Tudo começou com um grupo de jovens de Várzea Grande, liderados por Rubens dos Santos, com apoio do Bispo Dom Antônio Campello de Aragão, no dia 1º de maio de 1949, fundava o Clube Esportivo Operário Várzea-grandense.
Quanto ao nome, por ser a data em que se comemorava o Dia do Trabalhador, Rubens dos Santos achou por bem homenagear a classe, motivo do nome Operário.
O Bispo Dom Campello doou as primeiras camisas, e por ser torcedor do Fluminense do Rio Janeiro, as cores foram idênticas às do clube carioca, permanecendo até hoje.

 

O primeiro jogo

 

A primeira partida aconteceu na do dia 1º de maio à tarde no Círculo Operário, na Rua Independência, centro de Várzea Grande, e Boava fez o primeiro gol da história do clube na vitória de 1 a 0, diante do Palmeiras do Porto.
 
Da esq. p/ a dir.: Zé Simeão, Ciro, Lindolfo, Boava, Benedito Sapateiro, Assis, Nonô Sapateiro, Caetano, Gonçalo Gongon, Alito e Jorge Mussa.
A primeira diretoria

 

O time dava o pontapé inicial em campo, e Rubens dos Santos convocava torcedores e simpatizantes do clube para a formação da 1ª diretoria. A reunião aconteceu no dia 15 de maio na casa de Joaquim Santana Rodrigues, com Luiz Vitor da Silva sendo escolhido como 1º presidente na história do Operário Várzea-grandense. A diretoria era composta ainda por Lamartine Pompeu de Campos, Joaquim Santana Rodrigues, Oldemar Pereira, Mestre Dario, Manoel Mendes de Oliveira, e Manoel Santana.

 

                                   Da esq. p/ a dir.: Joaquim Santana, Rubens dos Santos, Luís Vitor da Silva, Oldemar Pereira, Mestre Dário e Manoel Santana.

Filiou-se na FMD

 

O Campeonato Amador Várzea-grandense ficava pequeno pela grandeza do futebol que o Operário apresentava e o presidente Rubens dos Santos atravessou a ponte, filiando o clube em 1958 na Federação Mato-grossense de Desportos.
Nesta época o tricolor contava com grandes jogadores, a saber: Nassarden, Beraldo Correa, Iunes Huntar, Ali Huntar, Jafa Huntar, Mussa, Mauro, Tião Macalé, Caboclo, Botelho, João Garrucha, Acimar, Berlindes Pacu e outros. Em 1961, Rubens dos Santos deixou a presidência do clube, assumindo Ari Leite de Campos.
No ano de 1963, Rubens dos Santos é eleito novamente presidente, renovando por completo o plantel, senão vejamos: Saldanha (Palmeiras), Poxoréo (Mixto), Lício Amorim e Vital (Atlético), Ide “Nhara” e Bem, (XV de Novembro). O time titular era formado por Saldanha, Vital, Martinho, Formiga e Maneco; Poxoréo, Aélio e Tatu; Ide “Nhara”, Gildo (Bem) e Lício Amorim (Didi).
Com Rubens dos Santos como treinador surgia o “Rolo Compressor”, ganhando todos os títulos disputados naquele ano de 1964.

 

O Rolo Compressor
 
Em 1964, com Atair Monteiro, como presidente, e Rubens dos Santos na direção técnica, o Operário foi campeão Cuiabano pela primeira vez, com uma campanha, onde em 12 jogos venceu 9, não tomando conhecimento de seus adversários, com goleadas de 9 x 2 e 8 x 2 sobre o XV de Novembro; 6 x 0 sobre o Dom Bosco; 5 x 1 sobre o Palmeiras e 5 x 0 sobre o Riachuelo. Damasceno foi o artilheiro com 24 gols.
O poeta Silva Freire criou o slogan “A Alma Alegre do Povo” após a conquista.
Conquistou também o Torneio dos Campeões, competição disputada pelos campeões das Ligas de Campo Grande, Corumbá e outras, e a decisão aconteceu entre Operário e Ubiratan de Dourados, com o Estádio Presidente Dutra lotado, após um empate em 0 x 0 no tempo normal, o tricolor venceu na prorrogação, com um gol de Ide “Nhara” aos 13 minutos do segundo tempo.

 

 

Em pé da esq. p/ a dir.: JK, Musse, Martinho, Formiga, Maneco, Ciro, Pádua, Saldanha e Vital; Agachados da esq. p/ a dir.: Souza, Ide, Damasceno, Fião, Franklin e Lício Amorim.
Primeiro Campeão Profissional

 

Em 1967, Rubens dos Santos, ao lado de dirigentes como Ranulfo Paes de Barros, Joaquim de Assis, Macário Zanagape e Agripino Bonilha, implantavam o futebol profissional em Mato Grosso.
E coube ao Operário vencer o primeiro campeonato de profissionais em Mato Grosso.
A decisão do campeonato, aconteceu diante do Mixto, seu maior rival, com duas vitórias, 1 x 0 e 3 x 1 respectivamente.
Em 1968 o time conquistaria o bicampeonato, novamente diante do Mixto.

 

Em 1969, apesar dos esforços do presidente Ditinho de Zaine, foi decepcionante a campanha tricolor, inclusive, com o clube pela 1ª vez na história, solicitando licença na FMD, ficando fora do campeonato de 1970.
Em 1971 Rubens dos Santos retorna ao clube, trazendo com ele um jovem radialista, Roberto França que assumia como treinador. Várias contratações foram feitas no futebol carioca e mineiro, quando chegaram Gaguinho (Botafogo), Jorge Cruz (Bonsucesso), Veludo (Madureira), Fagundes (Araxá e Araguari), e a maior de todas, o artilheiro Bife, contratado junto ao LS de Campo Grande, a pedido de Roberto França, que deixou o cargo no final do primeiro turno, assumindo João Batista Jaudy. O Operário foi vice-campeão, perdendo o título para o Dom Bosco em uma final emocionante, pelo placar de 3 x 1.
 
Primeiro Representante de Mato Grosso em uma Competição Nacional
 
O Operário foi o primeiro clube de Mato Grosso a participar de uma competição a nível nacional.
Em 1968 o chicote da fronteira disputou a Taça Brasil, direito adquirido por ser o campeão Cuiabano de 1967.
A estreia foi contra o Atlético Goianiense, no dia 04 de agosto, no Estádio Presidente Dutra e vitória de 2 a 0 com gols de Odenir e Jaburu.

 

Em pé da esq. p/ a dir.: Darcy Avelino, JK, Gonçalo, Walter, Boquinha e Glauco. Agachados da esq. p/ a dir.: Ide, Jaburu, Gebara, Beto e Odenir.
 
Primeiro Campeão Estadual de Profissionais
Era do Operário as façanhas nas conquistas do título de Campeão dos Campeões em 1964, implantação do futebol profissional em 1967, onde foi campeão, e no ano de 1973, conquistou o título de 1º Campeão Estadual de Futebol Profissional (Mato Grosso ainda não tinha sido dividido). O time foi reforçado com as contratações de Paulinho, Zé Pulula, Arlindo, Ruiter, Márcio, Dirceu Batista (Cruzeiro), Jeferson Lira, Gilson Lira e o treinador Totinha Gomes.
Neste ano o campeonato passou a contar com participantes de todo estado: Operário, Dom Bosco, Palmeiras, Mixto, Comercial (Campo Grande), Operário (Campo Grande) e União (Rondonópolis). A competição foi disputada em três turnos, com o Operário ganhando dois, e assim foi para a decisão, diante do Dom Bosco, em uma melhor de quatro pontos com a vantagem de 1 ponto. Após empatar a primeira partida em 0 x 0, o Operário goleou o azulão na segunda partida, por 4 x 0, com gols de Bife (2), Ruiter e César. Na terceira e última da decisão empatou em 0 x 0, assegurando a histórica conquista.

Em pé da esq. p/ a dir.: Jeferson Lira, Carlos Pedras, Nelson Paô, Joel Diamantino, Paulo Fernandes e Gaguinho. Agachados da esq. p/ a dir.: Zé Pulula, Gilson Lira, Bife, Bife e Odenir.

 

O Operário viria conquistar o Campeonato Mato-grossense 10 anos depois, em 1983, jogando a final contra seu velho rival, o Mixto e vencendo por 1 x 0, gol de falta de Panzariello.

 

Em pé da esq. p/ a dir.: Caruzo, Mão de Onça, Laércio, Juarez e Panzariello; Agachados da esq. p/ a dir.: Manfrini, Adalberto, Bife, Udelson, Mosca e Ivanildo.

 

Tricampeonato 1985/86/87

 

Começava o ano de 1985, e o Operário tinha como presidente Edvaldo Ribeiro. Com ele ideias novas, contratações de peso, e a formação de um super time. Na decisão diante do Mixto, uma goleada por 5 x 0, com dois gols de Dito Siqueira, Vanderlei, Alencar e Lúcio Bala.
No ano seguinte, Edvaldo Ribeiro reformulou o elenco, conquistando o bicampeonato após uma eletrizante final com o Mixto.
Em 1987, o inédito tricampeonato aconteceu com Osmar Rodovalho, na direção técnica, com José Roberto Pará como supervisor.

 

Em pé da esq. p/ a dir.: Marião, Alencar, Vandeir, Gilvã, Laércio, Nei Dias e Careca (massagista); Agachados da esq. p/ a dir.: Sérgio Luís, Dito Siqueira, Vanderlei, Vander e Ivanildo.

Em pé da esq. p/ a dir.: Nei Dias, Panzariello, Genilson, Alencar, Ailton Lima, Vandeir e Laércio; Agachados da esq. p/ a dir.: Guerreiro, Jota Maria, Calango e Ivanildo.

 

 Em pé da esq. p/ a dir.: Cabral (massagista), Caruzo, Júlio César, Jorginho, Vagner, Panzariello e Oséias; Agachados da esq. p/ a dir.: Nasser, Edmilson, Pelego, Esquerdinha e Ivanildo.

 

Apesar de passar por mãos de pessoas inteligentes e capacitadas na administração, após a conquista do tri, o Operário só foi conquistar novamente o campeonato em 1994, quando venceu o Dom Bosco, na final, por 3 a 2. O detalhe deste jogo é que o jovem Wender marcou os três gols do chicote e se tornou o único jogador na história do futebol mato-grossense a marcar três vezes em uma única final de campeonato e se tornou também o artilheiro com 17 gols.

Em pé da esq. p/ a dir.: Adrisson, Jailson, Edson Luiz, Ado, Ernandes, Aguinaldo, Ricardo Arandu e Vitor; Agachados da esq. p/ a dir.: Josenilson, Andrade, Didi, Iuca, Rogério Uberaba, Marcelo Papagaio, Renatinho e Wender.

 

Em 1995 veio o bicampeonato conquistado diante do time do União de Rondonópolis. O plantel era formado por Ernandes, Aguinaldo, Sálvio, Marquinhos, Iuca, Zé Valdo, Bujica, Adrisson, Ferreirinha, Márcio, Jailson, Ado, Edson Luiz, Gersinho, Victor, Índio, Josenilson, Jonas, Wender e Abílio. Bujica foi artilheiro da competição 23 gols.

 

Voltou a repetir o feito em 2002, após passar sete anos de jejum.

Após alguns anos afastado, o Operário está voltando aos poucos e este ano conquistou o vice campeonato Mato-grossense e garantiu vagas na Copa do Brasil e no Campeonato Brasileiro da Série D em 2020.
Aos poucos o Clube Esportivo Operário Várzea-grandense vai reescrevendo a sua história nas páginas do futebol de Mato Grosso. História que hoje completa 70 anos, escrita com letras maiúsculas.
 
Os Campeões
 
1964 – Saldanha, JK (Vital), Martinho, Formiga, Maneco, Franklin, Damasceno, Poxoréo, Ide, Fião e Lício Amorim.
1967 – Saldanha, JK, Gonçalo, Glauco, Darcy Avelino, Carlinhos, Beto, Ide, Fião, Gebara e Odenir.
1968 – Walter, JK, Gonçalo, Glauco, Darcy Avelino, Adalberto, Poxoréo, Gebara, Ide, Fião e Jaburu.
1972 – Carlos Pedras, JK, Malaquias, Gaguinho, Darcy Avelino, Joel Diamantino, Joel Silva, César, Cecílio, Bife e Odenir. Técnico: Totinha
1973 – Carlos Pedras, Paulinho, Malaquias, Jéferson Lira, Joel Diamantino, Gaguinho, Dirceu Batista, Ruiter, Gilson Lira (Zé Pulula), Bife e Odenir.
1983 – Mão de Onça, Caruzo, Laércio, Panzariello, Juarez, Udelson, Adalberto, Mosca, Manfrini, Bife e Ivanildo.
1985 – Vandeir, Nei Dias, Marião, Gilvan, Laércio, Alencar, Dito Siqueira (Sérgio Luiz), Vander, Lúcio Bala (Nasser), Vanderlei e Ivanildo.
1986 – Vandeir, Genilson, Ailton Lima, Panzariello, Laércio, Sérgio Luiz, Ailton Calango, Mosca, Jota Maria, Luizinho e Ivanildo.
1987 – Júlio César, Caruzo, Laércio, Panzariello, Oseias, Edmilson, Ailton Calango, Esquerdinha, Nasser, Jorginho e Ivanildo.
1994 – Aguinaldo, Josenilson, Edson Luís, Jailson, Ricardo Arandú, Ado, Andrade, Iuca, Renatinho, Vitor e Wender.
1995 – Aguinaldo, Josenilson, Edson Luís, Índio, Zé Valdo, Ado, Vitor, Gersinho, Iuca, Bujica e Wender.
2002 – Alexandre Junior, Odair, Índio, Gonçalves, Marcelo, Renatinho, Elias, Jonas, Toni, Ronaldo e Bibiu.

 

 
 
Fonte: Acervo Pulula da Silva/Jornal O Estado de Mato Grosso/Diário de Cuiabá
 
A Copa do Brasil, que é disputada desde 1989, teve o Mixto como o primeiro representante de Mato Grosso na competição.
A estreia mixtense foi diante do Pinheiros, no Estádio Pinheirão, em Curitiba, no dia 19 de julho. O Mixto venceu por 1 a 0, gol de Dago.
Em sua primeira participação, o alvinegro chegou à segunda fase do torneio, sendo eliminado pelo Grêmio, que mais tarde seria o campeão.
De lá para cá o Mixto participou da Copa do Brasil por mais seis vezes: 1990, 1997, 2001, 2009, 2013 e 2014. Ao todo foram 16 jogos disputados, com 6 vitórias, 2 empates e 8 derrotas. O ataque marcou 14 gols e a defesa sofreu 29.

 

Confira as campanhas ano a ano:

 

Pinheiros (PR) 0 x 1 Mixto
Data: 19/07/1989
Local: Estádio Pinheirão (Curitiba)
Público: 472
Renda: NCz$ 1.690,00
Árbitro: Valdir Dall Zanin
Gol: Dago 22 do 2º tempo
Pinheiros: Carlos, Alex, Newmar, Luciano, Adriano (Márcio), Telvir, Régis, Edílson (Dudu), Maurílio, Carlinhos e Ricardinho. Técnico: Lori Sandri.
Mixto: Nikita, Donizete, Panzariello, Wágner, Elias, Genildo, Rui, Dago (Erivan), Franz, Benevan (Silvinho) e Niltinho. Técnico: Washington Dorneles

 

Mixto 2 x 1 Pinheiros (PR)
Data: 22/07/1989
Local: Estádio Governador José Fragelli (Cuiabá)
Público: 1.943
Renda: NCz$ 7.111,00
Árbitro: Edson Rezende de Oliveira
Gols: Franz 34 do 1º tempo: Edílson 12 e Benevan 22 do 2º tempo
Mixto: Nikita, Donizete, Panzariello, Wágner, Elias, Genildo, Rui, Dago (Silvinho), Franz, Niltinho e Benevan. Técnico: Sérgio Ramirez
Pinheiros: Carlos, Dirceu Pato, Newmar, Luciano, Alex, Régis, Marquinhos, Edílson, Maurílio, Claudinho (Assis) e Márcio (Dudu). Técnico: Lori Sandri
Mixto 0 x 5 Grêmio (RS)
Data: 26/07/1989
Local: Estádio Governador José Fragelli (Cuiabá)
Público: 9.724
Renda: NCz$ 62.124,00
Árbitro: Manuel Francisco Gomes de Oliveira
Gols: Nando 08, Cuca 13 e Alfinete 29 do 1º tempo; Nando 07 e Assis 11 do 2º tempo
Mixto: Nikita, Donizete, Wágner (Silvinho), Panzariello, Elias, Genildo (Gonçalves), Rui, Dago, Niltinho, Franz e Benevan. Técnico: Washington Dorneles.
Grêmio: Mazaropi, Alfinete, Luiz Eduardo, Edinho, Fábio, Jandir (Adílson Heleno), Cuca, Lino, Assis (Almir), Nando e Paulo Egídio. Técnico: Cláudio Duarte.

 

Operário (MS) 2 x 0 Mixto
Data: 22/06/1990
Local: Estádio Pedro Pedrossian (Campo Grande)
Público: 289
Renda: Cr$ 30.800,00
Árbitro: Flávio de Carvalho
Gols: Adir 18 do 1º tempo e Adir 11 do 2º tempo
Operário: Marquinhos, Alvarildo, Zé Ronaldo, Anchieta, Marcos Adriano, Biá, Biro-Biro, Índio, Odair (Adir), Escurinho e Gilmar (Celso). Técnico: José Flor.
Mixto: Ronaldo, Donizete, Franz, César, Paulo Henrique, Caçapa, Genildo, Ivair, Claudinho (Gonçalves), Silvinho (Rodinei) e Serginho. Técnico: Hélio Machado

 

Mixto 1 x 0 Operário (MS)
Data: 27/06/1990
Local: Estádio Governador José Fragelli (Cuiabá)
Público: 221
Renda: C$ 24.700,00
Árbitro: Edson Rezende de Oliveira
Gol: Caçapa 6 do 2º tempo
Mixto: Ronaldo, Donizete, Franz, Panzariello (Claudinho), César, Caçapa, Valdir, Genildo, Serginho, Silvinho e Ivair (Gonçalves). Técnico: Hélio Machado.
Operário: Marquinhos, Alvarildo, Zé Ronaldo, Anchieta, Marcos Adriano, Celso, Biá, Índio, Biro-Biro (Agenor), Escurinho (Lourival) e Adir. Técnico: José Flor.

 

Mixto 0 x 3 Corinthians (SP)
Data: 18/02/1997
Local: Estádio Governador José Fragelli (Cuiabá)
Público: 14.325
Renda: R$ 166.245,00
Árbitro: Antônio Pereira da Silva (GO)
Gols: Mirandinha 27 do 1º tempo; Souza 09 e 39 do 2º tempo
Mixto: Ernandes, Adrison (Iuca), Batista, Jaílson, Renatinho, Anderson, Gringo, Biá, De Ávila (Jonas), Mauricinho (Abílio) e Toninho Santos. Técnico: Hélio Machado.
Corinthians: Ronaldo (Maurício), Carlos Roberto (André Santos), Célio Silva, Sangaletti, Silvinho, Romeu, Fábio Augusto, Fernando Diniz, Souza, Túlio e Mirandinha. Técnico: Nelsinho Baptista

 

URT (MG) 2 x 1 Mixto
Data: 14/03/2001
Local: Estádio Zama Maciel (Patos)
Público: 1.473
Renda: R$ 12.190,00
Árbitro: Edilson Soares da Silva (RJ)
Gols: Inca 12, Odil 15 e Peninha 39 do 2º tempo
URT: Héber, Inca, Anderson, Toninho, De Lima, Víctor (Davi), Pedro Luiz, Vanderlei (Paulo Roberto), Edílson, Cristiano (Peninha) e Ditinho. Técnico: Gildásio Barbosa
Mixto: Denílson, Odair, Sirlei, Hugo Alcântara, Renatinho, Láudio, Cícero, Odil, Manu (Chiba), Wilson e Toninho. Técnico: Éder Taques

 

Mixto 2 x 0 URT (MG)
Data: 21/03/2001
Local: Estádio Governador José Fragelli (Cuiabá)
Público: Não fornecido
Renda:  Não fornecida
Árbitro: Getúlio Barbosa Souza Júnior (MS)
Gols: Hugo Alcântara 06 do 1º tempo e Wilson 40 do 2º tempo
Mixto: Denílson, Odair, Sirlei (Chiba), Hugo Alcântara, Renatinho, Láudio, Odil, Manu, Cícero, Wilson e Toninho. Técnico: Éder Taques
URT: Héber, Paulo Roberto (Cristiano), Anderson, Toninho, De Lima (Vanderlei), Víctor (Peninha), Davi, Pedro Luiz, Inca, Edílson e Ditinho. Técnico: Gildásio Barbosa

 

Juventude (RS) 3 x 0 Mixto
Data: 11/04/2001
Local: Estádio Alfredo Jaconi (Caxias do Sul)
Público: Não fornecido
Renda:  Não fornecida
Árbitro: Giulliano Bozzano (SC) Público: 0 Renda: 0.00
Gols: Fernandão 10, João Marcelo 23 e Luciano Fonseca 28 do 1º tempo
Juventude: Diego, Ivo (Marinho), Fernandão, João Marcelo, Luiz Oscar, Fernando, Ivair, Sidnei, Michel (Marcelo), Luciano Fonseca e Dauri (Pontes). Técnico: Hélio dos Anjos
Mixto: Denílson, Odair (Alex), Sirlei, Hugo Alcântara, Renatinho, Láudio, Geraldão (Odil), Cícero, Manu, Wilson e Toninho (André). Técnico: Éder Taques

 

Mixto 1 x 1 Juventude (RS)
Data: 18/04/2001
Local: Estádio Governador José Fragelli (Cuiabá)
Público: Não fornecido
Renda:  Não fornecida
Árbitro: Getúlio Barbosa Souza Júnior (MS)
Gols: André 28 e Pontes 39 do 2º tempo
Mixto: Denílson, Láudio, Sirlei, Julimar, Renatinho (Alex), Elias, Cícero, Lucky, Odil (Odair), André e Flávio Costa (Alexandre). Técnico: Éder Taques.
Juventude: Diego, Marinho, Fernandão, Márcio, João Marcelo, Fernando, Sidnei, Ivair, Luciano Fonseca (Pontes), Michel (Marcos) e Marcelo (Lau). Técnico: Hélio dos Anjos.
Mixto 1 x 2 Paraná Clube
Data: 18/02/2009
Local: Estádio Governador José Fragelli (Cuiabá)
Público: Não fornecido
Renda:  Não fornecida
Árbitro: Marcos Rassi Fernandes
Gols: Luís Henrique 9, Davi 22 e Gedeon 24 do 2º tempo
Mixto: Rafael Fava, Alex Moura, Giovani, Rogério, Ednilton, Alexandre Pitbull (Asprila), Davi, Dudu (Igor), Hilton Mineiro, Alex Sorocaba e Thiago Tiziu. Técnico: Wilson Carrasco
Paraná: Ney, Murilo, João Paulo (Elton), Luís Henrique, Fabinho, Agenor, Ernani, Kleber, Lenilson, Welinton Silva (Bruno) e Osmar (Gedeon). Técnico: Paulo Comelli

 

Paraná Clube 1 x 2 Mixto
Data: 05/03/2009
Local: Estádio Durival de Britto (Curitiba)
Público: Não fornecido
Renda:  Não fornecida
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (SP)
Gols: Alex Sorocaba 40 do 1º tempo; João Paulo 6 e Igor 35 do 2º tempo
Paraná: Rodolfo, João Paulo, Luís Henrique, Elton, Murilo, Agenor, Kléber, Bruninho (Everton), Fabinho, Wellington Silva (Gedeon) e Peterson (Wando). Técnico: Paulo Comelli.
Mixto: Diego Vandré, Alex Moura, Rogério, Ednilton, Eduardo (Igor), Alexandre Pitbull, Davi, Dudu (Bruno Takahashi), Hilton Mineiro, Alex Sorocaba (Elton) e Thiago Tiziu. Técnico: Wilson Carrasco.

 

Nos pênaltis: Paraná Clube 4 x 2 Mixto

 

Mixto 2 x 1 Vitória (BA)
Data: 10/01/2013
Local: Estádio Presidente Dutra (Cuiabá)
Público: 2.048
Renda: R$ 46.440,00
Árbitro: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão (GO)
Gols: Luiz Alberto 14 do 1º tempo; Soares 3 e Odail Júnior 36 do 2º tempo
Mixto: André, Marcos Bahia, Junior Soares, Kal (Odail Júnior), Jorginho, Natan (Paulo Henrique), Kiko, Vitor (Jean), Robinho, Geovani e Marclei. Técnico: Cláudio Adão.
Vitória: Deola, Nino Paraíba, Victor Ramos, Gabriel Paulista, Mansur (Marcos), Edson Magal, Cáceres (Marquinhos), Luiz Alberto, Escudero, Maxi Biancucchi (Vander) e Dinei. Técnico: Caio Júnior.
Vitória (BA) 5 x 1 Mixto
Data: 16/04/2013
Local: Estádio Barradão (Salvador)
Público: 5.522
Renda: R$ 60.455,00
Árbitro: Pablo dos Santos Alves (PB)
Gols: Dinei 36, Escudeiro 38, Geovani 40 do 1º tempo; Dinei 22, Vander 36 e Marquinhos 47 do 2º tempo
Vitória: Deola, Nino Paraíba (Marcos), Gabriel Paulista, Vitor Ramos, Mansur, Luis Antônio, Michel, Marquinhos, Escudeiro, Biancucchi (Vander) e Dinei (Lúcio Maranhão). Técnico: Caio Júnior.
Mixto: André, Marcos Bahia (Dudu), Júnior Soares, Odail Júnior, Jorginho, Kiko, Helber (Jean), Natan, Robinho, Felipe Adão (Paulo Henrique) e Geovani. Técnico: Cláudio Adão.

 

Mixto 0 x 0 Santos (SP)
Data: 02/04/2014
Local: Arena Pantanal (Cuiabá)
Público: 17.000
Renda: R$ 748.760,00
Árbitro: Eduardo Tomaz de Aquino (GO)
Mixto: Igor, Denilson, Zé Adriano, Robinho, César Romero (Ítalo), Paulo Almeida, Kiko, Rui Cabeção, Ferreira (Edílson), Fogaça (Gabriel) e João Paulo. Técnico: Ary Marques.
Santos: Aranha, Cicinho, Jubal, Nailson, Mena, Alison (Léo), Alan Santos, Lucas Lima (Serginho), Diego Cardoso (Giva), Stéfano Yuri e Rildo. Técnico: Oswaldo de Oliveira.
Santos (SP) 3 x 0 Mixto
Data: 16/04/2014
Local: Vila Belmiro (Santos)
Público: 2.321
Renda: R$ 71.754,00
Árbitro: Bráulio da Silva Machado (SC)
Gols: Arouca 14, Gabriel 23 e 38 do 2º tempo
Santos: Aranha, Cicinho, Neto, David Braz, Mena, Alan Santos, Arouca (Alison), Gabriel, Thiago Ribeiro (Stéfano Yuri), Diego Cardoso (Lucas Lima) e Geuvânio. Técnico: Oswaldo de Oliveira.
Mixto: Igor, Denilson, Ricardo Ehle, Robinho, Ítalo, Paulo Almeida (Edílson), Kiko, Gabriel (Leandrinho), Rui Cabeção, Fogaça (Ferreira) e João Paulo. Técnico: Ary Marques.
 
Fonte: Diário de Cuiabá/A Gazeta/CBF
 
O Luverdense fará este ano a sua sétima participação na Copa do Brasil.

 

O clube estreou em 2010, jogando contra o Coritiba, no dia 24 de fevereiro e não foi bem, sendo derrotado nas duas partidas e eliminado na primeira Fase.

 

Em 2012, o Luverdense foi eliminado novamente na primeira fase depois de dois jogos com o Paraná Clube.

 

No ano seguinte, a equipe de Lucas do Rio Verde fez sua melhor participação na Copa do Brasil, quando chegou até às oitavas-de-finais, sendo eliminado pelo Corinthians, no jogo da volta, em São Paulo ao ser derrotado por 2 x 0. No jogo da ida, no Passo das Emas, Misael garantiu a vitória para o LEC.

 

No geral o Luverdense disputou 22 partidas. Foram 7 vitórias, 9 derrotas e 6 empates.

 

Confira os jogos:

 

Luverdense 0 x 1 Coritiba (PR)
Data: 24/02/2010
Local: Estádio Passo das Emas (Lucas do Rio Verde)
Público: 3.234
Renda: R$ 60.280,00
Árbitro: José Henrique de Carvalho (SP)
Gol: Ariel 11 do 1º tempo
Luverdense: Ronaldo, Bogé, Macaé, Zé Roberto, Marcelo Guerreiro, Butti, Simeão, Renan, Maicon Gaúcho, Flávio Torres e Paulinho Marília. Técnico: Tarcisio Pugliesi.
Coritiba: Edson Bastos, Fabinho Capixaba, Jeci, Pereira, Triguinho, Leandro Donizete, Marcos Paulo, Ariel, Rafinha, Marcos Aurélio e Renatinho. Técnico: Ney Franco

 

Coritiba (PR) 1 x 0 Luverdense
Data: 10/03/2010
Local: Estádio Couto Pereira (Curitba)
Público: 4.203
Renda: R$ 51.825,00
Árbitro: Salvio Spinola Fagundes Filho (SP)
Gols: Pereira 35 do 2º tempo
Coritiba: Edson Bastos, Fabinho Capixaba (Rodrigo Heffner), Jeci, Pereira, Triguinho, Marcos Paulo, Leandro Donizete, Enrico (Geraldo), Rafinha, Ariel (Ramon) e Marcos Aurélio. Técnico: Ney Franco
Luverdense: Ronaldo, Bogé, Marcelo Guerreiro, Zé Roberto (Magrão) e Macaé, Felipe Delgado, Rossini, Simeão, Maicon Gaúcho, Paulinho Marília (Leandro) e Butti. Técnico: Tarcísio Pugliesi

 

Luverdense 2 x 2 Paraná Clube
Data: 07/03/2012
Local: Estádio Passo das Emas (Lucas do Rio Verde)
Público: 2.138
Renda: R$ 34.670,00
Árbitro: Jânio Pires Gonçalves (TO)
Gols: Valdir Papel 35 do 1º tempo; Wellington Silva 3, Raul Prata 12 e Alex Bruno 48 do 2º tempo
Luverdense: Lucas, Régis, Rafael Pedro, Alex Moreira, Raul Prata, Gilson, Dê, Rubinho, Valdir Papel, Rodrigo Paulista e Matheus (Rafael Tavares). Técnico: Dado Cavalcanti.
Paraná: Luís Carlos, Paulo Henrique, André Vinícius, Alex Bruno, Henrique (Lucas Silva), Alex Alves (Henrique Alemão), Douglas Packer, Luisinho, Maicon, Elias e Wellington Silva. Técnico: Ricardo Pozzi.

 

Paraná Clube 2 x 0 Luverdense
Data: 14/03/2012
Local: Estádio Durival de Britto (Curitiba)
Público: 6.962
Renda: R$ 154.310,00
Árbitro: Rodrigo Braghetto (SP)
Gols: Luizinho 18 e Nilson 36 do 2º tempo
Paraná: Luís Carlos, Paulo Henrique, Alex Bruno, André Vinícius, Henrique, Alex Alves, Douglas Packer, Bruninho (Maicon), Luizinho (Henrique Alemão), Wellington Silva e Elias (Nilson). Técnico: Ricardinho
Luverdense: Lucas, Régis, Rafael Pedro, Alex Moraes, Raul Prata (Fábio), Everton (Felipe Moreira), Gilson, Dê, Rubinho, Valdir Papel e Matheus. Técnico: Dado Cavalcanti.

 

Tupi (MG) 1 x 0 Luverdense
Data: 10/04/2013
Local: Estádio Mário Helênio (Juiz de Fora)
Público: 554
Renda: R$ 7.510,00
Árbitro: Felipe Duarte Varejão (ES)
Gol: Diego 8 do 1º tempo
Tupi: Jordan, Thiago Ryan (Ygor), Fabrício Soares, Thales, Diego, Maguinho (Felipe Lima), Genalvo, Maicon Douglas, Vinícius (Flávio), Assis e Wesley. Técnico: Felipe Surian.
Luverdense: Gabriel Leite, Raul Prata, Zé Roberto, Braga, Edinho, Júlio Terceiro, Gilson, Leandrinho (Tatu), Rafael Tavares, Tozin (Jairo) e Marcelo Maciel (Vevé). Técnico: Roberval Davino.

 

Luverdense 3 x 0 Tupi (MG)
Data: 17/04/2013
Local: Estádio Passo das Emas (Lucas do Rio Verde)
Público: 1.471
Renda: R$ 32.310,00
Árbitro: Cleber Vaz da Silva (GO)
Gols: Tozin 14, Rafael Tavares 27 e Marcelo Maciel 36 do 1º tempo
Luverdense: Gabriel Leite, Raul Prata, Zé Roberto, Braga (Fabinho), Edinho, Vevé, Gilson, Leandrinho, Rafael Tavares, Tozin e Marcelo Maciel. Técnico: Roberval Davino.
Tupi: Jordan, Thiago Ryan, Fabrício Soares, Thales (Brian), Diego, Maguinho, Genalvo, Maicon Douglas, Vinícius Assis e Wesley. Técnico: Felipe Surian.

 

Luverdense 2 x 0 Bahia
Data: 08/05/2013
Local: Estádio Passo das Emas, em Lucas do Rio Verde (MT)
Público: 2.156
Renda: R$ 45.885,00
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Gols: Tozin 14 do 1º tempo e Marcelo Maciel 4 do 2º tempo
Luverdense: Gabriel Leite, Raul Prata, Braga, Júlio Terceiro, Edinho, Gilson, Leandrinho, Rafael Tavares (Vevé), Marcelo Maciel (David), Tatu e Tozin (Ney Mineiro). Técnico: Roberval Davino.
Bahia: Omar, Lucas, Diego (Potita), Rafael Donato, Jussandro, Danny Morais, Lenine, Neto, Rosales (Erick), Ryder e Matheus (Thuram). Técnico: Eduardo Barroca.

 

Bahia 1 x 0 Luverdense
Data: 15/05/2013
Local: Arena Fonte Nova (Salvador)
Público: 1.706
Renda: R$ 67.547,50
Árbitro: Pablo dos Santos Alves (ES)
Gol: Rafael Donato 19 do 2º tempo
Bahia: Omar, Madson, Rafael Donato, Titi, Toró (Diones), Jussandro (Helder), Fahel, Talisca (Marquinhos), Fernandão, Zé Roberto e Adriano. Técnico: Eduardo Barroca.
Luverdense: Gabriel Leite, Raul Prata, Zé Roberto, Gilson, Júlio Terceiro, Edinho, Leandrinho (Vevé), Tatu (Ney Mineiro), Tozin, Rafael Tavares (David) e Marcelo Marciel. Técnico: Roberval Davino.

 

Fortaleza 0 x 0 Luverdense
Data: 10/07/2013
Local: Estádio Presidente Vargas (Fortaleza)
Árbitro: Guilherme Ceretta de Lima (SP)
Público: 12.834
Renda: R$ 222.057,00
Fortaleza: João Carlos, Léo Rodrigues, Fabrício, Charles, Marinho Donizete, Jaílton (Erivelton), Esley, Guaru, Joílson, Assisinho e Ruan (Jailson). Técnico: Hélio dos Anjos.
Luverdense: Gabriel Leite, Raul Prata, Murilo Gomes, Zé Roberto, Edinho, Max Carrasco, Gilson, Washington (Samuel), Rafael Tavares (Tatu), Misael e Tozin (Ney Mineiro). Técnico: Júnior Rocha.

 

Luverdense 2 x 1 Fortaleza
Data: 18/07/2013
Local: Estádio Passo das Emas (Lucas do Rio Verde)
Público: 2.357
Renda: R$ 51.105,00
Árbitro: Guilherme Ceretta de Lima (SP)
Gols: Tozin 8, Guaru 39, Gilson 43 do 1º tempo
Luverdense: Gabriel Leite, Raul Prata, Murilo, Carlão, Edinho (Samuel), Max Carrasco, Gilson, Washington, Rafael Tavares, Tozin (Ney Mineiro) e Misael. Técnico: Júnior Rocha.
Fortaleza: João Carlos, Carlinhos, Fabrício, Charles (Jaílson), Marinho Donizete (Guilherme Lazaroni), Jaílton, Esley, Jackson Caucaia (Joilson), Guaru, Ruan e Assisinho. Técnico: Hélio dos Anjos.

 

Luverdense 1 x 0 Corinthians
Data: 21/08/2013
Local: Estádio Passo das Emas (Lucas do Rio Verde)
Público: 9.102
Renda: R$ 972.240,00
Árbitro: Pablo dos Santos Alves (ES)
Gol: Misael 45 do 2º tempo
Luverdense: Gabriel Leite, Raul Prata, Zé Roberto, Braga, Edinho, Júlio Terceiro (Carlão), Gilson, Rafael Tavares (Samuel), Washington, Misael e Tozin (Tatu). Técnico: Júnior Rocha
Corinthians: Cássio, Alessandro, Felipe, Gil, Igor (Edenilson), Ralf, Ibson, Danilo, Romarinho, Alexandre Pato (Emerson) e Paolo Guerrero. Técnico: Tite

 

Corinthians 2 x 0 Luverdense
Data: 28/08/2013
Local: Estádio Pacaembu (São Paulo)
Público: 29.839
Renda: R$ 924.851,00
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Gols: Alexandre Pato 30 e Fábio Santos 44 do 1º tempo
Corinthians: Cássio, Edenílson, Paulo André, Gil, Fábio Santos, Ralf, Ibson (Alessandro), Danilo, Douglas, Alexandre Pato (Léo) e Guerrero. Técnico: Tite
Luverdense: Gabriel Leite, Raul Prata, Braga, Carlão, Edinho, Júlio Terceiro, Gilson, Rafael Tavares, Washington (Marcelo Maciel), Misael (Samuel) e Tozin (Tatu). Técnico: Júnior Rocha

 

Cabofriense (RJ) 1 x 1 Luverdense
Data: 05/03/2015
Local: Estádio Alair Corrêa (Cabo Frio)
Público: 410
Renda: R$ 8.250,00
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (PR)
Gols: Arthur 17 do 1º tempo e Osman 29 do 2º tempo
Cabofriense: Rafael, Lenon, Victor Silva, Leandro Souza, Leandro, Jardel, Everton (Hiroshi), Yuri (Chiquinho), Marcinho, Arthur Faria e Fabrício Carvalho (Kaká). Técnico: Alfredo Sampaio.
Luverdense: Thomazella, Thiago Gasparini, Zé Roberto, Montoya, Daniel Bahia, Júlio Terceiro, Ricardo, Osman, Rafael Tavares (Café), Ricardo Maria (Simião) e Lukian (Ciro). Técnico: Júnior Rocha.

 

Luverdense 1 x 0 Cabofriense (RJ)
Data: 18/03/2015
Local: Estádio Passo das Emas (Lucas do Rio Verde)
Público: 986
Renda: R$ 7.960,00
Árbitro: Rafael Martins Diniz (DF)
Gol: Ricardo 27 do 1º tempo
Luverdense: Thomazella, Thiago Gasparino (Café), Walace, Montoya, Rafinha (Daniel), Simião, Ricardo, Osman, Rafael Tavares, Ricardo Maria e Ciro (Eydson). Técnico: Júnior Rocha
Cabofriense: Rafael, Lenon, Leandro Souza, Vladimir, Leandro, Everton (Gerson), Marco Aurélio (Kaká), Hiroshi, Marcinho, Arthur Faria e Maycon (Jones). Técnico: Edson Souza

 

Luverdense 0 x 0 Bahia
Data: 12/05/2015
Local: Estádio Passo das Emas (Lucas do Rio Verde)
Público: 1.305
Renda: R$ 18.860,00
Árbitro: Vinícius Furlan (SP)
Luverdense: Edson, Raul, Montoia, Walace, Paulinho (Raphinha), Ticão, Michel, Osman, Da Mata (Deyvid Sacconi), Diego Rosa e Ciro. Técnico: Júnior Rocha
Bahia: Omar, Yuri, Robson, Thales, Patric, Feijão, Bruno Paulista, Mateus (Tiago Real), Rômulo (Éder), Willians Santana (Jeam) e Zé Roberto. Técnico: Sérgio Soares

 

Bahia 3 x 1 Luverdense
Data: 20/05/2015
Local: Arena Fonte Nova (Salvador)
Público: 4.771
Renda: R$ 75.629,00
Árbitro: Renan Roberto de Sousa (PB)
Gols: Léo Gamalho 14, Tiago Real 26 do 1º tempo; Paulinho 20 e Willians Santana 46 do 2º tempo
Bahia: Douglas Pires, Tony, Robson, Titi, Patric (Adriano Silva), Pittoni, Souza, Tiago Real, Léo Gamalho, Rômulo (Willians) e Zé Roberto (Mateus). Técnico: Sérgio Soares.
Luverdense: Edson, Raul Prata (Diogo Silva), Walace, Montoya, Paulinho, Michel Schmöller, Júlio Terceiro (Ciro), Ricardo, Osman, Diego Rosa e Luiz Eduardo. Técnico: Júnior Rocha.

 

URT (MG) 1 x 2 Luverdense
Data: 15/02/2017
Local: Estádio Zama Maciel (Patos de Minas)
Público: 3.378
Renda: R$ 31.980,00
Árbitro: Sávio Pereira Sampaio
Gols: Macena 32 do 1º tempo; Allan Dias 20 e Ricardo 45 do 2º tempo
URT: Juninho, Everton, Borges, Rodolfo, Fabinho, Allan Dias, Jô (Gabriel Ceará), Cascata, Carlinhos (Rafael Oller), Edmar (Thiago Brito) e Marques. Técnico: Rodrigo Santana.
Luverdense: Diogo Silva, Aderlan, Neguette, Dalton, Paulinho, Ricardo, Diogo Sodré (Kazu), Erik (Luís), Marcos Aurélio (Rodrigo Fumaça), Rafael Silva e Macena. Técnico: Odil Soares.

 

Avaí 1 x 1 Luverdense
Data: 01/03/2017
Local: Estádio da Ressacada (Florianópolis)
Público: 4.093
Renda: R$ 48.482,00
Árbitro: Rodrigo Batista Raposo (DF)
Gols: Diogo Sodré 13 do 1º tempo e Júnior Dutra 20 do 2º tempo
Avaí: Mauricio Kozlinski, Leandro Silva, Fagner Alemão, Betão, Capa, Ferdinando (Menezes), Renato (Júnior Dutra), Diego Jardel (Caio César), Marquinhos, Romulo e Denilson. Técnico: Claudinei Oliveira
Luverdense: Diogo Silva, Aderlan, Dalton (Pierre), Negrete, Paulinho, Ricardo, Marcos Aurélio, Diogo Sodré (Kazu), Rafael Silva, Raphael Macena e Erik (Rodrigo Fumaça). Técnico: Odil Soares.

 

Nos pênaltis Luverdense 3 x 2 Avaí
Luverdense 0 x 2 Corinthians
Data: 09/03/2017
Local: Arena Pantanal (Cuiabá)
Público: 15.924
Renda: R$ 824.630,00
Árbitro: Leonardo Garcia Cavaleiro (RJ)
Gols: Rodriguinho 20 e Gabriel 24 do 1º tempo
Luverdense: Diogo Silva, Aderlan, Dalton, Neguete, Paulinho, Ricardo, Diogo Sodré (Rodrigo Fumaça), Marcos Aurélio, Rafael Silva, Macena (Kazu) e Erik (Café). Técnico: Odil Soares.
Corinthians: Cássio, Fagner, Balbuena, Pablo, Guilherme Arana, Gabriel, Jadson (Marlone), Maycon, Rodriguinho, Romero (Léo Jabá) e Jô (Kazim). Técnico: Fábio Carille
Corinthians 1 x 1 Luverdense
Data: 16/03/2017
Local: Arena Corinthians (São Paulo)
Público: 25.082
Renda: R$ 941.324,00
Árbitro: Paulo H. Schleich Vollkopf (MS)
Gols: Jô 29 do º tempo e Ricardo 26 do 2º tempo
Corinthians: Cássio, Fagner, Pedro Henrique, Pablo, Guilherme Arana,
Gabriel, Maycon, Jadson (Giovanni Augusto), Rodriguinho, Romero (Marlone) e Jô (Kazim). Técnico: Fábio Carille.
Luverdense: Diogo Silva, Aderlan, Dalton, Neguete, Paulinho, Ricardo, Erik, Diogo Sodré (Abner), Marcos Aurélio (Kazu), Rafael Silva e Raphael Macena (Café). Técnico: Odil Soares.
Santos 5 x 1 Luverdense
Data: 10/05/2018
Local: Vila Belmiro (Santos)
Público: 3.590
Renda: R$ 90.725,00
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Gols: Itaqui 10, Gabigol 24 do 1º tempo; Gustavo Henrique 13, Gabigol 17, Gabigol 22 e Yuri Alberto 40 do 2º tempo
Santos: Vanderlei, Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique, Dodô, Alison (Yuri), Jean Mota, Vitor Bueno (Arthur Gomes), Eduardo Sasha (Yuri Alberto), Gabriel e Rodrygo. Técnico: Jair Ventura.
Luverdense: Diogo Silva, Itaqui, Kaique, André Ribeiro, Paulinho, Moisés, Diogo Sodré, Elton (Rubinho) e Lucas Braga (Adriano), Rafael Silva e Paulo Renê (Ariel). Técnico: Luizinho Vieira.
Luverdense 2 x 1 Santos
Data: 17/05/2018
Local: Estádio Passo das Emas (Lucas do Rio Verde)
Público: 2.313
Renda: R$ 99.150,00
Árbitro: Grazianni Maciel Rocha (RJ)
Gols: Paulinho (contra) 15, Paulo Renê 31 do 1º tempo; Itaqui 1 do 2º tempo
Luverdense: Diogo Silva, Itaqui, André Ribeiro, Kaique, Paulinho, Moisés (Rubinho), Lorran, Diogo Sodré (Élton), Lucas Braga, Rafael Silva e Paulo Benê (Ariel). Técnico: Luizinho Vieira.
Santos: Vanderlei, Daniel Guedes, Luiz Felipe, Gustavo Henrique, Jean Mota, Yuri (Gabriel Calabres), Diego Pituca, Vecchio (Vitor Bueno), Copete (Eduardo Sasha), Yuri Alberto e Arthur Gomes. Técnico: Jair Ventura.

 

Fonte: Diário de Cuiabá/A Gazeta/ CBF
 
O primeiro jogo do Cuiabá na história da Copa do Brasil foi no dia 18 de janeiro de 2004, no estádio Verdão, diante da equipe do Goiás e foi derrotado por 1 a 0. De lá para cá foram mais 24 jogos.

 

Relembre os jogos do dourado:
 
 
Cuiabá 0 x 1 Goiás
Data: 18/02/2004
Local: Estádio Governador José Fragelli (Cuiabá)
Público: 2.683
Renda: R$ 26.090,00
Árbitro: Manoel Paixão dos Santos (MS)
Gol: Aldrovani 29 do 2º tempo
Cuiabá: Júlio César, Filhão (Clebinho), Léo, Maurício, Paulinho, Ataliba, Tita (Ronaldo Paulista), Everton, Robinho, Elias e Bibiu. Técnico: Oscar Conrado.
Goiás: Harlei, Gustavo (Rodrigo Tabata), Renato, André Cruz, Leandro Smith (Cléber), Simão, Josué, Paulo Baier (Rodrigo Silva), Gílson, Aldrovani e Daniel Vilela. Técnico: Ivo Wortmann.

 

Goiás 3 x 1 Cuiabá
Data: 03/03/2004
Local: Estádio Serra Dourada (Goiânia)
Público: 2.144
Renda: R$ 14.327,50
Árbitro: Cléber Assunção Gonçalves (MG)
Gols: Aldrovani 12, Simão 16 do 1º tempo; Bibiu 14 e Simão 40 do 2º tempo
Goiás: Harlei, Cléber, Renato, André Cruz, Gustavo, Simão (Tiago), Rodrigo Silva, Josué, Rodrigo Tabata (Leandro Smith), Fábio (Giuseppe) e Aldrovani. Técnico: Luvanor
Cuiabá: Júlio César, Filhão, Léo, Maurício, Paulinho, Ataliba (Kal), Ronaldo Paulista (Heltron), Everton, Elias, Bibiu e Robinho (Clebinho). Técnico: Oscar Conrado.

 

Cuiabá 1 x 1 Vila Nova (GO)
Data: 02/02/2005
Local: Estádio Governador José Fragelli (Cuiabá)
Público: 2.746
Renda: R$ 19.399,00
Árbitro: Manoel Paixão dos Santos (MS)
Gols: Maurício 39 do 1º tempo e Heleno 05 do 2º tempo
Cuiabá: Daniel, Ataliba, Maurício, Everton, Simônio, Léo, Ado, Kal, Buiú (Jorge), Bibiu (Preto) e Giovani (Jáder). Técnico: Oscar Conrado.
Vila Nova: Michel, Itaqui (Hugo), Marquinhos Paraná, Rodrigo Alvim (Luciano), Cláudio Luiz, Higo, Paulo Ramos, Fábio Bahia, Heleno, Robson (Igor Júlio) e Pedro Júnior. Técnico: Edson Gaúcho.

 

Vila Nova (GO) 2 x 0 Cuiabá
Data: 16/02/2005
Local: Estádio Serra Dourada (Goiânia)
Público: 2.685
Renda: R$ 21.850,00
Árbitro: José Caldas de Souza (DF)
Gols: Pedro Júnior 30 e Robson 31 do 2º tempo
Vila Nova: Michel, Vítor, Higo, Rodrigo Alvim, Cláudio Luiz, Heleno (Alexandre), Fábio Bahia, Luciano (Itaqui), Paulo Ramos (Robson), Pedro Júnior e Wando. Técnico: Edson Gaúcho.
Cuiabá: Daniel, Ataliba, Marcos, Everton (Diego Barros), Maurício, Léo, Ado, Preto (Giovani), Bibiu (Jorge), Buiú e Kal. Técnico: Oscar Conrado.

 

Cuiabá 0 x 2 Ceará
Data: 24/02/2011
Local: Estádio Presidente Dutra (Cuiabá)
Árbitro: Elmo Alves Resende (GO)
Gols: Iarley 2 do 1º tempo e Euzébio 34 do 2º tempo
Cuiabá: Fabiano, Marquinhos, Iury, Reinaldo, Natanael (Juninho), Natan (Peterson), Bogé, Jean, Edu Amparo (Moreno), Fernando e David Pezão. Técnico: Ary Marques.
Ceará: Fernando Henrique, Boiadeiro, Fabrício, Erivelton, Kleber, Michel, Euzébio, Geraldo, Vicente, Iarley (Fernando) e Júnior Pipoca (Washington). Técnico: Dimas Filgueira.

 

Cuiabá 1 x 1 Portuguesa (SP)
Data: 08/03/2012
Local: Estádio Presidente Dutra (Cuiabá)
Público: 3.999
Renda: R$ 65.220,00
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Gols: Ricardo Jesus 18 do 1º tempo e Fernando 38 do 2º tempo
Cuiabá: Gatti, Niel (Moreno), Lombardi, Marcelo, Natanael, César Romero, Bogé, Jean (Daniel Barros), Fredson (Renan), Fernando e Leandro Cearense. Técnico: Ary Marques.
Portuguesa: Weverton, Luís Ricardo, Renato, Rogério, Raí (Guilherme), Léo Silva, Leandro Silva (Gustavo), Maylson, Diego Souza (Henrique), Vandinho e Ricardo Jesus. Técnico: Jorginho.

 

Portuguesa (SP) 4 x 0 Cuiabá
Data: 21/03/2012
Local: Estádio Canindé (São Paulo)
Público: 987
Renda: R$ 18.800,00
Árbitro: Rodrigo Batista Raposo (DF)
Gols: Diego Souza 45 do 1º tempo; Ananias 37, Danilo 41 e 44 do 2º tempo
Portuguesa: Rodrigo Calaça, Luís Ricardo, Rogério, Leandro Silva, Ivan, Boquita, Guilherme, Henrique, Diego Souza, Ananias e Ricardo Jesus. Técnico: Jorginho.
Cuiabá: Gatti, Niel, Lombardi, Marcelo Ramos, Cesar Romero, Natanael, Jean, Bogé, Leandro Cearense, Fernando e Fredson. Técnico: Ary Marques.

 

Barbalha (CE) 0 x 0 Cuiabá
Data: 02/04/2014
Local: Estádio Antônio Callou (Barbalha)
Público: 878
Renda: R$ 16.030,00
Árbitro: Emanuel Diniz de Araújo (PB)
Barbalha: Vitor; Igor, Netinho, Regineldo, Elvis; Weskley, Lamar (Jefinho), Serginho (Maxwell), Edson Cariús (Romário); Leílson e Cristóvão. Técnico: Washington Luiz.
Cuiabá: Willian Alves; Luís Eduardo, Diego Macedo, Samuel; Gean, Hildo (Valdanes), Danilo Baía (Natan), Alan Popó, Ruan; Ed (Diego Torres) e Tiago Chulapa. Técnico: Luciano Dias.

 

Cuiabá 2 x 0 Barbalha (CE)
Data: 16/04/2014
Local: Estádio Presidente Dutra (Cuiabá)
Público: 323
Renda: R$ 4.880,00
Árbitro: Cleber Vaz da Silva (GO)
Gols: Tiago Chulapa 2 e Alan Popó 46 do 2º tempo
Cuiabá: Willian Alves, Éder Sciola, Diego Macedo, Samuel, Ruan, Danilo Baia, Everton Cezar, Diego Torres (Alan Popó), Gilsinho, Cleverson (Caio) e Tiago Chulapa (Washington). Técnico: Luciano Dias.
Barbalha: Vitor, Igor, Netinho, Reginaldo, Elvis, Weskley (Jeferson), Leílson, Macksuel (Cristóvão), Lamar (Romário), Carlinhos e Edson. Técnico: Washington Luiz.

 

Cuiabá 1 x 1 Internacional (RS)
Data: 01/05/2014
Local:  Arena Pantanal (Cuiabá)
Público: 22.444
Renda: R$ 942.970,00
Árbitro: Rodrigo Raposo (DF)
Gols: Washington 26 do 1º tempo e Rafael Moura 40 do 2º tempo
Cuiabá: Willian Alves, Éder Sciola, Diego Macedo, Samuel, Ruan, Mirita, Bosco, Washington (Vinícius Kiss), Diego Torres (Moisés) e Gilsinho, Cleverson. Técnico: Luciano Dias.
Internacional: Dida, Gilberto (Jorge Henrique), Paulão, Ernando, Fabrício, Willians, Aranguiz, Alex (Wellington Paulista), D’Alessandro, Alan Patrick (Valdívia) e Rafael Moura. Técnico: Abel Braga.

 

Internacional (RS) 4 x 1 Cuiabá
Data: 14/05/2014
Local: Beira Rio (Porto Alegre)
Público: 21.821
Renda: R$ 621.960,00
Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza (SP)
Gols: Alex 23 do 1º tempo; Rafael Moura 9, Alex 41, Fabrício 44 e Alan Popó 46 do 2º tempo
Internacional: Dida, Gilberto (Diogo), Juan, Ernando, Fabrício, Willians (Ygor), Aranguiz, Alex, Alan Patrick (Jorge Henrique), D’Alessandro e Rafael Moura. Técnico: Abel Braga.
Cuiabá: Willian Alves, Danilo Baía, Luís Eduardo, Mirita, Gilton, Bosco, Diego Oliveira, Everton César, Gilsinho (Alan Popó), Aldair e Cleverson (Washington e depois Vinícius). Técnico: Luciano Dias.

 

Murici (AL) 3 x 2 Cuiabá
Data: 04/03/2015
Local: Estádio José Gomes da Costa (Murici)
Público: 431
Renda: R$ 6.570,00
Árbitro: Claudio Francisco Lima e Silva (SE)
Gols: Felipe Alves 14, Val Paraíba 23 do 1º tempo; Diogo 4, Egon 8 e Odair Lucas 15 do 2º tempo
Murici: Léo, João Paulo, Odair Lucas, Jean, Leandro, Rambo, Charles Vagner, Bergson, Diogo (Alan), Katê (Geninho) e Val Paraíba. Técnico: Gilmar Batista.
Cuiabá: Willian Alves, Grafite, Ricardo Braz, Egon, Maninho, Bogé, Jean, Felipe Blau, Rafael Luz (Ademir), Kaique, Felipe Alves (Cleidson Pink). Técnico: Fernando Marchiori.

 

Cuiabá 2 x 0 Murici (AL)
Data: 18/03/2015
Local: Arena Pantanal (Cuiabá)
Público: 749
Renda: R$ 5.450,00
Árbitro: Breno Veira Souza (GO)
Gols: Felipe Blau 9 e Ricardo Braz 33 do 2º tempo
Cuiabá: Willian Alves, Gean, Ricardo Braz, Egon, Maninho (Murilo Ceará), Bogé, Felipe Blau (Bosco), Raphael Luz, Felipe Alves, Kaique (Cleidson Pink) e Nino Guerreiro. Técnico: Fernando Marchiori.
Murici: Léo, João Paulo (Kaká), Odair, Jean, Branco, Joelmo, Katê, Vagner, Geninho (Alan), Everlan e Alexsandro. Técnico: Gilmar Batista.

 

Cuiabá 1 x 1 Vasco da Gama (RJ)
Data: 13/05/2015
Local: Arena Pantanal (Cuiabá)
Público: 8.418
Renda: R$ 389.015,00
Árbitro: Vinícius Goncalves Dias Araújo (SP)
Gols: Maninho 34 e Rodrigo 48 do 2º tempo
Cuiabá: André Luís, Gean, Ricardo Braz, Egon, Maninho, Bogé, Felipe Blau (Cleidson), Raphael Luz (Geovani), Gilsinho, Kaique (Assis) e Nino Guerreiro. Técnico: Fernando Marchiori.
Vasco: Martín Silva, Madson, Rodrigo, Luan, Christiano, Guiñazú, Júlio dos Santos (Bernardo), Serginho, Gilberto, Marcinho (Jhon Cley) e Rafael Silva (Yago). Técnico: Doriva.

 

Vasco da Gama 0 x 0 Cuiabá
Data: 20/05/2015
Local: São Januário (Rio de janeiro)
Público: 1.864
Renda: R$ 30.080
Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)
Vasco: Martin Silva, Madson, Luan, Salles, Christiano (Júlio Cesar), Serginho, Guiñazu, Júlio dos Santos, Dagoberto (Marcinho), Rafael Silva (Yago) e Thalles. Técnico: Doriva.
Cuiabá: André Luís, Gean, Egon, Diego Macedo, Maninho, Bogé (Ricardo Braz), Serginho (Assis), Gilsinho, Raphael Luz, Felipe Alves (Geovani Santos) e Nino Guerreiro. Técnico: Fernando Marchiori.

 

Juazeirense (BA) 1 x 0 Cuiabá
Data: 06/04/2016
Local: Estádio Adauto Moraes (Juazeiro)
Público: 1.741
Renda: R$ 25.020,00
Árbitro: Bruno Arleu de Araújo (RJ)
Gol: Ricardo Braz 19 do 1º tempo
Juazeirense Tigre, Alex, Emerson, Ricardo Braz, Deca (Patrick), Diego Teles, Naldo, Gianlucas, Ebinho, Nino Guerreiro e William Carioca. Técnico: Evandro Guimarães.
Cuiabá: André Luís, Gean, Edvânio, Wadson (Joílson), Maninho, Felipe Blau, Eric, Esdras (Rone Dias), Uederson, Vanger e Geílson (Igor). Técnico: Fernando Marchiori.

 

Cuiabá 1 x 0 Juazeirense (BA)
Data: 27/04/2016
Local Arena Pantanal (Cuiabá)
Público: 148
Renda: 2.925,00
Árbitro: Bruno Arleu de Araújo (RJ)
Gol: Uederson 24 do 1º tempo
Cuiabá: André Luis, Eric, Edvânio, Joílson, Julinho, Léo Salino, Eusébio (Júlio Alves), Esdras, Geovani (Davi), Uederson e João Carlos. Técnico: Flávio Araújo.
Juazeirense: Tigre, Alex Travassos (Nem), Paulo Henrique, Ricardo Braz, Capone, Deca, Diego Teles, Gianlucas (Edinho), Wanderson, Nino Guerreiro e Sassá (Tony Galego). Técnico: Evandro Guimarães.

 

Nos pênaltis o Juazeirense venceu por 5 x 4

 

Rondoniense 0 x 2 Cuiabá
Data: 08/02/2017
Local: Estádio Aluízio Pinheiro Ferreira (Porto Velho)
Público: 1.050
Renda: R$ 23.010,00
Árbitro: José Antônio de Almeida Pinheiro (AC)
Gols:  Leo Salino 16 e Cleberson Tiarinha 42 do 2º tempo
Rondoniense: Dida, Dhonathan, Paulo, Wilton, Marcus, Fernandinho, Quintino, Autemar (Warleson), Renilson (Kelvin Lima), Alesson (Pither) e Douglas. Técnico: Yonai da Luz.
Cuiabá: Henal, Walber, Douglas, Heverton, Carlos, Udson, Léo Salino (Cleberson Tiarinha), Robinho (Jefferson), Alex Sandro, Natan (Fernando) e Juba. Técnico: Roberto Fonseca.

 

Ponte Preta 1 x 1 Cuiabá
Data: 02/03/2017
Local: Estádio Moisés Lucarelli (Campinas)
Renda: 2.225
Público: R$ 24.937,50
Árbitro: Dyorgines José Padovani de Andrade (ES)
Gols: Lucca 19 e Cleberson Tiarinha 37 do 1º tempo
Ponte Preta: Aranha, Nino Paraíba, Marllon, Yago, Emerson, Fernando Bob (Jadson), Matheus Jesus, Lucca, Lins (Ramon), Clayson (Ravanelli) e Pottker. Técnico: Felipe Moreira.
Cuiabá: Henal, Richard, Douglas, Heverton, Udson, Carlão, Léo Salino, Natan (Dakson), Robinho, Juba (Jeffinho) e Cleberson Tiarinha (Alex Sandro). Técnico: Roberto Fonseca.

 

Nos pênaltis o Cuiabá venceu por 5 a 4.

 

Cuiabá 0 x 4 Goiás
Data: 08/03/2017
Local: Estádio Serra Dourada (Goiânia)
Público: 5.750
Renda: R$ 64.267,50
Árbitro: Luis César de Oliveira Magalhães (CE)
Gols: Tiago Luis 31 do 1º tempo, Léo Gamalho 27, Patric 29 e Léo Gamalho 36 do 2º tempo
Goiás: Marcelo Rangel, Pedro Bambu, Fábio Sanches, Everton Sena, Patric, Victor Bolt, Léo Sena (Hélder), Juan, Carlos Eduardo (Aylon), Léo Gamalho e Tiago Luís (Jean Carlos). Técnico: Gilson Kleina.
Cuiabá: Henal; Richard, Suéliton, Heverton, Udson; Léo Salino, Carlão, Robinho (Alex Sandro), Natan (Alisson); Juba e Cleberson Tiarinha. Técnico: Roberto Fonseca.

 

Cuiabá 1 x 1 Goiás
Data: 16/03/2017
Local: Arena Pantanal (Cuiabá)
Público: 1.092
Renda: R$ 16.210,00
Árbitro: Felipe Gomes da Silva (PR)
Gols: Juba 23 do 1º tempo e Aylon 14 do 2º tempo
Cuiabá: Henal, Walber (Richard), Suéliton, Douglas Mendes, Cesar Hinestroza, Carlão, Léo Salino, Dakson (Gabriel Ramos), Bruno Veiga, Juba (Robinho) e Cleberson Tiarinha. Técnico: Roberto Fonseca.
Goiás: Marcelo Rangel, Pedro Bambu, Fábio Sanches, David Duarte (Felipe Macedo), Patric, Victor Bolt, Léo Sena (Toró), Tiago Luis, Carlos Eduardo, Léo Gamalho e Aylon (Jarlan). Técnico: Gilson Kleina.

 

Aimoré (RS) 1 x 2 Cuiabá
Data: 31/01/2018
Local: Estádio Cristo Rei (São Leopoldo)
Público: 1.669
Renda: R$ 28.280,00
Árbitro: Rodrigo D’Alonso Ferreira (SC)
Gols: Brandão 23 do 1º tempo; Weverton 29 e Werinton 50 do 2º tempo
Aimoré: Pablo, Murilo, Léo Kanu, Centeno, Cássio, Elton (Carlos), Digão (Abú), Cleiton, Diego Carioca (Leozinho), Marco Antônio e Brandão. Técnico: Arilson Costa.
Cuiabá: Victor Souza, Weriton, Ednei, Marcelo Xavier, Quaresma, Magno (Tiago Etges), Jean, Hiltinho (Geovani), Bruno Alves (Matheus), Weverton e Jenison. Técnico: Itamar Schulle.

 

Cuiabá 3 x 1 Aparecidense (GO
Data: 21/02/2018
Local: Arena Pantanal (Cuiabá)
Público: 864
Renda: R$ 9.890,00
Árbitro: Sávio Pereira Sampaio (DF)
Gols: Nonato 38 do 1º tempo; Magno 15, Weverton 33 e 41 do 2º tempo
Cuiabá: Victor Souza, Weriton, Ednei, Marcelo Xavier, Quaresma, Jean, Magno, Doda, Hiltinho (Geovani), Bruno Alves (André Mensalão) e Jenison. Técnico: Itamar Schulle.
Aparecidense: Busatto, Rafael Cruz, Thiago Carvalho, Mirita, Helder, Lusmar, Thiago Ulisses (Everton), Cristian (Clécio), Uederson, Aleílson e Nonato. Técnico: Márcio Azevedo.

 

Náutico (PE) 2 x 1 Cuiabá
Data: 28/02/2018
Local: Arena Pernambuco (Recife)
Público: 5.302
Renda: R$ 83.300,00
Árbitro: Wanderson Alves de Sousa (MG)
Gols: Doda 2, Ortigoza 12 e Tharcysio 32 do 2º tempo
Náutico: Bruno, Thiago Ennes, Breno, Camutanga, Kevyn, Negretti, Josa (Tharcysio), Medina (Rafael Assis), Robinho, Ortigoza (Willian Gaúcho) e Wallace Pernambucano. Técnico: Roberto Fernandes.
Cuiabá: Victor Souza, Weriton, Ednei, Marcelo Xavier, Quaresma, Magno, Jean (Rodrigo Ferreira), Doda, Jenison, Hiltinho (Lucão) e Bruno Alves (Adalgísio Pitbull). Técnico: Itamar Schulle.

 

Cuiabá 0 x 1 Náutico (PE)
Data: 14/03/2018
Local: Arena Pantanal (Cuiabá)
Público: Portões fechados
Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira (MG)
Gols: Ortigoza 41 do 2º tempo
Cuiabá: Victor Souza, Weriton, Lucão, Ednei, Quaresma (Geovani), Magno, Jeanderson (Weverton), Doda, Hiltinho, Bruno Alves e Jenison (Adalgisio Pitbull). Técnico: Itamar Schulle.
Náutico: Bruno, Thiago Ennes, Breno (Camacho), Camutanga, Kevyn, Negretti, Wendel (Jobson), Josa, Wallace Pernambucano (Rogerinho), Robinho e Ortigoza. Técnico: Roberto Fernandes.
 
Fonte: Diário de Cuiabá/ A Gazeta/ CBF
 
O Sinop participou da Copa do Brasil pela primeira vez em 10 de fevereiro de 1999, quando enfrentou o Santos, no estádio Gigante do Norte, em Sinop. De lá para cá foram 4 participações. Confira abaixo as fichas técnicas dos jogos do Galo do Norte:
 
Sinop 0 x 1 Santos (SP)
Data: 10/02/1999
Local: Estádio Gigante do Norte (Sinop)
Árbitro: Etevaldo Batista Araújo (DF)
Gol: Rodrigão 45 do 1º tempo
Sinop: Vilson, Jaílson, Charles, Tony, Marcelinho Boiadeiro, Adriano, Carlinhos Macarrão, Franco, Bebeto, Silvio e Tatau (Biro-Biro). Técnico: Nilo Neves.
Santos: Zetti, Claudiomiro (Jean), Argel, Dutra, Anderson Lima (Michel), Eduardo Marques (Camanducaia), Jorginho, Marcos Bazílio, Marcos Assunção, Rodrigão e Alessandro. Técnico: Emerson Leão.

 

Santos (SP) 6 x 0 Sinop
Data: 10/03/1999
Local: Vila Belmiro (Santos)
Árbitro: Wagner Tardelli (RJ)
Gols: Viola 8 e 42 do 1º tempo, Anderson Lima 1, Viola 8, 20 e 41 do 2º tempo
Santos: Nando, Jean, Claudiomiro, Anderson Lima, Gustavo Nery, Jorginho (Bechara), Caíco (Eduardo Marques), Rodrigo Fabri, Marcos Bazílio e Alessandro (Rodrigão). Técnico: Emerson Leão.
Sinop: Vilson, Charles, Tony, Jaílson, Franco (Biro-Biro), Carlinhos Macarrão, Adriano, Marcelinho Boiadeiro, Silvio, Tatu e Bebeto (Saldanha). Técnico: Nilo Neves.

 

Ubiratan (MS) 1 x 1 Sinop
Data: 22/03/2000
Local: Estádio Douradão (Dourados)
Árbitro: Henrique França Trindade (PR)
Gols: Elivelton 41 do 1º tempo e Índio 14 do 2º tempo
Ubiratan: Cassiano (Júlio César), Pereira, Roberto Nunes, Marcelo Leite, Paulo Fernandes, Dênis, Enoke, Alex (Shiru), Tato, Andrade e Paulo César. Técnico: Everton Stringueta.
Sinop: Aranha, Saci, Cocão, Paraúna, Suliman, Silva, Elias, Alexandre (Da Silva), Marcelinho Boiadeiro, Índio e Newton. Técnico: Nilo Neves.

 

Sinop 5 x 0 Ubiratan (MS)
Data: 29/03/2000
Local: Estádio Gigante do Norte (Sinop)
Árbitro: Cleber Elias Leite (GO)
Gols: Índio 4, Alexandre Kunta 26 do 1º tempo, Índio 8, Tiganá 27 e Mauricinho 41 do 2º tempo
Sinop: Marcos Roberto, Saci, Silva, Cocão, Suliman, Elias, Tiganá, Alexandre Kunta (Reginaldo), Marcelinho Boiadeiro, Newton (Mauricinho) e Índio (Da Silva). Técnico: Nilo Neves.
Ubiratan: André, Pereira, Marcelo Leite, Totó, Paulo Fernandes (Marques), Dênis, Tato, Elivelton, Andrade (Enoke), Alexandre Gaúcho e Marquinhos. Técnico: Everton Striguetta.

 

Sinop 0 x 4 São Paulo (SP)
Data: 27/04/2000
Local: Estádio Gigante do Norte (Sinop)
Árbitro: Jamir Carlos Garcez (DF)
Gols: Edu 31 do 1º tempo: França 23, Edu 45 e 46 do 2º tempo
Sinop: Aranha, Saci, Silva, Paraúna, Suliman, Carlinhos, Elias (Eduardo), Tiganá, Marcelinho Boiadeiro, Índio e Newton. Técnico: Nilo Neves.
São Paulo: Rogério Ceni, Beletti, Edmilson, Wilson, Fábio Aurélio, Axel (Raí), Alexandre, Vagner (Fabiano), Edu, França (Evair) e Marcelinho Paraíba. Técnico: Levir Culpi.

 

São Paulo (SP) 2 x 0 Sinop
Data: 03/05/2000
Local: Morumbi (São Paulo)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (PR)
Gols: França 28 Maldonado 31 do 2º tempo
São Paulo: Rogério Ceni, Belletti, Edmílson, Wilson, Fábio Aurélio, Axel (Maldonado), Alexandre, Marcelinho Paraíba (Souza), Raí (Sandro Hiroshi), França e Edu. Técnico: Levir Culpi.
Sinop: Aranha, Saci, Silva, Paraúna, Suliman, Carlinhos, Elias (Reginaldo), Tiganá, Marcelinho Boiadeiro, Nílton (Mauricinho) e Índio. Técnico: Nilo Neves.

 

Sinop 1 x 0 Salgueiro (PE)
Data: 16/02/2017
Local: Estádio Gigante do Norte (Sinop)
Público: 2.651
Renda: R$ 40.765,00
Árbitro:  Bruno Rezende Silva (GO)
Gol: Jorge Preá 37 do 2º tempo
Sinop: Naldo, Maranhão (Portela), Marinho, Tayron, Dourado, Maicon, Valtinho, Alex (Gabriel Jesus), Jorge Preá e Bahia (Jean Chera). Técnico: Marcos Birigui.
Salgueiro: Mondragon, Tamandaré, Ranieri, Luiz Eduardo, Rodolfo, Daniel, Toty, Moreilândia, Willian Lira (Dadá), Valdeir (Rogério) e Álvaro (Jean). Técnico: Evandro Guimarães.

 

Sinop 1 x 3 Fluminense (RJ)
Data: 01/03/2017
Local: Estádio Gigante do Norte (Sinop)
Público: 5.806
Renda: R$ 147.140,00
Árbitro: Elmo Alves Resende (GO)
Gols: Alex 17 do 1º tempo, Sornoza 7, Henrique Dourado 27 e Sornoza 36 do 2º tempo
Sinop: Naldo, Maranhão (Portela), Tayron, Wadson, Maycon, Dourado, Valtinho (Lucas Baggio), Sandro (Cabralzinho), Alex, Andrezinho e Preá. Técnico: Marcos Birigui.
Fluminense: Júlio César, Lucas, Henrique, Renato Chaves, Léo (Marquinhos Calazans), Orejuela, Douglas (Marquinho), Sornoza, Richarlyson, Henrique Dourado e Wellington Silva (Marcos Júnior). Técnico: Abel Braga.

 

Sinop 0 x 1 Goiás (GO)
Data: 07/02/2018
Local: Estádio Gigante do Norte (Sinop)
Público: 2.833
Renda: R$ 57.680,00
Árbitro: Felipe Gomes da Silva (PR)
Gol: Alex Silva 19 do 1º tempo
Sinop: Fernando Júnior, Everton Silva, Tayron, Wadson, Gilmar, Duda, João Paulo (Cleberson Tiarinha), Pitty (Gabriel Cajano), Cabralzinho (Jeferson Maranhense), Batista e Júnior Juazeiro. Técnico: Paulo Foiani.
Goiás, Marcelo Rangel, Alex Silva, Raphael Silva, Eduardo Brock, Jefferson, João Afonso, Léo Sena, Giovanni, Michael (Maranhão), Lucão (Júnior Viçosa) e Rafinha (Felipe Garcia). Técnico: Hélio dos Anjos.
 
Fonte: Diário de Cuiabá/A Gazeta/CBF 
 
 

A Sociedade Esportiva Peñarol é uma agremiação do Município de Nobres, que fica a 142 km da capital Cuiabá, no Estado do Mato Grosso. A pequena localidade, que conta com uma população de 15.338 habitantes (segundo o IBGE/2018), ganhou status de município no dia 11 de novembro de 1963.

O ‘Áureo-negro Nobrense’ foi Fundado no domingo, do dia 12 de Julho de 1987. A Sede ficava no Estádio Municipal Balizão, com capacidade para 3 mil pessoas, situado na Avenida Marechal Rondon (próximo a Rua Miranda), no Centro da cidade.

Pelo nome, as cores e a similaridade do escudo é possível deduzir uma homenagem ao Clube Atlético Peñarol, de Montevidéu, no Uruguai. Semelhanças à parte, além das participações no Campeonato Citadino de Nobres, o momento mais importante do Peñarol aconteceu em 1990.

Nesse ano, contando com o apoio da prefeitura local, a equipe ‘Áureo-negro Nobrense’ entrou na esfera profissional, onde disputou o Campeonato Matogrossense da Segunda Divisão, organizado pela Federação Matogrossense de Futebol (FMF).

A competição contou com a participação de cinco equipes:

Clube Atlético Diamantinense (Diamantino);

Presidente Esporte Clube (Tangará da Serra);

Sociedade Esportiva Palmeiras (Barra do Bugres);

Sociedade Esportiva Peñarol (Nobres);

Vila Nova Sport Club (Alto Paraguai);

A campanha da A Sociedade Esportiva Peñarol nos oito jogos, somando quatro pontos: uma vitória, dois empates e cinco derrotas; marcando 10 gols, sofrendo 25 e um saldo negativo de 15.

 

DATA

RESULTADOS DO 1º TURNO

LOCAL

Domingo, 19 de Agosto

Penãrol

1

X

1

Palmeiras

Nobres

Domingo, 26 de Agosto

Vila Nova

1

X

0

Penãrol

Alto Paraguai

Domingo, 02 de Setembro

Penãrol

1

X

1

Presidente

Nobres

Domingo, 09 de Setembro

Diamantinense

3

X

1

Penãrol

Diamantino

 

DATA

RESULTADOS DO 2º TURNO

LOCAL

Domingo, 23 de Setembro

Palmeiras

2

X

1

Penãrol

Barra do Bugres

Domingo, 30 de Setembro

Penãrol

1

X

4

Vila Nova

Nobres

Domingo, 07 de Outubro

Presidente

12

X

1

Penãrol

Tangará da Serra

Domingo, 21 de Outubro

Penãrol

4

X

1

Diamantinense

Nobres

 

FONTES & FOTOS: Rsssf Brasil – Página no Facebook “Nobres – MT de Antigamente” – Diário Oficial

 
No dia 30 de novembro de 1930, tomou posse a nova Diretoria do Americano Esporte Clube, para 1931.

 

Presidente de Honra: Lázaro Papazian
Presidente: João Virgílio da Silva
1º Vice Presidente: Manoel do Espírito Santo
2º Vice Presidente: Romário P. do Espírito Santo
1º Secretário: Gabriel de Campos
2º Secretário: Almiro Rueda Saraiva
1º Tesoureiro: Pedro Moreira
2º Tesoureiro: Allyrio Rueda Saraiva
Comissão Esportiva: Aurélio de Almeida Peixoto, Sebastião Pinto de Aquino, Estevão Regolieto Capriata, Benedito Duarte de Figueiredo
Comissão Fiscal: Eduardo Rueda Saraiva, Venâncio Duarte, João Baptista Muniz, Abrahão Zaque, Manoel E. da Costa Marques
 

 

 
 
Fonte: Gazeta Oficial 
 

CHAVE NORTE

 

J

V

E

D

GP

GC

PG

01º

Sinop (Sinop)

06

03

02

01

06

02

08

02º

Vasco da Gama (Tangará da Serra)

06

02

03

01

05

04

07

03º

Ponte Preta (Nortelândia)

06

02

02

02

03

03

06

04º

Real (Colider)

06

00

03

03

02

07

03

CHAVE CENTRO

 

J

V

E

D

GP

GC

PG

01º

Internacional (Cuiabá)

08

04

04

00

11

05

12

02º

Uirapuru (Cuiabá)

08

04

02

02

18

06

10

03º

Tremendão (Cáceres)

08

02

04

02

07

07

08

04º

Atlético (Cuiabá)

07

01

04

02

07

16

06

05º

Madureira (Várzea Grande)

07

00

02

05

04

13

02

 CHAVE SUL

 

J

V

E

D

GP

GC

PG

01º

Independente (Poxoréu)

05

03

02

00

07

01

08

02º

Flamengo (Rondonópolis)

05

02

02

01

02

01

06

03º

Gabirobense (Alto Paraguai)

05

01

02

01

04

04

04

04º

Alto Garças (Alto Garças)

03

00

00

03

01

07

00

FASE FINAL

 

J

V

E

D

GP

GC

PG

01º

Sinop (Sinop)

04

02

01

01

05

03

05

02º

Internacional (Cuiabá)

04

02

00

02

04

04

04

03º

Independente (Poxoréu)

04

01

01

02

03

05

03

CAMPEÃO – SINOP FUTEBOL CLUBE (SINOP)

Fonte – Livro “História do Campeonato Matogrossense 1936 – 2018”

 

 

J

PP

01º

MARÍTIMOS

16

07

02º

DOM BOSCO

16

07

03º

CORUMBAENSE

16

11

04º

GRÊMIO

16

12

05º

RIACHUELO

16

16

06º

13 DE JUNHO

16

17

07º

LADÁRIO

16

20

08º

JABAQUARA

16

22

FINAL

31.12.1961

MARÍTIMOS

6-2

DOM BOSCO

07.01.1962

DOM BOSCO

7-2

MARÍTIMOS

14.01.1962

MARÍTIMOS

2-1

DOM BOSCO

CAMPEÃO – MARÍTIMOS (CORUMBÁ)

Fonte: Jornal O Estado de Mato Grosso

 

Nome – Associação Atlética Uirapuru
Cidade – Cuiabá – MT
Fundação – 28 de março de 1974
Cores Oficiais – azul / branco
Histórico: O clube foi fundado na Universidade Federal de Mato Grosso, com objetivo de atender garotos da comunidade e suprir a demanda pelo esporte infanto-juvenil na cidade de Cuiabá, contribuindo desta forma diretamente na formação de cidadãos através da prática esportiva. Se aventurou no futebol profissional, disputando a segunda divisão mato-grossense em 1988.

Fonte: maurovallim.10

© 2019 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha