A Liga Esportiva Sul Fluminense, Fundado no dia 06 de Agosto de 1933, foi Campeã estadual de Seleções, Representando Barra do Piraí em 1934.

 

FONTE: Arquivo pessoal de Auriel de Almeida 

 

ATENÇÃO!!!

Esta lista é apenas a DESCRIÇÃO dos uniformes e participantes do campeonato da Liga Sportiva Fluminense de 1915, de acordo com o jornal A Tribuna de Niterói (RJ). A partir da mesma, fiz uma ilustração de como seriam essas bandeiras – que, repito, pode NÃO ESTAR DE ACORDO COM A REALIDADE. Vamos lá:

Ararigboya FC (Santa Rosa)
- Camisas verdes com distintivo branco e monograma - já temos esse escudo, via foto, rascunhado por mim e redesenhado pelo Sérgio Mello que o publicou
- Bandeira verde com inicias em branco - não sei o porquê da bandeira ser tão simples.

Byron FC (Barreto)
- Camisas encarnadas com cruz-de-malta branca - distintivo, bandeiras e uniforme já encontrados em foto
- Bandeira encarnada com cruz-de-malta branca

Cruzeiro do Sul FC (Cubango/Icaraí)
- Camisas brancas com faixa horizontal azul
- Bandeira azul com o cruzeiro do sul ao centro e iniciais nos cantos - nunca vi foto desse time. Entendo pela descrição que cada uma das quatro letras que compõem as iniciais do clube ficavam uma em cada canto. Quem tiver outra interpretação, me fale

Esperança FC (Icaraí)
- Camisas em listras verticais alviverdes
- Bandeira em listras com uma estrela verde com iniciais do clube no canto esquerdo - clube já publicado anteriormente, imagino que a estrela devia ficar num fundo branco

Guarany FC (Santa Rosa)
- Camisas encarnadas com distintivo esférico branco
- Bandeira encarnada com orla branca e esfera com iniciais ao centro - por incrível que pareça nunca achei foto de um clube tão relevante como o Guarany. Já vi descrições que colocavam o clube como idêntico ao Mackenzie-SP ou ao América-RJ, então entendo que as iniciais eram arredondadas

Nictheroyense FC (Centro)
- Camisas em listras verticais alvinegras
- Bandeira em listras com iniciais sobre fundo branco no canto esquerdo

Odeon FC (Centro)
- Camisas brancas com monograma verde - já vi fotos posteriores onde o Odeon usava camisas listradas alviverdes com um escudo raiado indecifrável. Portanto, o clube mudou de uniforme e adotou um escudo mais complexo depois. Para ilustrar, peguei o monograma OFC do Olympico de Itabapoana e pintei de verde, mas ressalto que NÃO dá pra ter certeza sobre o estilo de monograma, o sobreposto simples era apenas o mais comum
- Bandeira branca com monograma verde

Parnahyba FC (Barreto/Largo do Barradas)
- Camisas em listras verticais rubro-negras - nunca vi fotos do Parnahyba. Vocês já devem ter reparado que a descrição não inclui o calção, mas palpito que o do clube fosse negro já que não há menção de branco nem nas iniciais da bandeira, como é comum em clubes rubro-negros que usam calção branco. MAS É SÓ PALPITE
- Bandeira em listras com esfera negra e monograma encarnado ao centro - mais uma vez, lembro que NÃO DÁ PRA TER CERTEZA do estilo de monograma, usei um que parece combinar com um escudo redondo 

Rio Branco FC (Icaraí, depois Centro)
- Camisas em listras verticais alvirrubras
- Bandeira em listras com distintivo e iniciais - qual era o formato do distintivo? Não sei. Mas depois que o Rio Branco FC virou Fluminense AC vi uma foto de um escudo em alto relevo na sede com esse formato, mas já pintado com as novas cores e monograma. Palpito que esse era o formato do escudo do Rio Branco. MAS É SÓ PALPITE. Sobre as “iniciais no escudo”, optei por esse formato pois fazia sentido estético na época – caso dos escudos do Serrano de Petrópolis, Rio Branco de Campos etc. Só escrever as iniciais deixaria um espaço em branco muito grande. MAS POSSO ESTAR ENGANADO

Ypiranga FC (Fonseca, depois São Lourenço)
- Camisas azul-marinho com monograma branco no peito - quando o Ypiranga foi fundado, usava camisa branca com faixa horizontal azul. Palpito que o clube mudou de uniforme para não ficar igual ao Cruzeiro do Sul
- Bandeira azul marinho com e monograma ao centro

 

FONTE: Biblioteca Nacional(BN)

 

O Lacerda Sobrinho Football Club foi uma agremiação da Cidade de Campos dos Goytacazes (RJ). O Alviverde Campista surgiu nos anos 10.  A sua Praça de Esportes ficava no Bairro da Coroa.

O crescimento do Lacerda Sobrinho foi proporcional com a evolução futebol na cidade até que no dia 11 de setembro de 1913, na noite, na Sede Internacional Football Club,  juntamente com o Rio Branco, Goytacaz, Campos, Aliança, XV de Novembro e Luso-Brasileiro ajudaram a Fundar a Liga Campista de Football (que depois passou a se chamar Liga Campista de Desportos).

Em 1920, o Lacerda Sobrinho participou da Liga Sportiva Fluminense (LSF). Na quinta-feira, do dia 12 de Outubro de 1922, ocorreu um amistoso estadual, realizado na cidade de Campos dos Goytacazes. O Vasco da Gama venceu o Lacerda Sobrinho Football Club, pelo placar de 4 a 2.

O Jornal O Brasil deu uma nota sobre a peleja: “Está novamente no Rio a delegação do Vasco da Gama, cujo team foi enfrentar o do Lacerda Sobrinho F.C., na cidade de Campos.

Os sportmen cariocas foram excelentemente tratados pelos campistas, que lhes prodigalizaram o máximo de carinho. Chefiou a delegação a Sr. Antonio Antunes de Figueiredo. O team do Vasco alcançou um brilhante triumpho, abatendo o seu antagonista por 4 goals a 2, servindo de juiz o Sr. Everardo Martins Tinoco“.

FONTES: O Brasil – O Fluminense – Folha do Comercio – Blog Futebol Campista

 

O Athletico Cajuense Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). A equipe Alvirrubra foi Fundada no Domingo, do dia 03 de Outubro de 1915. A sua Sede ficava na Rua Barão de São Félix, 145, no Centro do Rio. O 1º campo até 1916, estava situado na Rua dos Cajueiros, 61 e 63. Depois conseguiu um espaço maior na Rua João Ricardo, s/n – São Cristóvão – Zona Norte do Rio.

Sede (imóvel do meio): Rua Barão de São Félix, nº 145, no Centro do Rio

Por fim, conseguiram um local próximo a sede, e construíram a sua Praça de Esportes, na Rua Barão de São Félix, em frente à Rua General Caldwell, no Centro do Rio. Importante lembrar que após a criação da Avenida Presidente Vargas, nos anos 40, quando o Centro do Rio foi urbanizado, esse cruzamento entre essas duas ruas não existe mais.

O Athletico Cajuense Club disputou o Campeonato da Alliança Sportiva Municipal de 1919. Uma curiosidade é que no Estatuto do Clube, constava que o sócio que fosse pego em estado de embriaguez dentro das dependências do clube, seria retirado imediatamente das dependências, mostrando que as regras eram rígidas.

 Time-base de 1918-19 (Foto Abaixo): Augusto (Moura); Paulista (Pacca) e João Lino; Mineiro (Avellar), Collô (140) e Laudelino (Sant’Anna); Argentino (Mathias), Cretella (Bangu), Liberto {Cap. (Herculano)}, Celestino (Manoel ou Henrique) e Siry (Miguel).

FONTES: Revolução Vascaína: a profissionalização do futebol e a inserção sócio-econômica de negros e portugueses na cidade do Rio de Janeiro (1915-1934), de autoria: João Manuel Casquinha Malaia Santos – O Paiz  - A Época – A Noite – Google Maps – O Malho

 

O Oliveiras Atlético Clube foi uma agremiação da cidade de Niterói (RJ). O clube Alvianil foi Fundado no Sábado, do dia 12 de Junho de 1926, por operários da Fábrica de Vidros Orion, denominado como Orion Football Club.

O clube existiu com essa nomenclatura até 1929, quando a diretoria optou em dar outro nome com o intuito de não criar nenhum vinculo com a empresa, construindo assim uma identidade própria.

A Sede ficava na Travessa Carlos Gomes, nº 17, no Bairro Santana, e depois passou para a Travessa Nossa Senhora da Conceição, nº 08, em Niterói. Por um tempo ele teve um campo na Rua Dr. Benjamin Constant, no Bairro Largo do Barradas.

O Oliveiras teve um rival ferrenho: Espírito Santo Futebol Clube, do Bairro da Engenhoca. Em 1937, o  Oliveiras participou da fundação da Associação Nictheroyense de Atletismo junto com os grandes clubes da cidade.

A sua trajetória futebolística foi animadora, afinal Oliveiras disputou diversos amistosos, vencendo e empatando, inclusive diante das grandes forças. Em suma: vencer que é bom o Oliveiras, ninguém conseguia.

Esse sucesso criou um incomodo. Então, nos bastidores os clubes grandes de Niterói se articularam a fim de alijar o Oliveiras, que no final das contas acabou saindo.

Posteriormente, o Oliveiras foi bicampeão do Campeonato Niteroiense da Segunda Divisão, nos anos de 1942 e 1943. Novamente, por “detrás dos panos”, os “homens da Cartola” mexeram os “paulzinhos” e não deixaram que o Oliveiras tivesse o direito legitimo do acesso.

Após muita luta, o clube conseguiu o acesso em 1947,  e, de cara, ficou com o vice-campeonato do Campeonato Niteroiense da Primeira Divisão, daquele ano. Depois de três temporadas, o Oliveiras se sagrou campeão do Campeonato Niteroiense da 1ª Divisão, em 1951, e vice-campeão em 1952.

Em 1955, voltou a conquistar o título. Mas naquela edição, o futebol niteroiense tinha duas com competições: o Amador (vencido pelo Oliveiras), e o Profissional (onde o Fonseca foi o campeão).

O final da linha do Oliveiras Atlético Clube foi ironicamente o começo de uma das maiores obras feitas no Brasil: a Ponte Rio-Niterói, que iniciou as obras em janeiro de 1969 e foi concluída no dia 04 de março de 1974. As obras praticamente extinguiu o Bairro Santana. Quarenta e três anos depois, o Bairro de Santana se resume a um monte de pista de acesso e algumas casas pobres.

 

FONTE: O Fluminense

 

O Campeonato Niteroiense de 1952, teve como o grande campeão o simpático Cruzeiro Futebol Clube, de Pendotiba. Já o Ypiranga Futebol Clube ficou com o título nos Aspirantes. Na categoria Juvenil o Fonseca se sagrou Bicampeão (1951 e 1952). O Marítimo Futebol Clube ficou com o caneco da Segunda categoria de Niterói.

La na Região Sul Fluminense, o Cordeiro Futebol Clube foi o campeão do Campeonato Citadino de Cordeiro de 1952. A Campanha do Cruzeiro de Pendotiba foi a seguinte:

2 x 2 Fluminense

4 x 0 Manufatora

3 x 3 Espírito Santo

3 x 4 Niteroiense

3 x 2 Byron

1 x 0 Oliveiras

1 x 1 Canto do Rio

8 x 0 Ypiranga

4 x 0 Fonseca

3 x 0 Cruzeiro Atlético

 

Pentagonal decisivo (os cinco primeiros colocados):

25 de Janeiro de 1953                   –           2 x 0 Niteroiense

31 de Janeiro de 1953                   –           4 x 2 Espírito Santo

05 de Fevereiro de 1953               –           1 x 1 Oliveiras

21 de Fevereiro de 1953               –           4 x 3 Cruzeiro Atlético

 

Desempate: (melhor de quatro pontos)

05 de Março de 1953                     –           3 x 3 Oliveiras

08 de Março de 1953                     –           3 x 1 Oliveiras

18 de Março de 1953                     –           4 x 3 Oliveiras

 

 

FONTE: O São Gonçalo

 

CAMPEÕES  MUNICIPAIS DE SÃO GONÇALO

1920 Club Athletico Mutondo 1950 Esporte Clube Metalúrgico
1921 Porto Novo Football Club 1951 Esporte Clube Metalúrgico
1922 Club Athletico Mutondo 1952 Eletroquímica Futebol Clube
1923 desconhecido 1953 Esporte Clube Metalúrgico
1924 desconhecido 1954 Tamoio Futebol Clube
1925 desconhecido 1955 Forte Futebol Clube
1926 desconhecido 1956 Eletroquímica Futebol Clube
1927 desconhecido 1957 Estrela D’Alva Futebol Clube
1928 desconhecido 1958 Esporte Clube Trindade
1929 desconhecido 1959 Forte Futebol Clube
1930 desconhecido 1960 Esporte Clube Metalúrgico
1931 Tamoio Futebol Clube 1961 Esporte Clube Metalúrgico
1932 Flamenguinho Futebol Clube 1962 Clube Esportivo Mauá
1933 Carioca Futebol Clube 1963 Clube Esportivo Mauá
1934 Neves Atlético Clube 1964 Clube Esportivo Mauá (segundo o site do clube)
1935 Neves Atlético Clube 1965 desconhecido
1936 Neves Atlético Clube 1966 desconhecido
1937 desconhecido 1967 desconhecido
1938 desconhecido 1968 desconhecido
1939 desconhecido 1969 Clube Esportivo Mauá
1940 desconhecido 1970 desconhecido
1941 Flamengo Futebol Clube 1971 CROL Futebol Clube
1942 Esporte Clube Metalúrgico 1972 Não foi realizado
1943 Esporte Clube Metalúrgico 1973 Unidos do Porto da Pedra Social Clube
1944 Esporte Clube Metalúrgico 1974 Unidos do Porto da Pedra Social Clube
1945 Esporte Clube Metalúrgico 1975 Vitória Futebol Clube
1946 Tamoio Futebol Clube 1976 Clube Esportivo Mauá
1947 Clube Esportivo Mauá 1977 Unidos do Porto da Pedra Social Clube
1948 Esporte Clube Metalúrgico 1978 Unidos do Porto da Pedra Social Clube
1949 Forte Futebol Clube 1979 Unidos do Porto da Pedra Social Clube
XXX
A lista acima foi sendo preenchida durante as minhas pesquisas sobre o futebol fluminense. O campeonato gonçalense nunca foi o foco de minhas pesquisas, fui anotando conforme as anotações apareciam. Nas observações (e em itálico), os títulos duvidosos / não confirmados. Caso alguém consiga preencher (ou queira começar a pesquisar tendo essa lista como ponto de partida), fiquem à vontade.xxx
Em 1919 foi fundada a primeira liga de futebol em São Gonçalo, denominada Liga Sportiva Gonçalense. A LSG foi desfiliada pela Liga Sportiva Fluminense em 1924, por conta de uma grave crise na administração, e dissolveu-se no mesmo ano. Não encontrei informações sobre um campeonato em 1919, 1923 ou em 1924. Aparentemente, o campeonato de 1920 foi o .
Aparentemente, apenas em 12 de Outubro de 1931 uma outra liga foi fundada: a Associação Gonçalense de Esportes Athleticos (filiada à Associação Fluminense de Esportes Athleticos). Nos anos de 1928, 1929 e 1930 é comum ver jornais anunciando o Tamoio como “o campeão gonçalense“, mas nunca achei informações sobre uma liga em São Gonçalo nessa época. Pode ser o caso de o clube ser chamado de “campeão” apenas por ser o mais forte da cidade (isso era comum).

Em 1931,  como a liga foi fundada em outubro de 31, não deu tempo de fazer um campeonato, mas um torneio relâmpago do qual o Tamoio foi campeão (E considerado campeão gonçalense de 31). No começo de 1932 o Tamoio é considerado o atual campeão. De 1932 a 1936 a AGEA organizou campeonatos regulares, com os campeões abaixo:

Em 1935 uma Liga Gonçalense de Sports (ou de Football, já a vi com mais de um nome, é preciso confirmar o nome correto) foi fundada, filiada À FFE. Aparentemente, durou pouco tempo, e teria o Carioca como campeão de seu único campeonato – no entanto, as fontes divergem se esse campeonato foi organizado em 1935 ou 1936. Em 1937 mais uma liga foi fundada, a Associação Gonçalense de Sports, mas nunca encontrei informações sobre campeonatos até 1941.

1935 ou 1936??: Carioca F.C. 

Em 1941, o Campeonato Gonçalense teve o Flamengo Futebol Clube (uniforme igual ao clube da Gávea) como o grande campeão. O título rendeu ao Mengão de São Gonçalo o direto de ser o representante da cidade no Campeonato Fluminense de 1941. A partir da temporada de 1942 em diante são disputados campeonatos regulares da Liga Gonçalense de Desportos (embora em 1942 ela seja chamada de Associação, talvez tenha mudado em 1943 por força da Lei dos Desportos).

A LGD considera sua fundação como sendo a da AGEA, de 1931. Após 1979, não tenho informações sobre o campeonato, pois nunca pesquisei o período. O site do C.E. MAuá informa que o clube foi tricampeão de 1962, 1963 e 1964, mas só pude confirmar os títulos de 1962 e 1963. No ano de 1969, o Mauá foi campeão.

Em 1972, não teve campeonato, só teve quatro inscritos, um desistiu, campeonato só teve uma rodada em dezembro. Em 1975, o vencedor  foi o Vitória Atlético Clube, do Morro do Castro. Em 1977, o Mauá chegou a ser considerado campeão até 1979, quando o Unidos do Porto da Pedra levou o título no tapetão.

 

Importantes observações:
1) O Lisandro Pavan conseguiu uma vez uma lista com a própria Liga Gonçalense de Desportos. Aquela lista, no entanto, não bate na maioria absoluta dos anos com as informações dos jornais, talvez seja fruto da confusão de alguém da liga com documentos do passado (podem ter misturado categorias diferentes, por exemplo).

2) O Porto Novo F.C. (do bairro de mesmo nome) campeão de 1921 tinha as cores azul e vermelho. Encontrei informações sobre um Porto Novo F.C. na internet, fundado em 3 de abril de 1929 – logo, não seria o mesmo, mas talvez seja um “descendente” daquele.

3) O Flamengo F.C. (campeão de 1941) e o Flamenguinho F.C. campeão de 1932 são clubes diferentes, inclusive disputaram campeonatos juntos.

4) O Forte F.C. era do bairro Paraíso.

5) O Crol F.C. é de Várzea das Moças – bairro considerado “bi municipal”, dividido entre Niterói e São Gonçalo. Não tenho certeza sobre o lado onde o Crol fica (o clube ainda existe).

6) O Unidos do Porto da Pedra Social Clube (e não Sport Club) originou a famosa escola de samba.

7) Eletroquímica era o clube dos funcionários da Cia. Eletroquímica Fluminense, que funcionava no bairro Alcântara.

 

O Sport Club Pimenta de Mello foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). O Rubro-negro foi Fundado na sexta-feira, do dia 13 de Setembro de 1918, por funcionários da firma Pimenta de Mello & Cia. A sua 1ª Sede ficava situada na Rua da América, nº 171 (sobrado) – Santo Cristo, Rio de Janeiro. Posteriormente, o Pimenta de Mello se mudou para o Centro do Rio e por fim, para o Bairro imperial de São Cristóvão.

Em 1919, se filiou na Alliança Sportiva Municipal  (ASM), onde disputou o Torneio Início e do Campeonato da ASM. Esta liga contou com a participação das seguintes equipes:

Cruz de Malta Athletico Club (Santo Cristo);

Athletico Cajuense Football Club (de São Cristóvão).

Sport Club Avenida Liberdade (do Centro).

Sport Club Bonsucesso (de Bonsucesso).

Sport Club Boa Vista (do Alto da Boa Vista).

Navarro Football Club (do Catumbi-Rio Comprido).

Pereira Passos Football Club (da Saúde-Centro).

Sport Club Pimenta de Mello (de S. Cristo-Centro-S. Cristóvão).

Vinte e Cinco de Novembro Football Club (da Gamboa-Santo Cristo).

Tiradentes Athletico Club (da Aldeia Campista-Maracanã).

Na foto acima os diretores e atrás a bandeira do SC Pimenta de Mello. Na imagem abaixo o time posado

Na segunda-feira, do dia 08 de março de 1920, se filiou a Associação Carioca de Sports Athleticos (ACSA). Porém, pouco tempo depois acabou se retirando, que sem que a razão tenha sido informada pelos veículos de comunicação da época.

Dois meses depois com o patrocínio do Sport Club Pimenta de Mello foi fundado  a liga da Alliança Sportiva Carioca (ASC). A sede provisória da nova liga ficava no SC Pimenta de Mello. Os clubes filiados foram:

Sant’Anna Football Club;

Dois de Junho Football Club;

Triângulo Football Club;

Independente Football Club;

Para se filiar as exigências da ASC eram: ter Estatutos; ter uma Praça de Esportes própria ou alugada; para a jóia de 30$000 (30 mil Réis); pagar mensalmente a quantia de 15$000 (15 mil Réis).

1ª Sede: Rua da América, nº 171 (sobrado) - Santo Cristo, Rio de Janeiro (RJ)

No domingo, do dia 23 de Maio de 1920, foi realizado o 1º Torneio Início, organizado pela ASC, no campo do Progresso Football Club, localizado na Rua João Rodrigues, s/n, no Bairro da São Francisco Xavier, na Zona Norte do Rio. Os participantes foram:

Dois de Junho Football Club;

Nova York Football Club;

Penha Football Club;

Sant’Anna Football Club;

SC Pimenta de Mello;

Triângulo Football Club.

No 1º jogo, que teve início às 13 horas, o Nova York venceu o Triângulo 1 a 0 (2 a 1, nos escanteios). Na segunda partida, o Dois de Junho bateu o Pimenta de Mello por 1 a 0 (2 a 0, nos escanteios). No 3º jogo, o Penha eliminou o Sant’Anna por um escanteio a zero.

Na fase semifinal, o Dois de Junho venceu o Nova York por 2 a 1 (2 a 1, nos escanteios). Na decisão, o Dois de Junho conquistou o título ao empatar em 1 a 1, mas vencer o Penha nos escanteios: 2 a 1.

Com isso, o  campeão Dois de Junho recebeu um artístico bronze, enquanto o Penha, vice-campeão, ganhou uma rica taça.

 

Time-base de 1920: Ernesto; Sexta e M. Souza; Alberto F., Erasmo e Raul; Cosme, Bahianinho, Victorio, Vicente e Rubens.

FONTES: O Paiz – O Malho

 

 

A Cruz de Malta Athletico Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). Fundado no dia 1º de Fevereiro de 1918, tinha sede própria no Bairro de Santo Cristo, na Zona Portuária do Rio.

O clube participou do Torneio Início e do Campeonato da Liga Municipal de Futebol (LMF), em 1918. No ano seguinte, já na Alliança Sportiva Municipal  (ASM), em 1919, o do Torneio Início e do Campeonato da ASM.

Nesta edição participaram:

Athletico Cajuense Football Club (de São Cristóvão).

Sport Club Avenida Liberdade (do Centro).

Sport Club Bonsucesso (de Bonsucesso).

Sport Club Boa Vista (do Alto da Boa Vista).

Navarro Football Club (do Catumbi-Rio Comprido).

Pereira Passos Football Club (da Saúde-Centro).

Sport Club Pimenta de Mello (de S. Cristo-Centro-S. Cristóvão).

Vinte e Cinco de Novembro Football Club (da Gamboa-Santo Cristo).

Tiradentes Athletico Club (da Aldeia Campista-Maracanã).

 

FONTES: Rsssf Brasil – Revista Época Sportiva

 

O Capitólio Futebol Clube é uma agremiação do Município de Pinheiral, que fica na Região Sul Fluminense a 121 km da capital do Estado do Rio de Janeiro. Vizinha a cidade de Volta Redonda, a localidade conta com uma população de 22.500 habitantes, segundo o Censo do IBGE/2010.

Em Pinheiral há dois pontos turísticos que se destacam: a antiga Estação Ferroviária, construída em 1870, que conserva as características neoclássicas originais, e abriga atualmente a Biblioteca Pública Prefeito Aurelino Gonçalves Barbosa. Outro marco notável na história do município é o casarão, sede da fazenda que deu origem à cidade. Atualmente encontra-se em ruínas e, ao seu redor, estão as instalações do atual Instituto de Educação Tecnologia – Campus Nilo Peçanha.

Voltando ao clube rubro-negro pinheiralense, foi Fundado no sábado, do dia 30 de Outubro de 1926. A sua Sede e o campo ficam situados na Rua Domingos Mariano, nº 236, no Centro da cidade. Na esfera do futebol, Capitólio Futebol Clube participou do Campeonato da Liga Sportiva Sul Fluminense em 1933 e 1934.

Cantor famoso defendeu as cores do Capitólio

No final dos 20 e início dos anos 30, o 1º caminhão de Pinheiral era do Sr. Miguel Anchite, que tinha como motorista, nada mais, nada menos do que Sílvio Caldas, que posteriormente se tornaria famoso, conhecido como “O cantor das despedidas“, com músicas que marcaram época como o samba de Ari Barroso intitulado Faceira (1931); Chão de estrelas (1937), em parceria com Orestes Barbosa, foi um de seus maiores êxitos. Na época das “vacas magras“, Silvio Caldas dividia o tempo sendo motorista e atuando como goleiro, defendendo a meta do Capitólio Futebol Clube, o camisa nº 1.

 

Capitólio vive nova fase

Em 14 de Maio de 1998, a Câmara Municipal aprovou e sancionou a Lei nº 47, reconhecendo de Utilidade Pública Municipal o Capitólio Futebol Clube. Atualmente, o clube rubro-negro vive uma nova fase de recuperação e ampliação da sua sede. Uma das fontes de renda está no aluguel do campo e eventos, shows que acontecem no campo.

 

FONTES: Wikipédia – Blog Cidade de Pinheiral – Câmara de Pinheiral – Página no Facebook “Capitólio Em Pinheiral” – Google Maps

 

O Colubandê Esporte Clube foi uma agremiação da cidade de São Gonçalo (RJ). Até o presente momento há poucas informações. Sabe-se que o time debutou no Campeonato Gonçalense de 1965. E até boa parte do certame, o Colubandê estava na liderança.

 

FONTE: O Fluminense

 

O Onze Rubros Futebol Clube foi uma agremiação da cidade de São Gonçalo (RJ). O clube da “Galeria Cruzeiro” foi Fundado nos anos 50, e a sua Sede ficava situado no Bairro Galeria Cruzeiro, em São Gonçalo. O clube ingressou no Torneio Popular, que era uma competição que reuniam times de Niterói e São Gonçalo, que por uma série de questões, não estavam participando dos seus respectivos campeonatos citadinos niteroiense e gonçalense.

Participou das edições 1959, 1960, 1961 e 1962, onde enfrentou times, que futuramente estariam no Citadino de Niterói e/ou São Gonçalo: Paulistano, São Domingos, Veterano, Agra, Bangu, entre outros.

O Onze Rubros fez boas campanhas nas duas primeiras edições. Em 1961, foi vice-campeão , tanto no principal quanto nos Aspirantes. Em 1962, foi campeão nos Aspirantes ao derrotar na final, o Flamenguinho por 2 a 1, no Estádio da Rua São Lourenço. Time atuou da seguinte forma: Orlando; Artimário, Sérgio, Carlos Alberto e Sebastião; José Carlos e Arildo; Vitor, Hélio, Adilson e Altamir.

Apesar de ser oriundo de São Gonçalo, o Onze Rubros ingressou no Departamento Niteroiense de Futebol (DNF). Não foi encontrado informações se o clube mudou de cidade ou fez algo similar como o Tiradentes.

Sob a presidência do José Carlos Alves, Onze Rubros Futebol Clube debutou no  Torneio Início de Aspirantes do Departamento Niteroiense de Futebol, em 1965. Participaram: Ypiranga, Manufatora, CCREE Elétrica, Bangu, Eletrovapo, Canto do Rio, Costeira e E.C. União.

Surpreendente o Onze Rubros acabou ficando com o título, derrotando o Costeira, na final. Título este que renderia um amistoso contra o Fluminense, que receberia uma cota de Cr$ 600 mil cruzeiros.

O jogo amistoso foi marcado para o sábado, do dia 02 de Outubro de 1965, às 15 horas, no Estádio da Rua Dr. March, no Barreto, em Niterói. As equipes chegaram no estádio escalados: O técnico do Tricolor das Laranjeiras, João Carlos já tinha o time definido: Vitório; João Francisco, Zé Luiz, Dari e Baiano; Eliseu e Gonçalo; Gibira, Valmir, Antunes e Lula. Os reservas: Brandão, Squarizzi, Ivan e Carlinhos.

Já o Onze Rubros com: Vermelho; Iraí, Candinho, Pedro Paulo e Zezeca; Zano e Adílson; Ademir, Joãozinho, Teleco e Vitor.  Porém, caiu uma chuva torrencial, que deixou o campo impraticável para a pratica do futebol, o que acabou obrigando o cancelamento da peleja.

No Campeonato Niteroiense de futebol profissional de 1965, o Onze Rubros não fez uma boa campanha. Alguns resultados: derrotas para Eletrovapo (3 x 0); Cruzeiro (4 x 3); Manufatora (1 x 0); Ypiranga (3 x 0); Bangu (3 x 1). Empate com o EC União (1 x 1). Nesta edição, o Onze Rubros mandou os seus jogos no campo do Cruzeiro, de Pendotiba.

 

FONTES: O Fluminense – Última Hora

 

O Bangu Futebol Clube foi uma agremiação da cidade de Niterói (RJ). A sua Sede ficava na Rua Doutor March, nº 620, no Bairro Tenente Jardim, em Niterói. O “Tricolor da Zona Norte” foi Fundado na sexta-feira, do dia 04 de Dezembro de 1925. Suas cores: grená, branco e verde.

Ao contrário do que se possa parecer, o nome não tem nenhuma relação com o Bicampeão Estadual (1933 e 1966): Bangu Atlético Clube. A escolha foi uma  homenagem ao nome da Rua Bangu, onde o clube surgiu, e, assim, batizou o time como Bangu Futebol Clube.

A sua fase áurea foi nos anos 60. Após ingressar no Campeonato Niteroiense de Futebol, organizado pelo Departamento Niteroiense de Futebol (DNF), o Bangu chegou ao vice-campeonato citadino nos anos de 1964 e 1965. Foi campeão Niteroiense Juvenil em 1965. E, finalmente, o seu título mais expressivo:  campeão do Campeonato Niteroiense de Futebol, em 1966.

Para os supersticiosos e/ou curiosos, um fato, no mínimo, interessante. Em 1964, 1965 e 1966, tanto o Bangu do Rio quanto o Bangu de Niterói terminaram as competições em colocações idênticas.  Os Mulatinhos Rosados ficaram em 2º lugar no Campeonato Carioca em 1964 e 1965, e campeão em 1966. Enquanto o Tricolor da Zona Norte  terminou nas mesmas colocações, no Campeonato Niteroiense.

 

Escudo dos anos 20 a 40

FONTE: O Fluminense

 

O Campeonato Citadino de Niterói de 1965, organizado pelo Departamento Niteroiense de Futebol (DNF), contou com a participação de 10 clubes:

Associação Esportiva Eletrovapo;

Bangu Futebol Clube;

Canto do Rio Futebol Clube;

CREEE (Clube Recreativo Esportivo Energia Elétrica);

Cruzeiro Futebol Clube;

Esporte Clube Costeira;

Esporte Clube União;

Manufatora Atlético Clube;

Onze Rubros Esporte Clube;

Ypiranga Futebol Clube.

FONTES: O Fluminense – Ultima Hora

 

O CROL (Cerâmica Rio do Ouro Ltda.) Futebol Clube é uma agremiação da cidade de São Gonçalo (RJ). Fundado na quarta-feira, do dia 17 de Setembro de 1958. O seu Estádio Ivan de Azevedo está localizado na Avenida Plínio Gomes de Matos Filho, s/n, no Bairro de Várzea das Moças, em São Gonçalo. Acrescentado que o CROL Futebol Clube participou do Campeonato Fluminense de Clubes Campeões de 1969. Nesse período foi campeão do Campeonato Citadino de São Gonçalo, em 1969 e 1971.

FONTE: Auto Esporte do Brasil – Cultura Niterói  

 

 Laje Esporte ClubeCampeão Invicto de 1950     

                       Em pé:  Volne , Tão , Lair , Ivandi, Augusto e Carleto                        

Sentados:   Niltinho , Cobrinha , Jailton , Braga.

FONTE: Blog Aloísio Soares

 

O Vargem Alegre Sport Club é uma agremiação da Cidade de Barra do Piraí (RJ). O clube Alvianil foi Fundado em abril de 1932, e tem a sua Sede localizada na Rua Hermogenio, nº 201, no Distrito de Vargem Alegre, em Barra da Piraí.

O Vargem Alegre foi campeão invicto do Campeonato Citadino de Barra do Piraí em 1961, organizado pela Liga Desportiva de Barra do Piraí (LDBP).

FONTE: Jornal Última Hora

 

O  Ararigboya Football Club foi uma agremiação da cidade de Niterói (RJ). Os “Periquitos” foi Fundado na quarta-feira, do dia 04 de Fevereiro de 1914. O clube Alviverde ficava sediado no Bairro de Santa Rosa.

Ararigboya foi o Bicampeão do Campeonato Citadino em 1914 e 1915, e se tornou o primeiro clube niteroiense a ganhar destaque estadual ao faturar o título do Campeonato Fluminense de 1915.

Se o início foi meteórico, a seqüência foi sem grandes conquistas. Seguiu participando do Campeonato Niteroiense até meados dos anos 20, até o Ararigboya Football Club fechar às portas na década de 30.

P.S.: Este escudo foi usado de meados de 1914 em diante (no mínimo até a década de 20). O outro distintivo com o formato de uma Estrela, possivelmente, teve vida efêmera.

 

FONTES: Rsssf Brasil – Revista O Jockey – Revista Vida Sportiva

 

 

O Paulistano Football Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). O clube Alvinegro foi Fundado no dia 03 de Abril de 1910, por funcionários públicos de São Paulo que trabalhavam no Rio, no Centro da cidade. Três anos depois, o Paulistano se mudou para a Rua São Clemente, s/n, no Bairro de Botafogo, na Zona Sul do Rio. Posteriormente retornou para o Centro.

O Paulistano disputou um Campeonato Carioca em 1912, vestindo camisa listrada, alvinegra, como o Botafogo, o que era um problema. Após um amistoso com o Paulistano de São Paulo, resolveu adotar o uniforme inteiramente branco, mas suas cores oficiais permaneceram sendo o preto e o branco.

Há registros de atividades do clube até 1915, quando une-se ao C.R. Boqueirão do Passeio, para que este ingressasse na Liga Metropolitana. Apesar do nome, o Paulistano não era uma homenagem imediata ao Paulistano de São Paulo, mas porque tinha muitos comerciantes e funcionários públicos nascidos em SP na sua fundação.

Aparentemente o uniforme listrado era uma referência à seleção paulista. No dia 4 de dezembro de 1917, o Paulistano FC, se mudou para a nova sede: Travessa Marietta, nº 31, no Bairro do Catumbi, na Zona Central do Rio.

FONTES: Arquivo pessoal – O Paiz – O Malho

 

 

FONTE:  O Malho 

 

O Tijuca Football Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). Fundado no dia 27 de Abril de 1908 e reorganizada a 26 de junho de 1914. A sua Sede ficava no Bairro da Tijuca, na Zona Norte do Rio.

Disputou a Terceira Divisão do Campeonato Carioca em 1917, 1918 e 1919, ficando respectivamente em sexto e em último na tábua de classificação. Em 1920, disputou uma prova eliminatória da Terceira Divisão com o Modesto Football Club classificatória para a Segunda Divisão, mas terminou derrotado por 4 a 1.

O terceiro participante, Exiles, houvera desistido. Em 1922, participou da Segunda Divisão, mas foi eliminado pela Liga Metropolitana de Desportos Terrestres (LMTD) por conta de faltas graves, de acordo com O Imparcial, de 16 de julho de 1922. Após esse incidente, o time alvinegro tijucano encerrou suas atividades.

 

FONTES:  O Malho – O Imparcial

 

O Sport Club Rio de Janeiro foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). Fundado no dia 15 de Maio de 1914, a sua Sede ficava sediada na Rua São Francisco Xavier com Avenida Boulevard 28 de Setembro, em Vila Isabel. Mandava seus jogos no extinto campo da Rua Morais e Silva, na Tijuca. Possuía as cores branca, azul e preta.

Entre os fundadores destacam-se Ernâni Silva de Almeida (presidente), Belmiro Alves (vice-presidente), Paulo Ramos Paz “Pazinho” (secretário), Guilherme Silva (tesoureiro), Waldemar Macieira (1° procurador), Carleto Botelho (2° procurador), Nicanor Tourinho (capitão-geral), Eliézer Leite (vice-capitão), Alberto Silva (comissão de sindicância), Arnaud Reis (comissão de sindicância) e Arsênio Brousse (comissão de sindicância).

Foi reorganizado em 2 de julho de 1914, com as cores preto e branco. A partir de 1920 se tornou azul e branco. Em 1918, foi o 3º colocado do Campeonato Carioca da Terceira Divisão. Conseguiu o acesso à Segunda Divisão ao derrotar o último colocado da Segunda Divisão, Paladino Foot-Ball Club por 6 a 1 na repescagem.

Em 1919, foi vice-campeão da Segunda Divisão. O campeão e promovido à elite foi o Palmeiras Athletico Clube. Foi 6º lugar no Campeonato Carioca da Segunda Divisão, em 1920, em certame vencido pelo Carioca Foot-Ball Club.

Em 1921, é campeão da Série A da Segunda Divisão. Na fase final perde para o Bonsucesso Futebol Clube, campeão da Série B, o título do campeonato. No mesmo ano conquista o Torneio Início da Segunda Divisão. Em 1922, faz fraca campanha e termina em sexto na classificação da Série A, sendo eliminado na fase inicial. Em 1923, faz novamente má campanha e termina em último no campeonato. Em 1924 foi extinto.

 

FONTES: Arquivo pessoal – O Malho 

 

 

Na história do futebol Rio, apenas 67 clubes disputaram a elite. Um deles, certamente a maioria desconhece: Sport Club Everest. Fundado numa segunda-feira do dia 2 de agosto de 1915, a sede do Áureo-anil ficava no bairro da Tijuca. Sete anos depois se mudou para o Estácio de Sá, onde ficou apenas um ano. Depois, entre 1923 a 1930, Nova mudança: dessa vez para o Bairro de Inhaúma, no Subúrbio carioca. E finalmente, de 1931 a 1933, o clube residiu no Méier.

Na elite do Rio, a sua única participação aconteceu em 1924. Então, em Inhaúma, o SC Everest participou da Liga Metropolitana de Desportos Terrestres (LMDT), que teve o Vasco da Gama como campeão e o Bonsucesso Futebol Clube (sua melhor colocação no Estadual) ficou com o vice-campeonato.

A campanha do SC Everest foi boa. O time ficou na terceira colocação da Série C, com 17 pontos, atrás do Enngenho de Dentro (22 pontos) e Modesto (17 pontos e saldo de 19 gols). Ao todo foram 12 jogos com Sete vitórias, Três empates e duas derrotas; marcando 21 gols e sofrendo 13, com saldo de oito.

OS 12 JOGOS:

SC Everest

5

X

0

Ramos Inhaúma (22/05/1924)  
SC Everest

2

X

1

Independência Inhaúma (25/05/1924)   
Modesto

2

X

3

SC Everest Quintino (15/06/1924)
SC Everest

2

X

2

Engenho de Dentro Inhaúma (13/07/1924)
Olaria

0

X

0

SC Everest Rua Cândido Silva, em Olaria (20/07/1924)
Campo Grande

1

X

2

SC Everest Campo Grande (27/07/1924)
Independência

2

X

2

SC Everest Méier (10/08/1924)
Ramos

0

X

2

SC Everest Rua Jockey Club, em Ramos (14/09/1924)
Engenho de Dentro

2

X

1

SC Everest Engenho de Dentro (05/10/1924)
SC Everest

WO

X

-

Olaria     Inhaúma (09/10/1924)   
SC Everest

2

X

1

Campo Grande Inhaúma (12/10/1924)
SC Everest

0

X

2

Modesto                Inhaúma (26/10/1924)

 

Antes de disputar a competição mais importante de sua história, o SC Everest ficou na 5ª e 4ª posições dos Campeonatos da Terceira Divisão do Rio, em 1917 e 1918 respectivamente. Após abandonar a Terceirona de 1920, o Everest ficou proibido de disputar o restante do campeonato, de acordo com o artigo 34, do Código de Football.

Após ‘bater na trave’ em 1926, quando ficou com o vice-campeonato da Segunda Divisão, o Sport Club Everest, enfim faturou o seu único caneco: Campeão Carioca do 2° Quadros da Segunda Divisão de 1928. Apesar do título o clube viveu mais alguns anos até desaparecer nos anos 30.

 

Esclarecimento

Importante ressaltar que o Sport Club Everest não tem nenhum link com o Everest Atlético Clube (fundado em 28 de abril de 1953), que também fica no Bairro de Inhaúma. Conversando com o presidente do Everest AC, César Clovis, uma pista. Segundo o dirigente o pessoal da velha guarda o relatou que tanto o nome quando o formato do escudo foi, de fato, inspirado no SC Everest. Aliás, o Inhaumense Futebol Clube (outro clube de Inhaúma e extinto), também se inspirou no escudo do SC Everest.

 

FONTES: Arquivo pessoal – O Malho 

 

 

FONTE: O Malho 

 

A Associação Atlética Arará foi uma agremiação da Cidade de Niterói (RJ). A sua Sede ficava localizada na Travessa Andrade Pinto, 131, no Bairro de Fátima, em Niterói. Além dos bailes de carnavais, o Arará também organizava corridas rústicas e participou de algumas edições do Campeonato Niteroiense de Futebol, nos anos 40. Contudo, o time era fraco e acabou se tornando o ‘saco de pancadas’ dos adversários, sendo o ‘Íbis niteroiense’ do seu tempo.

 

FONTES: Diário Fluminense – O Fluminense – A Noite

 

O Departamento Niteroiense de Futebol foi a entidade que organizava o futebol na cidade de Niterói (RJ). Acima o escudo e uniformes da Seleção Niteroiense na década de 40.

 

FONTE: Diário Fluminense

 

O Sepetiba Futebol Clube foi uma agremiação da cidade de Niterói (RJ). Fundado no dia 1º de Setembro de 1932, tinha a sua Sede constituída na Rua Visconde de Sepetiba, nº 147 (Sobrado), no Centro de Niterói. Participou diversas vezes do Campeonato Niteroiense de futebol. Existiu por quatro décadas até fechar às portas no início dos anos 70.

 

FONTES: Diário Fluminense – O Fluminense

 

 

Estado Novo Futebol Clube foi uma agremiação da cidade de Cabo Frio (RJ). A equipe Alviverde ficava sediada no Bairro Porto do Carro, em São Pedro da Aldeia. Na década 40, duas equipes disputavam palmo a palmo o direito de ser o melhor clube de Cabo Frio: Rio Grande F.C. e Estado Novo F.C. A equipe Alviverde foi campeão por diversas vezes o Campeonato Citadino Cabofriense de Futebol, como por exemplo, os títulos de 1944, 1946, 1947 e 1948.

CAMPEONATO FLUMINENSE

Estado Novo estreou no Campeonato Fluminense de 1944 (embora os jogos terem ocorrido em 1945). Na 1ª fase, o time eliminou o Rubro-Negro F.C., de Araruama, vencendo o jogo de volta, em casa, por 2 a 0. Na 2ª fase, arrancou um empate em 1 a 1 (04/03/45), com  o Ypiranga Futebol Clube, em Macaé. Na volta, o Estado Novo avançou ao vencer o rubro-negro macaense por 2 a 1 (11/03/45).

Na 3ª fase, Estado Novo e o Esperança , de Nova Friburgo travaram um duelo ferrenho para definir quem iria avançar para as semifinais do Campeonato Fluminense.

Após vencer, em casa, por 3 a 2, o Estado Novo foi até Nova Friburgo e acabou derrotado. Com isso, foi necessário o terceiro e decisivo jogo. Mesmo jogando em casa, o Estado Novo foi superado pelo Esperança por 1 a 0.

 

FONTES: Rsssf Brasil – Blog História, Música e Sociedade – Prof. Chicão – Diário Fluminense

 

 

Esporte Clube Conselheiro Paulino foi uma agremiação da cidade de Nova Friburgo (RJ). A Sede ficava em Conselheiro Paulino, localizado no 6º Distrito de Nova FriburgoO clube foi Fundado em 1947, como Esporte Clube Brasil/Espanha, pelo espanhol José Alvarez, que era proprietário de uma olaria.

Os primeiros Campeonatos do Conselheiro Paulino foi em 1950 e 1951, quando se sagrou Bicampeão da Segundo Divisão Friburguense. Em 1952, debutou no Campeonato de Friburgo da 1ª Divisão, terminando na segunda colocação, perdendo na decisão para o Friburgo F.C. por 4 a 3, em General Pedra. Em 1953, novamente ficou com o vice-campeonato perdendo para o Friburgo F.C. por 10 a 0, em General Pedra.

Depois de vários anos de disputa em 1955 caiu para o Campeonato da Segunda Divisão de Nova Friburgo e passou a se chamar Portuguesa. Em 1962 retorna com o antigo nome. Em 27 de março de 1974 com maioria absoluta dos votos foi aprovada a fusão com o Esperança Futebol Clube.

 

FONTES: Diário Fluminense – A Voz da Serra

 

O Sport Club Aliança foi uma agremiação da cidade de Campos dos Goytacazes (RJ). Fundado no dia 24 de Abril de 1932, por um grupo de funcionários da Usina de Queimados, localizado no Bairro homônimo, que hoje integra a área urbana da cidade, mas na época era considerada parte rural de Campos e que se distância apenas 3 km do centro. Em seguida o Aliança se filiou  à Liga Campista de Desportos (LCD).

Liderados por Laudelino Batista e Antônio da Silva Sá, que respectivamente foram o 1º presidente e vice do clube, procuraram os irmãos Julião e Inácio Nogueira, proprietários da usina e grandes admiradores dos esportes em geral, que gostaram muito da ideia e não só autorizaram a criação do time, como também colaboraram em muito para o seu desenvolvimento.

Em reunião ocorrida no dia 24 de abril de 1932, data oficial de fundação do clube, no pátio da usina e secretariada pelo jornalista e maestro Prisco de Almeida, ficou definido que o clube se chamaria Sport Club Aliança (apesar do mesmo nome, não pode ser confundido com o Aliança Foot-Ball Club, o segundo clube fundado na cidade de Campos, em 1912) e as cores foram inspiradas no ambiente que os cercavam: o verde dos canaviais e o branco do açúcar.

A primeira partida do Sport Club Aliança foi disputada no dia 24 de abril de 1932 (mesmo dia da fundação) contra o Industrial, no campo do Goytacaz, na Lapa, e terminou em um empate de 1 x 1. Contando com um bom complexo esportivo, composto por dois campos de futebol, quadras de vôlei, basquete e tênis, o Aliança, alcançou o seu apogeu com apenas cinco anos de existência, quando conquistou um tricampeonato campista nos anos de 1937, 1938 e 1939 e, logo depois, também de forma meteórica, desapareceu, não chegando a era do futebol profissional de Campos.

Apesar de seus poucos anos de vida, o Aliança foi uma das forças futebolísticas da cidade em sua época, sendo até difícil de imaginar como uma equipe vitoriosa e com o suporte de uma empresa como a Usina do Queimado, na fase áurea da cana de açúcar, tenha desaparecido tão precocemente. Vários jogadores de destaque tiveram passagem pelo clube, nomes como: Cláudio, Carbono, Lessa, Vicente, Rebite, Irineu e Evaldo Freitas.

Foi também de seus quadros, que saiu para o Vasco da Gama, o grande jogador Lelé, titular absoluto do time carioca que, na década de 40, conquistou vários títulos, entre eles o campeonato sul americano de 1946 e entrou para a história conhecido como o “Expresso da Vitória”.
Hoje o local já não apresenta mais as paisagens dos vastos canaviais de outrora, que perderam espaço para a construção de novos bairros, em nome do progresso, do desenvolvimento e da ganância dos homens.

Mas o prédio da velha usina, inaugurada em 6 de agosto de 1880, ainda permanece de pé, imponente, apesar de há muito desativado, tendo seu espaço físico usado, eventualmente, como casa de shows e boate, mas ainda marca na memória de muitos, que viveram os anos dourados do futebol de Campos, uma época que não volta mais.

 

FONTE:: Diário Fluminense – Wikipédia

 

O amigo e membro Auriel de Almeida, realizou diversas pesquisas no Arquivo Nacional. Dentre elas conseguiu informações, como as bandeiras, de algumas equipes pequenas cariocas dos anos 10. O The Brazil Athletic Club, foi um dos clubes da Fábrica Bangu, situado no Bairro de Bangu, na Zona Oeste do Rio  Fundado no dia 08 de Novembro de 1905, as suas cores eram verde, branca e amarela.

 

FONTE: Arquivo Nacional

 

O amigo e membro Auriel de Almeida, realizou diversas pesquisas no Arquivo Nacional. Dentre elas conseguiu informações, como as bandeiras, de algumas equipes pequenas cariocas dos anos 10. O Santa Heloísa Futebol Clube foi Fundado no dia 24 de Junho de 1927, por empregados da Sociedade Anônima Fábrica Santa Heloísa. A sua Sede ficava situada à Rua Saldanha da Gama, 2 (Matoso), Rio de Janeiro.

 

FONTE: Arquivo Nacional

 

O amigo e membro Auriel de Almeida, realizou diversas pesquisas no Arquivo Nacional. Dentre elas conseguiu informações, como as bandeiras, de algumas equipes pequenas cariocas dos anos 10. O Botafogo Athletico Club, de Aldeia Campista. O Alvinegro foi Fundado no dia 19 de Abril de 1913. A sua Sede ficava na Aldeia Campista, que é um Sub-Bairro de Vila Isabel – Zona Norte do Rio.

 

FONTE: Arquivo Nacional

 

O amigo e membro Auriel de Almeida, realizou diversas pesquisas no Arquivo Nacional. Dentre elas conseguiu informações, como as bandeiras, de algumas equipes pequenas cariocas dos anos 10. Começamos pelo alvianil Mayrinck Football Club. Fundado no dia 24 de Agosto de 1912, a sua Sede ficava na Rua Ana Guimarães, s/n, no Bairro do Rocha.

 

FONTE: Arquivo Nacional

 

O Rio Branco Athletico Club foi uma agremiação da cidade de Niterói (RJ). O Alvinegro foi Fundado na terça-feira, do dia 28 de Abril de 1931. A sua Sede ficava no Bairro Santa Rosa. A grande colaboração o Rio Branco de ter fundado; juntamente com o Fluminense AC e Tamoio FC, de São Gonçalo; a Liga Nictheroyense de Football, em 1932.

Sobre as participações do clube ainda não há um levantamento exato, mas as notícias do clube desapareceram em 1933. Neste caso duas possibilidades: ou o clube se afastou do futebol e se dedicou a ser apenas um clube social ou pode ter fechado às portas! Conforme novas informações sejam encontradas publicaremos.

FONTE: A Noite: Supplemento

 

O Cantareira Atlético Clube foi uma agremiação da cidade de Niterói (RJ). O clube negro-anil surgiu na década de 30, e a sua última Sede ficava na Rua General Castrioto, 589, no Largo do Barradas, em Niterói.

O Cantareira disputou o Torneio Início e o Campeonato Citadino Niteroiense, em 1939. Além do Cantareira as duas páginas destacam o Torneio Início de Niterói, vencido pelo Canto do Rio Football Club, em 1939.

FONTES: Revista Sport Ilustrado – O Fluminense

 

O Esperança Football Club foi uma agremiação da cidade de Niterói (RJ). O clube Alviverde foi Fundado no dia 29 de Julho de 1908, como Independência Football Club. No final de 1911, trocou o nome para Esperança F.C. A sua Sede ficava na Rua da Independência, s/n, no Bairro de Icaraí, em Niterói.

Já o seu Campo ficava na Rua Estácio de Sá (atual Avenida Roberto da Silveira, com prolongamento para a Avenida 7 de Setembro). O Esperança participou da Liga Sportiva Suburbana (LSS), em 1912; e da Liga Sportiva Fluminense (LSF), em 1915. Segundo o ex-goleiro da equipe, Manoel Senna, em entrevista para o jornal O Fluminense, o Esperança Football Club fechou às portas no ano de 1917.

Na Foto (abaixo), a equipe do Esperança Football Club formada por: Manoel Senna, Amadeu do Nascimento, Afonso Guilion, Ernani Bastos (Didinho), Argeu Meneses, Atayde Lopes Thomas Silva, Álvaro Miguelote, Draci Froes da Cruz, Jarbas Melo e Júlio Cruvero (Julinho).

FONTE & FOTO: Jornal O Fluminense – Manoel Senna

 

EQUIPES PARTICIPANTES:

EQUIPE

CIDADE

001

CRUZEIRO FUTEBOL CLUBE NITERÓI – RJ

002

FONSECA ATLÉTICO CLUBE NITERÓI – RJ

003

MANUFATORA ATLÉTICO CLUBE NITERÓI – RJ

004

NITEROIENSE FUTEBOL CLUBE NITERÓI – RJ

005

YPIRANGA FUTEBOL CLUBE NITERÓI – RJ

1º TURNO

21.04.1957

FONSECA

2-0

CRUZEIRO

21.04.1957

YPIRANGA

4-1

NITEROIENSE

28.04.1957

CRUZEIRO

3-0

YPIRANGA

28.04.1957

MANUFATORA

2-2

FONSECA

05.05.1957

FONSECA

3-2

NITEROIENSE

05.05.1957

MANUFATORA

3-2

CRUZEIRO

12.05.1957

NITEROIENSE

4-3

CRUZEIRO

12.05.1957

MANUFATORA

3-2

YPIRANGA

19.05.1957

FONSECA

3-0

YPIRANGA

19.05.1957

MANUFATORA

1-1

NITEROEINSE

2º TURNO

26.05.1957

FONSECA

3-1

CRUZEIRO

26.05.1957

YPIRANGA

6-2

NITEROIENSE

02.06.1957

CRUZEIRO

1-1

YPIRANGA

02.06.1957

FONSECA

1-0

MANUFATORA

09.06.1957

FONSECA

6-2

NITEROIENSE

09.06.1957

MANUFATORA

6-2

CRUZEIRO

16.06.1957

NITEROIENSE

1-1

CRUZEIRO

16.06.1957

MANUFATORA

4-0

YPIRANGA

23.06.1957

FONSECA

1-1

YPIRANGA

30.06.1957

NITEROIENSE

2-0

MANUFATORA

3º TURNO

25.08.1957

FONSECA

7-3

CRUZEIRO

14.07.1957

YPIRANGA

2-1

NITEROIENSE

04.08.1957

CRUZEIRO

2-2

YPIRANGA

04.08.1957

MANUFATORA

2-1

FONSECA

21.07.1957

FONSECA

3-2

NITEROIENSE

21.07.1957

MANUFATORA

3-2

CRUZEIRO

NITEROIENSE

CRUZEIRO

28.07.1957

MANUFATORA

11-3

YPIRANGA

18.08.1957

FONSECA

3-1

YPIRANGA

MANUFATORA

NITEROEINSE

CAMPEÃO – FONSECA ATLÉTICO CLUBE (NITERÓI-RJ)

 

O Flack Football Club foi uma agremiação efêmera da cidade do Rio de Janeiro (RJ). O clube Alvinegro Surgiu e desapareceu nos anos 20. O Flack tinha a sua Sede localizada na Rua Flack, s/n, no Bairro do Riachuelo, na Zona Norte do Rio.

Durante a sua curta existência, o Flack teve uma vida intensa, desde os bailes na Sede até as competições esportivas, no futebol, basquete, atletismo, entre outros. No futebol o time disputou as competições de base (Infantil), além do adulto no 1º, 2º e 3º Quadros, nas competições organizada pela Liga Brasileira de Desportos (LBD). Com a decadência do clube, muitos ex-sócios ajudaram a fundar o Sport Club Perseverança.

Time-base de 1922: Mario (Armindo); Roquino e Sylvio; Mathias (Aquino), Alexandre e Bahico (Arnaldo); Helio (Chico), Archimedes (César), Aguinaldo, Osvaldinho (Gomes) e Fedóca.

Equipe de Atletismo do Flack F.C.

FONTES: Correio da Manhã – Diário de Notícias – O Malho

© 2017 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha