Em 1981, um resultado inacreditável derrubou as apostas da loteria esportiva no Brasil inteiro.

A zebra foi tão impressionante que deve ter surpreendido até a zebrinha do Fantástico, que anunciava os 13 resultados da loteria esportiva no programa Global, entre os anos 70 e 80.

Esse é o tipo do jogo que nem o próprio torcedor do Brasília teria coragem de apostar em uma vitória do colorado candango.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para entender melhor essa zebra que entrou pra história, devemos compreender a situação das duas equipes naquele grupo B da Taça de Ouro da Copa Brasil – equivalente a uma das fases do Brasileirão de 1981.

Parecia que o Grêmio venceria com enorme facilidade, pois fazia 14 jogos que o tricolor, atual campeão gaúcho, não perdia no Olímpico.

O Brasília, que tinha no uniforme as cores do rival gremista, chegou com uma campanha ruim e sem nenhuma expressão nacional, tendo apenas seis anos de existência. Além disso não tinha campo para treinar, os salários eram baixos e a infra-estrutura da equipe era precária.

Logo aos 40 segundos de partida, Tarcísio abriu o placar para os gaúchos.

E devido ao domínio dos gremistas ninguém imaginava nada diferente de uma goleada dos gaúchos.

A classificação gremista estava praticamente garantida, enquanto para o Brasília isso só aconteceria se a equipe do planalto central vencesse o Grêmio e o Goiás.

Nem a própria torcida esperava isso, depois das várias derrotas na competição e do fato do time chegar desfalcado para o confronto em Porto Alegre.

Mesmo assim, com tudo e todos contra, em 3 minutos os atletas do Brasília fizeram um estrago inimaginnavel.

No despretensioso chutão de Aluísio, aos 23, que surpreendeu Leão, começou o pesadelo gremista.

Aos 25 Vander concretizou a virada absurda até então.

O Grêmio ainda empatou o jogo aos 39, com um gol irregular de Dirceu, completamente impedido.

Para os que acharam que a camisa do Grêmio pesaria na decisão do juiz, a atitude precisa do árbitro Iolandro Rodrigues ao anular o gol, foi o justo e derradeiro ponto final desse surpreende episódio do futebol brasileiro.

 

 

 

 

 

 

Essa vitória por 2×1 foi o maior feito da história do Brasília E. C. que quatro dias depois perdeu de 1×0 para o Goiás e foi eliminado do Brasileirão daquele ano.

Essa vitória totalmente fora de órbita não atrapalhou o Grêmio, que seguiu em frente e foi campeão nacional de 1981.

A proporção daquele episódio pode ser melhor compreendida quando se vê as matérias do Correio Brasiliense sobre a partida.

O Brasília com o passar dos anos caiu no ostracismo e mergulhou numa crise administrativa, que nem o fato de ter se tornado o clube-empresa privado do Brasil, conseguiu amenizar.

Maus resultados, prejuízos e dívidas levaram o time a interromper as atividades profissionais em 2005.

Um ano depois o time ressurgiu das cinzas e com seis anos de luta saiu da terceira divisão do DF para a primeira divisão, sendo premiado com o vice campeonato estadual de 2009 e uma participação na série D do Campeonato Brasileiro e na Copa do Brasil.

A vitória que não valeu muita coisa para o Brasília no campeonato daquele ano, tornou-se inesquecível para sua torcida e para todos aqueles que marcaram coluna um naquele fatídico jogo da loteria esportiva.

Grêmio 1 x 2 Brasília
Grêmio: Leão, Dirceu, De Leon, Vantuir, Uchôa; China, Renato Sá (Vilson Tadei), Paulo Isidoro; Baltazar (Heber), Odair e Tarciso. Técnico: Ênio Andrade.
Brasília: Deo, Luisinho, Foca, Mario, Zé Mario (Ricardo); Alencar, Marco Antônio, Vander; Afonso, Aluísio (Paulinho) e Willian. Técnico:Alaor Capela.
Gols: Tarcísio aos 40seg; Aluísio aos 23 e Vander aos 25 do 2º tempo
Cartões amarelos: Deo (Brasília).
Estádio: Olímpico de Porto Alegre (RS).
Data: 15/02/1981.
Árbitro: Iolando Rodrigues (SC)

Fontes: “Quando a zebra entra em campo” e  globoesporte.com

 

 

FONTE: Almanaque do Futebol Brasiliense

 

 

Em pé, da esquerda para a direita: treinador Brandão, Chicão, Ivan, Jucy, Sir Perez, Oliveira, Índio e Adolfo Rizza.

Agachados, na mesma ordem: Massagista Anísio, Gilson, Cid, Baiano, Paulista e Zezé.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

 

Sobradinho Esporte Clube é uma agremiação da cidade de Sobradinho (DF). O ‘Leão da Serra’ foi Fundado no dia 1º de Janeiro de 1975. A sua Sede fica localizada na Área Especial 1 Setor das Industrias de Sobradinho – Sala 208, em Sobradinho. O seu Estádio é o Augustinho Lima, com Capacidade para 10 mil pessoas. Atualmente disputa o Campeonato Candango da 1ª Divisão.

HISTÓRIA

Um grupo de três operários de uma companhia ferroviária do bairro paulistano do Bom Retiro decidiu criar um time de futebol. Eram os pintores de parede Rodrigo Luiz e seu irmão Leonardo Luiz, além do trabalhador braçal Lessy e mais oito pessoas que contribuíram com dinheiro e também foram consideradas sócios-fundadores.

A ideia surgiu depois de assistirem à atuação do Corinthians. No livro Arquivos do Futebol Brasiliense, pesquisado e organizado pelo amigo e membro José Ricardo Almeida, consta que na disputa do campeonato de 1961, a equipe do Sobradinho Esporte Clube era uma das oito participantes, entre clubes como o Clube de Regatas Guará (do Guará)Defelê Futebol Clube (de Brasília, hoje extinto) e Rabello Futebol Clube (de Brasília, também extinto).

Antes da profissionalização, o time, na condição de amador e com muitas dificuldades financeiras, oscilava nas poucas competições regionais que disputava, já que não contava com apoio. Com a profissionalização do futebol do Distrito Federal, o clube passou a adotar como data de (re)fundação o dia 1 de janeiro de 1975.

O Estádio Olímpico de Sobradinho (Augustinho Lima), com capacidade para 15 mil torcedores, foi inaugurado em 13 de maio de 1978, num amistoso entre Sobradinho e Santos, vencido pelos visitantes pelo placar de 3 a 0, sendo o primeiro gol no novo estádio marcado por Aílton Lira.

O primeiro título do Sobradinho foi conquistado em 1 de dezembro de 1985, contra uma das mais fortes equipes do Distrito Federal na época, o hoje extinto Taguatinga Esporte Clube, em pleno Serejão, para um público aproximado de vinte mil torcedores, entre pagantes e não pagantes. O placar foi de 2 a 0 para o Leão da Serra, com gols de Artur e Toni. Toni foi o artilheiro do campeonato com 17 gols.

Em março de 1996 o clube passou a se chamar Botafogo Sobradinho Esporte Clube, em parceria com o Botafogo do Rio de Janeiro. O projeto de transformar o Sobradinho em sucursal do Botafogo surgiu de conversas entre o advogado Délio Cardoso e o presidente do Botafogo, Carlos Augusto Montenegro.

Botafoguense, Délio acompanhou vários jogos do Campeonato Brasileiro de 1995, a convite da diretoria. Nas conversas, os dois tentaram entender as razões do pouco prestígio do futebol do Distrito Federal. “Chegamos à conclusão de que a capital é uma cidade jovem que não tem uma cultura própria de futebol”, afirmava Délio Cardoso. “A vantagem para nós é que podemos manter em atividade todos os jogadores do elenco, dar oportunidade aos que estão saindo dos juniores e ainda podemos garimpar novos talentos“, diz Montenegro.

A parceria rendeu ao Sobradinho a 3ª colocação nos campeonatos de 96 e 97. Após um pequeno período, o Sobradinho voltou a usar o seu nome original ainda em 1997. O atacante Dimba foi o artilheiro do Campeonato Brasiliense de 1996 jogando pelo Sobradinho. 

FONTES & FOTOS: Wikipédia Página do clube no Facebook 

 

O CFZ (Centro de Futebol Zico) de Brasília é uma agremiação da cidade de Brasília (DF). O clube está sediado na SIA Quadra 3C, lote 24, sala 101, em Brasília. Fundado no domingo, do dia 1º de Agosto de 1999, pelo ex-jogador Zico, uma espécie de “filial” do CFZ do Rio, outro clube de propriedade do ‘Galinho de Quintino’.

Diferentemente do que ocorre com as associações esportivas tradicionais, cuja fundação é marcada pela assinatura de uma ata, um clube-empresa passa a existir na data em que é registrado seu contrato social. O CFZ de Brasília entrou em atividade dessa forma, nos moldes da lei que tem a assinatura de Zico.

O grande objetivo do Galinho com a criação de um clube era dar continuidade ao trabalho das escolinhas de seu Centro de Futebol, proporcionando aos jovens a possibilidade de competir. Foram formadas equipes nas cinco principais categorias: mirim, infantil, juvenil, juniores e profissionais. Além do futebol feminino que chegou ao tetra estadual (2000, 2001, 2002 e 2003).

Durante a década de 90 teve um centro de treinamento em Campo Mourão, que depois foi adquirido pela ADAP. Sem obstáculos políticos, o time profissional masculino chegou rapidamente à Primeira Divisão e, em 2002, atingiu o ponto máximo em Brasília ao conquistar o título do Campeonato Candango da 1ª Divisão com uma campanha invicta: 19 vitórias e sete empates.

Na época o artilheiro Tiano, um jogador de extrema habilidade, era um dos principais nomes da equipe. Ele já fez três gols de trás do meio campo. Sua especialidade era a bola parada. A conquista valeu uma vaga na Copa do Brasil 2003 e garantiu a classificação para o Brasileiro da Série C.

Na Terceirona, o time comandado por Reinaldo Gueldine foi até a quarta fase, quando acabou eliminado no mata-mata. No ano seguinte, disputou novamente as duas competições nacionais.

Depois de ser rebaixado para a 2ª Divisão do campeonato local em 2006, acabou novamente rebaixado em 2007. Em 2008 o time disputou a 3ª Divisão do Campeonato Brasiliense de Futebol e conseguiu o acesso. Em 2010, obteve o título da 2ª divisão do Campeonato Brasiliense de Futebol, Conseguindo assim o acesso para a divisão principal.

Ainda em 2010 o trabalho realizado pelo CFZ de Brasília, como equipe formadora, começou a ganhar destaque no cenário nacional e internacional. A equipe sub 19 do clube, fez a melhor campanha da história de um clube brasiliense na Taça São Paulo de Juniores, ficando em 5º lugar, entre 96 participantes, tendo ainda deixado a competição de forma invicta.

 

FONTES: Site do clube – Wikipédia – Correio Brasiliense

 

O Legião Futebol Clube é uma agremiação da cidade de Brasília (DF). O Legião foi Fundado em 2001, como uma equipe amadora, sendo originário do projeto social Legião de Craques, voltado para crianças de baixa renda. Profissionalizou-se em 11 de Maio de 2006. O nome da agremiação é em homenagem à banda Legião Urbanaformação original: Renato Russo (vocalista e baixista), Marcelo Bonfá (baterista), Paulo Paulista (tecladista) e Eduardo Paraná (guitarrista).

Em seu primeiro ano como profissional, em 2006, o Legião ganhou o seu 1º título, o Campeonato Brasiliense da Terceira Divisão, derrotando na final o tradicional Brasília. No ano seguinte (2007), foi vice-campeão do Campeonato Brasiliense da Segunda Divisão, perdendo na final para o Brazilândia, mas ascendendo, mesmo assim, à Primeira Divisão em 2008.

Elite e Queda

O Legião disputou em 2008 pela primeira vez na elite do futebol candango, a equipe conseguiu permanecer na Primeira Divisão, ficando na 6ª colocação. O Ceilândia, segundo melhor classificado, desistiu da vaga a Série C, que passou para o Brazlândia. Como o Brazlândia também desistiu, a vaga acabou com o Legião.

Com isso a equipe disputou em 2008 pela primeira vez o Campeonato Brasileiro da Série C. A equipe foi eliminada na primeira fase, ficando em último lugar no grupo que também tinha o Esporte Clube Dom Pedro II, também de Brasília, o Anápolis Futebol Clube, de Anápolis, e o Itumbiara Esporte Clube, de Itumbiara.

Em 2009, a equipe não conseguiu se manter, ficando em sétimo lugar e sendo rebaixado para o Campeonato Brasiliense da Segunda Divisão. Em 2010, a equipe ficou em sétimo lugar na Segundona, não conseguindo retornar para a primeira divisão.

Retorno e Novo Rebaixamento

Diferentemente das outras temporadas, no Campeonato Brasiliense da Segunda Divisão de 2011, seis equipes subiram para disputar a elite do futebol candango no ano seguinte. Com isso, com a quarta colocação, a equipe conquistou o acesso. A equipe permaneceu na Primeirona durante os anos de 2012 e 2013, caindo novamente em 2014.

Clássico do Rock: Legião x Capital

O confronto entre o Legião e o Capital é considerado como o clássico do rock, pela alusão a duas das principais bandas de rock brasilienses, o Legião Urbana e o Capital Inicial. Apesar da origem do nome do capital ser pelo fato do clube estar localizada na capital federal.

 

FONTES: Wikipédia – Mercado Livre  

 

O mais novo integrante na esfera profissional do futebol Candango é o Clube Desportivo Futebol UnB (Universidade de Brasília). Em parceria com o Capital Futebol Clube, o CDF UnB disputará o Campeonato Candango da Segunda Divisão de 2017. A estreia está marcada para a quarta-feira, do dia 12 de julho, às 15h30, quando receberá o Brazilândia.

 

FONTES: Página do clube no Facebook – Federação de Futebol do Distrito Federal (FFDF) – Homero Queiroga 

 

 

O Samambaia Futebol Clube é uma agremiação da Região administrativa de Samambaia (DF). Foi fundado no dia 29 de Janeiro de 1993. O Samambaia estreou profissionalmente em 1995. O clube tem no escudo uma samambaia, além de ser um dos times mais pobres do Distrito Federal. O rebaixamento para a Segunda Divisão, em 1996, fez com que a situação, que já era ruim, piorar com o decorrer dos anos.

Em 1999 a grande promessa do Futebol candango Ivanildo Alves que veio das categorias de base do Gama e iria atuar na equipe profissional do Samambaia para a disputa do campeonato acabou sumindo conhecido como Noca o Jogador foi encontrado meses depois as paginas policiais preso por pratica de assalto dando um fim em sua carreira esportiva condenado a 5 anos de Detenção no artigo 157.

Tendo amargado a lanterna do torneio em 2001, colecionou dívidas astronômicas, fazendo com que o clube chegasse a ficar sem estádio, pois o Rorizão (inaugurado em jogo do Candangão de 1994 Samambaia 1x0 Brasília, termninando a competição em 4° lugar no geral) estava vetado para jogos (o gramado estava esburacado e os vestiários, destruídos). Por isto, mandou as suas partidas no Abadião, o estádio do Ceilândia.

primo pobre do futebol brasiliense acabou rebaixado em 1996. A partir daí, o clube nunca mais conseguiu o ligeiro sucesso que obteve no futebol candango em 1994, sempre sem dinheiro, sem muito apoio de empresários, torcedores e ainda sem fazer boas campanhas na segundona, permaneceu por lá mesmo. Uma excelente matéria do Correio Brasiliense do ano de 2001 falou da situação do time, que devido aos problemas financeiros tinha fama de caloteiro por não pagar salário, entre outros aspectos. O clube ficou na lanterna de seu grupo com apenas 1 ponto em 14 jogos disputados.

Uma das cidades mais pobres do Distrito Federal, Samambaia é conhecida como a menina dos olhos do governador Joaquim Domingos Roriz (PMDB). Além de ter criado a cidade, em 1989, em sua primeira gestão, o político gosta de se vangloriar internacionalmente do projeto, como se fosse um modelo de urbanização. Chegou a desfilar até na Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, em controvertida participação extra-oficial.

No futebol, porém, a situação de Samambaia é indiscutivelmente deplorável sob a terceira passagem de Roriz no Palácio do Buriti. O time da cidade, rebaixado em 1996, é miserável dentro e fora de campo. Neste ano, amargou a lanterninha da segundona e só ganhou dívidas.

Nem casa para jogar o time tem. Com o estádio público da cidade vetado desde o ano passado, por absoluta falta de condições (gramado esburacado e vestiários destruídos), a equipe tem mandado partidas na vizinha Ceilândia, no Abadião, outro pasto recentemente banido do futebol profissional pela Federação Brasiliense de Futebol (FBF).

O péssimo quadro do estádio de Samambaia, no entanto, não significa falta de ligações afetivas com o atual governador. Pelo contrário. Mais que a própria cidade, o político não apenas construiu, como dá nome à obra, executada durante seu segundo mandato. Batizado sem cerimônias de Rorizão, o estádio foi inaugurado em agosto de 1994, um ano depois do previsto. Foi o único construído por Roriz em três passagens pelo Buriti, em um total de oito anos.

Nada disso, porém, evitou que se tornasse inútil desde outubro de 1999, quando sediou uma partida oficial pela última vez. Essa crônica falta de jogos até foi capaz de começar a apagá-lo da memória coletiva. O deputado federal Wigberto Tartuce (PPB-DF), por exemplo, ignorou a existência da homenagem ao propor o nome de Rorizão para o projeto de megarreforma do Bezerrão, no Gama, lançado há duas semanas, em Águas Claras, residência oficial do governador.

O Retorno

Após ficar 2 anos sem disputar a segunda divisão de brasilia,a equipe seria retirada da FBF caso não disputasse a atual edição,mas o Samambaia retorna as atividades,a diretoria investe pesado pra formação do elenco. Contrata Carlos Félix pra ser Gestor de Futebol, Reinaldo Gueldini como Técnico, Recebeu 5 Jogadores do Brasiliense (no qual tem um parceria), por emprestimo: o zagueiro Somália O volante Lucas, os meias Elivelto e Carlyle e o atacante Daniel, além de contratar nomes como: Thyago Fernandes, o goleiro Donizzeti que no meio do campeonato foi contratado pelo CRAC para a disputa do Brasileirão Serie C 2014 e Allan Dellon considerada a grande estrela do time.

Com tanto investimento, o Samambaia que nem saiba se iria disputar o campeonato,passou a ser a favorita. E não decepcionou, na 1° Fase a equipe se classificou pra elite candanga com 1 rodada de antecedência e foi pra final da segunda divisão de brasilia, vencedo todas as 5 partidas disputadas na 1° fase, ficando em primeiro e se classificando pra final. Na final disputada contra o Cruzeiro Futebol Clube, bastava empatar pro time ser campeão, Mas a equipe samambaiense fez bem mas que isso, venceu o jogo por 2×0, gols de Edicarlos ao 15′ do 1° tempo e Cassius ao 35° do 2° tempo. Edicarlos se tornou artilheiro da competição. Com este resultado o Samambaia conquista a Segunda Divisão Brasiliense de 2014 seu 1° titulo oficial desde sua fundação.

Em 2015 a equipe que ficou inativa por 2 anos iria voltar a disputar a 1° divisão do Campeonato Brasiliense de Futebol depois de 18 anos sem disputar a elite candanga. Porém, o clube desistiu de participar da competição na última hora por motivos não divulgados. Com isto a competição passou a contar apenas com onze clubes e o Samambaia foi automaticamente rebaixado para a segunda divisão de 2016.

 

FONTE: Wikipédia – Página do Clube no Facebook

 

O Grêmio Esportivo Brasiliense é uma agremiação da cidade do Núcleo Bandeirante, no Distrito Federal. Fundado na quinta-feira, do dia 26 de Março de 1959. O clube Alviverde foi campeão do Campeonato Brasiliense da 1ª Divisão, nos anos de 1959 e 1970.

 

FONTE: Correio Brasiliense (DF)

© 2018 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha