FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

Clube Atlético Monte Alegre (Monte Alegre - PR) - 1952

 

Associação Esportiva Jacarezinho (Jacarezinho-PR) - 1952

 

Esporte Clube Água Verde (Curitiba-PR) - 1952

 
BRITÂNIA SC (CURITIBA – PR)

4

BE MORGENAU (CURITIBA – PR)

0

Data: 01 de outubro de 1952 Local: Curitiba – PR
Juiz: Jonas de Oliveira Caráter: Amistoso Nacional
Gols: Cajinho, Eliseu, Joãozinho e Martineez
Britânia(PR): Luiz Borracha; Itazir e Nico; Betini, Ulisses e Café; Joãozinho, Eliseu (Gaúcho), Pardal (Marquinho), Cajinho e Wilson (Martinez).
Bloco Morgenau(PR): Venancio; Ismael (Tite) e Jairo; Mineiro (Ravaglio), Solinha e Orestes (Ismael); China, Dino (Orestes), Rato, Ataide e Vizoli.
 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

NOME: MADUREIRA ESPORTE CLUBE

CIDADE: Curitiba – PR

FUNDAÇÃO: 03 de abril de 1937

CORES: azul – branco

HISTÓRICO: Foi fundado por um grupo de esportistas e a escolha do nome foi decidida em votação apertada. O nome foi uma sugestão do fundador Breno Vivas que quando jovem morou neste bairro carioca. O clube foi um dos fundadores da 3ª divisão em 1938. Seu principal título foi o de campeão amador invicto em 1941 e vice-campeão em 1952.

 

Madureira Esporte Clube (Curitiba - PR) - 1956

 

Clube Atlético Ferroviário (Curitiba-PR) - 1956

 

DATA: 26 DE FEVEREIRO DE 1956

LOCAL: PARANAGUÁ – PR

 

1º JOGO

ELITE

1-0

PARANAGUÁ

1º JOGO

UNIVERSAL

1-0

SELETO

3º JOGO

RIO BRANCO

1-0

ELITE

FINAL

RIO BRANCO

2-0

UNIVERSAL

 

CAMPEÃO – RIO BRANCO SPORT CLUB (PARANAGUÁ – PR)

 

Guarani Esporte Clube (Ponta Grossa-PR) - 1956

 
CAMPEONATO CLUBE CIDADE
PROFISSIONAL CORITIBA FOOTBALL CLUB CURITIBA
ASPIRANTES ESPORTE CLUBE ÁGUA VERDE CURITIBA
AMADORES CLUBE ATLÉTICO FERROVIÁRIO CURITIBA
JUVENIS CORITIBA FOOTBALL CLUB CURITIBA
2ª DIVISÃO OPERÁRIO SPORT CLUB DO AHÚ CURITIBA
3ª DIVISÃO IPÊ FUTEBOL CLUBE CURITIBA
TORNEIO DO INTERIOR RIO BRANCO SPORT CLUB PARANAGUÁ
 
COLORADO EC (CURITIBA – PR)

9

AER MOURÃOENSE (CAMPO MOURÃO – PR)

0

DATA: 26 de fevereiro de 1976 LOCAL: Campo Mourão / PR
JUIZ: Célio Silva CARÁTER: Campeonato Paranaense – 1976
GOLS: Tião Abatia (3), Jorge (3), Dréier, Mosquito e Ganso (contra)
Colorado(PR): Ladel; Bira, Flávio, Di e Édson Madureira; Zé Antonio e Dréier; Galeno, Jorge, Tião Abatia e Mosquito.
Mourãoense(PR): Álvaro; Gralha, Ganso, Scarpelini e Matosinho; Ivo e João Maria; Zé Carlos, Paraguaio, Jordão (Zagoto) e Esquerdinha (Cabé).
 

O Independente Futebol São Joseense é uma agremiação do Município de São José dos Pinhais (PR). Fundado no dia 22 de Maio de 2015, o clube será a novidade no Campeonato Paranaense da 3ª Divisão neste. O Independente é o primeiro time profissional que vai disputar o certame estadual de 2016, defendendo as cores da bandeira do Município de São José dos Pinhais.

O novo time é fruto da iniciativa de um grupo de atletas aficcionados por futebol que viu a necessidade de um time arrojado e disposto a entrar a disputar o estadual, jogando de igual para igual com os grandes. Para isso, uma parceria foi firmada com a Prefeitura de São José dos Pinhais, por meio da Secretaria de Esporte e Lazer, para que o novo time da Cidade tenha à sua disposição toda a estrutura necessária para a disputa do Campeonato Estadual.

O Estadual da 3ª Divisão é o passo mais importante para o acesso à Série B e está previsto para começar em agosto próximo. Até lá, atletas do Sub-15, 17 e 19 estarão treinando para a formação da nova equipe.

 

FONTES: Página do clube no Facebook – Prefeitura de São José dos Pinhais

 

FONTE: Mercado Livre

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

G.E. OLÍMPICO (SC)          4          X         2          C.A. FERROVIÁRIO (PR)

LOCAL: Estádio da Alameda Rio Branco, em Blumenau (SC)

DATA: Segunda-feira, no dia 10 de Setembro de 1945

CARÁTER: Amistoso Nacional

RENDA E PÚBLICO: Não divulgados

OLÍMPICO: Luiz; Artur e Arecio; Pilolo, Heine e Jalmo; Nandinho, Zabot, Teixeirinha, Erasmo e Brito.

FERROVIÁRIO: Pianoski; Zeca e Biguá; Baiano, Ferreira e Janguinho; Zequinha, Emédio, Babão, Cecílio e Darcy.

GOLS: Teixeirinha, duas vezes; Brito e Nadinho (Olímpico). Darcy e Cecílio (Ferroviário).

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

 

NOME: Associação Atlética Estiva
LOCAL: Paranaguá – PR
CORES: azul / branco
HISTÓRICO:  Disputou a Liga Regional de Futebol do Paraná a partir de 1949.

 

CORITIBA    3          X         2          A.E. JACAREZINHO

LOCAL: Estádio Couto Pereira, em Curitiba (PR)

DATA: Domingo, no dia 20 de Maio de 1945

CARÁTER: Campeonato Paranaense de 1945

ÁRBITRO: Joaquim Pelegrino (FPF)

A.E. JACAREZINHO: Muca; Bororó e Jaú; Bica (Dóro), Alegretti e Saci; Elísio, Alirio, Pereira, Pintado e Renato.

CORITIBA: Miro; Ernani e Lauro; Tonico, Cartola e Janguinho; Babi, Borne, Zico, Camarão (Gouvêia) e Paulinho.

GOLS: Paulinho aos 3 minutos (Coritiba), no 1º Tempo. Alirio aos 5 minutos (Jacarezinho); Zico aos 8 minutos (Coritiba); Pereira aos 43 minutos (Jacarezinho); Pintado aos 45 minutos (Coritiba), no 2º Tempo

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

 

Amigos, pesquisando pela rede, encontrei alguns uniformes e escudos de clubes já conhecidos, porém, algumas cores são diferentes e os escudos também diferem do que nós já conhecemos. Mando as fotos aos senhores:

1) Carajás Esporte Clube (foto do time que participou da Segunda Divisão do Pará, em 2013) Fonte:  Jornal O Liberal

2) Pinheiro Atlético Clube/MA Fonte: Blog Futebol Maranhense Antigo

3) Dourados Esporte Clube/MS

4) Sociedade Esportiva Pontaporanense/MS

5) Mariano Esporte Clube/ES

6) Real Beltranense/PR

7) Comercial de Cornélio Procópio/PR

8) Portuguesa Santista/SP (escudo dos anos 70)

9) Sociedade Atlética Imperatriz/MA (placa dos anos 1980)

 

FONTES: Revista Sport Ilustrado 

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

 FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 


ESTÁDIO BERNARDO STAMM (Estádio do Jacaré da Lagoa Preta)

CIDADE: UNIÃO DA VITÓRIA/PR

PROPRIEDADE: SÃO BERNARDO F.C.

INAUGURAÇÃO:  07/12/1952 SÃO BERNARDO FUTEBOL CLUBE 05 X 03 AMÉRICA FUTEBOL CLUBE DE JOINVILLE/SC.

SITUAÇÃO ATUAL: CLUBE EXTINTO E ESTÁDIO DESATIVADO

 1952

2008

 

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

Havia uma zona em Curitiba conhecida por Quarteirão do Tigre, redondezas da Rua João Negrão, estendendo-se para oeste. Seria o que hoje é mais ou menos o Bairro Rebouças. Ali, jovens moradores formaram e denominaram duas equipes: Leão e Tigre. Em 1914, um jogo entre os dois foi vencido pelo Tigre pelo escore de 2 x 1 e na churrascada que se seguiu, em ânimo de confraternização, decidiram os dirigentes de ambas as facções fundirem-se a fim de disputar, em condições de igualdade, os torneios da cidade. Surgiu, assim, o Britânia Sport Club, nome dado em homenagem à Grã-Bretanha, berço do futebol.

O sucesso da nova agremiação foi indiscutível, embora em 1915, ano do primeiro campeonato organizado reunindo equipes de Curitiba e Paranaguá, tenha sido relegado à segunda divisão. No ano seguinte, todavia, já envergava um vice-campeonato. Curioso é que, em 1917, surgia uma figura interessante mas complexa, que mais tarde viria a ser conhecida como tapetão: o Britânia, inconformado com derrota diante do Coritiba, alegando prejuízos face arbitragem facciosa, desiste de repente do campeonato.

Por outro lado, o América se vê na contingência de fundir-se com o Paraná, resultando daí o América-Paraná, nítido arranjo em termos de sobrevivência. As ligas, então distintas em 1916, uniram-se, unificando também os critérios. Ficavam assim valorizadas as disputas diretas entre as equipes. Em conseqüência, o forte América-Paraná foi o campeão do ano.

Mas vieram os anos de 1918, 1919, 1920, 1921, 1922 e 1923: hegemonia incontestável do Britânia. O hexacampeonato do Britânia fora um tormento! Uma pedra no sapato dos demais. O International e o América foram campeões, respectivamente, em 1915 e 1917. O Coritiba em 1916. Depois disso só deu Britânia, socialmente uma equipe frágil. Além disso, não possuía nem tradição nem popularidade e sequer dispunha de apoio de uma colônia. Apesar de tudo, abocanhou seis títulos seguidos.

Numa época de implantação como aquela, o fato era fundamentalmente negativo. A hegemonia de um grupo pequeno e isolado fatalmente abalaria o estímulo, o entusiasmo. O América, popularíssimo; o International idem, afora a cobertura que detinha dos tradicionais troncos provincianos; o Coritiba, toda uma colônia. O problema era sério. Não bastassem os brios altamente feridos!

Além de tudo, alguns problemas paralelos: o América não havia pago dívida contraída perante a liga regional, resultando no fato de o campeão da segunda divisão, o Universal, solicitar inscrição na vaga naturalmente aberta pela punição de cancelamento incidente sobre o América. O jogador americano, Ernesto de Moura Brito, mais do que depressa, paga a dívida junto à liga, o que a obriga a uma salomônica decisão: determinar jogo extra entre América e Universal, como critério para ocupar a tal vaga para o campeonato de 1923.

O jogo transcorria normalmente e, quando estava 3 x 3, foi marcado um pênalti contra o América. Uníssono ao primeiro grito de Marrecão, capitão da equipe e expulso imediatamente, o América retira-se do gramado e perde a vaga por desistência. Três dias depois, como saída encontrada e já dando largas a comentários e desejos recônditos, próceres do América e do International reuniram-se para tratar da fusão entre as duas agremiações. Mas discordaram quanto às cores da camisa. E nisso, passou-se um ano.

Em março de 1924, porém, os dirigentes se entenderiam: o desportista Luiz Guimarães – Zalacain -, ex goal-keeper americano, empresário, jornalista e editor esportivo, ligado por laços de parentesco aos Gonçalves, família a que pertencia Marrecão, além de dar-se muito bem com a elite tradicional do International, teve ação decisiva relativamente às providências. Sob a presidência de Arcésio Guimarães, presidente do Internacional, uma Assembléia Geral aconteceu. A união de Internacional e América foi concretizadano dia 21 de março de 1924 e no dia 26, oficialmente, foi empossada a diretoria do novo clube. Surgia, assim, o Clube Atlético Paranaense.

 

FONTES: Site do clube – Livro da ‘História Ilustrada do Futebol Brasileiro’ – Marlon Krüger Compassi

 

SELEÇÃO PARANAENSE          4          X         0          SÃO CRISTÓVÃO A.C. (RJ)

LOCAL: Estádio Joaquim Américo Guimarães, em Curitiba (PR)

DATA: Domingo, dia 07 de Abril de 1940

CARÁTER: Amistoso Nacional

RENDA: 14:000$000 (quatorze contos e quatrocentos mil réis)

ÁRBITRO: Oscar Pereira Gomes (LFRJ)

PARANÁ: Laio; Zaneti e Alfeu; Pizato, Bibe e Joanino; Zequinha, José, Emédio, Pivo e Sanin.

SÃO CRISTÓVÃO: Magdalena; Hernandez e Mundinho; Picabéa, Dodô e Archimedes; Roberto, Joãozinho (Nena), Amadeu (Joãozinho), Nestor (Vicente) e Delgado.

GOLS: Emédio aos 28 minutos (Paraná), no 1º Tempo. Sanin aos 6 minutos (Paraná); Zequinha aos 25 minutos (Paraná); Pivo aos 42 minutos (Paraná), no 2º Tempo.

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado 

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

 

FONTE: Sport Ilustrado

 

O Rio Branco Sport Club é uma agremiação da cidade de Paranaguá (PR). Fundado no dia 13 de Outubro de 1913. É o terceiro clube mais antigo do estado em atividade, atrás do Coritiba e do Operário. Atualmente, o Rio Branco disputa o Campeonato Paranaense da 1ª Divisão, mandando suas partidas no Estádio Fernando Charbub Farah, o ‘Gigante do Itiberê’. O Estádio Nelson Medrado Dias (conhecido por “Estradinha”) foi a casa do clube por muitos anos.

TÍTULOS

Campeonato do Interior Paranaense: 1948, 1954 e 2000;

Divisão de Acesso Paranaense: 1995;

Torneio Início: 1961, 1962 e 1963;

Campeonato Paranaense da Zona Sul: 1977;

Campeonato da Liga Regional de Futebol de Paranaguá: 1923, 1925, 1926, 1927, 1928, 1930, 1931, 1933, 1936, 1937, 1938, 1939, 1945, 1947, 1948, 1954 e 1955.

FONTES: Gazeta Sportiva Ilustrada – Wikipédia – Marlon Krüger Compassi

 

FONTE: O Malho

 

 

FICHA TÉCNICA

Rio Grande do Sul 5 x 2 Paraná

Partida realizada na data de 3 de outubro de 1926, no Parque da Antárctica Paulista.

Gols: Mario (3), Pascoalino e Coró (RS) Canhoto e Marrequinho (PR)

Árbitro: Arzemiro Balliu

Rio Grande do Sul: Lara, Mesquita e Grant. Ribeiro, Hugo e Guilherme. Coró, Pascoalino, Luiz, Mario e Fagundes.

Paraná: Tercio, Borba e Gobardo. Orlando, Ninho e Nano. Ary, Marrequinho, Urbino, Canhoto e Cunha.

 

Fontes: revista “A Cigarra, jornal “A Gazeta” e meu acervo.

 

Obs.: Teve uma participação no futebol profissional, disputando a segunda divisão paranaense de 1979, mas fazendo uma péssima campanha.

Agradecimentos ao Sergio Melo pelo redesenho do escudo e a o eterno amigo Levi Mulford por informações de desus arquivos.

 

© 2016 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha