SELEÇÃO BRASILEIRA  4          X         0          SELEÇÃO MEXICANA

LOCAL: Estádio Mario Filho, Maracanã, no Bairro do Maracanã, na Zona Note do Rio (RJ)

DATA: Sábado, do dia 24 de Junho de 1950

CARÁTER: 1ª rodada, da Primeira Fase, do Grupo 1, da IV Copa do Mundo de Futebol de 1950

PÚBLICO: 81.649 pagantes

ÁRBITRO: George Reader (Inglaterra)

AUXILIARES: George Mitchell (Escócia) e Benjamin Griffiths (País de Gales)

BRASIL: Barbosa; Augusto (Cap.) e Juvenal; Bauer, Danilo Alvim e Bigode; Friaça, Maneca, Baltazar, Ademir Menezes e Jair Rosa Pinto. Técnico: Flávio Costa

MÉXICO: Antonio Carbajal Rodríguez; Felipe Zetter Zetter, Alfonso Montemayor  Crespo (Cap.) e Rodrigo Ruiz; Mario Ochoa Gil e José Antonio Roca; Carlos Septién González, Héctor Ortiz, Horacio Casarín Garcilazo, Mario Pérez e José Guadalupe Velázquez. Técnico: Octavio Víal

GOLS: Ademir Menezes aos 30 minutos (Brasil), no 1º Tempo. Jair Rosa Pinto aos 20 minutos (Brasil); Baltazar aos 26 minutos (Brasil); Ademir Menezes aos 34 minutos (Brasil), no 2º Tempo.

FONTES: Revista Sport Ilustrado – Revista Fon Fon

 

 

O Esporte Clube União, do Fonseca chegou na final do Campeonato da Segunda Categoria Niteroiense de 1961. Na final, numa melhor de três, superou o Esporte Clube Agra e ficou com o título. Para poder atuar na Elite do futebol de Niterói, o União necessitava de um campo. Graças a generosidade do Fonseca Atlético Clube, o “Tricolor do Fonseca” conseguiu o Estádio da Alameda São Boaventura.

Desta forma, o União o aval do Departamento Niteroiense de Futebol (DNF) e disputou o Campeonato de Niterói de 1962. Mas, antes de estrear, o clube recebeu, de forma surpreendente, um convite para representar a cidade no III Campeonato Fluminense de Campeão dos Campeões.

Como diz um provérbio popular “Cavalo dado não se olha os dentes“, e o União aceitou o convite. No entanto, o adversário era o Americano de Macaé, que tinha acabado de se sagrar campeão invicto da ‘Princesa do Atlântico’.

Em Niterói, o União perdeu por 4 a 2. Oito dias depois, acabou sendo massacrado pelo placar de 7 a 2.  Após a eliminação, a imprensa fez duras críticas a DNF sobre os critérios de escolha do representante da cidade.  Assim foram escrita as primeiras páginas da história do Esporte Clube, do Bairro do Fonseca, na esfera do futebol profissional.

 

FONTE: Jornal Última Hora  

 

O Estádio Jornalista Mário Filho (Maracanã) foi construído para a Copa do Mundo e tinha a intenção de ser o maior estádio do mundo. O principal palco da Copa tinha a capacidade, na época, 200 mil pessoas e recebeu 8 jogos, dentre eles 4 da Seleção Brasileira e a final.

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

O Estádio Adelmar da Costa Carvalho (Ilha do Retiro), pertencente ao Sport do Recife, foi reformado para a competição e tinha capacidade, na época, de 20 mil pessoas. Na metade do século XX, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo eram as únicas cidades brasileiras com mais de meio milhão de habitantes, então a capital pernambucana foi escolhida a representante da Região Nordeste. Receberia dois jogos, mas com a desistência da França, que se recusou a participar da competição porque jogaria em Porto Alegre e no Recife, a uma distância de 3.779 quilômetros, a cidade abrigou somente um jogo.

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

O Estádio dos Eucaliptos era o estádio do Sport Club Internacional na época e tinha capacidade para 20 mil pessoas. Recebeu 2 jogos da competição (atualmente o estádio não existe mais).O Estádio dos Eucaliptos era o estádio do Internacional na época e tinha capacidade para 20 mil pessoas. Recebeu 2 jogos da competição (atualmente o estádio não existe mais).

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

O Estádio Durival Britto e Silva (Vila Capanema) era pertencente ao então Clube Atlético Ferroviário (atual Paraná Clube), tinha capacidade, na época, para aproximadamente 10 mil pessoas e recebeu 2 jogos.

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

O Estádio Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu) foi o segundo maior estádio da Copa com capacidade, na época, de 60 mil pessoas. Recebeu 6 jogos, dentre elas 1 da Seleção Brasileira.

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

O Estádio Raimundo Sampaio (Independência) foi construído para a Copa do Mundo e era pertencente na época ao Sete de Setembro Futebol Clube, tinha capacidade, na época, para 30 mil pessoas e recebeu 3 partidas pela competição.

 

FONTE: Revista Sport Ilustrad

 

 

FONTE: Revista Sport Ilustrado

 

PS.: Para ler os textos que descreve cada jogador basta dar um zoom até que fique no tamanho desejado

 

FONTE: O Globo Sportivo (Sexta-feira, dia 02 de Junho de 1950)

© 2019 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha