O União Bandeirante Futebol Clube foi criado em 1964, com o fim exclusivo de participar do Campeonato Paranaense de Futebol profissional. O primeiro nome do clube foi denominado de Usina Bandeirante Futebol Clube, com a idéia de se propagar o nome da indústria dirigida pelos seus fundadores. Com a fusão com o Guarani, foi sugerido o nome de União.

Com a tradição e a garra que hoje identificam o União e a simpatia que cerca o clube já o transformou em um time de âmbito regional. O crescimento do clube deve-se muito a chegada do campeão mundial de 58 Nilton De Sordi, contratado pelo presidente A. Meneghel nos anos 60 para a lateral-direita do União e atraíndo multidões aos dias de jogos. Nas décadas de 60 e 70, o União já mostrava sua força na revelação de jogadores. Os primeiros a se destacarem no futebol paranaense foi a dupla Paquito – atual auxiliar técnico do Coritiba – e Tião Abatiá.


Assim que foi montado o time profissional pelo competente técnico Pupo Gimenez em 1964, num dos últimos coletivos para estreiar no campeonato da 1ª divisão, um determinado repórter da Rádio Cabiúna se aproximou do saudoso Sr. Luis Meneghel que assistia ao treino junto ao alambrado e comentou: – “Seu Luis, o senhor está gostando do time? Ao que nos consta, só falta o entrosamento para que o time fique perfeito!” … Imediatamente o Sr. Luis respondeu: – “Veja onde é que está esse jogador que vou pedir para o meu filho Antoninho comprá-lo!” … hehehe! Pelo visto, dinheiro na época não era problema!

Em 1966, o time do norte do estado perdeu o título do Paranaense para o Ferroviário, mas em compensação teve o artilheiro do campeonato Paquito com 13 gols.
Nos anos de 1969 e 1971, o União foi vice-campeão estadual perdendo o título para o Coritba. Tião Abatiá marcou 19 gols no estadual de 71.
Em 1989 o União voltou a disputar a final do Campeonato Paranaense, mas perdeu novamente para o Coritiba, na 1ª partida 0×0 e no último jogo 2×0 para o Coxa no Couto Pereira.
Em 1992, o União nunca esteve tão perto de ser campeão, mas perdeu o título do estadual para o Londrina no Estádio do Café, no 2º jogo vencia por 2 a 0 quando o Tubarão conseguiu o empate e tirou a Taça do time de Bandeirantes.

Na história gloriosa do União da Vila Maria, não podemos deixar de citar o glorioso treinador Pupo Gimenes, que muito contribuiu na formação de talentos. Nos últimos anos, o União tem feito campanhas regulares nos estaduais, batendo na porta de acesso para a Série B do Brasileiro, e disputado com brilhantismo torneios nas categorias inferiores como a Dallas Cup nos EUA, e tem revelado bons jogadores como é o caso do goleiro Fábio que já atuou pelo Cruzeiro, Santos, Atlético/PR e disputou a Copa João Havelange pelo Vasco da Gama, conquistando o título brasileiro de 2000.

Sem qualquer alarde, uma página do futebol paranaense foi encerrada no dia 4 de agosto de 2006. Após 42 anos de ininterrupta participação no Campeonato Paranaense (um recorde no interior), o União Bandeirante encerrou suas atividades, alegando dificuldades financeiras. A FPF (Federação Paranaense de Futebol) só foi comunicada da desistência em dezembro, mas a saída era esperada desde o ano passado. O primeiro sinal veio com o afastamento (por problemas de saúde) do patriarca Serafim Meneghel do comando da Usina Bandeirante, a mantenedora do clube. Meneghel, celebrado por um vasto folclore no interior, fundou o União em 1964 e, desde então, a história de criador e criatura se confundiram. O alvinegro obteve cinco vice-campeonatos estaduais (1966/69/71/89/92) e mostrou sangue na despedida, este ano: venceu o Coritiba, por 1 x 0, no estádio Luís Meneghel. Entre as décadas de 60 e 70, o União revelou a “dupla caipira” Tião Abatiá e Paquito (ídolos também no Coritiba) e alimentou polêmicas envolvendo seu presidente. Reza o anedotário de Bandeirante que, certa vez, Meneghel, com seu inseparável chapelão, invadiu o gramado e “convenceu” o árbitro a trocar o pênalti que favorecia o visitante Seleto de Paranaguá por um tiro de meta para o time da casa. Se a história acima é fato ou lenda pouco importa. O fim do União Bandeirante encerra uma era em que o futebol do interior pertencia à uma cidade, à gente daquela cidade, ao folclore daquela cidade.

Títulos
Campeonato Paranaense da Segunda Divisão: 2 vezes (1988 e 1992).

Hino 

Avante União Bandeirante O caçula milionário Que em gramados daqui ou de lá Não teme nenhum adversário Hip! Hurra! União! Que em nossos corações é o primeiro Orgulho do esporte brasileiro!

Estádio

Nome Oficial: Comendador Luis Meneguel
Capacidade: 10 mil pessoas
Endereço: Rua Vicente Inácio Filho, S/Nº, Vila Maria
CEP 86.360-000 – Bandeirantes-PR – Fone: (43) 3542-1579

 

FONTES: Blog Um Time Por Dia – Wikipédia – Revista Placar 

 

FONTE: Revista Placar

 

FONTE: Revista Placar

 

A Sociedade Esportiva Matsubara é uma agremiação da cidade de Cambará, no estado do Paraná. Foi fundado em 18 de dezembro de 1974, por Sueo Matsubara e sua melhor colocação no Campeonato Paranaense foi o vice-campeonato em 1976.

Em 1995 mudou-se para Londrina e contratou craques consagrados como Tadeu e Neto (ex-ídolo do Corinthians na década de 1990), acabando o Campeonato Paranaense de Futebol de 1995 na 3ª colocação. Um ano depois, retornou para Cambará.

Em 2009, disputou o Campeonato Paranaense da 3ª Divisão, numa competição de seis clubes e mandando seu jogos na cidade de Santo Antônio da Platina. Sua colocação final foi a 5ª posição e em 2011 o clube voltou a disputar a Terceirona Paranaense.

Títulos

Internacionais

Interestaduais

Outras conquistas

Categorias de Base

 

FONTES: Wikipédia – Revista Placar

 

FONTE: Revista Placar

 

FONTE: Revista Placar

 

FONTE: Revista Placar

 

G.E. Maringá

Em pé (esquerda para a direita): Vagner, Assis, Celso, Didi, Nilo, Albérico;

Agachados (esquerda para a direita): Freitas, Ferreirinha, Itamar, Nivaldo e Bernardo.

FONTE: Revista placar

 

O Centenário Esporte Clube é uma agremiação do Município de Centenário do Sul, no estado do Paraná. Suas cores são azul, vermelho e branco. A principal conquista da equipe é o título do Campeonato Paranaense da Segunda Divisão de 1976. A equipe mandava os seus jogos no Estádio Sergio Victor Meca. Sobre a Fundação há duas datas, na Revista Placar menciona que o Centenário é de 1952, e no Wikipédia afirma ser de 20 de dezembro de 1931.

FONTES: Wikipédia – Revista Placar

 

FONTE: Revista Placar

 

FONTE: Revista Placar

 

FONTE: Revista Placar

 

Cascavel Futebol Clube, conhecido como Cascavel e pelo acrônimo CFC, foi um clube brasileiro de futebol do município de Cascavel, no estado do Paraná. Fundado em 1970, suas cores eram o azul, vermelho e branco. Foi o primeiro time, de um total de seis que levaram o nome de Cascavel.

No final da década de 60, Cascavel possuía dois clubes com times de futebol profissional: o Tuiuti Esporte Clube e a Associação Atlética Comercial. Arquirrivais, disputavam o clássico chamado Tuicial e a preferência dos torcedores da cidade. Porém, houve a decisão recíproca de encerrar seus respectivos departamentos de futebol profissional, em prol da fundação de apenas um novo time que representasse o município. Ambos permanecem apenas como clubes sociais.

Assim, em 1970, nascia o Cascavel Futebol Clube, com as cores azul, do Tuiuti, vermelho, do Comercial e branca, comum aos dois clubes.No seu primeiro ano de disputas, o time conquistou o título da chave sul do Campeonato Paranaense da Segunda Divisão de 1970, subindo para a primeira divisão do ano seguinte. Nos anos de 1971 e 1972, o clube disputou a primeira divisão estadual, porém ao fim de 1972, devido às dificuldades, encerrou suas atividades após curta trajetória.

 

FONTES: Wikipédia – Revista Placar

 

Seleção Paulista

Campeonato Brasileiro de Seleções de 1931 – São Paulo 6 x 4 Paraná

Partida realizada na data de 19 de julho de 1931, na Chácara da Floresta, em São Paulo.

Juiz: Virgilio Fredrighi, do Rio de Janeiro.

Gols: Luizinho (3), Heitor (2) e Siriri (São Paulo) e Gabardino (2) e Levorato (2) (Paraná)

São Paulo: Athié, Grané e Loschiavo. Milton, Goliardo e Munhoz. Luizinho, Heitor, Friedenreich, Feitiço e Siriri.

Paraná: Alberto, Anjelino e Borba. Andretta, Duia e Ross. Levorato, Vani, Gabardino, Emilio e Carnieri.

Fonte: A Gazeta

 

Pato Branco Esporte Clube (conhecido como Pato Branco ou ainda Pato e cujo acrônimo é PBEC) é um clube de futebolbrasileiro, sediado na cidade de Pato Branco, no estado do Paraná. Suas cores são o VerdeVermelho e Branco, a equipe manda seus jogos no Estádio Os Pioneiros, com capacidade para 4.500 pessoas.

Atualmente, em 2015 disputa a segunda divisão de acesso do PR depois de ser vice campeão da Terceira, em 2014 onde perdeu nos pênaltis numa final contra o Andraus Brasil[1]. Onde dirigentes do Andraus pressionaram a arbitragem até arrumarem o resultado para o time da casa e ainda bateram no pai goleiro do Pato que acabou sendo expulso por tentar defender seu pai.

História

O clube foi criado no dia 5 de novembro de 1979, após uma fusão entre Internacional Esporte Clube (Pato Branco) e a Sociedade Esportiva Palmeiras (Pato Branco), ambos agremiações futebolísticas, herdando assim as cores e o patrimônio das duas instituições[3]. Sua primeira temporada profissional foi no Paranaense de 1980, onde foi rebaixado. Posteriormente, em 1981, obtém o título de Campeão Paranaense da Segunda Divisão. Seguiu na elite do futebol do estado, nos certames de 198219831984 e 1985, quando descende. Dentre esses anos obteve boas campanhas como as de 1983 e 1984, figurando na oitava e nona colocação respectivamente. Já em 1986, se sagra bicampeão da Segunda Divisão.

Após a conquista, se consolida, definitivamente, como uma das mais agremiações equipes do Paraná, participando da principal divisão do estadual por seis anos seguidos. Porém, a partir de 1993, o Pato viveu o período mais incerto de sua história, já que depois da queda no Parananense, encerrou suas atividades, sendo que o retorno veio apenas em 1998, pela Segundona, onde acabou eliminado logo na primeira fase. Posteriormente, depois de disputar apenas duas competições na década de 90, conquista há Terceirona em 2009 com o técnico Pedro Paulo Alves encerrando um jejum de 23 anos sem títulos[4]. O triunfo renovava a esperança dos torcedores, porém na Divisão de Acesso 2010 amarga novamente o rebaixamento, sendo que sua volta a disputas oficiais, ocorreu somente em 2012, quando não obteve sucesso na busca pelo acesso.

Barra do Pato

Na temporada de 2014, um grupo de jovens se juntaram e criaram a Barra do Pato. Estes jovens buscavam ter em Pato Branco uma torcida que apoiasse e cantasse para à equipe durante todo o decorrer do jogo, ganhando ou perdendo. Ao contrário das torcidas organizadas a Barra do Pato não possui uniformes próprios e nem estrutura hierárquica. O único e simples objetivo da barra é apoiar o Pato Branco EC incondicionalmente o jogo inteiro, não possui patrocínio e todos os materiais são adquiridos através de doações e do próprio bolso dos seus torcedores.

Títulos

Estaduais

FONTE: Wikipédia – Site do Clube
 

Cascavel Esporte Clube (conhecido como Cascavel e cujo acrônimo era CEC) foi um clube brasileiro de futebol, da cidade de Cascavel, no estado Paraná. Foi fundado em 19 de janeiro de 1979, sendo o segundo clube, de um total de seis até hoje, a levar o nome da cidade. A sua primeira casa foi o Ninho da Cobra; posteriormente a prefeitura municipal construiu o Estádio Olímpico Regional Arnaldo Busatto, com capacidade para 34 mil pessoas. Suas cores de fundação, eram o AzulVermelho e Branco, posteriormente no final da década de 80, adotou o Amarelo e o Preto. Foi, até os dias atuais, o time de futebol da cidade de Cascavel que obteve os melhores resultados, existiu por mais tempo e conquistou a maior tradição e o maior apoio e identificação do torcedor.

Considerado uma das agremiações mais tradicionais do estado, teve seu auge na década de 80, quando foi campeão paranaense e por três oportunidades campeão do interior, além disso figurou em competições nacionais como a Taça de Prata de 1981 e 1982e da Série C de 1995 e 1996. Em 17 de Dezembro de 2001, fundiu-se ao Cascavel S/A e com a SOREC, para fundar o Cascavel Clube Recreativo.

História

1979: Fundação

O município de Cascavel, iniciou sua participação em competições oficiais de futebol no fim da década de 60, quando o Tuiuti em 1968, e o Comercial em 1969, disputaram a Segunda Divisão do Paraná, sendo que ambos, obtiveram como resultado, o vice-campeonato da chamada “Zona Sul”. Posteriormente, é fundado o Cascavel Futebol Clube[2], que ganhou o primeiro título da cidade, a Segundona de 1970, entretanto não conseguiu dar seguimento as boas campanhas, ao longo de sua curta história, devido a dificuldades tanto dentro como fora de campo, encerrando suas atividades ao término do estadual de 1972.[3]

Após seis anos sem representante, o futuro do esporte bretão cascavelense era incerto, porém isso mudaria no dia 19 de janeiro de 1979, com o surgimento do Cascavel Esporte Clube, que nascia com a ambição de se firmar como um dos grandes no cenário paranaense. Além disso, um dos desafios da nova equipe, era unir os torcedores locais, já que estes estavam divididos na torcida por Inter e Grêmio em sua grande maioria, devido ao expressivo número de Gaúchos que migraram para a Região Oeste do Paraná, em épocas anteriores. Tal fato, ficava evidenciado na rivalidade dos clássicos Tuiciais[4], uma espécie de GreNal[5] , que eram disputados pelos já citados Comercial e Tuiuti, por isso, afim de agradar ambos os lados seus fundadores escolheram as cores AzulVermelha e Branca. Já o mando dos jogos, era no Estádio Municipal Amadores Theodoro Colombelli, mais conhecido Ninho da Cobra.

Dando início as atividades profissionais participa da Divisão de Acesso do Estadual de 1979[6], e aliando bons investimentos ao fundamental apoio de sua torcida, consegue ascender a elite do futebol paranaense.

1980: O surgimento de um Campeão

Em 1980, adentrava pela primeira vez na divisão especial do Paraná[7], a expectativa entre os torcedores era grande, já que após 7 anos de espera, finalmente o município tinha novamente um time na elite. Para a disputa do campeonato, foi montada uma equipe competitiva, que tinha como base o elenco de 1979, porém não era considerada favorita, sendo que o ColoradoLondrinaCoritibaAtléticoPinheiros e o Grêmio Maringá, eram os grandes postulantes ao título segundo a crítica da época.

Na primeira fase do torneio que contava com a presença de 20 clubes, o Cascavel, fez uma campanha mediana, porém suficiente para avançar à segunda fase, na 7ª colocação com 23 pontos, 9 vitórias, 5 derrotas e 5 empates. A estreia foi em casa na data de 5 de junho, com uma goleada sobre o Guarapuava pelo placar de 3 a 0. Os demais confrontos foram os seguintes: No dia 8 do mesmo mês, enfrentou o Londrina, vencendo por 1 a 0. Após o bom início teve uma sequência de quatro partidas fora de seus domínios, com três derrotas e um empate: Matsubara (15/06, 2-1), Operário (18/06, 0-0), Coritiba (21/06, 2-1) e Grêmio Maringá (25/06, 3-2). A recuperação veio com duas vitórias seguidas, sobre o Apucarana (29/06 4-2) e o União F. Beltrão (02/06 3-0). Em seguida, enfrentou o Pinheiros em 6 de julho, empatando em 0 a 0, e o Colorado em 09/07, perdendo por 1 a 0. No dia 13 de julho, vence o tradicional Clássico da Soja, contra o Toledo, pelo score de 2 a 1. Dando continuidade a primeira fase, perdeu para o União Bandeirante (20/07 por 1-0), venceu o Rio Branco (23/07 por 4-0) e empatou com o Pato Branco (27/07 por 0-0). No início de agosto, ganhou do Umuarama (03/07 por 2-0), empatou com o Atlético (03/07 por 0-0), ganhou do Iguaçu de União da Vitória (10/08 1-4) e do Paranavaí, (14/08 2-0). Na última rodada, empatou com o Agroceres em 0 a 0, no dia 17 de agosto.

Já na segunda fase, restavam apenas 8 equipes, e a Serpente encerrou na terceira colocação no geral, com 5 vitórias, 5 empates e 4 derrotas, tendo classificação garantida para o Quadrangular Final. Os confrontos foram os seguintes: No primeiro jogo enfrentou o Grêmio Maringá e venceu por 3 a 1 em 24/08. Posteriormente, empata com o Coxa (27/08 0-0), e perde para o Londrina (31/08 1-5). No feriado da Independência, vence o segundo Clássico da Soja do ano por 0 a 1, em seguida, venceu dois e empatou um: Colorado (10/09, 0-1), União Bandeirante (14/09, 3-0) e Pinheiros (21/09, 0-0). No 2º Turno, empatou com o Grêmio Maringá (28/09 1-1), foi derrotado pelo Coritiba (01/10 2-0), resultado de igualdade contra o Londrina (05/10 1-1), venceu o rival Toledo (12/10 1-0), perdeu para o Colorado (14/10 0-2), goleou o União Bandeirante (19/10 0-3) e encerrou com um empate contra o Pinheiros (22/10 2-2).

Na etapa derradeira do campeonato, chamada de Quadrangular Final, restavam os quatro melhores do estado naquele ano, e o Cascavel, surpreendeu não só o Paraná como o Brasil, já que foi um dos campeões da competição, com 3 vitórias, 1 empate e 2 derrotas. A campanha foi a seguinte: Nos dois primeiros jogos, venceu o Londrina (09/11 0-2), e perdeu para o Pinheiros (12/11 0-2). Depois, se impôs sobre o Colorado em um Ninho da Cobra completamente lotado, ganhando pelo placar de 3 a 0. Logo após, empatou com o Londrina (23/11 1-1) e venceu o Pinheiros (23/11 3-2). Na polêmica partida final em 30 de novembro, que enfrentou o então segundo colocado Colorado, e foi derrotado por 2 a 0, correu o risco de perder taça, na passagem que ficou conhecida como “Cai-Cai”, no entanto, em uma decisão inédita até então, ficou decretada há divisão do título entre as duas agremiações.

A conturbada partida final

A partida de 30 de novembro de 1980, entre Colorado e Cascavel, pela última rodada na Vila Olímpica, era decisiva, pois os dois clubes lideravam a fase final, com ampla vantagem em favor do último, que precisava apenas de um empate, e podia perder por até quatro gols. Dentro de campo, os curitibanos se mostraram superiores, abrindo 2 a 0, a arbitragem de Tito Rodrigues, expulsou dois atletas cascavelenses, Marcos e Maurinho. O time do Oeste voltou do intervalo com apenas 7 jogadores, pois segundo o médico Antônio Comatsu, Nelo e Dudu não tinham condições de jogo, quando a bola rolou, para o segundo tempo, o goleiro Zico, alegou estar lesionado e não pode prosseguir jogando, desta forma Tito encerra a partida, já que os visitantes não tinham o número mínimo regulamentar de jogadores. Os dois times comemoraram o título, que segundo a tabela pertencia apenas ao Cascavel, porém segundo decisão do TJD-PR, este deveria perder os pontos e assim ceder a taça ao Colorado. Entretanto o crivo final era do presidente da FPF, na época, Luiz Gonzaga da Motta Ribeiro, que declarou os dois clubes campeões paranaenses.[8][9]

Jogadores Notáveis

A história do Cascavel Esporte Clube foi marcada por grandes jogadores, principalmente na década de 80 época em que clube foi campeão paranaense, e participou de campeonatos em nível nacional, dentre alguns destacam-se : Paulinho Cascavel e Gustavo Roberto Dias artilheiro da equipe no Campeonato Paranaense de Futebol de 1980com 17 gols. Zico, goleiro famoso por marcar um gol da sua própria meta contra o Colorado em 16 de novembro de 1980[10][11], pelo quadrangular final do paranaense, Maizena[12], se destacou nacionalmente chegando a atuar em clubes como Internacional e São PauloCapitão[13] ganhou o mesmo destaque tornando-se ídolo na Portuguesa de Desportos. Já na década de 90 a base cascavelense mostrou-se muito produtiva revelando jogadores como Caio Júnior, Jean Carlo e Sidiclei.

Símbolos

Escudo

O escudo do Cascavel Esporte Clube passou por algumas mudanças, ao longo da história, a primeira mudança foi no desenho, e posteriormente, além do formato foram trocadas as tradicionais cores Vermelha, Azul e Branca pelo Amarelo e Preto.

 

FONTES & FOTOS: Wikipédia – Mercado Livre – Manula

  1.  «Cascavel Esporte Clube». arquivodeclubes.com. Consultado em 18 de agosto de 2013.
  2. Ir para cima↑ «Cascavel Futebol Clube». escudosonline.com. Consultado em 12 de julho de 2013.
  3. Ir para cima↑ FUTEBOL EM CASCAVEL: UM FRACASSO BEM- SUCEDIDO. BINDÉ, Carlos. Cascavel: Gráf. Universitária, 2001.
  4. Ir para cima↑ «Histórias dos Tuiciais ainda ecoam nas rodas de amigos». cgn.uol.com.br. 18 de Março de 2012. Consultado em 12 de julho de 2013.
  5. Ir para cima↑ «Como se fosse um GreNal do interior:o tempo do TuiCial». dihitt.com. 27 de julho de 2009. Consultado em 12 de julho de 2013.
  6. Ir para cima↑ «Paraná 1979 – 2ª Divisão» (em inglês). rsssfbrasil.com. outubro de 2005. Consultado em 11 de julho de 2013.
  7. Ir para cima↑ «Campeonato Paranaense 1980 – Participantes: Coritiba, Colorado, Cascavel, Atlético, Grêmio Maringá, Matsubara,União Bandeirante, Toledo, Londrina, Operário, Agroceres, Rio Branco, Guarapuava,Umuarama, Iguaçu, Apucarana, União de Beltrão, Pinheiros, Paranavaí, Pato Branco.» (em inglês). rsssfbrasil.com. 20 de outubro de 2004. Consultado em 11 de julho de 2013.
  8. Ir para cima↑ «Colorado e Cascavel dividiram o título de 80». noticiafc.com. 18 de agosto de 2009. Consultado em 11 de julho de 2013.
  9. Ir para cima↑ «Há 30 anos, cai-cai manchava futebol paranaense». gazetadopovo.com.br. 30 de novembro de 2010. Consultado em 11 de julho de 2013.
  10. Ir para cima↑ «Gol de goleiro faz parte do folclore do futebol paranaense» (em inglês). parana-online.com.br. 23 de agosto de 2008. Consultado em 11 de julho de 2013.
  11. Ir para cima↑ «Zico». terceirotempo.bol.uol.com.br. Consultado em 11 de julho de 2013.
  12. Ir para cima↑ «Maizena». terceirotempo.bol.uol.com.br. Consultado em 11 de julho de 2013.
  13. Ir para cima↑ «Capitão (Oleúde)». terceirotempo.bol.uol.com.br. Consultado em 11 de julho de 2013.
  14. Ir para cima↑ Este título foi dividido com o Colorado.
  15. Ir para cima↑ «Paraná – Qualifying Tournament for Brazil 2nd Level 1982» (em inglês). rsssfbrasil.com. 9 de agosto de 2007. Consultado em 18 de agosto de 2013.
  16. Ir para cima↑ «RANKING (1ª Divisão) do Campeonato Paranaense». campeoesdofutebol.com.br. 5 de agosto de 2008. Consultado em 18 de agosto de 2013.
 

FONTE: Mercado Livre

 

Pesquisa realizada pelo torcedor Coxa-Branca Sérgio Costa Xavier compartilha um material histórico que explica o motivo da grafia Coritiba Foot Ball Club e a cidade de Curitiba/PR serem diferentes. Esta é uma dúvida de vários torcedores de outros times que visitam o blog da torcida do Coritiba, a Torcida que nunca abandona, no portal Globo Esporte. “O Coxa é notícia em todo lugar e as pessoas têm curiosidade de saber por que se escreve o nome do time com grafia Coritiba quanto ao nome da cidade com a grafia Curitiba”, explica o Sérgio.

 

FONTE: A Torcida que nunca AbandonaBlog do Torcedor do GloboEsporte.com, de Luiz Carlos Betenheuser Jr.

 

FONTE: Mercado Livre

 

FONTE: Mercado Livre

 

Cascavel Esporte Clube (conhecido como Cascavel e cujo acrônimo era CEC) foi um clube brasileiro de futebol, da cidade deCascavel, no estado Paraná. Foi fundado em 19 de janeiro de 1979, sendo o segundo clube, de um total de seis até hoje, a levar o nome da cidade. A sua primeira casa foi o Ninho da Cobra; posteriormente a prefeitura municipal construiu o Estádio Olímpico Regional Arnaldo Busatto, com capacidade para 34 mil pessoas. Suas cores de fundação, eram o AzulVermelho e Branco, posteriormente no final da década de 80, adotou o Amarelo e o Preto. Foi, até os dias atuais, o time de futebol da cidade de Cascavel que obteve os melhores resultados, existiu por mais tempo e conquistou a maior tradição e o maior apoio e identificação do torcedor.

Considerado uma das agremiações mais tradicionais do estado, teve seu auge na década de 80, quando foi campeão paranaense e por três oportunidades campeão do interior, além disso figurou em competições nacionais como a Taça de Prata de 1981 e 1982e da Série C de 1995 e 1996.[1].

Em 17 de Dezembro de 2001, fundiu-se ao Cascavel S/A e com a SOREC, para fundar o Cascavel Clube Recreativo.

1979: Fundação

O município de Cascavel, iniciou sua participação em competições oficiais de futebol no fim da década de 60, quando o Tuiuti em 1968, e o Comercial em 1969, disputaram aSegunda Divisão do Paraná, sendo que ambos, obtiveram como resultado, o vice-campeonato da chamada “Zona Sul”. Posteriormente, é fundado o Cascavel Futebol Clube[2], que ganhou o primeiro título da cidade, a Segundona de 1970, entretanto não conseguiu dar seguimento as boas campanhas, ao longo de sua curta história, devido a dificuldades tanto dentro como fora de campo, encerrando suas atividades ao término do estadual de 1972.[3]

Após seis anos sem representante, o futuro do esporte bretão cascavelense era incerto, porém isso mudaria no dia 19 de janeiro de 1979, com o surgimento do Cascavel Esporte Clube, que nascia com a ambição de se firmar como um dos grandes no cenário paranaense. Além disso, um dos desafios da nova equipe, era unir os torcedores locais, já que estes estavam divididos na torcida por Inter e Grêmio em sua grande maioria, devido ao expressivo número de Gaúchos que migraram para a Região Oeste do Paraná, em épocas anteriores. Tal fato, ficava evidenciado na rivalidade dos clássicos Tuiciais[4], uma espécie de GreNal[5] , que eram disputados pelos já citados Comercial eTuiuti, por isso, afim de agradar ambos os lados seus fundadores escolheram as cores AzulVermelha e Branca. Já o mando dos jogos, era no Estádio Municipal Amadores Theodoro Colombelli, mais conhecido Ninho da Cobra.

Dando início as atividades profissionais participa da Divisão de Acesso do Estadual de 1979[6], e aliando bons investimentos ao fundamental apoio de sua torcida, consegue ascender a elite do futebol paranaense.

1980: O surgimento de um Campeão

Em 1980, adentrava pela primeira vez na divisão especial do Paraná[7], a expectativa entre os torcedores era grande, já que após 7 anos de espera, finalmente o município tinha novamente um time na elite. Para a disputa do campeonato, foi montada uma equipe competitiva, que tinha como base o elenco de 1979, porém não era considerada favorita, sendo que o ColoradoLondrinaCoritibaAtléticoPinheiros e o Grêmio Maringá, eram os grandes postulantes ao título segundo a crítica da época.

Na primeira fase do torneio que contava com a presença de 20 clubes, o Cascavel, fez uma campanha mediana, porém suficiente para avançar à segunda fase, na 7ª colocação com 23 pontos, 9 vitórias, 5 derrotas e 5 empates. A estreia foi em casa na data de 5 de junho, com uma goleada sobre o Guarapuava pelo placar de 3 a 0. Os demais confrontos foram os seguintes: No dia 8 do mesmo mês, enfrentou o Londrina, vencendo por 1 a 0. Após o bom início teve uma sequência de quatro partidas fora de seus domínios, com três derrotas e um empate: Matsubara (15/06, 2-1), Operário (18/06, 0-0), Coritiba (21/06, 2-1) e Grêmio Maringá (25/06, 3-2). A recuperação veio com duas vitórias seguidas, sobre o Apucarana (29/06 4-2) e o União F. Beltrão (02/06 3-0). Em seguida, enfrentou o Pinheiros em 6 de julho, empatando em 0 a 0, e o Colorado em09/07, perdendo por 1 a 0. No dia 13 de julho, vence o tradicional Clássico da Soja, contra o Toledo, pelo score de 2 a 1. Dando continuidade a primeira fase, perdeu para oUnião Bandeirante (20/07 por 1-0), venceu o Rio Branco (23/07 por 4-0) e empatou com o Pato Branco (27/07 por 0-0). No início de agosto, ganhou do Umuarama (03/07 por 2-0), empatou com o Atlético (03/07 por 0-0), ganhou do Iguaçu de União da Vitória (10/08 1-4) e do Paranavaí, (14/08 2-0). Na última rodada, empatou com o Agroceres em 0 a 0, no dia 17 de agosto.

Já na segunda fase, restavam apenas 8 equipes, e a Serpente encerrou na terceira colocação no geral, com 5 vitórias, 5 empates e 4 derrotas, tendo classificação garantida para o Quadrangular Final. Os confrontos foram os seguintes: No primeiro jogo enfrentou o Grêmio Maringá e venceu por 3 a 1 em 24/08. Posteriormente, empata com o Coxa (27/08 0-0), e perde para o Londrina (31/08 1-5). No feriado da Independência, vence o segundo Clássico da Soja do ano por 0 a 1, em seguida, venceu dois e empatou um: Colorado (10/09, 0-1), União Bandeirante (14/09, 3-0) e Pinheiros (21/09, 0-0). No 2º Turno, empatou com o Grêmio Maringá (28/09 1-1), foi derrotado pelo Coritiba (01/10 2-0), resultado de igualdade contra o Londrina (05/10 1-1), venceu o rival Toledo (12/10 1-0), perdeu para o Colorado (14/10 0-2), goleou o União Bandeirante (19/10 0-3) e encerrou com um empate contra o Pinheiros (22/10 2-2).

Na etapa derradeira do campeonato, chamada de Quadrangular Final, restavam os quatro melhores do estado naquele ano, e o Cascavel, surpreendeu não só o Paraná como o Brasil, já que foi um dos campeões da competição, com 3 vitórias, 1 empate e 2 derrotas. A campanha foi a seguinte: Nos dois primeiros jogos, venceu o Londrina (09/11 0-2), e perdeu para o Pinheiros (12/11 0-2). Depois, se impôs sobre o Colorado em um Ninho da Cobra completamente lotado, ganhando pelo placar de 3 a 0. Logo após, empatou com o Londrina (23/11 1-1) e venceu o Pinheiros (23/11 3-2). Na polêmica partida final em 30 de novembro, que enfrentou o então segundo colocado Colorado, e foi derrotado por 2 a 0, correu o risco de perder taça, na passagem que ficou conhecida como “Cai-Cai”, no entanto, em uma decisão inédita até então, ficou decretada há divisão do título entre as duas agremiações.

A conturbada partida final

A partida de 30 de novembro de 1980, entre Colorado e Cascavel, pela última rodada na Vila Olímpica, era decisiva, pois os dois clubes lideravam a fase final, com ampla vantagem em favor do último, que precisava apenas de um empate, e podia perder por até quatro gols. Dentro de campo, os curitibanos se mostraram superiores, abrindo 2 a 0, a arbitragem de Tito Rodrigues, expulsou dois atletas cascavelenses, Marcos e Maurinho. O time do Oeste voltou do intervalo com apenas 7 jogadores, pois segundo o médico Antônio Comatsu, Nelo e Dudu não tinham condições de jogo, quando a bola rolou, para o segundo tempo, o goleiro Zico, alegou estar lesionado e não pode prosseguir jogando, desta forma Tito encerra a partida, já que os visitantes não tinham o número mínimo regulamentar de jogadores. Os dois times comemoraram o título, que segundo a tabela pertencia apenas ao Cascavel, porém segundo decisão do TJD-PR, este deveria perder os pontos e assim ceder a taça ao Colorado. Entretanto o crivo final era do presidente da FPF, na época, Luiz Gonzaga da Motta Ribeiro, que declarou os dois clubes campeões paranaenses.

Jogadores Notáveis

A história do Cascavel Esporte Clube foi marcada por grandes jogadores, principalmente na década de 80 época em que clube foi campeão paranaense, e participou de campeonatos em nível nacional, dentre alguns destacam-se : Paulinho Cascavel e Gustavo Roberto Dias artilheiro da equipe no Campeonato Paranaense de Futebol de 1980com 17 gols. Zico, goleiro famoso por marcar um gol da sua própria meta contra o Colorado em 16 de novembro de 1980[10][11], pelo quadrangular final do paranaense,Maizena[12], se destacou nacionalmente chegando a atuar em clubes como Internacional e São PauloCapitão[13] ganhou o mesmo destaque tornando-se ídolo na Portuguesa de Desportos. Já na década de 90 a base cascavelense mostrou-se muito produtiva revelando jogadores como Caio Júnior, Jean Carlo e Sidiclei.

 

FONTE: Wikipédia – Mercado Livre

 

FONTE: Mercado Livre – Revista Placar

 

No início do século XX o futebol estava concentrado em Curitiba e Ponta Grossa. Desde 1909 equipes eram formadas nas duas cidades. Os jogos aconteciam acompanhados de grandes festas e um intenso clima de amizade entre as equipes. Em Paranaguá o futebol ganha força e vigor em maio de 1913, quando foi fundado o Paranaguá Foot-Ball Club. No mês de setembro surgiu o Brazil Foot-Ball Club e em Outubro daquele ano o nosso querido Rio Branco Sport Club, o Leão da Estradinha.

DESDE 13 DE OUTUBRO DE 1913

1913-primeiro-jogo-do-rio-branco-foto-arquivo-rio-branco-2

A história do Rio Branco Sport Club começa no dia 12 de Outubro de 1913, dia comemorativo ao descobrimento da América. Em um bate papo envolvendo Manuel Victor da Costa, Aníbal José de Lima, Euclides de Oliveira, José de Oliveira, Jarbas Nery Chichorro, Antonio Gomes de Miranda e Raul da Costa Pinto, surgiu a conversa sobre esse novo esporte, “coqueluche” no Rio de Janeiro, São Paulo e Curitiba, e que já havia influenciado a criação dos dois primeiros clubes de futebol na cidade: Brasil Football Club e Paranaguá Football Club.

Surgiria o Rio Branco Sport Club no dia seguinte. Além dos nomes já citados e com a presença de mais alguns amigos ocorreu a aclamação de diretoria, com ata lavrada por Raul da Costa Pinto, tendo sido publicada a composição diretiva no jornal Diário do Commercio de 17 de Outubro, depois de uma reunião ocorrida na casa do Sr. Manoel Victor da Costa. Diretoria provisória: Presidente, Manoel Victor da Costa; Vice Presidente, Antonio Gomes de Miranda; Secretário, Jarbas Marques Mery Chichorro; Tesoureiro, Jose de Oliveira. O nome escolhido era uma justa e perfeita homenagem ao herói nacional, Barão do Rio Branco.

O PRIMEIRO JOGO

Houve também a escolha do primeiro time do Rio Branco: Jarbas, Nenê, Miranda, Lucidio, Ellias, Hugo, Luiz José, Mathias, Nero e Nagib. Da fundação até o primeiro jogo transcorreram mais de 30 dias e a escalação da estreia, contra o Brazil Foot Ball Club, mudou bastante, permanecendo só Mathias e Nagib daquele time original. Os novos integrantes eram Eugenio, Itaborahy, Raul, Rocha, Romeu, Cezario, Braga, Flota e Colombino. O jogo aconteceu dia 23 de novembro, na Pires Pardinho, também conhecida por Campo Grande, com a praça lotada. Com um gol de cabeça o Brazil saiu vencedor.

Em dezembro os sócios se reuniram na sede localizada à rua Marechal Deodoro, número 59, e escolheram sua diretoria definitiva. Foram eleitos e empossados: Presidente, Itaborahy de Macedo; vice, José Colombino; 1° secretário, Antonio Roza; 2° secretário, Nagib Balech; 1° tesoureiro, Angelo Perusin; 2 tesoureiro, José de Oliveira; orador, Raul da Costa Pinto; capitão, Mathias Lourenço; 2° capitão, Cezario Corriel e “Guarda Sport”, Lucilio F. do Nascimento.

O primeiro jogo contra uma equipe de fora aconteceu no dia 6 de janeiro de 1914, na Pires Pardinho, enfrentado o América de Curitiba. Sabendo que o adversário levaria uma equipe mais forte do que o normal, o Rio Branco se uniu com o Brazil e o Paranaguá e formaram um time misto com os melhores jogadores da cidade: Osmario, Arcesio, Mendes, Zizo, Quinquin, Luiz, Nagib, Agostinho, Acrisio, Fernando e Soffiati. O grande goleador do Rio Branco foi Quinquin, que marcou três, mas o juiz anulou um porque estava “off-side”.

O PRÓPRIO CAMPO

No mês de junho de 1914 o clube arrendou o terreno do senhor Chrispim da Silva por 5 anos para poder construir seu próprio campo. Os sócios organizaram uma grande quermesse na Pires Pardinho para arrecadação de verbas e a previsão de inauguração era para abril de 1915. Até peça de teatro teve sua bilheteria concorrida para as reformas do novo campo e a construção das arquibancadas.

O Prefeito Dr. Cetano Munhoz da Rocha outorgou ao clube uma área de alagadiço nas redondezas da praça João Gualberto também em 1914. Foram 6 meses de trabalho para deixar o campo em condições de jogo para a prática do esporte. O sócio-benfeitor José Fonseca Lobo, conhecido por Zézito, doou alguns vagões de madeira para a construção das arquibancadas de madeira.

A inauguração oficial ocorreu contra um selecionado de times de Curitiba, chamado de Team Extra, formado basicamente por jogadores do International e América. O Rio Branco venceu o confronto pelo placar de 2 x 1, com gols de Cardines e Lobo. A formação era a seguinte: Pedrinho; Azevedo e Marinho; Rosa, Eugênio e Manoel; Docelo, Caldeira, Lobo, Cardines e Coelho.

O clube ficou cerca de 10 anos nesse espaço, quando o então Presidente da Província do Paraná, Dr. Caetano Munhoz da Rocha informaria ao prefeito, Coronel José Gonçalves Lobo, que a cidade precisaria doar um terreno para a Construção da Escola Normal – atualmente Instituto de Educação Dr. Caetano Munhoz da Rocha.

A área definida ficava em frente à área de fundos das arquibancadas do campo do Rio Branco e isso desagradou as autoridades da época, pois não consideravam adequado uma escola para meninas ficar “contemplando os fundos de uma praça de esportes voltada para o público masculino”. A diretoria do clube então recebeu a proposta de mudança, comprometendo-se o município a doar um terreno na Estrada das Colônias – atual Alameda Coronel Elysio Pereira – para o novo estádio.

Efetivamente a doação do terreno aconteceu na gestão do prefeito Francisco Accioly Rodrigues da Costa, que também doou a importância de dois contos de réis (2:000$000) para que o clube pudesse providenciar a mudança para a nova sede, que hoje abriga o Estádio Nelson Medrado Dias.

O nome do estádio homenageia o Presidente do clube, Nelson Medrado Dias, agente do LLoyd Brasileiro, vindo do Rio de Janeiro e apaixonado pelo futebol. Em sua gestão teve início o projeto de construção do novo campo em meados de 1924, tendo concorrido o prazo de aproximadamente 6 meses para arrecadação de fundos para ás primeiras obras, que começaram em 1925.

Com seu prestígio no comércio local e na política, apesar daqueles que trabalhassem contra, arrecadou fundos e mandou aparelhar o terreno e iniciar a construção das arquibancadas e quase dois anos depois, em 12 de Junho de 1927, era inaugurada a “Praça de Esportes” Nelson Medrado Dias, que até hoje é a sede do clube e seu campo de futebol.

 

FONTE: Site do Clube 

 

Títulos do C.A.M.A. – Clube Atlético Monte Alegre – Pantera Negra
Campeonato Paranaense: 1955
Campeonato Amador do Paraná: 1962

O Campeonato Paranaense de 1954 foi a 40° edição do campeonato estadual, teve a presença de dez equipes, sete equipes de Curitiba, repetindo as nove equipes de 1953, apenas a re-estréia do Guarani, no lugar do Cambaraense o titulo ficou para o Coritiba Foot Ball Club, no seu 13° troféu, o vice foi a Associação Esportiva Jacarezinho, mais uma vez o artilheiro foi Taíco agora isolado, pelo Monte Alegre.

O Campeonato em 1954 retornou a ser decidido em ano posterior.Campeonato com dois turnos de pontos corridos, se classificando o campeão para a final, depois um terceiro turno em forma de hexagonal para a definição do finalista. chegando enfim, para um confronto decisivo para conhecer o campeão estadual.

A origem do clube esta ligado ao Klabin E.C., proveniente dos funcionários da industria de papel de mesmo nome. O Klabin tinha sua sede em Harmonia. Como forma de homenagear e divulgar o local, pois a sede da empresa esta localizada na fazendo Monte Alegre, o clube passa a ter a nova denominação de Clube Atlético Monte Alegre – C.A.M.A. – sendo oficializado em 1º de maio de 1946. Mesmo já oficializado como CAMA a equipe continuou utilizando o antigo nome (Klabin E.C.) por mais algum tempo.


As cores do novo clube são uma homenagem do S.C. Corinthians Paulista, sendo a branca e a preta. A primeira vez que o CAMA utiliza o novo uniforme é em 25 de abril de 1948, no jogo contra o Vasco da Gama de Ponta Grossa onde ganha o jogo por 5×2. A mascote do time é a Pantera Negra, devido as cores do time. O estádio de Harmonia passa a ser demoninado de “Estádio Dr. Horácio Klabin” com capacidade de 12.000 espectadores e é inaugurado em 10 de abril de 1949 com o jogo entre os convidados: Clube Atlético Paranaense e Sport Club Corinthians Paulista com o resultado final de 3×3.

Com o passar dos anos o estádio ganhou o apelido de “Cemitério dos Líderes”, pois as equipes da capital tinham o hábito de perder para o dono da casa neste local. Durante os seus primeiros anos de vida, a equipe se dedicou ao futebol amador.

O técnico que não está na foto era o Motorzinho (pai do professor de história e ex-reitor da Universidade Federal do Paraná Carlos Roberto Soares) .


A Campanha do Título Paranaense de 1955 Foi uma grande campanha, vencedor dos dois primeiros turnos, teve que enfrentar na final o extinto Clube Atlético Ferroviário, de Curitiba, numa melhor de três.

Primeiro Turno CAMA 5 x 2 CA Ferroviário;
CAMA 3 x 3 Coritiba; CAMA 4 x 2 Água Verde;
CAMA 2 x 0 Bloco Morgenau;
CAMA 4 x 1 Atlético Paranaense;
CAMA 2 x 2 Operário Ferroviário;
CAMA 1 x 1 Guarani;
CAMA 2 x 1 Caramurú;
CAMA 0 x 1 Palestra Itália e
]CAMA 6 x 0 Britânia. S
egundo Turno
CAMA 2 x 1 Coritiba;
CAMA 1 x 0 Água Verde;
CAMA 1 x 0 Britânia;
CAMA 0 x 1 Guarani;
CAMA 7 x 2 Morgenau;
CAMA 2 x 1 Atlético Paranaense;
CAMA 6 x 0 Caramurú;
CAMA 1 x 0 Ferroviário;
CAMA 2 X 4 Operário;
CAMA 10 x 1 Palestra Itália.
Terceiro Turno
CAMA 2 x 3 Coritiba;
CAMA 4 x 2 Guarani;
CAMA 1 x 4 Ferroviário;
CAMA 1 x 6 Atlético Paranaense e
CAMA 4 x 0 Ferroviário.
FINAL 08/04/1956 -
Ferroviário 2 x 2 CAMA, no estádio Durival de Brito. 15/04/1956 -
CAMA 3 x 1 Ferroviário, no estádio Dr. Horácio Klabin. 22/04/1956 -
Ferroviário 0 x 1 CAMA, no estádio Joaquim Américo.

Em 15 de novembro de 1949 realiza a sua primeira partida contra uma equipe profissional, foi contra o Ferroviário de Curitiba que venceu por 6 a 3. Em 1951 a equipe solicita a sua inscrição no campeonato paranaense, o que é prontamente aceito pela entidade máxima do estado. A primeira partida oficial da equipe foi em 13 de maio de 1951 contra o Palestra Itália em Curitiba e perdeu por 2 a 1. Nesta sua primeira temporada a equipe ficou no bloco intermediário, vencendo 7 partidas e perdendo 9 sem empatar nenhum jogo.

Marcou e sofreu o mesmo número de gols: 31. Em 1952 o CAMA ficou em 4º lugar no estadual e fez o artilheiro, com Taico, que balançou as redes por 20 vezes. Em 1953 ficou em sexto e em 1954 ficou entre os últimos mas com o artilheiro do certame que foi com Taíco, novamente, balançando as redes, agora com 22 gols.

Em 1955 ocorre o maior triunfo do clube e também de qualquer clube do interior do Paraná, até então, pois o CAMA é considerado o primeiro vencedor do campeonato estadual fora da capital. A conquista de 1955 vem na decisão com o Ferroviário de Curitiba em três partidas. Para conquistar o título a equipe disputou 28 partidas, com 18 vitórias, 4 empates e 6 derrotas. Marcou 79 gols e sofreu 41 gols. Sob o comando do técnico Ruy Castro dos Santos , popularmente chamado de “Motorzinho”, o CAMA foi o vencedor dos dois primeiros turnos e decidiu com o Clube Atlético Ferroviário, vencedor do terceiro turno, numa melhor de três.

O primeiro duelo aconteceu no estádio Durival de Brito, em 8 de abril de 1956, jogo que terminou em 2 a 2. O segundo confronto foi em casa, no dia 15 de abril de 1956, onde o Pantera Negra suplantou o adversário, inapelavelmente, por 3 a 1. A terceira e decisiva partida aconteceu no dia 22 de abril de 1956, no estádio Joaquim Américo, onde o CAMA venceu pelo placar de 1 a 0, com gol de Nelson. Em 1957, alegando dificuldades financeiras para se manter no futebol profissional, a equipe solicitou o seu licenciamento do campeonato. Tentou em 1965 e 1967 retornar aos campeonatos profissionais, mas não obteve permissão da Federação Paranaense de Futebol.

O CAMA ainda foi bicampeão da Taça Paraná de futebol amador na década de 1960.

 

FONTE: Mercado Livre – Blog Magno  Moreira - Prefeitura Municipal de Telêmaco Borba

 

Seleção do Paraná - 1928

 

 

FONTE: O Malho

 

O Iraty Sport Club é uma agremiação da cidade de Irati, na região centro-sul do Estado do Paraná. Estamos no início do ano de 1914. A Vila Iraty é ainda uma criança (uma vez quese emancipou em 15/07/1907) e a vida de seus moradores era sabida de todos. Não se tem notícias exatas do lugar onde o grupo de amigos jogava nestes primeiros tempos.
Os relatos trazem à tona a
Pharmácia Iraty como sendo o ponto de encontro e de reuniões, propriedade esta do Sr. Antonio Xavier da Silveira. Era em uma das salas nos fundos deste estabelecimento que funcionou a primeira sede do Iraty Sport Club. Também aí os jogadores se vestiam para os jogos. Lembra a história que foi o Sr. Antonio quem trouxe a primeira bola de futebol que se tem notícia.

Então, oAzulão foi Fundado no dia 21 de Abril de 1914, por um grupo de esportistas liderados por Sr. Antônio Xavier da Silveira, que acumulou muitas funções, pois além de líder principal, foi o primeiro Presidente e o primeiro Capitão do time.

PRIMEIRA DIRETORIA

A Diretoria registrada em ata era formada, pelo Sr. David da Costa Araújo com Presidente, tinha o Sr. João Baptista Dantas como primeiro Secretário, Sr. Hyran Peixoto como Secretário, Sr. Antonio Xavier da Silveira como Tesoureiro e o Sr. Luiz Felipe dos Santos como Orador.

PRIMEIRO TIME

O registro do primeiro time de futebol do Azulão era formado por: João Batista de Melo; Basílio Sapla e Álvaro Pires; João Dantas, Antonio Xavier da Silveira e Vidal Marinho; Ezequiel Gomes, João de Andrade, Artur Xavier da Silveira, Luiz Felipe dos Santos e Valentim Xavier da Silveira.

O Iraty SC é um dos Clubes mais antigos do Paraná. E com esta formação ganhou do IMBITUVENSE por 3 x 0, em 1914, o que é tido, também oficialmente, como o jogo do ISC jogando em Irati.

Nas Atas o primeiro time a ser registrado era formado por:

GOAL-KEEPER: João;

BACKS: Bazilio e Alderico;

HALF-BACKS: Dantas, Totonio e Antoninho;

FORWARDS: Valentim, Andrade, Hyran, Carioca e Vidal.

O número de Presidentes, ao longo de sua história, do Iraty Sport Club teve à frente de sua administração, umtotal de 54 (incluindo o atual).

SEDE & ESTÁDIO

A sua Sede fica localizada no bairro Rio Bonito (conta com: sauna, piscina adulta olímpica, piscina infantil, bar, churrasqueiras e estacionamento para os sócios), ambos em Irati.

O Iraty possui seu próprio Estádio Cel. Emílio Gomes, situado à Rua Vicente Machado, 966, em Irati, inaugurado em 21 de abril de 1950, com capacidade de 4.579 espectadores sentados e dimensões do campo: 101mx70m.

CURIOSIDADE: IRATY JÁ FOI RUBRO-NEGRO

Nos anos 30, as cores do Iraty eram vermelho e preto, como podemos ler num trecho do jornal Correio do Sul: “Dentro de alguns dias a direção technica do glorioso rubro-negro iratyense começará os seus treinos, fazendo seus pupilos exercitarem-se em conjunto e individualmente.” Para o certame estadual, o programa previa na semana, dois treinos coletivos e dois individuais.

Ficaram curiosos com a citação “rubro-negro”? Pois é, conta-se que o nosso Iraty Sport Club, nem sempre desfraldou as cores azul e branco em sua bandeira e uniforme. Houve uma época em que o vermelho e preto eram as suas cores símbolo.  A história detalhada pode ser encontrada no Livro do professor Orreda.

  A Casa do Atleta inaugurada em 23 de agosto de 2000. Trata-se de um alojamento para os atletas do clube, tendo capacidade para mais de 30 pessoas. Localiza-se na a Rua Coronel Pires, nº 667, no Centro; destina-se ao alojamento da Comissão Técnica e dos atletas solteiros. Possui dois quartos, totalizando 29 camas, sala de televisão e refeitório.

HINO DO IRATY
Sou “Azulão” de coração
Sou Iraty até morrer
Vai Azulão que a multidão
Veste a camisa com você
Do interior a força azul
Que orgulha a Pérola do Sul

Solta seu grito, com emoção
Tinge de azul meu coração
Em campo a história, a tradição
Meu Iraty, meu AZULÃO

Iraty Sport Club essa bandeira
Eu sempre quero desfraldar
E a torcida sua fiel companheira
Vai a vitória lhe levar
Põe sua força, sua garra sua luta
Põe no gramado o seu talento em ação.

CAMPEÃO PARANAENSE DE 2002

O time, que na década de 90 ficou conhecido como Azulão, devido à cor do seu uniforme. No dia 1º de maio de 2002, conquistou o seu 1º título de Campeão ao faturar o Campeonato Paranaense da 1ª Divisão, entre os oito clubes que disputaram o certame sem a participação dos três clubes grandes de Curitiba (Atlético Paranaense, Coritiba e Paraná Clube).

Com uma base formada em casa, mais os jogadores experientes trazidos por seu presidente, Sérgio Malucelli, o elenco foi Campeão Estadual com uma rodada de antecedência, levando para a cidade a hegemonia do futebol.

Seu estádio, Coronel Emílio Gomes, foi reformado para competições de porte maior, como a Copa do Brasil de 2003, vaga conquistada justamente por ser Campeão Estadual do ano anterior.

FONTES: Wikipédia – Página não oficial do Iraty S.C., no Facebook – Site Rádio Najuá (http://radionajua.com.br/noticia/irati-de-todos-nos/materias/o-maravilhoso-futebol-de-irati-parte-viii/14659/)

 

DATA

 

  LOCAL

CAR

07.01.1940

BRITÂNIA

5

X

2

GRÊMIO (RIO NEGRO-PR) RIO NEGRO – PR

A

11.02.1940

BRITÂNIA

5

X

0

AMÉRICA (JOINVILLE-SC) CURITIBA – PR

A

24.03.1940

BRITÂNIA

3

X

2

PALESTRA ITÁLIA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

A

31.03.1940

BRITÂNIA

0

X

1

CORITIBA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

21.04.1940

BRITÂNIA

4

X

1

PALESTRA ITÁLIA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

28.04.1940

BRITÂNIA

4

X

1

ATLÉTICO (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

12.05.1940

BRITÂNIA

2

X

3

FERROVIÁRIO (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

02.06.1940

BRITÂNIA

2

X

0

JUVENTUS (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

09.06.1940

BRITÂNIA

2

X

2

SAVÓIA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

23.06.1940

BRITÂNIA

2

X

4

GRÊMIO (PORTO ALEGRE-RS) CURITIBA – PR

A

07.07.1940

BRITÂNIA

2

X

3

CORITIBA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

A

28.07.1940

BRITÂNIA

1

X

0

CORITIBA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

18.08.1940

BRITÂNIA

1

X

5

ATLÉTICO (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

01.09.1940

BRITÂNIA

1

X

2

PALESTRA ITÁLIA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

15.09.1940

BRITÂNIA

3

X

2

SAVÓIA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

27.09.1940

BRITÂNIA

2

X

2

JUVENTUS (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

A

20.10.1940

BRITÂNIA

W0

X

0

FERROVIÁRIO (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

17.11.1940

BRITÂNIA

3

X

2

PALESTRA ITÁLIA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

A

24.11.1940

BRITÂNIA

0

X

2

CORITIBA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

TE

01.12.1940

BRITÂNIA

6

X

1

SAVÓIA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

TE

A – AMISTOSO
CP – CAMPEONATO PARANAENSE
TE – TORNEIO EXTRA

 

DATA

LOCAL

CAR

10.03.1940

PALESTRA ITÁLIA

2

X

6

FERROVIÁRIO (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

24.03.1940

PALESTRA ITÁLIA

2

X

3

BRITÂNIA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

A

31.03.1940

PALESTRA ITÁLIA

2

X

2

ATLÉTICO (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

21.04.1940

PALESTRA ITÁLIA

1

X

4

BRITÂNIA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

05.05.1940

PALESTRA ITÁLIA

1

X

3

JUVENTUS (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

19.05.1940

PALESTRA ITÁLIA

2

X

3

ATLÉTICO (ANTONINA-PR) ANTONINA – PR

A

26.05.1940

PALESTRA ITÁLIA

3

X

2

SAVÓIA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

09.06.1940

PALESTRA ITÁLIA

3

X

2

CORITIBA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

23.06.1940

PALESTRA ITÁLIA

2

X

4

JUVENTUS (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

A

21.07.1940

PALESTRA ITÁLIA

4

X

5

FERROVIÁRIO (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

04.08.1940

PALESTRA ITÁLIA

3

X

4

ATLÉTICO (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

11.08.1940

PALESTRA ITÁLIA

2

X

2

SAVÓIA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

01.09.1940

PALESTRA ITÁLIA

2

X

1

BRITÂNIA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

22.09.1940

PALESTRA ITÁLIA

3

X

2

JUVENTUS (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

13.10.1940

PALESTRA ITÁLIA

2

X

5

ATLÉTICO (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

A

20.10.1940

PALESTRA ITÁLIA

2

X

5

CORITIBA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

26.10.1940

PALESTRA ITÁLIA

3

X

2

BLUMENAUENSE (BLUMENAU-SC) BLUMENAU – SC

A

27.10.1940

PALESTRA ITÁLIA

1

X

1

BRASIL (BLUMENAU-SC) BLUMENAU – SC

A

17.11.1940

PALESTRA ITÁLIA

2

X

3

BRITÂNIA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

A

24.11.1940

PALESTRA ITÁLIA

3

X

7

ATLÉTICO (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

TE

15.12.1940

PALESTRA ITÁLIA

1

X

2

SELEÇÃO DO PARANÁ CURITIBA – PR

A

22.12.1940

PALESTRA ITÁLIA

4

X

2

JUVENTUS (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

TE

A – AMISTOSO
CP – CAMPEONATO PARANAENSE
TE – TORNEIO EXTRA

 

DATA

 

  LOCAL

CAR

14.01.1940

ATLÉTICO

2

X

3

CORITIBA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

A

03.03.1940

ATLÉTICO

3

X

2

GUARANI (PONTA GROSSA-PR) PONTA GROSSA – PR

A

31.03.1940

ATLÉTICO

2

X

2

PALESTRA ITÁLIA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

14.04.1940

ATLÉTICO

1

X

0

JUVENTUS (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

28.04.1940

ATLÉTICO

1

X

4

BRITÂNIA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

05.05.1940

ATLÉTICO

3

X

3

SAVÓIA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

19.05.1940

ATLÉTICO

4

X

1

CORITIBA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

16.06.1940

ATLÉTICO

2

X

1

GRÊMIO (PORTO ALEGRE-RS) CURITIBA – PR

A

23.06.1940

ATLÉTICO

4

X

1

CARAMURU (CASTRO-PR) CASTRO – PR

A

30.06.1940

ATLÉTICO

0

X

1

FERROVIÁRIO (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

14.07.1940

ATLÉTICO

2

X

1

FERROVIÁRIO (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

A

21.07.1940

ATLÉTICO

3

X

1

JUVENTUS (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

04.08.1940

ATLÉTICO

4

X

3

PALESTRA ITÁLIA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

18.08.1940

ATLÉTICO

5

X

1

BRITÂNIA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

08.09.1940

ATLÉTICO

2

X

0

CORITIBA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

22.09.1940

ATLÉTICO

3

X

3

SAVÓIA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

06.10.1940

ATLÉTICO

3

X

2

FERROVIÁRIO (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

CP

13.10.1940

ATLÉTICO

5

X

2

PALESTRA ITÁLIA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

A

24.11.1940

ATLÉTICO

7

X

3

PALESTRA ITÁLIA (CURITIBA-PR) CURITIBA – PR

TE

A – AMISTOSO
CP – CAMPEONATO PARANAENSE
TE – TORNEIO EXTRA

 

Clube dos Espartanos (Curitiba-PR) - 1940

 

FESTIVAL ESPORTIVO EM PROL DA CAMPANHA DA SOLIDARIEDADE
DATA: 26 DE MAIO DE 1940
LOCAL: PARANAGUÁ / PR

1º JOGO

RIO BRANCO

1-0

SELETO

2º JOGO

DNC

1-0

PARANAGUÁ

3º JOGO

RIO BRANCO

1-0

ELITE

FINAL

RIO BRANCO

1-0

DNC

CAMPEÃO – RIO BRANCO SPORT CLUB (PARANAGUÁ – PR)

 

EQUIPES PARTICIPANTES:

EQUIPE

CIDADE

001

BRITÂNIA SPORT CLUB

CURITIBA – PR

002

CLUBE ATLÉTICO PARANAENSE

CURITIBA – PR

003

CORITIBA FOOTBALL CLUB

CURITIBA – PR

004

PALESTRA ITÁLIA FUTEBOL CLUBE

CURITIBA – PR

005

SAVÓIA FUTEBOL CLUBE

CURITIBA – PR

006

SOCIEDADE EDUCAÇÃO FÍSICA JUVENTUS

CURITIBA – PR

TURNO ÚNICO

24.11.1940

CORITIBA

2-0

BRITÂNIA

16.02.1941

ATLÉTICO

2-1

CORITIBA

19.01.1941

CORITIBA

4-3

PALESTRA ITÁLIA

22.12.1940

CORITIBA

5-2

SAVÓIA

01.12.1940

CORITIBA

8-1

JUVENTUS

12.01.1940

BRITÂNIA

2-1

ATLÉTICO

26.01.1941

BRITÂNIA

5-1

PALESTRA ITÁLIA

01.12.1940

BRITÂNIA

6-1

SAVÓIA

02.02.1941

BRITÂNIA

4-2

JUVENTUS

24.11.1940

ATLÉTICO

7-3

PALESTRA ITÁLIA

19.01.1941

ATLÉTICO

7-4

JUVENTUS

09.02.1941

SAVÓIA

4-0

ATLÉTICO

12.01.1940

PALESTRA ITÁLIA

1-0

SAVÓIA

15.12.1940

SAVÓIA

2-1

JUVENTUS

22.12.1940

PALESTRA ITÁLIA

4-2

JUVENTUS

 

 

 

J

V

E

D

GP

GC

PG

01º

CORITIBA

05

04

00

01

20

08

08

02º

BRITÂNIA

05

04

00

01

17

07

08

03º

ATLÉTICO

05

03

00

02

17

14

06

04º

SAVÓIA

05

02

00

03

09

13

04

05º

PALESTRA ITÁLIA

05

02

00

03

12

18

04

06º

JUVENTUS

05

00

00

06

10

25

00

FINAL 

23.03.1941

BRITÂNIA

2-0

CORITIBA

# CAMPEÃO – BRITÂNIA SPORT CLUB (CURITIBA-PR)

Britânia Sport Club (Curitiba-PR) - 1940

 
1º TURNO
10.03.1940 FERROVIÁRIO 4 x 1 PALESTRA ITÁLIA
10.03.1940 JUVENTUS 6 x 1 SAVÓIA
31.03.1940 ATLÉTICO 3 x 3 PALESTRA ITÁLIA
31.03.1940 BRITÂNIA 4 x 3 CORITIBA
07.04.1940 FERROVIÁRIO 5 x 3 SAVÓIA
14.04.1940 ATLÉTICO 3 x 1 JUVENTUS
21.04.1940 BRITÂNIA 1 x 0 PALESTRA ITÁLIA
21.04.1940 CORITIBA 3 x 1 JUVENTUS
28.04.1940 ATLÉTICO 5 x 2 BRITÂNIA
05.05.1940 JUVENTUS 4 x 2 PALESTRA ITÁLIA
05.05.1940 ATLÉTICO 11 x 3 SAVÓIA
12.05.1940 SAVÓIA 3 x 1 CORITIBA
12.05.1940 FERROVIÁRIO 4 x 0 BRITÂNIA
19.05.1940 ATLÉTICO 7 x 2 CORITIBA
19.05.1940 FERROVIÁRIO 9 x 1 JUVENTUS
26.05.1940 PALESTRA ITÁLIA 4 x 2 SAVÓIA
02.06.1940 CORITIBA 3 x 2 FERROVIÁRIO
02.06.1940 JUVENTUS 6 x 5 BRITÂNIA
09.06.1940 CORITIBA 1 x 0 PALESTRA ITÁLIA
09.06.1940 SAVÓIA 2 x 1 BRITÂNIA
30.06.1940 ATLÉTICO 3 x 3 FERROVIÁRIO
CF CLUBES J V E D GF GC SG PG
1 ATLÉTICO 6 4 2 0 32 14 18 10
2 FERROVIÁRIO 6 4 1 1 27 11 16 9
3 JUVENTUS 6 3 0 3 19 23 -4 6
4 CORITIBA 6 3 0 3 13 17 -4 6
5 BRITÂNIA 6 2 0 4 13 20 -7 4
6 SAVÓIA 6 2 0 4 14 28 -14 4
7 PALESTRA ITÁLIA 12 1 1 4 10 15 -5 3
2º TURNO x
21.07.1940 ATLÉTICO 5 x 2 JUVENTUS
21.07.1940 PALESTRA ITÁLIA 3 x 2 FERROVIÁRIO
28.07.1940 JUVENTUS 7 x 2 SAVÓIA
28.07.1940 CORITIBA 6 x 1 BRITÂNIA
04.08.1940 CORITIBA 8 x 0 SAVÓIA
04.08.1940 PALESTRA ITÁLIA 3 x 0 ATLÉTICO
11.08.1940 FERROVIÁRIO 4 x 1 JUVENTUS
11.08.1940 SAVÓIA 3 x 1 PALESTRA ITÁLIA
18.08.1940 ATLÉTICO 3 x 1 BRITÂNIA
25.08.1940 CORITIBA 1 x 0 FERROVIÁRIO
01.09.1940 BRITÂNIA 2 x 2 PALESTRA ITÁLIA
01.09.1940 FERROVIÁRIO 3 x 2 SAVÓIA
08.09.1940 CORITIBA 3 x 2 ATLÉTICO
15.09.1940 CORITIBA 3 x 1 JUVENTUS
15.09.1940 SAVÓIA 2 x 0 BRITÂNIA
22.09.1940 PALESTRA ITÁLIA 4 x 3 JUVENTUS
22.09.1940 ATLÉTICO 3 x 1 SAVÓIA
29.09.1940 BRITÂNIA 1 x 1 JUVENTUS
20.10.1940 CORITIBA 1 x 0 PALESTRA ITÁLIA
06.10.1940 ATLÉTICO 5 x 1 FERROVIÁRIO
13.10.1940 BRITÂNIA 1 x 0 FERROVIÁRIO
CF CLUBES J V E D GF GC SG PG
1 CORITIBA 6 6 0 0 22 4 18 12
2 PALESTRA ITÁLIA 6 3 1 2 13 11 2 7
3 ATLÉTICO 6 4 0 2 18 11 7 8
4 FERROVIÁRIO 6 2 0 4 10 13 -3 4
5 SAVÓIA 6 2 0 4 10 22 -12 4
6 JUVENTUS 6 1 1 4 15 19 -4 3
7 BRITÂNIA 6 1 2 3 6 14 -8 4
FINAL x
10.11.1940 CORITIBA 3 x 1 ATLÉTICO

Coritiba Football Club - Campeão da 2ª Divisão - 1940

 

DATA: 04 DE AGOSTO DE 1940
LOCAL: CAMPO DO BRITÂNHIA SC, EM CURITIBA / PR

1º JOGO

BRITÂNIA

1-0

SAVÓIA

2º JOGO

ATLÉTICO

1-0

CORITIBA

3º JOGO

BRITÂNIA

2-0

JUVENTUS

FINAL

BRITÂNIA

3-1

ATLÉTICO

CAMPEÃO – BRITÂNIA SPORT CLUB (CURITIBA – PR)

 

LIGA REGIONAL DE FUTEBOL DE ANTONINA
DATA: 03 DE MARÇO DE 1940
LOCAL: ANTONINA / PR

1º JOGO

IPIRANGA

1-0

29 DE MAIO

2º JOGO

MATARAZZO

1-0

OPERÁRIO

3º JOGO

IPIRANGA

1-0

ATLÉTICO

FINAL

MATARAZZO

1-0

IPIRANGA

CAMPEÃO – MATARAZZO FUTEBOL CLUBE (ANTONINA – PR)

 

LIGA REGIONAL DE FUTEBOL DE ANTONINA
DATA: 21 DE ABRIL DE 1940
LOCAL: ANTONINA / PR

1º JOGO

29 DE MAIO

2-0

MATARAZZO

2º JOGO

ATLÉTICO

1-0

IPIRANGA

FINAL

ATLÉTICO

1-0

29 DE MAIO

CAMPEÃO – CLUBE ATLÉTICO ANTONINENSE (ANTONINA – PR)

 

LIGA REGIONAL DE FUTEBOL DE PARANAGUÁ
DATA: 28 DE ABRIL DE 1940
LOCAL: PARANAGUÁ / PR

1º JOGO

RIO BRANCO

1-0

DNC

2º JOGO

ELITE

1-0

PARANAGUÁ

3º JOGO

ELITE

1-0

RIO BRANCO

FINAL

SELETO

2-1

ELITE

CAMPEÃO – CLUBE ATLÉTICO SELETO (PARANAGUÁ – PR)

 

FONTE: Revista do Esporte

 

Esporte Clube Água Verde (Curitiba-PR) - 1958

© 2016 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha