Rio Branco Atlético Clube – Vitória (ES) – campeão capixaba de 1975

 

FONTE: Revista Placar

 

 
DATA: 23 DE JULHO DE 1944
LOCAL: VITÓRIA - ES

1º JOGO	SANTO ANTÔNIO	1-0	RIO BRANCO
2º JOGO	AMÉRICA 	1-0	AMERICANO
3º JOGO	VITÓRIA 	2-0	CAXIAS
4º JOGO	SANTO ANTÔNIO	0-0	AMÉRICA (1-0 ESC)
FINAL	VITÓRIA 	0-0	SANTO ANTÔNIO (2-0 ESC)

# CAMPEÃO - VITÓRIA FUTEBOL CLUBE (VITÓRIA - ES)

Fonte: Jornal dos Sports / RJ
 

A Associação de Esportes Apollo XIII Futebol Clube é uma agremiação da cidade de Marechal Floriano (ES). Fundado no Sábado, do dia 26 de Julho de 1975. A sua Sede e o Estádio Edmundo Rupf ficam situados na Rua Emílio Gustavo Hulle, s/n, no Centro de Marechal Floriano.

Segundo a reportagem do GloboEsporte.com o clube da Região Serrana está reformando o seu estádio para debutar na esfera profissional. O objetivo é estar presente no Campeonato Capixaba da Série B do próximo ano de 2019. Abaixo a matéria na íntegra:

“Com nome de missão espacial, mas com um planejamento inicial bem “pés no chão”, mais um time amador deseja entrar para o profissionalismo e disputar a Série B do Capixabão em 2019. Trata-se do Apollo XIII Futebol Clube, de Marechal Floriano. A equipe tem 43 anos de história no futebol da região serrana do Espírito Santo, e por enquanto só disputou competições amadoras, mas tendo um foguete no escudo, a equipe deseja “decolar” no profissionalismo a partir do ano que vem.

De acordo com o vice-presidente do Apollo XIII, Felipe Delpuppo, o clube já fez os primeiros contatos com a Federação de Futebol do Espírito Santo (FES), em busca de informações sobre taxas de filiação, condições do estádio para atuar como mandante e datas gerais das competições no estado.

Mas a principal meta imediata da equipe é a conclusão de uma arquibancada do estádio Edmundo Rupf, em Marechal Floriano. Atualmente, a praça esportiva tem capacidade para 800 pessoas, mas a ideia da diretoria é ampliar para 3000 espectadores sentados. Segundo o dirigente, que aproveitou pra dar uma “cornetada” em alguns times profissionais, ter um local fixo e próprio para jogos ajuda o time a criar uma fidelidade com os torcedores.

Estádio Edmundo Rupf, em Marechal Floriano, está passando por reformas para ser a casa do Apollo XII na Série B do Capixabão em 2019 (Foto: Divulgação/Apollo XIII)Estádio Edmundo Rupf, em Marechal Floriano, está passando por reformas para ser a casa do Apollo XII na Série B do Capixabão em 2019 (Foto: Divulgação/Apollo XIII)

Estádio Edmundo Rupf, em Marechal Floriano, está passando por reformas para ser a casa do Apollo XII na Série B do Capixabão em 2019 (Foto: Divulgação/Apollo XIII)

- Aqui temos a festa da cidade, a Italemanha, onde arrecadamos muito, e além disso temos empresários que são parcerios do clube. Temos o dinheiro em caixa e o valor pra filiar é de 108 mil reais. O nosso maior problema agora são as obras de conclusão do nosso estádio para 3000 pessoas. Estamos com 50% das obras concluídas. Sabemos que a capacidade mínima é de 1000 lugares, mas queremos deixar pronto desde já. Se Deus quiser até dezembro a gente termina. O maior erro dos clubes capixabas é entrar sem ter uma “casa”, uma identidade não é criada – afirmou.

A equipe já teve em suas fileiras vários jogadores do futebol profissional capixaba, como os zagueiros Rafael Olioza, Marco Antônio e Rhayne, os laterais Wallace e Victor Hugo, o volante Caetano, os meias Mádisson e os atacantes Weltinho, Hércules e Eraldo, além dos goleiros Giovani Perim e Wellington (futebol 7).

Apollo XIII já contou com vários atletas profissionais, como Hércules, Rhayne, Eraldo, Marco Antônio, Wallace, Rafael Olioza, Weltinho e Mádisson (Foto: Divulgação/Apollo XIII)Apollo XIII já contou com vários atletas profissionais, como Hércules, Rhayne, Eraldo, Marco Antônio, Wallace, Rafael Olioza, Weltinho e Mádisson (Foto: Divulgação/Apollo XIII)

Apollo XIII já contou com vários atletas profissionais, como Hércules, Rhayne, Eraldo, Marco Antônio, Wallace, Rafael Olioza, Weltinho e Mádisson (Foto: Divulgação/Apollo XIII)

A Série B do Capixabão deste ano ainda está nas semifinais, mas no que depender do Apollo XIII, os times que perderem e ficarem na Segundinha em 2019 terão um adversário com seus passos minimamente calculados.

- Estamos focados na conclusão da arquibancada e depois disso iremos entrar no arbitral da Série B de 2019. A montagem do elenco vai passar exclusivamente pelo treinador e sua comissão, e a definição disso deve ser em novembro. A nossa pré-temporada deve começar no início do próximo ano.

 Porque o futebol profissional?

 

O ano de 2018 está sendo emblemático na questão de gestão esportiva dos clubes capixabas. Enquanto alguns times optam por atuar por apenas um semestre (ou três meses, no caso do Rio Branco-ES), e convivem com dificuldades financeira para honrar compromissos com atletas e comissões técnicas, o Apollo XIII vai na contramão de agremiações tradicionais.

O que parece ser uma “aventura” tem questões emocionais e até inspiração num possível “rival regional”. Felipe Delpuppo é taxativo e até “romântico” sobre os motivos que levam a equipe de Marechal Floriano a deixar o amadorismo e ingressar no futebol profissional.

- É um sonho antigo da diretoria e da cidade de Marechal Floriano, que gosta de esporte e com certeza irá nos apoiar, mas ainda não tivemos conversas com a prefeitura local a respeito. Nos inspiramos no Rio Branco de Venda Nova e no Real Noroeste, mas com pés no chão”.

FONTES: GloboEsporte.com – Página do clube no Facebook

 

 

 

FONTE: Mercado Livre

 

O Doze Futebol Clube é uma agremiação da cidade de Vitória (ES). A sua Sede está localizada na Rua Eugênio Netto, nº 488 / Sala 502 – Praia do Canto, em Vitória. Fundado na terça-feira, do dia 18 de Novembro de 2014, por um grupo de empresários liderados por Israel Levi, com intuito de aplicar um novo formato de gestão e entretenimento no futebol brasileiro, o Crowdmanaging.

Com o formato de gestão dos clubes brasileiros e como os torcedores são tratados pelos mesmos, Israel Levi iniciou em 2012 estudos para desenvolver um novo método de gestão que potencializasse os resultados e tivesse maior participação do principal interessado no futebol: o torcedor.

Após alguns anos de pesquisas e aperfeiçoamento do projeto junto a universidades americanas, Israel chegou ao modelo que ele próprio intitulou de Crowdmanaging. Com o conceito idealizado e um projeto que promete revolucionar a forma de fazer futebol, Israel começou sua peregrinação para testar a ideia. Após apresentar a alguns amigos, empresários de diversos setores, e ter imediata aderência, chegou a hora de colocar em prática e tirar o Doze do papel.

Começava, então, uma nova etapa, a busca de parceiros para a execução do projeto. O primeiro contrato foi fechado em 13 de outubro de 2014 com a empresa de marketing esportivo Serápis Bey Sports & Marketing (ou SB Sports como é mais conhecida), que desde então é responsável por todo o planejamento e gestão do departamento de marketing e comercial do clube.

A SB Sports iniciou os trabalhos imediatamente, desenvolvendo da marca (escudo), identidade visual e buscando patrocinadores e parceiros para o clube, fechando os primeiros contratos com a Ícone Sports – para fornecimento todo o material esportivo para as duas primeiras temporadas do Doze – e com o Hotel Fazenda China Park – que será o Centro de Treinamento da equipe. Outro importante contrato fechado foi com Costa & Martins Advogados Associados, responsável por toda parte jurídica do clube.

Após a filiação na Federação de Futebol do Estado do Espírito Santo (FES) e confirmar a participação no Campeonato Capixaba da Série B, o clube começou a organizar o departamento de futebol e a busca por atletas para formação do primeiro time profissional.

Os primeiros jogadores anunciados pelo Doze Futebol Clube foram o zagueiro Irineu e o volante Rildo. Pouco depois, o ex-atacante Sorato e o ex-goleiro Carlos Germano foram confirmados como técnico e auxiliar-técnico, respectivamente. Outro nome de peso contratado foi o experiente volante Jonílson.

Acesso à Série A

No primeiro jogo oficial da sua história, o Doze Futebol Clube venceu o Grêmio Laranjeiras (GEL) por 1 a 0, no Estádio Salvador Costa, em Vitória, pela Série B do Campeonato Capixaba de 2015. O volante Luan, de pênalti, aos 31 minutos do primeiro tempo, marcou o primeiro gol da história do clube.

No primeiro ano de existência, o Doze conquistou o acesso para o Campeonato Capixaba da Série A, com uma rodada de antecedência no quadrangular final, após vencer o GEL, por 3 a 0 (gols de William Chrispim, Diego Godinho e Danilo Silva). O clube terminou o campeonato com o vice-campeão.

No Capixabão de 2016 faz uma campanha irregular no Grupo Sul e disputa o Quadrangular do Rebaixamento.  No “Quadrangular da Morte“, o Doze garante-se na Série A de 2017.

 

Vice-campeão da Série A

Em 2017, o clube treina na cidade de Marataízes no sul do estado e manda seus jogos no Campeonato Capixaba no Estádio José Olívio Soares em Itapemirim. Na primeira fase, classifica-se às semifinais com a segunda colocação.

O Doze elimina o Espírito Santo nas semifinais com dois empates em 0 a 0 por tem melhor campanha que o seu adversário e alcança a final pela primeira vez na sua história. O clube é derrotado pelo Atlético Itapemirim no segundo jogo da final por 2 a 1 no Estádio Sumaré em Cachoeiro de Itapemirim e termina com o vice-campeonato inédito.

 

Associados

Até o momento, o Doze Futebol Clube tem pouco mais de cem sócios-diretores, que decidem como e onde investir, deliberando inclusive sobre as contratações.

 

Campanhas de destaque

• Vice-campeão Capixaba: 2017

• vice-campeão Capixaba – Série B: 2015

 

Escudo

O Doze escolheu o pássaro para integrar o escudo do time, símbolo máximo, pois na natureza é o animal que melhor representa o conceito de Crowdmanaging. Pois, embora tenham autonomia limitada de voo quando sozinhos, ao adotarem o sistema de voo em bando no formato “V” eles conseguem alcançar maiores distâncias e velocidade.

Além disso, não há a figura de um líder permanente e sim um revezamento entre os pássaros na liderança do bando para maior desempenho. O escudo ainda conta com o nome da equipe (Doze FC) na parte superior e um número “12″ na parte inferior.

 

FONTES: Wikipédia – Federação de Futebol do Estado do Espírito Santo (FES) – Site do Doze F.C. – Página do clube no Facebook

 

 

© 2019 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha