Partida realizada na data de 6 de abril de 1932, na Chácara da Floresta, em São Paulo-SP, onde se enfrentaram os campeões citadinos do ano de 1931.

Juiz: L. Cordovil (AMEA)

Gols: Friedenreich (3-SPFC) e Carola (AFC)

São Paulo F.C.: Joãozinho, Clodô e Barthô. Milton, Bino e Fabio. Luizinho, Armandinho, Friedenreich, Araken e Junqueira.

América F.C.: Sylvio, Lazaro e Hildegardo. Hermogenes, Oscarino e Walter. Allemão, Almeida, Carola, Zezinho e Miro.

Fonte: A Gazeta.

 

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: Diário Nacional.

 

Fonte: A Gazeta.

 

FOTOS: Revista Fon-Fon 

 


FOTOS: Revista Fon-Fon

 

FOTOS: Revista Fon-Fon

 

 

FOTOS: Revista Fon-Fon

 

FOTOS: Revista Fon-Fon

 

FOTOS: Revista Fon-Fon 

 

FOTO: Revista Fon-Fon

 

FONTE: O Imparcial

 

FONTE: O Imparcial

 

Fontes: A Gazeta e Diário Nacional

 

Fonte: Diário Nacional

 

OBS: Nesse time de Piccinin, ainda havia outros dois bons jogadores, os dois de nome Pedrinho, o goleiro Calafi e o ponta-esquerda Hércules, mais tarde famoso e da Seleção Brasileira.

Fonte: A Gazeta Esportiva.

 

Fonte: Diário Nacional

 

Fonte: Diário Nacional

 

Criada no ano de 1930, a ASEA – Associação Sant´Annense de Sports Athleticos – surgiu para agregar somente clubes de futebol sediados no bairro de Sant´Anna – Zona Norte da Capital.

 

Fonte: A Gazeta.

 

“Os morros e planaltos de Pinheiros eram cortados pelo Córrego do Rio Verde, que nascia perto de onde se localizam hoje a Avenida Doutor Arnaldo e a Rua Oscar Freire, desaguando no Rio Pinheiros, junto ao atual Shopping Center Iguatemi (PEZZOTTI, s/d). Também nessa topografia extremamente acidentada, localizava-se o Córrego das Corujas. Ambos atualmente passam quase despercebidos devido às canalizações e grandes trechos enterrados de seus leitos, porém antes eram as barreiras naturais que delimitavam o território que originou a Vila Madalena. Já no início do século XX, as localidades do lado oeste do Córrego do Rio Verde, compreendendo parte do Vale das Corujas, constituíam o Sítio do Rio Verde. Conta-se que o proprietário era um português que dividiu as terras entre suas três filhas: Ida, Beatriz e Madalena, as quais deram origem aos nomes dos atuais bairros Vila Ida, Vila Beatriz e Vila Madalena”.

Texto extraído da Pesquisa Científica elaborada por Débora Jun Portugheis, em julho de 2014, para a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de são Paulo sob o título “VILA MADALENA: POLO DE COMÉRCIO, LAZER E CULTURA”

Dorinho (meia-esquerda) e Gas Braz (quarto zagueiro)

Crônica de autoria de Samuel dos Santos Polonio, publicada em 19 de julho de 2012.

“Lembrança da Vila Madalena”

“No ano de 1958 cheguei ao Brasil vindo de Portugal com seis anos de idade e, por sorte, vim morar na Rua Arapiraca nº 27 Vila Beatriz subdistrito de Vila Madalena.

Perto da minha casa ficavam os campos do Leão do morro, 7 de Setembro e o 1º de maio, que permaneceram até o ano de 1969 com o início da construção do Conjunto habitacional Natingui (B.N.H).

Brincadeiras não faltavam e eu jogava futebol o dia inteiro. Com 13 anos joguei no Dente de Leite do Leão do Morro, com grandes craques como: Gino, Ivo, Paulé, Pedro, Tonhão, Zé Valter, Reis, Carioca e Ademir, lembro-me dos grandes festivais e jogos do Leão do Morro (campeão varzeano em 1962 contra o Botafogo do Carrão e vice campeão em 64), principalmente o jogo final contra o Brasil de Pinheiros do craque Dorinho no campeonato de 1969, o jogo foi transmitido pela iniciante TV Globo no campo do 1º de Maio.

O torneio chegou ao fim com o Leão ganhando o jogo por 3 a 2 consagrando-se campeão. O Leão do Morro foi um dos principais times de várzea de São Paulo e teve grandes craques como: Miura, Carminho, Gáz Braz, Elinho, Zé Negão, Sábia, Dorinho, Delem, Roberto, Palito, Zinho, Mingo, Paulinho e não esquecendo o técnico Bonecão e o Álvaro (Barbeiro), um grande diretor”.

Fontes: Gazeta Esportiva Ilustrada, Pesquisa Científica “Vila Madalena: Polo de Comércio, Lazer e Cultura” e Samuel dos Santos Polonio.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: Revista Epoca Sportiva

 

O Tiradentes Athletico Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). O “Tiradentino” foi Fundado no dia 21 de Abril de 1914, por um grupo de esportistas que escolheram a data e também o nome em homenagem ao mártir Tiradentes (Joaquim José da Silva Xavier) para seu patrono.

O clube tinha o seu campo, na Rua Felipe Camarão, s/n – Aldeia Campista ( Sub-Bairro de Vila Isabel). A Sede ficava na Rua Bom Pastor, 29/ Casa 3. Depois passou para a Travessa Major Ávila, 13; e por fim, na Rua Uruguai, 236 / casa 1, todos esses no mesmo Bairro:  Tijuca.

FONTES: O Imparcial – Gazeta de Notícias – A Época 

 

FRIGORÍFICO AC (RJ)       3       X       6       YOLANDA FC (RJ)

LOCAL: Estádio Zé Magro, em Mendes (RJ)

DATA: Domingo, no dia 13 de agosto de 1922

CARATER: Amistoso Estadual

HORÁRIO: 16 horas

FRIGORÍFICO: Alcides; Santos e Nestor; João I, Pecego, Nelson e Esperança; Álvaro, Urbino, João II e J. Benedicto.

YOLANDA: Rosas; Pipio e Virgilio; Arlindo, J. Silva e Tito; Mario, Nelson, Severo, Eduardo e Nonô.

GOLS: Urbino aos 18 e 20 minutos (Frigorífico); J. Benedicto aos 30 minutos (Frigorífico); Eduardo aos 37 e 46 minutos (Yolanda); Severo aos 39 minutos (Yolanda), no 1º Tempo. Eduardo aos sete minutos (Yolanda); Nelson aos 36 e 40 minutos (Yolanda);

PRELIMINAR (Segundos times) – 14 horas: FRIGORÍFICO         1       X       5          YOLANDA


FONTE: Revista Suburbana

 

FONTE: Revista Suburbana 

 

O Yolanda Foot-Ball Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). Fundado no dia 1º de Setembro de 1915, tinha a sua Sede na Rua  João Vicente, nº 155, no Bairro de Madureira, na Zona Norte do Rio.

Se filiou à Associação Athletica Suburbana, na segunda-feira, no dia 11 de Abril de 1918, onde disputou o Campeonato da AAS até 1922. O Yolanda se fundiu com o SC Ypiranga, da Liga Metropolitana.

No dia 07 de Abril de 1933, um grupo de antigos associados e adeptos do Yolanda resolveram reabri-lo, tendo Ernesto Loureiro como presidente. No entanto, o retorno teve breve, fechando em seguida em definitivo.

 Time de 1917: Aviador; Christovão e Nonô; Sito, Ergulino e Octavio (Cap.); Frer, Creança, Buluca, Barriga e Nictheroy.

 Time de 1922: Rosas; Pipio e Virgilio; Arlindo, J. Silva e Tito; Mario, Nelson, Severo, Eduardo e Nonô.

Time posado de 1922

FONTES: O Imparcial – Jornal dos Sports – O Paiz – Revista Suburbana

 

Fonte: Diario Nacional

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

A Cruz de Malta Athletico Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). Fundado no dia 1º de Fevereiro de 1918, tinha sede própria no Bairro de Santo Cristo, na Zona Portuária do Rio.

O clube participou do Torneio Início e do Campeonato da Liga Municipal de Futebol (LMF), em 1918. No ano seguinte, já na Alliança Sportiva Municipal  (ASM), em 1919, o do Torneio Início e do Campeonato da ASM.

Nesta edição participaram:

Athletico Cajuense Football Club (de São Cristóvão).

Sport Club Avenida Liberdade (do Centro).

Sport Club Bonsucesso (de Bonsucesso).

Sport Club Boa Vista (do Alto da Boa Vista).

Navarro Football Club (do Catumbi-Rio Comprido).

Pereira Passos Football Club (da Saúde-Centro).

Sport Club Pimenta de Mello (de S. Cristo-Centro-S. Cristóvão).

Vinte e Cinco de Novembro Football Club (da Gamboa-Santo Cristo).

Tiradentes Athletico Club (da Aldeia Campista-Maracanã).

 

FONTES: Rsssf Brasil – Revista Época Sportiva

 

O Pereira Passos Football Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). Foi Fundado no domingo, do dia 03 de Maio de 1914., por um núcleo de esforçados esportistas, em cuja vanguarda se destacavam Carlos C. Ribeiro, A. Velloso, José Fernandes Ribeiro, W. Ribeiro, Álvaro de Sá Rios e Eugênio Simões. A sua Sede ficava localizada na Rua do Livramento, 85 (sobrado), no bairro Saúde, no Rio de Janeiro.

Na sexta-feira, do dia 28 de Maio de 1915, patrocinado pelo Pereira Passos Football Club foi  Fundado a Associação Carioca de Foot-Ball (ACF), com Sede provisória na Rua da Saúde, nº 333. A nova entidade recebeu os seguintes filiados:

Foto posada de 1919

Avenida Foot-Ball Club;

Confiança Athletico Club;

Municipal Foot-Ball Club;

Sport Club Mackenzie.

O Pereira Passos participou do Campeonato Carioca de 1929, organizado pela Liga Metropolitana de Desportos Terrestres (LMDT). No ano seguinte, o clube fechou às portas. Meses depois, já em 1931, um grupo se reuniu para reorganizar o clube. Posteriormente, existiu por mais uma década até desaparecer em definitivo.

Sede da Rua do Livramento, 85 (sobrado), no bairro Saúde, no Rio de Janeiro

FONTES: Google Maps – Revista Época Sportiva – Jornal do Brasil (JB) – Correio da Manhã – A Época – A Rua – A Batalha

 

O Atlas Foot-Ball Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). O ‘Querido Club da Haddock Lobo’ foi Fundado no domingo, do dia 19 de Novembro de 1916. A Sede Social do clube Alvirrubro ficava na Rua Haddock Lobo, s/n, o Bairro da Tijuca – Zona Norte do Rio; enquanto o seu Campo estava situado na Rua Barão de Itapagipe, nº 113, no Bairro Rio Comprido – Zona Norte do Rio.

O Campo do Atlas, atualmente fica o Edifício Geral do Hospital Central da Aeronáutica

Uma curiosidade do Atlas é que no Estatuto constava que “era dever dos sócios não perturbar a administração, os jogos do clube e a ordem nas arquibancadas“.

Na Revista Sports uma matéria contando um pouco do Atlas, em 05 de Abril de 1919. Abaixo a reportagem na íntegra:

“Seguindo o nosso programa, que é dar impulso aos pequenos clubes, que constituem o celeiro de abastecimento do nosso núcleo de jogadores, vamos dar publicidade ao que notamos numa visita feita ao Atlas, o Querido Clube da Haddock Lobo.

O seu campo, sitio á Rua Barão de Itapagipe, passa atualmente por reformas, a fim de ser aumentada  a área do ground, para o que foi aproveitada uma grande extensão de terreno adjacente, outrora ocupada por uma chácara.

Pretende também a atual diretoria, aumentar as arquibancadas, pois as existentes tornaram-se pequena para a assistência que sempre afluem aos jogos deste querido clube.

O Atlas conta em seu quadro principal, com elementos de real valor, entre os quais destacam-se: Juca Lima, o magistral e simpático keeper (goleiro), a principal barreira da defesa alvirrubra; e os irmãos Jacy, dois players completos, exímios fowards. Por todo mês, será realizado um festival esportivo; fazendo parte do programa um encontro entre o teamverde“, vencedor do torneio interno e o teamazul“, o segundo colocado. Nesta festa serão entregues as medalhas aos vencedores do último campeonato interno”.

 

FONTES: Google Maps – Revista Época Sportiva  

 

FONTE: Revista Época Sportiva  

© 2017 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha