Toninho Sereno

 

Amistoso em 1932 – São Paulo F.C. (SP) 1 x 1 C.R. Vasco da Gama (RJ)

Partida realizada na data de 12 de maio de 1932, na Chácara da Floresta, em São Paulo.

Juiz: Virgilio Fredrighi, do Rio de Janeiro.

Gols: Friedenreich (SPFC) e Gallego (CRVG)

São Paulo: Joãosinho, Caetano e Barthô. Milton, Bino e Fabio. Luizinho, Alvaro, Friedenreich, Araken e Junqueira.

Vasco da Gama: Waldemar, Domingos e Italia. Tinoco, Henrique e Gringo. Bahianinho, Gallego, Russinho, Bahia e Sant´Anna.

Fonte: Diário Nacional

 

Todos os jogos foram realizados na data de 24 de abril de 1932, no estádio da Chácara da Floresta.

 

1º jogo – Palestra Italia x C.A. Ypiranga

Juiz: Paulo Wenzel

Palestra: Figueira, Rivetti e Magalhães. Adolfo, Xingo e Garcia. Faccioli, Ambrosine, Sandro, Armandinho e Imparato.

Ypiranga: Ratto, Bruno e Roval. Nilo, Santos e Gallet. Figueiredo, Moreschi, Nelson, Dias e Fellipeli.

O Palestra classificou-se: dois escanteios contra um escanteio do Ypiranga.

 

2º jogo – S.C. Syrio x SC Germania

Juiz: Enéas Sgarzi

Syrio: Abdalla, Chaves e Ferreira. Del Grande, Vanni e Tuffi. Del Pero, Waldemar, Petronilho, Pedrinho e Vicente.

Germania: Pedro, Moura e Antunes. Cayuba, Carneira e Ferreira. Patricio, José, Chimenti, Mayrena e Corsato.

O Syrio classificou-se: dois gols de Petronilho e um escanteio contra dois escanteios do Germania.

 

3º jogo – S.C. Internacional x Portugueza de Esportes

Juiz: Antonio Sotero de Mendonça

Internacional: Piva, Pastore e Agostinho. Rossi, Bastos e Manggione. Pelluzzo, Carlos, Heitor, Arantes e Vicente.

Portugueza: Waldemar, Passarine e Duarte. Xará, Waldomiro e Del Nero. Guilherme, Pixo, Carioca, Alberto e Zequinha.

O Internacional classificou-se: Um gol de Pelluzzo e um escanteio contra um escanteio da Portugueza.

 

4º jogo – A.A. São Bento x C.A. Santista

Juiz: José Folker

São Bento: Amparo, Mesquita e Votorantim. Ruiz, Duilio e Pacco. Caetano, Moura, Barrilotti, Bindo e Waldemar.

Santista: Lazaro, Nenucho e Pintanella. Bisoca, Zarzur e Goulart. David, Gy, Nabor, Mena e Selesio.

O C.A. Santista classificou-se: um escanteio contra nenhum da A.A. São Bento.

 

5º jogo – S.C. Corinthians Paulista x Santos F.C.

Juiz: Carlos Friedenreich

Corinthians: Hamos, Neco e Conti. Sala, Rizieri e Joãozinho. Orlando, Zuza, Mamede. Mingo e Ratto.

Santos: Victor, Meira 2º e Feitiço. Zinho, Agostinho e Abreu. Victor, Armandinho, Strauss, Ceppo e Hugo.

O Santos F.C. classificou-se: Dois gols (Armandinho e Agostinho) e um escanteio contra um escanteio do Corinthians.

 

6º jogo: São Paulo F.C. x C.A. Juventus

Juiz: Attilio Grimaldi

São Paulo: Joãozinho, Clodoaldo e Barthô. Iracy, Bino e Fábio. Luizinho, Armandinho, Friedenreich, Araken e Junqueira.

Juventus: José, Segalla e Piola. Joãozinho, Brandão e Carlos. Raul, Nico, Orlando, Moacyr e Euvaldo.

O São Paulo F.C. classificou-se: um gol de Barthô e um escanteio contra um escanteio do C.A. Juventus.

 

SEMIFINAIS

 

7º jogo: Palestra Italia x S.C. Syrio

Juiz: Victorio Sylvestre

Syrio: Abdalla, Chaves e Ferreira. Del Grande, Vanni e Tuffi. Caetano, Waldemar, Petronilho, Pedrinho e Vicente.

Palestra Italia: Figueira, Rivetti e Magalhães. Adolfo, Xingo e Garcia. Faccioli, Ambrosine, Sandro, Armandinho e Imparato.

O Palestra Italia classificou-se: um gol de Imparato e um escanteio contra um escanteio do S.C. Syrio.

 

8º jogo: S.C. Internacional x C.A. Santista

Juiz: Antonio Sotero de Mendonça

Internacional: Piva, Pastore e Agostinho. Rossi, Bastos e Manggione. Pelluzzo, Carlos, Heitor, Arantes e Vicente.

Santista: Lazaro, Nenucho e Pintanella. Pennaforte, Zarzur e Goulart. David, Gy, Nabor, Mena e Selesio.

O C.A. Santista classificou-se: um gol de Gy e dois escanteios contra nenhum do S.C. Internacional.

 

9º jogo: Santos F.C. x São Paulo F.C.

Juiz: Carlos Strobel

Santos: Victor, Meira 2º e Feitiço. Zinho, Agostinho e Abreu. Victor, Armandinho, Miguelzinho, Ceppo e Hugo.

São Paulo: Joãozinho, Clodoaldo e Barthô. Iracy, Bino e Fábio. Luizinho, Armandinho, Friedenreich, Araken e Junqueira.

O São Paulo F.C. classificou-se: dois gols (Araken e Armandinho) contra um gol do Santos F.C. (Feitiço) e um escanteio.

 

10º jogo: Palestra Italia x C.A. Santista

Juiz: Antonio Sotero de Mendonça

Palestra Italia: Figueira, Rivetti e Magalhães. Adolfo, Xingo e Giglio. Faccioli, Ambrosine, Sandro, Armandinho e Imparato.

Santista: Lazaro, Nenucho e Pintanella. Pennaforte, Zarzur e Goulart. David, Gy, Nabor, Mena e Selesio.

O Paletra Italia classificou-se: dois escanteios contra um escanteio do C.A. Santista.

FINAL

11º Palestra Italia x São Paulo F.C.

Juiz: Antonio Sotero de Mendonça

Palestra Italia: Figueira, Rivetti e Magalhães. Adolfo, Xingo e Giglio. Faccioli, Ambrosine, Sandro, Armandinho e Imparato.

São Paulo: Joãozinho, Clodoaldo e Barthô. Iracy, Bino e Fábio. Luizinho, Armandinho, Friedenreich, Araken e Junqueira.

O São Paulo F.C. sagrou-se campeão: 1 gol (Barthô) e um escanteio contra nenhum do Palestra italia.

 

Fonte: Diário Nacional

 

Campeonato Paulista de Futebol do Interior do ano de 1931

Os clubes campeões de suas respectivas regiões.

1ª região – Botafogo F.C. – Ribeirão Preto

2ª região – C.A. Cravinhos – Cravinhos

3ª região – Campinas F.C. – Campinas

4ª região – Floresta A.C. – Amparo

5ª região – Rio Claro F.C. – Rio Claro

6ª região – E.C. XV de Novembro – Jaú

7ª região – Ruy Barbosa F.C. – São Carlos

8ª região – A.A. Avareense – Avaré

9ª região – Paulista F.C. – Jundiaí

10ª região – Cachoeira F.C. – Cachoeira

11ª região – E.C. Taubaté – Taubaté

12ª região – E.C. XV de novembro – Piracicaba

13ª região – Mirassol F.C. – Mirassol

 

SEMI FINAIS

6 de março de 1932

Campinas F.C. 3 x 3 Paulista F.C. – campo do Antarctica F.C. – Rua da Moóca

Juiz: Attilio Grimaldi

Gols: Celso, Luna e Zé Luiz (c) (Paulista) e Daniel, Camillo (2) (Campinas)

Campinas F.C.: Cambuhy, Guedes e Chiquito. Zé Luiz, Elegancia e  Urbano. Pacheco, Daniel, Camillo, Ferrinho e Orestes.

Paulista: Zé Dica, Gallo e Fregola. Soares, Baptista e Bento. Celso, Diaco, Camargo, Lamaneres e Luna.

Ruy Barbosa F.C. x Mirassol F.C. – campo da A.A. Internacional de Bebedouro

Classificado: Mirassol F.C.

Floresta F.C. 2 x 4 C.A. de Cravinhos – campo da S.E. Sanjoanense – em São João da Boa Vista

Classificado: C.A. de Cravinhos

E.C. XV de Novembro de Piracicaba 2 x 1 Rio Claro F.C. – campo do Guarany F.C. de Campinas.

Classificado: E.C. XV de Novembro de Piracicaba.

13 de março de 1932

Campinas F.C. 2 x 1 Paulista F.C. – campo do Antarctica F.C. – Rua da Moóca (partida desempate)

Juiz: Paulo Wenzell

Gols: Daniel e Ferrinho (Campinas) e Carlos (Paulista)

Campinas F.C.: Cambuhy, Guedes e Chiquito. Zé Luiz, Elegancia e Urbano. Pacheco, Daniel, Camillo, Peres e Ferrinho.

Paulista: Zé Dica, Gallo e Fregola. Soares, Baptista e Bento. Paulo, Diaco, Carlos, Camargo e Luna.

Classificado: Campinas F.C.

 

E.C. XV de Novembro de Jaú 2 x 1 Mirassol FC – em Jaú

Juiz: Victorio Sylvestre

Gols: Domicio e Andó (XV Jaú) e Sola (Mirassol)

XV de Novembro F.C.: Armando, Marcilio e Arlindo. Paschoal, Tiry e Tino. Gostoso, Domicio, Paschoalzinho, Andó e Paixão ou Arthur.

Mirassol F.C.: Benedicto, Bazzani e Galiléo. Piccinin, Flavio e Zezinho. Sola, Licas, Rodarte ou Gotardi, Alfredo e Petronio.

Classificado: E.C. XV de Novembro de Jaú

 

20 de março de 1932

Cachoeira F.C. 2 x 3 Campinas F.C. – campo do Antarctica F.C. – Rua da Moóca

Cachoeira F.C.: Ary, Nogueira e Zezinho. Laurindo, Macedo e Pinto. Antonio, Moreira, ???, Adauto e Lulu.

Campinas F.C.: Cambuhy, Guedes e Chiquito. Zé Luiz, Elegancia e Urbano. Pacheco, Daniel, Camillo, Ferrinho e Locha.

Classificado: Campinas F.C.

 

E.C. XV de Novembro de Piracicaba 4 x 3 E.C. XV de Novembro de Jaú – em Barra Bonita

Classificado : E.C. XV de Novembro de Piracicaba.

 

03 de  abril de 1932

E.C. XV de Novembro de Piracicaba  3 x 0 Campinas F.C. – campo da A.A. Internacional de Limeira

Classificado: E.C. XV de Novembro de Piracicaba.

 

FINAL

17 de abril de 1932

E.C. XV de Novembro de Piracicaba 2 x 1 C.A. de Cravinhos – campo da A.A. São Bento da Capital

Juiz: Paulo Wenzel

Gols:  Lenzo (2-XV de Novembro) e Gumercindo (Cravinhos)

E.C. XV de Novembro (Piracicaba): Alcides I, Monaco e Petrone. Venerando, Moacyr e Nascimento. Alcides II, Lenzo, Aureo, Godoy e Leme.

C.A. Cravinhos: Romeu, Heitor e Nelson. Changue, Gumercindo e Marchette. Jogadinho, Luiz, Olavo, Serrone e Bomfim.

 

Campeão: E.C. XV de Novembro de Piracicaba

 

Fontes: Diário Nacional e A Gazeta

 



Fonte: Diário Nacional datado do dia 4 de março de 1932 (sexta-feira)

 

O Mocidade do Glicério Futebol Clube, foi fundado na data de 8 de maio de 1937.

Era conhecido como o Galo da Liberdade, e sua sede se situava na Rua do Glicério, número 88, no bairro do Cambuci.

Fontes: foto do time posada, encaminhada pelo autor Gilberto Maluf, jornal Última Hora, do Paraná, álbum de figurinhas “Varzeana Paulista” dos anos 50/60, e o historiador Waldevir Bernardo, o “Vie”.

 

A Associação Atlética e Recreativa Nacional, do bairro do Bom Retiro, fundada na data de 14 de março de 1913, completou no mês passado 104 anos de existência.

Sua sede situa-se na Rua Anhaia, no bairro do mesmo nome.

Trata-se de um dos mais antigos clubes de futebol amador, da cidade de São Paulo, ainda em existência.

Fontes: site do clube, meus arquivos, álbum de figurinhas “Varzeana Paulista” dos anos 50/60, e o historiador Waldevir Bernardo, o “Vie”.

 

O Esporte Clube Sul Americano, do bairro do Bom Retiro, foi fundado na data de 25 de julho de 1932.

Foi um dos grandes clubes do bairro do Bom Retiro. Seu estádio era situado próximo a Marginal do Rio Tietê, onde hoje está estabelecido um conjunto de prédios de moradias populares.

Fontes: álbum de figurinhas “Varzeana Paulista” dos anos 50/60, e o historiador Waldevir Bernardo, o “Vie”.

 

Fonte: Diário Nacional

 

Fonte: Diário Nacional.

 

Partida realizada na data de 6 de abril de 1932, na Chácara da Floresta, em São Paulo-SP, onde se enfrentaram os campeões citadinos do ano de 1931.

Juiz: L. Cordovil (AMEA)

Gols: Friedenreich (3-SPFC) e Carola (AFC)

São Paulo F.C.: Joãozinho, Clodô e Barthô. Milton, Bino e Fabio. Luizinho, Armandinho, Friedenreich, Araken e Junqueira.

América F.C.: Sylvio, Lazaro e Hildegardo. Hermogenes, Oscarino e Walter. Allemão, Almeida, Carola, Zezinho e Miro.

Fonte: A Gazeta.

 

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: Diário Nacional.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fontes: A Gazeta e Diário Nacional

 

Fonte: Diário Nacional

 

OBS: Nesse time de Piccinin, ainda havia outros dois bons jogadores, os dois de nome Pedrinho, o goleiro Calafi e o ponta-esquerda Hércules, mais tarde famoso e da Seleção Brasileira.

Fonte: A Gazeta Esportiva.

 

Fonte: Diário Nacional

 

Fonte: Diário Nacional

 

Criada no ano de 1930, a ASEA – Associação Sant´Annense de Sports Athleticos – surgiu para agregar somente clubes de futebol sediados no bairro de Sant´Anna – Zona Norte da Capital.

 

Fonte: A Gazeta.

 

“Os morros e planaltos de Pinheiros eram cortados pelo Córrego do Rio Verde, que nascia perto de onde se localizam hoje a Avenida Doutor Arnaldo e a Rua Oscar Freire, desaguando no Rio Pinheiros, junto ao atual Shopping Center Iguatemi (PEZZOTTI, s/d). Também nessa topografia extremamente acidentada, localizava-se o Córrego das Corujas. Ambos atualmente passam quase despercebidos devido às canalizações e grandes trechos enterrados de seus leitos, porém antes eram as barreiras naturais que delimitavam o território que originou a Vila Madalena. Já no início do século XX, as localidades do lado oeste do Córrego do Rio Verde, compreendendo parte do Vale das Corujas, constituíam o Sítio do Rio Verde. Conta-se que o proprietário era um português que dividiu as terras entre suas três filhas: Ida, Beatriz e Madalena, as quais deram origem aos nomes dos atuais bairros Vila Ida, Vila Beatriz e Vila Madalena”.

Texto extraído da Pesquisa Científica elaborada por Débora Jun Portugheis, em julho de 2014, para a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de são Paulo sob o título “VILA MADALENA: POLO DE COMÉRCIO, LAZER E CULTURA”

Dorinho (meia-esquerda) e Gas Braz (quarto zagueiro)

Crônica de autoria de Samuel dos Santos Polonio, publicada em 19 de julho de 2012.

“Lembrança da Vila Madalena”

“No ano de 1958 cheguei ao Brasil vindo de Portugal com seis anos de idade e, por sorte, vim morar na Rua Arapiraca nº 27 Vila Beatriz subdistrito de Vila Madalena.

Perto da minha casa ficavam os campos do Leão do morro, 7 de Setembro e o 1º de maio, que permaneceram até o ano de 1969 com o início da construção do Conjunto habitacional Natingui (B.N.H).

Brincadeiras não faltavam e eu jogava futebol o dia inteiro. Com 13 anos joguei no Dente de Leite do Leão do Morro, com grandes craques como: Gino, Ivo, Paulé, Pedro, Tonhão, Zé Valter, Reis, Carioca e Ademir, lembro-me dos grandes festivais e jogos do Leão do Morro (campeão varzeano em 1962 contra o Botafogo do Carrão e vice campeão em 64), principalmente o jogo final contra o Brasil de Pinheiros do craque Dorinho no campeonato de 1969, o jogo foi transmitido pela iniciante TV Globo no campo do 1º de Maio.

O torneio chegou ao fim com o Leão ganhando o jogo por 3 a 2 consagrando-se campeão. O Leão do Morro foi um dos principais times de várzea de São Paulo e teve grandes craques como: Miura, Carminho, Gáz Braz, Elinho, Zé Negão, Sábia, Dorinho, Delem, Roberto, Palito, Zinho, Mingo, Paulinho e não esquecendo o técnico Bonecão e o Álvaro (Barbeiro), um grande diretor”.

Fontes: Gazeta Esportiva Ilustrada, Pesquisa Científica “Vila Madalena: Polo de Comércio, Lazer e Cultura” e Samuel dos Santos Polonio.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: Revista Epoca Sportiva

 

Fonte: Diario Nacional

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: Diário Nacional.

 

Fonte: Diario Nacional.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

 

Fonte: A Gazeta.

© 2017 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha