FONTE: Folha do Povo (MA)  

 

FONTE: Acervo de Gabriel Santos

 

O Codó Futebol Clube foi uma agremiação da cidade de Codó, que fica a 290 km da capital (São Luís) do estado do Maranhão. O Tricolor Codoense (nas cores azul, branco e vermelho) foi Fundado na segunda-feira, do dia 1º de Maio de 1995. A equipe mandava os seus jogos no Estádio Municipal Renné de Matos Bayma, com Capacidade para 12 mil pessoas, situado na cidade de Codó.

Na esfera profissional, o Codó Futebol Clube disputou apenas uma edição do Campeonato Maranhense da Primeira Divisão de 1996, organizado pela Federação Maranhense de Futebol (FMF). A competição contou com a participação de nove clubes.

Na primeira fase, onde as equipes se enfrentaram em turno e returno, o Codó fez ótima campanha, terminando na 4ª colocação, com 27 pontos (foram 16 jogos: oito vitórias, três empates e cinco derrotas, com 29 gols pró, 16 contra e um saldo positivo de 13).

Na segunda fase, os oito melhores foram divididos em dois grupos de quatro equipes, o Codó voltou a surpreender e terminou na liderança da sua chave: 10 pontos em seis jogos; três vitórias, um empate e suas derrotas; marcando oito gols, sofrendo quatro e um saldo de quatro.

Com isso, o clube avançou para o Quadrangular Final. Nessa fase, o Codó não foi bem e terminou em 4º lugar (cinco pontos, em seis jogos: uma vitória, dois empates e três derrotas; marcando cinco gols, sofreu nove e um saldo negativo de quatro). O campeão foi o Caxiense (10 pontos); o Sampaio Corrêa ficou com o Vice (nove pontos e três vitórias); enquanto o Moto Club foi o 3º colocado (nove pontos e duas vitórias).

Na sua primeira participação na Elite do Futebol Maranhense, o Codó Futebol Clube terminou na 4ª posição, na classificação geral: 42 pontos (foram 28 jogos: 12 vitórias, seis empates e 10 derrotas, com 42 gols pró, 29 contra e um saldo positivo de 13).

Apesar de ótima campanha, o Codó Futebol Clube se retirou das competições profissionais para não mais retornar. Apesar de uma só edição, o clube deixou saudades do povo codoense.

 

FOTO: Futebol Maranhense Antigo

FONTES: Rsssf Brasil – Wikipédia 

 

FONTES:  Blog do Mano Neto – Homero Queiroga 

 

FONTE: Revista Sportiva

 

 

FONTE: Revista Sportiva

 

FONTE: Revista Vida Sportiva 

 

FONTE: Revista Vida Sportiva 

 

FONTE: Revista Vida Sportiva 

 

18.08.1920
YOLE(PA) 2-1 FÊNIX(MA), em São Luís – MA
LUSO BRASILEIRO(MA) 2-0 VASCO DA GAMA(MA), em São Luís – MA

22.08.1920
LUSO BRASILEIRO(MA) 2-1 YOLE(PA), em São Luís – MA

CAMPEÃO – SPORT CLUB LUSO BRASILEIRO (SÃO LUÍS – MA)

Fonte: Vida Sportiva / RJ

 

O Cordino Esporte Clube é uma agremiação do Município de Barra do Corda (MA). Localizado a 462 km da capital de São Luís, a Barra do Corda conta com uma população de 86.662 habitantes, segundo o Censo do IBGE/2016Fundado na segunda-feira, do dia 08 de Março de 2010.

A sua Sede está situada na Avenida Eliezer Moreira, s/n – Centro – Barra do Corda. O Cordino manda os seus jogos no Estádio Leandro Cláudio da Silva, o ‘Leandrão’, com capacidade para 1.400 pessoas. A Seleção Municipal de Barra do Corda, inspirou o surgimento do Cordino E.C., que disputava o “Copão Maranhão do Sul”, torneio intermunicipal da região.

Entusiasmados, os dirigentes e a prefeitura resolveram profissionalizar a equipe, pagando todas as taxas junto à FMF (Federação Maranhense de Futebol) e o primeiro torneio que participou foi na Segunda Divisão Maranhense de 2010. A sua principal contratação para o restante do Campeonato Maranhense foi o meio campista Leonardo Lucena.

Naquele ano, conquistou o vice-campeonato, e, conseqüentemente, o acesso para a Elite do Futebol Maranhense. De lá pra cá, são sete participações no Campeonato Maranhense da 1ª Divisão. Em 2011, terminou na 5ª colocação; já em 2012, ficou na 8ª posição. Em 2013, fechou em 5º lugar; enquanto em 2014 terminou na 4ª posição. Em 2015, ficou em 7º lugar e no ano seguinte (2016), acabou na 4ª colocação.

A melhor campanha aconteceu este ano (2017), quando o Cordino conquistou seu primeiro título em 2017, valendo a Taça do 1º Turno do Campeonato Maranhense de Futebol. O clube terminou em 1º lugar no Grupo B, que contou também com o Maranhão, Moto Club e Americano de Bacabal. Foram seis jogos, com três vitórias, dois empates e uma derrota; marcando 10 gols e sofrendo apenas três.

Nas semifinais, o Cordino venceu o São José, de Ribamar por 2 a 1. Na decisão, empatou, em casa, em 0 a 0, diante da Sociedade Imperatriz de Desportos. Contudo, no jogo da volta, derrotou o adversário, fora de casa, pelo placar de 2 a 1, conquistando o inédito título.

No 2º Turno, o Cordino seguiu mostrando as suas garras, ao terminar na vice-liderança do Grupo B: foram quatro jogos, com uma vitória, um empate e duas derrotas; assinalando quatro gols e sofrendo seis. Na fase semifinal, bateu o Santa Quitéria, fora dos seus domínios, por 1 a 0, avançando para a final. Diante do Sampaio Corrêa, o Cordino não conseguiu superá-lo. Empate no Estádio Leandrão em 1 a 1, e na volta acabou goleado por 4 a 1, no Estádio João Castelo, o Castelão, em  São Luís.

Assim, Sampaio Corrêa e Cordino decidiram o título do Campeonato Maranhense da 1ª Divisão de 2017, em dois jogos. Na primeira partida, às 16 horas, realizada na quinta-feira, do dia 15 de junho, no Estádio Castelão, o Sampaio Corrêa suou para derrotar o Cordino por 2 a 1.

No jogo da volta, na quinta-feira, do dia 29 de junho, às 20h15, o Cordino mandou o jogo no Estádio Frei Epifânio, na cidade de Imperatriz. O Cordino abriu o placar logo aos 2 minutos de jogo, com um gol contra de Fredson. Esse resultado daria o título. Porém, o sonho não durou muito, já que sete minutos depois Isac empatou a peleja. E, aos 39 minutos da etapa inicial, Da Silva acabou marcando contra o próprio patrimônio, colocando o Sampaio em vantagem.

No segundo tempo, o Sampaio só não ampliou, porque o goleiro Eduardo Alves defendeu um pênalti cobrado por Isac aos 13 minutos. Fim de jogo, o Sampaio venceu por 2 a 1, se sagrando campeão. Porém, para o Cordino o vice-campeonato maranhense também foi muito festejado.

O Cordino disputou o Campeonato Brasileiro da Série D, de 2017. Ficou no Grupo A4, juntamente com o Santos (AP), Altos (PI) e Tocantins (TO). No entanto, terminou na 3ª posição e acabou eliminado: foram seis jogos, com duas vitórias, um empate e três derrotas; marcando cinco gols e sofrendo nove.

Hino do Cordino Esporte Clube

 “Canta meu Cordino Esporte Clube 

Canta com amor a tua glória 

Canta com a tua voz altaneira

Que a tua bandeira bem alto tremula

No Pavilhão da vitória 

Enfrentarás lutando pelo teu valor

E vencerás com honra, glória e ardor

Quer na paz, quer na luta, vencerás! 

Salve Cordino Esporte Clube!

No ritmo de luz e amor” 

Hino do Cordino Esporte Clube

FONTES: GloboEsporte.com - Wikipédia – Barra do Corda News

FOTO: Ivan Silva

 

FOTO: Acervo de Marcelão, Marcelo Santos, ex-goleiro da Cabofriense

 

O escudo está em cinza e branco pois não sei as cores.

Montagem com escudo sobre foto da revista “Para Todos (RJ)”.

 

Em mais de 50 anos de competições sul-americanas oficiais, foram 28 participações de 9 times da região dos estados de Pernaqmbuco, Bahia, Maranhão, Ceara, Alagoas e Rio Grande do Norte.

Três torneios já contaram com representantes do Nordeste. Além da Libertadores (cuja vaga é a mais difícil) e da extinta Copa Conmebol, a Sul-Americana veio para suprir a demanda por disputas do tipo.

Em relação ao desempenho, o máximo alcançado foi a final, uma vez no ano de 1999, no último ano da Copa Conmebol, o CSA-AL  decidiu o título contra os argentinos do Talleres, perdendo com um gol aos 45 do segundo tempo. O time alagoano se aproveitou da vaga aberta à Copa do Nordeste, uma vez que o Vitória, campeão daquela regional, declinou do convite, o vice, Bahia, e o terceiro colocado, Sport, também. Na quarta posição, o alviazulino de Maceió topou e fez história.

Taça Libertadores da América
1960 – Bahia (quartas de final, 1ª fase – 2 jogos)
1964 – Bahia (pré-libertadores, 1ª fase – 2 jogos)
1968 – Náutico (fase de grupos, 1ª fase – 6 jogos)
1988 – Sport (fase de grupos, 1ª fase – 6 jogos)
1989 – Bahia (quartas de final, 3ª fase – 10 jogos)
2009 – Sport (oitavas de final, 3ª fase – 8 jogos)
Ranking de participações (6): Bahia 3; Sport 2; Náutico 1

Copa Conmebol
1994 – Vitória (oitavas de final, 1ª fase – 2 jogos)
1995 – Ceará (oitavas de final, 1ª fase – 2 jogos)
1997 – Vitória (quartas de final, 3ª fase – 4 jogos)
1998 – América-RN (oitavas de final, 1ª fase – 2 jogos)
1998 – Sampaio Corrêa (semifinal, 3ª fase – 6 jogos)
1999 – CSA (vice-campeão, 4ª fase – 8 jogos)
Ranking de participações (6): Vitória 2; Ceará, América-RN, Sampaio Corrêa e CSA 1

Copa Sul-Americana
2009 – Vitória (oitavas de final, 2ª fase – 4 jogos)
2010 – Vitória (fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2011 – Ceará (fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2012 – Bahia (fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2013 – Sport (oitavas de final, 3ª fase – 4 jogos)
2013 – Bahia (oitavas de final, 3ª fase – 4 jogos)
2013 – Vitória (fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2013 – Náutico (fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2014 – Bahia (oitavas de final, 3ª fase – 4 jogos)
2014 – Vitória (oitavas de final, 3ª fase – 4 jogos)
2014 – Sport (fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2015 – Sport (oitavas de final, 3ª fase – 4 jogos)
2015 – Bahia (fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2016 – Santa Cruz (oitavas de final, 3ª fase – 4 jogos)
2016 – Sport (fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2016 – Vitória (fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2017 – Sport (em andamento)
Ranking de participações (17): Vitória e Sport 5; Bahia 4; Ceará, Náutico e Santa 1

 

Ranking de participações dos nordestinos (ate 2017)

7 – Bahia, Vitória e Sport
2 – Náutico e Ceará
1 – Sampaio Corrêa, América-RN, CSA e Santa Cruz

 

fonte: parte do diario de pernambuco (blog do cassios)

 


FONTE: Revista Placar

 

O Tupan Sport Club foi uma agremiação da cidade de São Luís (MA). Fundado na quinta-feira, do dia 21 de Agosto de 1924, por esportistas do bairro da praia do caju, juntamente com dissidentes do antigo Tupi Football Club.

A sua Sede localizada na Avenida Beira Mar, s/n, Centro. O clube também teve outra sede na Rua João Vital, nº 194 / 1º andar, também no Centro de São Luís. As suas cores eram o vermelho, azul e branco.

O Tupan mandava os seus jogos no Estádio Santa Isabel (propriedade da Cia Fabril Maranhense), com Capacidade para 5 mil pessoas. No Campeonato Maranhense da 1ª Divisão, o clube possui três títulos: 1932, 1935 e 1938. O Tupan Sport Club existiu até 1957, quando fechou as portas.

FONTE: Pesquisador do futebol pernambucano, Luciano da Silva

 

 

O Sport Club Sírio Brasileiro foi uma agremiação da cidade de São Luís (MA). O Tricolor (verde, branco  vermelho) foi Fundado na sexta-feira, do dia 08 de Abril de 1927, por integrantes da Colônia Sírio-Libanesa do Maranhão juntamente com dissidentes do Sport Club Luso Brasileiro, liderados por membros das famílias Sirio-Libanesas, Heluy, Baueres, Duailibe e Nazar, residentes na capital de São Luis.

A sua Sede ficava localizada na Rua do Apicum, s/n, no Centro de São Luís. O Sírio Brasileiro mandava os seus jogos no Estádio Parque Esportivo (propriedade do Sport Club Luso Brasileiro), da Rua do Passeio, com Capacidade para 3 mil pessoas. Ao longo das oito temporadas de existência, o momento ápice do Sport Club Sírio Brasileiro ocorreu em 1930, quando se sagrou campeão do Campeonato Maranhense da 1ª Divisão. Em 1935, o clube fechou às portas.

 

FONTE:  Pesquisador do futebol pernambucano, Luciano da Silva

 

FONTE: Revista Placar

 

 

FONTE: Revista Placar

 

FONTE: Revista Placar

 

FONTE: Revista Placar

 

FONTE: Revista Placar

 

Ferroviário Esporte Clube é um clube de futebol da cidade de São Luís, no estado do MaranhãoBrasil. Foi fundado em 1941por funcionários da Estrada de Ferro São Luís-Teresina, tendo como cores oficiais o vermelho, verde e branco. Somente a partir de 1954 a equipe resolveu participar dos campeonatos oficiais da Federação Maranhense de Futebol.

Foi o primeiro time maranhense a participar de uma competição nacional de clubes: a Taça Brasil de Futebol de 1959, competição essa reconhecida hoje como um Brasileirão. Dos clubes em atividade no futebol maranhense, o Ferroviário está atrás apenas dos três grandes, na ordem Sampaio CorrêaMoto Club e Maranhão em número de campeonatos estaduais, sendo campeão maranhense 4 vezes.

Títulos

Estaduais

Destaques

FONTES: Wikipédia – Revista Placar
 

 

FONTE: Revista Placar

 

FONTES: Mercado Livre – Revista Placar

 

FONTES: Mercado Livre – Revista Placar

 

Comemoração do atacante Dermílson,do Nacional de Manaus, no gol da vitória do time manauara sobre o Maranhão Atlético Clube, de São Luís. O jogo foi realizado no Parque Amazonense, no dia 12 de Janeiro de 1964.O Maranhão fazia uma excursão pelo Amazonas e seu último jogo foi contra o Nacional que ganhou dos Maranhenses por 1 x 0.

 

FONTES: jornal Diário da Tarde – Gaspar Vieira Neto

 


FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

O Bangu Atlético Clube (RJ) excursionou, no mês de janeiro de 1949, pelo Nordeste. Realizou três jogos cada, em Fortaleza (CE), São Luís (MA ) e Recife (PE). Ao todo, foram nove jogos, com seis vitórias, dois empates e uma derrota; marcando 25 gols (média de 2,8 gols por partida), sofrendo 14 (média de 1,6 gols por partida), com saldo de 11.

Fortaleza (CE)

Fortaleza (CE)                     2          x          5          Bangu

Ferroviário (CE)                   0          x          3          Bangu

Ceará (CE)                           3          x          4          Bangu

São Luís (MA)

Sampaio Corrêa (MA)        2          x          2          Bangu

Moto Club (MA)                   1          x          0          Bangu

Sampaio Corrêa (MA)        2          x          4          Bangu

Recife (PE)

Sport Recife (PE)                1          x          3          Bangu

Náutico (PE)                        2          x          2          Bangu

Santa Cruz (PE)                  1          x          2          Bangu

FONTE: Revista Sport Ilustrado

© 2017 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha