Modelo da década de 70

Trem Desportivo Clube é uma agremiação esportiva brasileira, sediada na cidade de Macapá, capital do estado do Amapá, destacando-se no futebol. O clube foi fundado em 1 de janeiro de 1947, sendo seus principais fundadores os ferroviários Bellarmino Paraense de Barros, Benedito Malcher, os irmãos Osmar e Arthur Marinho, Walter e José Banhos, além de outros.

Tendo sua sede situada num dos mais importantes bairros de Macapá, o Trem Desportivo Clube jáfoi por duas vezes campeão amapaense. Possui um invejável histórico no velho Copão da Amazônia. Foi pentacampeão de 1985 a 1989.

O diferenciado nome do clube nada mais é do que uma homenagem ao bairro onde foi fundado e a profissão exercida por seus fundadores, todos eles ferroviários. Este, por sua vez , recebeu o nome no início do século XIX. Naquela época, foram encontrados na Avenida Feliciano Coelho de Carvalho vestígios de alguns trilhos de trem, que possivelmente serviram como meio de transporte do material para a construção da cidade.

O Trem já foi por 5 vezes campeão amapaense e possui um ótimo histórico na antiga Torneio da Integração da Amazônia ou Copão da Amazônia, onde o time foi pentacampeão de 1985 a 1990. O Torneio Integração da Amazônia foi uma das antigas competições regionais disputadas no Brasil. Era composto por participantes dos estados do AcreAmapáRondônia e Roraima. O Trem é o clube que mais vezes foi campeão entre todos os Estados com 5 títulos e em segundo lugar o Rio Branco-AC com 3.

No profissionalismo, o Trem passou a enfrentar diversas dificuldades. Afastado de 1994 a 1999, o clube ensaiou a possibilidade do seu retorno ao futebol profissional em 2001, mas preferiu esperar um pouco mais e continuou trabalhando no seu projeto de restauração do clube.

Atualmente, o clube do Trem é o mais bem estruturado do estado do Amapá. Em um acordo com o governo do Estado, restaurou o seu ginásio poliesportivo, que além da quadra para a prática de esportes, possui dormitório para os atletas. A sede campestre também sofreu reformas e está em condições para uso. É nela que os jogadores de futebol do clube treinam, quando estão em atividade. No ano de 2011, a “Locomotiva” pretende inaugurar o seu estádio e assim se tornar o único clube do Amapá com estádio próprio.

No ano de 2007, o Trem conseguiu sagrar-se campeão estadual profissional, depois de mais de 20 anos sem levantar a taça e em 2010 tornou-se bi-campeão do campeonato profissional vencendo os dois turnos sob o comando da presidente Socorro Marinho e do técnico Roberto Foguetinho. Em 2011, a Locomotiva levantou mais um caneco tornando-se tricampeã do futebol profissional amapaense novamente com Socorro Marinho e com o técnico Fran Costa.

Socorro Marinho tem adotado uma política de valorização das categorias de base para que os jogadores formados no Trem sejam aproveitados no profissional, além de priorizar contratações de jogadores que residam no Estado do Amapá.

HINO DO TREM DESPORTIVO CLUBE

O brilhar de cincos estrelas rubro negras altaneiras
Contam glórias do poderoso Trem
Revela a alegria, a paixão incontida
E excita o meu coração
Trem expresso poderoso
Por trilho vigoroso
Construistes tua escolha
Trem bala que atropela adversários
Na quadra ou no gramado é sempre vencedor
Trem dos bailes de salão
O som de uma orquestra anima o folião
Não é somente um time
És um clube vibrante e poderoso
Maior dos maiorias
Trem tu és meu o enredo
Tu és meu o apego
Tu és minha paixão
Quando fechar meus olhos
Direi ao criador
“Com sua licença,
Sou rubro negro amapaense
Com muito amor”.

Link para escutar o Hino: https://www.youtube.com/watch?v=v7O6Xphj1V8

 

  • Copa do Brasil:
  • 1993 (primeira fase: Trem 0 x 5 Remo-PA/ Remo-PA 2 x 0 Trem) - Colocação final: 31º colocado (32 clubes);
  • 2008 (primeira fase: Trem 0 x 0 Paraná/ Paraná 4 x 0 Trem) - Colocação final: 50º clocado (64 clubes);
  • 2011 (primeira fase: Trem 2 x 1 Náutico-PE/ Náutico-PE 6 x 0 Trem) Colocação final: 40º clocado (64 clubes);
  • 2012 (primeira fase: Trem 0 x 5 ABC). Colocação final: 63º colocado (64 clubes);
  • Campeonato Brasileiro Série C:
  • 2004 (primeira fase: Roraima 1 x 1 Trem/ Trem 0 x 0 Roraima - segunda fase: Trem 0 x 1 G. Coariense – AM/ G. Coariense – AM 3 x 2 Trem) - Colocação final: 31º colocado (60 clubes).
  • Campeonato Brasileiro Série D:
  • 2011 (primeira faseTrem 2 x 1 Independente-PA/ Sampaio Corrêa-MA 5 x 0 TremTrem 2 x 0 São Raimundo/ Comercial-PI 1 x 0 TremTrem 1 x 1 Comercial/ São Raimundo-PA 2 x 2 TremTrem 1 x 0 Sampaio Corrêa-MA/ Independente-PA 1 x 0 Trem) - Colocação final: 23º colocado (40 clubes)
  • 2012.

Títulos

Estaduais

Outras Conquistas

Categorias de Base

  • No Sub-20 - campeão (2003, 2005,2006 e 2016) e vice-campeão (2007, 2011 e 2015).
  • No Sub-18 - campeão (2008) e vice-campeão (2009 e 2010).
  • No Sub-15 - campeão (2009).
  • No sub-13 - vice campeão (2011)
  • O Trem Desportivo Clube tem se apresentado nos últimos anos como o clube que tem a categoria de base mais forte do Estado do Amapá. De 2003 a 2011 a Locomotiva, no sub-18 e no sub-20, esteve presente em 8 finais e sagrou-se campeã 4 vezes.

FONTES: Wikipédia – Bola na Rede – Página do Clube no Facebook – Futebol Amapaense.ZipNet – YouTube – Blog Tribuna Amapaense

 

Amistoso em 1975: Seleção Amapaense  1  x  1 Seleção Brasileira de Novos, no Estádio Municipal Glycério de Souza Marques, na cidade de Macapá (AP). Na ocasião, foi  inaugurado  o sistema de iluminação do estádio. O gol amapaense foi assinalado por Trevisani.

FONTE:  Blog Porta-Retrato – Macapá/Amapá de outrora

 

O Municipal Esporte Clube foi uma agremiação efêmera da cidade de Macapá (AP). A sua Sede ficava no Estádio Glycério Marques, localizado na Avenida Mendonça Júnior, s/n, no Centro da cidade.

Fundado na década de 60, por servidores da Prefeitura Municipal de Macapá, com a finalidade de jogar uma bola no final de semana.

Após o interesse de alguns clubes – entre eles o Sr. Zeca Machado, que era influente na PMM – resolveram filiar o clube à Federação Amapaense de Futebol (FAF), para disputar o Campeonato do Amapá.

 

FONTE:  Blog Porta-Retrato – Macapá/Amapá de outrora

 

Sociedade Esportiva e Recreativa São José é um clube de futebol da cidade de Macapá, capital do estado do Amapá, fundado por Messias do Espirito Santo, um Oficial de Justiça do Fórum de Macapá, capital do então Território Federal do Amapá (TFA), com objetivo de participar oficialmente do esporte regional.
O clube ainda possui uma boa estrutura para a prática de futebol, voleibol e basquetebol. Dentro do futebol profissional amapaense, o São José e o Ypiranga Clube fazem o maior clássico do Estado.
A história do São José se divide em cinco fases:
De 1947 a 1957, onde participou dos campeonatos e torneios, considerado um clube modesto, tendo sua sede social na esquina da Av. Presidente Vargas com a Rua Leopoldo Machado, no bairro da Favela, hoje bairro Central.
De 1975 até 1988, quando conquistou campeonatos, inclusive, um invicto, no futebol, contando com um grande elenco de jogadores craques, muitos deles, cedidos para clubes de outras unidades da nossa federação brasileira;
De 1988 até 1990, quando parou suas atividades no futebol, em virtude de dificuldades internas e externas. Essa última resultante de um difícil relacionamento com a federação de esporte local;
De 1993 até 1995, quando era Presidente o Sr. Francisco Odilon Filho e Vice-Presidente o desportistaHaroldo Pinto Pereira, o São José conquistou um único título de Campeão de Profissionais do clube, na modalidade de Futebol de Campo;
De 1995 até 1996, voltada para construção das instalações físicas de sua sede social, com muitas dificuldades, hoje situada na Av. Nações Unidas, nº 564 no bairro moreno da cidade de MacapáAP, também chamado de Julião Ramos ou Laguinho;
De 1996 até 2002, com sua gestão administrativa sob a responsabilidade do jovem empresário Otaciano Bento Pereira Júnior, que recebeu da gestão anterior uma infraestrutura física da sede social, numa área de 2.400m².

A partir da esquerda: Zé Roberto; Antoninho Costa;Alceu Filho; Piraca; Orlando Cardoso e Pennafort(Macaco);
Agachados no mesmo sentido: Ubiraci Souza; Timbó(In-memoriam); Moacir Banhos; Orlando Torres eHaroldo Pinto.

FONTES: Wikipédia – Blog Porta-Retrato – Macapá/Amapá de outrora

 

Foto tirada em 1976 no Estádio Glycério Marques.
Time do Santana Esporte Clube
Em pé : Temica,Jorge,Pedal,Germano,Jucy e Carlito.
Agachados : Tiaguinho, Antonio da Loteca, Antonio Trevizani, Mareco e Socó.

FONTE: Blog Porta-Retrato – Macapá/Amapá de outrora

 

FONTE:  Alcinéa Cavalcante “Liberdade de expressão! Macapá – Amapá”

 

Uma formação do Fazendinha Esporte Clube antes de um jogo com o Manganes, em Serra do Navio.
Data: Fins de 50 ou início de  60.
Em pé, da esquerda para a direitaZé Maria Leão (técnico); Domingos, Flávio, Bento Góes, Charuto, Soró (Antonio) e ZezéRenato Viana (diretoria).
Agachados, da esquerda para a direitaValdirRaimundo Viana (Camarão), Ernani Marinho,Boró e Zé Pracinha.

FONTE: Blog Porta-Retrato – Macapá/Amapá de outrora

 

FONTE: Blog Porta-Retrato – Macapá/Amapá de outrora

 

FONTES: Blog Tribuna Amapaense – Blog Porta-Retrato – Macapá/Amapá de outrora

 

Time do “Carcará” na década de 1970. Período em era considerado um dos clubes mais respeitados e prestigiados do Amapá.

Bastou a iniciativa do Padre Ângelo Biraghi, durante uma simples reunião entre pessoas interessadas por esporte e lazer, que naquela tarde de 19 de janeiro de 1962, era fundado o Independente Esporte Clube (IEC). Segundo pioneiros, as primeiras assembléias ocorriam no salão paroquial da pequena Igreja de Nossa Senhora de Fátima, localizada no coração da histórica Vila Dr. Maia, no atual município de Santana.Na ocasião de oficial constituição, estavam presentes: Antônio Villela, José Muniz Ferreira, Francisco Corrêa Nobre, Odon Morales Y Morales, Sebastião Ramalho, José Bandeira, Cláudio Lúcio Monteiro, Melkizedee, Rubens Albuquerque e outros desportistas que residiam na própria Vila Dr. Maia ou nos vilarejos adjacentes à área da mineradora ICOMI, em Santana.

Interinamente foi eleito o Sr. Francisco Nobre (conhecido “Chico Jacaré”) para presidir a nova agremiação santanense até que seus estatutos e situações jurídicas fossem todas legalizadas. Em 22 de fevereiro daquele mesmo ano, numa assembléia que contou com a presença de quase 200 pessoas, foi aprovado o 1º estatuto do IEC, contendo 94 artigos.

Participou de sua primeira partida futebolística naquele mesmo ano de fundação (em 08 de dezembro/62), enfrentando o Guarany Futebol Clube, de Macapá (extinto), onde perdeu por um tento a zero. O jogo aconteceu durante o Torneio “Independência”, organizado pela Federação Amapaense de Desportos (FAD), realizado no antigo campo de esporte do Santana Esporte Clube (na área onde hoje está localizado o Fórum da Comarca de Santana).

Seu primeiro uniforme (oficial nos jogos) era composto de uma camisa amarela e short azul. Em 1965, após aprovarem em assembléia realizada por seus dirigentes, o uniforme foi alterado: camisa/short verde com gola branca e meias verdes. No entanto, em 1972, ocorreu uma nova mudança na vestimenta do clube, ficando o short branco com a camisa/meias verde. A mais recente alteração do uniforme já veio ocorrer na década de 1990, quando passou a utilizar a camisa branca com o short verde.

As conquistas no esporte amapaense – Em meados da década de 1960 receberia dos cronistas amapaenses o pseudônimo de “Carcará da Vila Maia” em virtude de seus atletas serem bem ágeis durante os jogos, onde faziam grandes passes de bola no ar, semelhantes aos vôos das aves de rapina que sobrevoavam a região amazônica.

Sendo assim que conseguiria conquistar sua primeira vitoria em maio de 1964, tornando-se vice-campeão da 2ª Divisão do Campeonato Amapaense de Futebol (CAF) daquele ano. O mesmo título de vice (agora pela 1ª Divisão do CAF) também seria adquirido nos anos de 1972, 1975, 1981, 2002 e 2003 pelo CAF. Porém, procurou se manter como um dos times mais prestigiados da 1ª ou 2ª Divisão dos campeonatos amapaenses das décadas de 1960 e 1970.

A primeira vez que ergue a taça de clube vencedor do CAF aconteceu em 1982, seguindo 1983, depois 1989, vindo 1995 e o último título foi em 2001, quando o Estádio Zerão recebeu um dos maiores públicos numa final de “Amapazão” (foram mais de 5.000 pessoas presentes).

Vale Ressaltar que o “Carcará” foi justamente um dos times que participou do jogo de inauguração do Estádio “Zerão”, em 17 de Outubro de 1990, onde ali venceu o Trem Desportivo Clube por 1 x 0. Estavam presentes na arquibancada, o Presidente da República Fernando Collor, o ministro dos Esportes Arthur Coimbra (“Zico”), Governador do Amapá Gilton Garcia e outras autoridades nacionais, distribuídas entre as mais de 8 mil pessoas que assistiram à inauguração.

Independente x Santana: Clássico do Porto – A conhecida rivalidade desses dois clubes já existe desde janeiro de 1966, quando ocorreu o primeiro encontro de “titãs”, numa partida pelo CAF, no Estádio Augusto Antunes, na Vila Amazonas. O jogo terminou empatado (2 x 2), mas foi apenas um dos mais de 20 encontros oficiais que puderam prestigiar desde então.

Desses encontros, o “Carcará” conseguiu vencer por 08 vezes e empatou 03 vezes. O mais recente certame aconteceu em 03 de outubro de 2009, no mesmo estádio onde começaram as pelejas de quase meio século (Estádio “Augustão”), terminando em 4 x 4.

Um fato curioso desse denominado “encontro de titãs” foi em setembro de 1972, quando dois clubes de uma mesma localidade fizeram a final de um campeonato amapaense de futebol, saindo favorecido o “Canário Amapaense”, que venceu por 2 x 1.

Sua sede própria – Em janeiro de 1969, ainda mantendo seu contato junto à diretoria do clube, padre Ângelo Biraghi começou a realizar diversas rifas e eventos comunitários que ajudariam a arrecadar fundos para construção da futura sede social do IEC.

O citado local para levantar a sede do “Carcará” foi cedida pela Prefeitura de Macapá em meados do mesmo ano, colocando como titular do imóvel a Prelazia de Macapá, que posteriormente repassaria o terreno para a diretoria do IEC ainda na década de 1970.

O terreno compreendido em 80m de frente e 81m na lateral, seria a primeira área patrimonial de propriedade do clube, que até o início da década de 1990, estaria somada com outras áreas espalhadas pelo município de Santana.

No chamado terreno-sede do clube, foi erguida a primeira edificação comercial, que seria de madeira com telhas de brasilit. A edificação teria um pouco mais de 800m² e depois seria construída em alvenaria (já em 1973) para melhor acomodar seus sócios e freqüentadores.

O local seria uma “coqueluche” para a sociedade local, especialmente para aqueles que vinham da capital para se divertirem em Santana. Buscando agradar o público que logo considerou o ambiente bem visto, a diretoria do “Carcará” passou a realizar inúmeros eventos em sua sede.

Um dos primeiros eventos sociais foi em fevereiro de 1971, com a “Festa das Flores”, organizadas para escolher a mais bela jovem da sociedade amapaense. Outro importante evento que anualmente ocorria na sede do IEC era o conhecido Baile “Rainha das Rainhas” que, desde 1984, deixava a sede do clube com ingressos esgotados para a ocasião. Muitos também devem se lembrar do tradicional “Baile das Debutantes”, onde diversas senhoritas realizavam o sonho de dançar uma valsa ao lado de alguma celebridade da televisão brasileira, sendo este um dos eventos mais procurados pelas adolescentes de Macapá e Santana desde sua primeira edição, em 1978.

O “Baile das Debutantes” era tão bem procurado que patrocinadores arcavam com as despesas do evento, evitando que o clube do “Carcará” gastasse durante esse período, que geralmente ocorria entre outubro/novembro. Houve ocasião que o evento que chegou a reunir 50 jovens numa única noite para dançar com um famoso ator da TV.

Além desses eventos, a sede do IEC também promoveu encontros carnavalescos, assim como reuniões partidárias, comunitárias e até ações governamentais e municipais, sem deixar de falar que também serviu como local de apuração de eleições, e palco para posses de prefeitos e vereadores.

Quando houve a transformação do município de Santana, a diretoria do IEC cedeu o espaço para servir como secretarias municipais e Júri Popular, em virtude de anda não haverem locais adequados para funcionar algumas repartições públicas.

Muitos devem se lembrar que, durante o conflito político entre o então prefeito Geovani Borges e o governador do Amapá Comandante Anníbal Barcellos (em 1993), a sede do “Carcará” precisou ser utilizada pelo secretariado municipal, devido o Poder Estadual ter solicitado de volta o prédio onde funcionava o Executivo Municipal de Santana.

Os anos difíceis e a crise do clube – A chamada “crise institucional” do clube começou em 1985, quando o “Carcará” passou a acumular dívidas tributárias, onde algumas obrigações institucionais não eram quitadas por seus diretores.

Alguns ex-presidentes do clube contam que já não havia mais prestações de contas das despesas realizadas pela entidade e constantemente ocorriam divergências entre os integrantes da diretoria, o que acabava atingindo o setor esportivo do clube.

A primeira desistência do IEC sobre o “Amapazão” foi logo depois da conquista de 1983. Chegou a participar de seis jogos do CAF em 1984, mas não se classificou para as rodadas seguintes, retornando somente em 1988, quando a diretoria foi inteiramente substituída, podendo conquistar o Campeonato de 1989.

Uma nova crise atingiria o “Carcará” em meados da década de 1990. Mesmo tornando-se campeão em 1995, a diretoria deixou que a dívida patrimonial ultrapassasse a marca de R$ 10 mil, entre encargos e tributos trabalhistas. Na época, um de seus diretores chegou a cogitar a possível falência do clube.

No entanto, a diretoria procurou amenizar as dívidas após a venda de um de seus terrenos, situado no bairro Paraíso, que media cerca de 30.000m² (local onde hoje está o prédio da nova Prefeitura de Santana), o que veio a causar revolta de diversos associados, que ingressaram na justiça contra a referida diretoria do IEC, denunciando como venda ilegal, sem o consentimento geral dos sócios. A área foi renegociada e posteriormente adquirida pelo poder municipal.

No entanto, em dezembro de 2003, uma nova perda atingiria os associados do “Carcará”: o leilão da sede-central do IEC foi arrematado pelo empresário Carlos Augusto Vieira pelo valor de R$ 137.989,68 como forma de quitar dívidas deixadas por diretorias anteriores.

A assessoria jurídica do IEC ainda tentou reintegrar a área ao clube santanense, sob tentativa de uma liminar em 02 de março de 2006, através do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região, em Brasília (DF), mas sem êxito. A situação ainda chegou ao conhecimento do prefeito de Santana Antônio Nogueira, que sancionou o Decreto nº 0124/06-PMS, declarando a área arrematada como “Utilidade Pública”, visando ali construir o Complexo Administrativo da Prefeitura de Santana, e devolvendo o valor pago para o arrematante. Porém, o caso continua desde então sob júdice.

Mas sabemos que mesmo diante dessas dificuldades enfrentas, na qual obrigaram o clube a se afastar dos grandes campeonatos desde 2004, sua recente diretoria procurou estabilizá-la, vindo a retornar aos grandes jogos profissionais em 2007.

FONTES: Blog Memorial Santanense – Porta-Retrato Macapá/ Amapá de Outrora
 

FONTES: Diário do Macapá – Acervo de ex-jogador Castor (Rozivan Melo)

 

 

Seguem abaixo fotos da fachada da sede do clube e em close o escudo desenhado na parede, diferente do que roda pela internet.

Fachada do clube

Escudo desenhado na fachada do clube

Fonte: Google Earth

 

O Atlético Latitude Zero foi uma agremiação da cidade de Macapá (AP). Sediado na Avenida Cônego Domingos Maltez, s/n, no Bairro Trem, em Macapá. O clube foi Fundado no dia 25 de Janeiro de 1945, pelo professor maranhense Alzir Maia (que tem participou da Diretoria do Trem Desportivo Clube; além de ter fundado o Turíbio Guimarães e Raul).

O Atlético Latitude Zero participou de algumas edições dos Campeonatos Amapaenses da Primeira e Segunda Divisões nos anos 50. Além do futebol o Atlético Latitude Zero também contou com o time de basquete onde chegou a faturar alguns títulos como em 1954, quando faturou o título do Torneio Relâmpago com a participação do Amapá Clube, Esporte Clube Macapá, América Futebol Clube e Atlético Latitude Zero.

O Atlético Latitude Zero sagrou-se campeão e recebeu o troféu denominado “Dr. Hildemar Pimentel Maia”. Deste time dois jogadores foram convocados em seguida para defender a Seleção Amapaense de Basquete: Paulo Farias e Uriel.

 

FONTE: Blog Porta-Retratos

 

FONTES: Mercado Livre – Revista Placar

 

Esporte Clube Macapá (Macapá-AP) - 1979

Fonte: porta-retrato-ap.blogspot.com.br

 

Guarany Atlético Clube (Macapá-AP) - 1979

Fonte: http://porta-retrato-ap.blogspot.com.br/

 

Sociedade Esportiva e Recreativa São José (Macapá-AP) - 1967

Fonte: porta-retrato-ap.blogspot.com.br

 

CEA Clube (Macapá) - 1964

Fonte: http://porta-retrato-ap.blogspot.com.br/

 

O BARE (Boleiros Araguarienses Recreações e Esportes) é uma agremiação do Município de Ferreira Gomes (AP). O clube Ferreirense foi Fundado em 2010. Atualmente o BARE disputa o Campeonato Amapaense Sub-17, organizado pela Federação Amapaense de Futebol (FAF).

O Município Ferreira Gomes, que fica a 137 km da capital Macapá, se emancipou em 17 de dezembro de 1987, e conta com uma pequena população de 6.714 habitantes (segundo o Censo do IBGE/2014).

 

FONTE: Wikipédia – Futebol Amapaense no Facebook

 

A Associação Mangueirão Esporte Clube é uma agremiação da cidade de Santana (AP). Fundado no dia 28 de Maio de 1994, tem a sua Sede localizada na Rua Machado de Assis, 648, no Bairro Hospitalidade, em Santana.

Atualmente, o Mangueirão participa do Campeonato Amapaense Sub-17, organizado pela Federação Amapaense de Futebol (FAF). Os seus títulos recentes é o Bicampeonato  Não Profissional do Amapá de 2013 e 2015No sábado, no dia 28 de Novembro de 2015, o Mangueirão derrotou o Olímpicos por 1 a 0, no Estádio Augusto Antunes, em Santana, levando o título. Segundo a FAF esta partida teve recorde de público.

FONTE & FOTO: Federação Amapaense de Futebol (FAF).

 

O Combatente Atlético Clube é uma agremiação da cidade de Macapá (AP). A sua Sede fica situada na Rua José da Silva Castro, 2.317, no Bairro Buritizal, em Macapá. Fundado no dia 11 de Maio de 1983. A equipe manda os seus jogos no Estádio Municipal Glicério Marques (Fundado no dia 15 de Janeiro de 1950), com Capacidade para 3.500 pessoas.

FONTE & FOTO: Página no Facebook do Camp. Amapaense – Wikipédia – Rosivaldo Nascimento

 

 

O Lagoa Esporte Clube é uma agremiação da cidade de Macapá (AP). A sua Sede fica situada na Avenida Antônio Coelho de Carvalho, 2.171, no Bairro Santa Rita, em Macapá. Fundado no dia 24 de Maio de 1971.  O Lagoa disputou o Campeonato da 2ª Divisão, onde foi campeão em três oportunidades: 1984, 1991 e 1993.

FONTE & FOTO: Página no Facebook do Camp. Amapaense – Wikipédia – Rosivaldo Nascimento

 

O Renovação Esporte Clube é uma agremiação da  cidade de Macapá, no Estado do Amapá. A sua Sede fica localizada na Rodovia Pacoval 1ª ,Tv 46, no Centro de Macapá. Na última quarta-feira, o clube completou 20 anos de existência (Fundado no dia 24 de fevereiro de 1996).

Em duas décadas de vida, o Renovação honrou o nome e já alterou as suas cores três vezes. Nasceu alvinegro, depois acrescentou o vermelho e atualmente substituiu o preto pelo azul (azul, branco e vermelho). A equipe macapaense manda os seus jogos no Estádio Municipal Antônio Villela, Villelão (Capacidade para 3 mil pessoas), na cidade vizinha de Santana.

FONTE & FOTO: Página no Facebook do Camp. Amapaense – Wikipédia

 

O São Paulo Futebol Clube é uma agremiação da cidade de Macapá (AP). O ‘Tricolor de Macapá’ foi Fundado no dia 03 de Fevereiro de 1988, e tem a sua Sede na Avenida Marechal Eduardo Gomes, 221, no Bairro Santa Rita, em Macapá. o clube surgiu aparentando que teria um futuro promissor. Contava com o patrocínio de uma rede de mercados locais gerida pelo sr. Rodrisvan Cerqueira, que apostava no time, investia e participava das decisões, parecendo ser competente.

A equipe disputou torneios não-oficiais com combinados e amistosos e se saiu bem, no balanço geral ao final do ano. Em 1989, quando ingressou no primeiro estadual, erros cometidos pela diretoria e outros detalhes fizeram o time fazer uma campanha ruim. Em 1990, a mesma coisa. Cerqueira se chateou com o que chamou de “irresponsabilidade esportiva” e deixou de patrocinar e de intervir na equipe. O São Paulo só piorou. Sem os investimentos e sugestões de Cerqueira, a equipe foi tão mal que em 1992 nem chegou a disputar estadual.

Fez apenas alguns treinos e um único amistoso, contra a seleção de Macapá, e perdeu por dois a zero. Decidida a levantar o time, os cartolas buscaram e conseguiram algum investimento externo e, além de melhorar as finanças do time, trouxeram alguns atletas de fama local. O time não disputou estadual em 93, mas venceu os quatro amistosos que jogou e foi vice-campeão no Torneio de Ouro Macapá promovido por uma rede de lojas local. Em 1994 a equipe volta ao estadual para fazer uma campanha razoavelmente boa, com a base do ano passado.

Em 95 e 96, a mesma coisa. No entanto, a falta de público e a baixa renda com o patrocinador, que andava desinteressado, gerou nova crise econômica. O São Paulo dispensou empregados e vendeu todos os atletas. Em 1997 o time de novo não participou do estadual, e foi pulverizado nos amistosos, uma vez que a equipe que jogava era formada de amadores, conhecidos de dirigentes, muitas vezes voluntários.

Nos anos seguinte, a conta do time foi se recuperando e a coisa foi menos vergonhosa, até que em 2004 um litígio na diretoria levou o clube ao rebaixamento. Em 2014 foi vice campeão.

FONTE & FOTO: Página no Facebook do Camp. Amapaense – Wikipédia

 

O Clube Atlético Amapaense é uma agremiação da cidade de Macapá (AP). Fundado no dia 12 de Julho de 1974, tem a sua Sede localizada Avenida 13 de Setembro, 1.461, no Centro da cidade. A equipe manda os seus jogos no Estádio  Milton Corrêa, Zerão, com Capacidade para 10 mil pessoas.

O Atlético Amapaense surgiu quando o Amapá ainda era território federal, nunca atuou na Primeira Divisão estadual. Após ter se licenciado, retornou e participa das competições das categorias de base, organizadas pela Federação Amapaense de Futebol (FAF).

FONTE & FOTO: Página no Facebook do Camp. Amapaense  - Wikipédia

 

 

O Nacional Esporte Clube é uma agremiação da cidade de Macapá (AP). O clube foi Fundado no dia 09 de Setembro de 1962. A sua Sede fica situada na Rua São João, s/n – Bairro Boné Azul, em Macapá. Este é o novo escudo e uniforme da equipe macapaense.

FONTE & FOTO: Página no Facebook do Camp. Amapaense – Rosivaldo Nascimento

 

São José Esporte Clube

Fundação: Desconhecida
Cidade: Mazagão-AP
Status: Amador

Equipe amadora da cidade de Mazagão, disputa os campeonatos realizados pela Liga de Futebol de Mazagão. Disputa seus jogos no Estádio Municipal Aluizio Videira, o Videirão, com capacidade para 2.000 pessoas.
Uniforme: camisa amarela, calção preto e meias pretas.

Fonte: globoesporte.globo.com/ap

 


Peñarol Mazagão Atlético Clube

Fundação: 19 de novembro de 1996
Cidade: Mazagão-AP
Status: Amador
Mascote: Abelha

Equipe amadora da cidade de Mazagão, disputa os campeonatos realizados pela Liga de Futebol de Mazagão. Disputa seus jogos no Estádio Municipal Aluizio Videira, o Videirão, com capacidade para 2.000 pessoas.
Seu uniforme é composto de camisa amarela com uma cruz preta, calção preto e meias pretas.
Foi campeão municipal de Mazagão de 2014.

Equipe do Peñarol venceu nos pênaltis a equipe do Everest e ficou com a taça de campeão de 2014. Foto: Divulgação/ Martins Filho

Fonte: globoesporte.globo.com/ap

 

Imalaia Futebol Clube

Fundação: Desconhecida
Cidade: Mazagão-AP
Status: Amador

Equipe amadora da cidade de Mazagão, disputa os campeonatos realizados pela Liga de Futebol de Mazagão. Disputa seus jogos no Estádio Municipal Aluizio Videira, o Videirão, com capacidade para 2.000 pessoas.

Fonte: globoesporte.globo.com/ap

 

© 2017 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha