Em mais de 50 anos de competições sul-americanas oficiais, foram 28 participações de 9 times da região dos estados de Pernaqmbuco, Bahia, Maranhão, Ceara, Alagoas e Rio Grande do Norte.

Três torneios já contaram com representantes do Nordeste. Além da Libertadores (cuja vaga é a mais difícil) e da extinta Copa Conmebol, a Sul-Americana veio para suprir a demanda por disputas do tipo.

Em relação ao desempenho, o máximo alcançado foi a final, uma vez no ano de 1999, no último ano da Copa Conmebol, o CSA-AL  decidiu o título contra os argentinos do Talleres, perdendo com um gol aos 45 do segundo tempo. O time alagoano se aproveitou da vaga aberta à Copa do Nordeste, uma vez que o Vitória, campeão daquela regional, declinou do convite, o vice, Bahia, e o terceiro colocado, Sport, também. Na quarta posição, o alviazulino de Maceió topou e fez história.

Taça Libertadores da América
1960 – Bahia (quartas de final, 1ª fase – 2 jogos)
1964 – Bahia (pré-libertadores, 1ª fase – 2 jogos)
1968 – Náutico (fase de grupos, 1ª fase – 6 jogos)
1988 – Sport (fase de grupos, 1ª fase – 6 jogos)
1989 – Bahia (quartas de final, 3ª fase – 10 jogos)
2009 – Sport (oitavas de final, 3ª fase – 8 jogos)
Ranking de participações (6): Bahia 3; Sport 2; Náutico 1

Copa Conmebol
1994 – Vitória (oitavas de final, 1ª fase – 2 jogos)
1995 – Ceará (oitavas de final, 1ª fase – 2 jogos)
1997 – Vitória (quartas de final, 3ª fase – 4 jogos)
1998 – América-RN (oitavas de final, 1ª fase – 2 jogos)
1998 – Sampaio Corrêa (semifinal, 3ª fase – 6 jogos)
1999 – CSA (vice-campeão, 4ª fase – 8 jogos)
Ranking de participações (6): Vitória 2; Ceará, América-RN, Sampaio Corrêa e CSA 1

Copa Sul-Americana
2009 – Vitória (oitavas de final, 2ª fase – 4 jogos)
2010 – Vitória (fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2011 – Ceará (fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2012 – Bahia (fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2013 – Sport (oitavas de final, 3ª fase – 4 jogos)
2013 – Bahia (oitavas de final, 3ª fase – 4 jogos)
2013 – Vitória (fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2013 – Náutico (fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2014 – Bahia (oitavas de final, 3ª fase – 4 jogos)
2014 – Vitória (oitavas de final, 3ª fase – 4 jogos)
2014 – Sport (fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2015 – Sport (oitavas de final, 3ª fase – 4 jogos)
2015 – Bahia (fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2016 – Santa Cruz (oitavas de final, 3ª fase – 4 jogos)
2016 – Sport (fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2016 – Vitória (fase nacional, 2ª fase – 2 jogos)
2017 – Sport (em andamento)
Ranking de participações (17): Vitória e Sport 5; Bahia 4; Ceará, Náutico e Santa 1

 

Ranking de participações dos nordestinos (ate 2017)

7 – Bahia, Vitória e Sport
2 – Náutico e Ceará
1 – Sampaio Corrêa, América-RN, CSA e Santa Cruz

 

fonte: parte do diario de pernambuco (blog do cassios)

 

Fonte: Lauthenay Perdição e Walter Luis / AL

 

Na Foto (abaixo), do ano de 1973, o  ASA (Agremiação Sportiva Arapiraquense) de Arapiraca, com Mané Garrincha. Nesta partida, o time posado com (EM PÉ): Lula (massagista), Julio Silva (presidente), Clóvis, Géo, Tião, Zito, Lula e Veludo. AGACHADOS: Santos, Mané Garrincha, Bado, Laranjeiras, Canhoto e Bió.

FONTE & FOTO: Acervo de Lauthenay Perdigão Do Carmo

 


FONTE: Revista Placar

 

É mais conhecido por CRB e carinhosamente chamado de Galo por sua vibrante e apaixonada torcida.

É o maior clube esportivo de Alagoas, que começou sua história no belíssimo bairro de Pajuçara, que é um dos cartões postais da capital dos alagoanos. Atualmente, sua sede administrativa está localizada no tradicional bairro de Jaraguá e o futebol tem no CT Presidente Marcos Barbosa, na Barra de São Miguel, a maior estrutura do futebol alagoano.

O Futebol é a sua principal atividade. O seu maior patrimônio é a sua imensa e fiel torcida. Destaca-se também no Vôlei brasileiro, com hegemonia absoluta nos cenários feminino e masculino locais, tendo conquistado o maior feito em 1969, ao sagrar-se campeão sul-americano feminino em Santiago do Chile. O clube ainda possui títulos de basquete, futsal, handebol, entre outras modalidades esportivas.

O INÍCIO DE TUDO

Sua história teve início no ano de 1911, com a fundação em Maceió, do Clube Alagoano de Regatas. A jóia para sócios era de mil réis e a mensalidade de quinhentos mil réis. Sua sede ficava situada na Rua do Comércio, 138. Apesar de se chamar Clube Alagoano de Regatas, não havia yoles, nem baleeiras, nem remadores. Possuía um punhado de bravos rapazes que desejavam criar um clube esportivo em Alagoas.

Entretanto, a pequena receita com jóias e mensalidades impedia o progresso do clube. Entre os seus fundadores estavam os jovens Lafaiete Pacheco, Antônio Bessa, Celso Coelho e Alexandre Nobre. Na tentativa de elevar a receita do clube, Lafaiete Pacheco tentou junto aos companheiros um aumento nas mensalidades, mas a idéia não foi aceita pela maioria. Dessa falta de entendimento, nasceu o CLUBE DE REGATAS BRASIL.

COMO FOI

Lafaiete Pacheco procurou Antônio Vianna e explicou sua idéia de criar um clube de regatas na praia de Pajuçara. Juntos convidaram outros sete rapazes e assim no dia 20 de setembro de 1912, na rua Jasmim, foi fundado o Clube de Regatas Brasil.

ATA DE FUNDAÇÃO

Além de Lafaiete Pacheco e Antônio Vianna, assinaram a ata de fundação os seguintes desportistas: João Luiz Albuquerque, Waldomiro, Pedro Cláudio Duarte, Tenente Julião, Agostinho Monteiro, Francisco Azevedo Bahia e João Viana de Souza.

AO REMO

Os primeiros passos do clube foram dados na regata. Assim, através de Lafaiete Pacheco o CRB comprou, em Santos, por 200 mil réis sua primeira yole. Os sócios contribuíram com 100 mil réis e os outros 100 mil foram tomados emprestados. O dinheirofoi remetido através do Banco de Pernambuco e a yole chegou no navio Itapetinga. A primeira garagem foi no quintal da casa de Antônio Vianna.

Os treinamentos eram realizados no trajeto marítimo da Ponta Verde para Pajuçara. A compra do oito com patrão sensibilizou os desportistas maceioenses e logo conseguiram novos associados como Domingos Souza, Francisco Quintela, Pedro Lima, Homero Viegas, Eduardo Silveira e mais alguns, que aos poucos, foram formando a grandeza do clube.

O FUTEBOL

Foi introduzido no clube de maneira totalmente natural. Antes e depois dos treinamentos para as regatas um grupo de atletas ficava batendo bola, os conhecidos ?rachas?. Essa brincadeira foi tomando vulto e a partir daí surgiu a necessidade de um espaço próprio para a prática do futebol.

O ESTÁDIO DA PAJUÇARA

A história do CRB anda de mãos dadas com a do Estádio Severiano Gomes Filho, o inesquecível estádio da Pajuçara. Foi a partir de um terreno que pertencia à Dona Maria Torres, que arrendou o local para o clube por 300 mil réis. Em 1917 começaram as obras de construção do estádio. No dia 2 daquele ano, foi realizado o primeiro jogo interestadual contra o Flamengo de Recife. Em 1921 foi inaugurado o primeiro lance de arquibancadas contra o Centro Sportivo de Peres, de Recife. E a partir deste momento nascia o palco de muitas conquistas e que transformaram o CRB na grande paixão dos Alagoanos. Em 2012 o Estádio da Pajuçara foi vendido e com o dinheiro arrecadado o Galo quitou todas suas dívidas e construiu um dos CTs mais modernos do País.

AS GLÓRIAS

Foi o primeiro campeão de Alagoas em 1927, a partir daí começa uma trajetória de grandes conquistas e vitórias do Clube de Regatas Brasil. São 29 títulos estaduais. Em 1993 foi campeão do Torneio de Acesso a Série B e em 1994 é vice-campeão da Copa Nordeste.

OS ÍDOLOS

Estão entre seus maiores ídolos: Haroldo Zagallo (pai do jogador e técnico Zagallo), Miguel Rosas, Mourão, Canhoto, Pompéia, Silva, Joãozinho Paulista, César, Roberval Davino, Roberto Menezes.

 

FONTES: Site do Clube – Lauthenay Perdigão

 

O Santa Cruz Futebol Clube foi uma agremiação da cidade de Maceió (AL). Fundado no dia 25 de Agosto de 1931, no bairro do Prado, por militares (oficiais e praças) do 20º Batalhão de Caçadores do Exército. Sargento Geminiano Gomes foi seu 1º Presidente.

A sua Sede ficava localizada na Avenida Fernandes Lima, s/n, no Farol, em Maceió. A equipe mandava os seus jogos no Estádio Severiano Gomes Filho (propriedade: Clube de Regatas Brasil – CRB), com Capacidade para 6 mil pessoas. No Campeonato Alagoano da 1ª Divisão, o Santa Cruz conquistou o Bicampeonato em 1945 e 1948. Após chegar ao ápice, no ano seguinte (1949) acabou sendo extinto.

Santa Cruz - campeão Alagoano de 1948

FONTE: Pesquisador do futebol pernambucano, Luciano da Silva

 

DATA

 

 

LOCAL

CAR

08.01.1967

C.R.B.

1

X

1

PENEDENSE (PENEDO-AL)

PENEDO – AL

A

12.01.1967

C.R.B.

3

X

4

SELEÇÃO DE PERNAMBUCO – JUNIOR

RECIFE – PE

A

15.01.1967

C.R.B.

1

X

1

SERGIPE (ARACAJU-SE)

ARACAJU – SE

A

17.01.1967

C.R.B.

2

X

3

SERGIPE (ARACAJU-SE)

ARACAJU – SE

A

19.01.1967

C.R.B.

3

X

0

SERGIPE (ARACAJU-SE)

ARACAJU – SE

A

22.01.1967

C.R.B.

2

X

1

PENEDENSE (PENEDO-AL)

MACEIÓ – AL

A

29.01.1967

C.R.B.

1

X

1

SPORT (RECIFE-PE)

MACEIÓ – AL

A

12.02.1967

C.R.B.

1

X

2

TREZE (CAMPINA GRANDE-PB)

CAMPINA GRANDE – PB

A

19.02.1967

C.R.B.

1

X

1

BANGU (RIO DE JANEIRO-RJ)

MACEIÓ – AL

A

26.02.1967

C.R.B.

0

X

0

BOTAFOGO (JOÃO PESSOA-PB)

MACEIÓ – AL

A

05.03.1967

C.R.B.

1

X

0

CENTRAL (CARUARU-PE)

CARUARU – PE

A

12.03.1967

C.R.B.

3

X

0

PROGRESSO (RIO LARGO-AL)

RIO LARGO – AL

A

28.03.1967

C.R.B.

2

X

1

TREZE (CAMPINA GRANDE-PB)

MACEIÓ – AL

A

31.03.1967

C.R.B.

2

X

3

CAMARAGIBE (MATRIZ DE CAMARAGIBE-AL)

MACEIÓ – AL

A

02.04.1967

C.R.B.

1

X

3

TREZE (CAMPINA GRANDE-PB)

CAMPINA GRANDE – PB

A

09.04.1967

C.R.B.

1

X

1

SERGIPE (ARACAJU-SE)

MACEIÓ – AL

A

11.04.1967

C.R.B.

0

X

2

SERGIPE (ARACAJU-SE)

MACEIÓ – AL

A

16.04.1967

C.R.B.

1

X

5

NÁUTICO (RECIFE-PE)

RECIFE – PE

A

21.04.1967

C.R.B.

2

X

2

CAMARAGIBE (MATRIZ DE CAMARAGIBE-AL)

MACEIÓ – AL

A

01.05.1967

C.R.B.

1

X

2

C.S.A. (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

A

07.05.1967

C.R.B.

0

X

2

C.S.A. (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

A

25.05.1967

C.R.B.

0

X

1

FERROVIÁRIO (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

A

02.06.1967

C.R.B.

5

X

1

CAMARAGIBE (MATRIZ DE CAMARAGIBE-AL)

MACEIÓ – AL

TJ

04.06.1967

C.R.B.

0

X

0

C.S.A. (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

TJ

08.06.1967

C.R.B.

1

X

1

C.S.A. (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

TJ

11.06.1967

C.R.B.

1

X

2

C.S.A. (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

TJ

18.06.1967

C.R.B.

1

X

2

C.S.E. (PALMEIRA DOS ÍNDIOS-AL)

PALMEIRA DOS ÍNDIOS – AL

CA-67

25.06.1967

C.R.B.

2

X

0

CAMARAGIBE (MATRIZ DE CAMARAGIBE-AL)

MACEIÓ – AL

CA-67

06.07.1967

C.R.B.

2

X

1

A.S.A. (ARAPIRACA-AL)

MACEIÓ – AL

CA-67

13.07.1967

C.R.B.

5

X

0

FERROVIÁRIO (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA-67

20.07.1967

C.R.B.

2

X

0

GUARANI (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA-67

23.07.1967

C.R.B.

3

X

0

SELEÇÃO DE PAULO AFONSO (PAULO AFONSO-BA)

PAULO AFONSO – BA

A

26.06.1967

C.R.B.

3

X

1

C.S.E. (PALMEIRA DOS ÍNDIOS-AL)

MACEIÓ – AL

A

30.06.1967

C.R.B.

4

X

1

PENEDENSE (PENEDO-AL)

MACEIÓ – AL

CA-67

03.08.1967

C.R.B.

3

X

0

A.S.A. (ARAPIRACA-AL)

MACEIÓ – AL

A

13.08.1967

C.R.B.

1

X

1

A.S.A. (ARAPIRACA-AL)

ARAPIRACA – AL

A

20.08.1967

C.R.B.

2

X

0

CAPELENSE (CAPELA-AL)

CAPELA – AL

CA-67

27.08.1967

C.R.B.

2

X

2

C.S.A. (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA-67

05.09.1967

C.R.B.

2

X

1

CENTRAL (CARUARU-PE)

MACEIÓ – AL

A

09.09.1967

C.R.B.

0

X

1

SANTA CRUZ (RECIFE-PE)

RECIFE – PE

A

17.09.1967

C.R.B.

1

X

3

NÁUTICO (RECIFE-PE)

MACEIÓ – AL

A

24.09.1967

C.R.B.

1

X

4

BOTAFOGO (JOÃO PESSOA-PB)

JOÃO PESSOA – PB

A

01.10.1967

C.R.B.

2

X

2

C.S.A. (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA-67

08.10.1967

C.R.B.

2

X

0

A.S.A. (ARAPIRACA-AL)

MACEIÓ – AL

CA-67

19.10.1967

C.R.B.

1

X

2

C.S.E. (PALMEIRA DOS ÍNDIOS-AL)

MACEIÓ – AL

CA-67

28.10.1967

C.R.B.

3

X

2

CENTENÁRIO (SÃO MIGUEL-AL)

MACEIÓ – AL

A

01.11.1967

C.R.B.

2

X

2

FERROVIÁRIO (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA-67

08.11.1967

C.R.B.

1

X

3

SERGIPE (ARACAJU-SE)

ARACAJU – SE

A

12.11.1967

C.R.B.

2

X

0

GUARANI (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA-67

17.11.1967

C.R.B.

3

X

1

SELEÇÃO DE RIO LARGO (RIO LARGO-AL)

MACEIÓ – AL

A

26.11.1967

C.R.B.

1

X

1

PENEDENSE (PENEDO-AL)

MACEIÓ – AL

CA-67

28.11.1967

C.R.B.

1

X

1

SERGIPE (ARACAJU-SE)

MACEIÓ – AL

A

06.12.1967

C.R.B.

1

X

1

C.S.E. (PALMEIRA DOS ÍNDIOS-AL)

MACEIÓ – AL

A

11.12.1967

C.R.B.

2

X

1

SPORT (RECIFE-PE)

MACEIÓ – AL

A

14.12.1967

C.R.B.

4

X

0

CAPELENSE (CAPELA-AL)

MACEIÓ – AL

CA-67

17.12.1967

C.R.B.

1

X

0

C.S.A. (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA-67

20.12.1967

C.R.B.

1

X

2

C.S.A. (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

A

A – AMISTOSO NACIONAL
CA-67 – CAMPEONATO ALAGOANO – 1967
TJ – TORNEIO JOSÉ SEBASTIÃO BASTOS

 

DATA

 

 

LOCAL

CAR

29.02.1948

C.R.B.

3

X

2

C.S.A. (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA-47

06.03.1948

C.R.B.

3

X

1

VITÓRIA (SALVADOR-BA)

MACEIÓ – AL

A

21.03.1948

C.R.B.

2

X

3

BARROSO (MACEIÓ-LA)

MACEIÓ – AL

CA-47

25.04.1948

C.R.B.

6

X

2

ALEXANDRIA (MACEIÓ – AL)

MACEIÓ – AL

TCR

03.05.1948

C.R.B.

3

X

3

PAULISTANO (ARACAJU-SE)

MACEIÓ – AL

A

09.05.1948

C.R.B.

3

X

0

ALEXANDRIA (MACEIÓ – AL)

MACEIÓ – AL

TCR

20.06.1948

C.R.B.

2

X

1

COMÉRCIO (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA-48

25.07.1948

C.R.B.

2

X

4

BARROSO (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA-48

22.08.1948

C.R.B.

1

X

0

C.S.A. (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA-48

29.08.1948

C.R.B.

1

X

0

AMÉRICA (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA-48

05.09.1948

C.R.B.

3

X

1

AMÉRICA (RECIFE-PE)

MACEIÓ – AL

A

18.09.1948

C.R.B.

0

X

2

SANTA CRUZ (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA-48

10.10.1948

C.R.B.

4

X

0

COMÉRCIO (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA-48

15.11.1948

C.R.B.

0

X

1

BAHIA (SALVADOR-BA)

MACEIÓ – AL

A

28.11.1948

C.R.B.

2

X

2

BARROSO (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA-48

CA-47 – CAMPEONATO ALAGOANO – 1947
TCR – TAÇA CORONEL ROLIM
A – AMISTOSO NACIONAL}
CA-48 – CAMPEONATO ALAGOANO – 1948

 

DATA

 

 

LOCAL

CAR

20.01.1952

C.R.B.

5

X

2

AUTO ESPORTE (MACEÍO-AL)

MACEIÓ – AL

CA-51

27.01.1952

C.R.B.

2

X

2

AUTO ESPORTE (MACEÍO-AL)

MACEIÓ – AL

CA-51

11.05.1952

C.R.B.

0

X

2

TUNA LUSO (BELÉM-PA)

RECIFE – PE

TC

15.06.1952

C.R.B.

5

X

1

AUTO ESPORTE (MACEÍO-AL)

MACEIÓ – AL

TM

22.06.1952

C.R.B.

1

X

4

AUTO ESPORTE (MACEÍO-AL)

MACEIÓ – AL

TM

29.06.1952

C.R.B.

1

X

0

AUTO ESPORTE (MACEÍO-AL)

MACEIÓ – AL

TM

20.07.1952

C.R.B.

2

X

2

FERROVIÁRIO (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA-52

31.07.1952

C.R.B.

6

X

2

XIII DE MAIO (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA-52

17.08.1952

C.R.B.

2

X

2

ALEXANDRIA (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA-52

24.08.1952

C.R.B.

X

FERROVIÁRIO (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

A

05.09.1952

C.R.B.

2

X

3

BAHIA (SALVADOR-BA)

MACEIÓ – AL

A

14.09.1952

C.R.B.

1

X

3

C.S.A. (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA-52

16.09.1952

C.R.B.

0

X

4

C.S.A. (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

A

21.09.1952

C.R.B.

0

X

1

C.S.A. (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

A

04.10.1952

C.R.B.

3

X

3

FERROVIÁRIO (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA-52

12.10.1952

C.R.B.

2

X

0

XIII DE MAIO (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA-52

30.10.1952

C.R.B.

1

X

3

ALEXANDRIA (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA-52

16.11.1952

C.R.B.

2

X

1

SERGIPE (ARACAJU-SE)

MACEIÓ – AL

A

27.11.1952

C.R.B.

3

X

2

AUTO ESPORTE (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA-52

21.12.1952

C.R.B.

2

X

2

C.S.A. (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA-52

CA-51 – CAMPEONATO ALAGOANO – 1951
TC – TORNEIO DOS CAMPEÕES
TM – TAÇA MARIOL
A – AMISTOSO NACIONAL
CA-52 – CAMPEONATO ALAGOANO – 1952

 

O Murici Futebol Clube é uma agremiação da cidade de Murici (AL). O “Verde Alagoas” foi Fundado no Sábado, no dia 07 de Setembro de 1974. A sua Sede fica localizada na Rua Mário Leão, s/n, no Centro de Murici. O Estádio é o José Gomes da Costa, com capacidade para 4 mil pessoas.

A primeira participação no Campeonato Alagoano da 1ª Divisão aconteceu somente em 1999, quando a equipe terminou na quinta colocação. Em 2010 o Murici alcança o tão sonhado título do Campeonato Alagoano da 1ª Divisão, ao bater o ASA na grande decisão. O título inédito classificou a equipe pela primeira vez para a Copa do Brasil e para o Campeonato Brasileiro da Série D.

O Murici encarou o Flamengo logo na primeira fase da Copa do Brasil de 2010, e acabou sendo derrotado por 3 a 0 em casa, sendo então eliminado, sem necessidade de haver um segundo confronto. Devido as enchentes do Rio Mundaú, o Murici não pôde disputar a Série D no ano de 2010.

Em 2011 o Murici faz outra grande campanha no Campeonato Alagoano, mas é batido na semifinal pelo ASA. Em 2014 chega novamente a semifinal, mas é batido pelo Coruripe. Em 2015 disputa pela segunda vez a Copa do Brasil, e outra vez é eliminado na primeira fase da competição.

Depois de disputar três partidas pelo Campeonato Alagoano de Futebol de 2016, Felipe Feijó, presidente da FAF anunciou a exclusão do Murici da competição, por decisão do TJD-AL, uma vez que a equipe não inscreveu o número mínino de jogadores (18) para disputar o Estadual.

Entretanto alguns dias depois, ficou definido em reunião da PMAL e membros da FAF, que o Murici permaneceria no Campeonato Alagoano e enfrentaria o CRB em casa no sábado, dia 16, dando fim a novela “Murici no Alagoano“. Para dar fim a essa novela de vez, o Murici derrotou o “galo” por 3 a 1 de virada, chegando a seis pontos na competição, tornando-se o terceiro colocado de seu grupo.

A equipe do Murici apresentou uma grande evolução no Campeonato Alagoano, e conseguiu terminar a competição como a terceira melhor equipe da classificação geral, conseguindo a segunda vaga para a Série D. Além disso o atacante Katê, artilheiro do Murici, fez parte da Seleção do Campeonato Alagoano.

Nesse mesmo ano o Murici disputou a Série D. No grupo A9 o Murici fez seis partidas, venceu duas, empatou duas e perdeu duas, somando oito pontos. Apesar de ter mostrado eficiência no ataque, o clube mostrou dificuldades na defesa e terminou eliminado na primeira fase, com apenas dois pontos atrás do primeiro colocado, o Campinense.

 

FONTES: Federação Alagoana de Futebol (FAF) – Página do Clube no Facebook 

 

O CSA (Centro Sportivo Alagoano), de Maceió foi campeão do Campeonato Alagoano da 1ª Divisão de 1952. Na foto abaixo, os campões:

Dudu, Alfredo,  Almir, Bem e Mogi.

Oscarzinho, Zanélio e Neu.

Cão, Biu, Cabecinha, Dida, Edgar e Dengoso.

 

FONTE: Lauthenay Perdigão

FOTO: Roberto Plech

 

Um ano depois de ser fundado, o ASA (Agremiação Sportiva Arapiraquense), de Arapiraca fez história ao conquistar o título do Campeonato Alagoano da Primeira Divisão de 1953. De lá pra cá o “Fantasma Alvinegro” faturou mais seis títulos: 2000, 2001, 2003, 2005, 2009 e 2011. Também ficou com o vice-Campeonato Alagoano em 6 oportunidades: 1967, 1970, 1979, 1991, 2008 e 2010.

Na foto abaixo, é referente o dia da entrega das faixas do título de 1953, aparecem apenas oito jogadores e o seu presidente: Gonzaguinha. Luizinho. Acebilio. Cecé. Tavarinho (presidente). Waldemar. Cicero. Dema e Cabeleira.

 

FONTE: Lauthenay Perdigão

 

Centro Social Esportivo, ou simplesmente CSE, de Palmeira dos Índios de 1983. Na foto (abaixo), a formação está composta assim.

EM PÉ (esquerda para a direita): Quebrangulo. Paulinho. Raimundo. Hamilton. Furiba e Palmito.

AGACHADO (esquerda para a direita): Zé Maria. Cananô. Bió. Fernando e Soares.

FONTE: Lauthenay Perdigão

 

 

FONTE: Revista Placar

 

Segunda Fase da Taça de Prata – 1983

1ª Rodada (Domingo, 27 de fevereiro de 1983)

Guarany (CE)

6

X

3

Uberaba (MG)

Londrina (PR)

1

X

0

Bangu (RJ)

Americano (RJ)

2

X

0

Itumbiara (GO)

Central (PE)

3

X

0

Maranhão (MA)

2ª Rodada (Quarta-feira, 02 de março de 1983)

Santa Cruz (PE)

3

X

1

Guarany (CE)

Botafogo-RP (SP)

3

X

0

Londrina (PR)

Guarani (SP)

0

X

0

Central (PE)

Portuguesa (SP)

1

X

1

Americano (RJ)

3ª Rodada (Sábado, 05 de março de 1983)

Maranhão (MA)

1

X

5

Guarani (SP)

3ª Rodada (Domingo, 06 de março de 1983)

Bangu (RJ)

1

X

1

Botafogo-RP (SP)

Itumbiara (GO)

3

X

2

Portuguesa (SP)

Uberaba (MG)

5

X

0

Santa Cruz (PE)

GRUPO G

CLUBES PG J V E D GP GC SG
Guarani/SP 3 2 1 1 0 5 1 4
Central/PE 3 2 1 1 0 3 0 3
Maranhão/MA 0 2 0 0 2 1 8 -7

GRUPO H

CLUBES PG J V E D GP GC SG
Uberaba/MG 2 2 1 0 1 8 6 2
Guarany/CE 2 2 1 0 1 7 6 1
Santa Cruz/PE 2 2 1 0 1 3 6 -3

GRUPO I

CLUBES PG J V E D GP GC SG
Americano/RJ 3 2 1 1 0 3 1 2
Itumbiara/GO 2 2 1 0 1 3 4 -1
Portuguesa/SP 1 2 0 1 1 3 4 -1

GRUPO J

CLUBES PG J V E D GP GC SG
Botafogo/SP 3 2 1 1 0 4 1 3
Londrina/PR 2 2 1 0 1 1 3 -2
Bangu/RJ 1 2 0 1 1 1 2 -1

Após o Final da Segunda Fase, os quatro primeiros colocados (Americano de Campos/RJ, Botafogo de Ribeirão Preto/SP, Guarani/SP e Uberaba/MG), das chaves G, H, I e J, foram promovidos e entraram direto na Segunda Fase da Taça de Ouro (equivalente a Primeira Divisão Nacional), naquele mesmo ano.

Os segundos colocados de cada grupo (Central de Caruaru/PE, Guarany/CE, Itumbiara/GO e Londrina/PR), avançaram para a Terceira fase da Taça de Prata.

Se juntaram a essas quatro equipes, os 12 clubes de pior campanha da Primeira Fase da Taça de Ouro: Brasília/DF, CSA/AL, Ferroviário/CE, Fortaleza/CE, Galícia/BA, Joinville/SC, Juventus/SP, Mixto/MT, Moto Club/MA, Paysandu/PA, Rio Branco/ES e Treze/PB.

Terceira Fase da Taça de Prata – 1983

Jogos de Ida (Domingo, 13 de março de 1983)

Ferroviário (CE)

1

X

0

Londrina (PR)

CSA (AL)

4

X

1

Guarany (CE)

Rio Branco (ES)

1

X

1

Mixto (MT)

Juventus (SP)

3

X

1

Itumbiara (GO)

Paysandu (PA)

2

X

2

Central (PE)

Treze (PB)

3

X

2

Brasília (DF)

Galícia (BA)

5

X

2

Fortaleza (CE)

Moto Club (MA)

0

X

3

Joinville (SC)

Jogos de Volta (Domingo, 20 de março de 1983)

Londrina (PR) *

3

X

1

Ferroviário (CE)

Guarany (CE)

0

X

0

CSA (AL) *

Mixto (MT) *

2

X

1

Rio Branco (ES)

Itumbiara (GO)

1

X

1

Juventus (SP) *

Central (PE) *

2

X

1

Paysandu (PA)

Brasília (DF) *

3

X

0

Treze (PB)

Fortaleza (CE)

1

X

0

Galícia (BA) *

Joinville (SC) *

4

X

2

Moto Club (MA)

* Os clubes classificados para a próxima fase

Quartas de Final da Taça de Prata – 1983

Jogos de Ida (Domingo, 27 de março de 1983)

Mixto (MT)

1

X

3

CSA (AL)

Brasília (DF)

1

X

0

Central (PE)

Galícia (BA)

2

X

3

Juventus (SP)

Londrina (PR)

0

X

1

Joinville (SC)

Jogos de Volta (Sábado, 02 de abril de 1983)

CSA (AL) *

4

X

1

Mixto (MT)

Central (PE)

1

X

1

Brasília (DF) *

Juventus (SP) *

2

X

1

Galícia (BA)

Joinville (SC) *

1

X

0

Londrina (PR)

 * Os clubes classificados para a próxima fase

Classificaram-se para as semifinais o CSA/AL, Brasília/DF, Joinville/SC e Juventus/SP. O fato curioso é que nenhum dos times que iniciaram a Taça de Prata avançaram. Todos os quatro semifinalistas vieram da Taça de Ouro.

Semifinais da Taça de Prata – 1983

Jogos de Ida (Domingo, 10 de abril de 1983)

Brasília (DF)

0

X

0

CSA (AL)

Joinville (SC)

0

X

0

Juventus (SP)

Jogos de Volta (Domingo, 17 de abril de 1983)

CSA (AL) *

1

X

1

Brasília (DF)

Juventus (SP) *

2

X

1

Joinville (SC)

Final da Taça de Prata – 1983

Jogos de Ida (Domingo, 24 de abril de 1983)

CSA (AL)

3

X

1

Juventus (SP)

Gols: Rômel aos 41 minutos do 1º Tempo para o CSA. Zé Carlos aos 18 e Josenílton aos 31 minutos para o CSA.Ilo aos 41 minutos descontou para o Juventus, no 2º tempo.

Jogos de Volta (Domingo, 1º de maio de 1983)

Juventus (SP)

3

X

0

CSA (AL)

Gols: Gatãozinho aos sete minutos do 1º tempo. Bira aos 33 e Trajano aos 37 minutos do 2º tempo.

Jogos Extra (Quarta-feira, 04 de maio de 1983)

Juventus (SP) *

1

X

0

CSA (AL)

Gol: Paulo Martins, de pênalti, aos 26 minutos do 2º tempo.

* Com o resultado o  Juventus/SP se sagrou Campeão da Taça de Prata de 1983

 

FONTE: Revista Placar

 

FONTE: Revista Placar

 

FONTE: Revista Placar

 

Centro Sportivo Canavieiro foi uma agremiação da cidade de Capela (AL). O Alviverde capelense foi Fundado em 1972. O Canavieiro mandava os seus jogos no Estádio Municipal Manoel Moreira, com capacidade para 5 mil pessoas. O clube disputou o Campeonato Alagoano da 1ª Divisão de 1974, 1975, 1976, 1977 e 1978, tendo como melhor colocação um 4º lugar em 1976.

Abaixo a reportagem da Revista Placar, em 1977:

‘Na mão do homem o pau quebra a pedra, a água vence o fogo, até o sertão vira mar. Na mão de Zé Cláudio o Canavieiro assombra os irmãos do sertão e amedronta os rivais da capital, prova de que o açúcar pode ser amargo para os que chegam ao pote com muita sede. O Canavieiro é um clube cheio de singularidades, a partir da figura de Zé Cláudio, misto de Dom Quixote e Sancho Pança, mas sempre de pés plantados no chão somente onde brota a cana que faz a riqueza de Capela e garante a sobrevivência do Canavieiro.

Capela é uma cidade com tradição no futebol. Qualquer torcedor do CSA ou CRB lembra os anos de 1959 e 1962 quando o Capelense não fez por menos: foi campeão estadual. Muitos não conseguiram esconder um certo alívio quando o clube encerrou suas atividades em 1968. Alegria que durou pouco.

 Em 1972, Capela ressurgia para o futebol, com o Canavieiro. Naquele mesmo ano foi vice-campeão do Campeonato Matuto, feito que se repetiria em 1973. Finalmente, em 1974, o Canavieiro achou chegada a hora de começar a incomodar os grandes e conseguiu a vaga na divisão principal. Foi o quinto. Nos dois últimos anos foi o quarto, firmando de vez a condição de melhor time do interior.

 Enquanto CSA e CRB se apagavam no campeonato brasileiro de 1976, o Canavieiro fazia das suas no Torneio incentivo. Foi campeão com 16 vitórias e dois empates. Tal feito merece uma explicação sucinta de José Cláudio da Silva, presidente, técnico, preparador físico, médico, massagista e disciplinador do Canavieiro.

 

- Nesse time só joga cabra macho, homem com H maiúsculo.

No Torneio Divaldo Suruagy, cujo titulo o Canavieiro perdeu para o CSA, ao ser derrotado por 1×0, gol de pênalti, nos final do segundo tempo, houve um jogo com o Ferroviário que entrou para a historia. No final do primeiro tempo, o Canavieiro perdia por 2×0. Então Zé Cláudio entrou com sua psicologia sertaneja.

 - Deu para ver que tenho 11 afeminados em campo. Agora vocês têm 45 minutos para provar que são machos. Vão lá e virem o jogo. Eu quero ganhar e vocês vão ganhar.

 No final, o Canavieiro, com menos dois – Cigano e Pistola foram expulsos – virou e venceu por 3×2. Mágoas esquecidas. Zé Cláudio saiu do campo nos braços dos jogadores.

 Para que possa exigir de seus homens-machos, Zé Cláudio providencia para eles cuidados especiais. Assim, todas as manhãs, os jogadores tomam uma dose do Biotônico Fontoura, que revigora e rejuvenesce. À noite não pode falta uma colher de Emulsão de Scott. As duas drogas são necessárias para que os jogadores não sintam as caminhadas diárias de 6km pelos canaviais e morros próximos a Capela.

 Tantos cuidados explicariam o sucesso do time ? Para Zé Cláudio o que movimenta toda a engrenagem é a disciplina sertaneja. Disciplina rígida, de pai para filho, de marido para mulher. Zé Cláudio é quem diz.

 - Indisciplina, pode ser até o Pelé, roda em 24 horas. Comigo é na lei do cão. No futebol brasileiro todo jogador é marginal até ser contratado pelo Canavieiro. Aqui, ele se torna um bom caráter ou vai ser marginal na casa da peste. No clube ele não fica. O lateral Café chegou aqui e se meteu a conquistador de mulher casada. Não tive dúvidas, mandei Café para o xadrez. Não é força de expressão. Mandei mesmo para o xadrez. Cana dura, garantida pelo carcereiro Bernardino, ex-ponta direita do Capelense.

 Aconteceu em Capela mesmo. O goleiro Cícero engoliu um frango e um torcedor começou a xingar a mãe do goleiro. Zé Cláudio ouviu e não gostou. Na segunda vez não teve dúvidas. Pulou o alambrado e expulsou o torcedor de campo depois de lhe dar uns tabefes”.

FONTES: Capela Alagoas – Wikipédia – Revista Placar

 

 

FONTE: Revista placar

 

FONTE: Revista Placar

 

FONTE: Revista Placar

 

FONTE & PÔSTER: Site do CRB 

 

FONTE: Revista Placar

 

O Zumbi Esporte Clube é uma agremiação da Município de União dos Palmares, no estado de Alagoas. A sua Sede fica localizada na Rua Dr. Antonio Arecipo, s/n, no Centro de União dos Palmares. A equipe Alviverde foi Fundado no dia 15 de Novembro de 1954. O Zumbi manda os seus jogos no Estádio Orlando Gomes de Barros, o “Praxedão”, com capacidade para 4 mil pessoas.

O nome do clube é uma homenagem ao Quilombo dos Palmares, que foi criado no século XVII na Serra da Barriga, onde fica o município de União dos Palmares.  O Zumbi participou do Campeonato Alagoano da 1ª Divisão em quatro oportunidades: 1996, 1997, 1998, 1999.

FONTES e FOTO: Wikipédia – Rsssf Brasil – Blog J Marcelo Fotos

 

Este ano o FF Sports (no escudo sempre foi FF Sport mas na mídia sempre aparece no plural, onde FF vem do fundador do clube e ex-presidente do CSA, Francisco Ferro) fez uma parceria com o Igaci FC surgindo o FF Sports Igaci.

O clube está disputando a segunda divisão alagoana com esta denominação.

Seguem os escudos dos 2 clubes e o do clube resultante.

 

 

 

 

 

 

Fonte: Site do FF Sport

 

 

DATA: 31 DE MARÇO DE 1968
LOCAL: MACEIÓ / AL

1º JOGO

GUARANY

W0-0

PENEDENSE

2º JOGO

C.S.E.

0-0

C.R.B. (3-0 PEN)

3º JOGO

FERROVIÁRIO

0-0

CAPELENSE (3-2 PEN)

4º JOGO

A.S.A.

1-0

C.S.A.

5º JOGO

C.S.E.

0-0

GUARANY (3-1 PEN)

6º JOGO

A.S.A.

1-0

FERROVIÁRIO

FINAL

C.S.E.

0-0

A.S.A. (3-1 PEN)

CAMPEÃO – CENTRO SOCIAL E ESPORTIVO (PALMEIRA DOS ÍNDIOS – AL)

Fonte: Blog do Sorrentino

 

DATA: 28 DE MAIO DE 1967
LOCAL: MACEIÓ / AL

1º JOGO

A.S.A.

0-0

C.S.A. (3-2 PEN)

2º JOGO

C.R.B.

0-0

C.S.E. (3-1 PEN)

3º JOGO

ALTO CAMARAGIBE

1-0

CAPELENSE

4º JOGO

PENEDENSE

1-1

GUARANY (4-3 PEN)

5º JOGO

FERROVIÁRIO

1-0

A.S.A.

6º JOGO

ALTO CAMARAGIBE

0-0

C.R.B. (1-0 PEN)

7º JOGO

PENEDENSE

1-0

FERROVIÁRIO

FINAL

PENEDENSE

0-0

ALTO CAMARAGIBE (3-1 PEN)

CAMPEÃO – CENTRO SPORTIVO ALAGOANO (MACEIÓ – AL)

Fonte: Blog do Sorrentino

 

DATA: 30 DE MAIO DE 1965
LOCAL: MACEIÓ / AL

1º JOGO

C.S.A.

2-0

ALTO CAMARAGIBE

2º JOGO

ESTIVADORES

0-0

GUARANY (3-1 PEN)

3º JOGO

CAPELENSE

1-0

A.S.A.

4º JOGO

C.S.A.

2-2

C.R.B. (9-8 PEN)

5º JOGO

ESTIVADORES

1-0

CAPELENSE

FINAL

C.S.A.

2-0

ESTIVADORES

CAMPEÃO – CENTRO SPORTIVO ALAGOANO (MACEIÓ – AL)

Fonte: Blog do Sorrentino

 

DATA: 18 DE JULHO DE 1964
LOCAL: MACEIÓ / AL

1º JOGO

ESTIVADORES

1-0

A.S.A.

2º JOGO

PENEDENSE

0-0

C.R.B. (6-3 PEN)

3º JOGO

CAPELENSE

0-0

C.S.A. (3-2 PEN)

4º JOGO

PENEDENSE

3-0

ESTIVADORES

FINAL

PENEDENSE

0-0

CAPELENSE (5-4 PEN)

CAMPEÃO – SPORT CLUB PENEDENSE (PENEDO – AL)

Fonte: Blog do Sorrentino

 

FONTES: Mercado Livre – Revista Placar

 

 

FONTE:  O Malho 

 

NOME: ESPORTE CLUBE SÃO JOSÉ
CIDADE: Quebrângulo – AL
DATA DE FUNDAÇÃO: 16 de abril de 1979
CORES OFICIAIS: vermelho / branco

Fonte: Quebranguloesporte.blogspot

 

O Santa Cruz Futebol Clube é uma agremiação do Município de Barra de São Miguel (AL). O futebol alagoano ganhou uma nova opção na revelação de novos jogadores. Na verdade, o Santa Cruz, Fundado em 1967, foi resgatado pela empresa Paes Soccer e numa parceria com a prefeitura da Barra de São Miguel, vai iniciar um processo de captação e revelação de novos atletas.

Empresário do ramo e agora presidente do Santa Cruz, Thiago Paes apontou as principais mudanças para o início desse novo trabalho. “O Santa Cruz é um clube-empresa, que foi fundado em 1967 e adquirido em sua totalidade pela Paes Soccer em junho de 2014. Teve todo seu estatuto reformado e modernizado para atender às novas normas da FIFA que limitam as relações somente entre clubes na transferência e posse de direitos econômicos de atletas. Quanto a parceria, essa se deu através de uma demonstração de seriedade no trabalho ao longo de dois anos de existência da empresa, na qual, através de um projeto moderno e de credibilidade, conseguimos demonstrar ao Secretário de Esporte da Barra, Eduardo Acioly e ao Prefeito Zezeco, que essa seria uma parceria de sucesso”, explicou.

A empresa Paes Soccer manteve uma parceria com o CRB na revelação de alguns jogadores, com destaque para o atacante Lucas Fernandes, que agora pertence ao Fluminense e foi emprestado ao Bonsucesso na disputa do Campeonato Carioca.

Porém, outros jogadores já fazem parte do casting do clube-empresa e novos nomes devem surgir nas próximas etapas do trabalho. “Trabalhamos com uma base de atletas que já conheciam nosso trabalho e alguns que já eram clientes da empresa e nos acompanharam nessa nova jornada. Além disso, inovamos aqui no Estado e somos o único clube de Alagoas que possui um Departamento de Captação de atletas que fica encarregado pelo monitoramento e descoberta de talentos espalhados em Alagoas e no Nordeste”, comemorou.

Quando foi anunciado o retorno das atividades do Santa Cruz, especulou-se que o time poderia disputar inclusive, o Campeonato Alagoano da 2ª Divisão. Esse ano o Santa Cruz debuta e vem fazendo uma boa campanha com três pontos em dois jogos.

Estreou com derrota por 2 a 1, fora de casa, para o CEO. E depois se reabilitou vencendo pelo mesmo placar o FF Sports Igaci, no Estádio Olival Elias de Moraes, em Boca da Mata (onde o Santinha manda os seus jogos). O Santa Cruz volta a campo no próximo domingo, dia 09 de outubro, quando enfrenta o São Domingos, às 15 horas, no imponente Estádio Rei Pelé, em Maceió.

Na foto acima, a campanha irretocável no Campeonato Alagoano Sub 15 garantiu o título ao Santa Cruz Futebol Clube na tarde de domingo, do dia 20 de dezembro de 2015, no Estádio Municipal da Barra de São Miguel, após empatar por 2 a 2 contra o CRB. A equipe conquistou o título Estadual de forma invicta, sem perder nenhuma partida em toda competição.

Ao total, o Santa Cruz fez 12 jogos, acumulando nove vitórias e três empates. No jogo de hoje contra o CRB, a equipe poderia ser derrotada por até dois gols no tempo normal, já que havia vencido a 1ª partida por 3 a 0 na última sexta-feira, 18. Os gols do Santa Cruz foram marcados neste domingo por Moisés e Esquerdinha. Wallace assinalou os dois gols do CRB, vice-campeão da categoria Sub 15.

Campeão, o Santa Cruz ficou com o troféu treinador Paulo Roberto Ghilhardi. O CRB recebeu a taça José Medeiros Nicolau, mais conhecido como “Zezeco”, prefeito da Barra de São Miguel.

FONTES & FOTOS: Federação Alagoana de Futebol (FAF) – Globoesporte.com – Site Minuto Esportes

 
Com uma campanha brilhante, composta por 10 vitórias e 6 empates, o Voltaço é o campeão da Série D do Campeonato Brasileiro 2016. Na decisão, após o empate em 0 a 0 no jogo de ida, em Maceió, o Volta Redonda goleou o CSA-AL por 4 a 0 no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, e levantou o troféu.
Diante de um Raulino de Oliveira em festa, Volta Redonda e CSA-AL entraram em campo às 21h deste sábado, dia 1º, para decidir quem ficaria com o título da Série D. Garantidos na Série C de 2017, as equipes protagonizaram um duelo aberto nos primeiros minutos.
Empurrado pelo torcedor, o Voltaço passou a dominar as ações a partir dos 15 minutos e não deu chances ao adversário. Aos 26, Dija Baiano tocou com sutileza na saída de Pantera e abriu o placar, 1 a 0. Cinco minutos depois, Marco Junior apareceu livre na área e, de cabeça, fez 2 a 0. Ainda na primeira etapa, David Batista não perdoou a falha do goleiro e ampliou, 3 a 0.

VOLTA REDONDA F.C. (RJ)         4          X         0          CSA (AL)

LOCAL: Estádio da Cidadania Raulino de Oliveira, em  Volta Redonda (RJ)

CARÁTER: Final do Campeonato Brasileiro da Série D

DATA: Sábado, no dia 1º de outubro de 2016

PÚBLICO: 7.848 presente (6.748 pagantes)

RENDA: R$ 137.000,00

HORÁRIO: 21 horas (de Brasília)

TRANSMISSÃO: Esporte Interativo (EI)

ÁRBITRO: Antônio Santos Nunes (PI/CBF)

AUXILIARES: Anderson José de Moraes Coelho (SP/CBF) e Herman Brumel Vani (SP/CBF)

CARTÕES AMARELOS: Cristiano e Dija Baiano (Voltaço); Denilson, Leandro Cardoso, Marcos Antônio, Kelvin, Jeferson Maranhense (CSA)

VOLTA REDONDA: Mota; Osmar, Daniel Felipe, Gilberto e Cristiano; João Cleriston, Marcelo e Marcos Júnior (Luís Gustavo); Rafael Pernão, Dija Baiano e David Batista (Michel Cury) - Técnico: Felipe Surian.

CSA: Pantera; Denilson, Leandro Souza, Leandro Cardoso e Rafinha; Panda, Didira (Marcelo Nicácio), Marcos Antônio e Bismarck (Jeferson Maranhense); Jonatas Obina e Kelvin - Técnico: Oliveira Canindé.

GOLS: Dija Baiano aos 26 minutos (Voltaço); Marcos Júnior aos 31 minutos (Voltaço); David Batista aos 38 minutos (Voltaço), no 1º Tempo. Marcos Júnior aos 21 minutos (Voltaço), no 2º Tempo.

 

FONTES: Globoesporte.com – Site do Volta Redonda F.C. – Esporte Interativo  
 

O Jaciobá Atlético Clube é uma agremiação da cidade de Pão de Açúcar, no estado Alagoas. A equipe Alvianil foi Fundado no dia 25 de Janeiro de 1964. A sua Sede fica situado na Rua Professor José de Freitas, s/n, no Centro de Pão de Açúcar.

O nome Jaciobá vem da palavra em guarani que significa “Espelho da Lua“. A equipe manda os seus jogos no Estádio Elísio da Silva Maia, com capacidade 4 mil pessoas. O Jaciobá foi Vice-Campeonato Alagoano em 1991 e 1998.

FONTES: Wikipédia – Página do clube no Facebook – Paulo da Silva Freire Sobrinho.

 

O CSA (Centro Sportivo Alagoano), fundado no dia 7 de setembro de 1913, se sagrou Tetracampeã do Campeonato Alagoano da 1ª Divisão nos anos de 1955, 1956, 1957 e 1958.

FONTE: Revista do Esporte

 

DATA

 

 

LOCAL

CAR

22.01.1983

C.R.B.

0

x

0

CAMPINENSE (CAMPINA GRANDE-PB)

MACEIÓ – AL

TP

26.01.1983

C.R.B.

0

x

1

ITABAIANA (ITABAIANA-SE)

MACEIÓ – AL

TP

30.01.1983

C.R.B.

0

x

1

CENTRAL (CARUARU-PE)

CARUARU – PE

TP

06.02.1983

C.R.B.

0

x

2

ALECRIM (NATAL – RN)

NATAL – RN

TP

19.02.1983

C.R.B.

0

x

3

SANTA CRUZ (RECIFE-PE)

RECIFE – PE

TP

10.04.1983

C.R.B.

3

x

3

CAMPINENSE (CAMPINA GRANDE-PB)

CAMOINA GRANDE – PB

A

14.04.1983

C.R.B.

2

X

0

BANGU (RIO DE JANEIRO-RJ)

MACEIÓ – AL

A

17.04.1983

C.R.B.

0

X

0

ITABAIANA (ITABAIANA-SE)

ITABAIANA – SE

A

20.04.1983

C.R.B.

0

x

0

ITABAIANA (ITABAIANA–SE)

MACEIÓ – AL

A

24.04.1983

C.R.B.

0

x

1

CONFIANÇA (ARACAJU-SE)

ARACAJU – SE

A

27.04.1983

C.R.B.

3

x

0

CONFIANÇA (ARACAJU-SE)

MACEIÓ – AL

A

29.04.1983

C.R.B.

2

x

1

SANTA CRUZ (RECIFE-PE)

RECIFE – PE

A

11.05.1983

C.R.B.

2

x

0

FERROVIÁRIO (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA

18.05.1983

C.R.B.

3

x

0

SÃO DOMINGOS (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA

22.05.1983

C.R.B.

0

x

0

C.S.E. (PALMEIRA DOS ÍNDIOS-AL)

PALMEIRA DOS ÍNDIOS – AL

CA

28.05.1983

C.R.B.

1

x

1

CAPELENSE (CAPELA – AL)

MACEIÓ – AL

CA

02.06.1983

C.R.B.

3

x

0

SÃO SEBASTIÃO (PORTO CALVO-AL)

MACEIÓ – AL

CA

05.06.1983

C.R.B.

1

x

2

PENEDENSE (PENEDO-AL)

PENEDO – AL

CA

13.06.1983

C.R.B.

2

x

1

A.S.A. (ARAPIRACA-AL)

MACEIÓ – AL

CA

19.06.1983

C.R.B.

1

x

0

C.S.A. (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA

26.06.1983

C.R.B.

2

x

0

A.S.A. (ARAPIRACA-AL)

MACEIÓ – AL

CA

30.06.1983

C.R.B.

1

x

0

C.S.E. (PALMEIRA DOS ÍNDIOS-AL)

MACEIÓ – AL

CA

03.07.1983

C.R.B.

1

x

0

C.S.A. (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA

10.07.1983

C.R.B.

0

x

0

C.S.E. (PALMEIRA DOS ÍNDIOS-AL)

MACEIÓ – AL

CA

17.07.1983

C.R.B.

4

x

1

SÃO SEBASTIÃO (PORTO CALVO-AL)

PORTO CALVO – AL

CA

24.07.1983

C.R.B.

2

x

0

SÃO DOMINGOS (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA

27.07.1983

C.R.B.

3

x

0

PENEDENSE (PENEDO-AL)

MACEIÓ – AL

CA

31.07.1983

C.R.B.

1

x

1

A.S.A. (ARAPIRACA-AL)

ARAPIRACA – AL

CA

07.08.1983

C.R.B.

7

x

1

SELEÇÃO LOCAL (SÃO MIGUEL-AL)

SÃO MIGUEL – AL

A

10.08.1983

C.R.B.

3

x

0

CAPELENSE (CAPELA-AL)

MACEIÓ – AL

CA

17.08.1983

C.R.B.

1

x

0

FERROVIÁRIO (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA

21.08.1983

C.R.B.

0

x

1

C.S.A. (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA

27.08.1983

C.R.B.

2

x

2

A.S.A. (ARAPIRACA-AL)

MACEIÓ – AL

CA

01.09.1983

C.R.B.

3

x

0

C.S.E. (PALMEIRA DOS ÍNDIOS-AL)

MACEIÓ – AL

CA

04.09.1983

C.R.B.

2

x

0

C.S.A. (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA

07.09.1983

C.R.B.

3

x

1

C.S.A. (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA

15.09.1983

C.R.B.

6

x

0

SÃO DOMINGOS (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA

21.09.1983

C.R.B.

4

x

0

FERROVIÁRIO (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA

24.09.1983

C.R.B.

5

x

1

CAPELENSE (CAPELA-AL)

MACEIÓ – AL

CA

02.10.1983

C.R.B.

5

x

0

SÃO SEBASTIÃO (PORTO CALVO-AL)

MACEIÓ – AL

CA

05.10.1983

C.R.B.

0

x

0

C.S.E. (PALMEIRA DOS ÍNDIOS-AL)

MACEIÓ – AL

CA

09.10.1983

C.R.B.

3

x

0

PENEDENSE (PENEDO-AL)

PENEDO – AL

CA

16.10.1983

C.R.B.

2

X

2

A.S.A. (ARAPIRACA-AL)

MACEIÓ – AL

CA

23.10.1983

C.R.B.

1

x

0

C.S.A. (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA

26.10.1983

C.R.B.

1

x

1

C.S.A. (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA

29.10.1983

C.R.B.

2

x

0

A.S.A. (ARAPIRACA-AL)

MACEIÓ – AL

CA

03.11.1983

C.R.B.

3

x

1

C.S.E. (PALMEIRA DOS ÍNDIOS-AL)

MACEIÓ – AL

CA

13.11.1983

C.R.B.

2

x

2

XV DE NOVEMBRO (JAÚ-SP)

MACEIÓ – AL

A

20.11.1983

C.R.B.

1

x

0

ATLÉTICO (SÃO JOSÉ DA TAPERA-AL)

SÃO JOSÉ DA TAPERA – AL

A

 

TC – TAÇA DE PRATA

CA – CAMPEONATO ALAGOANO

A – AMISTOSO

 

Fonte: Arquivos de Walter Luís (Maceió/AL)

 

DATA

 

 

LOCAL

CAR

17.01.1982

C.R.B.

3

x

1

COMERCIAL (VIÇOSA-AL)

VIÇOSA- AL

A

23.01.1982

C.R.B.

2

x

2

CAMPINENSE (CAMPINA GRANDE-PB)

MACEIÓ – AL

TP

27.01.1982

C.R.B.

1

x

1

SERGIPE (ARACAJU-SE)

MACEIÓ – AL

TP

31.01.1982

C.R.B.

1

x

1

CENTRAL (CARUARU-PE)

CARUARU – PE

TP

03.02.1982

C.R.B.

1

x

1

BARAÚNAS (MOSSORÓ-RN)

MOSSORÓ – RN

TP

06.02.1982

C.R.B.

2

x

0

SANTA CRUZ (RECIFE-PE)

MACEIÓ – AL

TP

12.02.1982

C.R.B.

1

X

1

TIRADENTES (TERESINA-PI)

MACEIÓ – AL

TP

14.02.1982

C.R.B.

0

X

4

AMÉRICA (RIO DE JANEIRO-RJ)

RIO DE JANEIRO – RJ

TP

24.02.1982

C.R.B.

0

x

2

CENTRAL (CARUARU-PE)

CARUARU – PE

A

09.03.1982

C.R.B.

1

x

1

A.S.A. (ARAPIRACA-AL)

ARAPIRACA – AL

A

13.03.1982

C.R.B.

1

x

1

A.S.A. (ARAPIRACA-AL)

ARAPIRACA – AL

A

28.03.1982

C.R.B.

2

x

2

CENTRAL (CARUARU-PE)

MACEIÓ – AL

A

22.04.1982

C.R.B.

3

x

3

TREZE (CAMPINA GRANDE-PB)

CAMPINA GRANDE – PB

A

24.04.1982

C.R.B.

0

x

0

BOTAFOGO (JOÃO PESSOA-PB)

JOÃO PESSOA – PB

A

02.05.1982

C.R.B.

0

x

0

MAGUARI (BONITO-PE)

BONITO – PE

A

06.05.1982

C.R.B.

1

x

1

BOTAFOGO (JOÃO PESSOA-PB)

MACEIÓ – AL

A

09.05.1982

C.R.B.

0

x

1

GRÊMIO (MARECHAL DEODORO-AL)

MARECHAL DEODORO – AL

A

16.05.1982

C.R.B.

4

x

0

GRÊMIO (MARECHAL DEODORO-AL)

MACEIÓ – AL

A

20.05.1982

C.R.B.

1

x

0

SÃO DOMINGOS (MACEIÓ – AL)

MACEIÓ – AL

CA

23.05.1982

C.R.B.

1

x

0

PENEDENSE (PENEDO – AL)

MACEIÓ – AL

CA

30.05.1982

C.R.B.

0

x

0

A.S.A. (ARAPIRACA-AL)

ARAPIRACA – AL

CA

02.06.1982

C.R.B.

0

x

1

CAPELENSE (CAPELA-AL)

MACEIÓ – AL

CA

06.06.1982

C.R.B.

3

x

1

FERROVIÁRIO (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA

12.06.1982

C.R.B.

2

x

2

C.S.E. (PALMEIRA DOS ÍNDIOS-AL)

PALMEIRA DOS ÍNDIOS – AL

CA

19.06.1982

C.R.B.

2

x

3

C.S.A. (MACEIÓ-AL)

MACEIÓ – AL

CA

22.06.1982

C.R.B.

1

x

1

A.S.A. (ARAPIRACA-AL)

ARAPIRACA – AL

CA

03.07.1982

C.R.B.

6

x

0

GRÊMIO (MARECHAL DEODORO-AL)

MACEIÓ – AL

A

10.07.1982

C.R.B.

2

x

1

GRÊMIO (MARECHAL DEODORO-AL)

MARECHAL DEODORO – AL

A

18.07.1982

C.R.B.

7

x

0

SÃO DOMINGOS (MACEIÓ – AL)

MACEIÓ – AL

CA

25.07.1982

C.R.B.

1

x

0

TREZE (CAMPINA GRANDE-PB)

CAMPIN A GRANDE – PB

A

28.07.1982

C.R.B.

5

x

2

C.S.E. (PALMEIRA DOS ÍNDIOS-AL)

MACEIÓ – AL

CA

01.08.1982

C.R.B.

2

x

0

A.S.A(ARAPIRACA-AL)

MACEIÓ – AL

CA

08.08.1982

C.R.B.

1

x

0

PENEDENSE (PENEDO-AL)

PENEDO – AL

CA

11.08.1982

C.R.B.

3

x

0

FERROVIÁRIO (MACEIÓ – AL)

MACEIÓ – AL

CA

15.08.1982

C.R.B.

1

x

0

CAPELENSE (CAPELA-AL)

MACEIÓ – AL

CA

22.08.1982

C.R.B.

2

x

4

C.S.A (MACEIÓ – AL)

MACEIÓ – AL

CA

29.08.1982

C.R.B.

4

x

2

PENEDENSE (PENEDO – AL)

MACEIÓ – AL

CA

01.09.1982

C.R.B.

4

x

2

A.S.A. (ARAPIRACA-AL)

MACEIÓ – AL

CA

05.09.1982

C.R.B.

1

x

0

C.S.A. (MACEIÓ – AL)

MACEIÓ – AL

CA

15.09.1982

C.R.B.

1

x

2

PENEDENSE (PENEDO-AL)

MACEIÓ – AL

CA

18.09.1982

C.R.B.

5

x

0

C.S.E. (PALMEIRA DOS ÍNDIOS-AL)

MACEIÓ – AL

CA

26.09.1982

C.R.B.

3

x

1

A.S.A. (ARAPIRACA-AL)

ARAPIRACA – AL

CA

29.09.1982

C.R.B.

3

X

0

SÃO DOMINGOS (MACEIÓ – AL)

MACEIÓ – AL

CA

03.10.1982

C.R.B.

3

x

0

FERROVIÁRIO (MACEIÓ – AL)

MACEIÓ – AL

CA

09.10.1982

C.R.B.

2

x

0

CAPELENSE (CAPELA-AL)

MACEIÓ – AL

CA

17.10.1982

C.R.B.

0

x

2

C.S.A. (MACEIÓ – AL)

MACEIÓ – AL

CA

24.10.1982

C.R.B.

1

x

2

PENEDENSE (PENEDO-AL)

PENEDO – AL

CA

27.10.1982

C.R.B.

1

x

1

A.S.A. (ARAPIRACA-AL)

MACEIÓ – AL

CA

31.10.1982

C.R.B.

1

x

1

C.S.A. (MACEIÓ – AL)

MACEIÓ – AL

CA

07.11.1982

C.R.B.

0

x

0

A.S.A. (ARAPIRACA-AL)

ARAPIRACA – AL

CA

11.11.1982

C.R.B.

0

x

0

PENEDENSE (PENEDO-AL)

MACEIÓ – AL

CA

21.11.1982

C.R.B.

1

x

2

C.S.A. (MACEIÓ – AL)

MACEIÓ – AL

CA

24.11.1982

C.R.B.

2

x

1

A.S.A. (ARAPIRACA-AL)

MACEIÓ – AL

CA

28.11.1982

C.R.B.

1

x

0

PENEDENSE (PENEDO-AL)

PENEDO – AL

CA

05.12.1982

C.R.B.

0

x

2

C.S.A. (MACEIÓ – AL)

MACEIÓ – AL

CA

 

TC – TAÇA DE PRATA

CA – CAMPEONATO ALAGOANO

A – AMISTOSO

 

Fonte: Arquivos de Walter Luís (Maceió/AL)

 

DATA: 28 DE JANEIRO DE 1990

LOCAL: MACEIÓ / AL

 

1º JOGO

PENEDENSE

1-0

SÃO SEBASTIÃO

2º JOGO

IPANEMA

W0-0

C.R.B.

3º JOGO

CRUZEIRO

1-0

C.S.E.

4º JOGO

COMERCIAL

W0-0

C.S.A.

5º JOGO

A.S.A.

1-0

CAPELENSE

6º JOGO

IPANEMA

0-0

PENEDENSE (4-3 PEN)

7º JOGO

CRUZEIRO

1-1

COMERCIAL (4-3 PEN)

8º JOGO

IPANEMA

0-0

A.S.A. (4-3 PEN)

FINAL

CRUZEIRO

2-0

IPANEMA

 

CAMPEÃO – ESPORTE CLUBE CRUZEIRO (ARAPIRACA – AL)

 

Fonte: Arquivos de Walter Luis (Maceió/AL)

 

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado 

 

 

O Miguelense Futebol Clube é uma agremiação da cidade de São Miguel dos Campos (AL). A sua Sede fica localizada na Travessa Sampaio Marques, 55, no Centro de São Miguel dos Campos. O clube Alviverde foi Fundado no dia 22 de Junho de 1995, como Clube Sportivo Miguelense. A equipe manda os seus jogos no Estádio Manoel Ferreira, com capacidade para 15 mil pessoas.

O seu melhor resultado foi no Campeonato Alagoano da 1ª Divisão de 1999, quando terminou com o vice-campeonato, atrás apenas do campeão CSA. Depois desse momento, o Miguelense entrou em dificuldades financeiras até fechar as portas em 2010. Agora, seis anos depois o retorna ao cenário alagoano de futebol, quando disputará o Campeonato Alagoano da 2ª Divisão desse ano.


FONTE: Página do clube no Facebook – Wikipédia – Site Cada Minuto

 

SELEÇÃO AMAZONENSE        0          X         2          MOTO CLUB (MA)

LOCAL: Estádio Parque Amazonense, em Manaus (AM)

CARÁTER: Amistoso Nacional

DATA: Domingo, dia 25 de Maio de 1947

RENDA: Cr$ 18.000,00

ÁRBITRO: Salvio Miranda Corrêa

AMAZONAS: Mota; Darcy e Marcílio; Lupercio, Caveira e Aurélio; Cabral (Oliveira), Paulo, Marcos (Paulo), Raspada e Juvenil (Lé).

MOTO: Ruy; Santiago e Carapuça; Sandoval, Frazio e Pretinho; Mosquito, Valentim, Galego, Zuza e Jaime. Técnico: Zequinha.

GOLS:  Mosquito e Zuza (Moto).

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

FONTE:  Penedo Esportivo (11 de Novembro de 1922)

 

 

ASA DE ARAPIRACA (AL)          3          X         1          EXPRESSINHO DO PINA (PE)

LOCAL: Estádio Municipal Coaracy da Mata Fonseca, em Arapiraca (AL)

CARÁTER: Amistoso Nacional

DATA: Domingo, 1º de Dezembro de 1968

RENDA: NCr$ 1.100.000,00 (Mil e cem cruzeiros novos)

PÚBLICO: Não divulgado

ÁRBITRO: Agripino Alexandre

ASA: Curau; Valter e Dida; Alcegíades e Tião; Fernando (Zito) e Chico (Sabará), Orlando (Zé Luiz), Veneno, Laranjeira e Adeildo.

EXPRESSINHO: Getúlio; Aldinho e Nenem; Babá e Alvi; Ceará e Gilvan; Marcos, Joca, Miranda e Guaraná.

GOLS: Marcos aos 20 minutos (Expressinho) do 1º tempo. Laranjeira, de pênalti, aos 10 minutos (ASA); Adeildo aos 20 minutos (ASA); Laranjeira aos 37 minutos (ASA) do 2° tempo.

 

FONTE: Diário de Pernambuco

 

SPORT RECIFE (PE)        10       X         0          SÃO DOMINGOS (AL)

LOCAL: Estádio do Arruda, no Recife (PE)

COMPETIÇÃO: Amistoso

DATA: Quarta-feira, 26 de Fevereiro de 1975

PÚBLICO: 6.090 pagantes (Público total: 7.352)

RENDA: Cr$ 47.069,00

ÁRBITRO: Gilson Cordeiro

AUXILIARES: Oséas Gomes e Luís Gonçalves

SPORT: Tobias (Toinho); Marcos, Lula (Alberto), Djalma e Luisinho; Luciano (Salim) e Assis; Jangada (Edmílson), MIltão, Dario (Valfredo) e Peri.

SÃO DOMINGOS: Adolfo; Silvio, Pires, Vergete e Timbó; Zé Leite e Milton; Paulinho (Cabo Jorge), Ailton, Capeta (Rolan) e Hélio.

GOLS: Dario aos três minutos; Assis aos 37 minutos; Miltão aos 47 minutos; Assis aos 49 minutos do 1º tempo. Assis aos dois minutos; Luciano, cobrando falta, aos 13 minutos; Silvio, contra, aos 25 minutos; Miltão aos 26 minutos; Timbó, contra, aos 37 minutos do 2º Tempo.

PRELIMINAR: Sport Recife (Juvenil) 1 x 0 Elmo E.C. (Segunda Divisão)

 

FONTE: Diário de Pernambuco

 

O Torneio dos Campeões do Norte, foi realizado em 1952. A competição contou com a presença de oito clubes campeões (sete do Nordeste e um do Norte) da temporada anterior:

Tuna luso Comercial (PA);

América de Natal (RN);

Associação Desportiva Confiança (SE);

Ceará SC (CE);

CRB (AL);

Náutico (PE);

Treze FC (PB) e

SC Ypiranga (BA).

O destaque da competição pelo Diário de Pernambuco foi bacana. Outro fato interessante foram os escudos, uma vez que, praticamente todos, são um pouco diferente dos distintivos conhecidos.

FONTE: Diário de Pernambuco  

 

O Esporte Clube Cruzeiro foi um agremiação da cidade de Arapiraca (AL). A ‘Hiena’ foi Fundada no dia 07 de Setembro de 1983. A sua Sede ficava na Rua Linduarte Barros, 56, no Centro de Arapiraca. A equipe mandava os seus jogos no Estádio Coaracy da Mata, com capacidade para 12 mil pessoas. Ao longo da sua história, o Cruzeiro participou de 10 edições do Estadual: 1987, 1988, 1989, 1990, 1991, 1992, 1993, 1994, 1995, 1996.

Quatro anos após a sua fundação, o Cruzeiro estreava no Campeonato Alagoano da 1ª Divisão de 1987, terminado na 7ª posição. Nesse mesmo ano, o time enfrentou, em amistoso, o Flamengo. No dia 29 de junho de 1987, acabou goleado pelo rubro-negro pelo placar de 3 a 0. O seu principal título aconteceu no ano de 1990, quando se sagrou campeão Alagoano do Torneio Início. Em 1994, o clube participou da Copa do Nordeste.

 

Fontes: Wikipédia – Rsssf Brasil – Arquivo Pessoal

 

Charles Miller sempre é lembrado como o introdutor do futebol do Brasil. Ainda que ele não tenha sido o pioneiro a bater a sua bolinha por aqui, ele merece todas as considerações. Afinal, ao trazer a bola e as regras da Inglaterra, o paulistano ajudou a institucionalizar o esporte. Porém, chamar o homem de longos bigodes “apenas” de pai do futebol brasileiro é desconsiderar toda a sua caminhada. Miller era muito, mas muito mais do que isso. Ele também se consagrou como o primeiro craque e o primeiro artilheiro do Brasil, assim como também foi decisivo para criar o primeiro time e o primeiro campeonato.

Nos parágrafos abaixo mostram pontos históricos para o desenvolvimento do futebol brasileiro. Além de locais de jogo, também estão destacados os primeiros clubes que fizeram a história do futebol no país.

SÃO PAULO
Associação Atlética Ponte Preta (Campinas-SP)
O segundo clube mais antigo ainda em atividade e o primeiro de maneira ininterrupta, a Ponte Preta surgiu em 1900. Também foi um dos primeiros times brasileiros a escalar jogadores negros.

Colégio São Luís (Itú-SP)
No prédio onde hoje funciona um quartel do exército, existia o Colégio São Luís. O local é considerado um dos primeiros a trazer o futebol para o Brasil, ainda na década de 1880. O esporte ganhou os seus principais traços no local em 1887.

Parque Antarctica (São Paulo-SP)
O atual terreno do Allianz Parque recebeu a primeira partida oficial da história do futebol brasileiro. Mandante no campo da Companhia Antarctica Paulista, o Germânia foi derrotado pelo Mackenzie, na rodada inicial do Paulistão de 1902.

Associação Atlética das Palmeiras (São Paulo-SP)
O Estádio da Floresta era um dos principais no início do futebol paulista. Era a casa inicial da A. A. das Palmeiras, que daria origem ao São Paulo da Floresta. Atualmente, o antigo estádio pertence ao Clube de Regatas Tietê.

Chácara Dulley (São Paulo-SP)
Antes do início do Campeonato Paulista, o campo era o principal palco de jogos de futebol no país. No local eram realizados os treinamentos do São Paulo Athletic Club, sob a batuta de Charles Miller. Atualmente, no terreno funciona a Fatec da Avenida Tiradentes, no bairro do Bom Retiro.

Sport Club Internacional (São Paulo-SP)
Formado em 1899 por dissidentes do Germânia, que não concordavam com as referências alemãs diante da presença de outros imigrantes no clube. Disputou a primeira edição do Paulista, ao lado de SPAC, Germânia, Mackenzie e Paulistano.

Várzea do Carmo (São Paulo-SP)
O local da primeira partida da história do futebol brasileiro, em 14 de abril de 1895. Atualmente, o local às margens do rio Tamanduateí é ocupado por prédios comerciais do bairro do Brás.

Associação Atlética Mackenzie College (São Paulo-SP)
Os universitários do Mackenzie fundaram o primeiro clube brasileiro para a prática do futebol, em 1898. Entre os pioneiros estava Belfort Duarte, jogador histórico e também líder do America-RJ. A equipe encerrou suas atividades em 1923.

Estádio do Velódromo (São Paulo-SP)
Onde hoje passa a rua Nestor Pestana ficava o Estádio do Velódromo, considerado o primeiro do Brasil. Inaugurado em 1892 para o ciclismo, foi adaptado ao futebol em 1901 e tinha capacidade para 5 mil espectadores.

São Paulo Athletic Club (São Paulo-SP)
O primeiro clube a jogar futebol no Brasil. Fundado em 1888, principalmente para a prática de críquete, era a equipe de Charles Miller e venceu as três primeiras edições do Campeonato Paulista. Seus treinos e primeiros amistosos eram realizados na Chácara Dulley, no Bom Retiro. Atualmente, segue em atividades amadoras poliesportivas.

Club Athletico Paulistano (São Paulo-SP)
Fundado em 1900, tornou-se o maior campeão paulista durante o amadorismo, superado pelo Corinthians apenas em 1939. Com a camisa da equipe que Friedenreich viveu os seus melhores momentos.

Sport Club Germânia (São Paulo-SP)
O atual Esporte Clube Pinheiros  surgiu em 1899 e é o segundo clube fundado para a prática de futebol, a partir dos esforços de Hans Nobling – que atuava em um clube homônimo na Alemanha. Naquele mesmo ano, desafiou o Mackenzie para a primeira partida entre clubes da história do país, um empate por 0 a 0.

Campo da Vila de Paranapiacaba (Ribeirão Pires-SP)
No caminho da estrada de ferro que ligava São Paulo ao porto de Santos, o campo é considerado o mais antigo do Brasil, surgido em 1894.

Americano Sport Club (Santos-SP)
Fundado em 1903, se tornou um dos primeiros times de fora da capital a disputar o Paulista, em 1907, ao lado do conterrâneo Internacional. O clube de Santos acabaria se mudando a São Paulo na década seguinte. Foi o primeiro brasileiro a vencer um time estrangeiro, em 1911, e o primeiro a excursionar pelo exterior, em 1913.

RIO DE JANEIRO
Fábrica Bangu (Bangu-RJ)
Local onde o escocês Thomas Donohoe bateu bola com os funcionários da Fábrica Bangu em 1894. A empresa também deu origem ao Bangu Atlético Clube, em 1904, sétimo clube mais antigo do país ainda em atividade e um dos primeiros clubes brasileiros a aceitar negros.

Rio Cricket Associação Atlética (Niterói-RJ)
A filial de Niterói do Rio Cricket carioca se tornou uma dissidência da matriz e, em 1901, disputou em sua sede aquela que é considerada a primeira partida da história do futebol carioca. Também contou com a participação de Oscar Cox.

Marina da Glória (Rio de Janeiro-RJ)
No terreno onde hoje funciona o Hotel Glória, aconteceu aquele que é considerado um dos primeiros bate-bolas relatados no Brasil, em 1874. Marinheiros ingleses realizaram a pelada no local, mas levaram a bola consigo.

Rua Paissandu (Rua Paissandu)
Em frente à residência real de Princesa Isabel, os tripulantes do navio Crimeia realizaram uma pelada em 1874. O mesmo endereço abrigou o primeiro estádio do Flamengo, a partir de 1915.

Fluminense Football Club (Rio de Janeiro-RJ)
Em 1902, Oscar Cox também ajudou a fundar o Fluminense, primeiro “clube de futebol” do Brasil a registrar suas atividades no nome. Também o primeiro dos 12 grandes a praticar a modalidade (Flamengo e Vasco já existiam, mas apenas como clubes de regatas). O Estádio das Laranjeiras abrigou o primeiro jogo da Seleção.

Botafogo de Futebol e Regatas (Rio de Janeiro-RJ)
O Botafogo é o oitavo clube de futebol mais antigo do país ainda em atividade, iniciando o seu time de futebol em 1904. Logo criou o clássico mais antigo em disputa, contra o Fluminense. O Estádio de General Severiano abrigou jogos dos combinados que originariam a seleção brasileira.

Paissandú Atlético Clube (Rio de Janeiro)
Fundado em 1872, o antigo Rio Cricket foi o primeiro clube a praticar o futebol no Rio de Janeiro. O principal pioneiro do esporte na capital foi Oscar Cox, filho de ingleses que estudou na Suíça e introduziu efetivamente as regras. Antes de sua chegada, alguns amistosos entre imigrantes já eram realizados no clube.

PARANÁ
Foot-ball Club Ponta-Grossense (Ponta Grossa-PR)
No campo próximo ao cemitério municipal de Ponta Grossa se disputou o primeiro jogo do futebol paranaense, em 1909 – desde o início da década, há registros de “bate-bolas” em Curitiba. O clube local recebeu o embrião Coritiba e venceu por 1 a 0, gol de Charles Wright, considerado o introdutor do futebol no estado.

Coritiba Foot-ball Club (Curitiba-PR)
Após o amistoso em Ponta Grossa, os curitibanos que participaram da partida resolveram criar o paranaense mais antigo ainda em atividade e o primeiro da capital. Em outubro de 1909, um grupo de descendentes de alemães fundou o Coritiba.

SANTA CATARINA
Gymnasio Santa Catharina (Florianópolis-SC)
A introdução do futebol em Santa Catarina se deu a partir do colégio, em 1906. O local permaneceu como único centro que praticava a modalidade no estado até 1911.

Brazilian Foot-Ball Club (Florianópolis-SC)
Em junho de 1911, o primeiro clube de futebol catarinense além do ginásio: o Brazilian. Nos meses seguintes, também nasceram o Barriga Verde Foot Ball Club e o Clube Sportivo Florianópolis, na capital, além do Itajahyense Football Clube, em Itajaí. Time mais antigo do estado na ativa, o Hercilio Luz foi criado em 1918.

RIO GRANDE DO SUL
Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense (Porto Alegre-RS)
Após uma série de amistosos do Rio Grande em Porto Alegre, em 1903, surgiu o clube mais antigo de Porto Alegre ainda em atividade. No mesmo dia, também foi fundado o Fussball Club Porto Alegre, já extinto. O Tricolor é o sexto time mais antigo do país que segue na ativa.

Sport Club Rio Grande (Rio Grande-RS)
O clube mais antigo do Brasil em atividade (mas não de maneira contínua) surgiu em 19 de julho de 1900, na cidade de Rio Grande. Reuniu brasileiros, alemães e ingleses, sob a liderança de Johannes Minnemann.

Esporte Clube 14 de Julho (Santana do Livramento-RS)
A influência uruguaia permitiu que o 14 de Julho se tornasse o segundo clube gaúcho (e quarto no Brasil) ainda em atividade a disputar a sua primeira partida de futebol, em 1902.

Uruguaiana (Uruguaiana-RS)
A cidade fronteiriça, assim como Santana do Livramento, possui indícios de partidas de futebol desde o início da década de 1890. Os eventos ocorreram sob influência de uruguaios e argentinos, já iniciados no esporte.

MINAS GERAIS
Sport Club Foot-Ball (Belo Horizonte-MG)
O primeiro clube de futebol de Minas Gerais surgiu em 1904, fundado por Victor Serpa. Os estudantes que formavam a equipe também ajudaram a realizar a primeira edição do Campeonato de Belo Horizonte. Foi o primeiro adversário do Atlético Mineiro, em 1908.

Clube Atlético Mineiro (Belo Horizonte-MG)
Fundado por um grupo de estudantes e de proletários, o Atlético é o clube mineiro mais antigo em atividade. Surgiu em 1908, mas só entrou em campo pela primeira vez no ano seguinte.

Villa Nova Atlético Clube (Nova Lima-MG)
Segundo clube mais antigo de Minas Gerais ainda em atividade, logo depois do Atlético Mineiro, compensou sendo o primeiro a entrar em campo, em 1908. Teve sua origem entre mineradores e operários ingleses.

ESPÍRITO SANTO
Vitória Futebol Clube (Vitória-ES)
Inspirados pelo Fluminense, um grupo de estudantes capixabas que voltou de férias à Vitória criou o primeiro time de futebol do Espírito Santo. O clube, no entanto, não tinha sede e se constituía a partir da iniciativa de seus membros.

BAHIA
Sport Club Bahiano (Salvador-BA)
No antigo Campo da Pólvora, aconteceu o primeiro jogo da história do futebol baiano, organizado por Zuza Ferreira. Já em 1903, funcionários do comércio fundaram o Sport Club Bahiano, participante da primeira edição do estadual, dois anos depois.

Sport Club Victória (Salvador-BA)
O Vitória surgiu como um clube de críquete em 1899, iniciando suas atividades no futebol apenas dois anos depois. Assim, segue como o time de futebol mais antigo do Nordeste e o terceiro do Brasil que mantém-se atuante.

SERGIPE
Sport Club Lux (Aracajú-SE)
Os primeiros relatos de jogos de futebol em Aracaju datam de 1907. Dois anos depois, um grupo de estudantes criou o Sport Club Lux, depois renomeado para Club de Football Sergipano, equipe pioneira no estado.

ALAGOAS
Sport Club Penedense (Penedo-AL)
O futebol já tinha surgido de maneira esporádica em Maceió, mas o primeiro clube perene de Alagoas é o Penedense. A equipe surgiu em 1909, um ano depois do extinto Alagoano Football Club, da capital.

PERNAMBUCO
Sport Club do Recife (Recife-PE)
O Sport segue como o clube mais antigo de Pernambuco ainda em atividade, disputando o seu primeiro jogo em 1905. Os primeiros relatos do esporte no estado vêm de 1903, em peladas realizadas por imigrantes ingleses que viviam em Recife. Embora tenha sido fundado em 1901, o Náutico só iniciou o futebol oito anos depois.

PARAÍBA
Club de Foot Ball Parahyba (João Pessoa-PB)
Os primeiros registros do futebol na Paraíba vêm de 1908, quando estudantes trouxeram a bola e as regras do Rio de Janeiro. A iniciativa impulsionou a criação do Parahyba, presente na primeira partida do estado.

RIO GRANDE DO NORTE
Sport Club Natalense (Natal-RN)
A primeira bola de futebol chegou em Natal pelas mãos de dois irmãos que estudavam na Inglaterra. A partir disso, o Natalense surgiu em 1904. A maior organização do futebol portiguar, contudo, se deu em 1915, ano de fundação do ABC, do Alecrim e do América.

CEARÁ
Football Club (Fortaleza-CE)
Há divergências sobre as origens do futebol cearense, entre a passagem de um clube inglês em 1903 e a chegada da primeira bola, com José Silveira, no ano seguinte. No primeiro dia de 1904, no entanto, apareceu o primeiro time de futebol do Ceará, o Football Club.

PIAUÍ
Parnahyba Sport Club (Parnaíba-PI)
Clube mais antigo do Piauí que segue em atividade, o Parnahyba foi criado em 1913. Inspirado nos estádios ingleses, o Estádio Petrônio Portela foi inaugurado em 1920 e era conhecido como Casa Inglesa.

MARANHÃO
Fabril Athletic Club (São Luis-MA)
Nhozinho Santos, que hoje dá nome um dos principais estádios do Maranhão, levou o futebol ao estado em 1905. Após estudar na Inglaterra, trouxe a novidade aos funcionários da fábrica têxtil onde trabalhava. Assim, criou-se o Fabril, que disputou o primeiro jogo em 1907.

PARÁ
Largo de Nazaré (Belém-PA)
O local no centro de Belém tem seus relatos de bate-bolas em 1890, antes mesmo da chegada de Charles Miller. Os rachões eram organizados por imigrantes ingleses que viviam na capital paraense.

AMAZONAS

Na ilustração: Disputa entre Brazil e Racing Club

Racing Club (Manaus-AM)
Fundado em 1906, o Racing foi idealizado por José Conduru Pacheco, maranhense que teve contato com o futebol em Manaus. Meses depois surgiu o Manáos Sport Club, criado por ingleses e principal rival do Racing.

ACRE
Xapury Sport Club (Xarupi-AC)
Os primeiros registros de futebol no Acre vêm de 1912, na cidade de Xapuri. Por lá, surgiram os dois primeiros clubes, o Xapury Sport Club e o Commercial Football Club, em 1915. Quatro anos depois, a capital Rio Branco teria as suas equipes pioneiras – o Acreano e o Rio Branco.

MATO GROSSO
Cuiabá Futebol Clube (Cuiabá-MT)
O futebol se iniciou no antigo estado de Mato Grosso em 1905. Entre 1911 e 1915, surgiram as equipes pioneiras da região: Americano, Paulistano, Royal, Internacional e Cuiabá Futebol Clube. O primeiro jogo, no terreno que hoje abriga a Câmara Municipal de Cuiabá, em 1913, com vitória do Cuiabá sobre o Internacional.

GOIÁS
Goyaz Football Club (Goiânia-GO)
As primeiras notícias do futebol em Goiás surgem em 1907, a partir da iniciativa de estudantes. Dois anos depois, fundou-se a primeira equipe da história do estado: o Goyaz Football Club. Além disso, o esporte também se desenvolvia em colégios de cidades do interior, como Catalão.

FONTE: O nascimento do futebol brasileiro em Itu (SP)
Futebol Nacional
Endereços desconhecidos em São Paulo guardam a história do futebol brasileiro
ESTADUAIS 2014 – SÃO PAULO – TODOS OS CAMPEÕES
Um passeio pelas origens do futebol brasileiro no aniversário de São Paulo
Documentário – Estádios Extintos
(SPAC) O CLUBE DOS INGLESES “120 anos de tradição”
Craque, artilheiro, técnico, cartola: Charles Miller não foi só o “pai do futebol no Brasil”
Serra do Mar: Paranapiacaba e Estrada Velha de Santos – Perguntas e Respostas
Fotos antigas do Rio de Janeiro
Parque Municipal: Berço do futebol mineiro
CAMPO DO COLÉGIO CATARINENSE – 100 ANOS

 

O Autopel Sport Club é uma agremiação do Município de Girau do Ponciano (com 40.100 habitantes, segundo o IBGE de 2010), localizado a 159 km da capital Maceió (AL). Fundado em 1981, a sua Sede fica localizada na Rodovia AL 115, s/n – Km 27, no Bairro Progresso, em Girau do Ponciano. O Autopel disputou o Campeonato Alagoano da 2ª Divisão de 1991. Mas após algumas rodadas acabou desistindo da competição por problemas financeiros.

 

Fontes: página do clube no Facebook – Rsssf Brasil

 

Nem sempre é possível redesenhar alguns escudos. Porém, mesmo assim, não é justo privar certas relíquias e não postá-los. Por isso, duas fotos raras da Seleção Alagoana de futebol num intervalo de meio-século.

1929 - Coligação Esportiva de Alagoas

 

1979 - O trio alagoano: Aranha, Djalma Sales e Lourival

Fotos: Lauthenay Perdigão

 

Encontrei um escudo que foge dos padrões do C.S.E. (Clube Sociedade Esportiva), da cidade de Palmeiras dos Índios (AL). É do time de 1967, como é possível ver na foto posada abaixo, com a seguinte escalação. Em pé: Deda. Zé Luiz. Normando. Dija. Mario e Zé Leite. Agachados: Roberval. Salê. Brás. Aranha e Guaraná.

Fonte: Arquivos Implacáveis (página no Facebook) 

 

 

 

Década de 60

 

Fontes e Fotos: Álbum Craques do Robertão – Lauthenay Perdigão

 

Para quem curte escudos, segue um modelo de escudo dos anos 80, do Ipanema Atlético Clube  da cidade Santana do Ipanema. Fundado no dia 05 de Maio de 1923, como Ipanema Sport Club, mais tarde mudando para Ipanema Atlético Clube. Em 1992, o Ipanema obtém sua melhor colocação no Campeonato Alagoano, terminando com o vice-campeonato. No ano seguinte, outra boa campanha faria com que o Ipanema terminasse em terceiro lugar na classificação final. Abaixo a foto do ídolo da equipe Canarinho: Valdo.

Fontes e Foto: Wikipédia – Lauthenay Perdigão

 

O Esporte Clube Estivadores foi uma agremiação da cidade de Maceió (AL).  O time maceioense disputou o Campeonato Alagoano da Primeira Divisão em  cinco oportunidades: 1961, 1962, 1963, 1964 e 1965.

Contudo, com campanhas modestas! O seu melhor resultado aconteceu no 1963, quando foi derrotado na decisão do Torneio Início pelo CRB pelo placar de 1 a 0. As colocações do Esporte Clube Estivadores nos cinco campeonatos estaduais:

1961 (num total de cinco clubes) o Estivadores terminou na quarta posição;

1962 (num total de dez clubes) o Estivadores terminou na quarta posição;

1963 (num total de nove clubes) o Estivadores terminou na quinta posição;

1964 (num total de sete clubes) o Estivadores terminou na terceira posição;

1965 (num total de sete clubes) o Estivadores terminou na sexta posição.

Fontes e Fotos: Rssf Brasil – Museu dos Esportes

 

Contando com as preciosas pesquisas do ex-jogador, jornalista, escritor  Lauthenay Perdigão… Desenterramos mais uma história: Trata-se do Esporte Clube Maceió, ou simplesmente Esporte, que foi uma agremiação da cidade de Maceió (AL).

Fundado numa quinta-feira do dia 12 de Abril de 1934, o Esporte disputou 4 (quatro) Campeonatos Alagoanos de Futebol: 1944,1945, 1946 e 1947. Mas poderia ter sido cinco participações uma vez que o time disputaria o Estadual de 1943, mas por uma série de problemas acabou sendo cancelada.

E.C. Maceió foi goleado pelo CSA por 22 a 0

Sem nenhuma participação de destaque o Esporte poderia ter passado sem ser notado. Contudo, no Estadual de 1944, a equipe acabou sendo atropelada pelo CSA pelo impressionante placar de 22 a 0! Abaixo, uma foto da camisa do Esporte que foi gentilmente cedida pelo amigo Lauthenay Perdigão.

 História desse apoteótico jogo

O CSA tentou transferir o jogo para aceitar um convite e jogar em Garanhuns. O Esporte não aceitou. O mando de campo era o time de Zé Rodrigues que levou o jogo para o campo da Pajuçara. O CSA tentou levar a partida para o Mutange, chegando a oferecer toda a renda para o Esporte.

O E.C. Maceió também não aceitou. Comentou-se, na época, que dirigentes e jogadores do clube azulino fizeram um pacto para fazer o maior número de gols possíveis dentro da partida.

Na semana do jogo, o Tribunal de Penas da Federação suspendeu quatro jogadores do Esporte. Eles haviam se envolvido no jogo violento da partida contra o Olavo Bilac no domingo anterior. Dirigentes do clube de Zé Rodrigues chegaram a pensar em entregar os pontos. Terminaram desistindo.

No dia 28 de janeiro de 1944, no Estádio Severiano Gomes Filho, e arbitragem de Waldomiro Breda, jogaram Esporte Clube Maceió e CSA. Zé Rodrigues que tinha problemas na escalação do seu time, foi obrigado a colocar em campo quatro atletas que haviam jogado na partida preliminar: Orlando, Pé de Samba, Mudico e Laurinho.

Mesmo assim, os jogadores do CSA não perdoaram. Fizeram 7 gols no primeiro tempo e 15 no segundo. Os artilheiros foram Caio Mario (nove gols); Dengoso (cinco); Sales e Montoni (ambos com três); Valdir e Ariston (cada um gol um tento).

Fontes e Foto: Rssf Brasil – Lauthenay Perdigão

 

O Ferroviário Atlético Clube foi uma agremiação da Cidade de Maceió (AL). Fundado no dia 02 de Maio de 1937, o clube teve o período áureo na década de 50. Nessa publicação vamos falar das quatro vezes em que o clube mudou as suas cores.

Contando com a preciosa colaboração do renomado amigo, jornalista, escritor e pesquisador Laércio Becker que me cedeu gentilmente o livro “Quando o Futebol Andava de Trem: memórias dos times ferroviários brasileiros“, do autor Ernani Buchmann (Editora: Imprensa Oficial do Paraná).

Nela, aborda que o Ferroviário Atlético Clube de Maceió (AL), dias depois da sua fundação (que ocorreu), um diretor da Estrada de Ferro doou o uniforme: camisa na cor ouro e short azul. Na sua estreia o Ferroviário acabou derrotado pelo Flamengo E.C. da Praça Deodoro pelo placar de 2 a 0.

Em 1948 inaugurou a sua Sede própria, que foi palco das mais famosas festas de São Félix. Para ser sócio do clube a pessoa deveria ser empregado ou aposentado da Viação Férrea.

Alguns anos depois o Ferroviário trocou a cor ouro pelo branco, mas mantendo a cor azul. Nos anos 50 veio a mudança do escudo (aquele conhecido) e outra troca: saiu o azul e entrando o verde.

Coincidência ou não, o Ferroviário Atlético Clube, chegou ao seu auge. Em 1951 se profissionalizou, no ano seguinte foi campeão do Torneio Início; levantou a taça do Campeonato da Capital em 1953; faturou o inédito título do Campeonato Alagoano da Série A de 1954; além dos vice-campeonatos: 1952, 1953 e 1956.

O Ferroviário foi a base da Seleção Alagoana de Futebol nos anos de 1953 e 1954, quando a principal competição nacional era o Campeonato Brasileiro de Seleções estaduais.

O seu último lampejo aconteceu em 1977, quando o Ferroviário montou um time forte. Depois, sem torcida, associados o “trem descarrilou dos trilhos” e caiu para a Segunda Divisão.

No início dos anos 80, a última tentativa desesperada o clube trocou as cores pela quarta e última vez: saiu o alviverde e entrou o áureo-rubro. No entanto, o seu último “suspiro” não deu certo. O clube acabou eliminado da Segundona Alagoana por falta de pagamento das taxas devidas à Federação Alagoana de Futebol.

 

Fontes: Wikipédia – Laercio Becker – o livro “Quando o Futebol Andava de Trem: memórias dos times ferroviários brasileiros”, do autor Ernani Buchmann  

 

Amigos e membros, após alguns dias fazendo contatos, cheguei até o jornalista Sidney Barbosa, depois até o pesquisador Laércio Becker e por fim no maior pesquisador do futebol alagoano na atualidade: Lauthenay Perdigão.

Lauthenay foi ex-jogador, depois jornalista, escritor e pesquisador, que recentemente lançou o livro “História do Futebol Alagoano – Arquivos Implacáveis(num total de 199 páginas).

Neste link uma reportagem feita pelo GloboEsporte.com sobre esse livro:

http://globoesporte.globo.com/al/noticia/2014/10/memoria-lauthenay-perdigao-lanca-livro-sobre-historia-do-futebol-em-al.html.

Com esse ‘Trio de Ferro‘ uma promessa de novos resgates. O primeiro deles se trata do vice-campeão alagoano de 1945: O América Esporte Clube foi uma agremiação da cidade de Maceió (AL).

Após uma fusão entre o Andaray Football Club (fundado no dia 22  de Fevereiro de 1939) e Oceano Esporte Clube (fundado no dia Primeiro de Janeiro de 1936), nascia o América Alagoano numa quinta-feira, do dia 02 de Fevereiro de 1944.

Tanto o Andaray F.C. quanto o Oceano E.C. disputavam o Campeonato Alagoano da Segunda Divisão até 1943. Contudo, como ambos não tinham condições financeiras para continuar fecharam suas portas.

Apaixonados pelo futebol, os dirigentes dos dois clubes se juntaram e criaram o América Esporte Clube, que era formado mais por estudantes universitários. A ideia deu resultado e no ano seguinte a equipe Alviverde debutava na elite do futebol alagoano.

Ao todo foram 5 (cinco) campeonatos alagoanos: 1944, 1945, 1946, 1948 e 1949. O principal título aconteceu em 1948, quando o América Alagoano se sagrou campeão do Torneio Início. Já no Campeonato alagoano, o América bateu na trave em 1945, ficando com o vice-campeonato de baixo de muita polêmica que explicarei abaixo.

 

Breve relato do Campeonato Alagoano de 1945

A competição foi disputado com dois turno de pontos corridos. Participaram 10 (dez) clubes: Santa Cruz, CRB, CSA, Comércio, Esporte Clube Maceió, Barroso, Alexandria, Olavo Bilac, ADA e América.

O Santa Cruz não esteve muito bem no primeiro turno. Entretanto, na segunda etapa perdeu apenas uma partida. O campeonato foi cheio de problemas, o Santa Cruz terminou conquistando o título de uma forma imprevista.

O jogo programado era Comercio e Santa Cruz. Se o Comercio ganhasse, o Santa Cruz iria disputar o título com o América. Contudo, aconteceu o que ninguém esperava. O Comercio entregou os pontos ao Santa Cruz que se sagrou campeão sem disputar a partida programada. Quem não gostou desta decisão foi o América. Seus dirigentes protestaram junto a Federação, mas sem sucesso.

 PS: Gostaria de esclarecer que este clube jamais foi vermelho e branco! Desde a sua fundação até o seu último dia o América sempre foi alviverde!

 

 Fontes: Lauthenay Perdigão (Laureado jornalista, ex-jogador e pesquisador do futebol alagoano) – Laércio Becker – Rsssf Brasil 

Fotos: Museu dos Esportes

 

 

Fundada em 14.03.1927 como Coligação Esportiva de Alagoas, transformou-se em 14.03.1934, em Federação Alagoana de Desportos e, desde 14.02.1991 aos dias atuais, chama-se Federação Alagoana de Futebol.

» Boa parte dos clubes de Alagoas, são conhecidos por siglas, vejamos:
CRB – Clube de Regatas Brasil; CSA – Centro Sportivo Alagoano;
ASA – Agremiação Sportiva Arapiraquense, mas foi fundado com o nome Agremiação Sportiva de Arapiraca; CSE – Clube Sociedade Esportiva, mas chamou-se Centro Social Esportivo até 1998.

» 22/01/1948 CSA 22 x 0 E.C.Maceió – nesta partida Caio Mário fez 10 gols, igualando o recorde anterior de gols em uma única partida que pertencia a Mascote, jogador do Sampaio Corrê/MA.

» Fernando Collor de Mello, ex Presidente do Brasil, já foi dirigente de futebol. Presidiu o CSA em 1976.

» Até se tornar o grande clube do futebol das Alagoas, o ASA de Arapiraca, foi eternizado por Francis Hime e Chico Buarque com a música “E se”. Num dos trechos da música, que tornavam o clube sinônimo de pequeno, tinha o seguinte verso: “E se o Arapiraca for campeão…”

» Com o surgimento no futebol profissional do Corinthians e o crescimento do Asa e outros clubes interioranos, o CSA acabou rebaixado para Segunda divisão em 2003 e 2009.

» Em 1999, o CSA, conquistou o Vice-campeonato de uma competição continental, a Copa Conmebol, proeza que dificilmente outro clube do estado alcançará. Teve ainda o artilheiro do campeonato, Missinho (05 gols). A final foi com o Talleres, da Argentina.

» O Dínamo Esporte Clube, de Maceió, durante muito tempo ficou conhecido como o time da família crustácio – é que os dirigentes eram os irmãos Mané Caranguejo, Jorginho Siri, Pêu (campeão Intercontinental pelo Flamengo/RJ) e dona Maria, mãe dos três.

» Joãozinho Paulista, no campeonato alagoano de 1984, fez 34 gols, tornando-se o recordista em uma única competição do alagoano. Onze anos depois (campeonato alagoano de 1995), o meia Inha quebraria o recorde de Joãozinho ao fazer 37 gols. Os dois jogavam pelo CRB.

 

Fonte: Site do C.S. Capelense

 

O Esporte Clube Alagoas foi uma agremiação da cidade de Maceió (AL). O clube disputou três campeonatos alagoanos seguidos:  1954, 1955 e 1956. Importante ressaltar que esta equipe não tem nenhuma relação com o time homônimo fundado em 1995.

O E.C. Alagoas foi formado por alguns dirigentes e jogadores do CRB. Brigaram com o clube e saíram para formar o E.C.Alagoas. Usavam um uniforme idêntico e com as cores do Fluminense do Rio. Disputou três campeonatos: 1954.1955 e 1956.

Time posado de 1954

Time posado de 1955

 

Fonte e Fotos: Rsssf Brasil / Site Museu dos Esportes / Lauthenay Perdigão

 

Amigos, por essas andanças muitas histórias são desvendadas, outras ainda estão a espera para serem resgatadas e outras para serem solucionadas. Neste caso, talvez o termo mais justo é: dar um passo a frente.

Encontrei uma foto em bom estado do Esporte Clube Alexandria que foi uma agremiação da cidade de Maceió (AL). Nela é possível ver o escudo na camisa do goleiro, e, com isso, redesenhei  observando as tonalidades (mesmo estando em preto e branco).

O Alexandria era um clube que pertencia a fábrica Alexandria e funcionava no bairro do Bom Parto, em Maceió. A equipe Alvinegra foi Fundada no dia 21 de novembro de 1935, mas só começou a disputar o campeonato alagoano em 1937 e ficou até 1954. Ao todo foram 8 (oito) participações no campeonatos alagoanos: 1937, 1945, 1946, 1947, 1951, 1952, 1953 e 1954. E o ápice aconteceu no Estadual de 1947, quando faturou o título inédito.

Time posado do E.C. Alexandria de 1948

 

Uma breve História do Título de 1947

O Campeonato Alagoano de 1947 contou com a participação de 6 (seis) clubes, todos da cidade de Maceió: CSA (Centro Sportivo Alagoano); CRB (Clube de Regatas Brasil); Comércio Esporte Clube; Esporte Clube Barroso; Esporte Clube Maceió e Esporte Clube Alexandria.A diretoria do Alexandria montou um plantel forte e, somado a má fase dos tradicionais clubes CSA e CRB, chegaram na decisão com outra agremiação considerada “pequena”, o Barroso.No primeiro turno, o Alexandria não perdeu para ninguém conquistou esta fase do campeonato garantindo sua presença na final. Na segunda etapa do certame, o Alexandria não teve as mesmas atuações e terminou cedendo a classificação para o Barroso.Conhecido os dois vencedores de turnos, a Federação Alagoana de Desportos programou uma melhor de três para decisão do campeonato de 1947. Decisão que somente começou em março de 1948. Demonstrando que era realmente o melhor time da temporada.O Alexandria venceu o primeiro e o segundo jogo. Como colocou um jogador irregular na segunda partida, o Alexandria perdeu os pontos e foi necessário um outro jogo. O atacante do CSA, Zé Maria foi o artilheiro do certame com 14 gols. A campanha do Esporte Clube Alexandria: foram 13 jogos com seis vitórias, dois empates e quatro derrotas; marcando 38 gols, sofrendo 23 e com um saldo pomposo de 15.

Alexandria - campeão de 1947. Em pé: Temistocles (técnico). Jau, Bandeira, Crispim, Dinho, Galego, Euclides e Cleto Marques (presidente), Agachados: Caverinha, Bequinho, Seu Zé, Bemvindo e Toscano.

PRIMEIRO TURNO:
(Vencedores se qualificavam para a Final)

 

Alexandria 2 x 1 CSA
CRB 6 x 1 Esporte
Barroso 3 x 3 Comércio

 

CSA 5 x 0 Esporte
CRB 3 x 2 Barroso
Alexandria 4 x0 Comércio

 

Barroso 3 x 2 Esporte
CSA 6 x 5 Comércio
CRB 1 x 0 Alexandria

CSA 1 x 1 Barroso
Alexandria 5 x 1 Esporte
Comércio 4 x 1 CRB

 

Alexandria 2 x 1 Barroso
CRB 4 x 4 CSA
Comércio 6 x 2 Esporte

 

CLASSIFICACAÇÃO DO PRIMEIRO TURNO

 

NO

CLUBES

PG

J

V

E

D

GP

GC

SG

1O

Alexandria

8

5

4

0

1

13

4

9

2O

CRB

7

5

3

1

1

15

11

4

3O

CSA

6

5

2

2

1

17

12

5

4O

Comércio

5

5

2

1

2

18

16

2

5O

Barroso

4

5

1

2

2

10

11

-1

6O

Esporte

0

5

0

0

5

6

25

-19

SEGUNDO TURNO:

(Vencedores se qualificavam para a Final)

 

Alexandria 2 x 2 CSA
CRB 4 x 2 Esporte
Barroso 5 x 0 Comércio

 

CSA 11 x 0 Esporte
Barroso 2 x 1 CRB
Comércio 5 x 3 Alexandria

 

Barroso 6 x 1 Esporte
CSA 2 x 2 Comércio
CRB 4 x 1 Alexandria

 

CSA 5 x 0  Barroso
Alexandria 6 x 0  Esporte
CRB 5 x 2  Comércio

 

Barroso 5 x 2 Alexandria

CSA 3 x 3 CRB (jogo anulado; CSA jogou com jogador irregular – Zé Maria)
CRB 3 x 2 CSA (Novo jogo)
Esporte x Comércio (Não se tem o resultado, provavelmente cancelado)

 

CLASSIFICACAÇÃO DO SEGUNDO TURNO

NO

CLUBES

PG

J

V

E

D

GP

GC

SG

1O

Barroso

8

5

4

0

1

18

9

9

2O

CRB

8

5

4

0

1

17

9

8

3O

CSA

6

5

2

2

1

22

7

15

4O

Alexandria

8

5

1

1

2

14

16

-2

5O

Comércio

3

4

1

1

2

9

15

-6

6O

Esporte

0

4

0

0

4

3

27

-24

 

JOGOS FINAIS

 

 PRIMEIRO JOGO (Domingo, dia 28 de Março de 1948):

ALEXANDRIA         3          X         1          BARROSO

Estádio: Pajuçara

Juiz: Cláudio Regis

Gols: Bequinho, Bemvindo e Caverinha marcaram para o Alexandria; enquanto Jack descontou para o Barroso.

ALEXANDRIA: Bandeira; Dé e Jaú; Euclides II, Galego e Euclides I; Caverinha, Bequinho, Seu Zé, Bemvindo e Toscano. Técnico: Temistocles
BARROSO: Epaminondas; Eraldo e Louvain Ayres; Paurilio, Djalma e Severino; Nelson Deluva, Jack, Biquara e Hilton.
Observação importante: O Alexandria perdeu os pontos. Colocou o jogador Euclides II irregular. Euclides não tinha condições de jogo.

 

 

SEGUNDO JOGO (Domingo, dia 04 de Abril de 1948):

ALEXANDRIA         7          X         1          BARROSO

Estádio: Mutange

Juiz: Cláudio Regis

Gols: Bequinho e Seu Zé, ambos marcaram duas vezes; Toscano e Caverinha assinalaram os tentos para o Alexandria; enquanto Jack fez o de honra para o Barroso.

ALEXANDRIA: Bandeira; Crispim e Jaú; Dé, Galego e Euclides I; Caverinha, Bequinho, Seu Zé, Benvindo e Toscano. Técnico: Temistocles

BARROSO: Epaminondas; Eraldo e Louvain Ayres; Paurilio, Djalma e Severino; Nelson, Deluva, Santiago, Jack e Hilton.

 

 

TERCEIRO JOGO (Domingo, dia 11 de Abril de 1948):

ALEXANDRIA         1          X         1          BARROSO

Estádio: Pajuçara

Juiz: Cláudio Regis

Gols: Caverinha marcou para o Alexandria; e Severino fez para o Barroso.
ALEXANDRIA: Bandeira; Crispim e Jaú; Dé, Galego e Euclides I; Caverinha, Bequinho, Seu Zé, Benvindo e Toscano.Técnico: Temistocles
BARROSO: Epaminondas; Eraldo e Louvain Ayres Djalma, Biquara e Paulo; Hilton, Deluva, Jack, Severino e Luiz.

 

Fontes: Site do C.S. Capelense / Rsssf Brasil / Lauthenay Perdigão

Fotos: Site do Museu dos Esportes

 

O Tiradentes Esporte Clube foi uma agremiação da cidade de Maceió (AL). O clube Alviverde, que surgiu no início da década de 50, era formado por estudantes e comandado por Ivon Cordeiro. Naquela época existiam algumas grandes equipes do futebol alagoano na categoria juvenil que eram formados por estudantes. Os jogos entre essas equipes empolgavam os torcedores.

O Tiradentes não se limitava a fazer jogos na capital, mas também excursionava pelo interior e outros estados. Em 1955, o Alviverde foi até a capital pernambucana, onde enfrentou o Sport Recife, no Estádio da Ilha do Retiro. No rubro-negro pernambucano dois jogadores que viriam a ganhar projeção nacional: o goleiro Manga e o atacante Almir Pernambuquinho. Mostrando um bom futebol o Tiradentes vendeu caro a derrota pelo placar de 2 a 1.

Na foto abaixo, o jogador Lauthenay vestindo um traje da delegação alagoana: Calça e camisa branca e um paletó cinza com o escudo do Tiradentes.

Neste mesmo ano, o Tiradentes foi a até Palmeira dos Índios para enfrentar o CSE e venceu por 2 a 0. Na foto abaixo, o time posado do Tiradentes, ao fundo o antigo estádio de Palmeira dos Índios.

Em pé: Carrinho (massagista), Walmar, Ionildo, Cleistenes, Geninho, Jedir, Barra e Ivon Cordeiro (técnico).

Agachados: Agreman, Sarmento, Lauthenay, Aguiar e Tazinho.

 

 Fonte e Fotos: Museu dos Esportes (http://museudosesportes.blogspot.com.br/)

 

 

Prezados,

Segue um outro escudo do Grêmio Deodoro da Fonseca, de Marechal Deodoro-AL.

O clube foi campeão amador alagoano em 1996 e 1997 e disputou a segundona em 1998.

 

 

 

 

 

Fonte: Edimar Moreira

Segue abaixo o único escudo que possuía:

 

 

 

Prezados, mas uma fusão…

O Corinthians Alagoano, pelo que foi divulgado, absorveu o AA Santa Rita, formando o SC Santa Rita.

Em relação ao campeonato, o CNPJ continuará sendo o do Corinthians. Já o AA Santa Rita deixa de existir. Tanto que abdicou da vaga que tinha por ter sido campeão da segunda divisão em 2013 e com isso cedeu a vaga para o terceiro colocado, o Penedense.

Cabe saber se foi realmente isso ou se o Corinthians mudou de sede (para Boca da Mata) e o AA Santa Rita licenciou-se (ou fechou as portas).

Segue o novo escudo (fonte:  facebook do clube -  http://www.facebook.com/sportclubsantarita ):

 

 

Esse é o atual escudo da Sociedade Esportiva São Luiz de São Luiz do Quitunde (AL). O clube disputou em 2013 a Segunda Divisão Alagoana, ficando na 4ª colocação.

Sociedade Esportiva São Luiz
Fundação: 15/09/2000
Endereço: Rua Coelho Cavalcante 1, São Luiz do Quitunde (AL), CEP 57920-000
CNPJ: 04.235.348/0001-19

 

fontes: RSSSF e blog Museu do Esporte

 

Prezados,

Pesquisando a segundona alagoana deste ano, deparei-me com o Futebol Clube Comercial de Viçosa:

Aparentemente é um clube novo. Até aí tudo bem. Mas ano passado na mesma segunda divisão, o time inscrito era outro: Comercial EC:

Creio que ambos não tem relacionamento direto com o antigo Comercial FC (apesar da semelhanda dos distintivos).

Alguém saberia explicar a relação entre o FC Comercial de Viçosa e o Comercial EC?

 

 

EQUIPES PARTICIPANTES:

 

EQUIPE

CIDADE

001

ASSOCIAÇÃO SPORTIVA SÃO DOMINGOS MACEIÓ / CORURIPE – AL

002

FUTEBOL CLUBE COMERCIAL DE VIÇOSA VIÇOSA – AL

003

DÍNAMO ESPORTE CLUBE MACEIÓ / MURUCI – AL

004

IGREJA NOVA FUTEBOL CLUBE IGREJA NOVA / PENEDO – AL

005

IPANEMA ATLÉTICO CLUBE SANTANA DO IPANEMA – AL

006

SOCIEDADE SPORTIVA 7 DE SETEMBRO MACEIÓ / CORURIPE – AL

007

UNIÃO FUTEBOL CLUBE UNIÃO DOS PALMARES – AL

 1ª FASE

GRUPO A

 

22.09.2012

IGREJA NOVA

0-0

UNIÃO

29.09.2012

IPANEMA

1-1

IGREJA NOVA

04.10.2012

UNIÃO

1-1

IPANEMA

 

 

 

J

V

E

D

GP

GC

PG

01º

IPANEMA

02

00

02

00

02

02

00

02º

UNIÃO

02

00

02

00

01

01

02

03º

IGREJA NOVA

02

00

02

00

01

01

02

 GRUPO B

 

22.09.2012

7 DE SETEMBRO

2-1

SÃO DOMINGOS

23.09.2012

COMERCIAL

2-1

DÍNAMO

29.09.2012

SÃO DOMINGOS

4-0

DÍNAMO

29.09.2012

7 DE SETEMBRO

1-1

COMERCIAL

04.10.2012

DÍNAMO

0-2

7 DE SETEMBRO

04.10.2012

COMERCIAL

2-2

SÃO DOMINGOS

 

 

 

J

V

E

D

GP

GC

PG

01º

7 DE SETEMBRO

03

02

01

00

05

02

07

02º

COMERCIAL

03

01

02

00

05

04

05

03º

SÃO DOMINGOS

03

01

01

01

07

04

04

04º

DÍNAMO

03

00

00

03

01

08

00

 SEMI FINAL

14.10.2012

COMERCIAL

2-0

IPANEMA

14.10.2012

UNIÃO

1-0

7 DE SETEMBRO

20.10.2012

IPANEMA

1-2

COMERCIAL

21.10.2102

7 DE SETEMBRO

0-0

UNIÃO

FINAL

25.10.2012

UNIÃO

0-1

COMERCIAL

28.10.2012

COMERCIAL

2-2

UNIÃO

 * COM ESTES RESULTADOS, O FUTEBOL CLUBE COMERCIAL DE VIÇOSA SAGROU-SE CAMPEÃO ALAGOANO – 2ª DIVISÃO DE 2012.

 

O Jacyobá Futebol Clube é uma agremiação do Município Pão Açúcar (AL). O clube pãodeaçucarense foi Fundado no dia 25 de Janeiro de 1964. A sua Sede fica localizada na Rua Professor José de Freitas Machado, s/n – no Centro de Pão de Açúcar. A equipe manda os seus jogos no Estádio Antônio Gomes.

O Jayobá F.C. é o atual campeão Alagoano Sub-18, organizado pela Federação Alagoana de Futebol (FAF). Na decisão em 2011, o time venceu, em casa, o União Desportiva por 2 a 0 (25 de agosto). E na partida de volta, o Jacyobá arrancou um empate em 1 a 1 (28 de agosto), assegurando o caneco.  

O pequeno município, com cerca de 24 mil habitantes (Censo IBGE/2010), fica a 230 km da capital alagoana de Maceió.

 

Fontes: Federação Alagoana de Futebol (FAF) / Wikipédia  

 

 

O Guarany Futebol Clube é uma agremiação da Cidade de Alagoas (AL). O clube foi Fundado no dia 1º de Maio de 1949. A sua Sede fica localizado na Rua Pedro Paulino, s/n – no Bairro do Poço, em Maceió.

A sua maior glória foi à conquista, de forma invicta, do Campeonato Suburbano de 1962. O Guarany disputou o Campeonato Alagoano da 1ª Divisão por 14 vezes: 1963, 1965, 1966, 1967, 1968, 1969, 1970, 1971, 1972, 1973, 1974, 1975, 1976 e 1977.

 

 

O Clube Desportivo Real Deodorense é uma agremiação do Município de Marechal Deodoro (AL). O clube foi Fundado em 1° de fevereiro de 1975, o então Clube Desportivo Sumaúma foi a primeira agremiação desportiva de Marechal Deodoro.

Somente em 2007, que mudou de nome, passando a se chamar Clube Desportivo Real Deodorense. No início, o Real Deodorense visava prioritariamente desenvolver um projeto social.

Contuido com o passar do tempo e a dedicação de todos da família Real Deodorense vieram os mais importantes títulos, transformando, na maior e mais querida agremiação futebolística do Município.

Atualmente, o Clube Desportivo Real Deodorense se encontra entre os melhores times da categoria infantil, sendo o único clube bi-finalista do Campeonato SESI/TV Gazeta (Campeão 2008 e Vice 2009) e Semifinalista do Campeonato Alagoano 2009.

 

Fonte: Orkut Real Deodorense

 

 

O Centro Sportivo Lisbonense é uma agremiação da Cidade de Maceió (AL). O clube foi Fundado no dia 26 de Março de 1962. A sua Sede fica localizada na Vila ABC, s/n – no Bairro de Fernão Velho, em Maceió. O C.S. Lisbonense filiado à Federação Alagoana de Futebol (FAF) participa do Campeonato Amador Alagoano.

 

 

A UDA – União Desportiva Alagoana é uma agremiação da Cidade de Maceió (AL). O clube Fundado em 2010 tem a sua Sede localizada na Avenida Dr. Antônio Cansanção, 757/ Sl. 105, no Bairro da Ponta Verde, em Maceió.

As suas cores oficiais são: laranja, preta e branca. A UDA disputa o Campeonato Amador Alagoano, organizado pela Federação Alagoana de Futebol (FAF).

 

Fonte: Blog da UDA

 

O Mundaú Atlético Clube é uma agremiação amadora da Cidade de Maceió (AL). O clube Alvinegro foi Fundado no dia 02 de Maio de 1962. A sua Sede fica localizado no Bairro de Santo Amaro, em Maceió. A equipe manda os seus jogos no Estádio Municipal da Lagoa Mundaú.

 

 

Em 1951, a Arapiraca, uma pequena cidade do interior de Alagoas recebeu a  empresa Camilo Colier para construção da estrada de ferro e isso exigia o trabalho de muita gente. E essas pessoas buscavam algum meio de diversão nos dias de folga. Como não poderia deixar de ser, o futebol estava em primeiro lugar. E a pedido dos funcionários, a direção da empresa resolveu construir um campo de futebol.

Formou-se o time, que obteve o sugestivo nome de Ferroviário, com as cores preto e branco. As tardes de domingo da cidade passaram a ser mais movimentadas, pois seus habitantes tinham lugar certo para ir, o campo da estação.

Mas a construção da estrada de ferro foi concluída. O Ferroviário acabou. A diversão das tardes de Domingo não existia mais. No entanto, empresários e autoridades da cidade não estavam conformados com o vazio provocado pela falta do futebol. Após várias discussões, surgiu, assim, no dia 25 de setembro de 1952, a ASSOCIAÇÃO SPORTIVA DE ARAPIRACA, era “o” ASA que surgia.

Ao longo dos anos o clube sofreu varias modificações no seu escudo:

a partir de 2000

a partir de 2000

 

 

Meus amigos… Acabei de ler uma notícia, que não foi nenhuma surpresa para mim, de que o folclórico atacante Túlio Maravilha foi demitido do “poderoso” C.S.E de Alagoas. Sem querer me estender, gostaria de comentar apenas o seguinte: será que um jogador campeão Brasileiro em 1995, precisava passar pelo constrangimento de ser dispensado por equipes de pouca expressão, não no futebol brasileiro, mas sim no próprio estado. Um final de carreira melancólico para um objetivo sem provas (afinal, nem o próprio Túlio apresentou essa lista enumerando esses supostos 985 gols): querer chegar ao milésimo gol!   

 

Link da matéria postada no Site UOL:  http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2012/04/09/tulio-maravilha-deixa-cse-al-e-fica-desempregado-na-busca-pelo-milesimo-gol.htm

 

Foto: Arquivo pessoal

 

 O Jatobá Futebol Club é uma agremiação do município de Palmares, em Alagoas. A equipe Alviverde palmarina disputa as competições amadoras da região.

 

Curiosos nomes dos times da cidade de Barra de São Miguel em Alagoas:

 

 

 

 

 

 

Saco Mucho Futebol Clube

 

 

 

 

 

 

 

Coração Gelado Futebol Clube

 

Cidade: Barra de São Miguel – AL

Fundação: Sem informação

Situação: Amador

 

fonte: escudosnordeste.blogspot.com

 

 

O Esporte Clube São José, fundado em 1979, é do município de Quebrangulo, que fica ao norte de Alagoas, a 115 km da capital de Maceió (AL).  Apesar de ser uma cidade pequena (ocupa uma área territorial de 342 km²  e com cerca de 12 mil habitantes), Quebrangulo conta com dois ilustres personagens brasileiros:

 

o escritor Graciliano Ramos (autor de várias obras: Vidas Secas, Memórias do Cácere, entre outros); e  o político Natalício Tenório Cavalcante de Albuquerque, mais conhecido como ‘O homem da preta’, que lhe rendeu um filme em 1986. No Campeonato Municipal de Quebrangulo, o São José é Heptacampeão, além de ter um título da Copa dos Campeões.

 

 

O Hoje extinto Alexandria era um clube que pertencia a fábrica Alexandria e funcionava no bairro do Bom Parto em Maceió. Seus dirigentes formaram uma excelente equipe que, aproveitando a má fase dos tradicionais clubes CSA e CRB, decidiram o titulo com outra agremiação considerada “pequena”, o Barroso. No primeiro turno, o Alexandria não perdeu para ninguém conquistou esta fase do campeonato garantindo sua presença na decisão. Na segunda etapa do certame, o Alexandria não teve as mesmas atuações e terminou cedendo a classificação para o Barroso. Conhecido os dois vencedores de turnos, a Federação Alagoana de Desportos programou uma melhor de três para decisão do campeonato de 1947. Decisão que somente começou em março de 1948. Demonstrando que era realmente o melhor time da temporada, o Alexandria venceu o primeiro e o segundo jogo. Como colocou um jogador irregular na segunda partida, o Alexandria perdeu os pontos e foi necessário outro jogo.

JOGOS FINAIS DO CAMPEONATO:

Primeiro jogo – 28.março.1948 – Alexandria 3 x Barroso 1
Observação: O Alexandria perdeu os pontos. Colocou o jogador Euclides II irregular.

Segundo jogo – 04.Abril.1948 – Alexandria 7 x Barroso 1

Terceiro jogo – 11.abril.1948 – Alexandria 1 x Barroso 1
ALEXANDRIA  Campeão Alagoano de 1947

fonte: livro “Arquivos Implacáveis”, de Lauthenay Perdigão

 

 

A Federação Alagoana de Futebol está de escudo novo.

 

Fonte: Site da Federação e Súmulas do Campeonato de 2012

 
Campeonato Alagoano - 2ª Divisão 2011
Participantes
Capelense (Clube Sportivo Capelense) - Capela
CEO (Centro Esportivo Olho D'Águense) - Olho D'Água das Flores
Comercial (Comercial Esporte Clube) - Viçosa
CSA B (Centro Sportivo Alagoano) - Maceió
FF Sport (Francisco Ferro Sport Futebol Club) - Maceió
Igreja Nova (Igreja Nova Futebol Clube) - Igreja Nova
Penedense (Sport Club Penedense) - Penedo
Rio Largo (Rio Largo Futebol Clube) - Rio Largo
São Domingos (Associação Sportiva São Domingos) - Marechal Deodoro
São Luiz (Sociedade Esportiva São Luiz) - São Luiz do Quitunde
Sete de Setembro (Sociedade Sportiva Sete de Setembro) - Maceió
União (União Futebol Clube) - União dos Palmares

1ª Fase - Classificatória

03/09/2011 - 1ª Rodada
Igreja Nova 2x1 Comercial
Rio Largo 1x0 São Luiz
São Domingos 0x1 CSA B
União 3x0 Sete de Setembro

04/09/2011 - 1ª Rodada
CEO 1x0 Capelense
Penedense 1x0 FF Sport

10/09/2011 - 2ª Rodada
FF Sport 1x0 Capelense
São Luiz 3x1 Sete de Setembro

11/09/2011 - 2ª Rodada
Comercial 1x1 Penedense
Igreja Nova 0x0 CEO
São Domingos 3x0 União
CSA B 0x1 Rio Largo

17/09/2011 - 3ª Rodada
Capelense 3x0 Comercial
Rio Largo 3x1 São Domingos
União 2x1 São Luiz

18/09/2011 - 3ª Rodada
Penedense 1x1 Igreja Nova
CEO 3x0 FF Sport
Sete de Setembro 0x2 CSA B

24/09/2011 - 4ª Rodada
Igreja Nova 1x1 Capelense
Rio Largo 0x0 União

25/09/2011 - 4ª Rodada
Comercial 2x1 FF Sport
Penedense 2x3 CEO
São Domingos 3x2 Sete de Setembro
CSA B 1x2 São Luiz

02/10/2011 - 5ª Rodada
FF Sport 2x1 Igreja Nova
Capelense 0x2 Penedense
CEO 2x2 Comercial
União 1x1 CSA B
Sete de Setembro 0x4 Rio Largo
São Luiz 1x0 São Domingos

Classificação
Grupo A                        PTS   J   V   E   D  GP  GC  SG  MPTS
 1.CEO                          11   5   3   2   0   9   4   5  2,200
 2.Penedense                     8   5   2   2   1   7   5   2  1,60
 3.FF Sport                      6   5   2   0   3   4   7  -3  1,200
 4.Igreja Nova                   6   5   1   3   1   5   5   0  1,200
 5.Comercial                     5   5   1   2   2   6   9  -3  1,000
 6.Capelense                     4   5   1   1   3   4   5  -1  0,800

Grupo B                        PTS   J   V   E   D  GP  GC  SG  MPTS
 1.Rio Largo                    13   5   4   1   0   9   1   8  2,600
 2.São Luiz                      9   5   3   0   2   7   5   2  1,800
 3.União                         8   5   2   2   1   6   5   1  1,600
 4.CSA B                         7   5   2   1   2   5   4   1  1,400
 5.São Domingos                  6   5   2   0   3   7   7   0  1,200
 6.Sete de Setembro              0   5   0   0   5   3  15 -12  0,000

2ª Fase - Semifinal

09/10/2011 - Ida
Penedense 1x0 Rio Largo
São Luiz 0x0 CEO

15/10/2011 - Volta
CEO 2x1 São Luiz

16/10/2011 - Volta
Rio Largo 0x1 Penedense

3ª Fase - Final

23/10/2011 - Ida
Penedense 1x1 CEO

29/10/2011 - Volta
CEO 2x0 Penedense

Artilheiro
Franco (CEO) 5 gols

Campeão
CEO campeão do Campeonato Alagoano - 2ª Divisão 2011
Fonte: Federação
 

NOME: IGREJA NOVA FUTEBOL CLUBE

CIDADE: Igreja Nova / AL

FUNDAÇÃO: 2010

CORES: azul / amarelo / verde

SITUAÇÃO ATUAL: Disputa a 2ª Divisão Alagoana. Faz seus jogos na cidade de Penedo.

Agradecimento ao José Farah pelo redesenho do escudo.

 

Nem bem nasceu e o Rio Largo Futebol Clube já tem, pelo menos, dois escudos oficiais.
Abaixo anexo ambos. O primeiro é o que está no site da Federação Alagoana e o segundo, no seu papel timbrado, tirado de súmula do mesmo site.
O único problema, é que quando vemos sua camisa, o escudo parece ser ainda diferente de ambos!
De qualquer forma, a equipe que substitui o Universal na Segunda Divisão está aí e em primeiro lugar.
A propósito, me parece que ele é, de fato, o antigo Universal, se alguém tiver alguma outra notícia que confirme isso, por favor postar.

 


Fundado no ano de 1912,por um grupo de torcedores, fundou-se em Maceió o Clube Alagoano de Regatas. Sua sede ficava situada na Rua do Comércio, 138. Apesar do nome, não havia remadores nem baleeiros na nova agremiação. A mensalidade era de quinhentos mil réis e gerava pouca receita. Entre os seus fundadores estavam os jovens Lafaiete Pacheco, Antônio Bessa, Celso Coelho e Alexandre Nobre. O primeiro procurou junto aos companheiros um aumento nas mensalidades, mas a ideia não foi aceita pela maioria.

Lafaiete Pacheco então procurou Antônio Vianna e explicou-lhe sua ideia de criar um clube de regatas na Pajuçara. Aceita a ideia, foram convidados outros sete rapazes para fundar um novo clube em Alagoas.

Na Rua Jasmim, na Pajuçara, no dia 20 de setembro de 1912, foi fundado o Clube de Regatas Brasil. Além de Lafaite Pacheco e Antônio Vianna, assinaram a ata de fundação os seguintes desportistas: João Luiz Albuquerque, Waldomiro, Pedro Cláudio Duarte, Tenente Julião, Agostinho Monteiro, Francisco Azevedo Bahia e João Viana de Souza. Os primeiros passos do clube foram dados na regata, aderindo ao futebol apenas em 1916.

Através de Lafaiete Pacheco, o CRB comprou, em Santos, seu primeiro yole (barco de competição). Duzentos mil réis foi o valor. Os sócios contribuíram com 100 mil réis e os outros 100 foram tomados emprestados. A embarcação chegou no navio Itapetinga. Era um barco bonito, moderno, um oito remos com patrão. Os treinamentos foram realizados no trajeto marítimo da Ponta Verde para Pajuçara.

Os dirigentes do Clube de Regatas Brasil tiveram que conseguir um local para a construção de uma garagem. O terreno encontrado é o mesmo onde hoje se situa a sede social do clube. O terreno era aberto e foi necessário que novamente os fundadores do clube conseguissem dinheiro para comprar tábuas, cujo gasto foi de 3 mil réis.

Os primeiros times de futebol do CRB contavam com Haroldo Zagalo, pai do tetracampeão mundial Mário Jorge Lobo . O time ainda contava com um alemão, extremamente habilidoso chamado Peter, Lauro Bahia e os irmãos Gondim.

Em 1927, o CRB conquista seu primeiro título estadual, só repetindo o feito três anos mais tarde. Na década seguinte, o Clube de Regatas Brasil somou cinco títulos, quatro deles consecutivos (37, 38, 39 e 40). Após o tetracampeonato, a torcida regatiana teve que amargar uma década inteira na fila para poder voltar a comemorar.

O CRB voltou a conquistar um tetracampeonato alagoano na década de 70, ao faturar o certame estadual de 1976 a 1979. O clube possui o maior artilheiro da história dos campeonatos alagoanos: Joãozinho Paulista, que vestiu a camisa alvirrubra nos anos 80 e marcou 160 gols pelo Galo. O recorde de gols em um único campeonato também pertence ao CRB: em 1995, Inha marcou 37 gols pelo clube na competição.

Em 1994, o CRB faz grande campanha na Copa do Nordeste, sendo finalista da competição. Na decisão do dia 15 de dezembro, no estádio Rei Pelé, o CRB deixou escapar o título ao ser derrotado pelo Sport por 3 a 2 nas penalidades, após o término da partida sem gols. O CRB é também o único time alagoano a não disputar a 2ª divisão do estadual.

TÍTULOS
25 Campeonatos Alagoano 1927, 1930, 1937/38/39/40, 1950/51, 1961, 1964, 1969/70, 1972/73, 1976/77/78/79, 1983, 1986/87, 1992/93, 1995 e 2002

 

Segue mais um novo clube que surge no cenário nacional: o FF Sport (ou Sports como já vi na mídia) de Maceió, que participará da segundona Alagoana em 2011.

O clube-empresa é presidido pelo ex-dirigente do CSA, Francisco Ferro (daí o FF no nome do clube). O clube existe desde 2009 e somente agora tentará a sorte no profissionalismo.

 

 

Faleceu por volta das 12 horas do dia 07 de fevereiro de 2011, a dona Enaura Monteiro da Silva, de 77 anos, considerada a torcedora símbolo do Clube de Regatas Brasil – CRB.
Dona Enaura, como era mais conhecida, nunca abandonou o CRB, mesmo já no final da vida quando sofria de diabetes e hipertensão, tendo o seu quadro de saúde agravado devido a problemas cardíacos.
Torcedora fiel sempre se emocionava ao se referir ao CRB, sempre cobrando empenho dos dirigentes e jogadores que vestiam a camisa do Galo.
Sempre foi considerada um exemplo de torcedora, para os regateanos mais fanáticos, principalmente pelo fato de possuir apenas o CRB como time do coração, incentivando movimentos como o CRB Meu Único Time.
Seu amor pelo CRB não tinha distância, acompanhava o galo nos jogos pelo interior e em outros estados. De tanto amar o clube apaixonou-se por um jogador do CRB, o atacante Zé Cícero, artilheiro dos estaduais de 1948 e 1949.
Dona Enaura era a mais pura representante do amor que uma pessoa poderia sentir por um clube de futebol, seu nome ficará eternizado nas páginas da história do CRB e do futebol alagoano.
Fonte: Arquivo de Walter Luis

foto

 

O Clube de Regatas Brasil – CRB, fundado em 1912, é um dos mais tradicionais Clubes do Nordeste, e possui clube análogo na Argélia, o Chabad Riadh Belouizdad – CRB, com uma série de curiosas coincidências.
O CRB Argelino foi fundado em 1962, e é um dos mais importantes clubes da Argélia, possui seis campeonatos argelinos, seis Copas da Argélia, uma Copa da Liga Argelina e três Copas dos Campeões.
Assim como o CRB das Alagoas, o Chabad tem além da mesma sigla, cores idênticas – Vermelho e branco -, com uniformes bem semelhantes. Ademais ambos são fiados a FAF, em Alagoas Federação Alagoana de Futebol e na Argélia Federação Argelina de Futebol.
Por fim, no âmbito das comemorações chama atenção o fato de que em 2012 o Clube de Regatas Brasil comemora 100 anos, enquanto o Chabad Riadh Belouizdad comemora 50 anos.
É o CRB no Brasil e no mundo!
fonte:wikipedia
crb

 

Rodrigo e amigos do blog, segue o escudo do Riachuelo Futebol Clube de Maceió
Riachuelo-Futebol-Clube

Protegido: RIACHUELO – MACEIÓ-AL

 05. Rodrigo Santana, Alagoas, História do Futebol  Digite sua senha para ver os comentários.
dez 292010
 

Este post está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:


 

Arbitral
A reunião do Conselho Arbitral do Campeonato Alagoano da Segunda Divisão será realizada na segunda quinzena do mês junho.

O Igreja Nova Futebol Clube é mais novo integrante do Campeonato Alagoano da Segunda Divisão, a solicitação de profissionalização, mudança de nome de Penedo Futebol Clube, para Igreja Nova Futebol e inscrição na competição, foram feitas na última sexta-feira (21) na Federação Alagoana de Futebol (FAF), mesmo com o nome da cidade de Igreja nova, o time vai disputar os seus jogos na cidade de Penedo, no estádio Alfredo Leahy.

E atendendo uma solicitação da Sociedade Esportiva São Luiz, da cidade de São Luiz do Quitunde, o presidente da Federação Alagoana de Futebol, recebeu o pedido de inscrição do clube no Campeonato Alagoano da Segunda Divisão/2010.

“O São Luiz é uma equipe tradicional do nosso futebol e sempre participou desta competição, além do mais, representa toda Região Norte de Estado” disse o presidente da FAF, Gustavo Feijó.

Oito equipes irão disputar duas vagas na elite do futebol alagoano, CSA, Sete de Setembro, São Domingos, Capelense, Sport Atalaia, Centro Esportivo Olho D’Aguense (CEO), Igreja Nova Futebol Clube e São Luiz..

Início
O Campeonato Alagoano da Segunda Divisão tem início previsto, para a segunda quinzena do mês de agosto, o campeão e o vice-campeão asseguram vagas na primeira divisão de 2011.

Fonte: Site da FAF

Protegido: Alexandria campeão alagoano de 1947

 26. Wanderson Pereira, Alagoas  Digite sua senha para ver os comentários.
jan 272010
 

Este post está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:


Protegido: Time do Auto Esporte de Maceió

 26. Wanderson Pereira, Alagoas  Digite sua senha para ver os comentários.
jan 272010
 

Este post está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:


Protegido: Time de juvenil do América alagoano

 26. Wanderson Pereira, Alagoas  Digite sua senha para ver os comentários.
jan 272010
 

Este post está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:


 

Santa Rita e União ficam com título da Segundona

A Federação Alagoana de Futebol (FAF) decidiu acabar com o impasse sobre o campeão do alagoano da 2ª Divisão de 2009. Por meio de um ato administrativo, o presidente da FAF, Gustavo Feijó, decretou que o título ficará com os dois times que disputaram a decisão, no caso o Santa Rita, de Boca da Mata, e o União Futebol Clube, de União dos Palmares.

O caso chegou a ir parar no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-AL), em dois julgamentos, depois do jogo inacabado da partida final, em Boca da Mata, que teve cinco expulsões e acusação de simulação, o famoso “cai, cai” de jogadores do União. Mas o TJD não teve competência para decidir o campeão, embora tenha aplicado algumas pequenas punições a jogadores, técnicos e dirigentes.

Na explicação dos auditores e do secretário do TJD à Gazeta, recentemente, caberia à FAF a indicação do campeão, “obedecendo a critérios técnicos estabelecidos para a competição”, o que foi feito nessa segunda-feira.

A assessoria de comunicação da FAF informou que as taças aos dois campeões deverão ser entregues nos primeiros jogos das equipes em seus respectivos campos, durante o Campeonato Alagoano da 1ª Divisão.

Fonte: Gazeta de Alagoas

 

Prezados,

Vi que um novo escudo do Comercial está rolando pela Net. Se realmente for correto o nome do clube mudou. Anteriormente era Comercial FC e agora Comercial EC. Vejam abaixo:

[img:Comercial_FC_ALBR_2_.jpg,full,alinhar_esq]
[img:Comercial_ALBR_1_.jpg,full,alinhar_esq]

Protegido: SPORT CLUB SANTO ANTONIO DE ATALAIA – AL

 16. Jorge Farah, Alagoas  Digite sua senha para ver os comentários.
jul 132009
 

Este post está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:


 

Sete clubes irão disputar a segundona
Bom Jesus (foto) e São Miguel desistiram

Dois clubes desistiram da disputa do campeonato alagoano da segunda divisão deste ano. Bom Jesus, da cidade de Matriz do Camaragibe e São Miguel, de São Miguel dos Campos, protocolaram no final do expediente desta sexta-feira (10) na Federação alagoana de futebol (FAF) o pedido de desistência. Com isso a competição será disputada com apenas sete clubes, que estarão se enfrentando na primeira fase em jogos de ida, classificando-se os quatro primeiros colocados para a segunda fase.

Na segunda fase, semi final, as equipes estarão se enfrentando em jogos de ida e volta no cruzamento olímpico, ou seja, o primeiro colocado enfrentando o quarto colocado e o segundo colocado enfrentando o terceiro, com os vencedores fazendo a grande final da competição, as duas equipes que estarão na grande final, já ficam com vagas asseguradas na primeira divisão de 2010.
Confira as equipes, Comercial Esporte Clube, da cidade de Viçosa, Sport Atalaia, União Futebol Clube da cidade de União dos Palmares, Associação Sportiva São Domingos de Marechal Deodoro, Sociedade Sportiva Sete de Setembro de Maceió, Sociedade Esportiva São Luiz da cidade de São Luiz do Quitunde e Associação Atlética Santa Rita da cidade de Boca da Mata.

O campeonato começa no dia doze de setembro e termina no dia oito de novembro, a primeira rodada ficou assim definida; no dia 12 (sábado) jogam São Domingos e Santa Rita às 15 horas na Massagueira, no domingo (13) o complemento da primeira rodada, o Sete de Setembro recebe o União no estádio Rei Pelé às 15 horas e o Sport Atalaia vai enfrentar o São Luiz às 15 horas no estádio Luiz Pontes na cidade de Atalaia no mesmo horário.

fonte – Site da FAF
Sexta, 10 de julho de 2009

© 2017 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha