Rodrigo Oliveira

 

O Caramuru Futebol Clube foi uma agremiação esportiva da cidade de Castro, estado do Paraná. Tinha sua sede na Rua Coronel Jorge Marcondes, nº 455 – Vila Rio Branco. Mandava seus jogos no Estádio Municipal Lulo Nunes (Estádio Centenário).

O Caramuru F.C. foi uma tentativa de reviver os momentos de glória do antigo Caramuru E.C.. Participou da 2ª divisão Paranaense de 1989 à 1992. Em 1993 fez sua estréia na 1ª divisão e por pouco a a equipe não fica entre os 8 classificados à 2ª fase, terminando em 9º lugar.

Campanha na 1ª divisão:

31/01 – GOIOERÊ 2-1 CARAMURU
06/02 – CARAMURU 1-1 IGUAÇU
14/02 – PARANAVAÍ 2-0 CARAMURU
28/02 – CARAMURU 2-2 OPERÁRIO
07/03- PLATINENSE 2-1 CARAMURU
10/03 – CARAMURU 0-0 CORITIBA
14/03 – UNIÃO BANDEIRANTE 3-2 CARAMURU
21/03 – CARAMURU 1-0 LONDRINA
27/03 – CASCAVEL 2-0 CARAMURU
04/04 – CARAMURU 3-1 UMUARAMA
18/04 – MARINGÁ 2-3 CARAMURU
25/04 – BATEL 1-2 CARAMURU
09/05 – CARAMURU 1-0 APUCARANA
15/05 – CARAMURU 1-1 FRANCISCO BELTRÃO
23/05 – TOLEDO 1-1 CARAMURU
30/05 – CARAMURU 1-0 FOZ DO IGUAÇU
06/06 – CARAMURU 2-1 MATSUBARA
13/06 – ATLÉTICO 3-0 CARAMURU
20/06 – PARANÁ 2-0 CARAMURU

Conforme previa o regulamento, as equipes que não obtivessem classificação para a 2ª fase iriam jogar um Torneio Extra (Torneio da Morte). Este torneio iria determinar duas equipes para forma o Grupo A de 1994 (“dos times grandes”); os dois últimos seriam rebaixados para a 2ª divisão de 1994. Os 8 restantes, juntamente com o campeão e vice da 2ª divisão de 1993 formariam o Grupo B de 1994 (times pequenos).

Campanha Torneio Extra (Torneio da Morte)

27/06 – Caramuru 0 x 0 Goioerê
04/07 – Platinense 3 x 0 Caramuru
11/07 – Caramuru 0 x 1 Grêmio Maringá
14/07 – Foz 2 x 1 Caramuru
18/07 – Caramuru 0 x 0 Apucarana
01/08 – Caramuru 0 x 0 Paranavaí
08/08 – Batel 1 x 1 Caramuru
15/08 – Caramuru 0 x 1 Operário
21/08 – Caramuru 1 x 0 Iguaçu
29/08 – Francisco Beltrão 2 x 0 Caramuru

Com esta campanha a equipe não conseguiu vaga no grupo principal de 1994, porém evitou o rebaixamento à 2ª divisão. Porém a equipe desistiria do campeonato de 1994, decretando seu fim.

Fontes:

- Livro Futebol do Paraná – 100 anos de História – Levi Mulford Chrestenzen e Heriberto Ivan Machado.

- Folha de Londrina

- Mercado Livre

- Redesenho do escudo e uniforme Sergio Mello.

 

O Brasil Sport Club foi fundado em Manaus no ano de 1919 com o nome de Botafogo Football Club. Inicialmente sua sede se situava na Rua Municipal, casa de número 141, no centro da cidade.

Em Janeiro de 1920 o clube mudou de denominação, passando a se chamar Brasil Sport Club e adotando as cores Verde e amarelo em seu uniforme.

Participou de apenas duas edições do Campeonato Amazonense, em 1921 e 1922. Ficou conhecido devido à goleada histórica que sofreu no campeonato de 1922, quando perdeu de 24×0 do Nacional. É considerada a maior goleada da história do futebol brasileiro, junto com a do jogo Botafogo x Mangueira, que teve o mesmo placar em 1909.

O Brasil era um time modesto e a diretoria do clube costumava realizar várias festas em sua sede social como torneios de futebol festivos no estádio Parque Amazonense. Já em 1924 as notícias sobre o clube desaparecem.

OBS: Não se sabe suas cores quando foi fundado como Botafogo, assim como não sabe-se os seus escudos.

Texto de Gaspar Vieira Neto – Historiador/Pesquisador do futebol amazonense.

Imagens dos uniformes adaptadas de desenhos de Sergio Mello. São meramente ilustrativas.

 

O Vila Inah Esporte Clube foi uma agremiação esportiva fundada em 26 de março de 1943. Sua sede estava situada no bairro de Santa Quitéria. os homens que participaram de sua fundação foram: Feliciano Batista Scussiato, David Scuissiato, Abel Scuissiato, Luiz Scuissiato, Ambrósio Scuissiato, Natálio Scussiato (Nadir), João Scuissiato, Augusto Scuissiato, Benevenuto Tosin, Guilherme Kintop, Reinaldo Richter, José Stopinski, Miguel Parra, Darci de Lazzari, João Grden, João de Mil, Humberto Cantarelli, Valdemar Schultz, Argemiro de Souza, João Soares e outros.

Sua diretoria ficou assim constituída:

Presidentes: Feliciano Batista Scussiato, Antenor Ferreira de Souza, Darci de Lazzari, José Atalla, José Leite.
Diretores: Eduardo Antonio de Oliveira (Nêne), Manoel José Correa (Maneco), Lauro Hey, Antonio de Almeida Torres (Nenê Torres), Walmir Martins Brandão, Celso Leitoles, Paulino Leitoles, Altair Antonio Demio (Taico), Laertes Wille, Lino Scussiato, Baldonier Juarez Agostinho (Nhê), Luiz Stopinski (Zeninho), Cesar Duda, João Belo (Joanito), Evaristo Marquetti, Lourival Stopinski (Loro), Manoel Leocadio Serra (Maninho), Vicente Carraro, Afonso Schultz (Zé Raimundo), Vitalino Massinhã (Vitalo), Arnoldo Tozin (Nordo), e outros.

O nome da equipe foi em homenagem a senhora Inah Mader, esposa do Dr. Otto Mader, que loteou em 1935 a área denominada Loteamento Vila Inah. Suas cores eram verde e branco, com o campo de futebol situado onde hoje é a Praça Francisco R. A. de Macedo em Santa Quitéria. O terreno de sua sede social na rua Capiberibe foi adquirido de João Pedro Micheleto por 60 mil cruzeiros, valor este dividido entre 60 sócios beneméritos que contribuíram com hum mil cruzeiros cada, tendo na presidência do clube, Feliciano Batista Scussiato.

Sua 1ª partida foi em 1945, e teve como local e adversário o Vila Izabel F.C., do presidente Rochinha, com o resultado de 2×2, com os dois belíssimos gols assinalados pelo centro-avante Feliciano Batista Scussiato. O time entrou em campo com: Vatalino Massinhã (Vitalo)-Augusto-Toni-Darci-Claudio Tosin-Lauro-Luiz-Luiz Stopinski (Zeninho)-Clemir Vieira-Manoel José Correa (Maneco)-Feliciano Batista Scussiato-Arnoldo Tosin; técnico Eduardo Antonio de Oliveira (Nêne).

Nos dias de jogos no campo em Santa Quitéria, o locutor oficial Feliciano Batista Scussiato, no começo da manhã acordava os moradores através do “serviço de alto-falante verde e branco do alto da colina de Santa Quitéria” com músicas: Cisne Branco, Porta Aberta, O Ébrio, Serra da Boa Esperança, Boa Noite Amor, Rosas ao Pé da Cruz, Lábios que Beijei e tangos de Gardel, com cornetas direcionadas para que todos os moradores da região fossem informados e convidados a participar do delicioso churrasco à venda e das partidas de futebol contra o BECA (Bloco Esportivo Capão D’Amora), Seminário, São Jorge, Novo Mundo, Tamoio, Batelzinho, Capão Raso, Ipê, Vila Leão, Vila Izabel, Nova Orleans,São Braz, Lisboa, Campo da Cruz, Peñarol, Juventude, etc.

A 1ª excursão do time de futebol do Vila Inah E.C. foi realizada em 1945,  para jogar em Jaguariaíva-PR, contra o Esporte Clube Recreativo Ferroviário, tendo a lotação do Antonio de Almeida Torres (Nenê Torres) como transporte, na estrada macadamizada Curitiba-Jaguariaíva.
Foram 10 horas de viagem naquele sábado. Hospedagem no Hotel Jaguariaíva. No hotel havia um papagaio que gritava o tempo todo: o Ferroviário já ganhou.

Na tarde de domingo a Rádio local transmitiu a vitória do Vila Inah E.C. por 3×2, que jogou com Vitalino Massinhã (Vitalo)-Claudio Tosin-Clemir Vieira-Waldemiro de Souza (Vado)-Ariovaldo de Souza (Formiga)-Luiz Stopinski (Zeninho)-Carlos Tosin (Carlito)-Afonso Schultz (Zé Raimundo)-Nego Darci-Arnoldo Tosin-Raul Schultz (Banhe), tendo Ariovaldo de Souza (Formiga) marcado os 3 tentos.
Arnoldo Tosin (Nordo) jogava no E.C. Agua Verde e participou desta partida gentilmente cedido pelo clube profissional. Também neste jogo houve o 1º gol contra da história do Vila Inah E.C., o zagueiro Clemir Vieira no aperto e pressão do Ferroviário, dá uma “bicicleta”, que vai no ângulo esquerdo do goleiro Vitalino Massinhã (Vitalo). Após a brilhante vitória, comemorada pelo freguês da Ferroviário, a Associação Atlética Matarazzo, fogos de artifício, jantar, cantoria e o retorno cansativo da volta a Santa Quitéria.

Participou dos campeonatos citadinos de futebol amador de Curitiba de 1952 a 1970, quando da fusão com o Ipê F.C. passando a ser União Santa Quitéria em 1971.

Na 3ª divisão foi:

  • Campeão do Aspirante em 1962, tendo 44 concorrentes.
  • Campeão do Torneio Início e do campeonato em 1963 que contou com 46 equipes disputantes, com Altair Antonio Demio (Taico)- Laertes Wille-Haroldo Luiz Ribas-Davi Belo-Levir-Baldonier Juarez Agostinho (Nhê)-Luiz Carlos Ribas-Chiquinho-Altevir Stopinski-Antonio Carlos de Almeida (Ico)-José Anacleto Senter-Dario.
  • Bi-campeão do 1º quadro e Campeão de Aspirante em 1964 com 45 clubes na disputa, com Altair Antonio Demio (Taico)-Rui Gil Langowski (Rogil)-Túllio Cettina-Davi Belo-Darci Tesseroli (Pinguim)-Luiz Carlos Ribas-Altevir Stopinski-Pedro Luis da Silva (Taraíra)-Valdir Antônio Ribas-José Anacleto Senter-Percival Brandão (Percinho).
  • Bi-campeão do Aspirante em 1965, tendo 32 concorrentes, com Antoninho-Edson-Túllio Cettina-Darci Tesseroli (Pinguim)-Bolivar de Paula Nascimento-Osmar-Sidney Alves (Laco)-Augusto Sczepinski (Agostinho)-Pedro Luis da Silva (Taraíra)-Valdir Antônio Ribas-Guerrino Cettina-Arion-Jeferson Gonçalves do Nascimento (Tito).
  • Em todos estes títulos o técnico foi Eduardo Antonio de Oliveira (Nêne)
  • Campeão do campeonato juvenil da Rádio Marumbi em 1964, com Isidro Ballesca Redondo (Espanhol)-Madjo Knaut-Disco-Dinho-Milton-Zuza-Gilmar Hugo Rios-Bolacha-Joacir Duda (Krim)-Sapo-Índio-Edson Tozin (Edo)-Lauro-Caqui-Bimba-Dionisio Carrao-Adalberto de Barros Loyola Junior (Dalbertinho), tendo Celino Stopinski (Tutuca) como técnico e presidente José Atalla.

Acervo/Pesquisa: Mario Richter/Douglas Julio Toppel Reinaldim/Futebol do Paraná 100 anos de história (Heriberto Ivan Machado-Levi Mulford Chrestenzen)

Desenho do escudo e uniforme por Sergio Mello, jornalista e pesquisador.

 

O Palmeira Futebol Clube foi uma agremiação esportiva fundada em 07 de setembro de 1917, com o nome de Brasil Sport Club. Em 1933 trocou de nome para Palmeira FC. Sua sede ficava na rua Barão de Campos Gerais, no bairro do Juvevê. Como Brasil S.C. foi campeão suburbano em 1919 e jogou a 1ª divisão do campeonato paranaense em 1930. Como Palmeira F.C. a equipe foi Bi-Campeão suburbana em 1940/1942. Após trocar de nome só retornou a jogar os campeonatos a partir de 1937. Segue resumo de suas participações:

1937 – Liga Suburbana de Futebol (LSF)
1938 – Liga Curitibana de Futebol (LCF)
1939 – Liga Curitibana de Futebol (LCF)
1940 – Liga Curitibana de Futebol (LCF) – Campeão
1941 – Liga Curitibana de Futebol (LCF) – Vice
1942 – Liga Suburbana de Curitiba (LSC) – Campeão

Campanhas dos títulos:

1940 - Liga Curitibana de Futebol (LCF)Campeão Invicto - 8J – 5V – 3E – 0D – 19GP – 6GC – 13PG

05 Participantes: Palmeira FC; Clube dos Espartanos; C.A. Comercial; Madureira EC; Guarani AC.

Espartanos – 3-1 e 3-0
Comercial – 1-1 e 3-1
Madureira 2-2 e 0-0
Guarani – 2-0 e 5-1
 
Time Campeão: Jorge, Grané,Sandoval, Ricardo, Rui, Hercídio, Chepa, Dado, Maupa, valdi e Moque.
Reservas: Gandula, Molecão, Hermanito, Vile e Bigode.

1942 – Liga Suburbana de Curitiba (LSC)Campeão – 13J – 10V – 1D – 2E – 46GP – 16GC – 22PG

23 participantes: Palmeira FC; Botafogo FC; CA Comercial; Flamengo FC; BE Morgenau; Paraná SC; CA Primavera; Fluminense FC; Madureira EC; União Ahu FC; BE União Portão; Tupan FC; Ipiranga FC; Rio Branco SC; Vasco da Gama FC; CE Belmonte; GE 5 de Maio; Clube dos Espartanos; América FC; Operário SC do Ahu; Palestra Assungui SC; Vera Cruz FC; SOBE Iguaçu.

1ª Fase
Tupan 3-0
Flamengo 1-1
Comercial 2-1
Botafogo 2-3
B. Morgenau 2-1
Primavera 3-3
Paraná 7-0
Fluminense 4-1
Madureira 8-2
União Portão 5-1
União Ahú 4-1
 
Finais
Ipiranga 2-1 e 3-1
Artilheiro do campeonato – Butsi (Palmeira FC) – 14 gols.

Time Base: Jorge (Quadrado), Grané, Nenê, Sebastião, Davi (Hermanito), Alfredo (Hercídio), Cláudio, Chepa, Jorginho, Butsi e Canhoto.

Em 1943 a equipe foi extinta, após não comparecer ao Torneio Início da Liga Suburbana. Na mesma data enfrentou o Coritiba em um amisto. Alegou que não recebeu ofício da liga sobre o torneio.

Agradecimento especial ao Sr Levi Mulford Chrestenzen com seu depoimento para redesenho do escudo e cores do uniforme. Agradecimento especial ao jornalista e pesquisador Sergio Melho pelo redesenho dos mesmos.

Fontes:

Arquivos de Levi Mulford Chrestenzen
Recortes do jornal Tribuna do Paraná
Livro “Futebol do Paraná – 100 anos de história” (2005) – Heriberto ivan machado e Levi Mulford Chrestenzen
 

O Brasil Sport Club foi uma agremiação esportiva da cidade Curitiba-Pr, fundada em 07 de setembro de 1917. Sua sede ficava no bairro do Juvevê. Disputou os campeonatos suburbanos da capital paranaense por muitos anos. Já no seu primeiro campeonato em 1919 a equipe sagrou-se campeã suburbana da recém reorganizada Liga Sportiva Municipal (LSM). O campeonato contou com 10 participantes: Brasil SC; Elite FC; Aimoré FC; Ipiranga FC; Pinheiro SC; Torino FC; Belo Horizonte; Paraná SC; Tiradentes FC e Americano.

Após o título a equipe só retornaria a jogar a suburbana em 1922 – Liga Sportiva Curitibana (LSC); 1923 - Liga Sportiva Municipal (LSM). Após um hiato de 4 anos a equipe retorna em 1928 - Liga Curitibana de Desportos (LCD).

Em 1929 a equipe se inscreve para jogar o campeonato Estadual organizado pela Federação Paranaense de Desportos (FPD). O Brasil S.C. iria pela primeira vez enfrentar os grandes da cidade. Em um campeonato que reuniu 8 equipes a equipe Auriverde terminou em um honroso 5º lugar, atrás apenas dos 4 grandes (Atlético, Palestra Itália, Britânia e Coritiba).

Campanha do Brasil SC em 1929:

Turno

28/04 – Brasil 1-4 Palestra Itália
13/05 – Bangu 2-1 Brasil
16/06 – Coritiba 4-1 Brasil
07/07 – Atlético 4-1 Brasil
28/07 – Brasil 4-1 Paranaense
11/08 – Britânia 2-2 Brasil
25/08 – Brasil 6-0 Aquidaban

Returno

24/11 – Palestra Itália 3-0 Brasil
15/12 – Brasil 1-5 Coritiba
29/12 – Brasil 3-4 Britânia
19/01/1930 – Brasil 2-2 Atlético
26/01/1930 – Brasil 3-1 Bangu

3V – 2E – 7D – 25 GP – 32GC – 8PG – 16PP

A equipe consegui empates importantes frete ao Atlético e ao Britânia.

Após se aventurar entre os grandes a equipe retornou aos campeonatos suburbanos em 1932 – Liga Suburbana Independente (LSI) e 1933 – Liga Independente Suburbana de Curitiba (LISC). No fim de 1933 a equipe muda seu nome e passa a denominar-se Palmeira FC e voltaria a vencer os campeonatos suburbanos em 1940 e 1942. Mas essa História merece um capítulo à parte…

Fontes:

- Arquivos de Levi Mulford Chrestenzen
- Recortes do jorna Tribuna do Paraná 07/09/1959
- Livro Futebol do Paraná – 100 anos de História (2005) – Heriberto Ivan Machado e Levi Mulford Chrestenzen
 
Agradecimento especial ao depoimento do Sr Levi com informaçoes do escudo e do uniforme e ao Jornalista e Pesquisador Sergio Mello pelo redesenho dos mesmos.

 

 

 

 

O futebol Paranaense possui um campeonato organizado desde 1915. Porém nesses mais de 100 anos as fórmulas de disputas foram as mais variadas possíveis. Abaixo faço um resumo, dividido em cinco fases, para um melhor entendimento de cada época:

1ª fase (1915-1928) – A primeira liga foi fundada e abrigou as equipes curitibanas e as equipes do Litoral (Antonina, Paranaguá, Morretes) e dos Campos Gerais (Ponta Grossa) que tivessem a possibilidade de deslocamento por trem. Assim se inscreveram para este primeiro campeonato 18 equipes. Ficou definido que a 1ª Divisão seria composta por 6 equipes e a 2ª divisão por 12, divididas em duas séries de 6 equipes cada. Na verdade era o campeonato curitibano com a participações de algumas equipes de outras cidades. Neste período houve 2ª divisão em 1915-1917; 1921-1922; 1924. Em 1917 houve o primeiro campeonato Suburbano organizado pela Liga Sportiva Municipal; em 1918 não houve este campeonato, retornando em 1919, ocorrendo até hoje.

OBS:  A partir de 1922 passou-se a ser jogado uma “final não-oficial” entre as equipes do interior (Ponta Grossa) contra o campeão da capital. Equipes da capital venceram todas as disputas.

2ª fase (1929-1941) – O campeonato Estadual é finalmente oficializado. A partir de 1929 o campeão da capital enfrentaria o campeão do interior. Foram criadas ligas regionais (Irati, Antonina, Paranaguá e Ponta Grossa. Depois União da Vitória, Jacarezinho/Jaguariaíva) e os campeões das ligas disputavam o Estadual no início do ano seguinte. Cada Liga tinha seu regulamento próprio. Algumas possuíam 2ª divisão (Exemplo Ponta Grossa). A capital venceu todas as finais.

3ª fase (1942-1956) – Neste período mais uma vez é jogado somente o campeonato de Curitiba, com as participações esporádicas de equipamentos do interior (Monte Alegre, Jacarezinho, Cambaraense, e as equipes de Ponta Grossa e Litoral). O destaque deste período foi a equipe do Clube Atlético Monte Alegre de Telêmaco Borba que em 1955 tornou-se a primeira equipe do interior Campeã Paranaense.

OBS: Desde o início da década de 1940 até metade da década de 1950 já havia a disputa de um campeonato norte paranaense. Nacional de Rolândia, Esportiva de Jacarezinho, Cambaraense foram campeões. No início era amador. A federação chegou a nomeá-lo como Campeonato da segunda divisão.

Em 1957, graças a fundação do Londrina FC, é criado o Campeonato Norte Paranaense de Profissionais. Em 1957, ainda era extra oficial, recebeu o nome de Torneio da Amizade, e o Londrina F.C. foi o campeão. Em 1958, já oficialmente reconhecido, o E.C Comercial de Cornélio Procópio foi campeão. Em 1957 e 1958 não houve finais estaduais.

4ª fase (1959-1965) – Com a criação dos campeonatos paranaenses por região (sul e Norte. Depois o Norte foi dividido em Norte Novo e Norte Velho), os campeões de cada região faziam as finais. O Interior foi campeão nos anos de 1961 (Comercial de Cornélio Procópio), 1962 (Londrina), 1963 e 1964 (Grêmio Maringá).

5ª fase (1966-2018) – É criada a lei de acesso e o campeonato passa a ser jogado por divisões, salvo em alguns anos que só teve a 1ª divisão. Não ocorreu divisões de acesso em 1971-1975 e 1980.

OBS: Já na década de 1950 a federação tentou amenizar as coisas criando um torneio do interior nos moldes de campeões de ligas; foram jogados dois torneios (1953 e 1954).  Na década de 1960 (1960 e 1962) foi jogado o Campeonato amador do Estado. E em 1964 era criada a Taça Paraná de amadores disputada até hoje.

FONTES:

Livros:

- Futebol do Paraná – 100 anos de História (2005) – Heriberto Ivan Machado e Levi Mulford Chrestenzen

- O Bugre Princesino – Guarani o clube que conta sua História (2007) – José Cação Ribeiro Junior

- O Fantasma da Vila (2002) – José Cação Ribeiro Junior

- Futebol Ponta-grossense – recortes da História (2004) – José Cação Ribeiro Junior

Jornais A Republica, Correio do Paraná, O Estado, Correio da Noite (Todos consultados na Hemeroteca Digital da Biblioteca Nacional).

 

O Ubiratã Esporte Clube foi uma agremiação esportiva fundada em 04 de Dezembro de 1962. Tinha sua sede na Avenida Nilza de Oliveira Pepino nº 1850. Mandava seus jogos no Estádio Municipal Valdeci Claudino da Silva (Claudinão).

Participou dos campeonatos paranaenses da 2ª divisão em 1989, 1990;Em 1991 jogou a 3ª divisão e sagrou-se campeão; em 1992 jogou a Intermediária (Espécie de 2ª divisão). Após 10 anos fora do profissionalismo retornou na 3ª divisão de 2002. Em 2003 fez sua última aparição no cenário futebolístico profissional na 2ª divisão.

Ubiratã E.C – Campeão da 2ª Divisão (equivalente a 3ª divisão) de 1991. (fonte: facebook de Valdir Salsicha).

Fontes:

Revista Placar
Livro Futebol do Paraná – 100 anos de História.
 
Desenho do escudo Sergio Mello

 

 

 

Time do Apucarana em 1991 Em pé – Marcão, Ivanildo, Madruga, Cleomir, Marcos Paulo, Marcelo e Adão Pereira (preparador físico). Agachados – Índio, Lê, Adelar, Ismanir e Grafite.

Fontes:

Arquivos do autor
Revista Placar
Facebook “Amigos do museu esportivo”
 

O Rolândia Esporte Clube é uma agremiação esportiva fundada em 1973 na cidade de Rolândia, no norte do Estado Paraná. Apesar de mais de quatro décadas de existência apenas em 2017 se filiou a federação paranaense. Tem a intenção de disputar o campeonato paranaense da terceira divisão de profissionais que será jogado a partir de agosto. Para este primeiro semestre a equipe disputará o Campeonato paranaense sub-17. Mandará seus jogos no Estádio Erich George com capacidade para 2.200 pessoas.

Equipe do REC em campeonato amador em 2016 (Fonte: Jornal de Rolândia)

Partida de 2016 contra a equipe de Florestópolis. (Fonte: Jornal de Rolândia)

Uniformes para a temporada 2017 – Cores da bandeira alemã. (A cidade de Rolândia foi colonizada por alemães).

Fonte: Facebook de Sebastião Vieira Soares.

Uma das primeira formações da equipe. Ano desconhecido. Fonte: Facebook de Mauro Roberto Souza.

Em pé: Arthur Altino, Orlandino, Rubinho, Mauro Roberto Souza, Lincoln, Cosmos, Zé polaco, Leusemar( Corintiano), Geraldinho, Domigos Pantarotto, Odair Mendonça, Rosquinha e Ademar. Agachados: Luiz de Paula, Dercides, Odir Soller, Pingo, Gilmar, João Maria e Alan Pantarotto.

 

Fontes:

- Site da Federação Paranaense de Futebol
- Facebook.
 

A Sociedade Recreativa Cascavel ou simplesmente SOREC foi uma agremiação esportiva da cidade de Cascavel no Estado Paraná. Foi fundada em 10 de dezembro de 1994 com sede  na rua Monjoleiro Nº 12 – Recanto Tropical. Criada inicialmente para ser um clube para revelação de talentos, fez sua estréia no profissionalmente em 1998 na Terceira divisão Estadual. Nos anos de 1998 e 1999 jogou a Segunda divisão, voltando para a Terceira divisão em 2000. Em 17 de dezembro de 2001 se fundiu as outras duas equipes existente na cidade, Cascavel Esporte Clube e Cascavel Clube S/A, para dar vida ao Cascavel Clube Recreativo, hoje na segunda divisão Paranaense. Apesar de juridicamente não existir mais, hoje na cidade há uma escola de futebol chamada SOREC/Tigrão.

Equipe do SOREC em  20/02/1999 em Marechal Cândido Rondon– Concórdia(MCR) 1 x 2 SOREC

 Fontes:

Enciclopédia do Lance!

Site do Concórdia de Marechal Cândido Rondon (Hoje inativo)

Facebook SOREC/Tigrão

© 2019 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha