Resultado da votação para escolha do Artigo da Semana 12 – 2012-Periodo de 16 a 22 de Abril de 2012

 

  1. Locomotiva, Ano V (1955),- Vicente H. Baroffaldi 4
  2. Futebol Amazonense – Apelidos pra lá de exóticos (Parte II),-Sergio Mello ; 3
  3. Locomotiva, Ano IV (1954) – Vicente H. Baroffaldi. e Títulos internacionais em competições oficiais, – Vicente H. Baroffaldi 2
  4. Títulos internacionais em competições oficiais – Vicente H. Baroffaldi. ; Os primeiros artilheiros grenás – Vicente H. Baroffaldi. ;Os primeiros artilheiros grenás – Vicente H. Baroffaldi ; Modesto Football Club – Campeão Carioca De 1927, -Julio Diogo. ;Locomotiva, Ano Ii (1952), – Vicente H. Baroffaldi. ; Locomotiva, Ano Iii (1953), – Vicente H. Baroffaldi ; clubes de Passo Fundo14 de Julho, – Sérgio Mello ; clubes de Passo Fundo, Gaúcho – Sérgio Mello ; clubes de Passo Fundo, Atlético -Sérgio Mello ; clubes de Passo Fundo, Independente – Sérgio Mello e AE Carioca de Brasília – José Ricardo 1

 

 

 

1º Escudo em 1912

O Esporte Clube Rio Branco de Santa Vitória do Palmar (RS) é outra agremiação que completou 100 anos de existência em 2012. Tudo começou no dia 12 de Janeiro de 1912, quando um grupo de jovens vindos da cidade de Castillos no Uruguai, liderados por Mário Correa que viria a ser o primeiro presidente, chegou a Santa Vitória para administrar uma fazenda que haviam recebido de herança e juntamente com alguns amigos da cidade, fundaram o E. C. Rio Branco.

 O nome foi escolhido em virtude de ser o Barão do Rio Branco, na época Ministro das Relações exteriores do governo brasileiro, a pessoa mais importante nas relações entre Brasil e Uruguai. O Barão comandou um movimento para cedencia de parte da Lagoa Mirim e do Rio Jaguarão, que pertenciam ao Brasil, para o Uruguai através do tratado de Petrópolis em 1910.

 E o clube que fora fundado por uma maioria de uruguaios que agora chegavam para morar no Brasil, recebeu as cores verde e amarelo, justamente por serem as cores oficiais do país que os estava recebendo. E o Rio Branco enfrentou muitas dificuldades nos primeiros tempos, em 1916 a sua sede foi destruída durante um incêndio e ali se perderam os estatutos e as atas, inclusive a ata de fundação, além de outros documentos históricos.

A 1ª formação do Rio Branco em 1912. Da esquerda para direita: de pé, Olindo Alves Nunes 9 (terno branco), Henrique Fernandes, Bráulio Plá; Tônico Pinto, Hector Molmsten. De joelhos: Mario Correa, Faustino Oliveira e Carlos Vieira. Sentados Antonio Rodrigues, José Francisco da Costa, Isaac Ferreira, Marino Lima e Natálio Plá.

 Esta afinidade entre uruguaios e brasileiros que existia no E. C. Rio Branco fez com que a maioria dos jogadores uruguaios que atuaram em Santa Vitória vestisse justamente a camisa do Leão da Coxilha. Exemplos destes foram Soto, Gusman, Sanvicente (que tem seu nome imortalizado por um clube do Chuy – Uruguai, o Sanvicente) e Almada entre outros, todos grandes jogadores.

 Foi apenas durante a ditadura de Getúlio Vargas, décadas depois, que o vermelho foi incorporado. Na época o presidente sancionou um Decreto – Lei que proibia qualquer agremiação de utilizar as cores da bandeira nacional. O interessante é que as cores não podiam ser usadas exclusivamente, ou seja, um time não podia ter verde e amarelo como cores oficiais, mas se além destas uma terceira cor (desde que não fossem o azul e o branco, também presentes na bandeira) fosse incluída o problema estava solucionado.

 A escolha da nova cor se deu inspirada pelo Grêmio Atlético Farroupilha da cidade de Pelotas que também tivera de acrescentar uma nova cor, pois também utilizava o verde e o amarelo e que, além disso, fora obrigado a mudar de nome, pois se chamava Regimento, coisas que um governo exageradamente nacionalista, e que foi classificado por muitos de fascista, não poderia aceitar. 

A estreia da nova camiseta do Rio Branco, que agora virara o Tricolor da Coxilha, foi em uma partida amistosa contra o próprio Farroupilha. Foi aí que nasceram os dois uniformes tradicionais do Rio Branco. O uniforme número um que tinha uma camiseta branca com listras horizontais verde, amarelo e vermelho e o segundo uniforme, onde as três cores apareciam em listras verticais, igual ao uniforme principal do Farroupilha.

 O primeiro pavilhão do Leão da Coxilha, da década de 1930, era de madeira e ao redor do campo havia um muro feito com chapas de zinco, os famosos latões do Rio Branco, que produziam um barulho estrondoso quando a bola era chutada para fora com muita força. Era um verdadeiro luxo para a época, pois os outros times tinham muros de madeira.

 Pelo lado de fora havia uma linha de arame para que as pessoas não chegassem perto e danificassem os latões. O zinco durou até a década de 1960 quando se iniciou a construção do muro que perdura até hoje. Já o pavilhão de madeira durou mais, foi até o final da década de 1970, quando uma comissão paralela a diretoria foi encarregada de construir um novo pavilhão, que seria o maior da cidade.

 O projeto era ousado, a comissão que era formada por Homero Vasquez Rodrigues (Presidente), Hélio Chiesa (Vice-presidente), Nelson Martino de Oliveira (Tesoureiro) e Ari Joaquin Torino, o Ducha (Secretário), mostrara estar a frente de seu tempo e pediram a Arquiteta Leila Gasal que projetasse não apenas um pavilhão, mas um que tivesse cobertura e que na parte debaixo abrigasse ainda um restaurante, seria um verdadeiro precursor das modernas arenas com seus Shopings e praças de alimentação e tudo isso em uma cidade com cerca de trinta mil habitantes.

 A obra foi comandada pelos engenheiros João Messias Gasal e Albano Mespaque, mas por coisas do destino, e que são comuns em países pobres, acabou faltando dinheiro e no ano de 1983 foram concluídas as obras, porém, sem o restaurante, a cobertura e os banheiros. Mesmo assim, a torcida do Leão da Coxilha se vangloria até hoje por ter o maior pavilhão da cidade, seja em altura, comprimento ou ainda em capacidade de público.

 Por essas e outras que muitas vezes as finais são disputadas no Campo de Rio Branco, mesmo que ele não seja um dos finalistas. Na década de 1940 e 1950 destacaram-se grandes nomes como: Remes Estol (Remito), João Melo, que era Half esquerdo, o equivalente ao volante dos dias de hoje), o ponteiro direito Alfredo, Quinca e Mário Maragalione que era Ponteiro esquerdo e teve votação unânime em uma pesquisa realizada em 2000, apenas com pessoas que tinham mais de 70 anos, para apontar os melhores do século em Santa Vitória. O E.C. Rio Branco fica na Rua Mirapalhete, s/n, no Centro da cidade gaúcha.

Escudo atual

 

 Fonte: http://ecriobranco.blogspot.com.br/

Foto: Antônio Carlos Alves Nunes

 

O Centenário Futebol Clube é uma agremiação da cidade gaúcha de Sapiranga (RS).

 

O Vila Nova Futebol Clube é uma agremiação da cidade gaúcha da Taquara. O Clube foi  Fundado no dia 11 de Janeiro de 1976.

 

 

A Associação Esportiva e Cultural Boa Vista é uma agremiação da cidade de Santa Cruz do Sul (RS). A Sede fica na Linha Boa Vista, s/n, no Bairro Boa Vista. Fundado no dia 2 de Agosto 1959, como Esporte Clube Boa Vista.  

Esporte Clube Boa Vista

O clube aviverde surgiu de uma assembleia liderada por Francisco Arthur Eidt. Ao todo, foram 20 os fundadores. A primeira partida da equipe foi à vitória por 3 a 1 sobre um time de Dona Josefa. Herbert Sins fez o primeiro gol da história do time, trajado de verde, azul e branco.

O embrião lançado há cinco décadas evoluiu e virou sinônimo da sua comunidade. “O Boa Vista é o clube mais tradicional do futebol amador da região. Ganhou todos os títulos que disputou”, destaca Elo Ari Schneiders, duas vezes presidente, em 1977 e 1980.

Dentre as taças acumuladas, há oito da Liga do Cinturão Verde e sete da Liga Municipal, além outras da Liga Boa-Vistense, Liga Interdustrital, Liga Taquari Mirim e LIFASC – nos reservas em 2008. Em 2009, o AEC Boa Vista conquistou a ‘Tríplice Coroa’ ao conquistar os títulos Sub-18, Aspirantes e Titulares, dos campeonatos da Liga de Integração do Futebol Amador de Santa Cruz do Sul (LIFASC).

 
XXV DE AGOSTO F.C. DA FREGUESIA DO Ó

Na minha busca pelos grandes clubes de futebol, que tanto abrilhantaram a várzea paulistana, tive a grata e honrosa surpresa de um dia ser presenteado com um exemplar do livro “A História de uma Grande Família – XXV de Agosto Futebol Clube – 1947 – 1997″, escrito pelo abnegado Fernando Antonio Abrahão, que conta a saga do glorioso alvi-negro da Freguesia do Ó, bairro da Zona Noroeste da Capital.

Trata-se de um resgate a memória de um dos mais tradicionais clubes de futebol da região. Um trabalho histórico, repleto de informações, dados e fotografias que deve. com certeza, ser entendido como um patrimonio cultural a ser preservado.

Agradeço a família alvi-negra por me ter proporcionado essa obra, da qual extraio algumas fotografias.

Toninho Sereno

 

 

 

A Associação Esportiva e Cultural Juventude é uma agremiação da cidade gaúcha de Canguçu. O time fica localizado na Loc. Favila, no Primeiro Subdistrito. O AEC Juventude disputa as competições da região de Canguçu.

 

O Corinthians Sport Club é uma agremiação da cidade de Santa Cruz do Sul (RS). Fundado no dia 25 de julho de 1939, sob a denominação Corinthians Foot Ball Club, incialmente dedicando-se à prática do futebol amador.

 Os 14 membros fundadores do clube gaúcho foram: Elemar Gruendling, Affonso Simões Pires, Carlos E. Kraether, Reinaldo Matte, Eugênio Kaempf, Júlio de Oliveira Vianna, Bruno Neumann, Gastão Reisswitz, Euclydes N. Kliemann, Ruy F. Moreira, Arlindo Kessler, Carlos Knabach, Arno C. Binz e Agostinho Kliemann. 

CURIOSIDADES – Em 4 de outubro de 1939, o clube passou a se chamar Corinthians S.C., sendo criados os departamentos de basquetebol e de tênis. Em dezembro de 1955, o Corinthians foi o primeiro clube brasileiro a receber a Ordem de Honra ao Mérito da Confederação Brasileira de Desportos (Atual Confederação Brasileira de Futebol).

Protegido: Album Ping-Pong 1982…bons tempos

 10. Gerson Rodrigues  Digite sua senha para ver os comentários.
abr 232012
 

Este post está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:


 

OSantista Futebol Clube é uma agremiação da cidade de São Paulo (SP). O clube fica no bairro da  Vila Mangalot, na Zona Oeste da capital paulistana. O Santista foi Fundado no dia 21 de Março de 1936.

 

NOME: ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA BAHIA

FUNDAÇÃO: 04/10/1992

SITUAÇÃO: AMADOR

ENDEREÇO: Rua guido leao , 06 ,Serra Verde – CEP 31630570 - (031) 9691-6538

CIDADE: BELO HORIZONTE/MG

ESCUDO PINTADO NO CAMPO

ARTE DOS ESCUDOS DE SÉRGIO MELLO

 

NOME: ASSOCIAÇÃO FERROVIÁRIA DE ESPORTES

FUNDAÇÃO:

SITUAÇÃO: AMADOR

BAIRRO: Bairro Jardim Felicidade/ Regional Norte

CIDADE: BELO HORIZONTE

 

NOME: ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA FELICIDADE

FUNDAÇÃO: ?

SITUAÇÃO: AMADOR

BAIRRO: Jardim Felicidade/ Regional Norte

CIDADE: BELO HORIZONTE/MG

 

NOME: ASSOCIAÇÃO ESPORTIVA ESTRELA DO VALE

FUNDAÇÃO: 1971

SITUAÇÃO: AMADOR

BAIRRO: Bairro Vale do Jatobá / Regional Barreiro

CIDADE: BELO HORIZONTE

TÍTULO: Campeão de BH e Geral da Copa Itatiaia 1991

 
 
Outro clube tradicional da várzea paulistana é o XXV de Agosto Futebol Clube. Localizado na Rua Bonifácio Cubas, 18 – Bairro Freguesia do Ó, da Zona Oeste da cidade de São Paulo (SP). O ‘Alvinegro’ foi fundado no dia 25 de agosto de 1947.
 

NOME: UNIÃO ESPORTIVA CASTANHEIRA

FUNDAÇÃO: ?

SITUAÇÃO: AMADOR

BAIRRO: Castanheira/ Regional Barreiro

CIDADE: BELO HORIZONTE/MG

 

 

O Grêmio Esportivo João XXIII é uma agremiação da cidade de São Paulo (SP). O clube fica localizado no Bairro do Butantã, na Zona Oeste paulistana.

 

NOME: CAMPO VERDE FUTEBOL CLUBE

FUNDAÇÃO:

SITUAÇÃO: AMADOR

BAIRRO: VILA SÃO TOMÉ

CIDADE: BELO HORIZONTE/MG

 

 

NOME: BONFINENSE ESPORTE CLUBE

FUNDAÇÃO: 1979

SITUAÇÃO: AMADOR

BAIRRO: MORRO DAS PEDRAS

CIDADE: BELO HORIZONTE/MG

 

Paulista F. C. - Araraquara

 O jornal Araraquara Esportiva, edição nº 7, de 23 a 30 de janeiro de 1963, apresentou artigo assinado por Renato Rizzo, falando a respeito do Paulista Futebol Clube (o Paulista de Araraquara), agremiação que congregou elevado número de seguidores e que, além de militar no futebol amador, transitou também no profissionalismo, sendo, nesse particular, o mais antigo dos clubes araraquarenses.  O Paulista era tricolor, portando as cores vermelha, preta e branca.

09.01.1955 – Ferroviária 4×0 Paulista F.C.

Segue o texto do artigo aludido:

AQUI ESTÁ O SEU CLUBE

Uma das mais simpáticas agremiações da “Morada do Sol” é sem dúvida o Paulista F.C.

Sua fundação deu-se no dia 3 de dezembro de 1930, tendo como fundador o Sr. Carlos Bersanetti.

Uma de suas principais formações naquele ano foi: Tucci; Monte, Cocodé e Armando; Romana e Zico; Ministro, Aderico, Laerte, Turqueta e Loló.

Considerado o “Galo da Cidade” pelos campeonatos consecutivos de 1930 a 1944, e também possuidor de um grande patrimônio, conforme consta no livro nº 59, folhas 33 e 35 no Registro de Imóveis de Araraquara, um terreno medindo 183 m  de frente por 145 m de fundo.

Muitos jogadores que defenderam o Paulista F.C. sobressaíram no cenário futebolístico atual, dentre os quais destacam-se: Dudu, Galhardo, Baiano, Jarbas, Cachimbo e Orlando.

A atual diretoria do Paulista F.C. está assim formada, tendo como Presidente o Dr. Alonso Martinez.

Vice-Presidente – Geraldo Gonzaga da Silva

Secretário – Omar de Souza e Silva

 Tesoureiro – Celso Ferreira da Silva

Diretor Esportivo – Bento Dias de Souza

Não podemos esquecer aqui a figura notável de Carlos Bersanetti Filho, o qual foi um dos mais notáveis orientadores do Paulista F.C., e que seu desaparecimento trouxe uma perda ao futebol local, principalmente no Paulista F.C.

Em virtude da falta de orientação da Liga Araraquarense de Futebol, o Paulista F.C. afastou-se do Campeonato Amador em 1962, esperando o apoio de todos os esportistas locais, quando então ressurgirá neste próximo campeonato de 1963.

Fontes:
Araraquara Esportiva (jornal)
Elaboração /Transcrição: Vicente Henrique Baroffaldi
Edição: Paulo Luís Micali
Fotos: Internet (divulgação)

 

NOME: BETÂNIA ESPORTE CLUBE

FUNDAÇÃO: ?

SITUAÇÃO: AMADOR

BAIRRO: BETÂNIA

CIDADE: BELO HORIZONTE/MG

 

NOME: BANDEIRANTE FUTEBOL CLUBE

FUNDAÇÃO: 1978

SITUAÇÃO: AMADOR

BAIRRO: MORRO DAS PEDRAS

CIDADE: BELO HORIZONTE/MG

 

NOME: VILA FORMOSA FUTEBOL CLUBE

FUNDAÇÃO: 01/01/1951

SITUAÇÃO: AMADOR

CIDADE: POTIRENDABA/SP

 

NOME: SÃO JORGE FUTEBOL CLUBE

FUNDAÇÃO: 23/04/1946

SITUAÇÃO: AMADOR

CIDADE: RIO DE JANEIRO/RJ

 

 

Conquistas dos quatro maiores clubes paulistas:

1º – São Paulo Futebol Clube, 11 títulos

2º – Santos Futebol Clube, 8 títulos

3º – Sociedade Esportiva Palmeiras, 2 títulos

4º – Sport Club Corinthians Paulista, 1 título

 

OS 11 TÍTULOS DO SÃO PAULO:

Intercontinental (1992)

Intercontinental (1993)

Mundial da FIFA (2005)

Libertadores (1992)

Libertadores (1993)

Libertadores (2005)

Supercopa Libertadores (1993)

Copa Conmebol (1994)

Recopa Sul-Americana (1993)

Recopa Sul-Americana (1994)

Copa Master Conmebol (1996)

 

OS 8 TÍTULOS DO SANTOS:

Intercontinental (1962)

Intercontinental (1963)

Libertadores (1962)

Libertadores (1963)

Libertadores (2011)

Copa Conmebol (1998)

Recopa Mundial (1968)

Supercopa Sul-Americana (1968)

 

OS 2 TÍTULOS DO PALMEIRAS:

Libertadores (1999)

Copa Mercosul (1998)

 

O ÚNICO TÍTULO DO CORINTHIANS:

Mundial da FIFA (2000)

 

TOTAL DE TÍTULOS INTERNACIONAIS CONQUISTADOS POR CLUBES DO BRASIL  (até o final de 2011)

1º – São Paulo, 11;

2º – Santos, 8;

3º – Cruzeiro e Internacional, 7;

 5º – Flamengo e Grêmio, 4;

7º – Vasco, 3;

8º – Palmeiras e Atlético Mineiro, 2;

10º – Botafogo e Corinthians, 1.

 

Fonte:

São Paulo Internacional – Vicente Henrique Baroffaldi – Pontes, 2012


Edição: Paulo Luís Micali

 

LIBERTADORES

1974 – Contra o Independiente (ARG) – levou a pior: vice-campeão.

1992 – Contra o Newell’s Old Boys (ARG) – levou a melhor: campeão.

1993 – Contra a Universidad Católica (CHI) – levou a melhor: campeão.

1994 – Contra o Vélez Sarsfield (ARG) – levou a pior: vice-campeão.

2005 – Contra o Atlético-PR (BRA) – levou a melhor: campeão.

2006 – Contra o Internacional-RS (BRA) – levou a pior: vice-campeão.

 

SUPERCOPA LIBERTADORES

1993 – Contra o Flamengo (BRA) – levou a melhor: campeão.

1997 – Contra o River Plate (ARG) – levou a pior: vice-campeão.

COPA CONMEBOL

1994 – Contra o Peñarol (URU) – levou a melhor: campeão.

São Paulo FC- Conmebol 1994

 

RECOPA SUL-AMERICANA

1993 – Contra o Cruzeiro (BRA) – levou a melhor: campeão.

1994 – Contra o Botafogo-RJ (BRA) – levou a melhor: campeão.

2006 – Contra o Boca Juniors (ARG) – levou a pior.

 

COPA DE OURO NICOLAS LEÓZ

1993 – Contra o Boca Juniors (ARG) – levou a pior.

1995 – Contra o Cruzeiro (BRA) – levou a pior.

 

COPA MASTER CONMEBOL

1996 – Contra o Atlético-MG (BRA) – levou a melhor: campeão.

 

COPA INTERCONTINENTAL

1992 – Contra o Barcelona (ESP) – levou a melhor: campeão.

1993 – C ontra o Milan (ITA) – levou a melhor: campeão.

 

MUNDIAL DE CLUBES

2005 – Contra o Liverpool (ING) – levou a melhor: campeão.

 

Foram 18 decisões de competições internacionais oficiais alcançadas pelo São Paulo, que venceu 11 e perdeu 7.

Levou a melhor sobre  cinco clubes brasileiros (Atlético-PR, Flamengo, Cruzeiro, Botafogo-RJ e Atlético-MG). No mais, foram seis vantagens contra clubes de países diferentes: Argentina (Newell’s Old Boys), Uruguai (Peñarol), Chile (Universidad Católica), Espanha (Barcelona), Itália (Milan) e Inglaterra (Liverpool).

Levou a pior cinco vezes contra os argentinos (duas vezes contra o Boca Juniors e uma vez contra Vélez Sarsfield, River Plate e Independiente). E foram duas desvantagens contra clubes do Brasil (Internacional e Cruzeiro).

Fonte:

São Paulo Internacional – Vicente Henrique Baroffaldi – Pontes, 2012

Edição: Paulo Luís Micali

 

NOME: CLUBE RECREATIVO ATLANTIC

FUNDAÇÃO: 05/07/1996

APELIDO: LEÃO VERMELHO DO MORRO

BAIRRO: AGLOMERADO SERRA

CIDADE: BELO HORIZONTE/MG

TÍTULOS: Campeão copa Itatiaia 2003/2004  da chave BH. Bicampeão Junior 1997.

ESCUDO ALTERNATIVO – CAMISA

 

 

NOME: ARARIBÁ ESPORTE CLUBE

FUNDAÇÃO: ?

BAIRRO: Pedreira Prado Lopes

CIDADE: BELO HORIZONTE/MG

SITUAÇÃO: AMADOR

 

NOME: SOCIEDADE AMÉRICO FUTEBOL CLUBE

FUNDAÇÃO: 01/01/2004

BAIRRO: SANTA MÔNICA

CIDADE: BELO HORIZONTE/MG

TÍTULOS:

- Copa União 2006
- Copa Integração 2008
- Copa Rei Pelé 2008 (Invicto)
- Campeão do Torneio Itaguará 2009
- Copa Santa Mônica 2010 (Invicto)
OBS: A equipe Americo ficou de feveriro de 2007 a março de 2008 sem perder uma partida.

 

 

Escudo atual

 A cidade de Diadema ganha mais um time de futebol profissional, além do CA Diadema o município agora contará com o Esporte Clube Água Santa. O clube com mais de três décadas é um dos mais tradicionais no futebol amador da cidade.

Segundo o diretor da equipe, Marcos Boccato, o clube já iniciou a sua preparação para a disputa do Campeonato Paulista da Segunda Divisão, que tem previsão de início para o final deste mês (abril). Além da boa infraestrutura o diretor aponta nos torcedores a força da equipe. “Nas finais do amador tínhamos mais de 5 mil torcedores, em termos de torcida o EC Água Santa fará frente a equipes da região como o Santo André e São Bernardo”, disse Boccato.

A equipe deverá mandar seus jogos no Complexo Esportivo de Niamar, onde a prefeitura já trabalha para aumentar a capacidade seguindo as exigências da Federação Paulista de Futebol.

 

Escudo antigo

HISTÓRIA

O Esporte Clube Água Santa foi fundado em 27 de outubro de 1981 na cidade de Diadema, criado pelas mãos de migrantes nortistas, nordestinos e mineiros que vindos para estas paragens à busca de trabalho, tinham no futebol sua única forma de lazer em uma cidade á época conhecida pela alta taxa de densidade demográfica e pela violência. Nos poucos campos existentes em Diadema. O clube é o atual campeão da Divisão Especial da Liga de Futebol Amador de Diadema,

 O clube nasce profissionalmente com aproximadamente 10 mil torcedores. Depois de vencer tudo no amador, profissionalizou-se em 08 de Dezembro de 2011, dia especial para todo Diademense, já que nesta data comemora-se o aniversário da cidade e o dia da Padroeira Nossa Senhora da Conceição.

O Esporte Clube Água Santa já teve vestindo sua camisa verdadeiros ícones do futebol brasileiro como Claudecir, Zinho Capixaba, Capitão, Dinei e mais importante ainda, já formou, mesmo não tendo a classificação de “Clube formador” vários atletas em suas fileiras de base como Lelê hoje no Fortaleza, Romarinho no F.C. Porto, Fernando no Internacional de Porto Alegre, Neilton no Santos e Fabio ferreira no Botafogo carioca.

 

Fonte: http://www.jogolimpo.com/web/

 

NOME: ALIANÇA FUTEBOL CLUBE

FUNDAÇÃO: ?

BAIRRO: PLANALTO

CIDADE: BELO HORIZONTE/MG

TÍTULOS: BIcampeão -Copa Centenário – regional norte: 2000/2011; Campeão da Copa Centenário – Modulo B: 2006; Bi-campeão SENIOR 2009/2010

SITUAÇÃO: AMADOR

 

NOME: IX DE MARÇO FUTEBOL CLUBE

FUNDAÇÃO: ?

ENDEREÇO: RUA CORONEL CLAUDIONOR,  145 – BAIRRO NOVA GAMELEIRA – CEP 30510-680

CIDADE: BELO HORIZONTE/MG

SITUAÇÃO: AMADOR


ARTE DO ESCUDO SÉRGIO MELLO

 

NOME: ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA CACHOEIRINHA

FUNDAÇÃO: ?

ENDEREÇO: RUA DOS OPERARIOS, 268 – BAIRRO CACHOEIRINHA

CIDADE: BELO HORIZONTE/MG

CAMPO: Associação Atlética Cachoeirinha / Cachoeirinha 
Av. José Cleto, 720 – Santa Cruz / Palmares

SITUAÇÃO: AMADOR

 

Por: Carlos Zamith

Os times de futebol de Manaus (AM), especialmente na época do amadorismo, sempre preservavam os apelidos de seus defensores. Alguns casos até estapafúrdios foram registrados e amplamente divulgados na primeira edição do livro “Baú Velho”, lançado em 1999.

Jogadores com apelidos estranhos passaram pelo futebol amazonense, a maioria com destaque em seus clubes e até nas Seleções que disputaram o Campeonato Brasileiro.

clip_image002  clip_image004   clip_image006  clip_image008

          Gatinho                                 Rato                                   Ratinho                                Catita

 

Gatinho (Edgar Gonçalves Alcântara), foi um dos maiores zagueiros do futebol amazonense. Nascido em Manaus em 23 de fevereiro de 1928, ainda jovem, aos 36 anos nos deixou. Titular absoluto as Seleções do Amazonas durante 10 anos.

Rato era lateral esquerdo. Jogou pelo Fast em 1968 e tinha como companheiros o goleiro Maneco, Pompeu, Santana, Tapioca, Dermilson e Bezerra. Terminou no Sul América, no tempo de Dílson, João Lucena, Guaporé, Bebé, Soldado, Álvaro e outros.

Ratinho destacou-se na equipe do Independência na década de 50 e chegou a ser cogitado pelos “grandes” do nosso futebol, mas não vingou.

Catita (Wilson Ferreira da Silva) foi destaque no time do Rio Negro. Campeão em 1962 e 1965. Depois jogou pelo Olímpico e terminou no América.

clip_image010   clip_image012   clip_image014   clip_image016

Zé Estragado           Galinha Preta              Pau Vestido                    Peixe Agulha

Zé Costa (Zé Estragado) jogou pelo Sul América. Em 1963, numa vitória de 3 x 0 sobre o Fast, marcou dois gols e ganhou manchete nos jornais durante algum tempo. Ainda vive no bairro de São Raimundo.

Emanuel Galinha Preta, jogava com ponta. Em vários times, aparecendo em 1948 como defensor do Tijuca de Flaviano Limongi e Mário Orofino.

Machado (Pau Vestido) jogou pela União Esportiva Portuguesa, sem muito destaque, mas foi titularem alguns jogos na década de 40.

Wolkmer Tabosa dos Reis (Peixe Agulha) foi zagueiro do Rio Negro e um apaixonado por essa agremiação. Também atuou como árbitro nos anos 50. Ajudou o Rio Negro na volta aos gramados em 1960.

 

 

O Grêmio Esportivo Firmiano Pinto é uma agremiação da cidade de São Paulo (SP). O clube foi Fundado no dia 1º de Maio de 1950, Praça Pinheiro da Cunha, 565, no Bairro do Ipiranga, na Zona Sul.

 A trajetória do G.E. Firmiano Pinto foi uma caminhada feita em meio a muitas dificuldades e lutas, mas rendeu momentos inesquecíveis. Uma das maiores paixões do torcedor do Firmiano é a sua história. Quem conhece sabe bem a razão e o motivo de tanto orgulho. Ela é rica, bela, cheia de lutas e glórias.

 Um time de várzea que se iniciou num porão de uma casa, que usava uniforme emprestado e que em meio a tantas dificuldades e muitos campeonatos disputados em 1957 o grande dia chegou e o Firmiano se consagra Campeão do Torneio mais importante da época chamado de Campeonato do Oasis.

 O time chegou a ter muitas sedes, até que alguns anos depois o time realmente encontrou seu porto seguro que hoje é a sede localizada na Praça Pinheiro da Cunha e um novo processo de reestruturação vem sendo implantado, mas nunca se esquecendo das suas origens, são 60 anos de história de geração pra geração e com os mesmos valores do inicio.

 Um time de várzea sim com muita honra e dignidade, que representa nosso tão amado e valorizado bairro Ipiranga, por essas e tantas outras passagens é que temos um caso de amor com a nossa história. O tempo passou e o futebol se modificou, o clube tem fortes raízes amadoras, mas nunca rejeitou o profissionalismo. O Firmiano recentemente conquistou o vice-campeonato da Copa Black-2011.

 

 MASCOTE - O ‘Pintinho’ eternizou-se como a mascote do Grêmio Esportivo Firmiano Pinto desde a fundação do clube em 1950 por causa do nome do Bairro de Firmiano Pinto.

 

 

Fonte e foto: http://www.firmianopinto.com.br/

 

Olha quem aparece nessa foto, como goleiro do Palmeiras Esporte Clube de Araraquara, forte clube amador da Morada do Sol, com sede na Vila Xavier.

Simplesmente ABELHA, antes de se destacar no futebol profissional, quando passaria por Ferroviária, Flamengo, São Paulo, São Bento, ABC de Natal.

Profissional exemplar, Abelha já mostrava, no Palmeirinhas – clube amador –, as suas qualidades. O esquadrão alvi-verde da foto, time-base dos anos 1979/80, esteve sempre na linha de frente do futebol amador de Araraquara, sendo Abelha um dos seus maiores destaques.

João Batista Abelha - Nasceu em 3 de Janeiro de 1958

Fonte da foto do Palmeiras E.C.:
Revista Esporte Araraquara, edição nº 24, de agosto/setembro de 2011
Texto: Vicente Henrique Baroffaldi
Edição: Paulo Luís Micali

 

Nos cinco primeiros anos de prática do futebol, a Associação Ferroviária de Esportes, de Araraquara,  disputou o Campeonato Paulista da Segunda Divisão. Teve, nesses certames oficiais da Federação Paulista de Futebol, os seguintes autores de tentos:

 

Campeonato Paulista da Segunda Divisão/1951

Dirceu

1º – Dirceu, 15 gols

2º – Ministro, 7

3º – Tonhé, 5

4º – Fescina, 4

5º – Gonçalves, 3

6º – Rebolo, Baltazar, Espanador e Antônio Carlos, 1

(e mais um gol contra, de Ismael, do Palmeiras de Jaú)

 

Campeonato Paulista da Segunda Divisão/1952

Omar

1º – Omar, 21

2º – Vaghinho, 14

3º – Luiz Rosa, 9

4º – Russo, 6

5º – Osvaldo, 5

6º – Dirceu e Pedrinho, 4

8º – Zé Amaro e Xavier, 3

10º – Luiz, Sarvas e Pixo, 1

(e mais dois gols contra)

 

Campeonato Paulista da Segunda Divisão/1953

Tec

1º – Tec, 17

2º – Zé Amaro e Augusto, 10

4º – Boquita, 9

5º – Vaguinho, 7

6º – Omar e Odair, 2

8º – Santo Cristo, 1

(e mais um gol contra, de Mazzini, do Bragantino)

 

Campeonato Paulista da Segunda Divisão/1954

Paulinho

1º – Paulinho, 10

2º – Otávio, 7

3º – Bazzani e Lambari, 3

5º – Antoninho, 2

6º – Jonas, Boquita e Dirceu, 1

 

Campeonato Paulista da Segunda Divisão/1955

Cardoso

1º – Cardoso, 28

2º – Gomes, 22

3º – Bazzani, 15

4º – Boquita e Paulinho, 8

6º – Pixo, 3

7º – Dirceu e Marinho, 1

(e mais um gol contra, de Atílio, do Marília)

 

Nessas cinco primeiras presenças em competições oficiais, a Ferroviária teve como artilheiro maior, em um mesmo campeonato, o avante Cardoso, autor de 28 gols na Segundona paulista de 1955, ano no qual a AFE se sagrou campeã, adquirindo o direito de disputar a Primeira Divisão em 1956. Logo após essa memorável conquista, que se deu já no ano de 1956 (no dia 15 de abril), o jornal O Imparcial, de Araraquara, em sua edição extra de 16 de abril apresentava a seguinte biografia de Cardoso:

CARDOSO

João Carlos Cardoso ( mora atualmente em Descalvado)

Meia-direita (ponta-de-lança), é considerado pelos seus adversários como “avante misterioso” que exige sempre mais de um para marcá-lo. Marca gols impossíveis, sendo incompreendido pela torcida. É o “governador” do time grená.

Nome – João Carlos Cardoso

Naturalidade – Descalvado (SP)

Idade – 23 anos. Nascido a 15.11.1932

Estado civil – solteiro

Peso – 66 quilos

Altura – 1,78

Clubes – Iniciou em Descalvado, defendendo posteriormente o Batatais. Voltou para Descalvado de onde veio para a AFE.

Títulos – Nunca foi campeão.

Maior emoção – Orgulha-se Cardoso de pertencer ao quadro da Ferroviária e, contou-nos emocionado o gol de abertura que marcou, contra o Botafogo, lá em Ribeirão Preto no sensacional empate de 2 a 2. Realmente, o tento de Cardoso naquele prélio foi magistral, num golpe feliz de cabeça, enganando a perícia do arqueiro botafoguense.

Fontes:

Arquivo do Prof. Antônio Jorge Moreira (cópia do Museu do Futebol e Esportes de Araraquara)

O Imparcial, jornal de Araraquara
Foto (Cardoso): Que fim Levou? – Terceiro Tempo

Elaboração: Vicente Henrique Baroffaldi

Edição: Paulo Luís Micali

 

NOME: SANTA CRUZ FUTEBOL CLUBE

FUNDAÇÃO: 15/08/1980

CIDADE: INDAIATUBA/SP

SITUAÇÃO: AMADOR

ARTE DO ESCUDO SÉRGIO MELLO

 

EQUIPES PARTICIPANTES:

Nº EQUIPE CIDADE
001 AMÉRICA FUTEBOL CLUBE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
002 ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA FRANCANA FRANCA
003 ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA INTERNACIONAL LIMEIRA
004 ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA PONTE PRETA CAMPINAS
005 ASSOCIAÇÃO FERROVIÁRIA DE ESPORTES ARARAQUARA
006 BOTAFOGIO FUTEBOL CLUBE RIBEIRÃO PRETO
007 CLUBE ATLÉTICO JUVENTUS SÃO PAULO
008 CLUBE ATLÉTICO TAQUARITINGA TAQUARITINGA
009 COMERCIAL FUTEBOL CLUBE RIBEIRÃO PRETO
010 ESPORTE CLUBE SÃO BENTO SOROCABA
011 ESPORTE CLUBE TAUBATÉ TAUBATÉ
012 ESPORTE CLUBE XV DE NOVEMBRO JAÚ
013 ESPORTE CLUBE XV DE NOVEMBRO PIRACICABA
014 GUARANI FUTEBOL CLUBE CAMPINAS
015 MARÍLIA ATLÉTICO CLUBE MARÍLIA
016 SÃO JOSÉ ESPORTE CLUBE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

GRUPO I
   
28.01.1984 PONTE PRETA 1-1 SÃO BENTO
29.01.1984 XV DE NOVEMBRO(P) 2-1 BOTAFOGO
29.01.1984 INTERNACIONAL 1-0 TAUBATÉ
29.01.1984 SÃO JOSÉ 1-1 JUVENTUS
01.02.1984 BOTAFOGO 1-1 PONTE PRETA
01.02.1984 SÃO BENTO 1-2 XV DE NOVEMBRO(P)
01.02.1984 TAUBATÉ 0-0 SÃO JOSÉ
01.02.1984 JUVENTUS 1-1 INTERNACIONAL
05.02.1984 BOTAFOGO 2-1 SÃO BENTO
05.02.1984 PONTE PRETA 0-2 XV DE NOVEMBRO(P)
05.02.1984 JUVENTUS 3-2 TAUBATÉ
05.02.1984 INTERNACIONAL 0-1 SÃO JOSÉ
08.02.1984 XV DE NOVEMBRO(P) 1-0 PONTE PRETA
08.02.1984 SÃO BENTO 1-2 BOTAFOGO
08.02.1984 TAUBATÉ 1-0 JUVENTUS
08.02.1984 SÃO JOSÉ 0-0 INTERNACIONAL
11.02.1984 PONTE PRETA 0-1 BOTAFOGO
11.02.1984 SÃO JOSÉ 0-0 TAUBATÉ
11.02.1984 XV DE NOVEMBRO(P) 0-0 SÃO BENTO
11.02.1984 INTERNACIONAL 2-1 JUVENTUS
14.02.1984 SÃO BENTO 1-1 PONTE PRETA
14.02.1984 BOTAFOGO 0-2 XV DE NOVEMBRO(P)
14.02.1984 JUVENTUS 1-0 SÃO JOSÉ
14.02.1984 TAUBATÉ 1-1 INTERNACIONAL

SÉRIE A

  J V E D GP GC PG
01º XV DE NOVEMBRO(P) 06 05 01 00 09 02 11
02º BOTAFOGO 06 03 01 02 07 07 07
03º PONTE PRETA 06 00 03 03 03 07 03
04º SÃO BENTO 06 00 03 03 05 08 03

SÉRIE B

  J V E D GP GC PG
01º INTERNACIONAL 06 02 03 01 05 04 07
02º JUVENTUS 06 02 02 02 07 07 06
03º SÃO JOSÉ 06 01 04 01 02 02 06
04º TAUBATÉ 06 01 03 02 04 05 05

GRUPO II
   
29.01.1984 GUARANI 2-0 XV DE NOVEMBRO(J)
29.01.1984 MARÍLIA 1-0 TAQUARITINGA
29.01.1984 COMERCIAL 2-0 FRANCANA
29.01.1984 AMÉRICA 2-0 FERROVIÁRIA
01.02.1984 XV DE NOVEMBRO(J) 0-0 MARÍLIA
01.02.1984 TAQUARITINGA 1-0 GUARANI
01.02.1984 FRANCANA 1-1 AMÉRICA
01.02.1984 FERROVIÁRIA 0-0 COMERCIAL
04.02.1984 TAQUARITINGA 3-0 XV DE NOVEMBRO(J)
04.02.1984 GUARANI 2-2 MARÍLIA
04.02.1984 FRANCANA 0-0 FERROVIÁRIA
04.02.1984 AMÉRICA 0-0 COMERCIAL
08.02.1984 XV DE NOVEMBRO(J) 1-1 TAQUARITINGA
08.02.1984 MARÍLIA 0-1 GUARANI
08.02.1984 FERROVIÁRIA 1-0 FRANCANA
08.02.1984 COMERCIAL 0-0 AMÉRICA
11.02.1984 MARÍLIA 0-0 XV DE NOVEMBRO(J)
11.02.1984 GUARANI 2-0 TAQUARITINGA
11.02.1984 AMÉRICA 1-0 FRANCANA
11.02.1984 COMERCIAL 2-1 FERROVIÁRIA
14.02.1984 TAQUARITINGA 0-1 MARÍLIA
14.02.1984 XV DE NOVEMBRO(J) 0-2 GUARANI
14.02.1984 FERROVIÁRIA 2-0 AMÉRICA
14.02.1984 FRANCANA 1-2 COMERCIAL

SÉRIE C

  J V E D GP GC PG
01º GUARANI 06 04 01 01 09 03 09
02º MARÍLIA 06 02 03 01 04 03 07
03º TAQUARITINGA 06 02 01 03 05 05 05
04º XV DE NOVEMBRO(J) 06 00 03 03 01 08 03

SÉRIE D

  J V E D GP GC PG
01º COMERCIAL 06 03 03 00 06 02 09
02º AMÉRICA 06 02 03 01 04 03 07
03º FERROVIÁRIA 06 02 02 02 04 04 06
04º FRANCANA 06 00 02 04 02 07 02

DECISÃO DO GRUPO I

16.02.1984 INTERNACIONAL 0-2 XV DE NOVEMBRO(P)

* COM ESTES RESULTADOS, O ESPORTE CLUBE XV DE NOVEMBRO DE PIRACICABA CLASSIFICOU-SE PARA O CAMPEONATO BRASILEIRO – TAÇA DE PRATA DE 1984.

DECISÃO DO GRUPO II

16.02.1984 COMERCIAL 0-1 GUARANI

* COM ESTES RESULTADOS, O GUARANI FUTEBOL CLUBE DE CAMPINAS CLASSIFICOU-SE PARA O CAMPEONATO BRASILEIRO – TAÇA DE PRATA DE 1984.

DECISÃO DA 3ª VAGA

18.02.1984 INTERNACIONAL 1-0 COMERCIAL

* COM ESTES RESULTADOS, A ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA INTERNACIONAL DE LIMEIRA CLASSIFICOU-SE PARA O CAMPEONATO BRASILEIRO – TAÇA DE PRATA DE 1984.

 

 

Parte da  torcida do Bangu chegou ao Engenhão para o jogo contra o Botafogo, de trem. Estava vendo o programa Tá na Área no Sportv quando as câmeras mostraram o trem chegando ao Engenhão.  Falaram que a   viagem  de Bangu à Engenho de Dentro durou 40 minutos.

Queria estar nesse trem!  Seria muito bom ver a alegria estampada nos torcedores banguenses chegando de novo a a ter chances de chegar a uma final no Carioca.

Em 2006 pude ver parte da torcida do América do Rio chegando ao Maracanã de Metrô.  Estava lá! Vi a alegria dos americanos,  depois de alguns  anos,  se encontrando nas arquibancadas do Maracanã.  E cantaram  aquele hino lindo do América.

Só mesmo o futebol!

 

© 2015 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha