O Bandeirante Futebol Clube de Botucatu / SP foi  fundado em 1942 por Grupo de esportistas do município, para representar Botucatu e disputar o Campeonato Municipal de Botucatu da 1ª divisão e o Campeonato Paulista do Interior de 1942, sem ter sede ou campo próprio.

Em 20 março de 1943, foi fundado a Liga Botucatuense de Futebol, vinculada a Federação Paulista de Futebol, sendo o Bandeirante Futebol Clube, um dos fundadores junto com a Associação Atlética Botucatuense, a Associação Atlética Ferroviária, Flor da Madrugada Futebol Clube, Pardinho Futebol Clube e Blasi Futebol Clube.

Sua primeira partida oficial pelo campeonato municipal foi contra a Associação Atlética Botucatuense, no Estádio Antônio Delmanto, perdendo o caçula para a veterana por 4 a zero. O Jornal Correio de Botucatu demostrando exagerada simpatia, publicou: “Embora derrotado, o caçula foi superior ao seu adversário em entusiamo e técnica, pois dominou a partida do começo ao fim, e por falta de arremates, deixou escapar um triunfo  que seria mais que merecido, o Bandeirante for senhor absoluto da partida, dando autêntico baile na Veterana e só não venceu – que seria de justiça, foi por falta de um artilheiro, um só, e as estas horas o vencedor estaria curtindo a amarga derrota”. Seu técnico era o popular Zé Guimarães, e seus “pupilos”: Caricati, goleiro;  Avaré, Bento, Waldomiro e  Fê, defesa; Pedrinho, Paulo, João, Fernando, Cearense e Manézinho no meio campo e  ataque.

Em 1943, o primeiro campeonato oficial da 1a divisão promovido pela Liga Botucatuense de Futebol, realizado com a participação de 3 clubes, AA Botucatuense, AA Ferroviária e o Bandeirante FC que iniciou sua jornada de derrotas e goleadas sofridas; Torneio Inicio: Ferroviária 2×0 Bandeirante e Botucatuense 4×2 Bandeirante. No Campeonato Municipal, 1º turno: Ferroviária 7×0 Bandeirante e Botucatuense 4×0 Bandeirante; 2º turno: Ferroviária 4×0 Bandeirante e Botucatuense 4×2 Bandeirante. Em 1944, no Campeonato Municipal, os mesmos 3 participantes;  1º turno: Ferroviária 4×0 Bandeirante e Botucatuense 6×2 Bandeirante; 2º turno: Ferroviária 3×0 Bandeirante e Botucatuense 3×4 Bandeirante (1ª vitória). Em 1945, no Campeonato Municipal, os mesmos 3 participantes;  1º turno: Ferroviária 5×1 Bandeirante e Botucatuense 8×1 Bandeirante; 2º turno: Ferroviária 4×0 Bandeirante e Botucatuense 5×0 Bandeirante.

Em 1946, seu presidente era o escritor Hernani Donatto, que nesta oportunidade tinha 22 anos, descreve em documento em papel timbrado, enviado a prefeitura na tentativa de também receber verba da municipalidade como os demais clubes, com um clube modesto, exclusivamente de operários e pessoas de poucas posses.

Em 1946, no Campeonato Municipal, os mesmos 3 participantes; Bandeirante 0×7 e ?x?  Ferroviária, Bandeirante 2×8 e 0x6 Botucatuense.  Em 1947, no Campeonato Municipal, os mesmos 3 participantes;  1º turno: Ferroviária 7×0 Bandeirante e Botucatuense 7×0 Bandeirante; 2º turno: Ferroviária 13×0 Bandeirante e Botucatuense 6×1 Bandeirante. Em 1948, o Bandeirante não participou do Campeonato Municipal. Em 1949, no Campeonato Municipal, o Bandeirante volta a participar, totalizando 6 clubes na 1ª divisão; Bandeirante 1×3 e 1×2 Botucatuense, Bandeirante 1×6 e 1×2 EC Avenida, Bandeirante 1×1 e 1×2 AA Experimental, Bandeirante 5×4 (2ª vitoria) e 1×2 CA Fortaleza, Bandeirante 0×0 e 1×1 CA Brasil. Em 1950, no Campeonato Municipal, 4 clubes na 1ª divisão; Bandeirante 2×4 e 2×2 Botucatuense, Bandeirante 3×1  AC Lajeado, Bandeirante 3×1 CA Fortaleza  (3ª vitoria). Em 1951, no Campeonato Municipal, 9 clubes na 1ª divisão; Bandeirante 1×3 Botucatuense, Bandeirante 0×2  AC Lajeado, Bandeirante 1×1  CA Brasil, Bandeirante 0×6  União Operário, Bandeirante ?x?  CRE Bairro Alto, Bandeirante ?x?  Vila Antartica, Bandeirante ?x? CA Fortaleza. Em 1952 e 1953, o Bandeirante não participou do Campeonato Municipal. Em 1954, no Campeonato Municipal, o Bandeirante volta a participar, totalizando 8 clubes; Bandeirante ?x? e 1×2 AC Lageado, Bandeirante 1x1  e ?x? Rodoviário AC, Bandeirante 3×1 e 1×1 CA Brasil, Bandeirante 7×1 e ?x? CRE Bairro Alto, Bandeirante 1×0  e 3×3 EC Inca, Bandeirante 2×3 União Operário e Bandeirante 1×4 e 5×2 Sete de Setembro FC e Bandeirante 5×2 e ?x? Boa Vista FC; Bandeirante ficou em 4ª colocação. Em 1955, no Campeonato Municipal, o Bandeirante participar pela ultima vez, totalizando 10 clubes; Bandeirante 1×3 e 1×0 AC Lageado, Bandeirante ?x? Rodoviário AC, Bandeirante 0×4 e OxW CA Brasil, Bandeirante 2×4 e 0×4 CRE Bairro Alto, Bandeirante ?x? EC Inca, Bandeirante 2×0 União Operário e Bandeirante 1×7 e 1×4 Sete de Setembro FC, Bandeirante 2×2 e 1×1 Botucatuense; Bandeirante 1×13 e 0×3 Ferroviária; Bandeirante ficou em 9ª colocação (penúltimo).

A Ultima formação do Bandeirante FC em 1955: Chandrico, Júlio, Gaviúna, Bugre, Marreco, Ferreira, Lambari, Guto, Natal, Meneguim, Boaro.

Em muitos jornais era publicado erroneamente Bandeirantes, com “s”, no plural, mas como se comprova pelo papel timbrado do clube que o nome correto era Bandeirante Futebol Clube.

E sua ultima diretoria era assim constituída: Presidente de Hora, Emílio Peduti (Prefeito Municipal); Presidente, Paulo Paguozi; vice presidente, Narciso Mori; 1º Secretário, Amilcar Pupo Aiello; 2º Secretário, José Maurício de Oliveira; 1º Tesoureiro, Arlindo Durante; 2º Tesoureiro, Ulisses Rossi Grassi; Diretores Esportivos, Orlando Paguozi e Brasílio Paguozi; Diretores, Dr. Mário Rodrigues Torres (Procurador), Brasílio Damato, Francisco Lira BrandãoHélio DonatoAntônio Pinheiro Jr. e Antônio Calixto.

Muitos dos integrantes do Bandeirante Futebol Clube, foram cidadãos importantes para o município de Botucatu,  reconhecidos pelos botucatuenses sendo homenageados com logradouros públicos como ruas, avenidas, praças, biblioteca, complexo funerário e  escola.

Dedico este meu singelo artigo do Bandeirante Futebol Clube ao amigo Hélio Donatto, que tive o privilégio de frequentar sua casa e conviver com toda sua família.

Fonte: Livro “Os Esquecidos” da Datatoro de Rodolfo Kussarev e dos pesquisadores Eduardo Cacella, Julio Diogo, Fernando Martinez, Marcio Javaroni e Antonio Mario Ielo, Almanaque Futebolístico de 1957 da FPF de Nelson Martíns de Almeida e Thomaz Mazzoni, Jornal Correio de Botucatu, Os Campeões Amadores de Botucatu de Nivaldo Ceará e Arquivo do pesquisador e historiador Zulo e arquivo pessoal.

 

Fonte: Diario Nacional

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fazendo as minhas pesquisas, encontrei uma raridade, ou melhor: arte! A ‘Casa Fuchs’ foi uma tradicional loja paulistana, inaugurada em 1855, que ficava situada na Rua São Bento, nº 83, no Centro de São Paulo (SP), que atualmente fica um restaurante de comida à quilo. Os símbolos do Papai Noel e da árvore de Natal eram constantes na publicidade da Casa Fuchs, naquela época.

Como vender roupas era o carro-chefe, a loja viu no futebol uma oportunidade de faturar. E, para isso realizou algumas propagandas como está que apresentarei. Na quinta-feira, do dia 25 de julho de 1912, a Casa Fuchs apresentou um folheto com os “Uniformes dos Clubs Filiados á Liga Paulista de Football“, como artigos para sport. Nela constavam seis clubes:

Associação Athletica Palmeiras;

Club Athletico Paulistano;

São Paulo Athletic Club;

Sport Club Americano;

Sport Club Germânia;

Spot Club Internacional.

 

FONTE: Biblioteca Nacional 

 

Fazendo as minhas pesquisas, encontrei uma raridade, ou melhor: arte! A ‘Casa Fuchs’ foi uma tradicional loja paulistana, inaugurada em 1855, que ficava situada na Rua São Bento, nº 83, no Centro de São Paulo (SP), que atualmente fica um restaurante de comida à quilo. Os símbolos do Papai Noel e da árvore de Natal eram constantes na publicidade da Casa Fuchs, naquela época.

Como vender roupas era o carro-chefe, a loja viu no futebol uma oportunidade de faturar. E, para isso realizou algumas propagandas como está que apresentarei. Na quinta-feira, do dia 25 de julho de 1912, a Casa Fuchs apresentou um folheto com os “Uniformes dos Clubs Filiados á Liga Paulista de Football“, como artigos para sport. Nela constavam seis clubes:

Associação Athletica Palmeiras;

Club Athletico Paulistano;

São Paulo Athletic Club;

Sport Club Americano;

Sport Club Germânia;

Spot Club Internacional.

 

FONTE: Biblioteca Nacional 

 

Fazendo as minhas pesquisas, encontrei uma raridade, ou melhor: arte! A ‘Casa Fuchs’ foi uma tradicional loja paulistana, inaugurada em 1855, que ficava situada na Rua São Bento, nº 83, no Centro de São Paulo (SP), que atualmente fica um restaurante de comida à quilo. Os símbolos do Papai Noel e da árvore de Natal eram constantes na publicidade da Casa Fuchs, naquela época.

Como vender roupas era o carro-chefe, a loja viu no futebol uma oportunidade de faturar. E, para isso realizou algumas propagandas como está que apresentarei. Na quinta-feira, do dia 25 de julho de 1912, a Casa Fuchs apresentou um folheto com os “Uniformes dos Clubs Filiados á Liga Paulista de Football“, como artigos para sport. Nela constavam seis clubes:

Associação Athletica Palmeiras;

Club Athletico Paulistano;

São Paulo Athletic Club;

Sport Club Americano;

Sport Club Germânia;

Spot Club Internacional.

 

FONTE: Biblioteca Nacional 

 

Fazendo as minhas pesquisas, encontrei uma raridade, ou melhor: arte! A ‘Casa Fuchs’ foi uma tradicional loja paulistana, inaugurada em 1855, que ficava situada na Rua São Bento, nº 83, no Centro de São Paulo (SP), que atualmente fica um restaurante de comida à quilo. Os símbolos do Papai Noel e da árvore de Natal eram constantes na publicidade da Casa Fuchs, naquela época.

Como vender roupas era o carro-chefe, a loja viu no futebol uma oportunidade de faturar. E, para isso realizou algumas propagandas como está que apresentarei. Na quinta-feira, do dia 25 de julho de 1912, a Casa Fuchs apresentou um folheto com os “Uniformes dos Clubs Filiados á Liga Paulista de Football“, como artigos para sport. Nela constavam seis clubes:

Associação Athletica Palmeiras;

Club Athletico Paulistano;

São Paulo Athletic Club;

Sport Club Americano;

Sport Club Germânia;

Spot Club Internacional.

 

FONTE: Biblioteca Nacional 

 

Fazendo as minhas pesquisas, encontrei uma raridade, ou melhor: arte! A ‘Casa Fuchs’ foi uma tradicional loja paulistana, inaugurada em 1855, que ficava situada na Rua São Bento, nº 83, no Centro de São Paulo (SP), que atualmente fica um restaurante de comida à quilo. Os símbolos do Papai Noel e da árvore de Natal eram constantes na publicidade da Casa Fuchs, naquela época.

Como vender roupas era o carro-chefe, a loja viu no futebol uma oportunidade de faturar. E, para isso realizou algumas propagandas como está que apresentarei. Na quinta-feira, do dia 25 de julho de 1912, a Casa Fuchs apresentou um folheto com os “Uniformes dos Clubs Filiados á Liga Paulista de Football“, como artigos para sport. Nela constavam seis clubes:

Associação Athletica Palmeiras;

Club Athletico Paulistano;

São Paulo Athletic Club;

Sport Club Americano;

Sport Club Germânia;

Spot Club Internacional.

 

FONTE: Biblioteca Nacional 

 

Fazendo as minhas pesquisas, encontrei uma raridade, ou melhor: arte! A ‘Casa Fuchs’ foi uma tradicional loja paulistana, inaugurada em 1855, que ficava situada na Rua São Bento, nº 83, no Centro de São Paulo (SP), que atualmente fica um restaurante de comida à quilo. Os símbolos do Papai Noel e da árvore de Natal eram constantes na publicidade da Casa Fuchs, naquela época.

Como vender roupas era o carro-chefe, a loja viu no futebol uma oportunidade de faturar. E, para isso realizou algumas propagandas como está que apresentarei. Na quinta-feira, do dia 25 de julho de 1912, a Casa Fuchs apresentou um folheto com os “Uniformes dos Clubs Filiados á Liga Paulista de Football“, como artigos para sport. Nela constavam seis clubes:

Associação Athletica Palmeiras;

Club Athletico Paulistano;

São Paulo Athletic Club;

Sport Club Americano;

Sport Club Germânia;

Spot Club Internacional.

FONTE: Biblioteca Nacional 

 

 
GUARANI FC (CAMPINAS-SP)

5

ESTRELA DA BELA VISTA EC (SÃO CARLOS – SP)

1

Data: 29 de abril de 1956 Local: São Carlos – SP
Juiz: Caráter: Amistoso Nacional
Gols: Augusto (5) / Vaguinho
Guarani(SP): Paulo; Iderlino (Valdir) e Palante; James (Iderlino), Joé e Henrique; Portinho (Djalma), Augusto, César (Benê), Villalobos e Ismar.
Estrela da Bela Vista(SP): Itamar; Valter e Carlão; Vaguinho (Pirata), Garro e Tico; Tim, Mauri, Palito, Maurinho e Paulinho.
 

Fonte: Diário Nacional.

 

FONTE: Correio Paulistano

 

Fonte: Diario Nacional.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

 

Fonte: A Gazeta.

 

 

 

Texto extraído da “SÍNTESE HISTÓRICA DE CAÇAPAVA”, do professor José Damas Nogueira, no ano de 2008.

 

Nossa gloriosa alvi-celeste, nossa querida Associação Atlética Caçapavense dos bons tempos, é o resultado da vontade de um grupo de jovens que queriam, e muito, jogar futebol e que foram à luta para realizar seus ideais.

O esporte bretão empolgava a todos e em nossa cidade as atividades esportivas não tinham local adequado para ser realizadas. Resolveram escrever uma carta ao Conde Álvares Penteado, de São Paulo, comunicando-lhe que haviam fundado uma agremiação esportiva, denominada  “Esporte Club Álvares Penteado” e solicitavam dele o envio de uma bola de futebol para a inauguração do clube…!

E, vejam só …! Para surpresa e alegria geral, conseguiram uma ótima bola e uma expressiva carta do Conde Penteado.

Firmou-se, daí por diante, a ideia forte de, em verdade, fundarem uma associação esportiva de futebol.

Ao grupo já existente associaram-se outros amigos. Então, foram convocados todos os interessados que se reuniram no “Cassino Caçapavense”, cedido pelos proprietários, para fundar o clube e tornar realidade o velho sonho.

E aí, em Assembleia Geral, num ensolarado domingo, dia 14/12/1913, fundaram o sonhado e desejado clube e escolheram seu nome: Associação Atlética Caçapavense.

Alugaram um pasto pertencente ao Sr. Benedito Ferreira de Morais, no Bairro da Vera Cruz e transformaram-no num campo de futebol, onde inesquecíveis partidas futebolísticas aconteceram.

Aqui há necessidade de se ver outra história paralela.

Consta que antes da existência da A.A. Caçapavense já havia na cidade um outro clube, dedicado ao futebol, entidade denominada Sport Club Edu Chaves.

Realmente eu próprio sabia disso há anos, por informação de meu pai, que integrou o time como jogador da defesa, além de uma estimada foto que possuo, de uma partida de futebol realizada a 25/04/1915 do Edu Chaves contra o Santa Cecília Foot-Ball Club, este dirigido pelo famoso “Mané Lopes” e ainda de notícia publicada no jornal “O POVO”, da época, que dá até a escalação dos dois times.

Em janeiro de 1915 a AAC mudou sua sede social provisória no “sobrado” para um prédio na Praça Visconde do Rio Branco, no 16 e nesse mesmo ano ela conseguiu comprar e mudar seu campo de futebol para o espaçoso terreno, que marginava a Rua Cel. Manoel Inocêncio com a R. Comendador João Lopes, que serviu muito bem, por anos seguidos, para a prática do futebol.

Em 1929 a A.A. Caçapavense conseguiu comprar o antigo prédio da Rua Cap. João Ramos, de propriedade do Sr. João Prudente, onde há anos funcionava o Cine Central, que foi desativado e, após algumas adaptações necessárias, tornou-se a terceira sede social e agora própria, para alegria de todos (hoje, o local é ocupado pela agência da Nossa Caixa/Nosso Banco).

E a entidade, de muita história que não cabe neste resumo, realizou-se plenamente com suas festas e futebol, tendo também passado por crises financeiras em 1948/49 e 1970/75, quando teve que vender sua sede social e edificar outra na Av. Cel. Manoel Inocêncio, onde ainda permanece.

Caçapava, setembro de 2008

________________________________________

Texto produzido pelo prof. José Damas Nogueira

Membro efetivo da Academia Caçapavense de Letras,

titular da Cadeira nº. 2, que tem como patrono o Dr.

José Pereira de Mattos.

fonte: camaracacapava.sp.gov.br

 

 

Juntos, Clodo, Fried e Bartho, também atuaram pelo Club Athletico Paulistano e pelo São Paulo F.C. da Floresta.

Fonte: “A Gazeta”.

 

FONTE: A Gazeta


 

 

 

FONTE: A Gazeta

 

Fonte: Diário Nacional

 

Fonte: Diário Nacional

 

Fonte: Diário Nacional

 

Fonte: Diário Nacional

 

Fonte: “A Gazeta”.

 

Fonte: “A Gazeta”.

 

1ª FASE

GRUPO A

DATA

 

  LOCAL

03.07.1971

DEMOCRÁTICO

4

X

0

CORRETORES SANTOS – SP

03.07.1971

NÁUTICO

0

X

0

ORQUIDÁRIO SANTOS – SP

10.07.1971

NÁUTICO

0

X

0

CORRETORES SANTOS – SP

10.07.1971

DEMOCRÁTICO

1

X

1

ORQUIDÁRIO SANTOS – SP

17.07.1971

NÁUTICO

0

X

0

DEMOCRÁTICO SANTOS – SP

17.07.1971

ORQUIDÁRIO

0

X

0

CORRETORES SANTOS – SP

DECISÃO DO 2º LUGAR

DATA

 

  LOCAL

20.07.1971

ORQUIDÁRIO

0

X

0

NÁUTICO (2-1 PEN) SANTOS – SP

GRUPO B

DATA

 

  LOCAL

03.07.1971

IGARATÁ

1

X

0

GRÊMIO INTERNACIONAL SANTOS – SP

03.07.1971

APOLO

0

X

0

CAMPOS MELO SANTOS – SP

10.07.1971

IGARATÁ

0

X

0

APOLO SANTOS – SP

10.07.1971

CAMPOS MELO

2

X

1

GRÊMIO INTERNACIONAL SANTOS – SP

17.07.1971

APOLO

1

X

1

GRÊMIO INTERNACIONAL SANTOS – SP

17.07.1971

CAMPOS MELO

1

X

1

IGARATÁ SANTOS – SP

SEMI FINAL

DATA

 

  LOCAL

24.07.1971

IGARATÁ

0

X

0

ORQUIDÁRIO SANTOS – SP

24.07.1971

CAMPOS MELO

0

X

0

DEMOCRÁTICO SANTOS – SP

31.07.1971

IGARATÁ

1

X

1

ORQUIDÁRIO (3-2 PEN) SANTOS – SP

31.07.1971

CAMPOS MELO

1

X

0

DEMOCRÁTICO SANTOS – SP

FINAL

DATA

 

  LOCAL

22.08.1971

CAMPOS MELO

1

X

0

IGARATÁ SANTOS – SP

CAMPEÃO – CAMPOS MELO FUTEBOL CLUBE (SANTOS – SP)

© 2017 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha