Fonte: Gazeta Esportiva / SP

 

Fonte: Livro "Clube Bahiano de Tênis"

 

Participantes
Atlanta (Associação Desportiva Atlanta) - Jequié
Canaã (Canaã Esporte Clube) - Irecê
Galícia (Galícia Esporte Clube) - Salvador
Olímpia (Esporte Clube Olímpia) - Lauro de Freitas
PFC-Cajazeiras (Pituaçu Futebol Clube) - Salvador
UNIRB (UNIRB Futebol Clube) - Mata de São João

Regulamento: Todos contra todos em jogos de ida e volta.
Os 2 primeiros decidem a competição em 2 jogos e sobem para a Série A

Devido a problemas nas praças esportivas de suas cidades sedes,
algumas equipes terão mando de campo em cidades diferentes 

Atlanta ( Waldomiro Borges, Jequié-BA )
Canaã ( José Rocha, Jacobina-BA )
Galícia ( Pituaçu, Salvador - BA )
Olímpia ( Luiz Viana Filho, Pojuca - BA )
PFC Cajazeiras ( Pituaçu, Salvador - BA )
UNIRB ( Antônio Carneiro, Alagoinhas - BA )

1ª Fase

10/03/2019 - 1ª Rodada
UNIRB x PFC-Cajazeiras
Canaã x Atlanta
Galícia x Olímpia

16/03/2019 - 2ª Rodada
Atlanta x Galícia

17/03/2019 - 2ª Rodada
PFC-Cajazeiras x Canaã
Olímpia x UNIRB

23/03/2019 - 3ª Rodada
Galícia x Canaã

24/03/2019 - 3ª Rodada
PFC-Cajazeiras x Olímpia
UNIRB x Atlanta

31/03/2019 - 4ª Rodada
UNIRB x Galícia
Canaã x Olímpia
Atlanta x PFC-Cajazeiras

06/04/2019 - 5ª Rodada
Galícia x PFC-Cajazeiras

07/04/2019 - 5ª Rodada
Canaã x UNIRB
Olímpia x Atlanta

14/04/2019 - 6ª Rodada
UNIRB x Canaã
Atlanta x Olímpia
PFC-Cajazeiras x Galícia

20/04/2019 - 7ª Rodada
Galícia x UNIRB

21/04/2019 - 7ª Rodada
Olímpia x Canaã
PFC-Cajazeiras x Atlanta

28/04/2019 - 8ª Rodada
Atlanta x UNIRB
Canaã x Galícia
Olímpia x PFC-Cajazeiras

04/05/2019 - 9ª Rodada
Galícia x Atlanta

05/05/2019 - 9ª Rodada
Canaã x PFC-Cajazeiras
UNIRB x Olímpia

12/05/2019 - 10ª Rodada
PFC-Cajazeiras x UNIRB
Atlanta x Canaã
Olímpia x Galícia

Pesquisa: Pedro Nunes, Gerson Rodrigues
Fonte: Site da FBF
 

Temos 3 estreantes na Série B do Campeonato Baiano de 2019 que inicia em março. São eles:

Canaã Esporte Clube.

Sede: Rodovia BA-052, KM 340, s/n – Estrada do Feijão – Sede – Irecê – BA.

O clube é vinculado ao Projeto Nova Canaã  e foi fundado em 2000 (mas só este ano se profissionalizou).

 

 

 

 

 

UNIRB Futebol Clube

Sede: Fazenda Reunidas, 110 – Mata de São João.

O Clube está vinculado ao Centro Universitário UNIRB (Centro Universitário Regional do Brasil) . Fundado em 2018.

 

 

 

 

 

Esporte Clube Olímpia

Sede: Rua Praia do Mucuripe – Vilas do Atlântico – Lauro de Freitas.

Criado em 2016 pelo jogador Anderson Talisca.

 

Bom dia pessoal,

Para facilitar nosso controle, adendo ao bate-papo do whats com essas pendências, vou colocar estado por estado aqui as carências, para justamente outros pesquisadores nos ajudarem a desvendar essas dúvidas.Basicamente nesta primeira etapa serão os clubes que já atuaram na 1º divisão em cada estado, depois farei 2º, 3º e por aí vai.As informações faltantes são o escudo, as cores e os uniformes desses clubes.Fiquem a vontade para ajudar.A data após o nome é a última participação do clube, quando não existe a data é porque tbm não temos essa informação.

CAMPEONATO BAIANO PENDÊNCIAS

Antárctica Futebol Clube Salvador 1932
Auto Bahia Foot-Ball Club Salvador 1923
Sport Club Sul América Salvador 1921

CAMPEONATO CEARENSE PENDÊNCIAS

Associação Atlética Foot-Ball Club Fortaleza 1929
Brasil Foot-Ball Club Fortaleza 1927
Cavalaria Foot-Ball Club Fortaleza 1938
English Team Fortaleza 1914
Ginásio São João Fortaleza 1938
Hespéria Athletic Club Fortaleza 1919
Iracema Sport Club Fortaleza 1938
José de Alencar Foot-Ball Club Fortaleza 1937
Liceu Foot-Ball Club Fortaleza 1934
Maranguape Sporting Club Maranguape 1926
Oriente Foot-Ball Club Fortaleza 1931
Paissandu Sport Club Fortaleza 1936
Porangaba Sport Club Fortaleza 1950
Progresso Foot-Ball Club Fortaleza 1932
Riachuelo Sport Club Fortaleza 1916
Rio Negro Foot-Ball Club Fortaleza 1918
Sam Christovam Sport Club Fortaleza 1934
Sem Rival Sport Club Fortaleza 1931
Sport Club ArgentinoFortaleza 1935
Sport Club Fluminense Fortaleza 1930

 
Data: 19 de junho de 1960
Local Salvador - BA

1º jogo - Leônico 1x0 São Cristóvão
2º jogo - Botafogo 3x0 Guarany
3º jogo - Vitória 0x0 Fluminense (2x1 pen)
4º jogo - Galícia 1x0 Bahia
5º jogo - Leônico 0x0 Ypiranga (3x2 pen)
6º jogo - Vitória 0x0 Botafogo (2x1 pen)
7º jogo - Galícia 0x0 Leônico (3x1 pen)
Final   - Galícia 3x1 Vitória

#Campeão - Galícia Esporte Clube (Salvador)

Fonte: Jornal dos Sports - RJ
 
C.R.B. (MACEIÓ - AL) 6 X 1 GALÍCIA EC (SALVADOR - BA)

Data: 14 de setembro de 1947
Local: Pajuçara, em Maceió - AL
Árbitro: Waldomiro Brêda
Gols: Arédio aos 8 min, Breno aos 15 min, Arédio aos 45 min, Laxinha aos 7 min, aos 20 min, aos 30 min e aos 36 min
CRB: Quincas; Alziro (Dé) e Miguel Rosas; Walfrido Vieira, Tomires e George (Euclides); Arédio, Zé Cicero (Oscarzinho), Laxinha, Santa Rita e Fumaça.
Galícia: Zébinga; Bartolomeu e Daruada; Neversini, Falabaixinho e Walter; Louro, Breno (Pequeno), Americano, Joãozinho e Dino (Dedé).

Fonte: Arquivos de Lauthenay Perdigão
 

Turno Único

Período: 08 a 15 de Julho de 1951
Local: Estádio Fonte Nova, em Salvador – BA

08.07.1951

Bahia(BA)

1-0

Ypiranga(BA)

08.07.1951

Portuguesa(SP)

3-1

Vitória(BA)

11.07.1951

Bahia(BA)

1-1

Vitória(BA)

11.07.1951

Portuguesa(SP)

6-1

Ypiranga(BA)

15.07.1951

Ypiranga(BA)

3-1

Vitória(BA)

15.07.1951

Portuguesa(SP)

1-1

Bahia(BA)

Campeã – Associação Portuguesa de Desportos (São Paulo – SP)

Fonte: Gazeta Esportiva / SP

 

Arruda, Cidade Tricolor, Ilha do Retiro, CT Wilson Campos, Frasqueirão, Barradão, Gigante do Agreste, Ninho do Gavião etc. Entre estádios, centros de treinamento e sede sociais, 15 clubes do Nordeste possuem patrimônios físicos milionários. Uma forma segura para conseguir mensurar este cenário é através dos balanços fiscais publicados anualmente. Geralmente, os bens (entre imóveis e móveis) são contabilizados como ativos, no tópico ‘imobilizado’. Aqui, listo os dados divulgados em 2018 – ao menos entre os acessíveis na internet, pois clubes como CSA e Campinense, donos de estádios de menor porte, não exibiram os relatórios.

O ranking, com quatro clubes pernambucanos nas quatro primeiras colocações, foi elaborado em duas linhas. Na primeira, o valor bruto do patrimônio, ou ‘valor de custo’, que considera o investimento dos clubes na aquisição ou construção. A ressalva é necessária porque o ativo exposto anualmente sofre uma depreciação, para estimar as vidas úteis de cada bem, com taxas de redução diferentes: 4% para imóveis, 10% para máquinas, móveis e utensílios e 20% para veículos. Na prática, nenhum clube se desfaz de imóveis (ou ao menos não deveria). Um ponto interessante sobre essa depreciação é o caráter meramente contábil, não relacionado, necessariamente, ao valor real de mercado. Como exemplo disso, o estádio do Santa Cruz.

Em 2017, a comissão patrimonial do tricolor encomendou uma avaliação independente do estádio, sem contar os terrenos do CT Waldomiro Silva, em Beberibe, e CT Ninho das Cobras, na Guabiraba (ambos sem estrutura). Nesta análise particular, o Mundão valeria R$ 274 milhões, num aumento de 330% em relação ao balanço oficial, com a cifra pregada há anos.

Pela falta de atualização, por decisão do próprio clube, o patrimônio coral ficou abaixo do Central – cujo estádio fica num bairro nobre de Caruaru, Maurício de Nassau, sendo avaliado em R$ 88 milhões e costumeiramente sondado por construtoras. Outro time do interior, o Sete de Setembro, aparece no top ten regional por causa do estádio – embora hoje dispute a Série A2 do Campeonato Pernambucano. Saindo do âmbito estadual, o Vitória não reavalia os seus imóveis desde 2006. O Barradão, por exemplo, aparece com o valor congelado de R$ 10,4 milhões, com as obras no CT do leão da barra estipuladas em 3,7 mi.

O patrimônio segundo o valor de custo (entre parênteses, os principais bens)*
1º) R$ 175.421.297 – Sport (Ilha do Retiro e clube, 110 mil m²)
2º) R$ 172.240.502 – Náutico (CT de 49 hectares, Aflitos e clube, 41 mil m²)
3º) R$ 96.400.000 – Central (Lacerdão e terreno)
4º) R$ 63.739.000 – Santa Cruz (Arruda e clube, 58 mil m²)
5º) R$ 38.391.000 – Bahia (CTs Fazendão e Cidade Tricolor)
6º) R$ 23.981.250 – Vitória (Barradão, CT e chácara da base)
7º) R$ 18.005.750 – Sete de Setembro (Gigante do Agreste e terreno)
8º) R$ 14.473.927 – América de Natal (terrenos e imóveis)
9º) R$ 10.386.613 – ABC (Frasqueirão e terreno)
10º) R$ 8.019.862 – Ceará (Cidade Vozão e imóveis)
11º) R$ 3.952.393 – Treze (PV e imóveis)
12º) R$ 3.297.760 – CRB (imóveis)
13º) R$ 2.990.648 – Porto (CT de 10 hectares)
14º) R$ 2.265.639 – Fortaleza (máquinas e benfeitorias em imóveis de terceiros)
15º) R$ 1.744.970 – América do Recife (sede)
* Entre os clubes acima de R$ 1 milhão, considerando os balanços na web entre 2013 e 2018

Considerando o G7 do Nordeste, formado pelos três grandes do Recife, os dois grandes de Salvador e os dois grandes de Fortaleza, chega-se a R$ 484.058.550. No entanto, o trio de ferro pernambucano representa 85% disso, com R$ 411.400.799 – os três possuem estádios centralizados. Já em Salvador o Bahia passou por um processo de incorporação em 2016, quando o patrimônio subiu 10 milhões, após um acordo com a OAS sobre a Cidade Tricolor.

Por outro lado, chama atenção a ausência dos centros de treinamento de Ceará e Fortaleza. No caso do vozão, o clube ainda está no processo de quitação do empreendimento – pagou 56 das 72 parcelas, ou R$ 4,4 mi dos R$ 5,7 mi. O blog considerou o CT no patrimônio do clube – com o valor total do CT na lista acima e o valor já pago na lista abaixo. A situação é incomum, mas não é exclusiva da capital alencarina. Em Pernambuco o Sport aparece à frente nos dois rankings mesmo sem citar o CT de Paratibe em seu patrimônio, pois o utiliza através de aluguel (R$ 2,1 mi por 90 anos) a uma organização ligada ao próprio clube rubro-negro.

O patrimônio segundo a depreciação acumulada até 2017*
1º) R$ 136.164.999 – Sport
2º) R$ 134.489.222 – Náutico
3º) R$ 63.739.000 – Santa Cruz
4º) R$ 37.083.000 – Bahia
5º) R$ 13.168.049 – Vitória
6º) R$ 9.985.781 – ABC
7º) R$ 6.596.598 – Ceará
8º) R$ 2.730.224 – Porto
9º) R$ 1.894.251 – Fortaleza
10º) R$ 1.699.669 – América do Recife
* Entre os clubes acima de R$ 1 milhão, considerando os balanços na web em 2018

Pesquisa de Cassio Zirpoli

© 2019 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha