capital.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Santos Futebol Clube (Santos-SP) - 1970

 

DATA: 21 DE ABRIL DE 1970
LOCAL: CAMPO DO SÃO VICENTE AC, EM SÃO VICENTE / SP

VETERANOS

TOCA DA ONÇA FC (Santos)

6-1

SÃO VICENTE AC (São Vicente)

1º QUADROS

REAL AC (São Vicente)

2-0

GR VIDROBRÁS (São Vicente)

2º QUADROS

SÃO VICENTE AC (São Vicente)

5-1

GRÊMIO A TRIBUNA (Santos)

1º QUADROS

CR CONTINENTAL (São Vicente)

1-0

BEIJA FLOR FC (São Vicente)

1º QUADROS

SÃO VICENTE AC (São Vicente)

0-0

GRÊMIO A TRIBUNA (Santos)
 
A PORTUGUESA D (SÃO PAULO – SP)

5

SAAD EC (SÃO CAETANO DO SUL – SP)

3

DATA: 22 de fevereiro de 1970 LOCAL: São Caetano do Sul – SP
JUIZ: Roberto Filernon CARÁTER: Amistoso Nacional
GOLS: Luiz Américo, Tatá, Teodoro, Rodrigues e Valdomiro / Nelson (2) e Copini
Portuguesa(SP): Orlando; Teodoro, Marinho, Guaraci e Américo; Luiz Américo e Lorico; Ratinho, Leivinha, Tatá (Valdomiro) e Rodrigues.
Saad(SP): Fininho; Roberto, Verissimo, Caxias e Tinoco; Copini e Nelson; Fernando, Angelo, Arlindo e Valdir.
 

DATA: 25 DE ABRIL DE 1937
LOCAL: CAMPO DO CA WILLE, EM SANTOS / SP

1º QUADROS

EC XV DE NOVEMBRO (Santos)

2-2

CORDOVIL QUADRO (Santos)

1º QUADROS

EC XV DE NOVEMBRO (Piaçaguera)

5-1

UNIÃO FC (São Vicente)

1º QUADROS

CA WILLE (Santos)

2-2

EC CORINTHIANS (Santos)

DATA: 25 DE ABRIL DE 1937
LOCAL: CAMPO DO COMPANHIA CITY AC, EM SANTOS / SP

2º QUADROS

CA WILLE (Santos)

8-1

INSPETOR DE SEGURANÇA AC (Santos)

1º QUADROS

SANTA MARIA AC (Santos)

1-0

UNIÃO GUARUJÁ FC (Guarujá)

1º QUADROS

COMPANHIA CITY AC (Santos)

3-1

INSPETOR DE SEGURANÇA AC (Santos)
 

Guarani Futebol Clube (Campinas - SP) - 1937

Fonte: A Tribuna de Santos/SP

 

Santos FC (Santos-SP) e CA Ferroviário (Curitiba-PR) - 1937

Fonte: A Tribuna (Santos/SP)
 
SÃO JOÃO FC (JUNDIAÍ-SP)

3

PALESTRA JUNDHYAENSE (JUNDIAÍ-SP)

3

DATA: 05 de janeiro de 1930 LOCAL: Jundiaí / SP
JUIZ: CARÁTER: Campeonato Jundiaiense – 1929
GOLS: Bororó (2) e Braghetto / Carlos (3)
São João(SP): Moradim; Salsan e Aleardo; Miguel, Braghetto e Leonito; Guajaba, Narciso, Bororó, Minguta e Constantino.
Palestra(SP): Guido; Natal e Massa; Hetore, Italo e Bayalum; Sudan, Carlos, Guerino, Dino e Carrara.
 

“Os morros e planaltos de Pinheiros eram cortados pelo Córrego do Rio Verde, que nascia perto de onde se localizam hoje a Avenida Doutor Arnaldo e a Rua Oscar Freire, desaguando no Rio Pinheiros, junto ao atual Shopping Center Iguatemi (PEZZOTTI, s/d). Também nessa topografia extremamente acidentada, localizava-se o Córrego das Corujas. Ambos atualmente passam quase despercebidos devido às canalizações e grandes trechos enterrados de seus leitos, porém antes eram as barreiras naturais que delimitavam o território que originou a Vila Madalena. Já no início do século XX, as localidades do lado oeste do Córrego do Rio Verde, compreendendo parte do Vale das Corujas, constituíam o Sítio do Rio Verde. Conta-se que o proprietário era um português que dividiu as terras entre suas três filhas: Ida, Beatriz e Madalena, as quais deram origem aos nomes dos atuais bairros Vila Ida, Vila Beatriz e Vila Madalena”.

Texto extraído da Pesquisa Científica elaborada por Débora Jun Portugheis, em julho de 2014, para a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de são Paulo sob o título “VILA MADALENA: POLO DE COMÉRCIO, LAZER E CULTURA”

Dorinho (meia-esquerda) e Gas Braz (quarto zagueiro)

Crônica de autoria de Samuel dos Santos Polonio, publicada em 19 de julho de 2012.

“Lembrança da Vila Madalena”

“No ano de 1958 cheguei ao Brasil vindo de Portugal com seis anos de idade e, por sorte, vim morar na Rua Arapiraca nº 27 Vila Beatriz subdistrito de Vila Madalena.

Perto da minha casa ficavam os campos do Leão do morro, 7 de Setembro e o 1º de maio, que permaneceram até o ano de 1969 com o início da construção do Conjunto habitacional Natingui (B.N.H).

Brincadeiras não faltavam e eu jogava futebol o dia inteiro. Com 13 anos joguei no Dente de Leite do Leão do Morro, com grandes craques como: Gino, Ivo, Paulé, Pedro, Tonhão, Zé Valter, Reis, Carioca e Ademir, lembro-me dos grandes festivais e jogos do Leão do Morro (campeão varzeano em 1962 contra o Botafogo do Carrão e vice campeão em 64), principalmente o jogo final contra o Brasil de Pinheiros do craque Dorinho no campeonato de 1969, o jogo foi transmitido pela iniciante TV Globo no campo do 1º de Maio.

O torneio chegou ao fim com o Leão ganhando o jogo por 3 a 2 consagrando-se campeão. O Leão do Morro foi um dos principais times de várzea de São Paulo e teve grandes craques como: Miura, Carminho, Gáz Braz, Elinho, Zé Negão, Sábia, Dorinho, Delem, Roberto, Palito, Zinho, Mingo, Paulinho e não esquecendo o técnico Bonecão e o Álvaro (Barbeiro), um grande diretor”.

Fontes: Gazeta Esportiva Ilustrada, Pesquisa Científica “Vila Madalena: Polo de Comércio, Lazer e Cultura” e Samuel dos Santos Polonio.

 

Fonte: A Gazeta.

 
SÃO PAULO FC (ARARAQUARA-SP)

3

RADIUM FC (MOCOCA-SP)

0

Data: 02 de janeiro de 1949 Local: Parque Antárctica, em São Paulo – SP
Juiz: José de Moura Leite Caráter: Campeonato do Interior – 1948:
Gols: Teleco, Tonhê e Felipe
São Paulo(SP): Ari; Chumbo e Adolfo; Bode, Braga e Pascoal; Helio, Felipe, Teleco, Tonhê e Andrade.
Radium(SP): Brasão; Felipe e Jorge; Sidnei, Saraiva e Aguinaldo; Teca, Brejinho, Dirceu, Bagunça e Carreiro.
Obs.: Com este resultado a equipe araraquarense sagrou-se campeã paulista do Interior de 1948.

São Paulo Futebol Clube (Araraquara-SP) - Campeão Paulista do Interior - 1948

 

No mês de agosto de 1977, o Clube Atlético Juventus disputava o Campeonato Paulista da Primeira Divisão. No entanto, tinha acertado uma excursão pela Europa e Oriente Médio, com jogos na França, Arábia Saudita, România e Itália.

Então, a diretoria montou o ‘Expressinho‘ com alguns jogadores da base com outros que não estavam sendo aproveitados na equipe principal. Apesar, de ter montado um time as pressas, o resultado final foi bom. Foram 12 jogos , com quatro vitórias, quatro empates e quatro derrotas.

Juventus 1 X 0 Toulouse (França)
Juventus 1 X 2 Girondinos (França)
Juventus 3 X 0 Al-Abil (Arábia Saudita)
Juventus 2 X 2 Al-Hilal (Arábia Saudita)
Juventus 2 X 0 Jedhar (Arábia Saudita)
Juventus 0 X 0 Corvinul Hunedoara (Romênia)
Juventus 1 X 1 Pandurii (Romênia)
Juventus 2 X 1 Delta (Romênia)
Juventus 1 X 2 Suceava (Romênia)
Juventus - X - FC Foresta Falticeni (Romênia)
Juventus 1 X 6 Lazio (Itália)
Juventus 1 X 2 Napoli (Itália)

Jornal dos Sports (15/09/1977)

Em excursão pelo Oriente Médio, o Juventus, de São Paulo conquistou outra vitória: 2 a 0 sobre o Jedhar, da Arábia Saudita.  Até agora o time paulista disputou 6 (seis) amistosos. Vencendo três e empatando dois. A única derrota foi na França, na estreia, frente ao Girondinos (Football Club des Girondins de Bordeaux). por 2 a 1.

 

Jornal dos Sports (17/09/1977)

Após estrear com um empate em 0 a 0 com o Corvinul Hunedoara, o Juventus, de São Paulo, voltou a campo. Na sua segunda apresentação na Romênia, outro empate em 1 a 1 com o Pandurii.

Até agora, o Juventus disputou 8 (oito) jogos no exterior, tendo sofrido apenas uma derrota. Uma vitória logo mais sobre o Botafogo, valerá 13 mil cruzeiros para cada jogador do Juventus.

 

Jornal dos Sports (25/09/1977)

O Juventus, de São Paulo completou seu 9º jogo invicto na excursão à Europa, ao vencer o Delta, da Terceira Divisão Romena, por 2 a 1. Os grenás têm recebido muitos elogios da imprensa, por seu jogo veloz e objetivo.

 

Jornal dos Sports (01/10/1977)

O Juventus,  em excursão pela Romênia, perdeu a invencibilidade de 10 jogos, ao ser derrotado pelo Suceava por 2 a 1. Amanhã (Domingo, dia 02/10/1977), o time paulista enfrentará o FC Foresta Falticeni, devendo partir segunda-feira (03/10/1977) para Sófia a fim de disputar alguns amistosos na Bulgária.

 

Jornal dos Sports (10/10/1977)

O Lázio, da Primeira Divisão Italiana, venceu ontem (Domingo, dia 09 de Outubro de 1977), ao Juventus, de São Paulo, por 6 a 1, em partida amistosa em Roma (ITA). O time italiano não teve a menor dificuldade em chegar à vitória, e no final do 1º Tempo vencia por 4 a 1.

O gol do Juventus foi marcado por Ivan, aos 38 minutos da etapa inicial. Pelo Lázio marcaram: Clerici aos quatro, 18, 31 e 44 minutos da primeira etapa. Depois, Lopez aos sete e Apuzzo aos 23 minutos da etapa complementar. Os times jogaram assim:

LÁZIO: Garella; Ammoniacni, Ghedin, Wilson e Pighin; Córdova, Garlaschelli e Lopez (Ferretti); Glerici (Apuzzo), Boccolini e Badiani.

JUVENTUS-SP: Colonense; Zé Carlos, Leiz (Linau), Deodoro e Sebastião (Arnaldo); Paulo Roberto (Sérgio), Maximilliano e José Luís; Ivan, Elói e Basílio (Badau).

 

Jornal dos Sports (17/10/1977)

O Nápolis venceu, ontem (Domingo, dia 16 de Outubro de 1977),  o Juventus, de São Paulo, por 2 a 1, em partida amistosa, disputada em Nápoles (ITA). Chegou-se ao intervalo com empate em um gol.

Inaugurou o marcador José Luís aos 18 minutos, e empatou Savoldi, de pênalti, aos 22 minutos. No segundo tempo, aos 33 minutos, Massa conseguiu o tento da vitória para o quadro local.

 

FONTE: Jornal dos Sports

 

O Bandeirante Futebol Clube de Botucatu / SP foi  fundado em 1942 por Grupo de esportistas do município, para representar Botucatu e disputar o Campeonato Municipal de Botucatu da 1ª divisão e o Campeonato Paulista do Interior de 1942, sem ter sede ou campo próprio.

Em 20 março de 1943, foi fundado a Liga Botucatuense de Futebol, vinculada a Federação Paulista de Futebol, sendo o Bandeirante Futebol Clube, um dos fundadores junto com a Associação Atlética Botucatuense, a Associação Atlética Ferroviária, Flor da Madrugada Futebol Clube, Pardinho Futebol Clube e Blasi Futebol Clube.

Sua primeira partida oficial pelo campeonato municipal foi contra a Associação Atlética Botucatuense, no Estádio Antônio Delmanto, perdendo o caçula para a veterana por 4 a zero. O Jornal Correio de Botucatu demostrando exagerada simpatia, publicou: “Embora derrotado, o caçula foi superior ao seu adversário em entusiamo e técnica, pois dominou a partida do começo ao fim, e por falta de arremates, deixou escapar um triunfo  que seria mais que merecido, o Bandeirante for senhor absoluto da partida, dando autêntico baile na Veterana e só não venceu – que seria de justiça, foi por falta de um artilheiro, um só, e as estas horas o vencedor estaria curtindo a amarga derrota”. Seu técnico era o popular Zé Guimarães, e seus “pupilos”: Caricati, goleiro;  Avaré, Bento, Waldomiro e  Fê, defesa; Pedrinho, Paulo, João, Fernando, Cearense e Manézinho no meio campo e  ataque.

Em 1943, o primeiro campeonato oficial da 1a divisão promovido pela Liga Botucatuense de Futebol, realizado com a participação de 3 clubes, AA Botucatuense, AA Ferroviária e o Bandeirante FC que iniciou sua jornada de derrotas e goleadas sofridas; Torneio Inicio: Ferroviária 2×0 Bandeirante e Botucatuense 4×2 Bandeirante. No Campeonato Municipal, 1º turno: Ferroviária 7×0 Bandeirante e Botucatuense 4×0 Bandeirante; 2º turno: Ferroviária 4×0 Bandeirante e Botucatuense 4×2 Bandeirante. Em 1944, no Campeonato Municipal, os mesmos 3 participantes;  1º turno: Ferroviária 4×0 Bandeirante e Botucatuense 6×2 Bandeirante; 2º turno: Ferroviária 3×0 Bandeirante e Botucatuense 3×4 Bandeirante (1ª vitória). Em 1945, no Campeonato Municipal, os mesmos 3 participantes;  1º turno: Ferroviária 5×1 Bandeirante e Botucatuense 8×1 Bandeirante; 2º turno: Ferroviária 4×0 Bandeirante e Botucatuense 5×0 Bandeirante.

Em 1946, seu presidente era o escritor Hernani Donatto, que nesta oportunidade tinha 22 anos, descreve em documento em papel timbrado, enviado a prefeitura na tentativa de também receber verba da municipalidade como os demais clubes, com um clube modesto, exclusivamente de operários e pessoas de poucas posses.

Em 1946, no Campeonato Municipal, os mesmos 3 participantes; Bandeirante 0×7 e ?x?  Ferroviária, Bandeirante 2×8 e 0x6 Botucatuense.  Em 1947, no Campeonato Municipal, os mesmos 3 participantes;  1º turno: Ferroviária 7×0 Bandeirante e Botucatuense 7×0 Bandeirante; 2º turno: Ferroviária 13×0 Bandeirante e Botucatuense 6×1 Bandeirante. Em 1948, o Bandeirante não participou do Campeonato Municipal. Em 1949, no Campeonato Municipal, o Bandeirante volta a participar, totalizando 6 clubes na 1ª divisão; Bandeirante 1×3 e 1×2 Botucatuense, Bandeirante 1×6 e 1×2 EC Avenida, Bandeirante 1×1 e 1×2 AA Experimental, Bandeirante 5×4 (2ª vitoria) e 1×2 CA Fortaleza, Bandeirante 0×0 e 1×1 CA Brasil. Em 1950, no Campeonato Municipal, 4 clubes na 1ª divisão; Bandeirante 2×4 e 2×2 Botucatuense, Bandeirante 3×1  AC Lajeado, Bandeirante 3×1 CA Fortaleza  (3ª vitoria). Em 1951, no Campeonato Municipal, 9 clubes na 1ª divisão; Bandeirante 1×3 Botucatuense, Bandeirante 0×2  AC Lajeado, Bandeirante 1×1  CA Brasil, Bandeirante 0×6  União Operário, Bandeirante ?x?  CRE Bairro Alto, Bandeirante ?x?  Vila Antartica, Bandeirante ?x? CA Fortaleza. Em 1952 e 1953, o Bandeirante não participou do Campeonato Municipal. Em 1954, no Campeonato Municipal, o Bandeirante volta a participar, totalizando 8 clubes; Bandeirante ?x? e 1×2 AC Lageado, Bandeirante 1x1  e ?x? Rodoviário AC, Bandeirante 3×1 e 1×1 CA Brasil, Bandeirante 7×1 e ?x? CRE Bairro Alto, Bandeirante 1×0  e 3×3 EC Inca, Bandeirante 2×3 União Operário e Bandeirante 1×4 e 5×2 Sete de Setembro FC e Bandeirante 5×2 e ?x? Boa Vista FC; Bandeirante ficou em 4ª colocação. Em 1955, no Campeonato Municipal, o Bandeirante participar pela ultima vez, totalizando 10 clubes; Bandeirante 1×3 e 1×0 AC Lageado, Bandeirante ?x? Rodoviário AC, Bandeirante 0×4 e OxW CA Brasil, Bandeirante 2×4 e 0×4 CRE Bairro Alto, Bandeirante ?x? EC Inca, Bandeirante 2×0 União Operário e Bandeirante 1×7 e 1×4 Sete de Setembro FC, Bandeirante 2×2 e 1×1 Botucatuense; Bandeirante 1×13 e 0×3 Ferroviária; Bandeirante ficou em 9ª colocação (penúltimo).

A Ultima formação do Bandeirante FC em 1955: Chandrico, Júlio, Gaviúna, Bugre, Marreco, Ferreira, Lambari, Guto, Natal, Meneguim, Boaro.

Em muitos jornais era publicado erroneamente Bandeirantes, com “s”, no plural, mas como se comprova pelo papel timbrado do clube que o nome correto era Bandeirante Futebol Clube.

E sua ultima diretoria era assim constituída: Presidente de Hora, Emílio Peduti (Prefeito Municipal); Presidente, Paulo Paguozi; vice presidente, Narciso Mori; 1º Secretário, Amilcar Pupo Aiello; 2º Secretário, José Maurício de Oliveira; 1º Tesoureiro, Arlindo Durante; 2º Tesoureiro, Ulisses Rossi Grassi; Diretores Esportivos, Orlando Paguozi e Brasílio Paguozi; Diretores, Dr. Mário Rodrigues Torres (Procurador), Brasílio Damato, Francisco Lira BrandãoHélio DonatoAntônio Pinheiro Jr. e Antônio Calixto.

Muitos dos integrantes do Bandeirante Futebol Clube, foram cidadãos importantes para o município de Botucatu,  reconhecidos pelos botucatuenses sendo homenageados com logradouros públicos como ruas, avenidas, praças, biblioteca, complexo funerário e  escola.

Dedico este meu singelo artigo do Bandeirante Futebol Clube ao amigo Hélio Donatto, que tive o privilégio de frequentar sua casa e conviver com toda sua família.

Fonte: Livro “Os Esquecidos” da Datatoro de Rodolfo Kussarev e dos pesquisadores Eduardo Cacella, Julio Diogo, Fernando Martinez, Marcio Javaroni e Antonio Mario Ielo, Almanaque Futebolístico de 1957 da FPF de Nelson Martíns de Almeida e Thomaz Mazzoni, Jornal Correio de Botucatu, Os Campeões Amadores de Botucatu de Nivaldo Ceará e Arquivo do pesquisador e historiador Zulo e arquivo pessoal.

 

Fonte: Diario Nacional

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fazendo as minhas pesquisas, encontrei uma raridade, ou melhor: arte! A ‘Casa Fuchs’ foi uma tradicional loja paulistana, inaugurada em 1855, que ficava situada na Rua São Bento, nº 83, no Centro de São Paulo (SP), que atualmente fica um restaurante de comida à quilo. Os símbolos do Papai Noel e da árvore de Natal eram constantes na publicidade da Casa Fuchs, naquela época.

Como vender roupas era o carro-chefe, a loja viu no futebol uma oportunidade de faturar. E, para isso realizou algumas propagandas como está que apresentarei. Na quinta-feira, do dia 25 de julho de 1912, a Casa Fuchs apresentou um folheto com os “Uniformes dos Clubs Filiados á Liga Paulista de Football“, como artigos para sport. Nela constavam seis clubes:

Associação Athletica Palmeiras;

Club Athletico Paulistano;

São Paulo Athletic Club;

Sport Club Americano;

Sport Club Germânia;

Spot Club Internacional.

 

FONTE: Biblioteca Nacional 

 

Fazendo as minhas pesquisas, encontrei uma raridade, ou melhor: arte! A ‘Casa Fuchs’ foi uma tradicional loja paulistana, inaugurada em 1855, que ficava situada na Rua São Bento, nº 83, no Centro de São Paulo (SP), que atualmente fica um restaurante de comida à quilo. Os símbolos do Papai Noel e da árvore de Natal eram constantes na publicidade da Casa Fuchs, naquela época.

Como vender roupas era o carro-chefe, a loja viu no futebol uma oportunidade de faturar. E, para isso realizou algumas propagandas como está que apresentarei. Na quinta-feira, do dia 25 de julho de 1912, a Casa Fuchs apresentou um folheto com os “Uniformes dos Clubs Filiados á Liga Paulista de Football“, como artigos para sport. Nela constavam seis clubes:

Associação Athletica Palmeiras;

Club Athletico Paulistano;

São Paulo Athletic Club;

Sport Club Americano;

Sport Club Germânia;

Spot Club Internacional.

 

FONTE: Biblioteca Nacional 

 

Fazendo as minhas pesquisas, encontrei uma raridade, ou melhor: arte! A ‘Casa Fuchs’ foi uma tradicional loja paulistana, inaugurada em 1855, que ficava situada na Rua São Bento, nº 83, no Centro de São Paulo (SP), que atualmente fica um restaurante de comida à quilo. Os símbolos do Papai Noel e da árvore de Natal eram constantes na publicidade da Casa Fuchs, naquela época.

Como vender roupas era o carro-chefe, a loja viu no futebol uma oportunidade de faturar. E, para isso realizou algumas propagandas como está que apresentarei. Na quinta-feira, do dia 25 de julho de 1912, a Casa Fuchs apresentou um folheto com os “Uniformes dos Clubs Filiados á Liga Paulista de Football“, como artigos para sport. Nela constavam seis clubes:

Associação Athletica Palmeiras;

Club Athletico Paulistano;

São Paulo Athletic Club;

Sport Club Americano;

Sport Club Germânia;

Spot Club Internacional.

 

FONTE: Biblioteca Nacional 

 

Fazendo as minhas pesquisas, encontrei uma raridade, ou melhor: arte! A ‘Casa Fuchs’ foi uma tradicional loja paulistana, inaugurada em 1855, que ficava situada na Rua São Bento, nº 83, no Centro de São Paulo (SP), que atualmente fica um restaurante de comida à quilo. Os símbolos do Papai Noel e da árvore de Natal eram constantes na publicidade da Casa Fuchs, naquela época.

Como vender roupas era o carro-chefe, a loja viu no futebol uma oportunidade de faturar. E, para isso realizou algumas propagandas como está que apresentarei. Na quinta-feira, do dia 25 de julho de 1912, a Casa Fuchs apresentou um folheto com os “Uniformes dos Clubs Filiados á Liga Paulista de Football“, como artigos para sport. Nela constavam seis clubes:

Associação Athletica Palmeiras;

Club Athletico Paulistano;

São Paulo Athletic Club;

Sport Club Americano;

Sport Club Germânia;

Spot Club Internacional.

 

FONTE: Biblioteca Nacional 

 

Fazendo as minhas pesquisas, encontrei uma raridade, ou melhor: arte! A ‘Casa Fuchs’ foi uma tradicional loja paulistana, inaugurada em 1855, que ficava situada na Rua São Bento, nº 83, no Centro de São Paulo (SP), que atualmente fica um restaurante de comida à quilo. Os símbolos do Papai Noel e da árvore de Natal eram constantes na publicidade da Casa Fuchs, naquela época.

Como vender roupas era o carro-chefe, a loja viu no futebol uma oportunidade de faturar. E, para isso realizou algumas propagandas como está que apresentarei. Na quinta-feira, do dia 25 de julho de 1912, a Casa Fuchs apresentou um folheto com os “Uniformes dos Clubs Filiados á Liga Paulista de Football“, como artigos para sport. Nela constavam seis clubes:

Associação Athletica Palmeiras;

Club Athletico Paulistano;

São Paulo Athletic Club;

Sport Club Americano;

Sport Club Germânia;

Spot Club Internacional.

 

FONTE: Biblioteca Nacional 

 

Fazendo as minhas pesquisas, encontrei uma raridade, ou melhor: arte! A ‘Casa Fuchs’ foi uma tradicional loja paulistana, inaugurada em 1855, que ficava situada na Rua São Bento, nº 83, no Centro de São Paulo (SP), que atualmente fica um restaurante de comida à quilo. Os símbolos do Papai Noel e da árvore de Natal eram constantes na publicidade da Casa Fuchs, naquela época.

Como vender roupas era o carro-chefe, a loja viu no futebol uma oportunidade de faturar. E, para isso realizou algumas propagandas como está que apresentarei. Na quinta-feira, do dia 25 de julho de 1912, a Casa Fuchs apresentou um folheto com os “Uniformes dos Clubs Filiados á Liga Paulista de Football“, como artigos para sport. Nela constavam seis clubes:

Associação Athletica Palmeiras;

Club Athletico Paulistano;

São Paulo Athletic Club;

Sport Club Americano;

Sport Club Germânia;

Spot Club Internacional.

FONTE: Biblioteca Nacional 

 

 
GUARANI FC (CAMPINAS-SP)

5

ESTRELA DA BELA VISTA EC (SÃO CARLOS – SP)

1

Data: 29 de abril de 1956 Local: São Carlos – SP
Juiz: Caráter: Amistoso Nacional
Gols: Augusto (5) / Vaguinho
Guarani(SP): Paulo; Iderlino (Valdir) e Palante; James (Iderlino), Joé e Henrique; Portinho (Djalma), Augusto, César (Benê), Villalobos e Ismar.
Estrela da Bela Vista(SP): Itamar; Valter e Carlão; Vaguinho (Pirata), Garro e Tico; Tim, Mauri, Palito, Maurinho e Paulinho.
 

Fonte: Diário Nacional.

 

FONTE: Correio Paulistano

 

Fonte: Diario Nacional.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

© 2017 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha