FONTE: Revista Placar

 

A história, no entanto, reservou um revés para a Sociedade Esportiva Tiradentes. Onze dias após ser derrotado pelo adversário, o Corinthians entrou com uma sede incontrolável em mostrar quem mandava no pedaço. Azar do Tiradentes que acabou entrando na história do futebol brasileiro ao sofrer a maior goleada no campeonato Nacional, que aliás perdura até os dias de hoje.

O placar de 10 a 1, retrata bem o que foi o jogo: um massacre do Timão. Diante do que aconteceu nos 90 minutos, o resultado final ficou barato. Poderia ter sido pior para o Tiradentes. O destaque da partida foi o meia Sócrates que marcou, nada mais e nada menos do que cinco gols.

 

S.C. CORINTHIANS (SP)

10

X

1

S.E. TIRADENTES  (PI)

LOCAL: Estádio Osvaldo Teixeira Duarte, ‘Canindé’, em São Paulo (SP)
CARÁTER: 1ª Fase – 6ª Rodada – Taça de Ouro
DATA: Quarta-feira, do dia 9 de Fevereiro de 1983
RENDA: Cr$ 10.656.000,00
PÚBLICO: 17.821 pagantes
ÁRBITRO: Aristóteles Cantalice (PE)
CORINTHIANS: Solito; Alfinete, Mauro, Daniel González e Wladimir;  Paulinho, Sócrates e Zenon (Eduardo, 32 do 2º); Biro-Biro, Ataliba (Vidotti, 32 do 2º) e Paulo Egídio. Técnico: Mário Travaglini
TIRADENTES: Neto; Valdinar, Baiano, Vágner e Zezé (Jeová, 17 do 2º); Zuega, Sabará e Hélio Rocha (Etevaldo, 17 do 2º); Luís Sérgio, Durval e Joniel.  Técnico: Alberino de Paula
GOLS: Sabará, de pênalti, aos 18 minutos (Tiradentes);  Sócrates, de pênalti, aos 24 minutos (Corinthians); Sócrates aos 31 e 42 minutos (Corinthians);  Biro-Biro aos 37 minutos (Corinthians);   Paulo Egídio aos 44 minutos (Corinthians); no 1º Tempo.  Ataliba aos quatro minutos (Corinthians); Wladimir aos oito minutos (Corinthians); Paulo Egídio aos 17 minutos (Corinthians); Sócrates, de pênalti, aos 33 minutos (Corinthians); Vidotti aos 42 minutos (Corinthians); no 1º Tempo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FONTE: Revista Placar

 

Por falar na Sociedade Esportiva Tiradentes, o clube viveu dois momentos emblemáticos num espaço de 11 dias. Literalmente do céu ao inferno. No primeiro capítulo, do dia 29 de Janeiro de 1983, válido pela 3ª Rodada, da 1ª Fase da Taça de Ouro (atual Campeonato Brasileiro da Série A).

Então líder do Grupo D, o Corinthians foi enfrentar o modesto Tiradentes, em Teresina (PI), acreditando que a vitória seria tranquila. No entanto, empurrado por mais de 40 mil pessoas, o clube piauiense cresceu em campo. Jogando como se fosse uma final de Copa do Mundo, o Tiradentes fez a sua melhor partida em 1983, e foi para o intervalo com a vantagem de dois gols. O segundo, assinalado por Hélio Rocha foi um golaço.

O meia pegou na intermediária e soltou um foguete, acertando o ângulo direito do goleiro Solito, que voou, mas não alcançou. Na segunda etapa, o Corinthians conseguiu equilibrar o jogo e até diminuiu, com Sócrates, marcando de pênalti, mas não o suficiente para evitar a derrota! Fim de jogo, e uma festa que começou no gramado e se estendeu por toda o estado do Piauí. Um dia histórico para o futebol piauiense.

S.E. TIRADENTES (PI)

2

X

1

S.C. CORINTHIANS (SP)

LOCAL: Estádio Alberto Silva, ‘Albertão’, em Teresina (PI)
CARÁTER: 1ª Fase – 3ª Rodada – Taça de Ouro
DATA: Sábado,  do dia 29 de Janeiro de 1983
RENDA: Cr$ 9.945.200,00
PÚBLICO: 41.265 pagantes
ÁRBITRO: Wilson Carlos dos Santos (RJ)
TIRADENTES: Batista; Valdinar, Vágner, Válter Maranhão e Válter Piauí; Zuega, Sabará e Hélio Rocha; Luís Sérgio (Carlinhos), Olivã (Durval) e Joniel.  Técnico: Alberino de Paula
CORINTHIANS: Solito; Alfinete (Zé Maria), Mauro, Daniel González e Wladimir;  Paulinho (Paulo Egídio), Sócrates e Zenon; Ataliba, Casagrande e  Biro-Biro. Técnico: Mário Travaglini
GOLS: Sabará, de pênalti, aos 34 minutos (Tiradentes);  Hélio Rocha aos 39 do 1º Tempo. Sócrates, de pênalti, aos 28 minutos (Corinthians); no 2º Tempo.

 

 

 

 

 

 

 

FONTE: Revista Placar

 

A Sociedade Esportiva Tiradentes é uma agremiação da cidade de Teresina (PI). Na terça-feira, do dia 30 de junho de 1959, os Subtenentes e Sargentos da Polícia Militar do Estado do Piauí decidiram fundar o “Clube Tiradentes dos Subtenentes e Sargentos da Policia Militar do Estado do Piauí“.

Na época, o Comandante da Policia Militar era o Coronel Pedro Borges da Silva Filho. Em 14 de setembro de 1966 o então presidente, Luís Castro Araújo, solicitou filiação à Federação Piauiense de Desportos (FPD) e o pedido foi deferido em 3 de outubro, passando o representante da PM a disputar competições de esporte amador.

No inicio de 1972, o Coronel Canuto Tupy Caldas, comandante da Policia Militar, anunciou que o Tiradentes iria disputar o Campeonato de Futebol Profissional. No mesmo ano se sagrou campeão Estadual (1972). Depois faturou outros quatro títulos: 1974, 1975 (título dividido com o River), 1982 e 1990. Também faturou o caneco do Torneio Início de 1981.

Na esfera nacional o Tiradentes participou do Campeonato Brasileiro da Série A em cinco oportunidades: 1973, 1974, 1975, 1979 e 1983.

FONTES: Wikipédia – Revista Placar

 

 

FONTE: Revista Placar

 

FONTE: Revista Placar

 

FONTE: Revista Placar

 

 

FONTE: Revista Placar

 

FONTE: Revista Placar

 

FONTE: Mercado Livre – Revista Placar

 

Seleção do Piauí - 1927

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

Campeonato Piauiense 1976

Participantes

Auto Esporte (Auto Esporte Clube) – Teresina
Botafogo (Botafogo Esporte Clube) – Teresina
Comercial (Comercial Atlético Clube) – Campo Maior
Flamengo (Esporte Clube Flamengo) – Teresina
Fluminense (Fluminense Esporte Clube) – Teresina
Parnaíba (Parnaíba Sport Club) – Parnaíba (* atual Parnahyba Sport Club)
Piauí (Piauí Esporte Clube) – Teresina
Tiradentes (Sociedade Esportiva Tiradentes) – Teresina

Obs: O Tiradentes encerrou o Depto. de Futebol e desistiu da competição no início de junho em função do caso Jacob (homícidio). Vários jogadores do Tiradentes foram indiciados no crime.

1º Turno – 1ª Fase

15/02/1976 – 1ª Rodada
Flamengo 2×1 Botafogo
Parnaíba 3×2 Fluminense
18/02/1976 – 1ª Rodada
Piauí 1×1 Botafogo
Tiradentes 5×0 Auto Esporte

22/02/1976 – 2ª Rodada
Comercial 1×2 Piauí
Tiradentes 12×0 Fluminense
26/02/1976 – 2ª Rodada
Parnaíba 4×3 Auto Esporte
Flamengo 3×0 Comercial

07/03/1976 – 3ª Rodada
Parnaíba 1×4 Tiradentes
Comercial 0×1 Botafogo
Auto Esporte 0×1 Fluminense
Flamengo 1×0 Piauí

Grupo A
1    Tiradentes – 6
2    Parnaíba – 4
3    Fluminense – 2
4    Auto Esporte – 0

Grupo B
1    Flamengo – 6
2    Piauí – 3
3    Botafogo – 3
4    Comercial – 0

(*) Piauí foi segundo por sorteio

1º Turno – Semifinal

10/03/1976 – Jogo Único
Tiradentes 4×1 Piauí
Flamengo 1×1 Parnaíba [Pro 2-0]

1º Turno – Final

14/03/1976 – 1º Jogo
Flamengo 1×0 Tiradentes
17/03/1976 – 2º Jogo
Tiradentes 1×1 Flamengo

(*) Flamengo campeão do 1º Turno

2º Turno – 1ª Fase

24/03/1976 – 1ª Rodada
Tiradentes 2×1 Botafogo
Flamengo 2×0 Fluminense

28/03/1976 – 2ª Rodada
Piauí 1×1 Comercial
Flamengo 2×1 Auto Esporte

31/03/1976 – 3ª Rodada
Botafogo 5×0 Comercial
Auto Esporte 2×1 Parnaíba

04/04/1976 – 4ª Rodada
Botafogo 2×1 Piauí
Comercial 1×6 Tiradentes
Parnaíba 1×0 Flamengo
Auto Esporte 3×1 Fluminense

07/04/1976 – 5ª Rodada
Fluminense 0×1 Parnaíba
Tiradentes 5×1 Piauí

Grupo A
1º Tiradentes – 6
2º Botafogo – 4
3º Piauí – 1
3º Comercial – 1

Grupo B
1º Flamengo – 4
2º Auto Esporte – 4
3º Parnaíba – 4
4º luminense – 0

(*) Flamengo foi primeiro e Auto Esporte foi segundo por sorteio.

2º Turno – Semifinal

11/04/1976 – Jogo Único
Tiradentes 2×0 Auto Esporte
14/04/1976 – Jogo Único
Flamengo 3×1 Botafogo

2º Turno – Final

18/04/1976 – 1º Jogo
Flamengo 0×0 Tiradentes
21/04/1976 – 2º Jogo
Tiradentes 1×4 Flamengo

(*) Flamengo campeão do 2º Turno

3º Turno – 1ª Fase

25/04/1976 – 1ª Rodada
Parnaíba 1×1 Piauí
Botafogo 1×1 Auto Esporte
Comercial 3×1 Fluminense

02/05/1976 – 2ª Rodada
Flamengo 0×0 Botafogo
Comercial 3×1 Piauí
Parnaíba 2×2 Fluminense
05/05/1976 – 2ª Rodada
Tiradentes 0×0 Auto Esporte

09/05/1976 – 3ª Rodada
Flamengo 0×0 Tiradentes
Parnaíba 1×0 Comercial

16/05/1976 – 4ª Rodada
Auto Esporte 0×3 Flamengo
Piauí 2×3 Fluminense
20/05/1976 – 4ª Rodada
Tiradentes 1×1 Botafogo

Grupo A
1º Flamengo – 4
2º Tiradentes – 3
3º Botafogo – 3
4º Auto Esporte – 2

Grupo B
1º Comercial – 4
2º Parnaíba – 4
3º Fluminense – 3
4º Piauí – 1

(*) Tiradentes foi segundo do Grupo A e Comercial foi primeiro do B por sorteio

3º Turno – Semifinal

23/05/1976 – Jogo Único
Flamengo 2×3 Parnaíba
27/05/1976 – Jogo Único
Comercial 2×1 Tiradentes

3º Turno – Final

30/05/1976 – 1º Jogo
Parnaíba 3×0 Comercial
06/06/1976 – 2º Jogo
Comercial 4×2 Parnaíba
10/06/1976 – 3º Jogo
Comercial 0×2 Parnaíba

(*) Parnaíba campeão do 3º Turno

4º Turno – 1ª Fase

12/06/1976 – 1ª Rodada
Botafogo 3×0 Auto Esporte
17/06/1976 – 1ª Rodada
Fluminense 2×3 Piauí
Flamengo 2×1 Comercial

20/06/1976 – 2ª Rodada
Piauí 3×3 Auto Esporte
Botafogo 1×0 Fluminense
Comercial 5×1 Parnaíba

23/06/1976 – 3ª Rodada
Fluminense 2×0 Auto Esporte
Botafogo 0×1 Piauí
27/06/1976 – 3ª Rodada
Flamengo 4×0 Parnaíba

Grupo A
1º Flamengo – 4
2º Comercial – 2
3º Parnaíba – 0

Grupo B
1º Piauí – 5
2º Botafogo – 4
3º Fluminense – 2
4º Auto Esporte – 1

4º Turno – Semifinal
30/06/1976
Piauí 1×1 Comercial [Pro 0-1]
Flamengo 2×0 Botafogo

(*) Flamengo campeão do 4º Turno

4º Turno – Final

04/07/2016 – 1º Jogo
Comercial 0×4 Flamengo
07/07/2016 – 2º Jogo
Flamengo 3×0 Comercial

Final

11/07/1976 – 1º Jogo
Flamengo 2×1 Parnaíba
18/07/1976 – 2º Jogo
Flamengo 1×1 Parnaíba

(*) Flamengo Campeão Piauiense de 1976

Artilheiro
Jorge Costa (Tiradentes) 15 gols

Pontuação        PTS  J   V  E  D   GP   GC
1    Flamengo    36  23  15  6  2   43   13
3    Tiradentes  21  16   8  5  3   44   14
2    Parnaíba    20  18   8  4  6   29   33
4    Botafogo    14  14   5  4  5   18   14
5    Comercial   12  18   5  2 11   22   40
6    Piauí       11  14   3  5  6   19   28
7    Auto Esporte 7  13   2  3  8   13   28
7    Fluminense   7  12   3  1  8   14   32

 

FONTES: Pacotilha O Globo – Lustosa

 

BOTAFOGO E.C. (PI)           2          X         6          VITÓRIA DO MAR F.C.

LOCAL:  Estádio Municipal Lindolfo Monteiro, em Teresina-PI

HORÁRIO: 16h40min.

DATA: Domingo, dia 29 de Maio de 1953

CARÁTER: Amistoso Nacional

RENDA: Cr$ 3.452,00

ÁRBITRO: Francisco Batista, o Moreno (fraca atuação)

AUXILIARES: Geraldo Soeiro e João Pedro

BOTAFOGO: Raimundinho (Edgard); Belinho e Benedito (Maranhão); Parnaibano I, Joaquim e Paisinho; Julio, Maio, Cabeça, Parnaibano II e Raspa (Cavalo Velho).

VITÓRIA DO MAR: Batatais (Dico); Misael e João Cinco; Lourival, Gordo e Lelé; Chapola, Benedito (Abmael), Gafanhoto, Ivan e Lobato. Técnico: Waldemar Almeida

GOLS: Ivan aos 14 minutos (Vitória);  Lobato aos 20 e 28 minutos (Vitória); Cabeça aos 31 minutos (Botafogo), no 1º Tempo. Abmael, por cobertura, aos 5 minutos (Vitória); Gafanhoto aos 23 minutos (Vitória); Ivan aos 28 minutos (Vitória); Benedito, de pênalti, aos 38 minutos (Botafogo), no 2º Tempo.

FONTE: Pacotilha O Globo

 

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

A participação do Ferroviário no Campeonato Piauiense de 1964, foi a primeira de uma equipe da cidade de Floriano numa competição profissional promovida pela Federação Piauiense de Desportos (hoje Federação de Futebol do Piauí).

No jogo extra para definir quem cairia e quem permaneceria na Elite Piauiense, melhor para o Ferroviário que derrotou o Auto Esporte, na capital Teresina, por 2 a 0. Após o apito final, muita festa tanto no campo quanto no Município de Floriano.

 

AUTO ESPORTE               0          X         2          FERROVIÁRIO       

LOCAL: Estádio Lindolfo Monteiro, em Teresina (PI)

DATA: Sexta-feira, 06 de novembro de 1964

CARÁTER: Jogo extra decidindo o rebaixamento

ÁRBITRO: José da Costa Araújo (FPD)

AUTO ESPORTE: Antônio Luiz; Marcos, Amadeu, Deolindo e Quincas; Sabará e Wallace; Pestana, Capote, Ananias e Bicudo.

FERROVIÁRIO: Pompéia; Piqui, Valdivino, Sousa e Pepedro; Fernando e Valdimir; Reginaldo, Cristóvão, Elder e Rômulo.

GOLS: Cristóvão (Ferroviário) no 1º Tempo. Elder (Ferroviário) no 2º Tempo.

 

FONTE: Blog Portal de Floriano - Janclerques Marinho Melo

 

A participação do Ferroviário no Campeonato Piauiense de 1964, foi a primeira de uma equipe da cidade de Floriano numa competição profissional promovida pela Federação Piauiense de Desportos (hoje Federação de Futebol do Piauí). Pela última rodada do returno, Ferroviário recebeu o Auto Esporte, onde a derrota representaria o rebaixamento para um dos dois.

Numa partida tensa e marco por lances ríspidos, as defesas levaram vantagem sobre os ataques. No final, empate em 1 a 1. Com este resultado, foi necessário um jogo extra entre as duas equipes para determinar que cairia para a Segunda Divisão.

 

FERROVIÁRIO                    1          X         1          AUTO ESPORTE  

LOCAL: Estádio José Meireles, em Floriano (PI)

DATA: Domingo, 11 de outubro de 1964

CARÁTER: 6ª Rodada do 2º Turno

RENDA: Cr$ 201.000,00

ÁRBITRO: Valdimir Soares da Silva (FPD)

FERROVIÁRIO: Pompéia; Piqui, Valdivino, Antônio Guarda e Pepedro; Fernando e Valdimir; Reginaldo, Cristóvão, Claudemir e Rômulo.

AUTO ESPORTE: Petrúcio; Marcos, Amadeu, Deolindo e Quincas; Zé Maria e Wallace; Pestana (Ananias), Caboclo, Soares e Bicudo.

GOLS: Bicudo (Auto Esporte) e Cristóvão (Ferroviário)
FONTE: Blog Portal de Floriano - Janclerques Marinho Melo

 

A participação do Ferroviário no Campeonato Piauiense de 1964, foi a primeira de uma equipe da cidade de Floriano numa competição profissional promovida pela Federação Piauiense de Desportos (hoje Federação de Futebol do Piauí). Pela 5ª rodada do returno, enfim, o Ferroviário reencontrou o caminho da vitória ao bater o Caiçara por 2 a 1. Rômulo, que marcou dois gols, foi o destaque da peleja.

 

FERROVIÁRIO                    2          X         1          CAIÇARA    

LOCAL: Estádio José Meireles, em Floriano (PI)

DATA: Domingo, 04 de outubro de 1964

CARÁTER: 5ª Rodada do 2º Turno

RENDA: Cr$ 201.000,00

ÁRBITRO: Renato Barreto de Moraes (FPD)

AUXILIARES: Nelson Oliveira Silva (FPD) e Francisco de Assis Castelo Branco (FPD)

FERROVIÁRIO: Pompéia; Piqui, Valdivino, Antônio Guarda e Pepedro; Fernando e Valdimir; Reginaldo, Cristóvão, Claudemir e Rômulo.

CAIÇARA: Onésio; Napoleão, Mormaço, Cabo Dulce e Prego; Paulo da Banana e Raimundinho Fumaça; Vicentim, Anduiá, Índio e Escurinho.

GOLS: Rômulo, duas vezes (Ferroviário), no 1º Tempo. Anduiá (Caiçara) no 2º Tempo.
FONTE: Blog Portal de Floriano - Janclerques Marinho Melo

 

A participação do Ferroviário no Campeonato Piauiense de 1964, foi a primeira de uma equipe da cidade de Floriano numa competição profissional promovida pela Federação Piauiense de Desportos (hoje Federação de Futebol do Piauí). Pela 4ª rodada do returno, o Ferroviário decepcionou a sua torcida e acabou goleado pelo River pelo placar de 4 a 1. O nome do jogo foi o atacante Pedroca, que balançou as redes adversárias três vezes.

 

FERROVIÁRIO                    1          X         4          RIVER          

LOCAL: Estádio José Meireles, em Floriano (PI)

DATA: Domingo, 27 de Setembro de 1964

CARÁTER: 4ª Rodada do 2º Turno

RENDA: Cr$ 201.000,00

ÁRBITRO: José da Costa Araújo (FPD)

AUXILIARES: Nelson Oliveira Silva (FPD) e Francisco de Assis Castelo Branco (FPD)

FERROVIÁRIO: Pompéia; Piqui, Valdivino, Antônio Guarda e Pepedro; Fernando e Valdimir; Reginaldo, Cristóvão, Claudemir e Rômulo. Técnico: Francisco Bezerra de Souza (Sinhozinho).

RIVER: Caxambu; Gereba, Zé Artur, Filomeno e Zequinha; Giri e Vilmar; Waldeck, Pedroca, Moaci e Carrinho. Técnico: Júlio Marques.

GOLS: Pedroca aos 23 e 28 minutos (River) do 1º Tempo. Pedroca e Carrinho (River); Reginaldo (Ferroviário), no  2º Tempo.

 
FONTE: Blog Portal de Floriano - Janclerques Marinho Melo

 

A participação do Ferroviário no Campeonato Piauiense de 1964, foi a primeira de uma equipe da cidade de Floriano numa competição profissional promovida pela Federação Piauiense de Desportos (hoje Federação de Futebol do Piauí). Na 3ª rodada do returno, o Ferroviário escapou de mais uma derrota. O responsável foi o atacante Reginaldo que marcou o gol aos 43 minutos da etapa final, decretando a igualdade com o Piauí em 1 a 1.

 

PIAUÍ             1          X         1          FERROVIÁRIO

LOCAL: Estádio Lindolfo Monteiro, em Teresina (PI)

DATA: Quarta-feira, 16 de Setembro de 1964

CARÁTER: 3ª Rodada do 2º Turno

RENDA: Cr$ 63.500,00

ÁRBITRO: Antônio Palhano (FPD)

AUXILIARES: José da Costa Araújo (FPD) e Valdimir Soares da Silva (FPD)

PIAUÍ: Zé Barros; Tuíca, Nanô, Manoelzinho e Chico; Zilmar e Bitonho; Chapéu, Sanêga, Carmino e Vagner.

FERROVIÁRIO: Pompéia; Piqui, Sousa, Antônio Guarda e Pepedro; Valdivino e Valdimir; Reginaldo, Paulo, Rômulo e Sadica.

GOLS: Sanêga aos 18 minutos (Piauí); Reginaldo aos 43 minutos (Ferroviário)  do 2º Tempo.

 
FONTE: Blog Portal de Floriano - Janclerques Marinho Melo

 

A participação do Ferroviário no Campeonato Piauiense de 1964, foi a primeira de uma equipe da cidade de Floriano numa competição profissional promovida pela Federação Piauiense de Desportos (hoje Federação de Futebol do Piauí). Na 2ª rodada do returno, o Ferroviário voltou a perder. Desta vez vez para o Flamengo por 3 a 2. Após sair perdendo, o Ferrim conseguiu a virada ainda no primeiro tempo. No entanto, na etapa complementar o foi à vez do Flamengo fazer o vira a vira para conquistar a vitória. O destaque da partida foi o atacante Mano do Flamengo, autor dos três gols do time vencedor.

 

FLAMENGO             3          X         2          FERROVIÁRIO

LOCAL: Estádio Lindolfo Monteiro, em Teresina (PI)

DATA: Quarta-feira, 09 de Setembro de 1964

CARÁTER: 2ª Rodada do 2º Turno

RENDA: Cr$ 187.200,00

ÁRBITRO: Francisco de Assis Castelo Branco (FPD)

AUXILIARES: Antônio Milton Vilanova (FPD) e Valdimir Soares da Silva (FPD)

FLAMENGO: Chiquinho; Zé Carneiro, Maneca, Matintim e Papagaio; Temístocles e Macalé; Maçarico, Mano, Paulinho e Salvador.

FERROVIÁRIO: Pompéia; Popó, Piqui, Antônio Guarda e Pepedro; Valdivino e Valdimir; Reginaldo, Cristóvão, Elder e Rômulo.

GOLS: Mano aos 20 minutos (Fla); Rômulo aos 35 e 44 minutos (Ferroviário) do 1º Tempo. Mano aos Cinco e 25 minutos (Fla) do 2º Tempo.

FONTE: Blog Portal de Floriano - Janclerques Marinho Melo

 

A participação do Ferroviário no Campeonato Piauiense de 1964, foi a primeira de uma equipe da cidade de Floriano numa competição profissional promovida pela Federação Piauiense de Desportos (hoje Federação de Futebol do Piauí). Na 1ª rodada do returno, o Ferroviário abriu o placar, mas acabou sofrendo a virada e acabou derrotado pelo Comercial por 2 a 1.

 

COMERCIAL           2          X         1          FERROVIÁRIO

LOCAL: Estádio Deusdedit de Melo, em Campo Maior (PI)

DATA: Domingo, 06 de Setembro de 1964

CARÁTER: 1ª Rodada do 2º Turno

RENDA: Cr$ 192.900,00

ÁRBITRO: José da Costa Araújo (FPD)

COMERCIAL: Beroso; Edson, Smith, Galo e Sapato; Hugo e Quinha; Curniça, João Catita, Radiê e Valdir.

FERROVIÁRIO: Pompéia; Zezeca, Piqui, Antônio Guarda e Pepedro; Parnaibano e Valdimir; Reginaldo, Cristóvão, Rômulo e Dos Santos.

GOLS: Reginaldo (Ferroviário) e Radiê  e João Catita (Comercial)

FONTE: Blog Portal de Floriano - Janclerques Marinho Melo

 

A participação do Ferroviário no Campeonato Piauiense de 1964, foi a primeira de uma equipe da cidade de Floriano numa competição profissional promovida pela Federação Piauiense de Desportos (hoje Federação de Futebol do Piauí). Na sexta rodada, o Ferroviário enfrentou uma das forças do Estado e conquistou um empate em 1 a 1 com o River. O time perdia até os 42 minutos da etapa final, quando Paulo marcou o tento de empate.

 

RIVER           1          X         1          FERROVIÁRIO

LOCAL: Estádio Lindolfo Monteiro, em Teresina (PI)

DATA: Quarta-feira, 19 de Agosto de 1964

CARÁTER: Última Rodada do 1º Turno

RENDA: Cr$ 192.900,00

ÁRBITRO: Severiano Alves Teixeira (FPD)

AUXILIARES: Raimundo Barreto de Moraes (FPD) e Antônio Palhano (FPD)

RIVER: Manoelzinho; Zequinha, Astolfo, Filomeno e Ivanildo; Giri e Vilmar; Tamundó, Carrinho, Tassu e Rudinha.

FERROVIÁRIO: Pompéia; Zezeca, Piqui, Antônio Guarda e Pepedro; Parnaibano e Valdimir; Reginaldo, Paulo, Cristóvão e Sadica.

GOLS: Tassu aos 28 minutos (River) do 1º tempo. Paulo aos 42 minutos (Ferroviário) do 2º Tempo.

 

FONTE: Blog Portal de Floriano - Janclerques Marinho Melo

 

A participação do Ferroviário no Campeonato Piauiense de 1964, foi a primeira de uma equipe da cidade de Floriano numa competição profissional promovida pela Federação Piauiense de Desportos (hoje Federação de Futebol do Piauí). Na quinta rodada, o Ferroviário voltou a perder, fora de casa. Dessa vez para o Caiçara por 2 a 1.

 

CAIÇARA     2          X         1          FERROVIÁRIO

LOCAL: Estádio Deusdedit de Melo, em Campo Maio (PI)

DATA: Domingo, 09 de Agosto de 1964

CARÁTER: Quinta Rodada, do 1º Turno

RENDA: Cr$ 133.400,00

ÁRBITRO: Valdimir Soares da Silva (FPD)

AUXILIARES: Renato Barreto de Moraes (FPD) e Severiano Alves Teixeira (FPD)

CAIÇARA: Coló; Napoleão, Mormaço (Valter), Cabo Dulce e Prego; Paulo da Banana e Raimundinho Fumaça; Ditoso, João de Deus, Anduiá e Escurinho.

FERROVIÁRIO: Pompéia; Popó, Piqui, Teles (Antônio Guarda) e Pepedro; Parnaibano e Paulo; Reginaldo, Cristóvão, Antônio Luiz e Valdimir.

GOLS: Raimundinho Fumaça (Caiçara) no 1º tempo; Reginaldo (Ferroviário) e Anduiá (Caiçara) no 2º Tempo.

FONTE: Blog Portal de Floriano - Janclerques Marinho Melo

 

A participação do Ferroviário no Campeonato Piauiense de 1964, foi a primeira de uma equipe da cidade de Floriano numa competição profissional promovida pela Federação Piauiense de Desportos (hoje Federação de Futebol do Piauí). Enfim, na quarta rodada, veio a primeira vitória. Jogos diante da sua torcida o Ferroviário venceu o Comercial por 2 a 1.

 

FERROVIÁRIO        2          X         1          COMERCIAL

LOCAL: Estádio José Meireles, em Floriano (PI)

DATA: Domingo, 02 de Agosto de 1964

CARÁTER: Quarta Rodada, do 1º Turno

RENDA: Cr$ 124.400,00

ÁRBITRO: Severiano Alves Teixeira (FPD)

AUXILIARES: Nelson Oliveira Silva (FPD) e Cláudio Ramos (FPD)

FERROVIÁRIO: Pompéia; Popó, Piqui, Teles e Pepedro; Parnaibano e Paulo; Cristóvão, Reginaldo, Antônio Luiz e Valdemar.

COMERCIAL: Beroso; Edson, Smith, Galo e Zé Ivan; Hugo e Quinha; Radiê, Zeca, Valdir e Negrote (Curniça).

GOLS: Cristóvão aos sete minutos (Ferroviário); Antônio Luiz aos 29 minutos (Ferroviário) do 1º Tempo. Curniça aos 35 minutos (Comercial) do 2º Tempo.

FONTE: Blog Portal de Floriano - Janclerques Marinho Melo

 

A participação do Ferroviário no Campeonato Piauiense de 1964, foi a primeira de uma equipe da cidade de Floriano numa competição profissional promovida pela Federação Piauiense de Desportos (hoje Federação de Futebol do Piauí). Na terceira, sendo a  1ª como visitante, o Ferroviário acabou sofrendo uma goleada para o Auto Esporte por 5 a 0, na capital piauiense..

 

AUTO ESPORTE   5          X         0          FERROVIÁRIO

LOCAL: Estádio Lindolfo Monteiro, em Teresina (PI)

DATA: Quarta-feira, 29 de Julho de 1964

CARÁTER: Terceira Rodada, do 1º Turno

RENDA: Cr$ 116.000,00

ÁRBITRO: Antônio Milton Vilanova (FPD)

AUXILIARES: Osvaldo Viana (FPD) e Severiano Alves Teixeira (FPD)

AUTO ESPORTE: Antônio Luis; Amadeu, Marcos, Delmiro e Quincas; Zé Maria e Zequinha; Pestana, Capote, Zé Augusto e Bicudo.

FERROVIÁRIO: Pompéia; Popó; Antônio Ulisses, Teles e Pepedro; Paulo e Valdimir; Reginaldo, Sinésio, Sadica (João Alfredo) e Cristóvão.

GOLS: Bicudo aos 35 minutos do 1º tempo; Capote aos 15 e 20 minutos; Zé Augusto aos 33; e Pestana aos 35 minutos do 2º tempo.

 

FONTE: Blog Portal de Floriano - Janclerques Marinho Melo

 

A participação do Ferroviário no Campeonato Piauiense de 1964, foi a primeira de uma equipe da cidade de Floriano numa competição profissional promovida pela Federação Piauiense de Desportos (hoje Federação de Futebol do Piauí). Na sua segunda partida, novamente nos seus domínios, seguiu sem vencer. Ficou no empate em 2 a 2 com o Piauí.

 

FERROVIÁRIO        2          X         2          PIAUÍ

LOCAL: Estádio José Meireles, em Floriano (PI)

DATA: Domingo, 19 de Julho de 1964

CARÁTER: Segunda Rodada, do 1º Turno

RENDA: Cr$ 157.800,00

ÁRBITRO: Antônio Milton Vilanova (FPD)

AUXILIARES: Nelson Oliveira Silva (FPD) e Clóvis Ramos (FPD)

CARTÕES VERMELHOS: Bitonho (Piauí); Cristóvão (Ferroviário)

FERROVIÁRIO: Bucar; Popó, Antônio Ulisses, Teles e Pepedro; Parnaibano e Valdemir; Cristóvão, Sadica, Sinésio e Paulo II (Antônio Luiz).

PIAUÍ: Zé Barros (Zé Alberto); Tuíca, Nanô, Manoelzinho (Sibiata) e Chico Dedão; Nonato Leite e Bitonho; Sanêga, Chapéu, Carmino e Zilmar.

GOLS: Sinésio aos 12 minutos (Ferroviário); Sibiata aos 27 minutos (Piauí) do 1º tempo; Cristóvão 10 minutos (Ferroviário) e Sanêga 30 minutos (Piauí) do 2º tempo.

 

FONTE: Blog Portal de Floriano - Janclerques Marinho Melo

 

A participação do Ferroviário no Campeonato Piauiense de 1964, foi a primeira de uma equipe da cidade de Floriano numa competição profissional promovida pela Federação Piauiense de Desportos (hoje Federação de Futebol do Piauí). Na sua estreia acabou sendo derrotado, em casa, pelo Flamengo pelo placar de 2 a 1. O destaque foi o atacante Paulinho, autor dos dois gols dos visitantes.

 

FERROVIÁRIO        1          X         2          FLAMENGO

LOCAL: Estádio José Meireles, em Floriano (PI)

DATA: Domingo, 12 de Julho de 1964

CARÁTER: Primeira Rodada, do 1º Turno

RENDA: Cr$ 237.400,00

ÁRBITRO: Antônio Milton Vilanova (FPD)

AUXILIARES: Nelson Oliveira Silva (FPD) e Clóvis Ramos (FPD)

FERROVIÁRIO: Bucar; Zezeca, Antônio Ulisses, Teles e Pepedro; Parnaibano e Reginaldo; Cristóvão, Sadica, Valdimir (Paulo II) e Dos Santos.

FLAMENGO: Chiquinho; Zé Carneiro, Maneca, Vitor e Papagaio; Itamar e Macalé; Maçarico, Matintim, Paulinho e Fernando.

GOLS: Paulinho 42 minutos do 1º tempo (Fla); Paulinho 19 minutos (Fla) e Cristóvão 45 minutos (Ferroviário) do 2º tempo.

 

FONTE: Blog Portal de Floriano - Janclerques Marinho Melo

 

Mais uma lacuna solucionada! Trata-se do Ferroviário Atlético Clube, que foi uma agremiação da cidade de Floriano (PI). O rubro-negro foi Fundado no dia do Trabalhador, em  1º de Maio de 1950, por desportistas Antonio Cloves Ramos (carnavalesco) e Adauto. O melhor time de Floriano de todos os tempos, o Ferroviário estreou com uma fantástica vitória sobre o famoso Artístico por 2 a 1. Época romântica. A equipe jogava, nessa fase, com Adauto, Aceno, Nascimento, Carlos Barbeiro, Helio Castro (médico) e Euvaldo Angeline; Nelson, Zé Alves, Assis Bonitinho, Abdon Barguil e Neném Mão de Vaca.

Em 1951, tinha os piolhos de bola Zé Pulu, Ferré, Chico Mateus,Guilherme Magarefe, Hugo Leal (da rua do Fogo), Balaio, Zezinho, Omar, Adauto e Américo. No final dos anos cinqüenta, outros jogadores foram contratados na administração do doutor Nazareno Araújo, tipo: Sadica, Colega, Cassaco, Pepedro, Valdomiro e Mário Besta Brava.

Formação do time na década de 1960: Cajazeira, Fortaleza, Sinézio, Raimundo Fumaça, Pepedro, Popó, Dodó ( goleiro ), Antonio Ulisses ( o Pelado ), Carlos Augusto, Zezeca e Valter Moleza.

TRÊS PARTICIPAÇÕES NA ELITE PIAUIENSE

Disputava, mais tarde, o Campeonato Piauiense da 1ª Divisão, em 1964, 1965 e 1966. O time de 1964: Piqui, Valdemir, Valdevino, Pompéia, Zezeca, Pepedro, Cabeção, Rômulo, Tassu, Bitonho, Antonio Luís Moreira, Veludo, Vicentinho e Zequinha.

RESUMO DA CAMPANHA DE 1964

13 jogos

3 vitórias

4 empates

6 derrotas

10 pontos ganhos

17 gols marcados

25 gols sofridos

-8 gols de saldo

ARTILHEIROS

5 gols – Cristóvão.

4 gols – Rômulo e Reginaldo.

1 gol – Sinésio, Antônio Luiz, Paulo e Elder

JOGADORES UTILIZADOS

13 jogos – Pepedro e Valdimir.

12 jogos – Reginaldo e Cristóvão.

11 jogos – Pompéia (goleiro).

10 jogos – Piqui.

8 jogos – Antônio Guarda.

7 jogos – Rômulo.

6 jogos – Parnaibano e Valdivino.

5 jogos – Paulo, Sádica, Teles e Popó.

4 jogos – Fernando.

3 jogos – Antônio Ulisses, Claudemir, Zezeca e Antônio Luis.

2 jogos – Bucar (goleiro), Sinésio, Elder, Sousa, Dos Santos e Paulo II.

1 jogo – João Alfredo.

 

CELEIRO DE CRAQUES

Outros jogadores que fizeram história no Ferroviário: Parnaibano (locutor), Poncion (estilista), Galo Mago, Sinésio, João Maio, Maranhão, Nico, Magro,.  Grilo, Chapéu, Domício (este veio do América de Petrolina e tinha um chute fortíssimo de esquerda), Reginaldo, Elder, Sostenes, Netinho (quarto zagueiro), Valdivino, Domingos, Liro, Lino (este último foi o jogador mais caro que o Ferrim teve: ganhou uma geladeira movida a querosene, causando grande inveja entre os demais atletas, já que naquele tempo era raro quem possuía este eletrodoméstico).

Outros jogadores que se sobressaíram durante o período romântico: Adauto, Arsênio, Nelson Oliveira (goleiraço), Vilmar Oliveira (professor Vilmar/melhor atacante do Piauí), Fenelon Brasileiro, Balduíno, João Batista Mendes, Chico Pereira e Binda.

Com relação aos seus diretores, tivemos Deusdete Pereira, Francisco Delmiro de Araújo (Nilton das Casas das Roupas), Merval Lúcio da Silva, Nazareno Araújo, Tibério Nunes e José Meireles (nome dado ao estádio do Ferrim).

Fonte e Foto: Blog Portal de Floriano - Janclerques Marinho Melo

 

 

 

Para completar a série dos novatos do Piauí, segue o escudo da Associação Atlética de Altos, da cidade homônima. No escudo aparece 2015 como data de fundação.

 

O clube também disputará a segunda divisão do Piauí, que tem os seguintes jogos na primeira rodada:

26/09/2015 – Sábado – 1ª Rodada
Picos x Oeiras 20:00 Helvídio Nunes de Barros, Picos/PI, Brasil
Timon x Altos 17:00 Miguel Lima, Timon/MA, Brasil
27/09/2015 – Domingo – 1ª Rodada
Racing x Comercial 16:00 Luizão, Água Branca/PI, Brasil

O campeonato será disputado em 2 turnos e os 2 melhores sobem para a primeira divisão em 2016.

Fonte: FFP

 

Segue mais um novo integrante do futebol profissional. Trata-se do Racing FC, com sede administrativa em Teresina mas que mandará seus jogos do campeonato piauiense da 2ª divisão na cidade de Água Branca.

O campeonato iniciará em 26/09 e têm 6 participantes:

AA dos Altos (Altos)

Racing FC (Teresina mas jogará em Água Branca)

Comercial AC (Campo Maior)

SE de Picos (Picos)

EC Timon (Teresina mas jogará em Timon/MA)

Oeiras AC (Oeiras)

Fonte: http://blogdojonys.blogspot.com.br/

 

Não…eu não confundi. Está lá na primeira rodada da tabela da 2ª divisão piauiense:

EC Timon x AA Altos (26/09/2015 em Timon/MA, às 17:00hs).

Com isso, segue abaixo o escudo do novo clube piauiense. Sim: o clube está registrado com sede em Teresina e não tem relação com o Timon EC.

Para confundir ainda mais, ele mandará seus jogos no estádio Miguel Lima, em Timon no Maranhão.

Segundo a fonte, o clube da capital homenageou a cidade do estado vizinho, separada do Piauí pelo Rio Parnaíba.

Fonte: http://blogdojonys.blogspot.com.br/

 

 

 

A Associação Atlética Corisabbá é uma agremiação da cidade de Floriano (PI). O ‘Cori’ foi Foi Fundado em 24 de maio de 1973 e seu nome tem origem na fusão de dois clubes amadores da cidade: o Corinthians (Cori) e o Auto-Posto Sabbá (Sabbá). Seu uniforme é composto de camisa com listras verticais pretas e brancas, calção preto e meias brancas. Manda seus jogos no Estádio Tibério Barbosa Nunes, o “Tiberão”, com capacidade para 4.500 espectadores.

A maior glória foi o título inédito do Campeonato Piauiense de 1995. Graças a essa conquista estadual, o Corisabbá garantiu a primeira e única, até então, participação numa competição de nível nacional. O clube ficou conhecido nacionalmente quando na primeira fase da Copa do Brasil de 1996 quando derrotou, no jogo de ida, o Botafogo por 1 a 0. Na época o Clube da Estrela Solitária, então campeão brasileiro, conseguiu a classificação para a próxima fase, pois no no jogo de volta, no Rio de Janeiro, bateu a equipe de Floriano pelo placar de 3 a 0.

 

 HINO DO ASSOCIAÇÃO ATLÉTICO CORISABBÁ

Cori! Cori! Eu sou louco por ti!
Cori- Sabbá! Eu sempre vou te amar
 
Cori! Cori! Eu sou louco por ti!
Cori- Sabbá! Pra sempre vou te amar

Mil novecentos e setenta e três a união considerou o maior do Piauí 
Cori-Sabbá, sou louco por ti!
Mil novecentos e setenta e três e eu te conheci
 
o maior entre os maiores do Estado do meu Piauí: Cori!

Cori! Cori! Eu sou louco por ti!
Cori- Sabbá Eu sempre vou te amar!

Navegando em águas do meu Parnaíba que eu te conheci
Vindo da minha eterna Princesa do Sul dominaste o Piauí
És o primeiro eterno e único agora
É por isso que eu te amo
 
Na segunda cidade mais linda do mundo, a cidade de Floriano. Cori!

Cori! Cori! Eu sou louco por ti 
Cori-Sabbá, eu sempre vou te amar
 

Eu tenho um orgulho guardado no peito quando eu te vejo jogar
Quando balança as redes, sei que és tu, oh Cori-Sabbá
A batalha é tão grande é tão dura a missão, mas sei que é de conquistar
Eu solto o grito do meu coração: Cori-Sabbá é campeão! Cori!

Cori, cori! Eu sou louco por ti 
Cori- Sabbá, eu sempre vou te amar
 
Cori! Cori! Eu sou louco por ti
 
Cori- Sabbá, pra sempre vou te amar

Cori, cori! Eu sou louco por ti 
Cori- Sabbá, eu sempre vou te amar
 
Cori! Cori! Eu sou louco por ti
 
Cori- Sabbá, pra sempre vou te amar

 

FONTE: Wikipédia – YouTube

 

Oi Sérgio, segue duas fotos com o novo escudo do clube piauiense.

Esse escudo você já conhecia?

abs

 

Charles Miller sempre é lembrado como o introdutor do futebol do Brasil. Ainda que ele não tenha sido o pioneiro a bater a sua bolinha por aqui, ele merece todas as considerações. Afinal, ao trazer a bola e as regras da Inglaterra, o paulistano ajudou a institucionalizar o esporte. Porém, chamar o homem de longos bigodes “apenas” de pai do futebol brasileiro é desconsiderar toda a sua caminhada. Miller era muito, mas muito mais do que isso. Ele também se consagrou como o primeiro craque e o primeiro artilheiro do Brasil, assim como também foi decisivo para criar o primeiro time e o primeiro campeonato.

Nos parágrafos abaixo mostram pontos históricos para o desenvolvimento do futebol brasileiro. Além de locais de jogo, também estão destacados os primeiros clubes que fizeram a história do futebol no país.

SÃO PAULO
Associação Atlética Ponte Preta (Campinas-SP)
O segundo clube mais antigo ainda em atividade e o primeiro de maneira ininterrupta, a Ponte Preta surgiu em 1900. Também foi um dos primeiros times brasileiros a escalar jogadores negros.

Colégio São Luís (Itú-SP)
No prédio onde hoje funciona um quartel do exército, existia o Colégio São Luís. O local é considerado um dos primeiros a trazer o futebol para o Brasil, ainda na década de 1880. O esporte ganhou os seus principais traços no local em 1887.

Parque Antarctica (São Paulo-SP)
O atual terreno do Allianz Parque recebeu a primeira partida oficial da história do futebol brasileiro. Mandante no campo da Companhia Antarctica Paulista, o Germânia foi derrotado pelo Mackenzie, na rodada inicial do Paulistão de 1902.

Associação Atlética das Palmeiras (São Paulo-SP)
O Estádio da Floresta era um dos principais no início do futebol paulista. Era a casa inicial da A. A. das Palmeiras, que daria origem ao São Paulo da Floresta. Atualmente, o antigo estádio pertence ao Clube de Regatas Tietê.

Chácara Dulley (São Paulo-SP)
Antes do início do Campeonato Paulista, o campo era o principal palco de jogos de futebol no país. No local eram realizados os treinamentos do São Paulo Athletic Club, sob a batuta de Charles Miller. Atualmente, no terreno funciona a Fatec da Avenida Tiradentes, no bairro do Bom Retiro.

Sport Club Internacional (São Paulo-SP)
Formado em 1899 por dissidentes do Germânia, que não concordavam com as referências alemãs diante da presença de outros imigrantes no clube. Disputou a primeira edição do Paulista, ao lado de SPAC, Germânia, Mackenzie e Paulistano.

Várzea do Carmo (São Paulo-SP)
O local da primeira partida da história do futebol brasileiro, em 14 de abril de 1895. Atualmente, o local às margens do rio Tamanduateí é ocupado por prédios comerciais do bairro do Brás.

Associação Atlética Mackenzie College (São Paulo-SP)
Os universitários do Mackenzie fundaram o primeiro clube brasileiro para a prática do futebol, em 1898. Entre os pioneiros estava Belfort Duarte, jogador histórico e também líder do America-RJ. A equipe encerrou suas atividades em 1923.

Estádio do Velódromo (São Paulo-SP)
Onde hoje passa a rua Nestor Pestana ficava o Estádio do Velódromo, considerado o primeiro do Brasil. Inaugurado em 1892 para o ciclismo, foi adaptado ao futebol em 1901 e tinha capacidade para 5 mil espectadores.

São Paulo Athletic Club (São Paulo-SP)
O primeiro clube a jogar futebol no Brasil. Fundado em 1888, principalmente para a prática de críquete, era a equipe de Charles Miller e venceu as três primeiras edições do Campeonato Paulista. Seus treinos e primeiros amistosos eram realizados na Chácara Dulley, no Bom Retiro. Atualmente, segue em atividades amadoras poliesportivas.

Club Athletico Paulistano (São Paulo-SP)
Fundado em 1900, tornou-se o maior campeão paulista durante o amadorismo, superado pelo Corinthians apenas em 1939. Com a camisa da equipe que Friedenreich viveu os seus melhores momentos.

Sport Club Germânia (São Paulo-SP)
O atual Esporte Clube Pinheiros  surgiu em 1899 e é o segundo clube fundado para a prática de futebol, a partir dos esforços de Hans Nobling – que atuava em um clube homônimo na Alemanha. Naquele mesmo ano, desafiou o Mackenzie para a primeira partida entre clubes da história do país, um empate por 0 a 0.

Campo da Vila de Paranapiacaba (Ribeirão Pires-SP)
No caminho da estrada de ferro que ligava São Paulo ao porto de Santos, o campo é considerado o mais antigo do Brasil, surgido em 1894.

Americano Sport Club (Santos-SP)
Fundado em 1903, se tornou um dos primeiros times de fora da capital a disputar o Paulista, em 1907, ao lado do conterrâneo Internacional. O clube de Santos acabaria se mudando a São Paulo na década seguinte. Foi o primeiro brasileiro a vencer um time estrangeiro, em 1911, e o primeiro a excursionar pelo exterior, em 1913.

RIO DE JANEIRO
Fábrica Bangu (Bangu-RJ)
Local onde o escocês Thomas Donohoe bateu bola com os funcionários da Fábrica Bangu em 1894. A empresa também deu origem ao Bangu Atlético Clube, em 1904, sétimo clube mais antigo do país ainda em atividade e um dos primeiros clubes brasileiros a aceitar negros.

Rio Cricket Associação Atlética (Niterói-RJ)
A filial de Niterói do Rio Cricket carioca se tornou uma dissidência da matriz e, em 1901, disputou em sua sede aquela que é considerada a primeira partida da história do futebol carioca. Também contou com a participação de Oscar Cox.

Marina da Glória (Rio de Janeiro-RJ)
No terreno onde hoje funciona o Hotel Glória, aconteceu aquele que é considerado um dos primeiros bate-bolas relatados no Brasil, em 1874. Marinheiros ingleses realizaram a pelada no local, mas levaram a bola consigo.

Rua Paissandu (Rua Paissandu)
Em frente à residência real de Princesa Isabel, os tripulantes do navio Crimeia realizaram uma pelada em 1874. O mesmo endereço abrigou o primeiro estádio do Flamengo, a partir de 1915.

Fluminense Football Club (Rio de Janeiro-RJ)
Em 1902, Oscar Cox também ajudou a fundar o Fluminense, primeiro “clube de futebol” do Brasil a registrar suas atividades no nome. Também o primeiro dos 12 grandes a praticar a modalidade (Flamengo e Vasco já existiam, mas apenas como clubes de regatas). O Estádio das Laranjeiras abrigou o primeiro jogo da Seleção.

Botafogo de Futebol e Regatas (Rio de Janeiro-RJ)
O Botafogo é o oitavo clube de futebol mais antigo do país ainda em atividade, iniciando o seu time de futebol em 1904. Logo criou o clássico mais antigo em disputa, contra o Fluminense. O Estádio de General Severiano abrigou jogos dos combinados que originariam a seleção brasileira.

Paissandú Atlético Clube (Rio de Janeiro)
Fundado em 1872, o antigo Rio Cricket foi o primeiro clube a praticar o futebol no Rio de Janeiro. O principal pioneiro do esporte na capital foi Oscar Cox, filho de ingleses que estudou na Suíça e introduziu efetivamente as regras. Antes de sua chegada, alguns amistosos entre imigrantes já eram realizados no clube.

PARANÁ
Foot-ball Club Ponta-Grossense (Ponta Grossa-PR)
No campo próximo ao cemitério municipal de Ponta Grossa se disputou o primeiro jogo do futebol paranaense, em 1909 – desde o início da década, há registros de “bate-bolas” em Curitiba. O clube local recebeu o embrião Coritiba e venceu por 1 a 0, gol de Charles Wright, considerado o introdutor do futebol no estado.

Coritiba Foot-ball Club (Curitiba-PR)
Após o amistoso em Ponta Grossa, os curitibanos que participaram da partida resolveram criar o paranaense mais antigo ainda em atividade e o primeiro da capital. Em outubro de 1909, um grupo de descendentes de alemães fundou o Coritiba.

SANTA CATARINA
Gymnasio Santa Catharina (Florianópolis-SC)
A introdução do futebol em Santa Catarina se deu a partir do colégio, em 1906. O local permaneceu como único centro que praticava a modalidade no estado até 1911.

Brazilian Foot-Ball Club (Florianópolis-SC)
Em junho de 1911, o primeiro clube de futebol catarinense além do ginásio: o Brazilian. Nos meses seguintes, também nasceram o Barriga Verde Foot Ball Club e o Clube Sportivo Florianópolis, na capital, além do Itajahyense Football Clube, em Itajaí. Time mais antigo do estado na ativa, o Hercilio Luz foi criado em 1918.

RIO GRANDE DO SUL
Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense (Porto Alegre-RS)
Após uma série de amistosos do Rio Grande em Porto Alegre, em 1903, surgiu o clube mais antigo de Porto Alegre ainda em atividade. No mesmo dia, também foi fundado o Fussball Club Porto Alegre, já extinto. O Tricolor é o sexto time mais antigo do país que segue na ativa.

Sport Club Rio Grande (Rio Grande-RS)
O clube mais antigo do Brasil em atividade (mas não de maneira contínua) surgiu em 19 de julho de 1900, na cidade de Rio Grande. Reuniu brasileiros, alemães e ingleses, sob a liderança de Johannes Minnemann.

Esporte Clube 14 de Julho (Santana do Livramento-RS)
A influência uruguaia permitiu que o 14 de Julho se tornasse o segundo clube gaúcho (e quarto no Brasil) ainda em atividade a disputar a sua primeira partida de futebol, em 1902.

Uruguaiana (Uruguaiana-RS)
A cidade fronteiriça, assim como Santana do Livramento, possui indícios de partidas de futebol desde o início da década de 1890. Os eventos ocorreram sob influência de uruguaios e argentinos, já iniciados no esporte.

MINAS GERAIS
Sport Club Foot-Ball (Belo Horizonte-MG)
O primeiro clube de futebol de Minas Gerais surgiu em 1904, fundado por Victor Serpa. Os estudantes que formavam a equipe também ajudaram a realizar a primeira edição do Campeonato de Belo Horizonte. Foi o primeiro adversário do Atlético Mineiro, em 1908.

Clube Atlético Mineiro (Belo Horizonte-MG)
Fundado por um grupo de estudantes e de proletários, o Atlético é o clube mineiro mais antigo em atividade. Surgiu em 1908, mas só entrou em campo pela primeira vez no ano seguinte.

Villa Nova Atlético Clube (Nova Lima-MG)
Segundo clube mais antigo de Minas Gerais ainda em atividade, logo depois do Atlético Mineiro, compensou sendo o primeiro a entrar em campo, em 1908. Teve sua origem entre mineradores e operários ingleses.

ESPÍRITO SANTO
Vitória Futebol Clube (Vitória-ES)
Inspirados pelo Fluminense, um grupo de estudantes capixabas que voltou de férias à Vitória criou o primeiro time de futebol do Espírito Santo. O clube, no entanto, não tinha sede e se constituía a partir da iniciativa de seus membros.

BAHIA
Sport Club Bahiano (Salvador-BA)
No antigo Campo da Pólvora, aconteceu o primeiro jogo da história do futebol baiano, organizado por Zuza Ferreira. Já em 1903, funcionários do comércio fundaram o Sport Club Bahiano, participante da primeira edição do estadual, dois anos depois.

Sport Club Victória (Salvador-BA)
O Vitória surgiu como um clube de críquete em 1899, iniciando suas atividades no futebol apenas dois anos depois. Assim, segue como o time de futebol mais antigo do Nordeste e o terceiro do Brasil que mantém-se atuante.

SERGIPE
Sport Club Lux (Aracajú-SE)
Os primeiros relatos de jogos de futebol em Aracaju datam de 1907. Dois anos depois, um grupo de estudantes criou o Sport Club Lux, depois renomeado para Club de Football Sergipano, equipe pioneira no estado.

ALAGOAS
Sport Club Penedense (Penedo-AL)
O futebol já tinha surgido de maneira esporádica em Maceió, mas o primeiro clube perene de Alagoas é o Penedense. A equipe surgiu em 1909, um ano depois do extinto Alagoano Football Club, da capital.

PERNAMBUCO
Sport Club do Recife (Recife-PE)
O Sport segue como o clube mais antigo de Pernambuco ainda em atividade, disputando o seu primeiro jogo em 1905. Os primeiros relatos do esporte no estado vêm de 1903, em peladas realizadas por imigrantes ingleses que viviam em Recife. Embora tenha sido fundado em 1901, o Náutico só iniciou o futebol oito anos depois.

PARAÍBA
Club de Foot Ball Parahyba (João Pessoa-PB)
Os primeiros registros do futebol na Paraíba vêm de 1908, quando estudantes trouxeram a bola e as regras do Rio de Janeiro. A iniciativa impulsionou a criação do Parahyba, presente na primeira partida do estado.

RIO GRANDE DO NORTE
Sport Club Natalense (Natal-RN)
A primeira bola de futebol chegou em Natal pelas mãos de dois irmãos que estudavam na Inglaterra. A partir disso, o Natalense surgiu em 1904. A maior organização do futebol portiguar, contudo, se deu em 1915, ano de fundação do ABC, do Alecrim e do América.

CEARÁ
Football Club (Fortaleza-CE)
Há divergências sobre as origens do futebol cearense, entre a passagem de um clube inglês em 1903 e a chegada da primeira bola, com José Silveira, no ano seguinte. No primeiro dia de 1904, no entanto, apareceu o primeiro time de futebol do Ceará, o Football Club.

PIAUÍ
Parnahyba Sport Club (Parnaíba-PI)
Clube mais antigo do Piauí que segue em atividade, o Parnahyba foi criado em 1913. Inspirado nos estádios ingleses, o Estádio Petrônio Portela foi inaugurado em 1920 e era conhecido como Casa Inglesa.

MARANHÃO
Fabril Athletic Club (São Luis-MA)
Nhozinho Santos, que hoje dá nome um dos principais estádios do Maranhão, levou o futebol ao estado em 1905. Após estudar na Inglaterra, trouxe a novidade aos funcionários da fábrica têxtil onde trabalhava. Assim, criou-se o Fabril, que disputou o primeiro jogo em 1907.

PARÁ
Largo de Nazaré (Belém-PA)
O local no centro de Belém tem seus relatos de bate-bolas em 1890, antes mesmo da chegada de Charles Miller. Os rachões eram organizados por imigrantes ingleses que viviam na capital paraense.

AMAZONAS

Na ilustração: Disputa entre Brazil e Racing Club

Racing Club (Manaus-AM)
Fundado em 1906, o Racing foi idealizado por José Conduru Pacheco, maranhense que teve contato com o futebol em Manaus. Meses depois surgiu o Manáos Sport Club, criado por ingleses e principal rival do Racing.

ACRE
Xapury Sport Club (Xarupi-AC)
Os primeiros registros de futebol no Acre vêm de 1912, na cidade de Xapuri. Por lá, surgiram os dois primeiros clubes, o Xapury Sport Club e o Commercial Football Club, em 1915. Quatro anos depois, a capital Rio Branco teria as suas equipes pioneiras – o Acreano e o Rio Branco.

MATO GROSSO
Cuiabá Futebol Clube (Cuiabá-MT)
O futebol se iniciou no antigo estado de Mato Grosso em 1905. Entre 1911 e 1915, surgiram as equipes pioneiras da região: Americano, Paulistano, Royal, Internacional e Cuiabá Futebol Clube. O primeiro jogo, no terreno que hoje abriga a Câmara Municipal de Cuiabá, em 1913, com vitória do Cuiabá sobre o Internacional.

GOIÁS
Goyaz Football Club (Goiânia-GO)
As primeiras notícias do futebol em Goiás surgem em 1907, a partir da iniciativa de estudantes. Dois anos depois, fundou-se a primeira equipe da história do estado: o Goyaz Football Club. Além disso, o esporte também se desenvolvia em colégios de cidades do interior, como Catalão.

FONTE: O nascimento do futebol brasileiro em Itu (SP)
Futebol Nacional
Endereços desconhecidos em São Paulo guardam a história do futebol brasileiro
ESTADUAIS 2014 – SÃO PAULO – TODOS OS CAMPEÕES
Um passeio pelas origens do futebol brasileiro no aniversário de São Paulo
Documentário – Estádios Extintos
(SPAC) O CLUBE DOS INGLESES “120 anos de tradição”
Craque, artilheiro, técnico, cartola: Charles Miller não foi só o “pai do futebol no Brasil”
Serra do Mar: Paranapiacaba e Estrada Velha de Santos – Perguntas e Respostas
Fotos antigas do Rio de Janeiro
Parque Municipal: Berço do futebol mineiro
CAMPO DO COLÉGIO CATARINENSE – 100 ANOS

 

Amigos, boa tarde e bom feriado.

Encontrei um blog, onde algumas informações históricas sobre o futebol piauiense podem ser encontradas. Uma delas foi uma foto do Botafogo do Piauí, clube que disputou o estadual nos anos 50 e 60. Segue abaixo a foto:

Link da fonte: http://pinganaarea.blogspot.com.br/search?updated-max=2015-03-16T04:41:00-07:00&max-results=7

 

Segue mais uma federação!!

Artistico FC Teresina
Auto Esporte Clube Teresina
Botafogo EC Teresina
EC Flamengo Teresina
Fluminense EC Teresina
Piaui EC Teresina
Rio Negro EC Teresina
River AC Teresina
Caiçara EC Campo Maior
Comercial AC Campo Maior
Ferroviario AC Floriano
Parnaiba SC Parnaíba

© 2017 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha