Estrela do Mar: o clube campeão paraibano de futebol em 1959 surgiu aproximadamente em 1953. 

A matriz do Rosário mais o Convento São José possuía agremiações religiosas como a Cruzada (Liga Infanto-Juvenil) e a Congregação Mariana. A primeira era composta por meninos que ajudavam nos ofícios religiosos, além de se reunirem para assistirem palestras e ensinamentos relativos à fé católica.  A segunda –  a Congregação Mariana – compunha-se de jovens adolescentes e adultos que assistiam e participavam das missas, novenas, etc. e, também se reuniam em grêmios literários que promoviam encontros e palestras.Como diversão eles tinham a prática do futebol campinho que ficava atrás da Igreja. Esse campinho tinha uma trave junto ao muro que dá para a Avenida Vasco da Gama e, a outra ficava colada à parede da marcenaria da igreja. Depois que o campo mudou sua posição, e ficou maior, junto àquela parede foi construída uma quadra de futebol de salão. Várias equipes se revezaram naquele pequeno espaço, sob o comando de Frei Albino. (…)

Os mais velhos tinham os “bate-bolas” nos sábados à tarde. Dessas peladas, e de jogos contra equipes visitantes, surgiu a ideia de se formar uma equipe a fim de pelejar com outras dos bairros vizinhos, e do próprio bairro de Jaguaribe. Assim apareceu o Estrela do Mar Esporte Clube, nome originário de uma revista religiosa que circulava entre os paroquianos. A denominação do clube foi sugerida por um componente de grupo que se reuniu para discutir qual o nome da que daria a nova agremiação futebolística. “Baú”, apelido do irmão do excelente jogador do Botafogo e Seleçao Paraibana de nome Eugênio, foi a pessoa que apresentou o nome ESTRELA DO MAR e que logo recebeu a aprovação de todos.

 

As cores do novo clube foram com base nas vestes da Virgem Maria – o azul celeste e o branco – , que ainda hoje continuam inalteradas, mas na lembrança dos apaixonados pelo clube. Frei Albino, um dos fundadores e incentivadores da prática desse esporte, era a mola-mestra, o esteio que sustentava a agremiação. De um pequeníssimo campo e uma sede precária, o frade conseguiu transformar tudo aquilo. Com esforço e dedicação conseguiu verbas na Alemanha, destinadas à agremiação para construir o prédio que serviu de sede do clube e, também, autorização para ampliar a área esportiva (como esteve por muitos anos à vista de todos).

 

Em 1956 o clube participou do campeonato de amadores promovido pela Federação (não havia segunda divisão naquela época), sendo campeão invicto da temporada. Dessa jornada participaram: Brandão, André, Pinheiro, Hélio, Breno Formiga, Gilberto Cara de Gato, Hermes Taurino, Caju, J. Heráclito, Roberto Biribita, Izinho, Valdecir Pereira, Adjamir, Carrinho e Lauro Almeida.

 

O Estrela do Mar foi tri-campeão aspirante nos anos 58/59/60. No ano de 1957 o clube passou a disputar o Campeonato Paraibano de Profissionais. Foi vice-campeão paraibano em 1958, e, em 1959, sagrou-se campeão estadual (Imagem 1), utilizando nessa temporada os seguintes atletas: Jola, Carrinho, Davi, – Gilberto Cara de Gato, Tem. Gilberto e Aderbal Pitombeira (goleiros), Hermes Taurino e Teófilo Luna, Coelhinho, Caju, Lúcio Câmara, Izinho (Antenor Pereira), Emilson Adjamir, Valdecir Pereira, Celso Piaba (Imagem 2). Os diretores: Severino Holanda, mais conhecido por “Viu” e Lucemar Navarro; Pedro Gomes; Rômulo Camboin, a que todos o chamavam Senhor Pila e João Batista Cruz, foram os colaboradores eficientes na vida do clube. Depois deles, os antigos pupilos – “as crias de casa” -, conduziram, bem ou mal, os destinos do clube até o ano de 2003 quando foi extinto.

 

Imagem 1. Notícia publicada no jornal “A União” em 1959

Imagem 2. Atletas que faziam parte do time campeão paraibano de futebol de 1959

O clube, desde a morte de Frei Albino, passou a ser dirigido por sócios-atletas, isto é, pelos jovens de antigamente, a exemplo de Marcos Macena, de José Freire, de Carlos Pereira (Carrinho), de Emilson, de Roberto Oliveira, de Jobério Martins, de Gladston Castro (Estaca) que foi o último presidente. *[1]

 

* Trecho retirado do livro  “Retratos De Jaguaribe: Um Passeio Histórico” de autoria de Emilson Ponce de Leon Ribeiro.

[1] RIBEIRO, E. P. L.  Retratos De Jaguaribe: Um Passeio Histórico. 2ed. João Pessoa: Mídia Gráfica e Editora, 2012, v.1, 350 p.

 

Fonte: Estrela do Mar Esporte Clube e Jornal “A União”.

 

 


FONTE: Revista Placar

 

TURNO ÚNICO

05.08.1954

TREZE(PB)

2-1

AUTO ESPORTE(PB) JOÃO PESSOA – PB

05.08.1956

BOTAFOGO(PB)

4-1

ABC(RN) JOÃO PESSOA – PB

07.08.1954

BOTAFOGO(PB)

2-0

AUTO ESPORTE(PB) JOÃO PESSOA – PB

07.08.1954

TREZE(PB)

2-2

ABC(RN) JOÃO PESSOA – PB

08.08.1954

AUTO ESPORTE(PB)

3-1

ABC(RN) JOÃO PESSOA – PB

08.08.1954

BOTAFOGO(PB)

1-0

TREZE(PB) JOÃO PESSOA – PB

CAMPEÃO – BOTAFOGO (JOÃO PESSOA-PB)

 

TORNEIO DAGOBERTO PIMENTEL

06.04.1961

NÁUTICO(PE)

2-0

CAMPÍNENSE(PB)

06.04.1961

TREZE(PB)

1-0

SANTA CRUZ(PE)

09.04.1961

CAMPÍNENSE(PB)

2-2

NÁUTICO(PE)

09.04.1961

SANTA CRUZ(PE)

0-2

TREZE(PB)

12.04.1961

SANTA CRUZ(PE)

4-2

CAMPÍNENSE(PB)

13.04.1961

TREZE(PB)

0-0

NÁUTICO(PE)

16.04.1961

NÁUTICO(PE)

1-3

TREZE(PB)

16.04.1961

CAMPÍNENSE(PB)

3-3

SANTA CRUZ(PE)

21.04.1961

SANTA CRUZ(PE)

3-2

NÁUTICO(PE)

21.04.1961

CAMPINENSE(PB)

1-1

TREZE(PB)

23.04.1961

SANTA CRUZ(PE)

2-1

NÁUTICO(PE)

23.04.1961

TREZE(PB)

2-2

CAMPINENSE(PB)

CAMPEÃO – TREZE FUTEBOL CLUBE (CAMPINA GRANDE – PB)

 

 

FONTE: Revista Placar

 

FONTE: Revista Placar

 

O Auto Esporte Clube é uma agremiação da cidade de João Pessoa (PB). O “Clube do Povo” foi Fundado no dia 07 de Setembro de 1936, por um grupo de taxistas que se concentravam na Praça do Relógio, hoje conhecido como Ponto de Cém Reis, no centro da cidade de João Pessoa.

No entanto, por motivos até então desconhecidos, seu aniversário é comemorado no dia 7 de setembro. É conhecido como o Clube do Povo e o seu mascote é o macaco. É o quarto maior vencedor do Campeonato Paraibano de Futebol.

Nos primeiros anos, o Auto treinava nos campos localizados no centro da capital, o que foi lhe dando popularidade, devido a isso, arrastou multidões aos estádios, e pouco a pouco, criando a sua originalidade que até hoje é conhecido como o Clube do Povo.

Dando início a sua galeria de troféus, o Clube do Povo em 1939 conquistou o seu 1º campeonato paraibano e de maneira invicta. Em 1959 foi o primeiro clube paraibano a disputar uma competição nacional, a Taça Brasil (hoje reconhecida como Campeonato Brasileiro pela CBF).

Conquistou esse direito depois de ter sido campeão paraibano do ano anterior. Já no ano de 1993 foi o primeiro paraibano a vencer na Copa do Brasil ao derrotar o Paysandu por 2a1 no Estádio Almeidão, em João Pessoa.

 

PRIMEIRO JOGO INTERNACIONAL

No ano de 1951 o Auto Esporte Clube realizou sua primeira partida internacional, contra a tripulação do barco argentino Punta Del Loyola, que estava ancorado no porto de Cabedelo, e venceu por 5 a 1.

 

CAMPEÃO INVICTO DE 1939

Em 1939, o Auto Esporte sagrou-se Campeão Paraibano invicto, pelo campeonato organizado pela LDP (Liga Desportiva Paraibana). No primeiro compromisso, o Auto Esporte venceu ao Treze por 3 a 2; em seguida derrotou o Esporte Clube União por 2 a 1; Palmeiras-PB por 2 a 1, para, 8 dias depois, empatar em 1 a 1 com o Botafogo-PB e, finalmente, encerrar a temporada, aplicando a goleada de 7 a 1 ao Felipeia.

Quadro campeão, com os jogadores que revezaram durante a temporada: Terceiro (Lins), Biu (Lucena), Zé Novo, Henrique, Gerson, Aluízio, Neco de Cabedelo e Formiga (Pé de Aço); Pitôta, Pedrinho e Misael.
1958: AUTO CONQUISTA O ESTADUAL DUAS VEZES

O Campeonato Estadual de 1956, conquistado pelo Auto Esporte, só foi decidido dois anos depois, numa série em “melhor de três”, entre Auto e Botafogo-PB.

O alvirrubro venceu o primeiro jogo pelo escore de 2 a 1, no Estádio Olímpico. O placar foi inaugurado aos 21 minutos do primeiro tempo, por intermédio de China, marcando para o Auto Esporte. Pedro Negrinho empatou aos 36 ainda na fase inicial. No segundo tempo coube a Delgado marcar a tento que deu a primeira vitória ao quadro automobilista.

Na semana seguinte, foi decidido o campeonato com o Auto vencendo mais uma vez por 2 a 1, escore que lhe deu o título de Campeão Paraibano de 1956, com a seguinte equipe: Freire, Calado e Lucas; Xavier, Américo e Croinha; Pitada, China, Delgado, Massangana e Alfredinho.

No dia 21 de dezembro de 1958, no Estádio Leonardo da Silveira, Auto Esporte e Íbis se empenharam na luta pelo título estadual, que acabou sendo conquistado pelo quadro automobilista pelo placar de 3 a 1, marcando para os vencedores Piau (2) e Alfredinho, cabendo a Moacir descontar para o Íbis. O time campeão atuou com: Agostinho; Wilson e Américo; Élcio, Joca e Croinha; Tito, China, Macau, Alfredinho e Piau.


TÍTULO DE 1987 ACABA COM JEJUM DE QUASE TRÊS DÉCADAS

Em 2 de novembro de 1987, perante um público de 15 mil espectadores, o Auto Esporte conseguiu, ao empatar com o Botafogo-PB, quebrar um tabu que já vinha durando 29 anos sem conquistas do Campeonato Paraibano.

O árbitro deste jogo foi José de Assis Aragão, que pertencia à Federação Paulista de Futebol e deixou de validar um gol do Botafogo-PB, marcado pelo lateral-direito Santana Filho, quando o jogo estava 0 a 0. Os assistentes foram José do Egito e Marcos Nunes Teobaldo, ambos da Paraíba.

Para desespero da torcida motorizada, o Botafogo partiu na frente. Mas o Auto Esporte teve forças para empatar com Bona, aos 44 minutos da etapa final. A equipe esteve formada assim: Adaílton; Walter, Neurilene, Marconi e Carlito; Farias, Dagoberto (Dentinho) e Tola; Zé Carlos, Isaías e Anchieta (Bona). O Auto Esporte na ocasião era treinado por Víctor Hugo e presidido por João Máximo Malheiros.
CAMPEÃO ESTADUAL DE 1990 E 1992

Durante o Campeonato Paraibano de 1990, era inegável que, mesmo antes de terminar o campeonato, o Auto tinha o melhor time. A confiança excessiva da torcida e da diretoria, acabou provocando um clima de guerra para o jogo contra o seu principal rival. O Botafogo-PB bem que tentou dificultar os passos do quadro volante.

Porém, isso nada valeu, pois Neto Surubim recebeu uma bola cruzada e bateu forte para o gol, sem chances de defesa para o goleiro Marola, do Botafogo-PB. O placar de 1 a 0 garantiu o título ao Auto Esporte, sob comando do treinador Mineiro, com a seguinte escalação: Jorge Pinheiro; Santana, Carlinhos Paraíba, Gilvan e Mano; Farias Álvaro e Neto Surubim (Adriano); Cao (Gilmar), Isaías e Betinho.

No Estadual de 1992, os alvirrubros fizeram a festa do título em pleno Estádio Amigão, diante dos torcedores trezeanos, que eram a maioria. Após a derrota no tempo normal de jogo, o Auto esteve impecável taticamente na prorrogação.

Mais ativo na partida, indo para o tudo ou nada, haja vista que o empate interessava unicamente ao Treze, o Auto fez o gol da vitória na prorrogação, aos 5 minutos, com Cristiano marcando o tento alvirrubro.

O Auto Esporte jogou com: Zenóbio; Gilmar (Cao), Salerno, Carlinhos Paraíba e Adriano; Deoclécio, Nilo e Betinho; Walber (Everton), Isaías e Cristiano. Técnico: Carlos (Carlão). Ainda neste mesmo ano, o Auto Esporte terminou na 3ª colocação do Campeonato Brasileiro da Série C.

 

O Auto Esporte é o único clube paraibano a fazer excursão à Europa, em 1999. Em 2004, o Auto Esporte foi rebaixado para a Segunda Divisão paraibana, retornando, no ano de 2006 à elite do futebol paraibano. No dia 29 de maio de 2011 o Auto Esporte é campeão da Taça Brasil de Futsal Sub-17 - 2ª Divisão, levando o futsal paraibano para a 1ª Divisão do campeonato. O destaque do time foi o ala Netinho, camisa 10 da equipe.

O Auto Esporte sagrou-se, no dia 29 de outubro de 2011, campeão da Copa Paraíba 2011 em cima do Treze, vencendo por 3 a 1. Em 2012 o Auto Esporte foi eliminado na primeira fase da Copa do Brasil pelo Bahia, ao perder por 3 a 0, no Estádio Almeidão. Ficou em oitavo lugar no Campeonato Paraibano de Futebol de 2012.

E a partir daí, o Auto Esporte começou a ter um desempenho muito ruim. E até hoje tem lutado para recuperar a época das grandes conquistas.

 

 

FONTES: Wikipédia – http://automaniacos1939.blogspot.com.br/

 

 

O Sanhauá Football Club foi um clube de futebol constituído por elementos do Club do Remo (foi o primeiro registro conhecido da tentativa de se implantar um clube náutico na Paraíba.  A expansão urbana da capital para as praias só ocorreria décadas depois. Logo, seus sócios organizavam exibições e corridas de regatas no Rio Sanhauá). A agremiação dividia suas atividades entre a prática náutica e futebolística.

Além dos principais clubes esportivos, também figurava o Club do Remo, fundado em 1921 com o objetivo da prática de regatas e outros esportes náuticos, ele também possuía um quadro de futebol, constituindo-se no Sanhauá Football Club. O Club do Remo realizava suas atividades náuticas ao largo do Rio Sanhauá, próximo onde hoje se encontra a comunidade do Porto do Capim, bairro do Varadouro.

FONTE:  automaniacos1939.blogspot

 

FONTE:  automaniacos1939.blogspot

 

O Vila Branca Sport Club é uma agremiação do Município de Solânea (PB). Fundado no dia 18 de maio de 1924, o clube Alvirrubro participou de 7 (sete) edições, sendo seis consecutivas, do Campeonato Paraibano da Primeira Divisão: 1994, 1995, 1996, 1997, 1998, 1999 e 2002. A sua estreia aconteceu em 1994 após se sagrar campeão da Segundona Paraibana de 1993. Em sua primeira participação, surpreendeu ao ficar em 1º lugar no quadrangular que rebaixaria o Treze e o Auto Esporte ao Campeonato Paraibano da Segunda Divisão, em 1995.

Sua melhor classificação foi em 1997, quando ficou em 5º lugar no geral. Em 2000, o Vila Branca desistiu de participar do Campeonato. A equipe tentou retomar as atividades em 2001, porém débitos com a Federação Paraibana de Futebol (FPF) impediram a participação do Vila Branca, que disputaria ainda a edição de 2002, parando nas quartas de final. Desde então, o clube, que manda seus jogos no Estádio Tancredão, não voltou a disputar competições oficiais, dedicando-se atualmente a jogar campeonatos na região do Brejo.

 

FONTES: Rsssf Brasil – Wikipédia – Arauna1 - acervodigitaldofutebolparaibano.blogspot
 

Atlético Cajazeirense de Desportos é uma agremiação esportiva de Cajazeiras, (PB). No dia 3 de julho de 1948, um grupo de desportistas reuniu-se as margens da BR-230, sob o comando do senhor Higino Pires Ferreira, com o objetivo de definirem a criação de um clube de futebol. Na pauta, a proposta de fusão entre a equipe do Botafogo F.C, do Sr. Emi Maciel, e o clube Oratório Festivo Salesiano, um dos principais clubes sociais da região na época. Após alguns entendimentos, definiram para a data de 21 de julho daquele mesmo ano a fundação do Atlético Cajazeirense de Desportos.

Em 1984, o então governador da ParaíbaWilson Braga, alugou à Cajazeiras o Nacional de Cabedelocom o objetivo de recolocar a cidade no cenário futebolístico do Estado. Nesta época, vários jogadores do Atlético conseguiram ingressar no elenco do Nacional. Em 1990, com o fim do contrato, os diretores do alviceleste decidiram profissionalizar a equipe para a disputa da Copa Integração.

Em 1991, o Atlético sagrou-se vice-campeão da competição, garantindo vaga no Campeonato Paraibano de profissionais, a partir de 1992. Sagrou-se campeão estadual em 2002, em decorrência da desistência do Campinense em disputar a partida e por conta da vitória do Botafogo sobre o Treze.

Depois de 2003, o Trovão Azul viveu altos e baixos, culminando com seu rebaixamento no Campeonato Paraibano de 2008 e sendo vice campeão da Segunda Divisão no ano seguinte. Com a nova queda no Paraibano de 2010, o Atlético resolveu pedir afastamento das competições, retornando apenas em 2012 para disputar a 2ª Divisão desse mesmo ano, tornando-se campeão da segunda divisão pela primeira vez.

Voltando a disputar a primeira divisão em 2013, o Atlético fez uma campanha regular no 1º turno, terminando em quarto lugar, mas assegurando o seu lugar na 1ª divisão de 2014. Já no segundo turno, o Atlético fez uma boa campanha, terminando em 3º lugar, sendo eliminado apenas na última rodada.

FONTES: Wikipédia – Página do Clube no Facebook – Só Futebol Brasil – Ismael Carlos

 

FONTES: Mercado Livre – Revista Placar

 

FONTE: Mercado Livre – Revista Placar

 

NOME: OURO VELHO ESPORTE CLUBE
CIDADE: Ouro Velho / PB
DATA DE FUNDAÇÃO: 15 de janeiro de 1990
CORES OFICIAIS:  azul / branco

 

O Treze Athletico Paraibano (atual Treze Futebol Clube) é uma agremiação da cidade de Campina Grande (PB). O ‘Galo da Borborema’ foi Fundado no dia 07 de Setembro de 1925, e tem a sua Sede localizada na Rua Teixeira de Freitas, s/n, no Bairro São José, em Campina Grande.

A história de glórias do Treze seguiu normalmente até meados dos anos 70. No entanto, o clube atolado em dividas, principalmente, com a previdência social fez com que a diretoria adotou uma estratégia para escapar desse abismo. Acreditando que poderia obter recursos junto ao Ministério da Educação e dos Esportes já que um programa governamental, apresentou  uma proposta para arrecadar recursos para a construção de uma vila olímpica.

Nas entrelinhas seria uma forma de fazer o básico com o dinheiro para construir o essencial. Para isto, o clube não poderia ter dividas no seu cadastro com o governo. Em 1978, a diretoria decidiu dar aquele “jeitinho brasileiro” e mudou o nome do clube e o CNPJ, trocando “Treze Futebol Clube” para “Treze Athletico Paraibano”.

Durante três anos o clube manteve essa nomenclatura, mas sem o consentimento da sua apaixonada torcida. Então, em Novembro de 1981, com a pressão dos torcedores, tendo Bióca à frente de uma grande movimento, a diretoria do Treze aceitou que fosse realização um plebiscito para definir se mantinha o nome ou se voltava para o original.

E o resultado foi acachapante para não deixar dúvidas: 300 contra 4 votos e o clube voltou a adotar o nome de fundação: Treze Futebol Clube. A curiosidade é que antes de voltar ao antigo nome o Treze Athletico Paraibano, se despediu conquistando o Campeonato Paraibano da 1ª Divisão de 1981.

FONTES & FOTO: Júlio Cesar – Blog Treze Galo

 

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado 

 

FONTE: Mercado Livre (Jairo Aguiar C/orquestra – Souvenir Esporte Club Cabo Branco)

 
CAMPINENSE CLUBE (CAMPINA GRANDE-PB)

11

EC PATOS (PATOS-PB)

0

Data: 04 de fevereiro de 1976 Local: Campina Grande – PB
Juiz: Jair Pereira Caráter: Campeonato Paraibano – 1976
Gols: Edvaldo (3), Luisinho (2), Valmir, Edvaldo Araujo, Carlinhos, Eli, Sandoval e Porto
Campinense(PB): Carlos; Edvaldo, Naná, Tanda e Eli; Carlinhos, Rubens Salim (Sandoval) e Porto; Leone, Edvaldo Araujo (Luisinho) e Valmir.
Esporte(PB): Batista; Marcos (Luis), Edmilson, Evilásio e Dedé; Toinho e Djalma; Peres, Anselmo, Beto e Neco.
 

FONTE: Revista Sport Ilustrado 

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

 

FONTES: Revista Sport Ilustrado

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

O CICA (Companhia Industrial, Comercial e Agrícola) foi uma agremiação da cidade de Patos (PB). Fundado na década de 30, por funcionários da firma Companhia Industrial, Comercial e Agrícola, que tinha como Gerente Valdeban Carneiro. A sua Sede e o campo ficavam próximos as margens do lado esquerdo do Rio Espinhares. Ambos construídos pelos funcionários da empresa com objetivo de abrigar os treinos da equipe CICA.

Para defini-lo na atualidade, quanto à sua localização, uma das suas traves ficava na residência do jogador Severino (Rua Laurênio de Queiroz) e a outra baliza ficava bem lá embaixo, onde há hoje o Colégio GEO (Rua Antônio Justino), no Bairro Belo Horizonte, em Patos.

DESCRIÇÃO E CURIOSIDADES DO CAMPO

O Campo em si, era cercado com estacas pintada de azul e branco (cores da Padroeira da cidade de Patos e também utilizada na padronagem do time CICA), tendo na sua extremidade um orifício, por onde passava o arame que delimitava a separação que devia haver entre os jogadores e a torcida.

Duas curiosidades ornamentavam o Campo da CICA. Uma era a grande barraca de Inácio Fernandes (genitor do jogador Marreca) que saciava a sede dos espectadores, durante o intervalo do primeiro para o segundo tempo, com laranjas.A segunda, era a barreira do Rio Espinhares, na sua margem direita, que ficava repleta de moradores do Bairro do São Sebastião, em dia de jogo.

  

FONTES: Revista Sport Ilustrado – Júlio César Gomes de Oliveira

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

O Paraíba EC de Cajazeiras, fundado em 07 de Julho de 2005, trocou o seu escudo em 2016. Segue o novo modelo.

Fonte: Súmulas da FPF

 

 

 

06.04.1961

NÁUTICO(PE)

2-0

CAMPINENSE(PB)

06.04.1961

TREZE(PB)

1-0

SANTA CRUZ(PE)

09.04.1961

SANTA CRUZ(PE)

0-2

TREZE(PB)

09.04.1961

CAMPINENSE(PB)

2-2

NÁUTICO(PE)

12.04.1961

SANTA CRUZ(PE)

4-2

CAMPINENSE(PB)

13.04.1961

TREZE(PB)

0-0

NÁUTICO(PE)

16.04.1961

NÁUTICO(PE)

1-3

TREZE(PB)

16.04.1961

CAMPINENSE(PB)

3-3

SANTA CRUZ(PE)

21.04.1961

SANTA CRUZ(PE)

3-2

NÁUTICO(PE)

21.04.1961

TREZE(PB)

1-1

CAMPINENSE(PB)

23.04.1961

CAMPINENSE(PB)

2-2

TREZE(PB)

23.04.1961

SANTA CRUZ(PE)

2-1

NÁUTICO(PE)

Treze Futebol Clube - Campeão do Torneio Dagoberto Pimentel - 1961

 

FONTE: Gazeta Esportiva

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

O Treze Futebol Clube é uma agremiação da cidade de Campina Grande (PB). Fundado no dia 07 de Setembro de 1925, tem a sua Sede e o Estádio Presidente Vargas, localizados na Rua Teixeira de Freitas, s/n, no Bairro São José, em Campina Grande.

 HISTÓRIA

Início do Futebol em Campina Grande – O futebol foi introduzido em Campina Grande no ano de 1913, quando Antônio Fernandes Bioca trouxe a primeira  bola de futebol e, juntamente com alguns amigos, organizou um grupo que começou a praticar o novo esporte. Esse grupo começou a treinar em junho deste mesmo ano num campo que ficava onde hoje é a rua João Pessoa. Bioca também foi o responsável por organizar o primeiro clube de Campina, o “High Life”. Nesse período surgiram vários outros times e foram disputadas diversas partidas.

FUNDAÇÂO

No dia 7 de setembro de 1925, Bioca se reuniu com mais doze desportistas em sua residência e fundaram um novo clube de futebol. Nessa mesma reunião foi aclamado Presidente interino do clube Antônio Fernandes Bioca, Orador o Dr. Luiz Gomes da Silva e o Secretário Sr. Alberto Santos. Ficou também determinado que seria marcada uma outra reunião em uma próxima data.

O PORQUÊ DO NOME ‘TREZE’

Foi nessa segunda reunião, acontecida no dia 20 de outubro de 1925 também na residência de Bioca, onde foi colocada em discussão qual seria o nome para este clube. E a proposta aceita foi a do Sr. José Casado que disse: “que o clube deveria tomar o nome de Treze Futebol Clube, em virtude de ter sido este número coincidido os fundadores que são Treze pessoas”.

TÍTULOS

Campeonato Paraibano (16 títulos)
1940 / 1941 / 1950 / 1966 (Invicto) / 1975 / 1981 / 1982 / 1983 / 1985 / 1989 / 2000 / 2001 / 2005 / 2006 / 2010 / 2011

Campeão módulo amarelo Torneio Paralelo CBF
(equivalente à Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro)
1986

Torneio Pernambuco Paraíba
1961

Torneio Paraíba – Rio Grande do Norte
1980

 

FONTES:  Filatélica Zeppelin - Museu Virtual do Esporte de Campina Grande – Site do clube

 

FONTE: O Malho

 

Auto Esporte Clube (João Pessoa-PB) - 1960

 

Paulistano Esporte Clube (Campina Grande-PB) - 1960

 

O Santos Futebol Clube, de João Pessoa, foi fundado em 9/11/1949 e em 1954 disputou pela primeira vez o Campeonato Paraibano, na época chamado de “Misto”, por ter times profissionais e semiprofissionais. Ao longo de cinco décadas, o clube estabeleceu um recorde: participou ininterruptamente de 39 edições do Campeonato Paraibano, aproveitando-se de crises políticas e financeiras que acometeram os quatro grandes campeões do Estado ainda na ativa – Botafogo, Campinense, Treze e Auto Esporte -, que deixaram de jogar um ou outro campeonato.

O recorde do Santos de Tereré só foi batido por um desses quatro em 2013, quando o Botafogo alcançou a marca de 40 edições consecutivas jogando o campeonato.

Ao longo dos tempos, o Santos quase sempre foi figurante no campeonato, fazendo-se presente na parte de baixo da tabela, na companhia de times como Nacional de Cabedelo e Santa Cruz de Santa Rita. Contudo, ano sim ano também o Santos estava lá.

A partir dos anos 2000, o clube preferiu manter apenas categorias de base e abandonou o futebol profissional. O campo que o clube possui hoje situa-se no bairro Ernesto Geisel, em João Pessoa, podendo ser visto aqui, no Google Street View.

Recentemente, o clube foi lembrado em uma crônica no site Esporte São José do Sabugi pelo colunista Francisco Serpa, cuja reprodução autorizada segue abaixo:

Crônicas do Serpa: O Santos de Tereré

O mundo possuía o Santos de Pelé e companhia, um time que ganhava todos os campeonatos que disputava, aqui e em alhures; João Pessoa desfrutava do Santos de Tereré, um time que não ganhava campeonatos mas jogava com bastante raça e formava e ainda forma jovens para a vida.

Três desportistas sonhadores, Jonatas Figueiredo de Souza, Renato Queiroz Fernandes e José Walter Marinho Marsicano, no dia nove de setembro de 1949, sentados em uma Praça localizada na Rua Odon Bezerra, Tambiá, em frente ao atual prédio da Federação Paraibana de Futebol fundaram o Santos Futebol Clube de João Pessoa. Não resta dúvida que a escolha do nome foi uma singela homenagem ao time paulista.

Por muitos anos o Santos Futebol Clube disputou a primeira divisão do campeonato paraibano de futebol com equipes modestas, utilizando jogadores jovens e prata da casa. Era um misto de juvenil com amador com garra e vontade competindo com os profissionais. Onde faltava recursos e meios, sobrava improvisação e disposição.

O seu eterno presidente José Walter Marsicano, que era conhecido por Tereré, dedicou-se tanto ao clube que o seu apelido foi incorporado pelo time, quando passou a ser carinhosamente denominado pelo torcedor e pela imprensa como o “Santos de Tereré”. Ele presidiu a agremiação por mais de trinta anos e nutriu no seio de sua família o amor pela agremiação, deixando o seu filho Leonardo Menezes Marsicano e o neto Leonardo Filho comandando a agremiação e não deixando o sonho acabar.

Vários jovens foram revelados nos quadros da base do Santos Futebol Clube e que posteriormente vestiram a camisa de times considerados grandes no estado e em centros maiores. Quem não se lembra do atacante “Zito Camburão”, do ponta esquerda “Vandinho”, do goleiro “Ademar”, do centroavante “Ary”, de “Marcos do Boi “ e tantos outros que a memória não recorda?

Em 1998 a agremiação resolveu suspender as suas atividades do departamento de futebol profissional, e dedicar-se exclusivamente as categorias de base que funcionam no seu centro de treinamento localizado no Bairro do Geisel, disputando anualmente todas as competições oficiais: desde fraudinha aos juniores.

Entre os títulos conquistados no futebol pelo Santos Futebol Clube, dois são bastante lembrados por seus dirigentes, o primeiro foi o título invicto do campeonato amador, quando seu treinador era o comentarista esportivo Ivan Bezerra Cavalcante, o segundo foi a conquista da segunda divisão do campeonato paraibano.

Como não poderia deixar de ser o Santos enfrentou várias crises durante a sua existência, em uma delas o time foi derrotado por 10 x 0 pelo Treze Futebol Clube, em Campina Grande. Nesse dia ninguém se entendeu, nem dentro nem fora de campo, e a discussão foi tão grande que no retorno esqueceram de trazer o material de jogo, que ficou na Rainha da Borborema.

Mesmo reconhecendo as dificuldades e a falta de políticas públicas destinadas aos clubes de futebol, em particular, aos pequenos, o sonho dos herdeiros de Walter Marinho Marsicano, o “Tereré”, é reativar o departamento de futebol profissional do Santos e voltar a disputar a primeira divisão, como nos bons e saudosos tempos.

Francisco Di Lorenzo Serpa
Membro da API, UBE e APP
falserpa@oi.com.br

O post original pode ser acessado aqui. Vale a pena visitar as outras colunas do Serpa, com várias histórias do futebol da Paraíba.

Assim como o caso do Floresta de Rio Branco/AC, o Santos de Tereré é mais um caso de clube que se confundiu com seu quase eterno mantenedor, e certamente há milhares de casos parecidos Brasil afora.

 

Em 1984, o tradicional clássico dos Maiorais, entre Campinense e Treze, válido pelo campeonato paraibano, foi atracão de um bingo no estádio Amigão.

A imprensa local afirma que nunca o estádio recebeu tanto público e como o ingresso foi a cartela não foi computado renda e pública.

Além disso, o classico foi marcado por um show de gols no maior clássico do futebol de Campina Grande na Paraíba.

O jogo:

Treze 4 x 4 Campinense
Campeonato Paraibano – 2º turno
Data: 23/set/1984
Estádio: Ernani Satyro – Amigão
Cidade: Campina Grande
Árbitro: José Marinho
Auxiliares: José Clizaldo e Erinaldo Olinto
Publico e renda: não divulgados
Gols: Santos (Cam) 2, 36 e 43/1ºT; 21/2ºT. Jangada (Tre) 3/2ºT, Almir (Tre) 23/2ºT e Odilon (Tre) 33/2ºT e aos 40/2ºT

Treze: Hélio Show, João Alfredo (Neinha), Aloisio, Dudé, Marcos Antônio, Edmar, Odilon, Edmo, Jangada, Almir e Aragão (Menon) Técnico: Sandoval Guedes

Campinense: Adilson, Santana (Luis Alberto), Marcos Silva, Dão, Marcos Antônio, Adauto, Galeguinho, Rinaldo, Carlão, Santos (Paulinho) e Rildo. Técnico: José Santos

 f: cg em retalhos

 

O Botafogo Futebol Clube (ou simplesmente, Botafogo de Inocêncio Oliveira), foi uma agremiação do Município de Patos (PB). O Alvinegro foi Fundado em 1946, por Inocêncio Oliveira, que seis anos depois foi um dos fundadores do Esporte Clube de Patos.

INVENCIBILIDADE QUE DUROU 6 ANOS

O mais curioso da história do futebol de Patos está relacionado ao fato de que nenhum dos times profissionais chegou a proporcionar tantas alegrias quanto o amador Botafogo de Inocêncio Oliveira. A equipe Alvinegra conseguiu permanecer invicto durante mais de seis anos, escrevendo uma das páginas mais bonitas da cidade sertaneja. Diferentemente de hoje, havia uma enorme dedicação, amor às cores da bandeira e insistente vontade de vencer.

INOCÊNCIO DE OLIVEIRA: O PATRONO

A chegada daquele que mais tarde seria considerado o patrono do nosso futebol, data de 1921. Inocêncio Oliveira, que nascera em Taperoá, no dia 26 de outubro de 1895, vinha tentar a sorte em solo das Espinharas, desenvolvendo a sua atividade profissional de pedreiro.

Contudo assumiu funções distintas: músico da Banda do professor Anésia Leão, fiscal da Prefeitura e, juntamente com Adauto Procópio, Pedro Alma, Antônio Macaco, Severino Grosso e Manoel Chibara, desenvolveu incursões em busca de minérios, o que lhe rendeu um considerável patrimônio.

Com relação ao seu ingresso no futebol, vale ressaltar que tudo teve início a partir de uma visita dos amigos Souto Maior e Zé Balbino, o convidando para uma reunião no sobradinho onde funcionou o Açougue Público, na Praça da Babilônia.

Lá chegando, encontrou ainda, Caetano Marinho, Adauto Santos, Severino Lustosa, Luiz Marinho, entre outros, que praticamente o impuseram a condição de presidente da equipe ora em formação. De pronto foi feita uma coleta de quase três contos de réis.

No dia seguinte Inocêncio mandou cercar o Campo do Estrela e transformou sua casa em hotel para os jogadores procedentes de outras cidades, onde os mesmos tinham café, almoço, janta e ceia, além de dinheiro para algumas farras.

Dada a experiência, captada a partir da época em que jogou futebol em sua terra natal, não aceitou de início disputar partidas com os seus principais rivais, a exemplo do Brasil e o Cica. Somente quando chegou a seleção desejada, composta de Zezé, Urái, Biu Porto, Totinha, Zé Bom, Adelson, Mané de Ferro, Josias, Araújo, Ruivo e Zuca, é que decidiu encarar os adversários, obtendo os melhores resultados.

TREZE E FERROVIÁRIO-CE FORAM BATIDOS

O primeiro grande jogo diante do Treze de Campina Grande foi o maior termômetro de que a façanha estava apenas por começar. Ao final o Botafogo havia vencido por 6 a 5. A Seleção de Coremas, uma das melhores equipes da região, também veio a Patos e acabou amargando uma derrota por 4 a 0.

Pediu revanche e após um bom período de preparação voltou para vingar-se e novamente foi derrotada, desta feita por 4 a 2. Irritado com a equipe perdedora, o seu técnico França rumou para Fortaleza prometendo que voltaria para acabar com a imbatível agremiação de Patos. Tempos depois ele enviou o Ferroviário do Ceará que havia conseguido um empate com o forte Fluminense do Rio. Aqui chegando foi derrotado por 3 a 2.

Durante a existência do Botafogo de seu Inocêncio, o povo de Patos viveu um permanente carnaval. No entanto, já abatido financeiramente e registrando problemas de saúde, o dirigente que não conheceu a derrota teve que se transferir para a Bahia.

Ao regressar fora convidado para outra reunião e desta feita uma decisão prévia já havia sido tomada: a transformação do Botafogo em Esporte Clube de Patos. Mesmo não concordando, ele ofereceu toda a documentação, a bandeira, os troféus e, inclusive, o recibo do pagamento mensal feito à Federação.

 

FONTE & FOTOS: Site Pato em Revista

 

O Esporte Clube de Patos é uma agremiação do Município de Patos (PB). A sua Sede fica situada na Rua Pedro Firmino, s/n, no Centro de Patos. O ‘Terror do Sertão’ foi Fundado no dia 07 de Julho de 1952, em uma reunião realizada na sede do Tiro de Guerra de Patos, por alguns ex-atletas do extinto Botafogo de Inocêncio Oliveira Patos, sob o comando do Zéu Palmeira e de Antônio Araújo, conhecido como Araújo, maior glória do Esporte.

Admiradores do futebol pernambucano, os fundadores homenagearam o Sport e o Náutico, ao denominar a equipe como Esporte Clube de Patos e ao utilizarem o mesmo padrão adotado pelo alvirrubro recifense na época. Foram seus fundadores: Inocêncio Oliveira, Sargento Porfírio, Zéu Palmeira, Antônio Araújo, Souto Maior, Dr. Lauro Queiroz, Wilson Nobre, Mozinho Leitão, Francisco Queiroz (Chicão), Medeiros da Chevrolet, Vavá Brandão e Chico.

 

PRIMEIROS PRESIDENTE E TÉCNICO

O 1º presidente do Esporte foi José Torreão e primeiro técnico foi Manoel de Andrade. Conforme está registrado no álbum do futebol, em depoimento Inocêncio Oliveira afirmou que o Esporte surgiu da vontade de alguns torcedores em criar uma nova entidade esportiva para Patos, substituindo assim, o inesquecível Botafogo.

Segundo Metódio Leitão a escolha do nome do Esporte Clube de Patos foi uma proposta do Sr. Bivar Olhinto de Melo e Silva, que além de jogador, também foi juiz de futebol. Bivar Olhinto anos depois, foi eleito Prefeito de Patos e, posteriormente, deputado federal.

O Esporte durante muitos anos foi mantido e comandado por um de seus grandes jogadores, Zéu Palmeira e sua sede localizava-se na Avenida Epitácio Pessoa no centro de Patos, local onde hoje é o Banco do Brasil.

 

FUTEBOL

A tradição do Esporte Clube de Patos vem de muito tempo, visto que desde sua fase como time amador teve grandes atletas e formou equipes muito boas, mesmo antes de tornar uma equipe profissional, o que somente aconteceu em 1964 e, no ano seguinte 1965 passou a disputar o Campeonato Paraibano, permanecendo até 1974.

Em 1972 conquistou o Torneio Inicio promovido pela Federação Paraibana de Futebol (FPF), e em 1993, depois de 21 anos conquistou novamente. Disputou ainda em 1976 e 1977, retornando apenas em 1982 e disputando até 1995. Participou ainda das edições de 1997, 1998 e 2002. Após a conquista do Campeonato Paraibano da Segunda Divisão no ano de 2005, o alvirrubro patoense retornou mais uma vez a elite do futebol paraibano.

O Esporte na época ainda como equipe amadora proporcionou a sua aguerrida torcida, muitas alegrias no velho e inesquecível campo do ginásio. Ali partidas memoráveis contra equipes famosas foram realizadas: Sport Recife, São Cristovão (RJ) e Portuguesa Carioca (RJ), Ipiranga (BA), Sergipe, ASA de Arapiraca, Treze, Campinense e Paulistano de Campina Grande, Auto Esporte e Brejui de Currais Novos, dentre tantas outras.

Ali também o Esporte nunca perdeu para o seu grande rival, o Nacional e na primeira partida ganhou por 3 a 1. Em função de sua fama no interior do Nordeste, o Esporte foi convidado e disputou o Torneio Intermunicipal cearense representando a cidade do Cedro, a qual na época chegou a rivalizar com a cidade de Juazeiro do Norte, que tinha grandes equipes e era destaque no Ceará.

 

CRAQUES

Dentre os jogadores que passaram pelo Esporte na época do campo do ginásio destacam-se: Antônio Araújo, conhecido como Araújo e considerado pelos mais antigos como a maior glória do Esporte, ele chegou a jogar no Sport Recife e no Bahia; Mário Moura que saiu de Patos diretamente para jogar no Vitória de Setúbal em Portugal e Araponga um dos maiores craques que a Paraíba já teve.

Este última Inclusive é considerado por muitos em Campina Grande, como o melhor jogador de todos os tempos da equipe do Campinense, que na sua época chegou a ser Hexacampeão da Paraíba. Para se ter uma idéia do quanto Araponga era craque, quando Pelé estava no topo de sua carreira, e Santos considerado o maior time de futebol do mundo da época, Araponga foi comprado para ser o reserva de Pelé.

Essas e outras tantas histórias são a razão principal para que o Esporte tenha uma torcida tão apaixonada e vibrante mesmo quando as coisas não andam tão bem para o time.

 

PROFISSIONALIZAÇÃO

Após a gloriosa fase de muita tradição como uma grande equipe amadora, ficar bastante famoso no cenário esportivo e conhecido em todo o interior nordestino, pela qualidade de seus grandes atletas e pela formação de ótimas equipes, veio então a fase de profissionalização em 1964, quando filiou-se a Federação Paraibana de Futebol e passou a disputar o Campeonato Paraibano a partir de 1965.

Já ano de sua estréia como equipe profissional começou logo azarando seus adversários, ao aplicar uma histórica goleada de 11 a 0, na equipe do Cinco de Agosto da cidade de João Pessoa, uma das maiores goleadas registradas na história do futebol paraibano.

Por essa e outras façanhas jogando em Patos, o Esporte passou a ser chamado pela crônica esportiva da Paraíba de “O Patinho Terror do Sertão como até hoje é conhecido. A seguir são apresentadas algumas das equipes formadas pelo Esporte desde o início de suas atividades como time profissional em 1965.

 

Hino do Esporte Clube de Patos

Esporte! Esporte! Esporte!

O alvirrubro do meu coração!

Esporte! Esporte! Esporte!

É o patinho, o terror do sertão!

(BIS)

 

Quando ele arranca, todos sabem como é!

É mais um gol e a turma segue dando olé!

Desde Inocêncio, muita glória, muito amor,

Esse patinho é mesmo o terror!

 

FONTES: Julio César – Wikipédia – Página do clube no Facebook – Site Letras.mus.br

 

Seguindo o garimpo no Diário de Pernambuco, mas um modelo diferente. Trata-se de um escudo de 1963 do Campinense Clube. Agremiação rubro-negra da cidade paraibana de Campina Grande, foi Fundado no dia 12 de Abril de 1915.

Títulos

Regionais
Competição Títulos Temporadas
Brazil Region Nordeste.svg Copa do Nordeste 1 2013
Trophy(transp).png Taça Brasil – Nordeste 1 1962
Estaduais
Competição Títulos Temporadas
Paraíba Campeonato Paraibano 20 196019611962196319641965196719711972197319741975197919801991,1993200420082012 e 2015
Bandeira da Paraíba.svg Copa Paraíba 2 1973 Cscr-featured.png2006 Cscr-featured.png
Bandeira da Paraíba.svg Torneio Início do Campeonato Paraibano 7 196319641972197319751977 e 1980

FONTE: Diário de Pernambuco  - Wikipédia

 

O Guarany Esporte Clube Recreativo é uma agremiação da Cidade de João Pessoa (PB). Fundado no dia 15 de Agosto de 1957, a sua Sede fica localizada na Rua Dezenove de Março, 165, no bairro do Roger, em João Pessoa.

Além da sua sede social, o Guarany possui um belo Ginásio, onde ocorre, entre outras coisas, partidas do Campeonato Paraibano de Futsal.  O clube desenvolve diversos trabalhos sociais como a capoeira, futsal, judô, entre outros.

Na esfera do futebol, o Guarany do Roger disputou e se sagrou campeão do Torneio Início Misto da 1ª Divisão Paraibano de 1968. Vendendo o Íbis (2 a 0); o Auto Esporte (1 a 1, e vitória nos pênaltis) e  Vera Cruz (2 a 0).

 

FONTES: Google Maps – Rsssf Brasil

 
Campeonato Paraibano Misto de 1970

Taça Dagoberto Pimentel

Período: de 17 de maio a 27 de setembro de 1970

 

Participantes:

América Futebol Clube (Esperança)

Atlético Futebol Clube (Campina Grande)

Atlético Clube Tabajara (Alagoa Grande)

Campinense Clube

Esporte Clube Cultural de Cuité

Treze Futebol Clube

 

TURNO

17/maio

Cuité 1 x 3 Treze

Atlético 3 x 2 Tabajara

Campinense 4 x 0 América

 

24/maio

Tabajara 1 x 1 Cuité

América 0 x 0 Treze

Campinense 2 x 1 Atlético

 

31/maio

Cuité 0 x 1 Campinense

 

02/junho

Treze 5 x 1 Tabajara

 

07/junho

Cuité 1 x 0 América

Tabajara 0 x 0 Campinense

 

09/junho

Treze 1 x 1 Atlético

 

13/junho

Campinense 2 x 1 Treze

 

14/junho

América 1 x1 Tabajara

Atlético 6 x 1 Cuité

 

12/julho

América 0 x 0 Atlético

 

CLASSIFICAÇÂO DO 1º TURNO

CLUBES

PG

J

V

E

D

GP

GC

SG

Campinense

09

05

4

1

0

9

2

7

Treze

06

05

2

2

1

10

5

5

Atlético

06

05

2

2

1

11

6

5

Cuité

03

05

1

1

3

4

11

-7

América

03

05

0

3

2

1

6

-5

Tabajara

03

05

0

3

2

5

10

-5

 

RETURNO

05/julho

Treze 1 x 1 Cuité

Tabajara 3 x 0 Atlético

América 1 – 5 Campinense

 

08/julho

Treze 1 x 1 América

Campinense 2 x 0 Atlético

 

12/julho

Cuité 2 x 0 Tabajara

 

13/julho

Atlético 1 x 0 América

Tabajara 0 x 1 Treze

 

18/julho

Atlético 1 x 1 Cuité

América W.O. Tabajara

 

22/julho

Treze 4 x 1 Atlético

Campinense W.O. Tabajara

 

25/julho

Campinense 5 x 2 Cuité

 

28/julho

Treze 4 x 3 Campinense

Cuité 0 x 0 América

 

CLASSIFICAÇÂO DO 2º TURNO

CLUBES

PG

J

V

E

D

GP

GC

SG

Campinense

08

05

4

0

1

17

7

10

Treze

08

05

3

2

0

11

6

5

Cuité

05

05

1

3

1

6

7

-1

América

04

05

1

2

2

4

7

-3

Atlético

03

05

1

1

3

3

10

-7

Tabajara

02

05

1

0

4

3

7

-4 

III TURNO

 

09/agosto

Treze 2 x 0 Cuité

América 0 x 1 Campinense

Tabajara 1 x 0 Atlético

 

19/agosto

Campinense 4 x 0 Atlético

América 0 x 0 Treze

Tabajara 1 x 0 Cuité

 

23/agosto

Cuité 0 x 3 Campinense

Tabajara 1 x 1 Treze

Atlético 1 x 2 América

 

26/agosto

Campinense 5 x 0 Tabajara

Atlético 1 x 6 Treze

América 2 x 1 Cuité

 

30/agosto

Campinense 0 x 2 Treze*

América 1 x 1 Tabajara

Cuité 2 x 2 Atlético

* (Pela regra do torneio cada clube somente podia escalar 5 atletas profissionais. O Treze escalou um número não permitido e por causa disto perdeu os pontos da partida e a chance de vencer o turno.)

 

CLASSIFICAÇÂO DO 3º TURNO

CLUBES

PG

J

V

E

D

GP

GC

SG

Campinense

08

05

4

0

1

13

2

11

Treze

06

05

3

2

0

11

2

9

América

06

05

2

2

1

5

4

1

Tabajara

06

05

2

2

1

4

7

-3

Cuité

01

05

0

1

4

3

10

-7

Atlético

01

05

0

1

4

4

15

-11

FINAIS

16/setembro
Treze 2 x 1 Campinense

 

20/setembro

Campinense 2 x 0 Treze

 

27/setembro

Campinense 1 x 0 Treze

CLASSIFICAÇÂO GERAL

CLUBES

PG

J

V

E

D

GP

GC

SG

Campinense

29

18

14

1

3

43

13

30

Treze

22

18

9

6

3

34

17

17

América

13

15

3

7

5

10

17

-7

Tabajara

11

15

3

5

7

12

24

-12

Atlético

10

15

3

4

8

18

31

-13

Cuité

09

15

2

5

8

13

28

-15

FONTE: Pesquisador Júlio Cesar Gomes de Oliveira

 

TORNEIO INICIO

Campeonato Paraibano Misto (LCF)

Taça engarrafamento Caranguejo

Sede: Campina Grande

Estádio: Presidente Getúlio Dorneles Vargas (PV)

 

10/mai

Primeira fase

Atlético 1 – 0 América

Treze 1 – 0 Cuité

 

Semifinais

Campinense 4 – 0 Tabajaras

Treze 0 – 0 Atlético

Penalidades: Treze 2 – 1 Atlético

 

Final

Treze 0 – 0 Campinense

Prorrogação: Treze 2 – 1 Campinense

 

FONTE: Pesquisador  Júlio Cesar Gomes de Oliveira

 

O Torneio dos Campeões do Norte, foi realizado em 1952. A competição contou com a presença de oito clubes campeões (sete do Nordeste e um do Norte) da temporada anterior:

Tuna luso Comercial (PA);

América de Natal (RN);

Associação Desportiva Confiança (SE);

Ceará SC (CE);

CRB (AL);

Náutico (PE);

Treze FC (PB) e

SC Ypiranga (BA).

O destaque da competição pelo Diário de Pernambuco foi bacana. Outro fato interessante foram os escudos, uma vez que, praticamente todos, são um pouco diferente dos distintivos conhecidos.

FONTE: Diário de Pernambuco  

 

Treze x Velez Sarsfield, da Argentina, em 1951. Foi o primeiro jogo internacional do alvinegro. O uniforme é rubro-negro porque o Treze representou a Paraíba neste jogo. Da esquerda para a direita, de pé: Valfrido, Edinho, Zé Pequeno, Cléber, Félix e Harry Carey; agachados: Milton, Mário, Araújo, Ruivo e Hercílio

Treze 1×1 CRB-AL
Data:
 07/01/1951
Local: Campina Grande-PB

Treze 1×0 Vera Cruz-PE
Data:
 21/01/1951
Local: Campina Grande-PB

Treze 1×1 Botafogo-PB
Data:
 28/01/1951
Local: João Pessoa-PB
Marcador: Araújo

Treze 2×2 Ceará-CE
Data:
 04/03/1951
Local: Fortaleza-CE

Treze 1×2 Galícia-BA
Data:
 06/03/1951
Local: Fortaleza-CE

Treze 1×3 Ferroviário-CE
Data:
 11/03/1951
Local: Fortaleza-CE

Treze 0×2 ABC-RN
Data:
 24/03/1951
Local: Natal-RN

Treze 1×0 América-RN
Data:
 25/03/1951
Local: Natal-RN

Treze 2×1 Santa Cruz-PE
Data:
 15/04/1951
Local: Campina Grande-PB

Treze 1×0 América-RN
Data:
 22/04/1951
Local: Campina Grande-PB

Treze 3×3 Santa Terezinha-PE
Data:
 29/04/1951
Local: Santa Terezinha-PE

Treze 3×1 Leão XIII-PE
Data:
 30/04/1951
Local: Catende-PE

Treze 0×0 Botafogo-PB
Data:
 06/05/1951
Local: Campina Grande-PB

Treze 4×1 Central-PE
Data:
 13/05/1951
Local: Campina Grande-PB

Treze 1×1 Botafogo-PB
Data:
 27/05/1951
Local: João Pessoa-PB

Treze 1×6 Santa Cruz-PE
Data:
 05/06/1951
Local: Recife-PE

Treze 0×4 Botafogo-PB
Data:
 08/07/1951
Local: João Pessoa-PB

Treze 6×0 Esporte
Data:
 15/07/1951
Local: Campina Grande-PB

Treze 1×1 ABC-RN
Data:
 22/07/1951
Local: Campina Grande-PB

Treze 3×0 Combinado de João Pessoa-PB
Data:
 29/07/1951
Local: Campina Grande-PB

Treze 3×0 Paulistano-PB
Data:
 05/08/1951
Local: Campina Grande-PB

Treze 3×2 Botafogo
Data:
 26/08/1951
Local: Campina Grande-PB

Treze 3×2 Botafogo
Data:
 02/09/1951
Local: Campina Grande-PB

Treze 3×0 Central-PE
Data:
 07/09/1951
Local: Caruaru-PE

Treze 1×0 Comércio-PE
Data:
 09/09/1951
Local: Caruaru-PE

Treze 5×0 Atlético
Data:
 16/09/1951
Local: Campina Grande-PB

Treze 2×2 Auto Esporte
Data:
 28/09/1951
Local: João Pessoa-PB

Treze 2×0 Paulistano
Data:
 30/09/1951
Local: Campina Grande-PB

Treze 2×2 Colombo-PE
Data:
 21/10/1951
Local: Limoeiro-PE

Treze 2×0 Auto Esporte
Data:
 28/10/1951
Local: Campina Grande-PB

Treze 0×3 Botafogo-PB
Data:
 01/11/1951
Local: João Pessoa-PB

Treze 2×1 Colombo-PE
Data:
 11/11/1951
Local: Campina Grande-PB

Treze 2×1 Brejuí-RN
Data:
 15/11/1951
Local: Currais Novos-RN

Treze 1×1 Baependí
Data:
 18/11/1951
Local: Campina Grande-PB

Treze 9×0 Fluminense
Data:
 08/12/1951
Local: Campina Grande-PB

Treze 2×3 Velez Sarsfield (Argentina)
Data:
 16/12/1951
Local: Estádio Leonardo da Silveira – João Pessoa-PB
Treze: Harry Carey (Zé Armando), Felix e Kleber; Walfrido (João Luiz), Edinho e Zé Pequeno; Milton, Mario, Ruivo e Hercílio.
Marcadores: Ruivo e Milton   

Kleber e Felix feriam bastante o lado disciplinar da partida, ajudados pelo estrema esquerda Manzil da equipe argentina. Mesmo assim o famoso Galo da Borborema ganhou o 1º tempo pelo placar de 2×1, tentos de Ruivo aos 27 min e Milton, emprestado pelo Botafogo, aos 28. Para os portenhos, marcou Allegri, cobrando uma falta de cima da área. Novo incidente verificou-se com a infeliz entrada do presidente da FPF, Franco Neto, em campo para expulsar, por indisciplina, o jogador do Treze, Félix Pacaia, que abusava do jogo violento.

Aos 9 minutos Kleber comete falta, bate Allegri para Zé Armando soltar a pelota, do que se aproveita Ruivo para empatar o jogo. Daí por diante a “porrada” falou no jogo; os argentinos revidaram e o juiz expulsou o ponteiro Manzil e o zagueiro Kleber. Finalmente, aos 35 minutos Zubeldia marca o terceiro gol da tarde, dando a sua equipe mais uma vitória em gramados paraibanos pela contagem de 3×2. Como curiosidade, o fato de o Treze ter jogado de vermelho e preto, cores do Campinense, em homenagem a bandeira do Estado da Paraíba.

FONTE: Arquivo Histórico do Treze F.C. 

 

 

FONTE: Diário de Pernambuco (Terça-feira, 26 de Maio de 1959)

 

TREZE (PB)            2          X         1          AUTO ESPORTE (PE)

LOCAL: Estádio Presidente Getúlio Vargas, em Campina Grande (PB)

DATA: Domingo, 13 de Julho de 1952

RENDA: Cr$ 25.000,00 (25 mil cruzeiros)

ÁRBITRO: Severino Neves

TREZE: Amaury; Felix e Valfrido; Edinho, Arrupiado e Zé Pequeno; Marinho, Mário, Juarez, Ruivo (Zequinha) e Zezinho.

AUTO ESPORTE: Hespanhol; Guaberinha e Arlindo; Totinha (Jonas), Lucas e Euclides; Silô (Gorrinho), Jorginho, Amaro, Geraldo e João do Vale.

GOLS: Amaro aos 21 minutos do 1º tempo (Auto Esporte). Juarez aos seis minutos (Treze); Ruivo aos 19 minutos do 2º tempo (Treze).

 

 

Fonte: Diário de Pernambuco

 

Participantes:

  • Auto Esporte Clube – João Pessoa
  • Campinense Clube – Campina Grande
  • Esporte Clube de Patos – Patos

Tabela:

Rod Data Hora Mandante Placar Visitante Estádio Cidade
1 14/08/1990 21:00 Esporte 1×0 Auto Esporte José Cavalcanti Patos
2 16/08/1990 21:00 Auto Esporte 2×0 Campinense Almeidão João Pessoa
3 21/08/1990 21:00 Esporte 0×2 Campinense José Cavalcanti Patos
4 23/08/1990 21:00 Auto Esporte 2×1 Esporte Almeidão João Pessoa
5 28/08/1990 21:00 Campinense 0×0 Auto Esporte Amigão Campina Grande
6 30/08/1990 21:00 Campinense 3×0 Esporte Amigão Campina Grande

 

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Campinense 5 4 2 1 1 5 2 3
2 Auto Esporte 5 4 2 1 1 4 2 2
3 Esporte 2 4 1 0 3 2 7 -5

 

Com estes resultados, o Campinense Clube classificou-se para a Série C 1990.

 

Amigos, apresento aos senhores o escudo e o uniforme do América Futebol Clube da cidade de Ingá, na Paraíba. O time participou do Torneio Integração, torneio que foi o precursor da segunda divisão paraibana, nos anos de 1991 – onde foi terceiro colocado – e em 1992. Segue abaixo o escudo e o uniforme do time, que hoje se dedica a competições de base e amadoras na região.

Fontes: http://inga-cidadao.com/wp-content/uploads/2013/05/553111_325903857532737_910798385_n.jpg

http://www.panoramio.com/user/4398006/tags/America

 

O São Gonçalo Futebol Clube foi uma agremiação da cidade de João Pessoa (PB). A sua Sede (Fotos abaixo) ficava localizada na região nobre da capital paraibana, na Avenida João Maurício, 891, no Bairro de  Manaíra.

Cheguei até este clube graças a publicação da lista do amigo e membro Edu Cacella sobre os clubes da Federação Paraibana de Futebol (FPF) filiados a Confederação Brasileira de Desportos (CBD), em 1971. O distintivo foi encontrado na Revista Placar, no qual era mencionado que o time tinha conquistado o Campeonato Paraibano de Futsal de 1972.

Fontes: Revista Placar – Google Maps

 

Charles Miller sempre é lembrado como o introdutor do futebol do Brasil. Ainda que ele não tenha sido o pioneiro a bater a sua bolinha por aqui, ele merece todas as considerações. Afinal, ao trazer a bola e as regras da Inglaterra, o paulistano ajudou a institucionalizar o esporte. Porém, chamar o homem de longos bigodes “apenas” de pai do futebol brasileiro é desconsiderar toda a sua caminhada. Miller era muito, mas muito mais do que isso. Ele também se consagrou como o primeiro craque e o primeiro artilheiro do Brasil, assim como também foi decisivo para criar o primeiro time e o primeiro campeonato.

Nos parágrafos abaixo mostram pontos históricos para o desenvolvimento do futebol brasileiro. Além de locais de jogo, também estão destacados os primeiros clubes que fizeram a história do futebol no país.

SÃO PAULO
Associação Atlética Ponte Preta (Campinas-SP)
O segundo clube mais antigo ainda em atividade e o primeiro de maneira ininterrupta, a Ponte Preta surgiu em 1900. Também foi um dos primeiros times brasileiros a escalar jogadores negros.

Colégio São Luís (Itú-SP)
No prédio onde hoje funciona um quartel do exército, existia o Colégio São Luís. O local é considerado um dos primeiros a trazer o futebol para o Brasil, ainda na década de 1880. O esporte ganhou os seus principais traços no local em 1887.

Parque Antarctica (São Paulo-SP)
O atual terreno do Allianz Parque recebeu a primeira partida oficial da história do futebol brasileiro. Mandante no campo da Companhia Antarctica Paulista, o Germânia foi derrotado pelo Mackenzie, na rodada inicial do Paulistão de 1902.

Associação Atlética das Palmeiras (São Paulo-SP)
O Estádio da Floresta era um dos principais no início do futebol paulista. Era a casa inicial da A. A. das Palmeiras, que daria origem ao São Paulo da Floresta. Atualmente, o antigo estádio pertence ao Clube de Regatas Tietê.

Chácara Dulley (São Paulo-SP)
Antes do início do Campeonato Paulista, o campo era o principal palco de jogos de futebol no país. No local eram realizados os treinamentos do São Paulo Athletic Club, sob a batuta de Charles Miller. Atualmente, no terreno funciona a Fatec da Avenida Tiradentes, no bairro do Bom Retiro.

Sport Club Internacional (São Paulo-SP)
Formado em 1899 por dissidentes do Germânia, que não concordavam com as referências alemãs diante da presença de outros imigrantes no clube. Disputou a primeira edição do Paulista, ao lado de SPAC, Germânia, Mackenzie e Paulistano.

Várzea do Carmo (São Paulo-SP)
O local da primeira partida da história do futebol brasileiro, em 14 de abril de 1895. Atualmente, o local às margens do rio Tamanduateí é ocupado por prédios comerciais do bairro do Brás.

Associação Atlética Mackenzie College (São Paulo-SP)
Os universitários do Mackenzie fundaram o primeiro clube brasileiro para a prática do futebol, em 1898. Entre os pioneiros estava Belfort Duarte, jogador histórico e também líder do America-RJ. A equipe encerrou suas atividades em 1923.

Estádio do Velódromo (São Paulo-SP)
Onde hoje passa a rua Nestor Pestana ficava o Estádio do Velódromo, considerado o primeiro do Brasil. Inaugurado em 1892 para o ciclismo, foi adaptado ao futebol em 1901 e tinha capacidade para 5 mil espectadores.

São Paulo Athletic Club (São Paulo-SP)
O primeiro clube a jogar futebol no Brasil. Fundado em 1888, principalmente para a prática de críquete, era a equipe de Charles Miller e venceu as três primeiras edições do Campeonato Paulista. Seus treinos e primeiros amistosos eram realizados na Chácara Dulley, no Bom Retiro. Atualmente, segue em atividades amadoras poliesportivas.

Club Athletico Paulistano (São Paulo-SP)
Fundado em 1900, tornou-se o maior campeão paulista durante o amadorismo, superado pelo Corinthians apenas em 1939. Com a camisa da equipe que Friedenreich viveu os seus melhores momentos.

Sport Club Germânia (São Paulo-SP)
O atual Esporte Clube Pinheiros  surgiu em 1899 e é o segundo clube fundado para a prática de futebol, a partir dos esforços de Hans Nobling – que atuava em um clube homônimo na Alemanha. Naquele mesmo ano, desafiou o Mackenzie para a primeira partida entre clubes da história do país, um empate por 0 a 0.

Campo da Vila de Paranapiacaba (Ribeirão Pires-SP)
No caminho da estrada de ferro que ligava São Paulo ao porto de Santos, o campo é considerado o mais antigo do Brasil, surgido em 1894.

Americano Sport Club (Santos-SP)
Fundado em 1903, se tornou um dos primeiros times de fora da capital a disputar o Paulista, em 1907, ao lado do conterrâneo Internacional. O clube de Santos acabaria se mudando a São Paulo na década seguinte. Foi o primeiro brasileiro a vencer um time estrangeiro, em 1911, e o primeiro a excursionar pelo exterior, em 1913.

RIO DE JANEIRO
Fábrica Bangu (Bangu-RJ)
Local onde o escocês Thomas Donohoe bateu bola com os funcionários da Fábrica Bangu em 1894. A empresa também deu origem ao Bangu Atlético Clube, em 1904, sétimo clube mais antigo do país ainda em atividade e um dos primeiros clubes brasileiros a aceitar negros.

Rio Cricket Associação Atlética (Niterói-RJ)
A filial de Niterói do Rio Cricket carioca se tornou uma dissidência da matriz e, em 1901, disputou em sua sede aquela que é considerada a primeira partida da história do futebol carioca. Também contou com a participação de Oscar Cox.

Marina da Glória (Rio de Janeiro-RJ)
No terreno onde hoje funciona o Hotel Glória, aconteceu aquele que é considerado um dos primeiros bate-bolas relatados no Brasil, em 1874. Marinheiros ingleses realizaram a pelada no local, mas levaram a bola consigo.

Rua Paissandu (Rua Paissandu)
Em frente à residência real de Princesa Isabel, os tripulantes do navio Crimeia realizaram uma pelada em 1874. O mesmo endereço abrigou o primeiro estádio do Flamengo, a partir de 1915.

Fluminense Football Club (Rio de Janeiro-RJ)
Em 1902, Oscar Cox também ajudou a fundar o Fluminense, primeiro “clube de futebol” do Brasil a registrar suas atividades no nome. Também o primeiro dos 12 grandes a praticar a modalidade (Flamengo e Vasco já existiam, mas apenas como clubes de regatas). O Estádio das Laranjeiras abrigou o primeiro jogo da Seleção.

Botafogo de Futebol e Regatas (Rio de Janeiro-RJ)
O Botafogo é o oitavo clube de futebol mais antigo do país ainda em atividade, iniciando o seu time de futebol em 1904. Logo criou o clássico mais antigo em disputa, contra o Fluminense. O Estádio de General Severiano abrigou jogos dos combinados que originariam a seleção brasileira.

Paissandú Atlético Clube (Rio de Janeiro)
Fundado em 1872, o antigo Rio Cricket foi o primeiro clube a praticar o futebol no Rio de Janeiro. O principal pioneiro do esporte na capital foi Oscar Cox, filho de ingleses que estudou na Suíça e introduziu efetivamente as regras. Antes de sua chegada, alguns amistosos entre imigrantes já eram realizados no clube.

PARANÁ
Foot-ball Club Ponta-Grossense (Ponta Grossa-PR)
No campo próximo ao cemitério municipal de Ponta Grossa se disputou o primeiro jogo do futebol paranaense, em 1909 – desde o início da década, há registros de “bate-bolas” em Curitiba. O clube local recebeu o embrião Coritiba e venceu por 1 a 0, gol de Charles Wright, considerado o introdutor do futebol no estado.

Coritiba Foot-ball Club (Curitiba-PR)
Após o amistoso em Ponta Grossa, os curitibanos que participaram da partida resolveram criar o paranaense mais antigo ainda em atividade e o primeiro da capital. Em outubro de 1909, um grupo de descendentes de alemães fundou o Coritiba.

SANTA CATARINA
Gymnasio Santa Catharina (Florianópolis-SC)
A introdução do futebol em Santa Catarina se deu a partir do colégio, em 1906. O local permaneceu como único centro que praticava a modalidade no estado até 1911.

Brazilian Foot-Ball Club (Florianópolis-SC)
Em junho de 1911, o primeiro clube de futebol catarinense além do ginásio: o Brazilian. Nos meses seguintes, também nasceram o Barriga Verde Foot Ball Club e o Clube Sportivo Florianópolis, na capital, além do Itajahyense Football Clube, em Itajaí. Time mais antigo do estado na ativa, o Hercilio Luz foi criado em 1918.

RIO GRANDE DO SUL
Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense (Porto Alegre-RS)
Após uma série de amistosos do Rio Grande em Porto Alegre, em 1903, surgiu o clube mais antigo de Porto Alegre ainda em atividade. No mesmo dia, também foi fundado o Fussball Club Porto Alegre, já extinto. O Tricolor é o sexto time mais antigo do país que segue na ativa.

Sport Club Rio Grande (Rio Grande-RS)
O clube mais antigo do Brasil em atividade (mas não de maneira contínua) surgiu em 19 de julho de 1900, na cidade de Rio Grande. Reuniu brasileiros, alemães e ingleses, sob a liderança de Johannes Minnemann.

Esporte Clube 14 de Julho (Santana do Livramento-RS)
A influência uruguaia permitiu que o 14 de Julho se tornasse o segundo clube gaúcho (e quarto no Brasil) ainda em atividade a disputar a sua primeira partida de futebol, em 1902.

Uruguaiana (Uruguaiana-RS)
A cidade fronteiriça, assim como Santana do Livramento, possui indícios de partidas de futebol desde o início da década de 1890. Os eventos ocorreram sob influência de uruguaios e argentinos, já iniciados no esporte.

MINAS GERAIS
Sport Club Foot-Ball (Belo Horizonte-MG)
O primeiro clube de futebol de Minas Gerais surgiu em 1904, fundado por Victor Serpa. Os estudantes que formavam a equipe também ajudaram a realizar a primeira edição do Campeonato de Belo Horizonte. Foi o primeiro adversário do Atlético Mineiro, em 1908.

Clube Atlético Mineiro (Belo Horizonte-MG)
Fundado por um grupo de estudantes e de proletários, o Atlético é o clube mineiro mais antigo em atividade. Surgiu em 1908, mas só entrou em campo pela primeira vez no ano seguinte.

Villa Nova Atlético Clube (Nova Lima-MG)
Segundo clube mais antigo de Minas Gerais ainda em atividade, logo depois do Atlético Mineiro, compensou sendo o primeiro a entrar em campo, em 1908. Teve sua origem entre mineradores e operários ingleses.

ESPÍRITO SANTO
Vitória Futebol Clube (Vitória-ES)
Inspirados pelo Fluminense, um grupo de estudantes capixabas que voltou de férias à Vitória criou o primeiro time de futebol do Espírito Santo. O clube, no entanto, não tinha sede e se constituía a partir da iniciativa de seus membros.

BAHIA
Sport Club Bahiano (Salvador-BA)
No antigo Campo da Pólvora, aconteceu o primeiro jogo da história do futebol baiano, organizado por Zuza Ferreira. Já em 1903, funcionários do comércio fundaram o Sport Club Bahiano, participante da primeira edição do estadual, dois anos depois.

Sport Club Victória (Salvador-BA)
O Vitória surgiu como um clube de críquete em 1899, iniciando suas atividades no futebol apenas dois anos depois. Assim, segue como o time de futebol mais antigo do Nordeste e o terceiro do Brasil que mantém-se atuante.

SERGIPE
Sport Club Lux (Aracajú-SE)
Os primeiros relatos de jogos de futebol em Aracaju datam de 1907. Dois anos depois, um grupo de estudantes criou o Sport Club Lux, depois renomeado para Club de Football Sergipano, equipe pioneira no estado.

ALAGOAS
Sport Club Penedense (Penedo-AL)
O futebol já tinha surgido de maneira esporádica em Maceió, mas o primeiro clube perene de Alagoas é o Penedense. A equipe surgiu em 1909, um ano depois do extinto Alagoano Football Club, da capital.

PERNAMBUCO
Sport Club do Recife (Recife-PE)
O Sport segue como o clube mais antigo de Pernambuco ainda em atividade, disputando o seu primeiro jogo em 1905. Os primeiros relatos do esporte no estado vêm de 1903, em peladas realizadas por imigrantes ingleses que viviam em Recife. Embora tenha sido fundado em 1901, o Náutico só iniciou o futebol oito anos depois.

PARAÍBA
Club de Foot Ball Parahyba (João Pessoa-PB)
Os primeiros registros do futebol na Paraíba vêm de 1908, quando estudantes trouxeram a bola e as regras do Rio de Janeiro. A iniciativa impulsionou a criação do Parahyba, presente na primeira partida do estado.

RIO GRANDE DO NORTE
Sport Club Natalense (Natal-RN)
A primeira bola de futebol chegou em Natal pelas mãos de dois irmãos que estudavam na Inglaterra. A partir disso, o Natalense surgiu em 1904. A maior organização do futebol portiguar, contudo, se deu em 1915, ano de fundação do ABC, do Alecrim e do América.

CEARÁ
Football Club (Fortaleza-CE)
Há divergências sobre as origens do futebol cearense, entre a passagem de um clube inglês em 1903 e a chegada da primeira bola, com José Silveira, no ano seguinte. No primeiro dia de 1904, no entanto, apareceu o primeiro time de futebol do Ceará, o Football Club.

PIAUÍ
Parnahyba Sport Club (Parnaíba-PI)
Clube mais antigo do Piauí que segue em atividade, o Parnahyba foi criado em 1913. Inspirado nos estádios ingleses, o Estádio Petrônio Portela foi inaugurado em 1920 e era conhecido como Casa Inglesa.

MARANHÃO
Fabril Athletic Club (São Luis-MA)
Nhozinho Santos, que hoje dá nome um dos principais estádios do Maranhão, levou o futebol ao estado em 1905. Após estudar na Inglaterra, trouxe a novidade aos funcionários da fábrica têxtil onde trabalhava. Assim, criou-se o Fabril, que disputou o primeiro jogo em 1907.

PARÁ
Largo de Nazaré (Belém-PA)
O local no centro de Belém tem seus relatos de bate-bolas em 1890, antes mesmo da chegada de Charles Miller. Os rachões eram organizados por imigrantes ingleses que viviam na capital paraense.

AMAZONAS

Na ilustração: Disputa entre Brazil e Racing Club

Racing Club (Manaus-AM)
Fundado em 1906, o Racing foi idealizado por José Conduru Pacheco, maranhense que teve contato com o futebol em Manaus. Meses depois surgiu o Manáos Sport Club, criado por ingleses e principal rival do Racing.

ACRE
Xapury Sport Club (Xarupi-AC)
Os primeiros registros de futebol no Acre vêm de 1912, na cidade de Xapuri. Por lá, surgiram os dois primeiros clubes, o Xapury Sport Club e o Commercial Football Club, em 1915. Quatro anos depois, a capital Rio Branco teria as suas equipes pioneiras – o Acreano e o Rio Branco.

MATO GROSSO
Cuiabá Futebol Clube (Cuiabá-MT)
O futebol se iniciou no antigo estado de Mato Grosso em 1905. Entre 1911 e 1915, surgiram as equipes pioneiras da região: Americano, Paulistano, Royal, Internacional e Cuiabá Futebol Clube. O primeiro jogo, no terreno que hoje abriga a Câmara Municipal de Cuiabá, em 1913, com vitória do Cuiabá sobre o Internacional.

GOIÁS
Goyaz Football Club (Goiânia-GO)
As primeiras notícias do futebol em Goiás surgem em 1907, a partir da iniciativa de estudantes. Dois anos depois, fundou-se a primeira equipe da história do estado: o Goyaz Football Club. Além disso, o esporte também se desenvolvia em colégios de cidades do interior, como Catalão.

FONTE: O nascimento do futebol brasileiro em Itu (SP)
Futebol Nacional
Endereços desconhecidos em São Paulo guardam a história do futebol brasileiro
ESTADUAIS 2014 – SÃO PAULO – TODOS OS CAMPEÕES
Um passeio pelas origens do futebol brasileiro no aniversário de São Paulo
Documentário – Estádios Extintos
(SPAC) O CLUBE DOS INGLESES “120 anos de tradição”
Craque, artilheiro, técnico, cartola: Charles Miller não foi só o “pai do futebol no Brasil”
Serra do Mar: Paranapiacaba e Estrada Velha de Santos – Perguntas e Respostas
Fotos antigas do Rio de Janeiro
Parque Municipal: Berço do futebol mineiro
CAMPO DO COLÉGIO CATARINENSE – 100 ANOS

 

 

O Sport Club Teixeira é um clube da cidade de Teixeira/PB. O Sport disputou a Segunda Divisão do Campeonato Paraibano em em 1993, 1994 e 1995. Pretende após 20 anos voltar a disputar a segunda divisão este ano de 2015. O clube foi fundado em 17 de junho de 1976. Na data de sua fundação o endereço era a Rua José Duarte Dantas 08, hoje situado na Rua Joaquim Camilo Duarte s/n.

Suas cores são o azul e branco e seu estádio é o Municipal o Dorjão.

Fonte: http://www.esportesaojosedosabugi.com.br/2015/02/desportistas-de-teixeira-estao-sendo.html

 

Segue o distintivo e o uniforme do Conceição Sport Club do Município de Itabaiana (PB).

 

Pessoal
tenho esses dados e a pedido do Sergio Mello irei colocando aos poucos, de todos os estados e de alguns anos distintos, talvez seja útil para alguém!!!

ABC FC João Pessoa
Alvorada FC João Pessoa
América FC, Varjão- João Pessoa
Asdeneru EC João Pessoa
AA Barcelona João Pessoa
AA Cimepar, Ilha do Bispo
AA do DER João Pessoa
AA Portuguesa , C, das Armas -João Pessoa
AA Recreativa Oitizeiro João Pessoa
AE Jaguaribe, Jaguaribe
Astória EC João Pessoa
Atletico Clube da Torre João Pessoa
Azas EC João Pessoa
Bananeiras FC João Pessoa
Bando Azul EC Recreativo João Pessoa
Barcelona FC João Pessoa
Bonsucesso EC João Pessoa
Botafogo FC, -João Pessoa
Canto do Rio FC João Pessoa
Centro SC e Soldados da PMP João Pessoa
Cinco de Agosto FC João Pessoa
Club Red Cross João Pessoa
Clube Nautico Salgadense João Pessoa
Clube Recreativo Flamengo João Pessoa
Clube Veterano de C. das Armas
Corinthiana FC João Pessoa
Cruz das Armas FC João Pessoa
Cruz de Malta EC Recreativo João Pessoa
Cruzeiro fc João Pessoa
DNER EC João Pessoa
Diamante EC João Pessoa
Equador EC João Pessoa
Esperança AC João Pessoa
EC Cruz Vermelha João Pessoa
EC Gamileira João Pessoa
EC Lagoa Grande João Pessoa
EC União João Pessoa
Estrela do Mar EC João Pessoa
Expedicionarios EC João Pessoa
Ferroviario EC João Pessoa
Flamengo FC João Pessoa
Fluminense FC João Pessoa
Floriano fc João Pessoa
Gremio Atletico Paraibano João Pessoa
Guarani EC Recreativo
Ibis FC João Pessoa
Industrial EC João Pessoa
Ipiranga FC João Pessoa
Jangadeiro EC João Pessoa
Juventus FC João Pessoa
Libertador EC João Pessoa
Maguari EC João Pessoa
Mamanguape FC Recreativo
Onze EC João Pessoa
Oitizeiro ec João Pessoa
Oitizeiro FC João Pessoa
Paissandu EC João Pessoa
Paissandu FC João Pessoa
Piranhas EC João Pessoa
Pitaguares EC João Pessoa
Ponte Preta EC João Pessoa
Resistencia FC João Pessoa
Riba-Mar EC João Pessoa
Rio Tinto EC João Pessoa
Salgueiro FC João Pessoa
Salvado EC João Pessoa
Sanatório EC João Pessoa
Santa Rosa EC Recreativo
Santos FC João Pessoa
São Aragão FC João Pessoa
São Gonçalo fc João Pessoa
São Luiz FC Recreativo
Saturno EC João Pessoa
Vera Cruz EC João Pessoa
Veteranos EC Jaguaribe
Campinense Clube Campina Grande
Treze FC Campina Grande
Guarabira EC Guarabira
Tabajaras EC Mamanguape
Cruzeiro FC de Marí
Esporte Clube de Patos
Nacional AC Patos
Pilões EC de Pilões
America EC de Rio Tinto
Confiança EC de Sapé
Sport Club de Patos
Sociedade Sportiva São Sebastião de Patos
SE Estrela de Patos
Fluminense EC de Patos
Botafogo SC de Patos
São Cristóvão SC de Patos
Guarani FC de Patos
Nautico Clube Patoense

 

A Associação Atlética Portuguesa é uma agremiação da cidade de João Pessoa (PB). A ‘Lusinha Paraibana’ completou recentemente 60 anos (Fundado em 27 de fevereiro de 1955), tem a sua Sede localizada na Avenida Cruz das Armas, em João Pessoa.

O Estádio Leonardo Vinagre da Silveira, popularmente conhecido por ‘Estádio da Graça‘, tem capacidade para 5 mil pessoas (fundado no dia 9 de janeiro de 1944), no bairro Cruz das Armas. Nele, a Portuguesa manda os seus jogos.

Ao longo da sua história a ‘Lusinha Paraibana’ já conquistou 15 títulos, inclusive o inédito de 2008, o I Campeonato Paraibano de Futebol Feminino, sendo o primeiro clube a representar a Paraíba na Copa do Brasil de Futebol Feminino.

Além disso, a Portuguesa já foi campeã infantil, juvenil, juniores e amador, em competições organizadas pela Federação Paraibana de Futebol (FPF), assim como a Segunda Divisão Mista (na verdade a Terceirona) do Paraibano em 1962 e da Primeira Divisão Mista (equivalente a Segundona) em 1964, 1965, 1966, 1967 e 1969.

 

 

 

Reproduzo abaixo notícia do site da Federação Paraibana de Futebol:

Na última sexta-feira, em sua sede social, a Associação Atlética Portuguesa completou 60 anos de fundação, ocasião em que a diretoria, comandada pelo presidente Antonio Carlos de Andrade Medeiros realizou um encontro com fundadores e historiadores lusos como Benedito Honório – primeiro presidente -, Doutor, Temistocles (China), Marizio Coutinho, Ivaldo, Maninho, Mário Dornelas, Paulo Foba, além da presença de outros ilustres como Ivan Bezerra, José Araújo, Mineiro e Martinho Braço de guarda-chuva.

Um coquetel foi servido aos presentes à solenidade. O clube foi fundado em 27 de fevereiro de 1955 e já conquistou 15 títulos, inclusive o inédito de 2008, o I Campeonato Paraibano de Futebol Feminino, sendo o primeiro clube a representar a Paraíba na Copa do Brasil de Futebol Feminino. Entre os destaques da equipe, a jogadora Gleide, tendo como técnico Jorge Cláudio.

A Portuguesa já foi campeã infantil, juvenil, juniores e amador desde a sua fundação. As competições foram promovidas pela Federação Paraibana de Futebol. A Lusa também participou da Segunda Divisão de Profissionais de 1966.

Corrigindo o site da FPF: a Portuguesa participou da Segunda Divisão Mista (terceira divisão) do Paraibano em 1962 e da Primeira Divisão Mista (segunda divisão) em 1964-1965-1966-1967 e 1969.

O escudo da Portuguesa de Cruz das Armas é idêntico ao da Portuguesa carioca. Aqui pode ser vista sua sede, na Av. Cruz das Armas, em João Pessoa. No mesmo bairro localiza-se o Estádio da Graça.

 

Contando com a colaboração do amigo e pesquisador Júlio Cesar Gomes de Oliveira contaremos, de forma breve, sobre o Atlético Sport Club ou simplesmente Atlético de Sousa. Foi uma agremiação da cidade de Sousa (PB). Fundado em 1974, o clube sousense participou de três edições do Campeonato Paraibano da 1ª Divisão: 1975, 1976 e 1977.

No primeiro ano (1975), o Atlético de Sousa terminou na quinta colocação (em 10 jogos, somou 11 pontos, com cinco vitórias; um empate e quatro derrotas; com 21 gols pró e 13 contra). O time mandava os seus jogos no Estádio Municipal Antônio Mariz, Marizão, com capacidade para 5.400 espectadores.

 

Fontes: Rsssf Brasil -  Júlio Cesar Gomes de Oliveira

 

História das entidades futebolísticas da Paraíba

Contando com a colaboração do amigo pesquisador Júlio Cesar Gomes de Oliveira, além dos escudos e uniformes, contaremos a história das federações e ligas que existiram nesse um Século de futebol paraibano. Ao longo dos 101 anos, a Paraíba teve 5 (cinco) entidades. A primeira que se tem notícia, foi entre 1914 a 1915 com  a Liga Parahybana de Foot-Ball Association (L.P. F.B. A).

Entre 1916 a 1918 havia a Liga Sportiva Parahybana, que adotava o azul no uniforme da seleção. Entre 1919 a 1925 a seleção Paraibana usava azul e branco, da Liga Desportiva Paraibana que tudo indica seria semelhante ao escudo da Liga Pernambucana na época.

Em 1925, em virtude do Campeonato Brasileiro de Seleções, a Liga Desportiva adotou o vermelho no uniforme, tudo porque no confronto contra a seleção da Bahia o selecionado tinha o uniforme idêntico ao dos baianos e na época não havia uniforme reserva. Para não confundir o torcedor os dirigentes paraibanos foram no comercio de Salvador e compraram um uniforme vermelho e Branco (Listras).

Em 1935 apareceu o uniforme vermelho com listra branca horizontal no peito, ficando até 1948. (escudo de 35 a 41 – LDP; 42 a 46 – FDP e 47 a 48 – FPF).

 

Em 1949, o selecionado adotou o uniforme rubro-negro (camisa vermelha e faixa preta com as letras FPF em branco) em homenagem a bandeira da Paraíba.  (escudo de 1949 a 1967 – FPF). Somente em 1968 é que a FPF adotou o atual escudo com a tarja preta ao centro.

 

 

 

Fonte e Foto: Álbum Craques do Robertão – Júlio Cesar Gomes de Oliveira

 

 

Apenas três clubes, CSP, Lucena e Miramar, dos dez que vão disputar o Campeonato Paraibano de 2015, ainda não foram campeões estaduais paraibano. O Lucena e Miramar, aliás, conquistaram o acesso na 2ª divisão ano passado.

Os sete clubes já campeões são:  Botafogo de João Pessoa que não é só o maior campeão da Paraíba com 27 títulos, como ainda é o atual campeão. O Campinense de Campina Grande, aparece na vice-liderança com 18 conquistas, sendo a última em 2012. O  Treze tambem de Campina Grande conquistou 15 títulos e está na fila desde 2011. Os outros quatro campeões são mais modestos. O Auto Esporte de João Pessoa venceu o Paraibano pela última vez em 1992 e já conquistou 6 títulos. O Sousa, da cidade do mesmo nome, ostenta as conquistas de 1994 e 2009;  Já o Santa Cruz de Santa Rita, foi bicampeão em 1995 e 1996 e  por fim, o Atlético  de Cajazeiras que tem um título, ganho em 2002.

O Campeonato Paraibano que teria a abertura em 10/1,  passou para dia 18/1. A mudança na tabela aconteceu devido, os dirigentes de Treze, Campinense e Botafogo temerem represálias por parte da CBF que declarou ilegalidade nos estaduais que iniciasse antes de 1º de fevereiro. Com isso, os três tradicionais clubes do Estado não participam aceitaram participar das três primeiras rodadas da competição e só estrearão em fevereiro.

Fonte: soesporte/ arquivo

 

Após o sucesso, o município de Cuité (PB), recebeu outro presente. Três meses depois, outra equipe cuiteense ganharia destaque. O Esporte Clube Cultural de Cuité foi convidado para participar do Torneio “Mistão-70″, organizado pela Liga Campinense de Futebol, em protesto a FPF (Federação Paraibana de Futebol), pelos preços e organização do certame paraibano daquele ano, Campinense e Treze desistiriam de disputar o campeonato, assim criaram o torneio que contou com presença de equipes amadoras do Agreste Paraibano.

O primeiro confronto válido pelo torneio entre as equipes do Esporte Clube Cultural de Cuité ante o Campinense Clube seria no dia 20 de junho de 1970, no Estádio Pedro Viana. Outra vez uma grande festa foi organizada para receber o esquadrão rubro-negro campinense que estava formando um “embrião” para uma futura conquista do Pentacampeonato Paraibano de 1971 a 1975.

A equipe cartola era conhecida popularmente no meio esportivo como equipe do “Zé Pinheiro”, já que a maioria do elenco era formada por jogadores das categorias de base do clube localizados no Estádio Municipal Plínio Lemos, no Bairro de José Pinheiro, em Campina Grande. A partida terminaria com o placar de 1 x 0 para o Campinense, em um jogo mais duro em relação ao amistoso contra o Expressinho em março.

As duas equipes voltariam a se encontrar em 25 de julho, no Estádio Plínio Lemos em Campina Grande, no segundo turno do torneio. Este com o placar mais elástico a favor da “Raposa”, 5 x 2. Os gols do Esporte Clube Cultural foram anotados por Toinho aos 34 do 1º tempo e Orlando aos 27 do 2º tempo.

O terceiro encontro entre as duas equipes foi no dia 23 de agosto válido pelo 3º turno do torneio.

A partida foi realizada no Estádio Pedro Viana, esta com maior expectativa do público, já que o Esporte Clube Cultural vinha de bons resultados dentro e fora de seus domínios, aguardada com ansiedade pela torcida, afim de lograr um grande resultado diante do Campinense Clube, já que este mesma equipe conseguiu um resultado heroico diante do Treze Futebol Clube, no Estádio Presidente Vargas em Campina Grande de 1 x 1 no dia 5 de julho com gol de Ari.

Mas para a frustração do grande público presente, a partida terminou com o placar de 3 x 0 para a Raposa, com gols anotados por Erasmo (dois) e Bidoreco. No fim do Torneio Mistão-70 o Campinense Clube sagrou-se campeão.

Este com certeza foi um dos maiores anos do futebol cuiteense em toda sua história, grandes partidas com equipes de todo o Estado, levando o nome de Cuité para todo o estado da Paraíba e o Nordeste.

Campeonato Paraibano Misto

1970

Taça Dagoberto Pimentel

Período: de 17 de maio a 27 de setembro de 1970

 

Participantes

América Futebol Clube (Esperança)

Atlético Futebol Clube (Campina Grande)

Atlético Clube Tabajara (Alagoa Grande)

Campinense Clube

Esporte Clube Cultural de Cuité

Treze Futebol Clube

TURNO

 

 

17/mai

Cuité 1 – 3 Treze

Atlético 3 – 2 Tabajara

Campinense 4 – 0 América

 

24/mai

Tabajara 1 – 1 Cuité

América 0 – 0 Treze

Campinense 2 – 1 Atlético

 

31/mai

Cuité 0 – 1 Campinense

 

02/jun

Treze 5 – 1 Tabajara

 

07/jun

Cuité 1 – 0 América

Tabajara 0 – 0 Campinense

 

09/jun

Treze 1 – 1 Atlético

 

13/jun

Campinense 2 – 1 Treze

 

14/jun

América 1 -1 Tabajara

Atlético 6 – 1 Cuité

 

12/jul

América 0 – 0 Atlético

 

Pontos

 

Campinense   7

Treze           6

Atlético        5

América        3

Cuité            3

Tabajara       2

 

RETURNO

 

 

05/jul

Treze 1 – 1 Cuité

Tabajara 3 – 0 Atlético

América 1 – 5 Campinense

 

08/jul

Treze 1 – 1 América

Campinense 2 – 0 Atlético

 

12/jul

Cuité 2 – 0 Tabajara

 

13/jul

Atlético 1 – 0 América

Tabajara 0 – 1 Treze

 

18/jul

Atlético 1- 1 Cuité

América wo Tabajara

 

22/jul

Treze 4 – 1 Atlético

Campinense wo Tabajara

 

25/jul

Campinense 5 – 2 Cuité

 

28/jul

Treze 4 – 3 Campinense

Cuité 0 – 0 América

 

 

Pontos

Treze           8

Campinense   8

América        4

Cuité            4

Atlético        3

Tabajara       2

 

III TURNO

 

 

09/ago

Treze 2 – 0 Cuité

América 0 – 1 Campinense

Tabajara 1 – 0 Atlético

 

19/ago

Campinense 4 – 0 Atlético

América 0 – 0 Treze

Tabajara 1 – 0 Cuité

 

23/ago

Cuité 0 – 3 Campinense

Tabajara 1 – 1 Treze

Atlético 1 – 2 América

 

26/ago

Campinense 5 – 0 Tabajara

Atlético 1 – 6 Treze

América 2 -1 Cuité

 

30/ago

Campinense 0 – 2 Treze*

América 1 – 1 Tabajara

Cuité 2 – 2 Atlético

(Pela regra do torneio cada clube somente podia escalar 5 atletas profissionais. O Treze escalou um número não permitido e por causa disto perdeu os pontos da partida e a chance de vencer o turno.)

 

Pontos

 


Campinense   8

Treze           8

América        6

Tabajara       6

Cuité            1

Atlético        1

 

FINAIS

16/set
Treze 2 – 1 Campinense

 

20/set

Campinense 2 – 0 Treze

 

27/set

Campinense 1 – 0 Treze

 

 

Classificação Geral

 

Campinense   27

Treze           24

América        13

Tabajara       10

Atlético        09

Cuité            08

 

Fotos e Fontes: Pesquisador Júlio Cesar Gomes de Oliveira - Blog História de Cuité – Rsssf Brasil

 

O pequeno município paraibano de Cuité, localizado a 235 km da capital João Pessoa, viveu um momento inesquecível no dia 29 de março de 1970. Pela primeira vez uma equipe profissional se apresentava naquele município com pouco mais de 19 mil habitantes.

O Campinense Clube, que teve uma temporada bem corrida, com participações no Mistão-70, Copa Nordeste, torneios e amistosos com equipes amadoras e profissionais em várias partes do Estado e do Nordeste, enfrentou o Expressinho Esporte Clube Recreativo (Fundado em dezembro de 1968).

Campinense Clube

A partida aconteceu no antigo e saudoso Estádio Municipal Pedro Viana, que na época era cercado por avelóz. No final, o Campinense se impôs goleando pelo placar de 5 a 0. Apesar do marcador, foi um evento inesquecível para a população cuiteense, uma grande festa foi organizada, e um grande público compareceu para prestigiar a peleja.

 

Fotos e Fontes: Felipe Feitosa – Blog História de Cuité

 

O São Bento Esporte Clube é uma agremiação da cidade de Bayeux (PB). A sua Sede fica localizada na Avenida da Liberdade, 1.564 – Centro, enquanto o seu campo fica no Bairro de São Bento, em Bayeux. O clube alvirrubro se aventurou no futebol profissional no começo dos anos 90.

Em 1992, 1993 e 1994 o São Bento disputou o Campeonato Paraibano da Segunda Divisão, mas sem êxito. Devido a precariedade do seu campo, a equipe alvirrubra mandou os seus jogos no Estádio Municipal Lourival Caetano.

 

Fontes: Bayeux News – PB - Rsssf Brasil – Felipe Feitosa

 

O Esporte Clube União foi uma agremiação da cidade de João Pessoa (PB). A equipe rubro-negra participou do Campeonato Paraibano de Futebol em 21 oportunidades: 1936, 1937, 1938, 1939, 1945, 1946, 1947, 1953, 1954, 1955, 1962, 1963, 1964, 1965, 1966, 1967, 1968, 1969, 1970, 1971 e 1972. As grandes conquistas aconteceram no Torneio Início quando faturou duas vezes: 1936 e 1945.

Fonte: Rsssf Brasil – Felipe Feitosa

 

O Brasil Sport Club foi uma agremiação da cidade de João Pessoa (PB). Contando com a colaboração do amigo e pesquisador Júlio Cesar Gomes de Oliveira, o time surgiu em 1939, oriundo da Polícia Militar. Daí a cor azul, uma referência a PM. O Brasil teve uma participação efêmera nas competições profissionais. Esse momento ocorreu no ano de 1939, quando disputou o Campeonato Paraibano de Futebol, mas sem destaque. Já no Torneio Início de 1939 o Brasil ganhou os holofotes se sagrando campeão!

Na matéria da Revista Sport Ilustrado, no dia 12 de outubro de 1939, contou o triunfo do Brasil S.C. que goleou o ABC de Natal pelo placar de 4 a 0, ocorrido na primeira quinzena de agosto do mesmo ano, na capital paraibana

Fontes: Felipe Feitosa – Revista Sport Ilutrado -  Júlio Cesar Gomes de Oliveira

 

O Tabajaras Atlético Clube é uma agremiação do Município de Alagoa Grande (PB). O Índio (a sua alcunha) foi Fundado no dia 07 de Setembro de 1954, e, ao longo das seis décadas de existência, na maioria das vezes, sempre primou pelas competições citadinas.

Contudo, já enfrentou as principais equipes paraibanas em amistosos. Mas o momento mais marcante aconteceu no ano de 1970. O Tabajaras foi convidado para participar do ‘Torneio Mistão-70′.

A competição contou com a presença de seis clubes: além do Tabajaras A.C., tivemos ainda o América Futebol Clube, de Esperança; Esporte Clube Cultural Cuité, de Cuité; Atlético, Campinense e Treze, todos de Campina Grande.

Apesar de ter enfrentado equipes profissionais o Tabajaras não decepcionou e terminou na terceira colocação só atrás do Treze (vice-campeão) e do Campinense (campeão)

 

1º Turno

17/05 E.C. Cultural 1 x 3 Treze

24/05 América 0 x 0 Treze

04/06 Treze 5 x 1 Tabajaras

 

07/06 E.C. Cultural 1 x 2 Campinense

09/06 Treze 1 x 1 Atlético

13/06 Campinense 2 x 1 Treze

 

Campinense n/d América

E.C.Cultural n/d América

 

 

2º Turno

05/07 Treze 1 x 1 E.C. Cultural

08/07 Treze 1 x1 América

Campinense 3 x 0 E.C. Cultural

 

22/07 Treze 4 xx1 Atlético

28/07 Treze 4 x 3 Campinense

02/08 Tabajaras 0 x 1 Treze

 

América n/d Campinense

E.C.Cultural n/d Tabajaras

 

 

3º Turno

09/08 E.C. Cultural 0 x 2 Treze

23/08 Tabajaras 1 x 1 Treze

26/08 Treze 6 x 1 Atlético

30/08 Treze 2 x 0 Campinense

 

 

Finais

 

16/09 Treze 2 x 1 Campinense

20/09 Campinense 2 x 0 Treze

27/09 Campinense 1 x 0 Treze

 

CAMPINENSE CAMPEÃO

 

Classificação Final:

1º Campinense Clube

2º Treze Futebol Clube

3º Tabajaras Atlético Clube

4º Esporte Clube Cultural de Cuité

5º Atlético Futebol Clube

6º América Futebol Clube

 

Fontes: Rssf Brasil – blog do professor Rafael Rodrigues

Fotos: Portal do Julio – Histórias de Cuité

 

O Milréis Futebol Clube é uma agremiação do município de Itaporanga (PB). Fundado no dia 25 de Outubro de 1989, o Tricolor do Sertão chegou a se inscrever para disputar o Campeonato Paraibano da Série B de 2014. Contudo, devido o Estádio José Sobrinho Barros , Zezão, com capacidade para 7 mil pessoas passar por reformas, fez com que o Milréis adiasse o retorno para o próximo ano.

 

 

O Milréis F.C. já participou dos campeonatos paraibano da Segunda Divisão de 1993 e 1994, e, uma vez disputou a Primeira Divisão de 1995. Em um grupo que tinha Atlético de Cajazeiras, Esporte, Nacional de Patos, Sociedade e Sousa, o clube ficou em último lugar (tanto na fase de grupos quanto no geral), com apenas sete pontos ganhos.

Foi o primeiro time da cidade a ser profissional e disputar a Primeira Divisão do Campeonato Paraibano de Futebol Profissional. É o único campeão invicto da cidade em 2000.

 

Fontes: Wikipédia – Portal Pedra Bonita

 

Após duas décadas longe dos gramados, o Nacional Futebol Clube, do município de Pombal (PB), está de volta. Fundado no dia 12 de junho de 1988 e com Sede na Rua Jerônimo Rosado, 410, no centro de Pombal. A agremiação Alviverde pombalense se profissionalizou três anos depois (1991). O Nacional disputará o Campeonato Paraibano da Série B pela quarta vez: 1992, 1993, 1994 e agora em 2014.

O Nacional de Pombal manda os seus jogos no Estádio Municipal Francisco Pereira Vieira, Pereirão, com capacidade para 5 mil pessoas. Nos jogos realizados nos seus domínios, o Nacional conta com um excelente público que praticamente lota as dependências do Pereirão.

 

Com uma população de 32.110 habitantes (segundo o IBGE de 2010), Pombal fica a 372 km de distância da capital paraibana. Abaixo uma foto recente do Nacional (posado).

História  do Nacional de Pombal

Tive o prazer de conversar com o presidente e fundador do Nacional Futebol Clube, Romero Freitas que falou um pouco da história do clube pombalense!

Nome, Fundação e escudo

“o nome e o escudo surgiu quase do nada o time voltou agora e eu deixei tudo como era antes sou conservador demais o time surgiu num domingo (12 de junho de 1988) de manhã, após uma reunião para disputar o campeonato citadino. Na época só tínhamos seis jogadores ai juntamos três equipes da região e formamos o Nacional. À tarde fomos a campo e vencemos por 1 x 0 a equipe do Constituinte, que era o time da cidade da época”.

O pioneiro no futebol profissional da cidade

“A partir daí o Nacional virou time grande da região, conquistando cinco títulos. Depois se tornou o primeiro time da historia de Pombal a se profissionalizar, participando de quatro segundas divisões da Paraíba, onde chegamos perto de subir no primeiro ano mas esse ano foi fantástico”.

Relação estreita com o clube

‘Sou grato ao Nacional, onde atuei e depois fui presidente e agora tomo conta dele como meu é uma das minhas grandes paixões. O meu filho de seis anos também já é um apaixonado pelo time”.

Um Debutante com suor, luta e lágrimas

“No primeiro ano em que estreamos (em 1992) a Federação Paraibana de Futebol criou a Segunda Divisão, que até então não existia. Na época o presidente da entidade mandou convites para várias equipes. O convite que nos foi dado, aceitamos. Porém, sabíamos que precisávamos resolver algumas pendengas, a principal era que não tínhamos um estádio”

“A guerra política naquela época era grande! Tínhamos um campo de terra batida sem segurança nem alambrado e nem vestiário e o prefeito queria emolir o estádio que só tinha as paredes. Mas não desanimei e corri atrás. Falei com amigos e políticos e tirei dinheiro do meu bolso para reformamos o estádio e deixá-lo em condições”.

Estádio foi inaugurado meia-hora antes do time estrear

“Montamos o time e estreamos em casa em 1992 contra o Sport de Teixeira e vencemos por 2 x 0. O fato engraçado deste jogo foi que a reforma do estádio terminou 30 minutos antes do jogo foi uma loucura o alambrado foi finalizado quando o arbitro entrou em campo”.

Bateu na trave!

“Disputamos seis jogos no primeiro ano e só perdemos dois jogos, justamente para que dois times que conseguiram o acesso para a Primeira Divisão. Em casa éramos. O time daquele ano foi o melhor de todos. Tínhamos jogadores de nomes na Paraíba, inclusive, que já foram campeões paraibanos. as adversidades eram muitas como  a falta de transporte, segurança da arbitragens, que só favorecia time da casa, comidas com produtos pra adoecer os times que vinha de fora. Mesmo com tudo isso,  terminamos em terceiro lugar a dois pontos atrás do primeiro colocado”.

Fontes e Fotos: Wikipédia – Página do clube no Facebook – Romero Freitas

 

Voltando a terra dos ilustres Ariano Suassuna, Assis Chateaubriand,  Epitácio Pessoa, entre outros… Apresento o debutante no futebol profissional desta temporada. Trata-se do Spartax João Pessoa Futebol Clube, que fica em João Pessoa (PB). Fundado no dia 11 de novembro de 2011, estreou no Campeonato Paraibano da Série B de 2014.

 

O porquê das Cores

Apesar de novato no futebol paraibano, o Spartax buscou a inspiração nas escolha das suas cores no tradicional de João Pessoa. O time pessoense acabou escolhendo o branco e vermelho como cores oficiais, igual ao Auto Esporte, o quarto maior vencedor do futebol paraibano que ainda segue em atividade.

A escolha das cores, segundo o presidente José Morais, não é para homenagear o Auto Esporte, mas sim as cores da bandeira de João Pessoa. “Escolhemos o branco e o vermelho para que haja uma identificação com a nossa cidade. Eu particularmente acho que falta mais isso nos clubes daqui da capital. Nós levamos nossa cidade até no nome oficial do clube”, comentou o mandatário.

Nome é uma homenagem a um clube holandês

Em relação ao nome da equipe, o fato é curioso. A intenção inicial era colocar o nome Sparta, igual ao de Roterdã, da Holanda. Mas segundo Weider Cavalcante, a marca já era patenteada e, por isso, aleatoriamente, entrou a letra “x” no fim do nome Sparta, se tornando Spartax. O nome da cidade também foi incorporado na nomenclatura oficial e a equipe é denominada Spartax João Pessoa Futebol Clube.

 

Fontes e Fotos: GloboEsporte.com – Página do clube no Facebook

 

A mais antiga equipe de futebol da Paraíba é o Sabugy Futebol Clube, do Município de Santa Luzia (PB). O Alvinegro foi fundado no dia 09 de abril de 1923, como Sabugy Esporte Clube, e, na década seguinte passou para a nomenclatura atual Atualmente, o Sabugy está disputando o Campeonato Paraibano da Série B de 2014.

História

O clube participou com sucesso de vários torneios regionais, sagrando-se campeão com vitórias obtidas em São José do Seridó e Caicó. Foi digno de troféu em disputa na cidade de Patos com participação entre as equipes de São Mamede, Junco, Juazeirinho e Soledade.

O 1º campo do Sabugy foi construído na área onde se encontra o Grupo Escolar Coelho Lisboa(por onde passava a antiga rodagem). O 2º campo do Sabugy, a partir da casa do Sr. Sabino Eugênio(atual Loja Criart), inaugurado a 12 de dezembro de 1928, com um embate entre o nosso Sabugy, e o Vila Nova de Caicó, tendo o Sabugy vencido por 3 x 0.

 

Em novembro de 1934, foi criada e fundada a Diretoria de Football com o nome de “Humaytá Sport Club”, onde a maioria dos jogadores pertencia ao “Team Sabugy Sport Club”. Motivo: Dissolução da 1ª Organização (1923), em conseqüência das secas que tanto assolaram o Nordeste.

O 3º campo do Sabugy – quando o açude novo sangrou pela primeira vez em 12 de março de 1934, as águas invadiram o local do 2° campo, tornando-se inviável os jogos nesse local.

 

Foi escolhido então um novo local(o atual), que foi construído na área pertencente ao major Inácio Machado, cuja escritura de doação foi lavrada pelo seu filho, Jovino Machado da Nóbrega, tendo posteriormente recebido o nome de “Machadão” em homenagem ao seu filho Augusto Machado da Nóbrega.

Pessoas engajadas na procura desse 3º local para sediar o campo de futebol: Valdemiro Graciano e seu irmão José Graciano, Ernani da Veiga Pessoa, Eugênio de Manoel Eugênio, Dr. Augusto da Silveira Paula, Pedro Claudino de Souza, Inácio Peba, Barto Medeiros e outros.

 

O projeto e a planta da 1ª frente do estádio foram feitas pelo Sr. Barto Medeiros. O pedreiro construtor foi José Arcanjo de Araújo. Na gestão do então prefeito Dr. José Ney Cavalcante, foi dada outra visão a frente do respectivo Estádio, onde continua até nossos dias, porém com algumas modificações.

 

Fontes e Fotos: Federação Paraibana de Futebol – Página do clube no Facebook – Blog Cultura Santa Luzia Paraíba

 

Aos 66 anos, Seu Pedro está de volta. Dono da Perilima, clube cujo nome é formado pelas iniciais dos de seu fundador, Pedro Ribeiro Lima “cansou” da vida de apenas empresário do ramo alimentício – ele tem uma fábrica de sorda (biscoito à base de mel e rapadura) em Campina Grande. Buscou num passado recente o posto de presidente de clube e capitão de time de futebol. Entre acessos e rebaixamentos no Campeonato Paraibano, a Perilima entrou em crise e fechou as portas em 2007, ano em que o seu mandatário foi reconhecido pela Fifa como o jogador mais velho em atividade no mundo. Beneficiado por um perdão de dívidas da Federação Paraibana de Futebol, o clube está de volta. E Seu Pedro também. Ele promete bater o próprio recorde como jogador mais velho da história.

A Perilima está inscrito na Segunda Divisão do estadual, e Pedro da Sorda já vislumbra o retorno ao futebol depois de sete anos de inatividade. Como dono do clube, ele já disse que vai ser titular do time. E promete ir em busca de gols. Atualmente, tem apenas um assinalado na história, contra o Campinense, de pênalti, num jogo em que seu time foi goleado.
O mandatário se animou em participar da competição após a anistia da divida dada pela FPF. A Junta Administrativa que está à frente da entidade divulgou que vai perdoar as pendências que os clubes paraibanos tinham com a gestão da ex-presidente Rosilene Gomes, abrindo caminho para que os inativos voltem ao cenário local (a Segunda Divisão de 2014 bateu recorde de inscritos: vai contar com a participação de 12 clubes).

Fonte/Globo

 

O EC Internacional da Paraíba, que já disputou a segundona em 2008 e a primeira divisão em 2009, volta a disputar a segunda divisão, agora com sede na cidade de Teixeira.

O seu escudo sofreu uma pequena mudança: a inclusão do nome da sua nova sede. Segue abaixo:

 

 

 

 

Fonte: http://www.esportesaojosedosabugi.com.br/2014/07/internacional-de-teixeira-divulga-sete.html

O escudo antigo estava escrito apenas Paraíba na parte inferior.

 

O FEMAR FC, clube amador tradicional de João Pessoa está inscrito para disputar a segunda divisão paraibana.

Segue abaixo o escudo do clube:

 

 

 

 

 

 

Fonte: Facebook do clube e http://m.globoesporte.globo.com/pb/noticia/2014/07/femar-e-o-14-clube-interessado-na-disputa-da-2-divisao-do-paraibano.html

 

Participantes (todos de João Pessoa):

  1. Esporte Clube Cabo Branco
  2. Internacional Sport Club
  3. Palmeiras Sport Club
  4. Pitaguares Sport Club
  5. Sol Levante Sport Club
  6. Vasco da Gama Esporte Clube
  7. Vencedor Sport Club

Regulamento:

  • Sistema de pontos corridos em turno e returno.

TABELA

Data Mandante Placar Visitante
09/04/1933 Palmeiras 1×0 Vencedor
23/04/1933 Cabo Branco 5×1 Vasco da Gama
30/04/1933 Internacional 4×0 Pitaguares
01/05/1933 Vencedor 0×4 Cabo Branco
07/05/1933 Palmeiras 4×0 Sol Levante
14/05/1933 Internacional 2×0 Vasco da Gama
21/05/1933 Vencedor 2×2 Pitaguares
28/05/1933 Cabo Branco 2×2 Palmeiras
04/06/1933 Sol Levante 2×2 Vasco da Gama
11/06/1933 Internacional 0×1 Vencedor
18/06/1933 Pitaguares 0×1 Cabo Branco
25/06/1933 Palmeiras 2×2 Vasco da Gama
09/07/1933 Sol Levante 1×3 Internacional
16/07/1933 Vencedor 2×2 Vasco da Gama
23/07/1933 Palmeiras 5×0 Pitaguares
30/07/1933 Cabo Branco 4×1 Sol Levante
06/08/1933 Palmeiras 3×2 Internacional
13/08/1933 Vencedor 0×1 Sol Levante
17/08/1933 Vasco da Gama 3×1 Pitaguares
27/08/1933 Cabo Branco 4×0 Internacional
03/09/1933 Sol Levante 3×1 Pitaguares
10/09/1933 Vencedor 0×5 Palmeiras
17/09/1933 Vasco da Gama 0×2 Cabo Branco
24/09/1933 Pitaguares 1×1 Internacional
01/10/1933 Cabo Branco 4×1 Vencedor
08/10/1933 Sol Levante 2×3 Palmeiras
15/10/1933 Vasco da Gama 1xWO Internacional
22/10/1933 Pitaguares 1×1 Vencedor
29/10/1933 Palmeiras 3×3 Cabo Branco
Após esta partida, Vasco da Gama e Internacional entregaram os pontos de suas partidas seguintes, possivelmente para acelerar a conclusão do campeonato:
Vasco da Gama WOx1 Sol Levante
Vencedor 1xWO Internacional
Vasco da Gama WOx1 Palmeiras
Internacional WOx1 Sol Levante
Vasco da Gama WOx1 Vencedor
Internacional WOx1 Palmeiras
Pitaguares 1xWO Vasco da Gama
Internacional WOx1 Cabo Branco
12/11/1933 Sol Levante empate Cabo Branco
19/11/1933 Pitaguares 0×1 Palmeiras
03/12/1933 Cabo Branco 1×1 Pitaguares
data desconhecida Sol Levante venceu Vencedor
Pitaguares cancelado Sol Levante

 

Classificação:

Pos Time Pts J V E D GP GC SG
1 Cabo Branco 21 12 9 3 0 30 9 21
2 Palmeiras 21 12 9 3 0 29 11 18
3 Sol Levante 12 11 5 2 4 10 17 -7
4 Vencedor 9 12 3 3 6 7 20 -13
5 Internacional 7 12 3 1 8 12 10 2
6 Vasco da Gama 7 12 2 3 7 10 16 -6
7 Pitaguares 5 11 1 3 7 7 22 -15

 

Desempate:

Data Mandante Placar Visitante
17/12/1933 Cabo Branco 2×2 Palmeiras
24/12/1933 Palmeiras 3×4* Cabo Branco

*O Cabo Branco perdeu os pontos desta partida pela inclusão irregular do atleta Arnaldo von Sohsten, que posteriormente viria a tornar-se um árbitro conceituado na Paraíba.

Com estes resultados, o Palmeiras sagrou-se Campeão Paraibano de 1933.

 

Eis as maiores goleadas do Campeonato Paraibano a partir de 1936:

Data Mandante Placar Visitante
01/06/1941 Botafogo 16×1 Sport-JP
24/08/1941 Sport-JP 0×15 Treze
18/05/1944 Dolaport 13×0* Palmeiras
11/04/1979 Treze 13×0 Nacional de Cabedelo
29/07/1945 Vasco da Gama 0×12 Palmeiras
02/08/1958 Auto Esporte 12×0 Arsenal
18/09/1960 Campinense 11×0 Comerciários
08/12/1964 Campinense 11×0 Red Cross
01/08/1965 Esporte 11×0 5 de Agosto
04/02/1976 Campinense 11×0 Esporte
31/01/2007 Treze 11×0 Perilima
11/05/1941 Sport-JP 2×11 Auto Esporte
28/09/1957 Oitizeiro 0×10 Auto Esporte
15/08/1973 Treze 10×0 Santa Cruz
18/04/1979 Botafogo 10×0 América de Esperança
26/05/1982 Treze 10×0 Santa Cruz
09/06/1982 Campinense 10×0 Santa Cruz
17/04/1983 Campinense 10×0 Santa Cruz
29/10/1992 Botafogo 10×0 Santa Cruz
18/11/1992 Santos 0×10 Campinense
16/03/2003 América de Caaporã 10×0 Auto Esporte
03/05/1981 Campinense 10×1 Nacional de Cabedelo
13/05/1981 Treze 10×1 Nacional de Cabedelo
14/07/1940 Sport-JP 2×10 Felipeia

* O Dolaport perdeu os pontos dessa partida.

 

A segunda edição do Torneio de Integração serviu para apontar dois clubes que seriam convidados a integrar a Divisão Extra de Profissionais em 1992. Com a inversão de calendário do futebol brasileiro em 1992, com os estaduais sendo jogados no segundo semestre, a competição avançou 1992 adentro e terminou às vésperas do início do certame paraibano de 1992, já com os clubes que conquistaram o acesso.

Devido à exiguidade no calendário, e com alguns clubes da Paraíba disputando campeonatos nacionais no primeiro semestre de 1992, os clubes profissionais que tomaram parte na competição optaram por não seguir nela, tendo disputado apenas a primeira fase contra as equipes amadoras.

Os clubes profissionais que participaram do Torneio de Integração 1991/1992 foram:

  1. Auto Esporte Clube – João Pessoa
  2. Botafogo Futebol Clube – João Pessoa
  3. Campinense Clube – Campina Grande
  4. Esporte Clube de Patos – Patos
  5. Guarabira Esporte Clube – Guarabira
  6. Nacional Atlético Clube – Cabedelo
  7. Santa Cruz Recreativo Esporte Clube – Santa Rita
  8. Santos Futebol Clube – João Pessoa
  9. Treze Futebol Clube – Campina Grande

A exemplo de 1990, o Nacional de Patos preferiu não tomar parte no torneio.

As representações amadoras que participaram do Torneio de Integração 1991/1992 foram:

  1. América Futebol Clube – Ingá
  2. Atalaia Esporte Clube – Bananeiras
  3. Atlético Cajazeirense de Desportos – Cajazeiras
  4. Confiança Esporte Clube – Sapé
  5. Esporte Clube Jatobá – São José de Piranhas
  6. Industrial Esporte Clube – Ingá
  7. Liga Monteirense de Futebol (Seleção) – Monteiro
  8. Liga Serrabranquense de Futebol Amador (Seleção) – Serra Branca
  9. Portuguesa – Pombal
  10. Rio Tinto Esporte Clube – Rio Tinto
  11. Sousa Esporte Clube – Sousa
  12. Tabajara Atlético Clube – Catolé do Rocha
  13. Tabajaras Esporte Clube – Mamanguape
  14. União Futebol Clube – Pirpirituba

Regulamento:

  • Primeira fase dividida em regiões. Dentro das regiões, os clubes amadores recebem os clubes profissionais em jogos apenas de ida.
  • Na segunda fase, os times amadores jogam entre si dentro dos mesmos grupos da primeira fase. Os dois primeiros de cada grupo passam de fase.
  • Na terceira fase, os oito clubes são divididos em quatro grupos de dois. Os vencedores dos grupos passam à fase final da competição.
  • Após a terceira fase, uma reunião entre clubes e FPF instituiu uma repescagem. Seis dos clubes já eliminados se enfrentaram num mata-mata, de onde saíram três clubes para a segunda fase da repescagem. Nesta fase, disputada apenas em jogos de ida, mais dois clubes se classificaram para a fase final.
  • Na fase final, todos os clubes jogam entre si em turno e returno. Os quatro clubes que se classificaram sem repescagem ganharam um ponto de bonificação.
  • O campeão e o vice-campeão foram convidados a integrar a Primeira Divisão, novo nome da Divisão Extra de Profissionais.

PRIMEIRA FASE

Grupo do Litoral

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 09/11/1991 Rio Tinto 0×1 Nacional de Cabedelo
1 10/11/1991 Industrial 1×0 Santa Cruz
1 15/11/1991 Confiança 0×1 Auto Esporte
2 16/11/1991 Rio Tinto 1×1 Santa Cruz
2 17/11/1991 Confiança 2×0 Nacional de Cabedelo
2 17/11/1991 Industrial 2×2 Auto Esporte
3 23/11/1991 Rio Tinto 0×2 Auto Esporte
3 24/11/1991 Confiança 0×0 Santa Cruz
3 01/12/1991 Industrial 1×2 Nacional de Cabedelo

Classificação – profissionais

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Auto Esporte 5 3 2 1 0 5 2 3
2 Nacional de Cabedelo 4 3 2 0 1 3 3 0
3 Santa Cruz 2 3 0 2 1 1 2 -1

 

Classificação – amadores

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Confiança 3 3 1 1 1 2 1 1
2 Industrial 3 3 1 1 1 4 4 0
3 Rio Tinto 1 3 0 1 2 1 4 -3

 

Grupo do Brejo

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 09/11/1991 América de Ingá 1×0 Santos
1 10/11/1991 Tabajaras x Guarabira
1 01/12/1991 Atalaia 0×1 Botafogo
2 15/11/1991 América de Ingá 1×0 Botafogo
2 15/11/1991 Atalaia 1×0 Santos
2 01/12/1991 União de Pirpirituba 1×0 Guarabira
3 17/11/1991 União de Pirpirituba 2×1 Botafogo
3 17/11/1991 Atalaia 1×1 Guarabira
3 17/11/1991 Tabajaras 3×2 Santos
4 24/11/1991 América de Ingá 0×3 Guarabira
4 24/11/1991 Tabajaras 0×0 Botafogo
4 24/11/1991 União de Pirpirituba 3×1 Santos

 

Classificação – profissionais

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Guarabira 3 3 1 1 1 4 2 2
2 Botafogo 3 4 1 1 2 2 3 -1
3 Santos 0 4 0 0 4 3 8 -5

 

Classificação – amadores

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 União de Pirpirituba 6 3 3 0 0 6 2 4
2 América de Ingá 4 3 2 0 1 2 3 -1
3 Tabajaras 3 2 1 1 0 3 2 1
4 Atalaia 3 3 1 1 1 2 2 0

 

Grupo do Cariri

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 10/11/1991 Sel. Monteiro 4×3 Treze
1 24/11/1991 Sel. Serra Branca 1×1 Campinense
2 15/11/1991 Sel. Serra Branca 0×1 Treze
2 01/12/1991 Jatobá 1×0 Campinense
3 17/11/1991 Sel. Monteiro 1×1 Campinense
3 24/11/1991 Jatobá 2×1 Treze

 

Classificação – profissionais

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Treze 2 3 1 0 2 5 6 -1
2 Campinense 2 3 0 2 1 2 3 -1

 

Classificação – amadores

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Jatobá 4 2 2 0 0 3 1 2
2 Sel. Monteiro 3 2 1 1 0 5 4 1
3 Sel. Serra Branca 1 2 0 1 1 1 2 -1

 

Grupo do Sertão

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 15/11/1991 Tabajara 0×3 Esporte
2 17/11/1991 Sousa 1×1 Esporte
3 24/11/1991 Portuguesa 1×0 Esporte
4 01/12/1991 Atlético de Cajazeiras 2×2 Esporte

 

Classificação – profissionais

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Esporte 4 4 1 2 1 6 4 2

Obs.: o Nacional de Patos deveria integrar este grupo, mas desistiu da competição.

Classificação – amadores

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Portuguesa 2 1 1 0 0 1 0 1
2 Atlético de Cajazeiras 1 1 0 1 0 2 2 0
3 Sousa 1 1 0 1 0 1 1 0
4 Tabajara 0 1 0 0 1 0 3 -3

 

SEGUNDA FASE

Grupo do Litoral

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 07/12/1991 Rio Tinto 2×1 Industrial
2 15/12/1991 Industrial 1×1 Confiança
3 22/12/1991 Confiança 1×0 Rio Tinto
4 29/12/1991 Industrial 1×1 Rio Tinto
5 05/01/1992 Confiança 2×1 Industrial
6 11/01/1992 Rio Tinto 1×2 Confiança

 

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Confiança 7 4 3 1 0 6 3 3
2 Rio Tinto 3 4 1 1 2 4 5 -1
3 Industrial 2 4 0 2 2 4 6 -2

 

Grupo do Brejo

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 08/12/1991 Atalaia 2×1 União de Pirpirituba
1 08/12/1991 Tabajaras 1×1 América de Ingá
2 14/12/1991 América de Ingá 1×1 Atalaia
2 15/12/1991 União de Pirpirituba 1×1 Tabajaras
3 22/12/1991 Atalaia 2×1 Tabajaras
3 22/12/1991 União de Pirpirituba 1×1 América de Ingá
4 28/12/1991 América de Ingá 2×0 Tabajaras
4 29/12/1991 União de Pirpirituba 1×0 Atalaia
5 05/01/1992 Atalaia 2×1 América de Ingá
5 05/01/1992 Tabajaras 0×2 União de Pirpirituba
6 12/01/1992 América de Ingá 2×0 União de Pirpirituba
6 12/01/1992 Tabajaras 0×1 Atalaia

 

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Atalaia 9 6 4 1 1 8 5 3
2 América de Ingá 7 6 2 3 1 8 5 3
3 União de Pirpirituba 6 6 2 2 2 6 6 0
4 Tabajaras 2 6 0 2 4 3 9 -6

 

Grupo do Cariri

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 08/12/1991 Jatobá 0×1 Sel. Serra Branca
2 15/12/1991 Sel. Monteiro 0×0 Jatobá
3 22/12/1991 Sel. Serra Branca 0×0 Sel. Monteiro
4 29/12/1991 Sel. Serra Branca 0×1 Jatobá
5 05/01/1992 Jatobá 0×1 Sel. Monteiro
6 12/01/1992 Sel. Monteiro 0×0 Sel. Serra Branca

 

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Sel. Monteiro 5 4 1 3 0 1 0 1
2 Sel. Serra Branca 4 4 1 2 1 1 1 0
3 Jatobá 3 4 1 1 2 1 2 -1

 

Grupo do Sertão

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 08/12/1991 Atlético de Cajazeiras 4×0 Portuguesa
1 08/12/1991 Sousa 2×1 Tabajara
2 15/12/1991 Portuguesa 0×1 Sousa
2 15/12/1991 Tabajara 0×0 Atlético de Cajazeiras
3 22/12/1991 Sousa 1×1 Atlético de Cajazeiras
3 22/12/1991 Tabajara 1×2 Portuguesa
4 29/12/1991 Portuguesa 0×2 Atlético de Cajazeiras
4 29/12/1991 Tabajara 0×1 Sousa
5 05/01/1992 Atlético de Cajazeiras 5×0 Tabajara
5 05/01/1992 Sousa 3×0 Portuguesa
6 12/01/1992 Atlético de Cajazeiras 1×1 Sousa
6 12/01/1992 Portuguesa 6×1 Tabajara

 

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Sousa 10 6 4 2 0 9 3 6
2 Atlético de Cajazeiras 9 6 3 3 0 13 2 11
3 Portuguesa 4 6 2 0 4 8 12 -4
4 Tabajara 1 6 0 1 5 3 16 -13

 

TERCEIRA FASE

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 18/01/1992 América de Ingá 1×1 Confiança
1 19/01/1992 Industrial 0×1 Atalaia
1 19/01/1992 Sel. Serra Branca 2×1 Sousa
1 19/01/1992 Atlético de Cajazeiras 2×0 Sel. Monteiro
2 25/01/1992 Confiança 0×0 América de Ingá
2 26/01/1992 Atalaia 1×0 Industrial
2 26/01/1992 Sousa 2×0 Sel. Serra Branca
2 26/01/1992 Sel. Monteiro 1×0 Atlético de Cajazeiras

 

REPESCAGEM – PRIMEIRA FASE

Data Mandante Placar Visitante
02/02/1992 Sel. Monteiro 5×1 Industrial
02/02/1992 Rio Tinto 2×0 Tabajaras
05/02/1992 União de Pirpirituba 0×1 Confiança

 

REPESCAGEM – SEGUNDA FASE

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 09/02/1992 Rio Tinto 2×2 Sel. Monteiro
2 16/02/1992 Sel. Monteiro 1×1 Confiança
3 23/02/1992 Confiança 1×0 Rio Tinto

 

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Confiança 3 2 1 1 0 2 1 1
2 Sel. Monteiro 2 2 0 2 0 3 3 0
3 Rio Tinto 1 2 0 1 1 2 3 -1

 

FASE FINAL

Data Mandante Placar Visitante
09/02/1992 América de Ingá 1×0 Sousa
16/02/1992 América de Ingá 3×1 Atlético de Cajazeiras
16/02/1992 Atalaia 0×1 Sousa
23/02/1992 Atlético de Cajazeiras 0×0 Sousa
23/02/1992 Atalaia 3×2 América de Ingá
08/03/1992 Confiança 0×4 América de Ingá
08/03/1992 Sel. Monteiro 0×0 Atalaia
15/03/1992 Atalaia 1×2 Confiança
15/03/1992 Atlético de Cajazeiras 2×0 Sel. Monteiro
22/03/1992 Sousa 1×0 Confiança
22/03/1992 Sel. Monteiro 2×1 América de Ingá
29/03/1992 Confiança 1×2 Atlético de Cajazeiras
29/03/1992 Sousa 1×0 Sel. Monteiro
05/04/1992 Confiança 2×0 Sel. Monteiro
12/04/1992 Atlético de Cajazeiras 1×0 Confiança
12/04/1992 Sel. Monteiro 0×1 Sousa
12/04/1992 América de Ingá 3×0 Atalaia
19/04/1992 América de Ingá 1×1 Sel. Monteiro
19/04/1992 Confiança 0×0 Sousa
19/04/1992 Atalaia 0×2 Atlético de Cajazeiras
26/04/1992 Sousa 3×1 Atalaia
26/04/1992 Sel. Monteiro 1×0 Confiança
26/04/1992 Atlético de Cajazeiras 1×1 América de Ingá
01/05/1992 Atlético de Cajazeiras x Atalaia
03/05/1992 Atalaia 2×2 Sel. Monteiro
03/05/1992 Sousa 0×0 Atlético de Cajazeiras
03/05/1992 América de Ingá 3×0 Confiança
10/05/1992 Sel. Monteiro 0×0 Atlético de Cajazeiras
10/05/1992 Sousa 2×0 América de Ingá
10/05/1992 Confiança x Atalaia

 

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Sousa 16 10 6 3 1 9 2 7
2 Atlético de Cajazeiras 13 9 4 4 1 9 5 4
3 América de Ingá 13 10 5 2 3 19 10 9
4 Sel. Monteiro 8 10 2 4 4 6 10 -4
5 Confiança 5 9 2 1 6 5 13 -8
6 Atalaia 5 8 1 2 5 7 15 -8

Com estes resultados, o Sousa foi o campeão do Torneio de Integração 1991/1992. Sousa e Atlético de Cajazeiras foram convidados a integrar a Primeira Divisão.

Classificação final:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Sousa 28 19 11 6 2 22 8 14
2 Atlético de Cajazeiras 24 18 8 8 2 26 10 16
3 América de Ingá 25 21 9 7 5 30 19 11
4 Atalaia 20 19 8 4 7 19 22 -3
5 Confiança 17 18 6 5 7 14 18 -4
6 Sel. Monteiro 10 8 3 4 1 7 6 1
7 Sel. Serra Branca 7 8 2 3 3 4 6 -2
8 Industrial 5 9 1 3 5 8 12 -4
9 União de Pirpirituba 12 9 5 2 2 12 8 4
10 Jatobá 7 6 3 1 2 4 3 1
11 Portuguesa 6 7 3 0 4 9 12 -3
12 Tabajaras 5 8 1 3 4 6 11 -5
13 Rio Tinto 4 7 1 2 4 5 9 -4
14 Tabajara 1 7 0 1 6 3 19 -16
 

Em 1990, a Federação Paraibana de Futebol instituiu um torneio para integrar clubes profissionais e amadores, que acabou servindo como embrião para a Segunda Divisão e recebeu o nome de Torneio de Integração.

Na sua primeira edição, participaram os seguintes clubes profissionais:

  1. Auto Esporte Clube – João Pessoa
  2. Campinense Clube – Campina Grande
  3. Esporte Clube de Patos – Patos
  4. Guarabira Esporte Clube – Guarabira
  5. Nacional Atlético Clube – Cabedelo
  6. Santa Cruz Recreativo Esporte Clube – Santa Rita
  7. Santos Futebol Clube – João Pessoa
  8. Treze Futebol Clube – Campina Grande

Botafogo e Nacional de Patos optaram por não participar do torneio.

Além dos profissionais, jogaram também as seguintes representações amadoras:

  1. América Futebol Clube – Esperança
  2. Clube Náutico Salgadense – Salgado de São Félix
  3. Conceição Sport Club – Itabaiana
  4. Cruzeiro Esporte Clube – Mari
  5. Espírito Santo Esporte Clube – Cruz do Espírito Santo
  6. Fechine - Campina Grande
  7. Industrial Esporte Clube – Ingá
  8. Liga Desportiva Mamanguapense (Seleção) – Mamanguape
  9. Liga Desportiva Riotintense (Seleção) - Rio Tinto
  10. Liga Sapeense de Futebol (Seleção) – Sapé
  11. Vila Nova Sport Club – Itabaiana

Regulamento:

  • Na primeira fase, os clubes amadores recebem os clubes profissionais. Não há eliminação, os jogos servem apenas para auferir as melhores campanhas e cruzamentos entre os clubes amadores.
  • Na parte dos profissionais, a segunda fase é jogada em dois grupos de 4. Os vencedores dos grupos fazem a final dos profissionais.
  • Na parte dos amadores, procedem-se jogos de mata-mata até descobrir-se o campeão. Depois do primeiro mata-mata, a melhor campanha passa à final dos amadores, enquanto os demais clubes se enfrentam até sair o adversário desse clube de melhor campanha.
  • A final entre o campeão dos profissionais e o campeão dos amadores é em jogos de ida e volta.

PRIMEIRA FASE

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 12/08/1990 Cruzeiro de Mari 2×0 Santos
1 12/08/1990 Sel. Rio Tinto 0×1 Auto Esporte
1 12/08/1990 Conceição de Itabaiana 1×2 Treze
1 12/08/1990 Espírito Santo 0×0 Guarabira
1 12/08/1990 Náutico 2×1 Nacional de Cabedelo
1 12/08/1990 Sel. Sapé 0×1 Campinense
1 12/08/1990 Industrial 1×1 Santa Cruz
1 12/08/1990 Fechine 0×0 Esporte
2 19/08/1990 Sel. Sapé 1×0 Nacional de Cabedelo
2 19/08/1990 Cruzeiro de Mari 0×4 Campinense
2 19/08/1990 Sel. Rio Tinto 1×0 Santos
2 19/08/1990 Fechine 1×1 Guarabira
2 19/08/1990 Espírito Santo 0×1 Treze
2 19/08/1990 Sel. Mamanguape 0×0 Esporte
2 19/08/1990 Vila Nova 1×2 Auto Esporte
2 07/09/1990 América de Esperança 0×1 Santa Cruz
3 25/08/1990 Conceição de Itabaiana 3×0 Santos
3 26/08/1990 Náutico 0×4 Treze
3 26/08/1990 Industrial 0×0 Guarabira
3 26/08/1990 Espírito Santo 1×0 Esporte
3 26/08/1990 Sel. Mamanguape 0×1 Auto Esporte
3 26/08/1990 Vila Nova 2×1 Campinense
3 26/08/1990 Sel. Rio Tinto 0×0 Santa Cruz
3 26/08/1990 América de Esperança 1×1 Nacional de Cabedelo
4 02/09/1990 Sel. Sapé 0×0 Santa Cruz
4 02/09/1990 Industrial 2×0 Campinense
4 02/09/1990 América de Esperança 1×1 Esporte
4 02/09/1990 Conceição de Itabaiana 1×1 Guarabira
4 02/09/1990 Cruzeiro de Mari 0×2 Auto Esporte
4 02/09/1990 Náutico 0×0 Santos
4 02/09/1990 Fechine 1×0 Treze
4 02/09/1990 Sel. Mamanguape 1×0 Nacional de Cabedelo
5 09/09/1990 Industrial 1×0 Esporte
5 09/09/1990 Fechine 2×1 Santos
5 09/09/1990 Sel. Rio Tinto 0×2 Nacional de Cabedelo
5 09/09/1990 Náutico 0×1 Guarabira
5 09/09/1990 Espírito Santo 0×2 Campinense
5 09/09/1990 Cruzeiro de Mari 0×1 Treze
5 09/09/1990 Sel. Sapé 1×3 Auto Esporte
5 09/09/1990 Vila Nova 1×2 Santa Cruz
6 15/09/1990 Vila Nova 0×1 Nacional de Cabedelo
6 16/09/1990 Sel. Sapé 2×0 Guarabira
6 16/09/1990 Sel. Rio Tinto 1×2 Campinense
6 16/09/1990 Sel. Mamanguape 1×0 Treze
6 16/09/1990 América de Esperança 0×0 Santos
6 16/09/1990 Espírito Santo 0×1 Auto Esporte
6 16/09/1990 Conceição de Itabaiana 0×1 Esporte
6 16/09/1990 Fechine 1×1 Santa Cruz
7 22/09/1990 Conceição de Itabaiana 2×0 Nacional de Cabedelo
7 23/09/1990 América de Esperança 0×5 Campinense
7 23/09/1990 Vila Nova 0×2 Treze
7 23/09/1990 Cruzeiro de Mari 0×2 Santa Cruz
7 23/09/1990 Espírito Santo 1×1 Santos
7 23/09/1990 Sel. Mamanguape 1×0 Guarabira
7 23/09/1990 Industrial 0×1 Auto Esporte
7 23/09/1990 Náutico 0×1 Esporte
8 29/09/1990 Náutico 2×2 Santa Cruz
8 30/09/1990 Cruzeiro de Mari 1×2 Guarabira
8 30/09/1990 Sel. Sapé 0×1 Treze
8 30/09/1990 Industrial 2×0 Santos
8 30/09/1990 Fechine 0×0 Nacional de Cabedelo
8 30/09/1990 Sel. Mamanguape 3×1 Campinense
8 25/10/1990 Esporte 1×0 Sel. Rio Tinto
8 28/10/1990 América de Esperança 0×0 Auto Esporte
9 07/10/1990 Sel. Sapé 2×0 Santos
9 07/10/1990 Náutico 1×0 Auto Esporte
9 07/10/1990 Espírito Santo 3×2 Nacional de Cabedelo
9 07/10/1990 Fechine 2×1 Campinense
9 27/10/1990 Vila Nova 1×1 Guarabira
9 28/10/1990 Cruzeiro de Mari¹ WOx1 Esporte
9 28/10/1990 Sel. Rio Tinto 1×3 Treze
9 03/11/1990 Conceição de Itabaiana 2×2 Santa Cruz
10 13/10/1990 Industrial 1×1 Nacional de Cabedelo
10 14/10/1990 Fechine 0×1 Auto Esporte
10 14/10/1990 Sel. Mamanguape 0×0 Santos
10 14/10/1990 Espírito Santo 1×0 Santa Cruz
10 14/10/1990 Sel. Rio Tinto 3×0 Guarabira
10 14/10/1990 América de Esperança 1×0 Treze
10 28/10/1990 Conceição de Itabaiana 0×1 Campinense
10 04/11/1990 Esporte 1x1² Vila Nova
11 20/10/1990 Vila Nova empate Santos
11 21/10/1990 América de Esperança 1×1 Guarabira
11 21/10/1990 Conceição de Itabaiana 1×1 Auto Esporte
11 21/10/1990 Cruzeiro de Mari¹ WOx1 Nacional de Cabedelo
11 21/10/1990 Sel. Sapé 0×2 Esporte
11 21/10/1990 Industrial 1×0 Treze
11 21/10/1990 Sel. Mamanguape 0×0 Santa Cruz
11 21/10/1990 Náutico 0×0 Campinense

Notas:

  1. O Cruzeiro de Mari desistiu do campeonato às vésperas do fim da primeira fase e suas duas últimas partidas foram consideradas WO para o time visitante.
  2. A partida entre Esporte e Vila Nova teve o mando invertido para viabilizar sua realização, uma vez que o Esporte cobriu os custos de transporte do Vila Nova.

CLASSIFICAÇÃO

Profissionais:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Treze 14 11 7 0 4 14 6 8
2 Esporte 14 11 5 4 2 8 4 4
3 Auto Esporte¹ 13 11 8 2 1 13 4 9
4 Campinense 13 11 6 1 4 18 10 8
5 Santa Cruz 13 11 3 7 1 11 8 3
6 Guarabira 10 11 2 6 3 7 11 -4
7 Nacional de Cabedelo 9 11 3 3 5 9 11 -2
8 Santos 5 11 0 5 6 2 13 -11

Nota:

  1. O Auto Esporte perdeu cinco pontos pela escalação irregular de um atleta em um jogo da competição.

Amadores:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Industrial 11 8 4 3 1 8 3 5
2 Sel. Mamanguape 11 8 4 3 1 6 2 4
3 Fechine 10 8 3 4 1 7 5 2
4 Espírito Santo 8 8 3 2 3 6 7 -1
5 Sel. Sapé 7 8 3 1 4 6 7 -1
6 Conceição de Itabaiana 7 8 2 3 3 10 8 2
7 Náutico 7 8 2 3 3 5 9 -4
8 América de Esperança 7 8 1 5 2 4 9 -5
9 Sel. Rio Tinto 5 8 2 1 5 6 9 -3
10 Vila Nova 5 8 1 3 4 6 10 -4
11 Cruzeiro de Mari 2 8 1 0 7 3 13 -10

PROFISSIONAIS – SEGUNDA FASE

Grupo do Litoral:

Rod Data Mandante Placar Visitante
11/11/1990 Santa Cruz 1×0 Nacional de Cabedelo
15/11/1990 Auto Esporte 4×0 Santos
18/11/1990 Nacional de Cabedelo 2×0 Santos
02/12/1990 Santa Cruz 2×1 Santos
02/12/1990 Auto Esporte 3×0 Nacional de Cabedelo
09/12/1990 Auto Esporte 3×2 Santa Cruz

 

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Auto Esporte 6 3 3 0 0 10 2 8
2 Santa Cruz 4 3 2 0 1 5 4 1
3 Nacional de Cabedelo 2 3 1 0 2 2 4 -2
4 Santos 0 3 0 0 3 1 8 -7

 

Grupo do Sertão:

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 11/11/1990 Esporte 2×0 Guarabira
1 11/11/1990 Treze 2×0 Campinense
2 15/11/1990 Campinense 0×1 Esporte
2 15/11/1990 Guarabira 2×0 Treze
3 18/11/1990 Treze 3×1 Esporte
3 18/11/1990 Guarabira 0×0 Campinense
4 22/11/1990 Treze 0×0 Guarabira
4 22/11/1990 Esporte 0×0 Campinense
5 02/12/1990 Esporte 0×0 Treze
5 02/12/1990 Campinense 0×1 Guarabira
6 09/12/1990 Campinense 2×0 Treze
6 09/12/1990 Guarabira 2×2 Esporte

Nota: o Esporte mandou suas partidas em Teixeira-PB, no estádio Dorjão.

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Esporte 7 6 2 3 1 6 5 1
2 Guarabira 7 6 2 3 1 5 4 1
3 Treze 6 6 2 2 2 5 5 0
4 Campinense 4 6 1 2 3 2 4 -2

 

PROFISSIONAIS – FINAL

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 13/12/1990 Esporte 1×0 Auto Esporte
2 16/12/1990 Auto Esporte 4×1 Esporte

Com estes resultados, o Auto Esporte classificou-se para a final do torneio.

AMADORES – SEGUNDA FASE

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 11/11/1990 Vila Nova 1×1 Conceição de Itabaiana
1 11/11/1990 Sel. Rio Tinto 1×1 Espírito Santo
1 11/11/1990 Náutico 2×0 Industrial
1 11/11/1990 Sel. Sapé 3×0 Sel. Mamanguape
1 11/11/1990 América de Esperança 4×0 Fechine
2 15/11/1990 Sel. Mamanguape 0×0 Sel. Sapé
2 15/11/1990 Industrial² 2x0¹ Náutico
2 15/11/1990 Espírito Santo 2×0 Sel. Rio Tinto
2 15/11/1990 Conceição de Itabaiana 0x0¹ Vila Nova
2 15/11/1990 Fechine 3×2 América de Esperança

Notas:

  1. O mandante se classificou por ter melhor campanha.
  2. O Industrial classificou-se diretamente para a final dos amadores por ter tido melhor campanha na primeira fase.

AMADORES – TERCEIRA FASE

Data Mandante Placar Visitante
18/11/1990 Espírito Santo 0×3 Sel. Sapé
18/11/1990 Conceição de Itabaiana 3×2 América de Esperança

 

AMADORES – QUARTA FASE

Data Mandante Placar Visitante
02/12/1990 Sel. Sapé 2×0 Conceição de Itabaiana

 

AMADORES – FINAL

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 09/12/1990 Industrial 0x1¹ Sel. Sapé
2 16/12/1990 Sel. Sapé 1×2 Industrial

Nota:

  1. A partida foi interrompida com o placar de 0×0 por falta de segurança, pois um diretor do Industrial invadiu o campo para agredir o árbitro. O resultado foi arbitrado em 1×0 para a Seleção de Sapé, que passou à final do torneio por ter melhor campanha no geral.

FINAL DO TORNEIO

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 19/12/1990 Sel. Sapé 1×0 Auto Esporte
2 21/12/1990 Auto Esporte 3×0 Sel. Sapé

Com estes resultados, o Auto Esporte sagrou-se Campeão do Torneio de Integração 1990, fechando o ano com três títulos nos torneios organizados pela Federação Paraibana: Torneio Início, Campeonato Paraibano e Torneio de Integração. No ano, o Auto Esporte apenas não foi bem sucedido na seletiva para a Série C 1990, onde o Campinense ganhou a vaga destinada à Paraíba.

 

Em 1957, inaugurou-se em João Pessoa a sua maior praça de esportes até então, o Estádio Olímpico Governador José Américo de Almeida, com um amistoso entre um combinado de João Pessoa e o Santa Cruz-PE.

14/04/1957, 15:30 – COMBINADO JOÃO PESSOA 1×0 SANTA CRUZ/PE
Local: Estádio Olímpico Governador José Américo de Almeida – João Pessoa, PB
Público pagante: 5.167 – Renda: Cr$ 140.435,00
Árbitro: Anísio Morgado (PE)
Gol: Macau 51′ – Expulsos: Nelson, Mascote; Lanzoninho
COMBINADO JOÃO PESSOA – Mascote (Freire); Nelson (Borracho), Kleber; Marajó (Galego), Luiz Carlos, Tita; Pedro Negrinho, Macau, Delgado, Bola Sete, Elcio (Joãozinho). Técnico: Berto.
SANTA CRUZ – Aníbal; Palito, Cação; Zequinha, Aldemar, Jaminho (Edinho); Jorge de Castro, Rudimar (Rubinho), Marinho (Mituca), Lanzoninho, Zeca (Jorginho). Técnico: Palmeira.

Obs.: o técnico Palmeira retirou o Santa Cruz do gramado aos 77′, após falta violenta de Luiz Carlos em Jorginho.

BORDERÔ DA PARTIDA (divulgado nos jornais)

RECEITA
Tipo de ingresso Disponíveis Devolvidos Vendidos Preço unit. Renda total
Arquibancada 1600 477 1123 Cr$ 50,00 Cr$ 56.150,00
Arquibancada (meia) 1000 319 681 Cr$ 25,00 Cr$ 17.025,00
Geral 3299 34 3265 Cr$ 20,00 Cr$ 65.300,00
Automóvel com motorista 100 2 98 Cr$ 20,00 Cr$ 1.960,00
Total 5999 832 5167
Cr$ 140.435,00
DESPESA
Tipo de despesa % Total
Conselho Regional de Desportos da Paraíba 5 Cr$ 7.021,75
Confederação Brasileira de Desportos 5 Cr$ 7.021,75
Folha de pagamentos Cr$ 70.737,00
Total Cr$ 84.780,50
Receita Cr$ 140.435,00
Despesa Cr$ 84.780,50
Saldo Cr$ 55.654,50
 

Participantes (todos de João Pessoa):

  1. 5 de Agosto Esporte Clube
  2. ABC Futebol Clube
  3. Associação Atlética Portuguesa
  4. Bando Azul Esporte Clube
  5. Diamante Esporte Clube
  6. Estrela do Mar Esporte Clube
  7. Guarany Esporte Clube Recreativo
  8. Íbis Futebol Clube

Regulamento:

  • Dois turnos distintos.
  • Os campeões dos turnos fazem a final.

PRIMEIRO TURNO

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 09/07/1966 Guarany 2×1 Portuguesa
1 09/07/1966 Bando Azul 1×6 Diamante
1 16/07/1966 Íbis 0×3 Estrela do Mar
1 16/07/1966 5 de Agosto 0×0 ABC
2 23/07/1966 Bando Azul 1×1 Guarany
2 23/07/1966 Íbis 2×5 Portuguesa
2 30/07/1966 Diamante 3×1 5 de Agosto
2 30/07/1966 ABC 1×1 Estrela do Mar
3 06/08/1966 Guarany 3×1 Íbis
3 06/08/1966 5 de Agosto 3×0 Bando Azul
3 13/08/1966 ABC 3×2 Portuguesa
3 13/08/1966 Estrela do Mar 4×2 Diamante
4 20/08/1966 5 de Agosto 1×2 Guarany
4 20/08/1966 ABC 3×1 Íbis
4 27/08/1966 Estrela do Mar 3×0 Bando Azul
4 27/08/1966 Diamante 2×3 Portuguesa
5 03/09/1966 Guarany 0×2 ABC
5 03/09/1966 Estrela do Mar 3×1 5 de Agosto
5 10/09/1966 Diamante 0×2 Íbis
5 10/09/1966 Portuguesa 3×1 Bando Azul
6 17/09/1966 Estrela do Mar 3×1 Guarany
6 17/09/1966 ABC 2×0 Diamante
6 24/09/1966 5 de Agosto 5xWO Portuguesa
6 24/09/1966 Bando Azul 2×3 Íbis
7 01/10/1966 Diamante 1×1 Guarany
7 01/10/1966 Portuguesa 0×3 Estrela do Mar
7 08/10/1966 ABC 5×3 Bando Azul
7 08/10/1966 Íbis 5×0 5 de Agosto

 

Classificação:

Pos Time Pts J V E D GP GC SG
1 Estrela do Mar 13 7 6 1 0 20 5 15
2 ABC 12 7 5 2 0 16 7 9
3 Guarany 8 7 3 2 2 10 10 0
4 Íbis 6 7 3 0 4 14 16 -2
5 Portuguesa 6 7 3 0 4 14 18 -4
6 Diamante 5 7 2 1 4 14 14 0
7 5 de Agosto 5 7 2 1 4 11 13 -2
8 Bando Azul 1 7 0 1 6 8 24 -16

O Estrela do Mar sagrou-se campeão do primeiro turno e se classificou à final do campeonato.

SEGUNDO TURNO

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 15/10/1966 Portuguesa 1×0 Guarany
1 15/10/1966 Diamante 1×0 Bando Azul
1 22/10/1966 Estrela do Mar 3×4 Íbis
1 22/10/1966 ABC 3×4 5 de Agosto
2 29/10/1966 Guarany 1×0 Bando Azul
2 29/10/1966 Portuguesa 0×3 Íbis
2 06/11/1966 5 de Agosto 1×0 Diamante
2 06/11/1966 Estrela do Mar 1×1 ABC
3 13/11/1966 Íbis 4×0 Guarany
3 13/11/1966 Bando Azul 1×2 5 de Agosto
3 20/11/1966 Portuguesa WOx5 ABC
3 20/11/1966 Diamante 3×2 Estrela do Mar
4 27/11/1966 Guarany 0×5 5 de Agosto
4 27/11/1966 Íbis 1×3 ABC
4 10/12/2006 Bando Azul 0×1 Estrela do Mar
4 10/12/2006 Portuguesa 1×2 Diamante
5 17/12/2006 ABC 5×2 Guarany
5 17/12/2006 5 de Agosto 1×4 Estrela do Mar
5 16/02/1967 Íbis 4×3 Diamante
5 16/02/1967 Bando Azul 1×1 Portuguesa
6 19/02/1967 Guarany WOx5 Estrela do Mar
6 19/02/1967 Diamante 1×2 ABC
6 23/02/1967 Portuguesa 5×2 5 de Agosto
6 23/02/1967 Íbis 1×0 Bando Azul
7 25/02/1967 Guarany 5xWO Diamante
7 25/02/1967 Estrela do Mar 3×3 Portuguesa
7 02/03/1967 Bando Azul 0×0 ABC
7 02/03/1967 5 de Agosto 1×1 Íbis

 

Classificação:

Pos Time Pts J V E D GP GC SG
1 Íbis 11 7 5 1 1 18 10 8
2 ABC 10 7 4 2 1 19 9 10
3 5 de Agosto 9 7 4 1 2 16 14 2
4 Estrela do Mar 8 7 3 2 2 19 12 7
5 Diamante 6 7 3 0 4 10 15 -5
6 Portuguesa 6 7 2 2 3 11 16 -5
7 Guarany 4 7 2 0 5 8 20 -12
8 Bando Azul 2 7 0 2 5 2 7 -5

O Íbis sagrou-se campeão do segundo turno e classificou-se para a final do campeonato.

FINAL

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 11/03/1967 Estrela do Mar 1×1 Íbis
2 18/03/1967 Íbis 3×2 Estrela do Mar
3 25/03/1967 Íbis 1×4
(1×1 pro.)
(3×3 pen.)
Estrela do Mar
Partida interrompida por falta de iluminação natural. Um quarto jogo foi remarcado para se conhecer o campeão.
4 01/04/1967 Estrela do Mar 2×1 Íbis

Com estes resultados, o Estrela do Mar sagrou-se, pela terceira vez, Campeão Paraibano da Primeira Divisão Mista.

Classificação final:

Pos Time Pts J V E D GP GC SG
1 Estrela do Mar 26 18 11 4 3 48 23 25
2 Íbis 20 18 9 2 7 38 35 3
3 ABC 22 14 9 4 1 35 16 19
4 5 de Agosto 14 14 6 2 6 27 27 0
5 Portuguesa 12 14 5 2 7 25 34 -9
6 Guarany 12 14 5 2 7 18 30 -12
7 Diamante 11 14 5 1 8 24 29 -5
8 Bando Azul 3 14 0 3 11 10 31 -21
 

Participantes:

  1. 5 de Agosto Esporte Clube (João Pessoa)
  2. ABC Futebol Clube (João Pessoa)
  3. Bando Azul Esporte Clube (João Pessoa)
  4. Diamante Esporte Clube (João Pessoa)
  5. Estrela do Mar Esporte Clube (João Pessoa)
  6. Esporte Clube Estrela do Mar (Cabedelo)
  7. Fluminense Futebol Clube (João Pessoa)
  8. Íbis Futebol Clube (João Pessoa)
  9. São Cristóvão Esporte Clube Recreativo (Bayeux)
  10. Vera Cruz Esporte Clube Recreativo (João Pessoa)

Regulamento:

Todos contra todos em turno único.

TABELA

Data Mandante Placar Visitante
23/11/1963 São Cristóvão 5×1 Vera Cruz
23/11/1963 5 de Agosto 3×2 Íbis
30/11/1963 ABC 2×2 Fluminense
30/11/1963 Diamante 1×1 Estrela do Mar-C
07/12/1963 Bando Azul 3×5 5 de Agosto
07/12/1963 São Cristóvão 0×1 Estrela do Mar-JP
14/12/1963 ABC 1×4 Íbis
14/12/1963 Fluminense 1×4 Diamante
22/12/1963 Estrela do Mar-C 2×3 Bando Azul
22/12/1963 Estrela do Mar-JP 0×1 Vera Cruz
29/12/1963 Bando Azul 1×1 Fluminense
29/12/1963 São Cristóvão 3×1 Íbis
05/01/1964 Vera Cruz 1×0 Bando Azul
05/01/1964 Diamante 1×3 São Cristóvão
11/01/1964 ABC 2×2 Estrela do Mar-JP
11/01/1964 Estrela do Mar-C 3x3¹ 5 de Agosto
18/01/1964 Íbis 1xWO Estrela do Mar-C
18/01/1964 Estrela do Mar-JP 3×3 Bando Azul
25/01/1964 Fluminense 1xWO Estrela do Mar-C
25/01/1964 São Cristóvão 1×2 ABC
01/02/1964 Vera Cruz 0×6 5 de Agosto
01/02/1964 Estrela do Mar-JP 3×3 Íbis
05/02/1964 ABC 1xWO Estrela do Mar-C
05/02/1964 Íbis 1×1 Diamante
15/02/1964 Estrela do Mar-JP 0×3 5 de Agosto
15/02/1964 Íbis 3×1 Fluminense
19/02/1964 São Cristóvão 4×1 Bando Azul
19/02/1964 Vera Cruz 4×2 Fluminense
22/02/1964 Íbis 5×3 Bando Azul
22/02/1964 ABC 0×0 5 de Agosto
26/02/1964 Estrela do Mar-JP 1xWO Estrela do Mar-C
26/02/1964 5 de Agosto 5×1 Fluminense
29/02/1964 ABC 1xWO Bando Azul
29/02/1964 Íbis 1x1² Vera Cruz
04/03/1964 São Cristóvão 1xWO Estrela do Mar-C
04/03/1964 ABC 1×1 Vera Cruz
07/03/1964 Diamante 1×2 5 de Agosto
07/03/1964 Fluminense 1×4 Estrela do Mar-JP
18/03/1964 Diamante 1×1 Vera Cruz
18/03/1964 São Cristóvão 3×1 Fluminense
21/03/1964 5 de Agosto 1xWO³ São Cristóvão
21/03/1964 Bando Azul 3×4 Diamante
25/03/1964 ABC cancelado Diamante
25/03/1964 Vera Cruz cancelado Estrela do Mar-C
28/03/1964 Diamante cancelado Estrela do Mar-JP

Legenda:

  1. O 5 de Agosto ganhou os pontos desta partida pouco antes do jogo decisivo contra o São Cristóvão.
  2. A partida foi interrompida antes do final por motivos desconhecidos. Sua continuação se daria em 28/3, mas as últimas rodadas foram canceladas.
  3. O São Cristóvão abandonou o campo aos 10′ após ter um jogador expulso.

As últimas rodadas foram canceladas por já estar o campeonato definido em favor do 5 de Agosto.

Classificação:

Pos Time Pts J V E D GP GC SG
1 5 de Agosto 17 9 8 1 0 27 10 17
2 São Cristóvão 12 9 6 0 3 19 8 11
3 Íbis 11 9 4 3 2 20 16 4
4 ABC 10 8 3 4 1 8 10 -2
5 Estrela do Mar-JP 9 8 3 3 2 13 13 0
6 Vera Cruz 9 8 3 3 2 10 16 -6
7 Diamante 7 7 2 3 2 13 12 1
8 Bando Azul 4 9 1 2 6 17 25 -8
9 Fluminense 4 9 1 2 6 10 26 -16
10 Estrela do Mar-C 1 8 0 1 7 6 7 -1

Com estes resultados, o 5 de Agosto sagrou-se Campeão Paraibano da Primeira Divisão Mista. O clube optou por fazer valer a Lei de Acesso e pleiteou com sucesso uma vaga no Campeonato Paraibano da Divisão Extra de Profissionais de 1964. Contudo, nenhum clube foi rebaixado da Divisão Extra para a Divisão Mista.

 

Clubes participantes:

  1. Auto Esporte Clube – João Pessoa
  2. Botafogo Futebol Clube – João Pessoa
  3. Campinense Clube – Campina Grande
  4. Esporte Clube de Patos – Patos
  5. Guarabira Esporte Clube – Guarabira
  6. Nacional Atlético Clube – Cabedelo*
  7. Nacional Atlético Clube – Patos
  8. Santa Cruz Recreativo Esporte Clube – Santa Rita
  9. Santos Futebol Clube – João Pessoa
  10. Treze Futebol Clube – Campina Grande

* mandou seus jogos em Cajazeiras

Regulamento:

  • Dois turnos classificatórios.
  • Cada turno é dividido em primeira fase e segunda fase.
  • Na primeira fase, os times se enfrentam dentro dos grupos, passando os três primeiros de cada para a segunda fase de cada turno.
  • Segundo os jornais da época, estava prevista a possibilidade de uma fase final com quatro times, mas o campeonato foi interrompido na segunda fase do segundo turno. Não se sabe quantos times se classificariam a partir das fases finais dos turnos.

PRIMEIRO TURNO – PRIMEIRA FASE

Grupo A

Data Mandante Placar Visitante
12/06/1985 Botafogo 2×1 Santos
12/06/1985 Santa Cruz 1×0 Guarabira
15/06/1985 Botafogo 3×0 Auto Esporte
16/06/1985 Santos 0×0 Santa Cruz
19/06/1985 Auto Esporte 0×0 Santos
19/06/1985 Santa Cruz 0×0 Botafogo
22/06/1985 Auto Esporte 0×1 Santa Cruz
23/06/1985 Guarabira 0×1 Botafogo
27/06/1985 Auto Esporte 1×0 Guarabira
30/06/1985 Guarabira 2×2 Santos
03/07/1985 Auto Esporte 1×2 Botafogo
03/07/1985 Santa Cruz 1×0 Santos
07/07/1985 Guarabira 2×2 Santa Cruz
10/07/1985 Botafogo 5×0 Santa Cruz
10/07/1985 Santos 0×1 Auto Esporte
14/07/1985 Botafogo 5×0 Guarabira
14/07/1985 Santa Cruz 2×0 Auto Esporte
17/07/1985 Santos 0×2 Guarabira
21/07/1985 Guarabira 1×0 Auto Esporte
24/07/1985 Santos 0×4 Botafogo

 

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Botafogo 15 8 7 1 0 22 2 20
2 Santa Cruz 11 8 4 3 1 7 7 0
3 Guarabira 6 8 2 2 4 7 12 -5
4 Auto Esporte 5 8 2 1 5 3 9 -6
5 Santos 3 8 0 3 5 3 12 -9

 

Grupo B

Data Mandante Placar Visitante
12/06/1985 Esporte 1×1 Campinense
12/06/1985 Treze 0×0 Nacional-C
15/06/1985 Nacional-P 0×0 Treze
16/06/1985 Nacional-C 3×0 Esporte
19/06/1985 Nacional-P 1×4 Esporte
19/06/1985 Treze 1×2 Campinense¹
22/06/1985 Campinense 1×1 Nacional-P
22/06/1985 Esporte 0×3 Treze
26/06/1985 Campinense 7×0 Nacional-C
30/06/1985 Nacional-C 4×3 Nacional-P
03/07/1985 Esporte 1×0 Nacional-C
03/07/1985 Treze 0×0 Nacional-P
07/07/1985 Campinense 3×0 Esporte
07/07/1985 Nacional-C 1×1 Treze
10/07/1985 Campinense 1×2 Treze
10/07/1985 Esporte 1×3 Nacional-P
14/07/1985 Nacional-P 2×0 Campinense
14/07/1985 Treze 3×1 Esporte
17/07/1985 Nacional-P 1×1 Nacional-C
21/07/1985 Nacional-C 1×1 Campinense
  1. O Campinense perdeu os pontos deste jogo.

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Treze 12 8 4 4 0 10 3 7
2 Nacional-P 8 8 2 4 2 11 11 0
3 Nacional-C 8 8 2 4 2 10 14 -4
4 Campinense 7 8 2 3 3 14 8 6
5 Esporte 5 8 2 1 5 8 17 -9

 

O Campinense entrou na justiça contestando a perda de pontos para o Treze e paralisou o campeonato. Os clubes propuseram que se iniciasse a primeira fase do segundo turno, para não se perder tempo, o que foi aceito pela FPF.

SEGUNDO TURNO – PRIMEIRA FASE

Grupo A

Data Mandante Placar Visitante
11/08/1985 Guarabira 0×3 Auto Esporte
11/08/1985 Santa Cruz 0×3 Botafogo
14/08/1985 Botafogo 1×1 Guarabira
14/08/1985 Santos 0×2 Auto Esporte
18/08/1985 Auto Esporte 0×0 Botafogo
18/08/1985 Guarabira 2×0 Santos
21/08/1985 Auto Esporte 0×1 Santa Cruz
21/08/1985 Santos 0×2 Botafogo
25/08/1985 Auto Esporte 0×0 Santos
25/08/1985 Guarabira 0×3 Santa Cruz
28/08/1985 Botafogo 3×1 Santa Cruz
28/08/1985 Santos 3×2 Guarabira
01/09/1985 Botafogo 6×0 Santos
01/09/1985 Santa Cruz 0×2 Auto Esporte
04/09/1985 Auto Esporte 4×0 Guarabira
04/09/1985 Santa Cruz 2×0 Santos
08/09/1985 Botafogo 3×0 Auto Esporte
08/09/1985 Santa Cruz 1×0 Guarabira
15/09/1985 Guarabira 0×4 Botafogo
15/09/1985 Santos 0×1 Santa Cruz

 

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Botafogo 14 8 6 2 0 22 2 20
2 Santa Cruz 10 8 5 0 3 9 8 1
3 Auto Esporte 10 8 4 2 2 11 4 7
4 Guarabira 3 8 1 1 6 5 19 -14
5 Santos 3 8 1 1 6 3 17 -14

 

Grupo B

Data Mandante Placar Visitante
11/08/1985 Campinense 1×0 Esporte
11/08/1985 Nacional-C 0×2 Treze
14/08/1985 Nacional-P 0×2 Treze
18/08/1985 Esporte 1×1 Nacional-C
18/08/1985 Treze 0×1 Campinense
21/08/1985 Nacional-P 1×0 Esporte
25/08/1985 Campinense 3×0 Nacional-P
25/08/1985 Esporte 0×0 Treze
28/08/1985 Campinense 2×1 Nacional-C
01/09/1985 Nacional-C 2×0 Nacional-P
04/09/1985 Nacional-C 0×0 Esporte
04/09/1985 Treze 2×0 Nacional-P
08/09/1985 Esporte 2×1 Campinense
08/09/1985 Treze 3×1 Nacional-C
11/09/1985 Campinense 1×2 Treze
11/09/1985 Esporte 0×1 Nacional-P
15/09/1985 Nacional-P 0×1 Campinense
15/09/1985 Treze 3×1 Esporte
18/09/1985 Nacional-P 2×0 Nacional-C
22/09/1985 Nacional-C 2×0 Campinense

 

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Treze 13 8 6 1 1 14 4 10
2 Campinense 10 8 5 0 3 10 7 3
3 Nacional-P 6 8 3 0 5 4 10 -6
4 Nacional-C 6 8 2 2 4 7 10 -3
5 Esporte 5 8 1 3 4 4 8 -4

 

Ao final da segunda fase do segundo turno, encerrou-se a disputa do Campinense através da inclusão de mais duas equipes na fase final de cada turno. Assim, Auto Esporte, Guarabira e Nacional de Cabedelo jogaram a fase final dos dois turnos.

PRIMEIRO TURNO – FASE FINAL

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 29/09/1985 Botafogo 0×0 Treze
1 29/09/1985 Nacional-P 1×1 Nacional-C
1 29/09/1985 Guarabira 1×1 Auto Esporte
1 29/09/1985 Campinense 2×1 Santa Cruz
2 02/10/1985 Treze 5×0 Nacional-C
2 02/10/1985 Auto Esporte 0×2 Campinense
2 02/10/1985 Nacional-P 1×2 Botafogo
2 03/10/1985 Santa Cruz 0×0 Guarabira
3 06/10/1985 Guarabira 1×1 Botafogo
3 06/10/1985 Auto Esporte 3×0 Nacional-P
3 06/10/1985 Nacional-C 1×2 Santa Cruz
3 06/10/1985 Campinense 0×0 Treze
4 09/10/1985 Nacional-P 0×0 Campinense
4 09/10/1985 Treze 0×0 Guarabira
4 09/10/1985 Santa Cruz 0×0 Botafogo
4 10/10/1985 Auto Esporte 2×1 Nacional-C
5 13/10/1985 Nacional-C 1×1 Botafogo
5 13/10/1985 Nacional-P 1×1 Santa Cruz
5 13/10/1985 Guarabira 0×2 Campinense
5 13/10/1985 Treze * Auto Esporte
6 16/10/1985 Nacional-P 2×0 Guarabira
6 16/10/1985 Campinense 2×2 Nacional-C
6 17/10/1985 Santa Cruz 2×1 Treze
7 20/10/1985 Campinense 1×0 Botafogo
7 20/10/1985 Nacional-C 3×2 Guarabira
7 20/10/1985 Nacional-P 0×3 Treze
7 20/10/1985 Auto Esporte 2×0 Santa Cruz
6 24/10/1985 Botafogo 5×0 Auto Esporte
5 27/10/1985 Treze 1xWO* Auto Esporte

* em 13/10/1985, o Treze, alegando que havia remarcado o jogo para o PV, compareceu em seu estádio para a partida, enquanto juízes e Auto Esporte se encaminharam para o Amigão. A partida foi remarcada para o PV em 27/10, e o Auto Esporte não compareceu. O Auto Esporte entrou na justiça contestando a remarcação da partida para o PV.

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Campinense 11 7 4 3 0 9 3 6
2 Treze 9 7 3 3 1 10 2 8
3 Botafogo 8 7 2 4 1 9 4 5
4 Auto Esporte 7 7 3 1 3 8 10 -2
5 Santa Cruz 7 7 2 3 2 6 7 -1
6 Nacional-P 5 7 1 3 3 5 10 -5
7 Nacional-C 5 7 1 3 3 9 15 -6
8 Guarabira 4 7 0 4 3 4 9 -5

 

SEGUNDO TURNO – FASE FINAL

Data Mandante Placar Visitante
30/10/1985 Auto Esporte 2×1 Guarabira
30/10/1985 Santa Cruz 1×1 Campinense
31/10/1985 Botafogo 1×0 Nacional-P
03/11/1985 Nacional-C 1×1 Treze
03/11/1985 Campinense 3×1 Nacional-P
03/11/1985 Guarabira 1×1 Santa Cruz
06/11/1985 Botafogo 5×0 Guarabira
06/11/1985 Nacional-P 0×1 Auto Esporte
07/11/1985 Santa Cruz 2×2 Nacional-C
10/11/1985 Nacional-C 0×0 Auto Esporte
10/11/1985 Botafogo 1×2 Santa Cruz
10/11/1985 Guarabira 0×0 Nacional-P
13/11/1985 Santa Cruz 4×1 Nacional-P
13/11/1985 Campinense 3×0 Guarabira
13/11/1985 Botafogo 3×1 Nacional-C
28/11/1985 Treze 1×1 Campinense

Durante a fase final do segundo turno, processos interromperam o seu andamento em novembro, até que se soubesse o resultado do caso do Auto Esporte. Em 28/11/1985, na data marcada para o reinício do campeonato, após tomar conhecimento que perdera o recurso, o Auto Esporte abandonou o campeonato, no que foi solidariamente acompanhado por Botafogo, Nacional de Patos e Santa Cruz. Dessa forma, o campeonato nunca terminou, pois nem sequer havia chegado à fase final. Treze e Botafogo entraram na justiça requerendo o título, mas, ainda bem, não ganharam.

Classificação da fase final do segundo turno até o abandono do campeonato:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Santa Cruz 7 5 2 3 0 10 6 4
2 Botafogo 6 4 3 0 1 10 3 7
3 Campinense 6 4 2 2 0 8 3 5
4 Auto Esporte 5 3 2 1 0 3 1 2
5 Nacional-C 3 4 0 3 1 4 6 -2
6 Treze 2 2 0 2 0 2 2 0
7 Guarabira 2 5 0 2 3 2 11 -9
8 Nacional-P 1 5 0 1 4 2 9 -7

 

Classificação total dos times até o abandono do campeonato:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Botafogo 43 27 18 7 2 63 11 52
2 Treze 36 25 13 10 2 36 11 25
3 Santa Cruz 35 28 13 9 6 32 28 4
4 Campinense 34 27 13 8 6 41 21 20
5 Auto Esporte 27 26 11 5 10 25 24 1
6 Nacional-C 22 27 5 12 10 30 45 -15
7 Nacional-P 20 28 6 8 14 22 40 -18
8 Guarabira 15 28 3 9 16 18 51 -33
9 Esporte 10 16 3 4 9 12 25 -13
10 Santos 6 16 1 4 11 6 29 -23
 

Participantes:

  1. Botafogo Futebol Clube – João Pessoa
  2. Esporte Clube União – João Pessoa
  3. Felipeia Esporte Clube – Santa Rita
  4. Palmeiras Sport Club – João Pessoa
  5. Vasco da Gama Esporte Clube – João Pessoa

Regulamento:

  • Campeonato em dois turnos.
  • Em cada turno, os times se enfrentam em jogos de ida.
  • Os vencedores dos turnos fazem a final.

Todas as partidas foram jogadas no estádio do Esporte Clube Cabo Branco, em João Pessoa.

PRIMEIRO TURNO

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 22/04/1945 União 2×2 Vasco da Gama
1 29/04/1945 Botafogo 3×1 Palmeiras
2 06/05/1945 Felipeia 4×2 União
2 13/05/1945 Palmeiras 2×1 Vasco da Gama
3 20/05/1945 Felipeia 3×1 Botafogo
3 27/05/1945 União 3×3 Palmeiras
4 03/06/1945 Vasco da Gama 1×1 Botafogo
4 10/06/1945 Palmeiras 1×4 Felipeia
5 17/06/1945 Botafogo 4×1 União
5 24/06/1945 Vasco da Gama 1×6 Felipeia

 

Classificação

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Felipeia 8 4 4 0 0 17 5 12
2 Botafogo 5 4 2 1 1 9 6 3
3 Palmeiras 3 4 1 1 2 7 11 -4
4 União 2 4 0 2 2 8 13 -5
5 Vasco da Gama 2 4 0 2 2 5 11 -6

O Felipeia sagrou-se campeão do primeiro turno e classificou-se para a final do campeonato.

SEGUNDO TURNO

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 08/07/1945 Vasco da Gama 1×5 União
1 15/07/1945 Palmeiras 3×3 Botafogo
2 22/07/1945 União 2×1 Felipeia
2 29/07/1945 Vasco da Gama 0×12 Palmeiras
3 12/08/1945 Botafogo 3×1 Felipeia
3 19/08/1945 Palmeiras 1×1 União¹
4 26/08/1945 Botafogo 8×0 Vasco da Gama
4 02/09/1945 Felipeia venceu Palmeiras
5 09/09/1945 União 1×3 Botafogo
5 16/09/1945 Felipeia 4×1 Vasco da Gama
  1. O União perdeu os pontos da partida contra o Palmeiras.

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Botafogo 7 4 3 1 0 17 5 12
2 Palmeiras 5 4 2 1 1 16 4 12
3 União 4 4 2 0 2 9 6 3
4 Felipeia 4 4 2 0 2 6 6 0
5 Vasco da Gama 0 4 0 0 4 2 29 -27

O Botafogo foi o campeão do segundo turno e classificou-se para a final do campeonato.

FINAL

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 30/09/1945 Felipeia 1×3 Botafogo
2 07/10/1945 Botafogo 5×1 Felipeia

Com estes resultados, o Botafogo sagrou-se bicampeão paraibano de futebol.

Classificação final:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Botafogo 16 10 7 2 1 34 13 21
2 Felipeia 12 10 6 0 4 25 19 6
3 Palmeiras 8 8 3 2 3 23 15 8
4 União 6 8 2 2 4 17 19 -2
5 Vasco da Gama 2 8 0 2 6 7 40 -33
 

Participantes (todos de João Pessoa):

  1. Arsenal Futebol Clube
  2. Auto Esporte Clube
  3. Botafogo Futebol Clube
  4. Oitizeiro Esporte Clube
  5. Santos Futebol Clube
  6. Vasco da Gama Esporte Clube

Regulamento:

Campeonato em dois turnos, com jogos de ida dentro dos turnos. Os vencedores dos turnos fazem a final.

PRIMEIRO TURNO

Data Mandante Placar Visitante
03/06/1956 Oitizeiro 4×2 Arsenal
09/06/1956 Auto Esporte 8×1 Vasco da Gama
10/06/1956 Botafogo 1×1 Santos
16/06/1956 Arsenal 1×6 Auto Esporte
17/06/1956 Vasco da Gama 1×3 Santos
23/06/1956 Botafogo 1×0 Oitizeiro
24/06/1956 Santos 6×0 Arsenal
07/07/1956 Auto Esporte 6×1 Santos
08/07/1956 Oitizeiro 3×3 Vasco da Gama
14/07/1956 Arsenal 1×5 Botafogo
15/07/1956 Santos 5×2 Oitizeiro
21/07/1956 Vasco da Gama x Arsenal
22/07/1956 Botafogo 1×4 Auto Esporte
26/07/1956 Vasco da Gama 2×5 Botafogo
28/07/1956 Oitizeiro 0×5 Auto Esporte

 

Classificação:

Pos Time Pts J V E D GP GC SG
1 Auto Esporte 10 5 5 0 0 29 4 25
2 Santos 7 5 3 1 1 16 10 6
3 Botafogo 7 5 3 1 1 13 8 5
4 Oitizeiro 3 5 1 1 3 9 16 -7
5 Vasco da Gama 1 4 0 1 3 7 19 -12
6 Arsenal 0 4 0 0 4 4 21 -17

O Auto Esporte sagrou-se campeão do turno e classificou-se para a final do campeonato.

SEGUNDO TURNO

Obs.: o Arsenal aparentemente desistiu do returno.

Data Mandante Placar Visitante
11/08/1956 Vasco da Gama WOx1 Auto Esporte
O Vasco não compareceu. Partida remarcada.
19/08/1956 Vasco da Gama 1xWO Oitizeiro¹
25/08/1956 Oitizeiro 1×3 Botafogo
26/08/1956 Santos 2×3 Auto Esporte
01/09/1956 Auto Esporte 5×0 Oitizeiro
02/09/1956 Santos 0×4 Botafogo²
08/09/1956 Oitizeiro 0×1 Santos
09/09/1956 Botafogo 4×2 Vasco da Gama
15/09/1956 Santos venceu Vasco da Gama
16/09/1956 Auto Esporte 1×3 Botafogo
06/01/1957 Vasco da Gama WOx1 Auto Esporte

Legenda:

  1. Entregou os pontos da partida.
  2. Perdeu os pontos por inclusão de jogador irregular.

Classificação:

Pos Time Pts J V E D GP GC SG
1 Botafogo 6 4 3 0 1 14 4 10
1 Auto Esporte 6 4 3 0 1 9 5 4
1 Santos 6 4 3 0 1 3 7 -4
4 Vasco da Gama 2 4 1 0 3 2 4 -2
5 Oitizeiro 0 4 0 0 4 1 9 -8

Botafogo, Auto Esporte e Santos tiveram que disputar um desempate para saber quem seria o campeão do segundo turno.

Desempate – 1ª rodada:

Data Mandante Placar Visitante
10/03/1957 Auto Esporte 0×0 Santos

 

Desempate – 1ª rodada (replay)

Data Mandante Placar Visitante
17/03/1957 Santos WOx1 Auto Esporte

O Santos entregou os pontos ao Auto Esporte, que classificou-se para decidir o returno contra o Botafogo.

Desempate – 2ª rodada

Data Mandante Placar Visitante
24/03/1957 Auto Esporte 1xWO Botafogo

O Botafogo comunicou que não iria comparecer à decisão do segundo turno.

Meses depois, a Justiça Desportiva deu ganho de causa ao Botafogo no caso da partida contra o Santos. A classificação final do segundo turno ficou assim:

Pos Time Pts J V E D GP GC SG
1 Botafogo 8 4 4 0 0 14 4 10
2 Auto Esporte 6 4 3 0 1 9 5 4
3 Santos 4 4 2 0 2 3 7 -4
4 Vasco da Gama 2 4 1 0 3 2 4 -2
5 Oitizeiro 0 4 0 0 4 1 9 -8

Assim, o Botafogo venceu o segundo turno e classificou-se para a melhor de três contra o Auto Esporte, já em 1958:

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 02/03/1958 Botafogo 1×2 Auto Esporte
2 09/03/1958 Auto Esporte 2×1 Botafogo

Com estes resultados, o Auto Esporte sagrou-se Campeão Paraibano de 1958.

Classificação final:

Pos Time Pts J V E D GP GC SG
1 Auto Esporte 20 11 10 0 1 42 11 31
2 Botafogo 15 11 7 1 3 29 16 13
3 Santos 11 9 5 1 3 19 17 2
4 Oitizeiro 3 9 1 1 7 10 25 -15
5 Vasco da Gama 3 8 1 1 6 9 23 -14
6 Arsenal 0 4 0 0 4 4 21 -17

Agradecimentos a George Henrique de Vasconcelos e Julio Bovi Diogo pela complementação do artigo.

 

O Campeonato Paraibano de 1941 foi marcado por algumas particularidades:

  • A presença daquele que talvez tenha sido proporcionalmente um dos maiores sacos de pancadas da história do Campeonato Paraibano: o Sport de João Pessoa. O Sport foi goleado em todas as sete vezes que entrou em campo – perdeu um jogo e venceu outro por WO. Sofreu, no campeonato, aquelas que talvez sejam as duas maiores goleadas do Campeonato Paraibano: 1×16 para o Botafogo e 0×15 para o Treze. Consta que o Miramar de 1932 fez ainda pior no campeonato, mas ainda estou por pesquisar tal ano.
  • Graças à campanha “brilhante” do Sport, foi o único clube que terminou o campeonato com saldo negativo. O Auto Esporte terminou com saldo 0 e todos os outros terminaram com saldo positivo.
  • Foi o primeiro campeonato em que houveram jogos fora de João Pessoa, um fato intrinsecamente ligado a outra peculiaridade: o Treze entrou em campo apenas seis vezes para ser campeão – metade dos 12 jogos da equipe no certame. No primeiro turno, talvez protestando contra a falta de jogos em Campina Grande – em 1940, o Treze foi campeão jogando todas as partidas em João Pessoa, inclusive as três partidas da final –, o Treze entregou os pontos de 4 de suas 5 partidas, tendo entrado em campo apenas na estreia contra o Felipeia, onde perdeu por 4×3. Curiosamente, no returno, o Treze jogou 3 das 4 partidas em Campina Grande e venceu 2 delas por WO, pois seus adversários entregaram os pontos da partida, tal como fizera o Treze no turno.
  • Como consequência das entregas de pontos do Treze no turno, o Felipeia foi o único clube a efetivamente disputar, no campo, todas as partidas do campeonato.
  • No início do returno, o Botafogo foi excluído da competição após não comparecer ao clássico contra o Auto Esporte. Em protesto, o Botafogo se desafiliou e emprestou todos os seus atletas para o Clube Astréa, que foi campeão nos dois anos subsequentes, os únicos em que jogou o campeonato, graças aos atletas botafoguenses.

Clubes participantes:

  1. Auto Esporte Clube – João Pessoa
  2. Botafogo Futebol Clube – João Pessoa
  3. Felipeia Esporte Clube – Santa Rita
  4. Palmeiras Sport Club – João Pessoa
  5. Sport Club João Pessoa – João Pessoa
  6. Treze Futebol Clube – Campina Grande

Regulamento:

  • Campeonato em dois turnos distintos, com jogos só de ida em cada turno. Os campeões dos turnos fazem a final.

PRIMEIRO TURNO

Data Mandante Placar Visitante Estádio
13/04/1941 Palmeiras 4×0 Sport-JP Esporte Clube Cabo Branco
27/04/1941 Auto Esporte 2×6 Botafogo Esporte Clube Cabo Branco
04/05/1941 Felipeia 4×3 Treze Esporte Clube Cabo Branco
11/05/1941 Sport-JP 2×11 Auto Esporte Esporte Clube Cabo Branco
18/05/1941 Botafogo 6×0 Palmeiras Esporte Clube Cabo Branco
25/05/1941 Auto Esporte 3×4 Felipeia Esporte Clube Cabo Branco
01/06/1941 Botafogo 16×1 Sport-JP Esporte Clube Cabo Branco
08/06/1941 Palmeiras 1×WO¹ Treze Esporte Clube Cabo Branco
15/06/1941 Felipeia 4×2 Botafogo Esporte Clube Cabo Branco
22/06/1941 Palmeiras 1×WO¹ Auto Esporte Esporte Clube Cabo Branco
29/06/1941 Sport-JP 1×9 Felipeia Esporte Clube Cabo Branco
06/07/1941 Botafogo 1×WO¹ Treze Esporte Clube Cabo Branco
06/07/1941 Felipeia 4×4 Palmeiras Esporte Clube Cabo Branco
13/07/1941 Auto Esporte 1×WO¹ Treze Esporte Clube Cabo Branco
data desconhecida Sport-JP 1×WO¹ Treze Esporte Clube Cabo Branco

Legenda:

  1. Entregou os pontos da partida.

Classificação

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Felipeia 9 5 4 1 0 25 13 12
2 Botafogo 8 5 4 0 1 31 7 24
3 Palmeiras 7 5 3 1 1 10 10 0
4 Auto Esporte 4 5 2 0 3 17 13 4
5 Sport-JP 2 5 1 0 4 5 40 -35
6 Treze 0 5 0 0 5 3 8 -5

 

SEGUNDO TURNO

Data Mandante Placar Visitante Estádio
27/07/1941 Sport-JP 2×5 Palmeiras Esporte Clube Cabo Branco
10/08/1941 Treze 1×0 Felipeia Presidente Vargas
10/08/1941 Auto Esporte 1×WO² Botafogo Esporte Clube Cabo Branco
17/08/1941 Auto Esporte 1×WO³ Sport-JP Esporte Clube Cabo Branco
24/08/1941 Sport-JP 0×15 Treze Esporte Clube Cabo Branco
31/08/1941 Felipeia 7×4 Auto Esporte Esporte Clube Cabo Branco
07/09/1941 Auto Esporte WO²×1 Palmeiras Esporte Clube Cabo Branco
14/09/1941 Felipeia 7×3 Sport-JP Esporte Clube Cabo Branco
14/09/1941 Treze 1×WO¹ Palmeiras Presidente Vargas
21/09/1941 Palmeiras 4×1 Felipeia Esporte Clube Cabo Branco
21/09/1941 Treze 1×WO¹ Auto Esporte Presidente Vargas

Legenda:

  1. Entregou os pontos da partida.
  2. Não compareceu à partida.
  3. Não aceitou entrar em campo por causa da chuva e foi declarado perdedor.

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Treze 8 4 4 0 0 18 0 18
2 Palmeiras 6 4 3 0 1 10 4 6
3 Felipeia 4 4 2 0 2 15 12 3
4 Auto Esporte 2 4 1 0 3 5 9 -4
5 Sport-JP 0 4 0 0 4 5 28 -23
6 Botafogo excluído do returno

 

FINAL

Rod Data Mandante Placar Visitante Estádio
1 23/11/1941 Felipeia 2×5 Treze Esporte Clube Cabo Branco
2 30/11/1941 Treze 0×2 Felipeia Presidente Vargas
3 14/12/1941 Treze 4×1 Felipeia Presidente Vargas

Com estes resultados, o Treze sagrou-se bicampeão paraibano de futebol.

Classificação final:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Treze 12 12 6 0 6 30 13 17
2 Felipeia 15 12 7 1 4 45 34 11
3 Palmeiras 13 9 6 1 2 20 14 6
4 Botafogo 8 5 4 0 1 31 7 24
5 Auto Esporte 6 9 3 0 6 22 22 0
6 Sport-JP 2 9 1 0 8 10 68 -58
 

Participantes:

  1. Botafogo Futebol Clube – João Pessoa
  2. Esporte Clube União – João Pessoa
  3. Felipeia Esporte Clube – Santa Rita
  4. Palmeiras Sport Club – João Pessoa
  5. Pitaguares Esporte Clube – João Pessoa
  6. Sol Levante Esporte Clube – João Pessoa

Regulamento: campeonato em dois turnos. Quem somar mais pontos ao final dos turnos é campeão.

TABELA

Data Mandante 1ºQ 2ºQ Visitante
07/06/1936 Botafogo 1×1 4×0 Palmeiras
14/06/1936 União 1×3 0×2 Sol Levante
21/06/1936 Pitaguares 2×1 2×0 Felipeia
28/06/1936 Palmeiras 5×2 WOx1 Sol Levante
05/07/1936 Botafogo 5×0 3×0 União
12/07/1936 Felipeia 0×3 3×1 Sol Levante
16/07/1936 Palmeiras 1×6 1×3 Pitaguares
19/07/1936 Botafogo 0×1 2×0 Felipeia
26/07/1936 Sol Levante 2×3 3×4 Pitaguares
02/08/1936 Palmeiras 4×2 0×5 União
05/08/1936 Botafogo 5×2 1×0 Pitaguares
09/08/1936 Felipeia 3×4 1×0 União
16/08/1936 Botafogo 4×1 5×0 Sol Levante
23/08/1936 Palmeiras 6×0 0×2 Felipeia
30/08/1936 Pitaguares 4×0 3×1 União
13/09/1936 Palmeiras 1×3 0×3 Botafogo
20/09/1936 Sol Levante 4×0 4×1 União
27/09/1936 Felipeia 0×2 0×1 Pitaguares
04/10/1936 Sol Levante 1×1 1xWO Palmeiras
11/10/1936 União 1×4 perdeu Botafogo
01/11/1936 Sol Levante 4×1 3×2 Felipeia
08/11/1936 Pitaguares 3×4 1xWO Palmeiras
15/11/1936 Felipeia 0×4 2×3 Botafogo
22/11/1936 Pitaguares 0×6 4×0 Sol Levante
29/11/1936 União 1×2 perdeu Palmeiras
06/12/1936 Pitaguares 2×1 venceu Botafogo
08/12/1936 União 2×1 0×2 Felipeia
13/12/1936 Sol Levante 2×3 0×2 Botafogo
20/12/1936 Felipeia WOx1* WOx1* Palmeiras
27/12/1936 União 1xWO* WOx1* Pitaguares

* houve entrega de pontos por parte da equipe que perdeu por WO.

Classificação:

PRIMEIROS QUADROS

Pos Time Pts J V E D GP GC SG
1 Botafogo 15 10 7 1 2 30 11 19
2 Palmeiras 14 10 6 2 2 25 19 6
3 Pitaguares 12 10 6 0 4 24 20 4
4 Sol Levante 11 10 5 1 4 28 18 10
5 União 6 10 3 0 7 11 30 -19
6 Felipeia 2 10 1 0 9 7 27 -20

 

SEGUNDOS QUADROS

Pos Time Pts J V E D GP GC SG
1 Botafogo 18 10 9 0 1 23 2 21
1 Pitaguares 18 10 9 0 1 17 6 11
3 Sol Levante 10 10 5 0 5 13 21 -8
4 Felipeia 8 10 4 0 6 12 12 0
5 Palmeiras 4 10 2 0 8 1 17 -16
6 União 2 10 1 0 9 7 15 -8

 

Desempate – segundos quadros

Data Mandante Placar Visitante
03/01/1937 Botafogo 2×1 Pitaguares

Com estes resultados, o Botafogo sagrou-se Campeão Paraibano de 1936 nos primeiros e segundos quadros.

 

Participantes:

  1. América Futebol Clube – Esperança
  2. Auto Esporte Clube – João Pessoa
  3. Botafogo Futebol Clube – João Pessoa
  4. Campinense Clube – Campina Grande
  5. Guarabira Esporte Clube – Guarabira
  6. Nacional Atlético Clube – Cabedelo
  7. Nacional Atlético Clube – Patos
  8. Paulistano Esporte Clube – Campina Grande
  9. Santa Cruz Recreativo Esporte Clube – Santa Rita
  10. Santos Futebol Clube – João Pessoa
  11. Treze Futebol Clube – Campina Grande

Regulamento:

  • Campeonato em três turnos. Cada turno é dividido em primeira fase, onde jogam todos contra todos em jogos de ida, independentemente dos grupos, e fase final, onde os dois melhores de cada grupo disputam o título do turno.
  • No primeiro turno, classificam-se quatro clubes de cada grupo para o segundo turno.
  • No segundo turno, classificam-se três clubes de cada grupo para o terceiro turno.

PRIMEIRO TURNO – PRIMEIRA FASE

Data Mandante Placar Visitante
18/03/1979 Botafogo 5×0 Nacional-P
18/03/1979 Nacional-C 1×1 Santos
18/03/1979 Santa Cruz 1×1 Auto Esporte
21/03/1979 Botafogo 3×0 Santa Cruz
25/03/1979 Treze 2×0 Santos
25/03/1979 Auto Esporte 1×1 Guarabira
25/03/1979 Nacional-C 1×3 Botafogo
27/03/1979 Treze 6×0 América-E
28/03/1979 Nacional-P 4×0 Santa Cruz
28/03/1979 Auto Esporte 5×0 Nacional-C
01/04/1979 Auto Esporte 0×5 Botafogo
01/04/1979 Nacional-C 0×1 Guarabira
01/04/1979 Campinense 4×0 América-E
04/04/1979 Campinense 5×1 Santos
04/04/1979 Nacional-P 2×0 Guarabira
05/04/1979 Botafogo 10×0 América-E
08/04/1979 Nacional-C 0×2 Nacional-P
08/04/1979 Santa Cruz 0×3 Campinense
08/04/1979 Auto Esporte 2×1 América-E
08/04/1979 Treze 0×0 Botafogo
11/04/1979 Treze 13×0 Nacional-C
12/04/1979 Botafogo 2×0 Guarabira
12/04/1979 Santos 2×1 Santa Cruz
15/04/1979 Campinense 2×2 Auto Esporte
15/04/1979 Botafogo 5×0 Santos
18/04/1979 Santos 0×7 Nacional-P
19/04/1979 Campinense 4×1 Guarabira
22/04/1979 Nacional-P 2×1 Auto Esporte
22/04/1979 Santa Cruz 1×0 América-E
25/04/1979 Campinense 2×0 Nacional-C
25/04/1979 Santos 0×3 Guarabira
29/04/1979 Nacional-P 1×0 Campinense
29/04/1979 Auto Esporte 3×2 Treze
29/04/1979 Nacional-C 1×1 América-E
01/05/1979 Santa Cruz 2×2 Guarabira
01/05/1979 Santos 2×0 Auto Esporte
03/05/1979 Nacional-P 1×0 América-E
03/05/1979 Treze 1×3 Guarabira
06/05/1979 Treze 1×1 Nacional-P
06/05/1979 Botafogo 0×0 Campinense
09/05/1979 Santos 0×0 América-E
09/05/1979 Treze 2×1 Santa Cruz
13/05/1979 Campinense 2×2 Treze
13/05/1979 América-E 0×0 Guarabira
13/05/1979 Santa Cruz 2×0 Nacional-C

 

Classificação

GRUPO A

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Botafogo 16 9 7 2 0 33 1 32
2 Treze 11 9 4 3 2 29 10 19
3 Guarabira 9 9 3 3 3 11 12 -1
4 Santos 6 9 2 2 5 6 24 -18
5 América-E 3 9 0 3 6 2 25 -23
6 Nacional-C 2 9 0 2 7 3 30 -27

 

GRUPO B

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Nacional-P 15 9 7 1 1 20 7 13
2 Campinense 13 9 5 3 1 22 7 15
3 Auto Esporte 9 9 3 3 3 15 16 -1
4 Santa Cruz 6 9 2 2 5 8 17 -9
5 Paulistano Impedido de jogar o campeonato por estar sob intervenção da Federação Paraibana de Futebol

 

PRIMEIRO TURNO – FINAL

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 16/05/1979 Campinense 0×1 Botafogo
1 16/05/1979 Nacional-P 1×2 Treze
2 20/05/1979 Nacional-P 4×4 Campinense
2 20/05/1979 Treze 1×1 Botafogo
3 23/05/1979 Campinense 0×1 Treze
3 23/05/1979 Nacional-P 1×2 Botafogo
4 27/05/1979 Treze 4×0 Nacional-P
4 27/05/1979 Botafogo 2×1 Campinense
5 30/05/1979 Botafogo 2×1 Treze
5 30/05/1979 Campinense 4×0 Nacional-P
6 03/06/1979 Treze 2×1 Campinense
6 03/06/1979 Botafogo 4×0 Nacional-P

 

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Botafogo 11 6 5 1 0 12 4 8
2 Treze 9 6 4 1 1 11 5 6
3 Campinense 3 6 1 1 4 10 10 0
4 Nacional-P 1 6 0 1 5 6 20 -14

O Botafogo classificou-se para a final do campeonato.

SEGUNDO TURNO – PRIMEIRA FASE

Data Mandante Placar Visitante
07/06/1979 Auto Esporte 2×0 Santa Cruz
10/06/1979 Botafogo 4×1 Guarabira
10/06/1979 Campinense 4×0 Santa Cruz
13/06/1979 Auto Esporte 0×0 Nacional-P
13/06/1979 Campinense 6×0 Santos
14/06/1979 Santa Cruz 0×5 Botafogo
17/06/1979 Santa Cruz 0×2 Nacional-P
17/06/1979 Treze 0×0 Campinense
17/06/1979 Botafogo 1×2 Auto Esporte
20/06/1979 Treze 1×0 Santa Cruz
20/06/1979 Santos 0×5 Botafogo
23/06/1979 Nacional-P 0×2 Santos
27/06/1979 Santos 1×4 Guarabira
27/06/1979 Treze 2×3 Auto Esporte
01/07/1979 Campinense 4×1 Nacional-P
04/07/1979 Auto Esporte 2×0 Santos
04/07/1979 Nacional-P 3×0 Guarabira
08/07/1979 Campinense 1×3 Botafogo
08/07/1979 Nacional-P 0×1 Treze
08/07/1979 Auto Esporte 1×0 Guarabira
11/07/1979 Santos 0×0 Treze
11/07/1979 Campinense 0×0 Guarabira
15/07/1979 Auto Esporte 0×1 Campinense
15/07/1979 Santa Cruz 5×0 Santos
15/07/1979 Nacional-P 2×2 Botafogo
15/07/1979 Treze 1×0 Guarabira
18/07/1979 Botafogo 0×0 Treze
22/07/1979 Santa Cruz 0×1 Guarabira

 

Classificação:

GRUPO C

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Botafogo 10 7 4 2 1 20 6 14
2 Treze 9 7 3 3 1 5 3 2
3 Guarabira 5 7 2 1 4 6 10 -4
4 Santos 3 7 1 1 5 3 22 -19

 

GRUPO D

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Auto Esporte 11 7 5 1 1 10 4 6
2 Campinense 10 7 4 2 1 16 4 12
3 Nacional-P 6 7 2 2 3 8 9 -1
4 Santa Cruz 2 7 1 0 6 5 15 -10

 

SEGUNDO TURNO – FINAL

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 22/07/1979 Botafogo 2×0 Auto Esporte
1 22/07/1979 Campinense 0×1 Treze
2 25/07/1979 Treze 1×1 Botafogo
2 25/07/1979 Auto Esporte 1×2 Campinense
3 29/07/1979 Botafogo 2×0 Campinense
3 29/07/1979 Treze 3×1 Auto Esporte
4 01/08/1979 Treze 1×2 Campinense
4 01/08/1979 Auto Esporte 0×1 Botafogo
5 05/08/1979 Botafogo 2×2 Treze
5 05/08/1979 Campinense 4×0 Auto Esporte
6 08/08/1979 Auto Esporte 1×3 Treze
6 08/08/1979 Campinense 3×1 Botafogo

 

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Campinense 8 6 4 0 2 11 6 5
2 Treze 8 6 3 2 1 11 7 4
3 Botafogo 8 6 3 2 1 9 6 3
4 Auto Esporte 0 6 0 0 6 3 15 -12

O Campinense classificou-se à final do campeonato.

TERCEIRO TURNO – PRIMEIRA FASE

Data Mandante Placar Visitante
12/08/1979 Treze 1×0 Guarabira
12/08/1979 Nacional-P 0×0 Auto Esporte
15/08/1979 Botafogo 4×0 Nacional-P
15/08/1979 Campinense 3×0 Guarabira
19/08/1979 Auto Esporte 2×5 Botafogo
19/08/1979 Nacional-P 3×1 Guarabira
19/08/1979 Campinense 1×2 Treze
22/08/1979 Nacional-P 0×0 Campinense
22/08/1979 Auto Esporte 0×5 Treze
26/08/1979 Auto Esporte 4×1 Guarabira
26/08/1979 Treze 2×2 Botafogo
29/08/1979 Botafogo 5×2 Guarabira
29/08/1979 Campinense 2×0 Auto Esporte
02/09/1979 Botafogo 1×0 Campinense
02/09/1979 Treze 4×1 Nacional-P

 

Classificação:

GRUPO E

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Botafogo 9 5 4 1 0 17 6 11
2 Treze 9 5 4 1 0 14 4 10
3 Guarabira 0 5 0 0 5 4 16 -12

 

GRUPO F

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Campinense 5 5 2 1 2 6 3 3
2 Nacional-P 4 5 1 2 2 4 9 -5
3 Auto Esporte 3 5 1 1 3 6 13 -7

 

TERCEIRO TURNO – SEGUNDA FASE

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 18/05/1980 Botafogo 0×0 Treze
1 18/05/1980 Nacional-P 1×0 Campinense
2 24/05/1980 Nacional-P 0×1 Botafogo
2 25/05/1980 Campinense 1×0 Treze
3 31/05/1980 Botafogo 1×1 Campinense
3 31/05/1980 Treze 0×0 Nacional-P
4 04/06/1980 Botafogo 1×2 Nacional-P
4 08/06/1980 Treze 1×2 Campinense
5 14/06/1980 Campinense 2×1 Botafogo
5 14/06/1980 Nacional-P 3×0 Treze
6 18/06/1980 Campinense 2×0 Nacional-P
6 18/06/1980 Treze 1×0 Botafogo

 

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Campinense 9 6 4 1 1 8 4 4
2 Nacional-P 7 6 3 1 2 6 4 2
3 Botafogo 4 6 1 2 3 4 6 -2
4 Treze 4 6 1 2 3 2 6 -4

O Campinense, que já havia vencido o segundo turno, adquiriu, vencendo o terceiro, o direito de decidir o campeonato em casa e a vantagem do empate.

FINAL

Data Mandante Placar Visitante
22/06/1980 Campinense 1×1 Botafogo

Com estes resultados, o Campinense sagrou-se Campeão Paraibano de futebol de 1979.

Classificação final:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Campinense 49 40 20 9 11 74 35 39
2 Botafogo 59 40 24 11 5 96 30 66
3 Treze 50 39 19 12 8 72 35 37
4 Nacional-P 33 33 13 7 13 44 49 -5
5 Auto Esporte 23 27 9 5 13 34 48 -14
6 Guarabira 14 21 5 4 12 21 38 -17
7 Santos 9 16 3 3 10 9 46 -37
8 Santa Cruz 8 16 3 2 11 13 32 -19
9 América-E 3 9 0 3 6 2 25 -23
10 Nacional-C 2 9 0 2 7 3 30 -27
- Paulistano - - - - - - - -
 

Participantes:

  1. América Futebol Clube – Esperança
  2. Atlético Clube de Sousa – Sousa
  3. Auto Esporte Clube – João Pessoa
  4. Botafogo Futebol Clube – João Pessoa
  5. Campinense Clube – Campina Grande
  6. Esporte Clube de Patos – Patos
  7. Guarabira Esporte Clube – Guarabira
  8. Nacional Atlético Clube – Cabedelo
  9. Nacional Atlético Clube – Patos
  10. Santa Cruz Recreativo Esporte Clube – Santa Rita
  11. Santos Futebol Clube – João Pessoa
  12. Sociedade Desportiva Borborema – Campina Grande
  13. Treze Futebol Clube – Campina Grande

Regulamento:

  • Campeonato em dois turnos.
  • No primeiro turno, todos contra todos em jogos de ida. O campeão vai à final do campeonato.
  • No segundo, todos contra todos dentro de cada grupo em jogos de ida. Os campeões dos grupos fazem a final do turno. O campeão vai à final do campeonato.

PRIMEIRO TURNO

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 01/02/1976 Botafogo 2×0 Nacional-C
1 01/02/1976 Guarabira 3×0 América-E
1 01/02/1976 Desportiva Borborema 0×1 Santa Cruz
1 01/02/1976 Atlético-S 4×0 Nacional-P
1 04/02/1976 Campinense 11×0 Esporte
1 04/02/1976 Santos 0×1 Auto Esporte
2 08/02/1976 Auto Esporte 1×0 Guarabira
2 08/02/1976 Santa Cruz 1×2 Atlético-S
2 08/02/1976 Treze 4×0 Nacional-C
2 08/02/1976 Nacional-P 0×0 Campinense
2 11/02/1976 Desportiva Borborema 7×0 Santos
2 11/02/1976 Botafogo 9×0 Esporte
3 15/02/1976 Botafogo 4×1 Nacional-P
3 15/02/1976 Desportiva Borborema 1×2 Guarabira
3 15/02/1976 Esporte 0×3 Treze
3 15/02/1976 Atlético-S 7×0 Santos
3 15/02/1976 América-E 0×1 Auto Esporte
3 18/02/1976 Campinense 2×0 Santa Cruz
4 22/02/1976 América-E 0×2 Desportiva Borborema
4 22/02/1976 Esporte 1×3 Nacional-C
4 22/02/1976 Campinense 3×0 Santos
4 22/02/1976 Guarabira 1×2 Atlético-S
4 22/02/1976 Botafogo 2×0 Santa Cruz
4 25/02/1976 Treze 2×1 Nacional-P
5 07/03/1976 Auto Esporte 0×0 Desportiva Borborema
5 07/03/1976 Guarabira 0×0 Campinense
5 07/03/1976 Atlético-S 1×2 América-E
5 07/03/1976 Treze 4×0 Santa Cruz
5 07/03/1976 Nacional-C 3×2 Nacional-P
5 21/04/1976 Botafogo 3×1 Santos
6 10/03/1976 Campinense 5×0 América-E
6 14/03/1976 Botafogo 2×1 Guarabira
6 14/03/1976 Treze 1×0 Santos
6 14/03/1976 Atlético-S 1×0 Auto Esporte
6 14/03/1976 Nacional-C 1×2 Santa Cruz
6 14/03/1976 Nacional-P 7×1 Esporte
7 17/03/1976 Santos 2×0 Nacional-C
7 21/03/1976 Santa Cruz 1×0 Esporte
7 21/03/1976 Atlético-S 0×0 Desportiva Borborema
7 21/03/1976 Treze 1×0 Guarabira
7 21/03/1976 Auto Esporte 2×2 Campinense
7 24/03/1976 América-E 0×5 Botafogo
8 24/03/1976 Santos 2×0 Esporte
8 28/03/1976 Botafogo 0×0 Auto Esporte
8 28/03/1976 Desportiva Borborema 4×1 Campinense
8 28/03/1976 Guarabira 5×1 Nacional-C
8 28/03/1976 Nacional-P 0×0 Santa Cruz
8 30/03/1976 América-E 1×4 Treze
9 31/03/1976 Campinense 1×1 Atlético-S
9 04/04/1976 Botafogo 1×0 Desportiva Borborema
9 04/04/1976 Treze 3×1 Auto Esporte
9 04/04/1976 Guarabira 6×2 Esporte
9 04/04/1976 Nacional-P 1×1 Santos
9 04/04/1976 Nacional-C 5×2 América-E
10 07/04/1976 Auto Esporte 3×1 Nacional-C
10 11/04/1976 Esporte 1×0 América-E
10 11/04/1976 Santa Cruz 0×2 Santos
10 11/04/1976 Guarabira 2×2 Nacional-P
10 11/04/1976 Treze 1×0 Desportiva Borborema
10 11/04/1976 Botafogo 1×0 Atlético-S
11 18/04/1976 Nacional-P 2×1 América-E
11 18/04/1976 Santa Cruz 1×0 Guarabira
11 18/04/1976 Nacional-C 1×1 Desportiva Borborema
11 18/04/1976 Auto Esporte 3×1 Esporte
11 18/04/1976 Campinense 0×1 Botafogo
11 21/04/1976 Treze 3×0 Atlético-S
12 21/04/1976 Desportiva Borborema 7×0 Esporte
12 25/04/1976 América-E 1×1 Santa Cruz
12 25/04/1976 Atlético-S 1×1 Nacional-C
12 25/04/1976 Nacional-P 0×0 Auto Esporte
12 25/04/1976 Treze 1×1 Campinense
12 25/04/1976 Santos 1×1 Guarabira
13 29/04/1976 Campinense 6×0 Nacional-C
13 30/04/1976 Auto Esporte 3×1 Santa Cruz
13 01/05/1976 Desportiva Borborema 5×3 Nacional-P
13 01/05/1976 Botafogo 0×1 Treze
O Treze abandonou o campo aos 72′. O Botafogo foi declarado vencedor do jogo.
13 01/05/1976 Esporte 0×2 Atlético-S
13 05/05/1976 Santos 1×1 América-E

 

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Botafogo 23 12 11 1 0 31 3 28
2 Treze 20 12 10 1 1 27 5 22
3 Auto Esporte 16 12 6 4 2 15 9 6
4 Atlético-S 15 12 6 3 3 21 10 11
5 Campinense 15 12 5 5 2 32 9 23
6 Desportiva Borborema 13 12 5 3 4 27 10 17
7 Guarabira 11 12 4 3 5 21 14 7
8 Santa Cruz 10 12 4 2 6 8 17 -9
9 Santos 9 12 3 3 6 10 25 -15
10 Nacional-P 9 12 2 5 5 19 23 -4
11 Nacional-C 8 12 3 2 7 16 31 -15
12 América-E 4 12 1 2 9 8 31 -23
13 Esporte 2 12 1 0 11 6 54 -48

O Botafogo classificou-se à final do campeonato.

SEGUNDO TURNO

Grupo A

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 23/05/1976 Campinense 4×3 Guarabira
1 23/05/1976 Santa Cruz 2×1 Nacional-C
1 26/05/1976 Auto Esporte 2×3 Botafogo
2 30/05/1976 Esporte 1×0 Guarabira
2 30/05/1976 Nacional-C 3×2 Auto Esporte
2 30/05/1976 Santa Cruz 0×3 Botafogo
3 06/06/1976 Auto Esporte 5×0 Santa Cruz
3 06/06/1976 Campinense 5×0 Nacional-C
3 08/06/1976 Botafogo 6×0 Esporte
4 13/06/1976 Guarabira 0×3 Auto Esporte
4 13/06/1976 Esporte 1×1* Campinense
(partida anulada pelo TJD-PB)
4 11/07/1976 Esporte 0×3 Campinense
4 16/06/1976 Botafogo 7×0 Nacional-C
5 20/06/1976 Campinense 0×1 Auto Esporte
5 20/06/1976 Esporte 2×1 Santa Cruz
5 20/06/1976 Nacional-C 1×1 Guarabira
6 27/06/1976 Botafogo 2×0 Guarabira
6 27/06/1976 Nacional-C 3×0 Esporte
6 27/06/1976 Santa Cruz 0×1 Campinense
7 01/07/1976 Auto Esporte 6×0 Esporte
7 04/07/1976 Botafogo 1×1 Campinense
7 04/07/1976 Guarabira 2×0 Santa Cruz

 

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Botafogo 11 6 5 1 0 22 3 19
2 Campinense 9 6 4 1 1 14 5 9
3 Auto Esporte 8 6 4 0 2 19 6 13
4 Nacional-C 5 6 2 1 3 8 17 -9
5 Esporte 4 6 2 0 4 3 19 -16
6 Guarabira 3 6 1 1 4 6 11 -5
7 Santa Cruz 2 6 1 0 5 3 14 -11

 

Grupo B

Rod Data Mandante Placar Visitante
1 23/05/1976 Atlético-S 0×0 Treze
1 23/05/1976 Nacional-P 3×2 Desportiva Borborema
2 30/05/1976 Santos 2×1 Nacional-P
2 30/05/1976 Treze 1×0 América-E
3 06/06/1976 América-E 2×1 Nacional-P
3 09/06/1976 Desportiva Borborema 2×0 Atlético-S
4 13/06/1976 América-E 1×0 Atlético-S
4 13/06/1976 Santos 0×0 Treze
5 20/06/1976 Nacional-P 4×1 Atlético-S
5 20/06/1976 Santos 0×2 Desportiva Borborema
6 27/06/1976 América-E 0×0 Santos
6 27/06/1976 Treze 1×1 Desportiva Borborema
7 07/07/1976 Desportiva Borborema 8×0 América-E
7 07/07/1976 Santos 0×0 Atlético-S
7 07/07/1976 Treze 0×0 Nacional-P

 

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Desportiva Borborema 7 5 3 1 1 15 4 11
2 Treze 6 5 1 4 0 2 1 1
3 Nacional-P 5 5 2 1 2 9 7 2
4 América-E 5 5 2 1 2 3 10 -7
5 Santos 5 5 1 3 1 2 3 -1
6 Atlético-S 2 5 0 2 3 1 7 -6

 

SEGUNDO TURNO – FINAL

Data Mandante Placar Visitante
11/07/1976 Botafogo 1×1 Desportiva Borborema

Como o Botafogo tinha melhor campanha, sagrou-se campeão do turno com este empate.

Com estes resultados, o Botafogo sagrou-se Campeão Paraibano invicto de 1976.

Classificação final:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Botafogo 35 19 16 3 0 54 7 47
2 Treze 27 17 11 5 1 29 6 23
3 Auto Esporte 24 18 10 4 4 34 15 19
4 Campinense 24 18 9 6 3 46 14 32
5 Desportiva Borborema 21 18 8 5 5 43 15 28
6 Atlético-S 17 17 6 5 6 22 17 5
7 Guarabira 14 18 5 4 9 27 25 2
8 Nacional-P 14 17 4 6 7 28 30 -2
9 Santos 14 17 4 6 7 12 28 -16
10 Nacional-C 13 18 5 3 10 24 48 -24
11 Santa Cruz 12 18 5 2 11 11 31 -20
12 América-E 9 17 3 3 11 11 41 -30
13 Esporte 6 18 3 0 15 9 73 -64
 

Participantes:

  1. Auto Esporte Clube – João Pessoa
  2. Botafogo Futebol Clube – João Pessoa
  3. Centro Esportivo Campinense Clube – Campina Grande
  4. Comerciários Esporte Clube – João Pessoa
  5. Estrela do Mar Esporte Clube – João Pessoa
  6. Íbis Esporte Clube – João Pessoa
  7. Paulistano Esporte Clube – Campina Grande
  8. Santos Futebol Clube – João Pessoa

Regulamento:

Campeonato em dois turnos. O primeiro, jogado em partidas de ida, classifica seis clubes para o segundo, jogado em partidas de ida e volta. Os campeões dos turnos decidem o campeonato.

PRIMEIRO TURNO

Data Mandante Placar Visitante
26/07/1960 Comerciários 2×3 Auto Esporte
31/07/1960 Paulistano 2×0 Estrela do Mar
31/07/1960 Íbis 1×3 Campinense
05/08/1960 Santos 2×1 Comerciários
07/08/1960 Botafogo 4×1 Paulistano
14/08/1960 Auto Esporte 1×1 Estrela do Mar
14/08/1960 Campinense 2×0 Santos
15/08/1960 Íbis 3×1 Comerciários
28/08/1960 Comerciários 0×3 Paulistano
04/09/1960 Botafogo 3×1 Estrela do Mar
07/09/1960 Paulistano 7×2 Íbis
07/09/1960 Auto Esporte 1×3 Campinense
11/09/1960 Santos 3×1 Estrela do Mar
18/09/1960 Botafogo 4×0 Íbis
18/09/1960 Campinense 11×0 Comerciários
24/09/1960 Íbis 1×3 Auto Esporte
02/10/1960 Botafogo 6×1 Comerciários
09/10/1960 Estrela do Mar 0×1 Campinense
09/10/1960 Paulistano 4×1 Auto Esporte
15/10/1960 Estrela do Mar 1×1 Íbis
23/10/1960 Auto Esporte 2×1 Santos
30/10/1960 Santos 0×3 Paulistano
30/10/1960 Campinense 5×0 Botafogo
01/11/1960 Estrela do Mar 3×2 Comerciários
06/11/1960 Auto Esporte 1×1 Botafogo
06/11/1960 Campinense 3×1 Paulistano
13/11/1960 Botafogo 1×0 Santos
15/11/1960 Santos 2×0 Íbis

 

Classificação

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Campinense 14 7 7 0 0 28 3 25
2 Botafogo 11 7 5 1 1 19 9 10
3 Paulistano 10 7 5 0 2 21 10 11
4 Auto Esporte 8 7 3 2 2 12 13 -1
5 Santos 6 7 3 0 4 8 10 -2
6 Estrela do Mar 4 7 1 2 4 7 13 -6
7 Íbis 3 7 1 1 5 8 21 -13
8 Comerciários 0 7 0 0 7 7 31 -24

O Campinense sagrou-se campeão invicto do primeiro turno.

SEGUNDO TURNO

Data Mandante Placar Visitante
27/11/1960 Estrela do Mar 1×6 Paulistano
27/11/1960 Campinense 2×1 Auto Esporte
04/12/1960 Campinense 2×1 Paulistano
04/12/1960 Santos 3×2 Botafogo
08/12/1960 Auto Esporte 1×1 Santos
18/12/1960 Paulistano 2×0 Santos
18/12/1960 Botafogo 0×0 Estrela do Mar
08/01/1961 Botafogo 1×0 Auto Esporte
08/01/1961 Campinense 7×1 Estrela do Mar
15/01/1961 Santos 0×2 Campinense
22/01/1961 Auto Esporte 1×0 ¹ Estrela do Mar
29/01/1961 Paulistano 4×1 Botafogo
29/01/1961 Estrela do Mar 1×1 Santos
05/02/1961 Auto Esporte 3×1 Paulistano
19/02/1961 Botafogo 0×2 Campinense
23/02/1961 Campinense 3×1 ² Auto Esporte
26/02/1961 Paulistano 5×1 Estrela do Mar
05/03/1961 Paulistano 1×2 Campinense
05/03/1961 Botafogo 3×0 Santos
12/03/1961 Santos 1×1 Auto Esporte
19/03/1961 Estrela do Mar 2×1 Botafogo
26/03/1961 Campinense 7×0 ² Estrela do Mar
26/03/1961 Santos 1×2 Paulistano
02/04/1961 Auto Esporte 2×1 Botafogo
09/04/1961 Estrela do Mar 0×2 Auto Esporte
15/04/1961 Campinense 8×1 Santos
16/04/1961 Botafogo WOx1 ³ Paulistano
23/04/1961 Paulistano 2×3 Auto Esporte
23/04/1961 Santos 0×1 Estrela do Mar
27/04/1961 Campinense 1xWO ³ Botafogo

Legenda:

  1. Partida interrompida aos 33′. O Auto recusou-se a seguir jogando após a expulsão de seu goleiro e perdeu os pontos da partida.
  2. Mando de campo invertido para acelerar o término do campeonato.
  3. O Botafogo entregou os pontos das partidas oficiais, que foram convertidas em amistosos, para que o Botafogo pudesse estrear jogadores recém-contratados. O Botafogo venceu ambas as partidas por 1×0.

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Campinense 20 10 10 0 0 36 6 30
2 Paulistano 12 10 6 0 4 25 14 11
3 Auto Esporte 10 10 4 2 4 14 13 1
4 Estrela do Mar 8 10 3 2 5 8 29 -21
5 Botafogo 5 10 2 1 7 9 15 -6
6 Santos 5 10 1 3 6 8 23 -15

Com estes resultados, o Campinense sagrou-se campeão, pela primeira vez, do Campeonato Paraibano em 1960, e de forma invicta.

Classificação final:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Campinense 34 17 17 0 0 64 9 55
2 Paulistano 22 17 11 0 6 46 24 22
3 Auto Esporte 18 17 7 4 6 26 26 0
4 Botafogo 16 17 7 2 8 28 24 4
5 Estrela do Mar 12 17 4 4 9 15 42 -27
6 Santos 11 17 4 3 10 16 33 -17
7 Íbis 3 7 1 1 5 8 21 -13
8 Comerciários 0 7 0 0 7 7 31 -24
 

Clubes participantes:

  1. Botafogo Futebol Clube – João Pessoa
  2. Esporte Clube União – João Pessoa
  3. Felipeia Esporte Clube – Santa Rita
  4. Palmeiras Sport Club – João Pessoa
  5. Pitaguares Esporte Clube – João Pessoa
  6. Sol Levante Esporte Clube – João Pessoa
  7. Sport Club João Pessoa – João Pessoa

Obs.: o Felipeia, nos anos 30, realmente era de Barreiras, distrito de Santa Rita que foi emancipado em 15/12/1959 e tornou-se a cidade de Bayeux. Mas, pelas minhas pesquisas, houve um tempo em que a sede do clube era de fato em João Pessoa.

Regulamento: campeonato em dois turnos. O clube que somar mais pontos ao final dos dois turnos é campeão.

TABELA

Data Mandante 1ºQ 2ºQ Visitante
18/04/1937 Botafogo 3×1 2×2 Palmeiras
21/04/1937 Sol Levante 2×0 1×0 Sport-JP
25/04/1937 Felipeia 4×1 1×1 União
01/05/1937 Pitaguares 1×4 venceu Botafogo
09/05/1937 Palmeiras 3×0 2×2 Sol Levante
16/05/1937 Sport-JP 2×0 0×5 Felipeia
23/05/1937 União 2×2 0×2 Botafogo
30/05/1937 Sol Levante 4×0 1×3 Pitaguares
06/06/1937 Palmeiras 0×2 2×2 União
13/06/1937 Pitaguares 0×2 2×1 Sport-JP
20/06/1937 Sol Levante 2×1 1×1 União
27/06/1937 Botafogo 4×0 2×1 Felipeia
04/07/1937 Palmeiras 2×2 1×3 Pitaguares
11/07/1937 União 1×1 2×3 Sport-JP
16/07/1937 Felipeia 1×1 1×1 Sol Levante
18/07/1937 Sport-JP 1×1 2×0 Palmeiras
25/07/1937 Pitaguares 0×2 0×0 Felipeia
26/07/1937 Botafogo 1×0 3×1 Sol Levante
01/08/1937 Felipeia 2×2 2×0 Palmeiras
08/08/1937 Sport-JP 1×5 1×4 Botafogo
15/08/1937 União 4×2 perdeu Pitaguares
29/08/1937 Palmeiras 2×2 1×3 Botafogo
05/09/1937 Sport-JP 3×2 1×1 Sol Levante
12/09/1937 União 1×0 2×2 Felipeia
07/09/1937 Botafogo 6×1 1×2 Pitaguares
19/09/1937 Sol Levante 3×3 1×4 Palmeiras
26/09/1937 Felipeia 4×1 1×1 Sport-JP
03/10/1937 Botafogo 1×0 3×1 União
10/10/1937 Pitaguares WOx1¹ 1xWO¹ Sol Levante
12/10/1937 União 3×2 1xWO Palmeiras
13/10/1937 Sport-JP 1xWO¹ WOx1¹ Pitaguares
17/10/1937 União 0×1 0×3 Sol Levante
24/10/1937 Felipeia 0×1 1×1 Botafogo
26/10/1937 Pitaguares WOx1¹ 1xWO¹ Palmeiras
07/11/1937 Sport-JP 2x2² 1xWO União
21/11/1937 Sol Levante 2×5 perdeu Felipeia
23/11/1937 Palmeiras WOx1¹ 1xWO¹ Sport-JP
23/11/1937 Felipeia 1xWO¹ WOx1¹ Pitaguares
23/11/1937 Sol Levante 1xWO¹ WOx1¹ Botafogo
23/11/1937 Palmeiras WOx1¹ WOx1¹ Felipeia
23/11/1937 Botafogo WOx1¹ 1xWO¹ Sport-JP
23/11/1937 Pitaguares WOx1¹ 1xWO¹ União

Observações:

  1. O clube que consta como perdedor por WO entregou os pontos ao adversário.
  2. O União ganhou os pontos da partida por escalação irregular de jogador por parte do Sport.

Em 23/11/1937, com o campeonato decidido em favor do Botafogo, procederam-se as entregas de pontos documentadas na tabela. Com isso, as classificações dos campeonatos ficaram assim:

PRIMEIROS QUADROS

Pos Time Pts J V E D GP GC SG
1 Botafogo 18 12 8 2 2 29 8 21
2 Felipeia 14 12 6 2 4 18 15 3
2 Sol Levante 14 12 6 2 4 17 17 0
2 União 14 12 6 2 4 17 17 0
2 Sport-JP 14 12 6 2 4 13 17 -4
6 Palmeiras 9 12 2 5 5 16 18 -2
7 Pitaguares 1 12 0 1 11 6 24 -18

 

SEGUNDOS QUADROS

Pos Time Pts J V E D GP GC SG
1 Pitaguares 23 12 11 1 0 10 4 6
2 Botafogo 18 12 8 2 2 21 10 11
3 Felipeia 14 12 4 6 2 14 8 6
4 Sport-JP 8 12 3 2 7 9 16 -7
5 Sol Levante 8 12 2 4 6 12 15 -3
6 Palmeiras 7 12 2 3 7 12 17 -5
7 União 6 12 1 4 7 9 17 -8

 

Com o empate quádruplo entre os clubes na segunda posição do campeonato de primeiros quadros, a Liga Desportiva Paraibana ordenou que se jogasse uma eliminatória entre os quatro clubes, a fim de desempatar a classificação.

SEMIFINAIS – DISPUTA DO 2ºLUGAR

Data Mandante Placar Visitante
28/11/1937 Sport-JP 1×1 (1×0 pro.) União
05/12/1937 Felipeia 4×0 Sol Levante

 

FINAL – DISPUTA DO 2º LUGAR

Data Mandante Placar Visitante
12/12/1937 Sport-JP 3×3 Felipeia
19/12/1937 Felipeia 2×2 Sport-JP
26/12/1937 Sport-JP 1×2 Felipeia

A eliminatória deveria ter sido em jogo único, mas, com o empate, procedeu-se a um segundo desempate e posteriormente a um terceiro desempate.

CLASSIFICAÇÃO FINAL

Pos Time Pts J V E D GP GC SG
1 Botafogo 18 12 8 2 2 29 8 21
2 Felipeia 14 12 6 2 4 18 15 3
3 Sport-JP 14 12 6 2 4 13 17 -4
4 União 14 12 6 2 4 17 17 0
5 Sol Levante 14 12 6 2 4 17 17 0
6 Palmeiras 9 12 2 5 5 16 18 -2
7 Pitaguares 1 12 0 1 11 6 24 -18

 

Com estes resultados, o Botafogo sagrou-se bicampeão paraibano, enquanto o Pitaguares sagrou-se campeão entre os segundos times.

 

Participantes (todos de João Pessoa):

  1. Auto Esporte Clube
  2. Botafogo Futebol Clube
  3. Esporte Clube União
  4. Felipeia Esporte Clube
  5. Palmeiras Sport Club
  6. Pitaguares Esporte Clube

Regulamento: campeonato em dois turnos. Os vencedores dos turnos fazem a final. Todas as partidas foram disputadas no campo do Paraíba Clube (Esporte Clube Cabo Branco), em João Pessoa.

Nota: este foi o primeiro campeonato em que tomaram parte, juntos, Auto Esporte e Botafogo.

PRIMEIRO TURNO

Data Mandante 1ºQ 2ºQ Visitante
03/04/1938 Botafogo 1×1 4×0 Auto Esporte
10/04/1938 Pitaguares 0×1 0×0 Sport-JP
17/04/1938 União 4×2 3×2 Felipeia
21/04/1938 Palmeiras 3×1 x Botafogo
24/04/1938 Auto Esporte 2×2 1×0 Pitaguares
01/05/1938 União 6×1 3×2 Sport-JP
08/05/1938 Felipeia 2×0* venceu Palmeiras
*O Felipeia abandonou o campo quando vencia por 2×0 e foi declarado perdedor. Posteriormente, o Felipeia desistiu de jogar o returno e foi declarado perdedor por WO de todas as partidas restantes, nos primeiros e segundos quadros.
13/05/1938 Botafogo 6×2 1×2 Pitaguares
15/05/1938 Auto Esporte 4×0 0×0 Sport-JP
22/05/1938 União 1×0 3×1 Palmeiras
26/05/1938 Felipeia WOx1 WOx1 Botafogo
29/05/1938 Pitaguares 0×4 0×0 União
12/06/1938 Palmeiras 3×1 0×0 Auto Esporte
15/06/1938 Sport-JP 1xWO 1xWO Felipeia
19/06/1938 Botafogo 4×2 2×2 União
26/06/1938 Pitaguares 2×2 2×1 Palmeiras
28/06/1938 Auto Esporte 1xWO 1xWO Felipeia
03/07/1938 Sport-JP 1×4 perdeu Botafogo
10/07/1938 União 2×3 1×2 Auto Esporte
13/07/1938 Felipeia WOx1 WOx1 Pitaguares
17/07/1938 Palmeiras 5×0 venceu Sport-JP

 

Classificação – primeiros quadros

Pos Time Pts J V E D GP GC SG
1 Palmeiras 9 6 4 1 1 14 5 9
2 Botafogo 9 6 4 1 1 17 9 8
3 União 8 6 4 0 2 19 10 9
4 Auto Esporte 8 6 3 2 1 12 8 4
5 Sport-JP 4 6 2 0 4 4 19 -15
6 Pitaguares 4 6 1 2 3 7 15 -8
7 Felipeia 0 6 0 0 6 2 9 -7

 

Classificação – segundos quadros

Pos Time Pts J V E D GP GC SG
1 União 8 6 3 2 1 12 9 3
2 Pitaguares 8 6 3 2 1 5 3 2
3 Auto Esporte 8 6 3 2 1 4 5 -1
4 Botafogo 7 5 3 1 1 8 4 4
5 Sport-JP 4 6 1 2 3 3 3 0
6 Palmeiras 3 5 1 1 3 2 5 -3
7 Felipeia 2 6 1 0 5 2 7 -5

 

Desempate – primeiros quadros

Data Mandante Placar Visitante
24/07/1938 Palmeiras 2×3 Botafogo

O Botafogo sagrou-se campeão do primeiro turno.

SEGUNDO TURNO

Data Mandante 1ºQ 2ºQ Visitante
31/07/1938 Auto Esporte 2×2 4×0 Botafogo
14/08/1938 Sport-JP 2×0 0×3 Pitaguares
21/08/1938 Felipeia 2×2 1×3 União
28/08/1938 Botafogo 4×2 3×2 Palmeiras
04/09/1938 Pitaguares 2×1 x Auto Esporte
18/09/1938 Sport-JP 0×0 1×3 União
25/09/1938 Palmeiras 5×1 x Felipeia
02/10/1938 Pitaguares 3×0 1×1 Botafogo
16/10/1938 Sport-JP 1×7 0×3 Auto Esporte
23/10/1938 Palmeiras 2×0 WOx1 União
30/10/1938 Botafogo 4×0 5×1 Felipeia
01/11/1938 União 0×3 2×0 Pitaguares
06/11/1938 Auto Esporte 2×2 6×1 Palmeiras
13/11/1938 Felipeia 5×2 0×3 Sport-JP
15/11/1938 União 0×2 4×4 Botafogo
20/11/1938 Palmeiras 4×1 1×1 Pitaguares
18/12/1938 Botafogo 6×2 venceu Sport-JP
20/12/1938 Sport-JP WOx1 WOx1 Palmeiras
Na reunião da Liga Desportiva Paraibana de 20/12/1938, o Sport cedeu os pontos ao Palmeiras. Com isso, a Liga cancelou os compromissos restantes do campeonato e marcou o desempate do segundo turno entre Palmeiras e Botafogo, que não podiam mais ser alcançados.
Felipeia cancelados Auto Esporte
Auto Esporte cancelados União
Pitaguares cancelados Felipeia

 

Classificação – primeiros quadros

Pos Time Pts J V E D GP GC SG
1 Botafogo 9 6 4 1 1 18 9 9
2 Palmeiras 9 6 4 1 1 16 8 8
3 Pitaguares 6 5 3 0 2 9 7 2
4 Auto Esporte 4 4 1 2 1 12 7 5
5 Felipeia 3 4 1 1 2 8 13 -5
6 Sport-JP 3 6 1 1 4 7 19 -12
7 União 2 5 0 2 3 2 9 -7

 

Classificação – segundos quadros

Pos Time Pts J V E D GP GC SG
1 União 9 5 4 1 0 13 6 7
2 Botafogo 8 6 3 2 1 13 12 1
3 Auto Esporte 6 3 3 0 0 13 1 12
4 Pitaguares 4 4 1 2 1 5 4 1
5 Palmeiras 3 5 1 1 3 5 11 -6
6 Sport-JP 2 6 1 0 5 4 10 -6
7 Felipeia 0 3 0 0 3 2 11 -9

 

Desempate – primeiros quadros

Data Mandante Placar Visitante
08/01/1939 Botafogo 1×2 Palmeiras

Palmeiras sagrou-se campeão do segundo turno.

FINAL

Rodada Data Mandante Placar Visitante
1 15/01/1939 Palmeiras 0×1 Botafogo
2 22/01/1939 Botafogo 1×1 Palmeiras
3 29/01/1939 Botafogo 3×1 Palmeiras

Com estes resultados, o Botafogo Futebol Clube sagrou-se Campeão Paraibano de 1938.

Classificação final:

Pos Time Pts J V E D GP GC SG
1 Botafogo 23 15 10 3 2 40 20 20
2 Palmeiras 19 15 8 3 4 32 18 14
3 Auto Esporte 12 10 4 4 2 24 15 9
4 União 10 11 4 2 5 21 19 2
5 Pitaguares 10 11 4 2 5 16 22 -6
6 Sport-JP 7 12 3 1 8 11 38 -27
7 Felipeia 3 10 1 1 8 10 22 -12
 

Participantes (todos de João Pessoa exceto quando indicado):

  1. Auto Esporte Clube
  2. Botafogo Futebol Clube
  3. Brasil Sport Club
  4. Esporte Clube União
  5. Felipeia Esporte Clube – Santa Rita
  6. Palmeiras Sport Club
  7. Sport Club João Pessoa
  8. Treze Futebol Clube – Campina Grande

Regulamento: turno único, todos contra todos em jogos de ida.

Todas as partidas foram disputadas em João Pessoa, no estádio do Paraíba Clube (Esporte Clube Cabo Branco).

TABELA

Data Mandante Placar Visitante
13/08/1939 Auto Esporte 3×2 Treze
13/08/1939 Felipeia 1×5 União
20/08/1939 Brasil SC x Botafogo
(partida adiada por motivos de chuva)
20/08/1939 Sport-JP 0×6 Palmeiras
27/08/1939 Felipeia 1×2 Sport-JP
27/08/1939 Auto Esporte 2×1 União
03/09/1939 Botafogo 1×8 Treze
03/09/1939 Palmeiras 2×3 União
10/09/1939 Palmeiras 1×1 Brasil SC
10/09/1939 Auto Esporte 3×2 Sport-JP
17/09/1939 Palmeiras 2×2 Treze
17/09/1939 Sport-JP 0×9* Botafogo
(o Botafogo perdeu os pontos por escalação irregular de jogador)
24/09/1939 União 1×3 Botafogo
24/09/1939 Felipeia 0×8 Brasil SC
08/10/1939 Palmeiras 1×2 Auto Esporte
08/10/1939 Brasil SC 2×7 Treze
15/10/1939 Brasil SC 4×0 União
15/10/1939 Auto Esporte 1×1 Botafogo
22/10/1939 Sport-JP 1×7 Treze
22/10/1939 Felipeia 1×7 Auto Esporte
Em reunião na Liga Desportiva Paraibana, no dia 24/10/1939, o Brasil entregou os pontos da rodada vindoura para o Auto Esporte. Com isso, o Auto Esporte não poderia ser mais alcançado por ninguém. Dessa forma, a Liga encerrou o campeonato sem que se disputassem os jogos restantes e declarou o Auto Esporte campeão.
29/10/1939 Auto Esporte 1xWO Brasil SC
29/10/1939 Botafogo cancelado Palmeiras
Felipeia cancelado Treze
Felipeia cancelado Palmeiras
Felipeia cancelado Botafogo
Sport-JP cancelado União
Brasil SC cancelado Sport-JP
União cancelado Treze

 

Classificação final

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Auto Esporte 13 7 6 1 0 19 8 11
2 Treze 7 5 3 1 1 26 9 17
3 Brasil SC 5 5 2 1 2 15 9 6
4 União 4 5 2 0 3 10 12 -2
5 Palmeiras 4 5 1 2 2 12 8 4
6 Sport-JP 4 5 2 0 3 5 26 -21
7 Botafogo 3 4 1 1 2 14 10 4
8 Felipeia 0 4 0 0 4 3 22 -19
 

Segue a foto do time. Infelizmente não se sabem as cores do clube.

 

Participantes:

  1. Auto Esporte Clube Recreativo – João Pessoa
  2. Botafogo Futebol Clube – João Pessoa
  3. Felipeia Esporte Clube – Santa Rita
  4. Palmeiras Sport Club – João Pessoa
  5. Sport Club João Pessoa – João Pessoa
  6. Treze Futebol Clube – Campina Grande

Todas as partidas foram realizadas em João Pessoa, no estádio do Paraíba Clube, na Av. 1º de Maio, bairro de Jaguaribe. Suspeito que possa ser o mesmo campo do Esporte Clube Cabo Branco, que sediou a imensa maioria das partidas oficiais na capital tabajara até sua demolição em 1957.

Campeonato disputado em dois turnos. Os vencedores dos turnos disputaram uma final em três partidas.

PRIMEIRO TURNO

Data Mandante Placar Visitante
14/04/1940 Palmeiras 1×2 Sport-JP
21/04/1940 Auto Esporte 4×2 Treze
28/04/1940 Botafogo 4×4 Felipeia
05/05/1940 Sport-JP 2×5 Auto Esporte
12/05/1940 Felipeia 2×4 Treze
19/05/1940 Auto Esporte 8×2 Palmeiras
26/05/1940 Botafogo 5×1 Sport-JP
02/06/1940 Felipeia 0×1 Palmeiras
09/06/1940 Sport-JP 1×5 Treze
16/06/1940 Palmeiras 2×2 Botafogo
23/06/1940 Felipeia 0×5 Auto Esporte
30/06/1940 Palmeiras 3×6 Treze
07/07/1940 Auto Esporte 0×1 Botafogo
14/07/1940 Sport-JP 2×10 Felipeia
21/07/1940 Botafogo 2×1 Treze

 

Classificação

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Auto Esporte 8 5 4 0 1 22 7 15
2 Botafogo 8 5 3 2 0 14 8 6
3 Treze 6 5 3 0 2 18 12 6
4 Felipeia 3 5 1 1 3 16 16 0
5 Palmeiras 3 5 1 1 3 9 18 -9
6 Sport-JP 2 5 1 0 4 8 26 -18

 

Desempate

Data Mandante Placar Visitante
28/07/1940 Auto Esporte 0×2 Botafogo

Botafogo sagrou-se campeão do primeiro turno. O Sport não jogou o segundo turno, não se sabe se o clube desistiu ou se o regulamento previa a eliminação do último colocado.

SEGUNDO TURNO

Data Mandante Placar Visitante
11/08/1940 Felipeia 3×4 Botafogo
18/08/1940 Palmeiras 4×2 Auto Esporte
25/08/1940 Felipeia 3×1 Treze
01/09/1940 Auto Esporte 4×2 Felipeia
15/09/1940 Palmeiras 0×5 Treze
22/09/1940 Palmeiras 1×4 Felipeia
29/09/1940 Botafogo 0×1 Treze
06/10/1940 Botafogo 6×1 Palmeiras
20/10/1940 Auto Esporte 0×2 Treze
27/10/1940 Botafogo 4×3 Auto Esporte

 

Classificação

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Botafogo 6 4 3 0 1 14 8 6
2 Treze 6 4 3 0 1 9 3 6
3 Felipeia 4 4 2 0 2 12 10 2
4 Auto Esporte 2 4 1 0 3 9 12 -3
5 Palmeiras 2 4 1 0 3 6 17 -11

 

Desempate

Rodada Data Mandante Placar Visitante
1 30/10/1940 Botafogo 2×2 Treze
2 10/11/1940 Botafogo 3×3
(1×2 pro.)
Treze

Treze sagrou-se campeão do segundo turno.

FINAL

Rodada Data Mandante Placar Visitante
1 15/11/1940 Botafogo 3×1 Treze
2 24/11/1940 Botafogo 3×5 Treze
3 29/12/1940 Botafogo 3×6 Treze

 

Com estes resultados, o TREZE FUTEBOL CLUBE sagrou-se, pela primeira vez, Campeão Paraibano de futebol.

Classificação final:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Treze 16 12 8 0 4 39 24 15
2 Botafogo 16 12 7 2 3 37 28 9
3 Auto Esporte 10 9 5 0 4 31 19 12
4 Felipeia 7 9 3 1 5 28 26 2
5 Palmeiras 5 9 2 1 6 15 35 -20
6 Sport-JP 2 5 1 0 4 8 26 -18
 
Campeonato Paraibano 1947 – Torneio Início
Data 18/05/1947 Local Estádio do Esporte Clube Cabo Branco
Cidade João Pessoa, PB Público n/d Renda n/d
Participante Cidade
Auto Esporte Clube João Pessoa
Botafogo Futebol Clube João Pessoa
Central Elétrica Esporte Clube João Pessoa
Equador Esporte Clube Recreativo João Pessoa
Esporte Clube União João Pessoa
Felipeia Esporte Clube João Pessoa
Ipiranga Esporte Clube João Pessoa
Palmeiras Esporte Clube João Pessoa
Vasco da Gama Esporte Clube João Pessoa
Jogo Equipe 1 Placar Equipe 2
1 Central Elétrica 1×2 Palmeiras
2 Auto Esporte 0×1 Equador
3 Ipiranga 1×0 Botafogo
4 União 0×1 Vasco da Gama
5 Felipeia 0×1 Palmeiras
6 Equador 2×0 Ipiranga
7 Vasco da Gama 1×0 Palmeiras
8 Equador venceu Vasco da Gama
Nota: a partida entre Equador e Vasco da Gama foi realizada no dia 25/5/1947, uma vez que, no dia 18, não havia mais luz natural para que os clubes pudessem disputar a final do torneio.
Com estes resultados, o Equador Esporte Clube, do bairro de Cruz das Armas, sagrou-se Campeão do Torneio Início do Campeonato Paraibano de 1947.

 

 

04/01/1953 – COMBINADO AUTO ESPORTE/BOTAFOGO-PB 2×4 CHACARITA JUNIORS (ARG)
Local: Esporte Clube Cabo Branco – João Pessoa, PB
Árbitro: Iglesias (ARG) – Auxiliares: Veiga Pessoa (PB), Manuel Augusto da Silva (PB)
Gols: Milton (1T) (1T); Esquide (1T), Coll (1T), Costa (2T), Campana (2T)
COMBINADO AUTO/BOTAFOGO: Leonardo; Dico, Letácio (Betinho); Adalberto (Paisinho), Berto, Nenho (Tita); Elcio (Joãozinho), Viana (Nuca), Milton, Arquimedes, Alfredo. Técnico: Vavá.
CHACARITA: Berti; Pizarro, Ferraro; García, Espinosa, Arrais; Otero (Costa), Coll, Barta, Campano, Esquide. Técnico: Romero.

 

Houve na Paraíba algumas edições do Campeonato Paraibano que foram denominadas de Campeonato “Misto”, onde os times aparentemente mantinham tanto jogadores profissionais quanto amadores. Creio que essa denominação durou desde o início do profissionalismo no Estado até o início dos anos 60, quando o campeonato passou a ser totalmente profissional e a divisão principal passou a ser denominada de “Extra”.

Entre o fim dos anos 50 e o início dos anos 70, houveram também divisões inferiores desse Campeonato “Misto” – em 1959 e 1960, a divisão principal se chamava “Primeira Divisão” e a divisão logo abaixo, “Segunda Divisão”. A partir de 1961, a divisão principal passou a ser chamada de “Extra” e houveram duas divisões inferiores: “Primeira Divisão” e “Segunda Divisão”. De 1962 em diante, houve apenas a Divisão Extra e a Primeira Divisão. Em nenhum ano chegou a ser efetivada a Lei de Acesso entre quaisquer dessas divisões, por mais que no início da década de 60 essa possibilidade tenha sido aventada de forma real pela Federação Paraibana de Futebol.

O certame de 1960 da Segunda Divisão teve seis participantes:

  1. 5 de Agosto Esporte Clube – João Pessoa
  2. ABC Futebol Clube – João Pessoa
  3. Botafogo Futebol Clube – Cabedelo
  4. Club Red Cross – João Pessoa
  5. Esporte Clube União – João Pessoa
  6. Estrela do Mar Futebol Clube – Cabedelo

O certame foi disputado em dois turnos distintos, onde os clubes jogaram uma vez entre si, e os vencedores dos turnos fizeram a final do campeonato. Todas as partidas foram disputadas aos sábados, no Estádio da Graça, em João Pessoa.

PRIMEIRO TURNO

Rodada Data Mandante Placar Visitante Estádio
1 06/08/1960 União 1×2 Botafogo-C Graça
1 13/08/1960 Estrela do Mar-C 2×2 Red Cross Graça
1 20/08/1960 ABC 5×4 5 de Agosto Graça
2 27/08/1960 União 1×3 Red Cross Graça
2 03/09/1960 5 de Agosto 1×2 Estrela do Mar-C Graça
2 10/09/1960 ABC 3×4 Botafogo-C Graça
3 17/09/1960 União 2×2 5 de Agosto Graça
3 01/10/1960 Botafogo-C 1×1 Red Cross Graça
3 08/10/1960 ABC 4×1 Estrela do Mar-C Graça
4 22/10/1960 5 de Agosto 0×4 Red Cross Graça
4 29/10/1960 Estrela do Mar-C 0×2 Botafogo-C Graça
4 05/11/1960 ABC 2×1 União Graça
5 12/11/1960 Botafogo-C 2×0 5 de Agosto Graça
5 19/11/1960 Estrela do Mar-C 2×1 União Graça
5 26/11/1960 ABC 3×1 Red Cross Graça

 

Classificação:

Pos Time Pts J V E D GP GC SG
1 Botafogo-C 9 5 4 1 0 11 5 6
2 ABC 8 5 4 0 1 17 11 6
3 Red Cross 6 5 2 2 1 11 7 4
4 Estrela do Mar-C 5 5 2 1 2 7 10 -3
5 União 1 5 0 1 4 6 11 -5
6 5 de Agosto 1 5 0 1 4 7 15 -8

 

SEGUNDO TURNO

Rodada Data Mandante Placar Visitante Estádio
1 03/12/1960 Estrela do Mar-C 1×3 5 de Agosto Graça
1 10/12/1960 União 2×2 ABC Graça
1 17/12/1960 Red Cross 2×0 Botafogo-C Graça
2 07/01/1961 5 de Agosto 3×2 ABC Graça
2 14/01/1961 Red Cross 1×1 União Graça
2 21/01/1961 Botafogo-C 1×1 Estrela do Mar-C Graça
3 28/01/1961 Red Cross 1×0 5 de Agosto Graça
3 04/02/1961 Estrela do Mar-C 1×1 ABC Graça
3 18/02/1961 Botafogo-C 1×0 União Graça
4 25/02/1961 Red Cross 5×2 ABC Graça
4 04/03/1961 União 1×3 Estrela do Mar-C Graça
4 11/03/1961 5 de Agosto 0×2 Botafogo-C Graça
5 18/03/1961 Red Cross 0×0 Estrela do Mar-C Graça
5 25/03/1961 5 de Agosto 1×1 União Graça
5 01/04/1961 Botafogo-C 2×1 ABC Graça

 

Classificação:

Pos Time Pts J V E D GP GC SG
1 Red Cross 8 5 3 2 0 9 3 6
2 Botafogo-C 7 5 3 1 1 6 4 2
3 5 de Agosto 5 5 2 1 2 7 7 0
4 Estrela do Mar-C 5 5 1 3 1 6 6 0
5 União 3 5 0 3 2 5 8 -3
6 ABC 2 5 0 2 3 8 13 -5

 

FINAL

Rodada Data Mandante Placar Visitante Estádio
1 08/04/1961 Red Cross 2×2 Botafogo-C Graça
2 15/04/1961 Botafogo-C 0×0 Red Cross Graça
3 22/04/1961 Botafogo-C 1×4 Red Cross Graça

Com estes resultados, o Club Red Cross sagrou-se Campeão Paraibano da Segunda Divisão de 1960.

Classificação final:

Pos Time Pts J V E D GP GC SG
1 Red Cross 18 13 6 6 1 26 13 13
2 Botafogo-C 18 13 7 4 2 20 15 5
3 ABC 10 10 4 2 4 25 24 1
4 Estrela do Mar-C 10 10 3 4 3 13 16 -3
5 5 de Agosto 6 10 2 2 6 14 22 -8
6 União 4 10 0 4 6 11 19 -8
 
Campeonato Paraibano 1959 – Torneio Início
Data 24/05/59
Local Estádio Olímpico Governador José Américo de Almeida
Cidade João Pessoa, PB
Participante Cidade
Auto Esporte Clube João Pessoa
Botafogo Futebol Clube João Pessoa
Club Red Cross João Pessoa
Comerciários Esporte Clube João Pessoa
Estrela do Mar Esporte Clube João Pessoa
Íbis Futebol Clube João Pessoa
Oitizeiro Esporte Clube João Pessoa
Santos Futebol Clube João Pessoa
Jogo Hora Equipe 1 Placar Equipe 2 Gols
1 13:30 Red Cross 1×0 Oitizeiro Zeca
2 14:00 Santos 1×0 Íbis ? 18′
3 14:30 Auto Esporte 1×1
(5×1 pen.)
Estrela do Mar Curica (2T); Américo (p)
4 15:00 Botafogo 0×0
(5×2 pen.)
Comerciários
5 15:30 Red Cross 0×0
(1×4 pen.)
Santos
6 16:00 Auto Esporte 1×0 Botafogo Macau 29′
7 16:30 Santos 1×1
(3×5 pen.)
Auto Esporte
Com estes resultados, o Auto Esporte Clube sagrou-se tricampeão do Torneio Início do Campeonato Paraibano de Futebol.
Equipe Formação
Auto Esporte Agostinho; Ní, Kleber; Marajó, Américo, Negrinho; Macau, Chicletes, Delgado, Elcio, Piau.
Botafogo Fernando; Edrise, Escurinho; Jaime, Croinha, Valdeci; Zé Luiz, Berto, Moacir, Valter, Jandir.
Comerciários Batuel; Renaud, Gileno; Dão, Marcinésio, Paulinho; Beto I, Guido, Beto II, Castelo, Sílvio.
Estrela do Mar Gilberto; Tutú, Pinheiro; Coelhinho, Roberto, Hermes; Caju, Emilson, Izinho, Valdeci, Celso.
Íbis Arivaldo; Silva, Flávio; Pé de Valsa, Edson, Vandinho; Beijú, Delegado, Petrônio, Gogoia, Curica.
Oitizeiro Genival; Expedito, Tatá; Tacinho, Zezinho, Pipiu; Bicudo, Garça, Paulo, Maurílio, Oton.
Red Cross Peixoto; Pedro Paulo, Louro; Orlando, Baiano, Vasconcelos; Zeca, Cidinho, Vadinho, Tiquinho, Coca-Cola.
Santos Val; Eri, Cláudio; Reno, Marcelo, Carioca; Geraldo (Arnóbio), Bira, Zinha, Josias, Nogueira (Dedé).

 

Classificação final:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Auto Esporte 4 3 1 2 0 3 2 1
2 Santos 4 3 1 2 0 2 1 1
3 Red Cross 3 2 1 1 0 1 0 1
4 Botafogo 1 2 0 1 1 0 1 -1
5 Estrela do Mar 1 1 0 1 0 1 1 0
6 Comerciários 1 1 0 1 0 0 0 0
7 Íbis 0 1 0 0 1 0 1 -1
8 Oitizeiro 0 1 0 0 1 0 1 -1
 

Fonte: Jornal O Norte.

 

 

Pessoal,

Em minhas pesquisas deparei-me, hoje, com uma menção ao Estrela do Mar como “alviceleste”. Alguém sabe quem desenhou o escudo que se conhece do clube, vermelho e branco? Creio que o mesmo deva ser redesenhado nas cores azul e branca.

 

O Campeonato Paraibano de 1959 foi o último certame a incluir apenas equipes de João Pessoa. Ao final do primeiro turno, em fins de 1959, avaliou-se a possibilidade de realização de um campeonato com os melhores colocados do Campeonato Campinense, onde os quatro melhores classificados do primeiro turno do Campeonato Pessoense entrariam, mas decidiu-se por um segundo turno com quase todas as equipes – o Oitizeiro desistiu do returno. Assim, para todos os efeitos, o Campeonato Pessoense de 1959 foi o Campeonato Paraibano, tendo seu vencedor sido indicado para a Taça Brasil 1960.

Participantes:

  1. Auto Esporte Clube
  2. Botafogo Futebol Clube
  3. Club Red Cross
  4. Comerciários Esporte Clube
  5. Estrela do Mar Esporte Clube
  6. Íbis Futebol Clube
  7. Oitizeiro Esporte Clube
  8. Santos Futebol Clube

Regulamento:

  • Os times jogam em turno e returno. Os vencedores dos turnos fazem a final do campeonato.

PRIMEIRO TURNO

Data Mandante Placar Visitante Estádio
06/06/1959 Auto Esporte 7×2 Comerciários Graça
07/06/1959 Red Cross 1×1 Íbis Graça
13/06/1959 Santos 1×0 Oitizeiro Graça
27/06/1959 Estrela do Mar 2×1 Red Cross Graça
28/06/1959 Botafogo 1×2 Santos Olímpico
04/07/1959 Auto Esporte 1×0 Íbis Graça
05/07/1959 Comerciários 2×2 Oitizeiro Graça
11/07/1959 Santos 2×1 Red Cross Graça
12/07/1959 Auto Esporte 0×1 Estrela do Mar Olímpico
18/07/1959 Estrela do Mar 3×0 Comerciários Graça
25/07/1959 Comerciários 3×1 Red Cross Graça
26/07/1959 Botafogo 1×4 Auto Esporte Olímpico
01/08/1959 Íbis 0×2 Estrela do Mar Graça
08/08/1959 Comerciários 0×1 Santos Graça
09/08/1959 Botafogo 2×1 Estrela do Mar Olímpico
15/08/1959 Oitizeiro 0×3 Auto Esporte Graça
16/08/1959 Botafogo 0×2 Comerciários Graça
22/08/1959 Oitizeiro 0×3 Botafogo Graça
29/08/1959 Red Cross 0×3 Botafogo Graça
30/08/1959 Estrela do Mar 4×1 Oitizeiro Graça
05/09/1959 Íbis 3×2 Oitizeiro Graça
11/10/1959 Oitizeiro 0×1 Red Cross Graça
08/11/1959 Santos 2×1 Íbis Graça
13/12/1959 Red Cross 2×3 Auto Esporte Graça
20/12/1959 Estrela do Mar 2×1 Santos Graça
27/12/1959 Santos 1×2 Auto Esporte Olímpico
03/01/1960 Íbis 2×1 Comerciários Graça
10/01/1960 Botafogo 1×1 Íbis Graça

 

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Auto Esporte 12 7 6 0 1 20 7 13
1 Estrela do Mar 12 7 6 0 1 15 5 10
3 Santos 10 7 5 0 2 10 7 3
4 Botafogo 7 7 3 1 3 11 10 1
5 Íbis 6 7 2 2 3 8 10 -2
6 Comerciários 5 7 2 1 4 10 16 -6
7 Red Cross 3 7 1 1 5 7 14 -7
8 Oitizeiro 1 7 0 1 6 5 17 -12

Nota: o Oitizeiro desistiu de disputar o returno.

Desempate:

Data Mandante Placar Visitante Estádio
17/01/1960 Auto Esporte 0×1 Estrela do Mar Graça

O Estrela do Mar sagrou-se campeão do primeiro turno.

SEGUNDO TURNO

Data Mandante Placar Visitante Estádio
20/02/1960 Íbis 0×5 Auto Esporte Graça
21/02/1960 Red Cross 2×4 Santos Graça
05/03/1960 Auto Esporte 2×1 Red Cross Graça
06/03/1960 Comerciários 2×1 Estrela do Mar Graça
12/03/1960 Comerciários 3×0 Botafogo Graça
13/03/1960 Santos 2×0 Estrela do Mar Graça
19/03/1960 Red Cross 0×2 Estrela do Mar Graça
20/03/1960 Íbis 2×4 Botafogo Graça
26/03/1960 Santos 4×0 Comerciários Graça
27/03/1960 Estrela do Mar 0×3 Auto Esporte Graça
02/04/1960 Íbis 2×1 Santos Graça
03/04/1960 Red Cross 2×2 Comerciários Graça
09/04/1960 Comerciários 1×3 Auto Esporte Graça
10/04/1960 Santos 1×3 Botafogo Olímpico
16/04/1960 Íbis 3×0 Red Cross Graça
17/04/1960 Auto Esporte 2×0 Santos Olímpico
21/04/1960 Botafogo 3×1 Red Cross Graça
23/04/1960 Comerciários 5×1 Íbis Graça
24/04/1960 Estrela do Mar 1×3 Botafogo Graça
30/04/1960 Estrela do Mar 2×1 Íbis Graça
01/05/1960 Auto Esporte 1×1 Botafogo Olímpico

Nota: em março de 1960, o Comerciários (segundo notícia de 23/3) e o Red Cross (segundo notícia de 30/3) foram condenados pelo STJD a 200 dias de suspensão, com perda de pontos de todas as partidas que disputaram, mas não se sabe a partir de que ponto. Além disso, os clubes ficaram obrigados a disputar as partidas marcadas, mesmo suspensos e com os pontos indo automaticamente para o adversário. Devido aos dados incertos da suspensão e à pouca influência dos mesmos na classificação final, decidi manter os resultados originais de suas partidas.

Classificação:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Auto Esporte 11 6 5 1 0 16 3 13
2 Botafogo 9 6 4 1 1 14 9 5
3 Comerciários 7 6 3 1 2 13 11 2
4 Santos 6 6 3 0 3 12 9 3
5 Estrela do Mar 4 6 2 0 4 6 11 -5
6 Íbis 4 6 2 0 4 9 17 -8
7 Red Cross 1 6 0 1 5 6 16 -10

 

FINAIS

8/5/1960 – ESTRELA DO MAR 3×5 AUTO ESPORTE
Estádio Olímpico Governador José Américo – Renda: Cr$ 16.250,00
Árbitro: Aluízio Lira (PB)
Gols: Piau (AE) 1′, Isinho (EM) 1T, Marconi (AE) 1T, Adjamir (EM) 1T, ? (AE) 1T; Isinho (EM) 69′, Vavinho (AE) 2T, ? (AE) 2T
ESTRELA DO MAR: Gilberto; Tutú, Jola; Coelhinho, Teófilo, Carrinho; Caju, Isinho, Adjamir, Bêta, Emilson. Técnico: Severino Holanda (Viu).
AUTO ESPORTE: Lafaiete; Maranhão, Tatá; Marajó, Xavier, Jordan; Vavinho, Chicletes, Marconi, Rinaldo, Piau.

15/5/1960 – AUTO ESPORTE 1×1 ESTRELA DO MAR
Estádio Municipal Leonardo Vinagre da Silveira (Graça) – Renda: Cr$ 20.510,00
Árbitro: Sátiro Ferreira
Gols: Marajó 80′; Isinho 36′.
AUTO ESPORTE: Lafaiete; Maranhão, Vavá; Marajó, Xavier, Jordan; Vavinho, Marconi, Chicletes, Rinaldo, Piau.
ESTRELA DO MAR: Aderbal; Tutu, Jola; Bêta, Teófilo, Hermes; Caju, Adjamir, Isinho, Valdeci, Celso. Técnico: Severino Holanda (Viu).

22/5/1960 – AUTO ESPORTE 0×1 ESTRELA DO MAR (prorrogação: 0×1)
Estádio Olímpico Governador José Américo
Árbitro: Evandro Ferreira (PE)
Gols: Bêta 66′, Hermes 96′pen.
AUTO ESPORTE: Lafaiete; Tatá, Vavá; Marajó, Xavier, Jordan; Vavinho, Chicletes, Marconi, Rinaldo, Piau.
ESTRELA DO MAR: Aderbal; Tutú, Jola; Bêta, Teófilo, Hermes; Caju, Isinho, Adjamir, Valdeci, Celso. Técnico: Severino Holanda (Viu).

Com estes resultados, o ESTRELA DO MAR sagrou-se Campeão Paraibano de 1959.

Classificação final:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Estrela do Mar 19 16 9 1 6 26 22 4
2 Auto Esporte 26 16 12 2 2 42 15 27
3 Santos 16 13 8 0 5 22 16 6
4 Botafogo 16 13 7 2 4 25 19 6
5 Comerciários 12 13 5 2 6 23 27 -4
6 Íbis 10 13 4 2 7 17 27 -10
7 Red Cross 4 13 1 2 10 13 30 -17
8 Oitizeiro 1 7 0 1 6 5 17 -12
 

Participantes:

  1. Auto Esporte Clube – João Pessoa
  2. Botafogo Futebol Clube – João Pessoa
  3. Centro Esportivo Campinense Clube – Campina Grande
  4. Paulistano Esporte Clube – Campina Grande
  5. Santos Futebol Clube – João Pessoa
  6. Treze Futebol Clube – Campina Grande

Regulamento:

  • Campeonato jogado em turno e returno. Os vencedores dos turnos fazem a final da competição.

PRIMEIRO TURNO

Data Mandante Placar Visitante
16/07/1961 Campinense 9×1 Santos
16/07/1961 Auto Esporte 0×7 Treze
23/07/1961 Paulistano 2×2 Botafogo
23/07/1961 Santos 1×1 Auto Esporte
28/07/1961 Treze 1×1 Paulistano
30/07/1961 Botafogo 3×1 Santos
05/08/1961 Paulistano 3×1 Santos
06/08/1961 Botafogo 2×1 Campinense
13/08/1961 Campinense 4×0 Auto Esporte
13/08/1961 Santos 1×1 Treze
20/08/1961 Treze 4×2 Botafogo
20/08/1961 Auto Esporte 0×4 Paulistano
27/08/1961 Auto Esporte 2×3 Botafogo
27/08/1961 Campinense 1×0 Paulistano
03/09/1961 Campinense 0×2 Treze

 

Classificação

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Treze 8 5 3 2 0 15 4 11
2 Botafogo 7 5 3 1 1 12 10 2
3 Campinense 6 5 3 0 2 15 5 10
4 Paulistano 6 5 2 2 1 10 5 5
5 Santos 2 5 0 2 3 5 17 -12
6 Auto Esporte 1 5 0 1 4 3 19 -16

 

SEGUNDO TURNO

Data Mandante Placar Visitante
20/09/1961 Treze 8×1 Auto Esporte
23/09/1961 Botafogo 2×0 Paulistano
08/10/1961 Botafogo 0×4 Treze
08/10/1961 Paulistano 2×2 Auto Esporte
15/10/1961 Santos 1×1 Paulistano
15/10/1961 Treze 0×1 Campinense
22/10/1961 Paulistano 0×6 Treze
22/10/1961 Auto Esporte 1×4 Campinense
29/10/1961 Santos 2×1 Botafogo
29/10/1961 Paulistano 0×2 Campinense
05/11/1961 Botafogo 4×2 Auto Esporte
05/11/1961 Treze 2×2 Santos
12/11/1961 Santos 1×2 Campinense
15/11/1961 Campinense 0×1 Botafogo
19/11/1961 Auto Esporte 3×1 Santos

 

Classificação

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Campinense 8 5 4 0 1 9 3 6
2 Treze 7 5 3 1 1 20 4 16
3 Botafogo 6 5 3 0 2 8 8 0
4 Santos 4 5 1 2 2 7 9 -2
5 Auto Esporte 3 5 1 1 3 9 19 -10
6 Paulistano 2 5 0 2 3 3 13 -10

 

FINAL

3/12/1961 – TREZE 1×1 CAMPINENSE
Estádio Presidente Vargas – Campina Grande, PB
Renda:  Cr$ 385.000,00
Árbitro: Manoel Correia Lima (PE)
Gols: Ruivo (2T); Tonho Zeca (1T).
TREZE: Brito; Ivo, Grilo; Germano, Milton, Manoelzão; Ruy, Evilásio, Pedro Negrinho, Rinaldo, Nogueira (Ruivo). Técnico: Vavá.
CAMPINENSE: Cazuza; Braga, Nelson; Salomão, Preta, Massangana; Zezinho, Tonho Zeca, Chicletes, Ibiapino, Clovis. Técnico: Álvaro Barbosa.

10/12/1961 – CAMPINENSE 2×1 TREZE
Estádio Municipal Plínio Lemos – Campina Grande, PB
Renda: Cr$ 275.450,00
Árbitro: Cinamute Vieira de França
Gols: Zezinho (C) 1T, Evilásio (T) 1T, Tonho Zeca (C) 43′.
CAMPINENSE: Cazuza; Braga, Nelson; Salomão, Preta, Massangana; Zezinho, Tonho Zeca, Chicletes, Ibiapino, Clovis (Araponga). Técnico: Álvaro Barbosa.
TREZE: Biu; Milton, Grilo (Ivo); Germano, Gonzaga, Manoelzão; Ruy, Evilásio, Saquinho, Rinaldo, Ruivo. Técnico: Vavá.

Com estes resultados, o CAMPINENSE sagrou-se bicampeão paraibano de futebol.

Classificação final:

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 Campinense 17 12 8 1 3 27 10 17
2 Treze 16 12 6 4 2 37 11 26
3 Botafogo 13 10 6 1 3 20 18 2
4 Paulistano 8 10 2 4 4 13 18 -5
5 Santos 6 10 1 4 5 12 26 -14
6 Auto Esporte 4 10 1 2 7 12 38 -26

 

 

Compilei também os dados dos participantes da Segunda Divisão do Campeonato Paraibano.

Equipe Cidade Partici-pações Anos Última part. Part. conse-cutivas
Santa Cruz Santa Rita 8 1994; 2000; 2007; 2009-2013 2013 5
Sport Campina Grande 2 2012-2013 2013 2
Queimadense Queimadas 2 2007; 2013 2013 1
Esporte Patos 2 2005; 2013 2013 1
Cruzeiro Itaporanga 6 1998; 2005; 2007; 2009-2010; 2012 2012 2
Miramar Cabedelo 3 2001; 2010; 2012 2012 1
Desportiva Guarabira Guarabira 3 2005; 2009; 2012 2012 1
Atlético Cajazeiras 2 2009; 2012 2012 1
Picuiense Picuí 1 2012 2012 1
Paraíba Cajazeiras 5 2007-2011 2011 5
Serrano Serra Redonda 3 1998; 2005; 2011 2011 1
Flamengo João Pessoa 1 2011 2011 1
CSP João Pessoa 4 2007-2010 2010 4
Auto Esporte João Pessoa 4 2005-2006; 2008-2009 2009 2
Perilima Campina Grande 7 1998; 2000-2001; 2004; 2006; 2008-2009 2009 2
Picuí Club Picuí 2 2005; 2009 2009 1
Internacional Santa Rita 1 2008 2008 1
Caaporã Caaporã 1 2008 2008 1
Leonel Campina Grande 2 2005; 2007 2007 1
Sabugy Santa Luzia 1 2005 2005 1
Santos Cruz do Espírito Santo 1 2005 2005 1
Nacional Cabedelo 4 1993-1994; 1996; 2004 2004 2
Santos João Pessoa 6 1993-1996; 1998; 2001 2001 4
Socremo Monteiro 2 1992; 2001 2001 1
América Caaporã 1 2001 2001 1
Confiança Sapé 4 1992-1995 1995 4
Sport Teixeira 4 1992-1995 1995 4
Conceição Conceição 3 1993-1995 1995 3
América Esperança 2 1994-1995 1995 2
Ouro Velho Ouro Velho 1 1995 1995 1
Guarabira Guarabira 1 1995 1995 1
Treze Campina Grande 1 1995 1995 1
Bahia Patos 1 1995 1995 1
Nacional Pombal 3 1992-1994 1994 3
São Bento Bayeux 3 1992-1994 1994 3
Catolé Catolé do Rocha 2 1993-1994 1994 2
Mil Réis Itaporanga 2 1993-1994 1994 2
Atalaia Bananeiras 2 1992; 1994 1994 1
Colombo Bayeux 1 1994 1994 1
Vila Branca Solânea 1 1993 1993 1
Sociedade Sousa 1 1993 1993 1
Jatobá São José de Piranhas 1 1993 1993 1