Na decisão, diante do União Operário, de Laranjeiras do Sul, o Grêmio Esportivo Recreativo Goioerê venceu, em casa, por 1 a 0 (na quinta-feira, do dia 13 de dezembro de 1990). Três dias depois (no domingo, do dia 16 de dezembro de 1990), ocorreu o jogo da volta, e o União Operário, venceu por 2 a 0.

Como o saldo de gols não era critério de desempate, a decisão foi para a disputa de pênaltis. Após uma longa disputa, o Grêmio Esportivo Recreativo Goioerê  levou a melhor vencendo por 9 a 8, faturando o inédito título.

FONTES: Rsssf Brasil – Mercado Livre – Wikipédia

 

O Batelzinho Futebol Clube foi outro clube que disputou a Suburbana (Terceira Divisão da FPF – Série Azul) nas décadas de 50 (a partir de 1952) e 60.

O clube foi fundado em 01/05/1950 e existiu até 1972. Chegou a ser vice-campeão em 1957.

Como o nome sugere, o clube foi fundado no bairro Batel mas posteriormente migrou para o bairro Portão. Quando lá chegou passou a utilizar o campo do BECA.

Foto: Acervo Levi Mulford

Fonte: Arquivos de Levi Mulford

Mais informações: http://www.tribunapr.com.br/cacadores-de-noticias/portao/bom-time-comeca-com-grande-goleiro/

Redesenho do escudo: Givaldo Santos

 

 

Dentre os clubes que disputaram a Suburbana de Curitiba (amadora) destaco o BECA – Bloco Esportivo Caão da Amora.

O clube foi fundado em 04 de maio de 1950 e pelo menos entre 1951 e 1961 disputou a chamada Terceira Divisão da FPF (uma espécie de Segunda Divisão da Suburbana). Foi vice em 1958 e 1961.

Conforme informou Levi Mulford (dono de um grande acervo da Suburbana): “o clube tricolor tinha seu campo próximo à conhecida Capelinha do Portão, hoje transformado em blocos de cimento armado pela expansão imobiliária.”

O BECA foi extinto em 1972.

Foto: Arquivo Levi Mulford

Fonte: Arquivos de Levi Mulford

Redesenho do escudo: Givaldo Santos

Mais informações: http://www.tribunapr.com.br/cacadores-de-noticias/portao/quem-se-lembra-do-beca/

 

 

O Esporte Clube Água Verde foi um clube brasileiro de futebol, da cidade de Curitiba, capital do estado do Paraná. Suas cores eram verde e branco e num outro período (entre 1953 a 1960) era Alviceleste. O ‘’Tigre Alviverde’’ foi Fundado na terça-feira, do dia 14 de Julho de 1914, com o nome de Savoia Foot Ball Club, no bairro Água Verde, em Curitiba. Em 1926, uniu-se ao Savóia Futebol Clube, originando o Savóia-Água Verde.

A Sede dos aguaverdeanos ficava na Rua Bento Viana, nº 117, no Bairro de Água Verde, em Curitiba. O seu Estádio era o ‘Orestes Thá’ (onde hoje é a sede social do Paraná Clube), no Bairro da Vila Guaíra, inaugurado no Domingo, do dia 16 de Agosto de 1953.

No período da Segunda Guerra Mundial, o Savóia-Água Verde foi obrigado pelo governo brasileiro a alterar seu nome, já que o país havia declarado guerra à Itália e o presidente Getúlio Vargas havia proibido que agremiações esportivas usassem nomes que lembrassem países do Eixo.

O Savóia havia sido criado por descendentes de italianos, além de possuir as mesmas cores do país europeu. Logo, o Savóia-Água Verde passou a se chamar Esporte Clube Brasil em 3 de março de 1942.

Uma nova proibição por parte do governo federal fez com que o clube voltasse a ser chamado Água Verde Futebol Clube em 1944.

O clube faturou dois títulos no Torneio Início Paranaense: 1949 e 1953. Também conquistou o Torneio Cidade de Curitiba, em 1967 e no mesmo ano se sagrou campeão do Campeonato Paranaense de 1ª Divisão.

Na final, venceu o Grêmio Maringá por 1 a 0 no dia 19 de dezembro, após empatar as outras partidas extras em 0 a 0 e 2 a 2. Em 12 de agosto de 1971, o Água Verde passou a se chamar Esporte Clube Pinheiros e adotou as cores azul e branco.

A Sede nos dias atuais

Fontes e recortes: Wikipédia – Jornal Correio da Noite (ano de 1959) – Google Maps – Paraná Esportivo

 

FONTE: Paraná Esportivo 

 

O Bacacheri Atlético Clube, ou simplesmente BAC, foi uma agremiação da cidade de Curitiba (PR). O Áureo-negro Foi Fundado na quarta-feira, do dia 19 de Maio de 1948, por um grupo de desportivas, liderados por Walfrido do Rosário, que em 25 de Setembro de 1960, deu nome ao Estádio do BAC.

Por sinal, o Estádio e a Sede ficavam localizados numa área de cerca de 13 mil metros quadrados, na Rua Lodovico Geronasso, nº 805, no bairro Boa Vista, em Curitiba.

Excursões pelo interior do Paraná e Santa Catarina

Durante o seu período de existência (final da década de 40 até os anos 70), o BAC fez vitoriosas excursões por diversas cidades do Paraná e Santa Catarina, inclusive foi o primeiro clube amador a viajar de avião até Maringá, em 1951, quando a Cidade Canção comemorava quatro anos de existência.

Treinos eram realizados na Base Aérea da Aeronáutica

Como fato curioso, o Bacacheri realizava seus treinamentos no campo da Base Aérea. Nos primeiros anos, sua equipe contava com diversos jogadores pertencentes à Aeronáutica.

Exemplos: técnico Augusto Gil Cícero de Sá, sargentos Sérgio Olaia Pascoal (goleiro), Orlando Pires de Campos, Romeu Albuquerque, Mário Rosseto e Luiz Martins, cabos Miguel Chervenski Jamal e Levi Mulford, além do outro goleiro titular, Reinaldo Santana Ribeiro (Tato), que era motorista do comandante major-brigadeiro Artur Carlos Peralta.

Contava também com o concurso do ágil atacante Guedes, autor de dribles desconcertantes. Era também militar sargento do 20.º Regimento de Infantaria, quartel vizinho da Base Aérea.

Clube se filia a Federação Paranaense de Futebol

Depois de amistosos, o clube filiou-se à Federação Paranaense de Futebol (FPF) e foi logo conquistando o título do Torneio Início, realizado no Estádio Belfort Duarte (Alto da Glória) e que teve a participação de 17 equipes. Foi vice-campeão da série Acir Guimarães ainda em 1949.

Voltou a conquistar o Torneio Início em 1960, 1961 e 1964. Vice-campeão em 1953 e 1958. Vice-campeão suburbano em 1950, 3º lugar em 1952, 1954, 1960, 1965, 1966 e 1968.

Campeão de aspirantes em 1954 (17 jogos e 17 vitórias), 1957 e 1964; vice-campeão em 1952, 1965 e 1967. Licenciou-se da FPF em 1970. Em 30 de Novembro de 1974, passou a se chamar Esporte Clube Bacacheri e se transformou em clube de campo.

A diretoria atual vendeu o patrimônio do clube e o Estádio Walfrido Rosário, por R$ 11 milhões. Atualmente o local se transformou num supermercado (Rede Condor). O aurinegro das jaquetas quadriculadas virou saudade.

 

FONTES & FOTOS: Google Maps – Tribuna do Paraná – Gazeta do Povo – Levi Mulford – Blog Família Petroski

 

FONTE: Paraná Esportivo

 

FONTE: Paraná Esportivo

 

FONTE: Paraná Esportivo

 

FONTE: Paraná Esportivo

 

FONTE: Paraná Esportivo

 

FONTE: Paraná Esportivo

 

FONTE: Paraná Esportivo

 

FONTE: Paraná Esportivo

 

Time do Apucarana em 1991 Em pé – Marcão, Ivanildo, Madruga, Cleomir, Marcos Paulo, Marcelo e Adão Pereira (preparador físico). Agachados – Índio, Lê, Adelar, Ismanir e Grafite.

Fontes:

Arquivos do autor
Revista Placar
Facebook “Amigos do museu esportivo”
 

O Poty Sport Club foi uma agremiação da cidade de Curitiba (PR). O “Tricolor da Galícia” ou “Bugre Galiciano” foi Fundado na quinta-feira, do dia 14 de Maio de 1925, pelos senhores: João Simões de Lima; Miguel Catalosqui; Estevam Kugut; José Ordosqui; João Kupchck; Waldomiro Kupcharck e Pedro Kupcharck.

A sua Sede e o Estádio Capitão Manoel Aranha ficavam localizados na Rua Padre Anchieta (atual Praça 29 de Março), s/n, no Bairro Campo da Galícia (atual Bairro Mercês), na Região Central de Curitiba. No local havia o campo oficial e áreas adjacentes. Além disso, tinha um casarão de madeira, com amplo salão e, no fundo, um balcão, onde serviam bebidas, era protegido por uma cerca de tábuas.

A 1ª Diretoria foi constituída da seguinte forma:

Presidente Honorário - Ângelo Zanetti;

Presidente - João Eskabron;

Vice-Presidente - Sebastião Vidal da Rocha;

1º Secretário - Estevam Katoloski;  

2º Secretário - João David de Oliveira;

1º Tesoureiro - Mariano Kataloski;

2º Tesoureiro - João Balla.

Estádio Capitão Manoel Aranha

O Estádio Capitão Manoel Aranha já existia desde o início da década de 1940, sendo conhecido por “Campo do Paulo” porque o terreno fazia parte das propriedades de Paulo Mann.

Com dívidas junta a prefeitura de Curitiba, em 1947 a família Mann repassou o terreno a municipalidade, que por sua vez, transferiu o uso do local para o Poty S. C. através da lei nº. 10 de 07 de fevereiro de 1948. Com a posse provisória do terreno, o Poty S.C. inaugurou, ainda em 1948, o seu estádio com a denominação de Estádio Capitão Manoel Aranha.

A escolha do nome foi uma homenagem ao militar do Exército Brasileiro Manoel Aranha, que também foi presidente do Clube Atlético Paranaense entre 1943 e 1945 e presidente da Federação Paranaense de Futebol em 1947.

O “Bugre Galiciano“, endividado, devolveu o estádio, no início da década de 1960, para o município e com uma nova lei, revogando a anterior, o prefeito Ivo Arzua iniciou a construção, neste exato local, da “Praça 29 de Março” (data da comemoração do aniversário de Curitiba), inaugurada em novembro de 1966 com projeto urbanístico do futuro prefeito Jaime Lerner.

 

Extinto nos anos 60

O Poty existiu até a década de 60, disputando os campeonatos amadores da Federação Paranaense de Futebol e que chegou a participar do “Torneio Curitiba”, em 1931, com clubes profissionais, juntamente com o Clube Atlético Paranaense, Coritiba Foot Ball Club, Clube Atlético Ferroviário, entre outros.

O “Tricolor da Galícia” participou algumas vezes do Campeonato Paranaense da Segunda Divisão. O seu maior feito foi o vice-campeonato da Segundona de 1954. Foi Super-Campeão de 1955.

FONTES: Wikipédia – Paraná Esportivo

 

Nome Oficial: Campeonato da Divisão Extra de Profissionais

Organização: Federação Paranaense de Futebol

06/06/1952 – Sexta
Bloco Morgenau    3x3    Britânia
15/06/1952 – Domingo
Ferroviário    4x2    Cambaraense
21/06/1952 – Sábado
Coritiba    11x0    Bloco Morgenau
[Neno(4), Renatinho(2), Toni(2), Miltinho(2), Babi]
22/06/1952 – Domingo
Palestra Itália    0x2    Ferroviário
Cambaraense    3x2    Água Verde
CAMA    2x1    Atlético
28/06/1952 – Sábado
Atlético    1x2    Britânia
29/06/1952 – Domingo
CAMA    1x3    Coritiba
[Renatinho(2), Babi]
Água Verde    4x4    AE Jacarezinho
05/07/1952 – Sábado
Palestra Itália    2x0    Britânia
06/07/1952 – Domingo
Cambaraense    3x1    Bloco Morgenau
Atlético    3x4    Ferroviário
09/07/1952 – Quarta
Bloco Morgenau    1x3    Palestra Itália
10/07/1952 – Quinta
CAMA    2x1    AE Jacarezinho
13/07/1952 – Domingo
Água Verde    2x2    Coritiba
[Miltinho, Osvaldo]
19/07/1952 – Sábado
Atlético    1x2    Água Verde
20/07/1952 – Domingo
Britânia    1x2    Coritiba
[Renatinho, Osvaldo]
AE Jacarezinho    5x2    Ferroviário
Cambaraense    4x6    CAMA
27/07/1952 – Domingo
Ferroviário    3x2    Bloco Morgenau
28/07/1952 – Segunda
Cambaraense    2x2    Britânia
Atlético    0x2    Palestra Itália
02/08/1952 – Sábado
Água Verde    6x5    CAMA
03/08/1952 – Domingo
Coritiba    0x0    Palestra Itália
AE Jacarezinho    4x0    Bloco Morgenau
09/08/1952 – Sábado
Água Verde    0x0    Britânia
10/08/1952 – Domingo
Atlético    1x3    Coritiba
[Renatinho(2), Neno]
AE Jacarezinho    2x1    Cambaraense
CAMA    3x1    Ferroviário
16/08/1952 – Sábado
Ferroviário    2x0    Britânia
23/08/1952 – Sábado
Palestra Itália    4x1    Água Verde
24/08/1952 – Domingo
Atlético    3x2    Cambaraense
31/08/1952 – Domingo
AE Jacarezinho    5x2    Coritiba
[Almir, Neno]
Bloco Morgenau    1x4    CAMA
07/09/1952 – Domingo
Britânia    0x0    AE Jacarezinho
13/09/1952 – Sábado
Coritiba    4x1    Ferroviário
[Ivo(2), Renatinho, Neno]
14/09/1952 – Domingo
Palestra Itália    1x0    Cambaraense
20/09/1952 – Sábado
Água Verde    3x1    Ferroviário
21/09/1952 – Domingo
Atlético    1x0    Bloco Morgenau
AE Jacarezinho    3x0    Palestra Itália
CAMA    2x0    Britânia
27/09/1952 – Sábado
Bloco Morgenau    1x1    Água Verde
28/09/1952 – Domingo
Coritiba    4x1    Cambaraense
[Almir(2), Miltinho, Renatinho]
Atlético    2x2    AE Jacarezinho
Palestra Itália    3x3    CAMA
17/10/1952 – Sexta
Britânia    3x1    Bloco Morgenau
18/10/1952 – Sábado
Cambaraense    4x1    Ferroviário
Atlético    6x2    CAMA
22/10/1952 – Quarta
Coritiba    4x1    Bloco Morgenau
[Babi, Almir, Ivo, Renatinho]
26/10/1952 – Domingo
Palestra Itália    1x1    AE Jacarezinho
01/11/1952 – Sábado
Água Verde    2x0    Cambaraense
[Cezar Frizzio 16, Jaci 29]
09/11/1952 – Domingo
Ferroviário    1x3    Palestra Itália
[China; Lobato(2), Bastinhos]
15/11/1952 – Sábado
Atlético    1x1    Britânia
16/11/1952 – Domingo
Coritiba    2x2    CAMA
[Miltinho, Ivo]
23/11/1952 – Domingo
Britânia    1x2    Palestra Itália
AE Jacarezinho    5x1    Água Verde
[Ítalo 2T (contra), Fescina 40, Amarelinho 47, 90, Reinaldo 86; Barbozinha 2T]
29/11/1952 – Sábado
Palestra Itália    5x2    Bloco Morgenau
30/11/1952 – Domingo
AE Jacarezinho    2x1    CAMA
Atlético    1x2    Ferroviário
07/12/1952 – Domingo
Coritiba    3x2    Água Verde
[Miltinho, Lula, Ivo]
13/12/1952 – Sábado
Ferroviário    4x2    AE Jacarezinho
14/12/1952 – Domingo
CAMA    2x2    Cambaraense
17/12/1952 – Quarta
Bloco Morgenau    2x4    AE Jacarezinho
20/12/1952 – Sábado
Atlético    4x0    Água Verde
21/12/1952 – Domingo
Coritiba    3x1    Britânia
[Ivo(2), Renatinho]
27/12/1952 – Sábado
Bloco Morgenau    1x9    Ferroviário
[Rato 63; Aluizio 36 (contra), Afinho 09, 28, 51, Zé Carlos 25, 45'30, Juarez 75, 78, China 84]
28/12/1952 – Domingo
Atlético    3x3    Palestra Itália
04/01/1953 – Domingo
CAMA    4x1    Água Verde
[Rubio 1T (contra), Nestor 2T, Nede 2T, 2T; Valdomiro 1T]
Palestra Itália    3x2    Coritiba
[Lobato 56p, Bastinhos 64, Luiz Martins 90+2; Júlio 04 (contra), Neno 20]
11/01/1953 – Domingo
Água Verde    3x0    Britânia
[Jaci 24, Belmonte 2T, Ítalo 2Tp]
CAMA    7x1    Bloco Morgenau
[Ramon 15, 65, César 40, Taico 43, 75, 76, Nestor 85; Ataíde 70]
17/01/1953 – Sábado
Ferroviário    2x0    CAMA
18/01/1953 – Domingo
AE Jacarezinho    3x0    Cambaraense
Coritiba    4x1    Atlético
[Juve (contra), Renatinho(3)]
25/01/1953 – Domingo
Água Verde    2x2    Palestra Itália
01/02/1953 – Domingo
Cambaraense    3x4    Atlético
07/02/1953 – Sábado
Britânia    2x2    Ferroviário
08/02/1953 – Domingo
Coritiba    5x2    AE Jacarezinho
[Renatinho(3), Miltinho(2)]
21/02/1953 – Sábado
Palestra Itália    2x1    Cambaraense
[Fressato 2T, Mineirinho 35; Ortiz 50]
22/02/1953 – Domingo
AE Jacarezinho    6x0    Britânia
[Diogo(3), Bahia(2), Amarelinho]
Água Verde    2x6    Ferroviário
[Jaci, Cezar; Afinho(3), Juarez, China, Marcelino]
01/03/1953 – Domingo
CAMA    6x3    Britânia
Cambaraense    4x5    Coritiba
[Almir, Ivo, Miltinho, Renatinho(2)]
08/03/1953 – Domingo
Atlético    3x1    AE Jacarezinho
15/03/1953 – Domingo
Ferroviário    1x3    Coritiba
[Miltinho, Ivo, Almir] [Coritiba campeão]
22/03/1953 – Domingo
CAMA    2x2    Palestra Itália

Jogos Cancelados
Britânia    x    Cambaraense
Bloco Morgenau    x    Cambaraense
Bloco Morgenau    x    Água Verde
Bloco Morgenau    x    Atlético

Classificação Final
1º  Coritiba 29pts
2º  Palestra Itália 26pts
3º  Jacarezinho 24pts
4º  CAMA 22pts
5º  Ferroviário 21pts
6º  Atlético 15pts
Água Verde 15pts
8º  Britânia 10pts
9º  Cambaraense 8pts
10º Bloco Morgenau 2pts

Artilheiros
Afinho (Ferroviário), Taíco (CAMA) 20 gols

Estádios utilizados
Belfort Duarte, Curitiba/PR, Brasil
Joaquim Américo Guimarães, Curitiba/PR, Brasil
Durival Brito e Silva, Curitiba/PR, Brasil
Franklin Delano Roosevelt, Curitiba/PR, Brasil
Horácio Klabin, Telêmaco Borba/PR, Brasil (na época a cidade chamava-se Harmonia)
Pedro Vilela, Jacarezinho/PR, Brasil
Gustavo Nunes Diniz, Cambará/PR, Brasil

Torneio Início: Coritiba campeão
Fontes: Jornal “Paraná Esportivo”, Jornal “Diário da Tarde”

 

 

O Bloco Esportivo Morgenau foi exemplo vivo da grande dúvida que ronda os dirigentes de equipes amadoras que sonham em profissionalizar um clube: melhor ser o primeiro entre os últimos ou o último entre os primeiros? Porque na história do futebol paranaense, o tricolor do Cristo Rei (vermelho, preto e branco) foi exatamente isto. Disputando categorias inferiores na capital paranaense, o Morgenau foi tricampeão (1942, 43 e 44) entre os aspirantes; bicampeão (1949 e 1959) na categoria principal dos clubes da suburbana. No entanto, ser o primeiro já estava ficando cansativo.

Por isso, o tricolor fundado em 23 de maio de 1932, e que mandava seus jogos amadores no campo da Rua Guarani (hoje Avenida Senador Souza Naves, sede da Sociedade Morgenau e à época conhecido como estádio Moysés Lupion) concluiu que chegara a hora de alçar voos mais altos e entrar no meio das feras (os times profissionais) e impor respeito. A entrada da nova equipe coincidiu com o fim das atividades futebolísticas da Sociedade União Juventus, do Batel, fundada em 3 de maio de 1898 – tradicional clube no futebol desde os anos 1930 e que tirou o time de campo para se dedicar às obras de sua sede social.

 Quanto ao Bloco Morgenau, logo de cara ele percebeu que a investida na divisão de elite não seria um sonho. Na realidade, foi um pesadelo. Desde o começo o time se transformou num alvo fácil de ser batido, principalmente por sua base amadora. Perdia quase sempre e não era de pouco. Uma vocação que durou toda a sua história na divisão especial. E que, por ironia ou não, rendeu o apelido de “time simpático”.

Em sua primeira temporada no profissionalismo, em 1951, o time terminou em penúltimo na tabela da Zona Sul, atrás apenas do Britânia, que começava a decair. A estreia foi até boa – perdeu em maio só de 1 x 0 para o Coritiba. Porém, a última partida mostrou a vocação para levar goleada: foi derrotado em dezembro de 5 x 0 para o Água Verde. Nos dois anos seguintes (1953 e 1954), o Bloco Morgenau ficou em último.

Estes três primeiros anos deram o tom das campanhas do clube na divisão especial. Em 1955, o time deu uma melhorada: foi antepenúltimo. Mas no ano seguinte voltou ao penúltimo lugar, para, em 1958, ir de novo para o último lugar. No ano seguinte, ficou de novo em penúltimo. Posição que manteve em 1960, 1961 e 1962.

Em 1963, o clube melhorou uma posição e em 1964 foi o oitavo.

Depois desta sequência, o Bloco Morgenau achou bom não abusar da sorte e tirou o time de campo. Sua última partida foi disputada no dia 1.º de agosto de 1964 no estádio Joaquim Américo, contra o Atlético. Perdeu por 2 x 0.

Festa de gols

De acordo com o radialista José Domingos Borges Teixeira, o Bloco Morgenau, apesar de sua coleção de últimos e penúltimos lugares, tinha o apelido de “clube simpático”. Motivo: todo mundo adorava torcer para o tricolor, porque a moçada jogava na base do amor – era o espírito esportivo aplicado em sua plenitude, onde o importante é competir.

Às vezes, o Bloco Morgenau tinha por hábito surpreender os grandes times. Surpreender, no caso, era arrancar um empate inesperado. Mas na maioria dos jogos, o resultado terminava em goleada. A maior delas foi aplicada pelo Coxa, no dia 21 de junho de 1952: 11 x 0 no 1.º turno. O Bloco Morgenau figura na história do Coritiba como o time com o qual o Alviverde alcançou a maior média de gols: 3,68 por partida.

 

FONTES: Paraná Esportivo – Tribuna Paraná 

 

FONTE: Paraná Esportivo

 

FONTE: Paraná Esportivo 

 

FONTE: Paraná Esportivo

 

FONTE: Paraná Esportivo

 

 

FONTE: Paraná Esportivo

 

FONTE: Paraná Esportivo

 

 

O Verê Futebol Clube é uma agremiação do Município de Verê, que fica no Sudoeste do Paraná. Com uma população de 7.879 habitantes, segundo o IBGE/2010, Verê está a 485 km da capital de Curitiba. O Município se emancipou em 26 de outubro e de 1963, e essa será a 1ª vez que a localidade contará com uma equipe profissional.

O Verde-rubro vereense foi Fundado na sexta-feira, do dia 31 de Julho de 2015. A sua Sede está localizada na Rua Principal, s/n, Linha União da Barra, em Verê. O seu 1º e atual presidente é Juliano Cagnini, e o Verê mandará os seus jogos no Estádio Vila do Mar, com capacidade para 1 mil pessoas.

Verê debutará na esfera profissional na Terceirona Paranaense

O Verê se prepara para a disputa do Campeonato Paranaense da 3ª Divisão, de 2017, que inicia no próximo dia 27 de agosto. Na última quinta-feira (dia 08 de junho de 2017), a direção da equipe participou do arbitral que definiu a fórmula de disputa da competição.

Participaram da reunião o presidente da Federação Paranaense de Futebol, Hélio Pereira Cury, o vice-presidente Amilton Stival, membros da diretoria da entidade, e também os representantes das demais equipes inscritas – Arapongas Esporte Clube, Associação Atlética Batel, Clube Atlético Cambé, Colorado Atlético Clube, Grecal, Independente Futebol São Joseense, Rolândia Esporte Clube e Sport Club Campo Mourão.

 Regulamento da Terceirona

Na primeira fase, as nove equipes participantes formam um grupo e jogarão entre si em turno único. Classificam-se para a segunda fase, os quatro melhores times da classificação geral.

Na segunda fase, chamada semifinal, os quatro clubes classificados formam dois grupos: o Grupo “A” (1º colocado x 4º colocado) e o Grupo “B” (2º colocado x 3º colocado). Eles jogarão partidas de ida e volta.

Na última fase (final), os dois times classificados da segunda fase formam o Grupo “C” e jogarão partidas de ida e volta. O mando de campo da segunda partida será atribuído ao clube que tiver somado o maior número de pontos, considerando os resultados obtidos nas fases anteriores.

Será o campeão, o clube que somar o maior número de pontos ao final da segunda partida – caso haja igualdade de pontos, o primeiro critério de desempate será o saldo de gols e, persistindo o empate, serão cobrados pênaltis.

 

FONTES & FOTOS: Site RBJ – Federação Paranaense de Futebol (FPF) – Jornal de Beltrão – Página do clube no Facebook 

 

 

Fonte: A Noticia / http://historiadoparanaclube.blogspot.com.br

 
SE PALMEIRAS (SÃO PAULO – SP)

10

CR OPERÁRIO (LONDRINAS – PR)

0

Data: 07 de setembro de 1947 Local: Londrina – PR
Juiz: Vicente Gengo Caráter: Amistoso Nacional
Gols: Osvaldinho (3), Bovio (2), Lula (2), Mário Miranda, Arturzinho e Mantovani
Palmeiras(SP): Oberdan (Lourenço); Osvaldo II e Turcão; Zezé, Tulio e Fiume (Gengo); Lula, Arturzinho (Renato II), Osvaldinho (Bovio), Canhotinho e Mário Miranda (Mantovani).
Operário(PR): Julio (Moacir); Gouveia (Nilo) e Rubens; Gilberto (Noronha), Baianinho e Oscar; Boanerges (Albertinho), Albertinho (Olavo), Leonidas, Fagundes e Canhoto.

Fonte: Gazeta Esportiva- SP

 

Fonte: Diário da Tarde / PR

© 2017 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha