Olá amigos e membro do blog História do Futebol, bom dia!

 

No meu primeiro comunicação pelo Blog e, posteriormente, por e-mail, todos os membros foram comunicados  da necessidade de quitar a anuidade do Blog. E, para minha surpresa (positiva), a receptividade foi excelente!

Confirmaram que colaborarão, nos comentários, por e-mail e Facebook! Ao todo, foram 27 membros se prontificaram a ratear o valor total de R$ 270 reais. Com isso, o preço ficou baratinho: R$ 10 reais!

Quero agradecer pela parceria e apoio em manter o nosso Blog vivo! Valeu mesmo!

Então, a partir de agora vocês já podem depositar o valor de R$ 10 reais, com prazo até a próxima semana, em uma dessas duas contas abaixo:

 

Bradesco

Agência: 2539-9

Conta: 9409-9

 

Caixa Econômica Federal (CEF)  

Agência: 0096

Operação: 013

Conta: 00031871-5

 

 

Envio da cópia do comprovante

Pessoal para poder registrar, peço que após o depósito enviem uma copia para o email: sergiomellojornalismo@msn.com

Assim poderei registrar o deposito de cada um, OK?

Obrigado!

 

Uma observação!

Aos demais que não puderam colaborar ou não quiseram colaborar, quero deixar claro que não fica nenhum tipo de magoa! Nós respeitamos o livre arbítrio de cada um.

Esclarecido essa parte, como sou eu que estou gerenciando, entre outras coisas juntamente com o Edu, quero informar que a forma que nós entendemos de respeitar aqueles que se prontificaram em colaborar é colocarmos como ‘Visitantes’ os demais que não colaboraram.

Ou seja: como visitante o membro seguirá fazendo parte do História do Futebol, mas sem direito a postar!

 

Entendemos que não justo para aqueles que estão colaborando!

 

Um grande abraço a todos!

 

O Murici Futebol Clube é uma agremiação da cidade de Murici (AL). O “Verde Alagoas” foi Fundado no Sábado, no dia 07 de Setembro de 1974. A sua Sede fica localizada na Rua Mário Leão, s/n, no Centro de Murici. O Estádio é o José Gomes da Costa, com capacidade para 4 mil pessoas.

A primeira participação no Campeonato Alagoano da 1ª Divisão aconteceu somente em 1999, quando a equipe terminou na quinta colocação. Em 2010 o Murici alcança o tão sonhado título do Campeonato Alagoano da 1ª Divisão, ao bater o ASA na grande decisão. O título inédito classificou a equipe pela primeira vez para a Copa do Brasil e para o Campeonato Brasileiro da Série D.

O Murici encarou o Flamengo logo na primeira fase da Copa do Brasil de 2010, e acabou sendo derrotado por 3 a 0 em casa, sendo então eliminado, sem necessidade de haver um segundo confronto. Devido as enchentes do Rio Mundaú, o Murici não pôde disputar a Série D no ano de 2010.

Em 2011 o Murici faz outra grande campanha no Campeonato Alagoano, mas é batido na semifinal pelo ASA. Em 2014 chega novamente a semifinal, mas é batido pelo Coruripe. Em 2015 disputa pela segunda vez a Copa do Brasil, e outra vez é eliminado na primeira fase da competição.

Depois de disputar três partidas pelo Campeonato Alagoano de Futebol de 2016, Felipe Feijó, presidente da FAF anunciou a exclusão do Murici da competição, por decisão do TJD-AL, uma vez que a equipe não inscreveu o número mínino de jogadores (18) para disputar o Estadual.

Entretanto alguns dias depois, ficou definido em reunião da PMAL e membros da FAF, que o Murici permaneceria no Campeonato Alagoano e enfrentaria o CRB em casa no sábado, dia 16, dando fim a novela “Murici no Alagoano“. Para dar fim a essa novela de vez, o Murici derrotou o “galo” por 3 a 1 de virada, chegando a seis pontos na competição, tornando-se o terceiro colocado de seu grupo.

A equipe do Murici apresentou uma grande evolução no Campeonato Alagoano, e conseguiu terminar a competição como a terceira melhor equipe da classificação geral, conseguindo a segunda vaga para a Série D. Além disso o atacante Katê, artilheiro do Murici, fez parte da Seleção do Campeonato Alagoano.

Nesse mesmo ano o Murici disputou a Série D. No grupo A9 o Murici fez seis partidas, venceu duas, empatou duas e perdeu duas, somando oito pontos. Apesar de ter mostrado eficiência no ataque, o clube mostrou dificuldades na defesa e terminou eliminado na primeira fase, com apenas dois pontos atrás do primeiro colocado, o Campinense.

 

FONTES: Federação Alagoana de Futebol (FAF) – Página do Clube no Facebook 

 

LIGA DESPORTIVA DAS ROCAS
DATA: 18 DE MAIO DE 1958
LOCAL: ESTÁDIO SENADOR JOÃO CAMARA, EM NATAL / RN

1º JOGO

RIO GRANDE

0-0

RACING (3-1 PEN)

2º JOGO

POTENGI

1-0

INTERNACIONAL

3º JOGO

OLIMPICUS

0-0

VASCO DA GAMA (3-1 PEN)

4º JOGO

PALMEIRAS

0-0

NACIONAL (3-1 PEN)

5º JOGO

RIO GRANDE

3-0

CANTO DO RIO

6º JOGO

POTENGI

2-1

OLIMPICUS

7º JOGO

PALMEIRAS

2-0

RIO GRANDE

FINAL

PALMEIRAS

1-0

POTENGI

CAMPEÃO – PALMEIRAS ESPORTE CLUBE (NATAL-RN)

 

EM HOMENAGEM AOS FUZILEIROS NAVAIS DE NATAL(RN)
DATA: 09 DE MARÇO DE 1958
LOCAL: ESTÁDIO JUVENAL LAMARTINE, EM NATAL / RN

1º JOGO

ALECRIM

1-1

ATLÉTICO (3-2 PEN)

2º JOGO

SANTA CRUZ

1-0

RIACHUELO

3º JOGO

ALECRIM

1-0

ABC

FINAL

SANTA CRUZ

1-0

ALECRIM

CAMPEÃO – SANTA CRUZ FUTEBOL CLUBE (NATAL-RN)

 

TURNO ÚNICO

DATA

 

  LOCAL

01.05.1958

FRANCISCO LORDA(CE)

5

X

2

ABC(RN) NATAL – RN

01.05.1958

NÁUTICO(PE)

5

X

2

POTIGUAR(RN) NATAL – RN

02.05.1958

FRANCISCO LORDA(CE)

4

X

0

POTIGUAR(RN) NATAL – RN

02.05.1958

ABC(RN)

2

X

2

NÁUTICO(PE) NATAL – RN

03.05.1958

ABC(RN)

8

X

3

POTIGUAR(RN) NATAL – RN

03.05.1958

FRANCISCO LORDA(CE)

1

X

1

NÁUTICO(PE) NATAL – RN

CAMPEÃO – CLUBE ATLÉTICO FRANCISCO LORDA (FORTALEZA – CE)

 

EQUIPES PARTICIPANTES:

EQUIPE CIDADE

001

ABC FUTEBOL CLUBE NATAL – RN

002

ALECRIM FUTEBOL CLUBE NATAL – RN

003

AMÉRICA FUTEBOL CLUBE NATAL – RN

004

CLUBE ATLÉTICO POTIGUAR NATAL – RN

005

RIACHUELO ATLÉTICO CLUBE NATAL – RN

006

SANTA CRUZ FUTEBOL CLUBE NATAL – RN

TURNO ÚNICO

16.03.1958

SANTA CRUZ

1-0

ATLÉTICO

16.03.1958

ABC

7-1

ALECRIM

20.03.1958

SANTA CRUZ

2-1

ALECRIM

20.03.1958

AMÉRICA

2-2

RIACHUELO

27.03.1958

ATLÉTICO

3-1

ALECRIM

27.03.1958

ABC

0-0

SANTA CRUZ

02.04.1958

ALECRIM

2-1

RIACHUELO

02.04.1958

ABC

5-1

ATLÉTICO

06.04.1958

RIACHUELO

2-1

ATLÉTICO

06.04.1958

SANTA CRUZ

1-0

AMÉRICA

10.04.1958

RIACHUELO

3-0

SANTA CRUZ

10.04.1958

AMÉRICA

3-1

ALECRIM

13.04.1958

AMÉRICA

2-2

ATLÉTICO

13.04.1958

ABC

5-2

RIACHUELO

18.05.1958

ABC

2-1

AMÉRICA

 

 

 

J

V

E

D

GP

GC

PG

01º

ABC

05

04

01

00

19

05

09

02º

SANTA CRUZ

05

03

01

01

04

04

07

03º

RIACHUELO

05

02

01

02

10

10

05

04º

AMÉRICA

05

01

02

02

08

08

04

05º

ATLÉTICO

05

01

01

03

07

11

03

06º

ALECRIM

05

01

00

04

06

16

02

# CAMPEÃO – ABC FUTEBOL CLUBE (NATAL – RN)

 

A Liga Esportiva Sul Fluminense, Fundado no dia 06 de Agosto de 1933, foi Campeã estadual de Seleções, Representando Barra do Piraí em 1934.

 

FONTE: Arquivo pessoal de Auriel de Almeida 

 

ATENÇÃO!!!

Esta lista é apenas a DESCRIÇÃO dos uniformes e participantes do campeonato da Liga Sportiva Fluminense de 1915, de acordo com o jornal A Tribuna de Niterói (RJ). A partir da mesma, fiz uma ilustração de como seriam essas bandeiras – que, repito, pode NÃO ESTAR DE ACORDO COM A REALIDADE. Vamos lá:

Ararigboya FC (Santa Rosa)
- Camisas verdes com distintivo branco e monograma - já temos esse escudo, via foto, rascunhado por mim e redesenhado pelo Sérgio Mello que o publicou
- Bandeira verde com inicias em branco - não sei o porquê da bandeira ser tão simples.

Byron FC (Barreto)
- Camisas encarnadas com cruz-de-malta branca - distintivo, bandeiras e uniforme já encontrados em foto
- Bandeira encarnada com cruz-de-malta branca

Cruzeiro do Sul FC (Cubango/Icaraí)
- Camisas brancas com faixa horizontal azul
- Bandeira azul com o cruzeiro do sul ao centro e iniciais nos cantos - nunca vi foto desse time. Entendo pela descrição que cada uma das quatro letras que compõem as iniciais do clube ficavam uma em cada canto. Quem tiver outra interpretação, me fale

Esperança FC (Icaraí)
- Camisas em listras verticais alviverdes
- Bandeira em listras com uma estrela verde com iniciais do clube no canto esquerdo - clube já publicado anteriormente, imagino que a estrela devia ficar num fundo branco

Guarany FC (Santa Rosa)
- Camisas encarnadas com distintivo esférico branco
- Bandeira encarnada com orla branca e esfera com iniciais ao centro - por incrível que pareça nunca achei foto de um clube tão relevante como o Guarany. Já vi descrições que colocavam o clube como idêntico ao Mackenzie-SP ou ao América-RJ, então entendo que as iniciais eram arredondadas

Nictheroyense FC (Centro)
- Camisas em listras verticais alvinegras
- Bandeira em listras com iniciais sobre fundo branco no canto esquerdo

Odeon FC (Centro)
- Camisas brancas com monograma verde - já vi fotos posteriores onde o Odeon usava camisas listradas alviverdes com um escudo raiado indecifrável. Portanto, o clube mudou de uniforme e adotou um escudo mais complexo depois. Para ilustrar, peguei o monograma OFC do Olympico de Itabapoana e pintei de verde, mas ressalto que NÃO dá pra ter certeza sobre o estilo de monograma, o sobreposto simples era apenas o mais comum
- Bandeira branca com monograma verde

Parnahyba FC (Barreto/Largo do Barradas)
- Camisas em listras verticais rubro-negras - nunca vi fotos do Parnahyba. Vocês já devem ter reparado que a descrição não inclui o calção, mas palpito que o do clube fosse negro já que não há menção de branco nem nas iniciais da bandeira, como é comum em clubes rubro-negros que usam calção branco. MAS É SÓ PALPITE
- Bandeira em listras com esfera negra e monograma encarnado ao centro - mais uma vez, lembro que NÃO DÁ PRA TER CERTEZA do estilo de monograma, usei um que parece combinar com um escudo redondo 

Rio Branco FC (Icaraí, depois Centro)
- Camisas em listras verticais alvirrubras
- Bandeira em listras com distintivo e iniciais - qual era o formato do distintivo? Não sei. Mas depois que o Rio Branco FC virou Fluminense AC vi uma foto de um escudo em alto relevo na sede com esse formato, mas já pintado com as novas cores e monograma. Palpito que esse era o formato do escudo do Rio Branco. MAS É SÓ PALPITE. Sobre as “iniciais no escudo”, optei por esse formato pois fazia sentido estético na época – caso dos escudos do Serrano de Petrópolis, Rio Branco de Campos etc. Só escrever as iniciais deixaria um espaço em branco muito grande. MAS POSSO ESTAR ENGANADO

Ypiranga FC (Fonseca, depois São Lourenço)
- Camisas azul-marinho com monograma branco no peito - quando o Ypiranga foi fundado, usava camisa branca com faixa horizontal azul. Palpito que o clube mudou de uniforme para não ficar igual ao Cruzeiro do Sul
- Bandeira azul marinho com e monograma ao centro

 

ABC Futebol Clube (Natal-RN) - 1954

 
ALECRIM FC (NATAL – RN)

7

C ATLÉTICO POTIGUAR (NATAL-RN)

1

Data: 30 de setembro de 1954 Local: Natal / RN
Juiz: Gevanir de Freitas Caráter: Campeonato Potiguar – 1954
Gols: Chiquinho (3), Driblador (2), Peti e Biró / Joãozinho
Alecrim(RN): Dinarte; Petita e Mangueira; Monteiro, peti e Indio; Louro, Biró, Chiquinho, Jair e Driblador.
Atlético(RN): Paulo; Barbosa e Dromé; Gilberto, Pedrinho e Benedito; Humberto, Giovani, Justino, Jadiel e Joãozinho.
 

TURNO ÚNICO

05.08.1954

TREZE(PB)

2-1

AUTO ESPORTE(PB) JOÃO PESSOA – PB

05.08.1956

BOTAFOGO(PB)

4-1

ABC(RN) JOÃO PESSOA – PB

07.08.1954

BOTAFOGO(PB)

2-0

AUTO ESPORTE(PB) JOÃO PESSOA – PB

07.08.1954

TREZE(PB)

2-2

ABC(RN) JOÃO PESSOA – PB

08.08.1954

AUTO ESPORTE(PB)

3-1

ABC(RN) JOÃO PESSOA – PB

08.08.1954

BOTAFOGO(PB)

1-0

TREZE(PB) JOÃO PESSOA – PB

CAMPEÃO – BOTAFOGO (JOÃO PESSOA-PB)

 

FESTIVAL PROMOVIDO PELO SESI / NATAL – RN
LIGA DESPORTIVA DAS ROCAS – NATAL / RN

DATA: 01 DE MAIO DE 1957
LOCAL: ESTÁDIO SENADOR JOÃO CAMARA, EM NATAL / RN

1º JOGO

RACING

1-0

NACIONAL

2º JOGO

RIO GRANDE

0-0

POTENGI (3-0 PEN)

3º JOGO

PALMEIRAS

1-0

MAR E TERRA

4º JOGO

VASCO DA GAMA

1-0

INTERNACIONAL

5º JOGO

RIO GRANDE

0-0

RACING (2-0 PEN)

6º JOGO

PALMEIRAS

1-1

VASCO DA GAMA (2-0 PEN)

FINAL

PALMEIRAS

0-0

RIO GRANDE (3-2 PEN)

CAMPEÃO – PALMEIRAS ESPORTE CLUBE (NATAL – RN)

 

TORNEIO RELÁMPAGO
LIGA DESPORTIVA DAS ROCAS – NATAL / RN

CHAVE 1

28.04.1957

PALMEIRAS

0-0

NACIONAL (2-1 PEN)

28.04.1957

RIO GRANDE

2-1

POTENGI

28.05.1957

RIO GRANDE

1-0

PALMEIRAS

CHAVE 2

05.05.1957

MAR E TERRA

2-0

INTERNACIONAL
05.05.1957 RACING

2-1

VASCO DA GAMA
05.05.1957 RACING

1-0

MAR E TERRA

FINAL

12.05.1957

RACING

3-2

RIO GRANDE

CAMPEÃO – RACING SPORT CLUB (NATAL – RN)

 

DATA: 11 DE SETEMBRO DE 1957
LOCAL: GINÁSIO SILVIO PEDROSA, EM NATAL / RN
RENDA: CR$ 2.360,00

1º JOGO

AERO

2-0

APSPT

2º JOGO

BOLA PRETA

3-0

ALECRIM

3º JOGO

AMÉRICA

1-1

CENTRO (3-2 PEN)

4º JOGO

MERCÚRIO

2-0

ATLÉTICO

5º JOGO

POTIGUAR

2-0

UNIVERSITÁRIOS

6º JOGO

SANTA CRUZ

2-0

ABC

7º JOGO

BOLA PRETA

1-1

AERO (3-2 PEN)

8º JOGO

MERCÚRIO

1-0

AMÉRICA

9º JOGO

POTIGUAR

2-0

SANTA CRUZ

10º JOGO

MERCÚRIO

1-0

BOLA PRETA

FINAL

POTIGUAR

2-1

MERCÚRIO

CAMPEÃ – ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA POTIGUAR (NATAL – RN)

 

TURNO ÚNICO

27.05.1948

JUVENTUS

1-1

ATLÉTICO

27.05.1948

SANTA CRUZ

3-2

POTIGUAR

30.05.1948

ABC

4-0

JUVENTUS

30.05.1948

AMÉRICA

2-0

ATLÉTICO

03.06.1948

ABC

2-3

POTIGUAR

03.06.1948

SANTA CRUZ

2-0

AMÉRICA

06.06.1948

ATLÉTICO

3-5

POTIGUAR

06.06.1948

SANTA CRUZ

3-2

JUVENTUS

10.06.1948

AMÉRICA

7-3

JUVENTUS

10.06.1948

ABC

5-2

ATLÉTICO

13.06.1948

AMÉRICA

0-4

POTIGUAR

13.06.1948

ABC

2-2

SANTA CRUZ

17.06.1948

JUVENTUS

2-5

POTIGUAR

17.06.1948

ATLÉTICO

5-3

SANTA CRUZ

27.06.1948

AMÉRICA

3-1

ABC

CAMPEÃO – POTIGUAR ESPORTE CLUBE (PARNAMIRIM – RN)

ARTILHEIROS:

Valeriano (Santa Cruz) e Ubarana (Potiguar) 07 gols

 

Fonte: Arquivos de Marcos Trindade (Natala/RN)

 

FONTE: Biblioteca Nacional(BN)

 

O Lacerda Sobrinho Football Club foi uma agremiação da Cidade de Campos dos Goytacazes (RJ). O Alviverde Campista surgiu nos anos 10.  A sua Praça de Esportes ficava no Bairro da Coroa.

O crescimento do Lacerda Sobrinho foi proporcional com a evolução futebol na cidade até que no dia 11 de setembro de 1913, na noite, na Sede Internacional Football Club,  juntamente com o Rio Branco, Goytacaz, Campos, Aliança, XV de Novembro e Luso-Brasileiro ajudaram a Fundar a Liga Campista de Football (que depois passou a se chamar Liga Campista de Desportos).

Em 1920, o Lacerda Sobrinho participou da Liga Sportiva Fluminense (LSF). Na quinta-feira, do dia 12 de Outubro de 1922, ocorreu um amistoso estadual, realizado na cidade de Campos dos Goytacazes. O Vasco da Gama venceu o Lacerda Sobrinho Football Club, pelo placar de 4 a 2.

O Jornal O Brasil deu uma nota sobre a peleja: “Está novamente no Rio a delegação do Vasco da Gama, cujo team foi enfrentar o do Lacerda Sobrinho F.C., na cidade de Campos.

Os sportmen cariocas foram excelentemente tratados pelos campistas, que lhes prodigalizaram o máximo de carinho. Chefiou a delegação a Sr. Antonio Antunes de Figueiredo. O team do Vasco alcançou um brilhante triumpho, abatendo o seu antagonista por 4 goals a 2, servindo de juiz o Sr. Everardo Martins Tinoco“.

FONTES: O Brasil – O Fluminense – Folha do Comercio – Blog Futebol Campista

 

O Athletico Cajuense Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). A equipe Alvirrubra foi Fundada no Domingo, do dia 03 de Outubro de 1915. A sua Sede ficava na Rua Barão de São Félix, 145, no Centro do Rio. O 1º campo até 1916, estava situado na Rua dos Cajueiros, 61 e 63. Depois conseguiu um espaço maior na Rua João Ricardo, s/n – São Cristóvão – Zona Norte do Rio.

Sede (imóvel do meio): Rua Barão de São Félix, nº 145, no Centro do Rio

Por fim, conseguiram um local próximo a sede, e construíram a sua Praça de Esportes, na Rua Barão de São Félix, em frente à Rua General Caldwell, no Centro do Rio. Importante lembrar que após a criação da Avenida Presidente Vargas, nos anos 40, quando o Centro do Rio foi urbanizado, esse cruzamento entre essas duas ruas não existe mais.

O Athletico Cajuense Club disputou o Campeonato da Alliança Sportiva Municipal de 1919. Uma curiosidade é que no Estatuto do Clube, constava que o sócio que fosse pego em estado de embriaguez dentro das dependências do clube, seria retirado imediatamente das dependências, mostrando que as regras eram rígidas.

 Time-base de 1918-19 (Foto Abaixo): Augusto (Moura); Paulista (Pacca) e João Lino; Mineiro (Avellar), Collô (140) e Laudelino (Sant’Anna); Argentino (Mathias), Cretella (Bangu), Liberto {Cap. (Herculano)}, Celestino (Manoel ou Henrique) e Siry (Miguel).

FONTES: Revolução Vascaína: a profissionalização do futebol e a inserção sócio-econômica de negros e portugueses na cidade do Rio de Janeiro (1915-1934), de autoria: João Manuel Casquinha Malaia Santos – O Paiz  - A Época – A Noite – Google Maps – O Malho

 

Fonte: Revista Epoca Sportiva

 

O Tiradentes Athletico Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). O “Tiradentino” foi Fundado no dia 21 de Abril de 1914, por um grupo de esportistas que escolheram a data e também o nome em homenagem ao mártir Tiradentes (Joaquim José da Silva Xavier) para seu patrono.

O clube tinha o seu campo, na Rua Felipe Camarão, s/n – Aldeia Campista ( Sub-Bairro de Vila Isabel). A Sede ficava na Rua Bom Pastor, 29/ Casa 3. Depois passou para a Travessa Major Ávila, 13; e por fim, na Rua Uruguai, 236 / casa 1, todos esses no mesmo Bairro:  Tijuca.

FONTES: O Imparcial – Gazeta de Notícias – A Época 

 

Em 1949 foi realizado, em Cuiabá, o IV Campeonato Matogrossense de Seleções com as participações de Cuiabá, Campo Grande e Corumbá. Ao final de três jogos a equipe cuiabana sagrou-se campeã. Segue abaixo os jogos.

 

 

Seleção Cuiabana 5 x 2 Seleção Corumbaense

Data: 27/11/1949

Local: Bosque Municipal

Juiz: Amaury da Silva Nen

Gols: Dionísio (2), Uirton, Bugrinho, Íris e Beto (2)

Seleção Cuiabana: Dito, Nascimento, Uir, Gerbes, Alan, Rubens, Dionísio, Bugrinho, Íris, Uirton e Rubens Thomen.

Seleção Corumbaense: Hugo, Otávio, Adalberto, Toinho, Floriano, Neves, Alfredo, Bezerra, Lázaro, Augusto e Beto.

 

Seleção Campo-grandense 1 x 1 Seleção Corumbaense

Data: 01/12/1949

Local: Bosque Municipal

Juiz: Amaury da Silva Nen

Gols: sem registro

Seleção Campo-grandense: Pepino, Pacu, Hélio, Macaco, Dominguinhos, Wálter, Vaduca, Eufrásio, Rubens, César e Néferson.

Seleção Corumbaense: Petrola, Otávio, Bezerra, Neves, Zé Neves, Toinho, Augusto, Ângelo, Beto, Lázaro e Oriomar.

 

Seleção Cuiabana 5 x 2 Seleção Campo-grandense

Data: 05/12/1949

Local: Bosque Municipal

Juiz: Amaury da Silva Nen

Gols: sem registro

Seleção Cuiabana: Dito, Nascimento, Uir, Rubens, Alan, Gerbes, Dionísio, Bugrinho, Uirton, Thomen e Íris.

Seleção Campo-grandense: Pepino, Buchara, Rubens, Pacu, Macaco, Dominguinhos, Nelson Trad, Vadinho, Vaduca, Nei e Reis.

 

 

 

 

Fonte: Jornal O Estado de Mato Grosso – Foto de Rubens Thomem

 

 

Mixto 1 x 1 Paulistano

Data: 13/07/1947

Local: Bosque Municipal (Cuiabá)

Árbitro: Paulo Emilio Ferreira

Gol do Mixto: Leônidas

Mixto: Dito, Uir, Chupapalha, Pinto, Edgar Curvo, Gerbes, Mingote, Cajabi, Brandão, Leônidas e Uirton.

 

Mixto 3 x 1 Dom Bosco

Data: 27/07/1947

Local: Bosque Municipal (Cuiabá)

Árbitro: Francisco de Magalhães

Gols do Mixto: Chupapalha, Cajabi e Mingote

Mixto: Dito, Uir, Chupapalha, Pinto, Edgar Curvo, Gerbes, Malheiros, Leônidas, Cajabi, Mingote e Uirton.

 

Mixto 4 x 0 ABC

Data: 10/08/1947

Local: Bosque Municipal (Cuiabá)

Árbitro: Constantino Dias da Cruz

Gols do Mixto: Uirton (3) e Leônidas

Mixto: Dito, Uir, Chupapalha, Pinto, Edgar Curvo, Gerbes, Iris, Mingote, Leônidas, Malheiros e Uirton.

 

Mixto 3 x 1 Americano

Data: 31/08/1947

Local: Bosque Municipal (Cuiabá)

Árbitro: Paulo Emilio Ferreira

Gols do Mixto: Cajabi (2) e Uirton

Mixto: Dito, Uir, Chupapalha, Pinto, Gerbes, Edgar Curvo, Cajabi, Leônidas, Mingote, Uirton e Malheiros.

 

Mixto 6 x 0 Paulistano

Data: 26/10/1947

Local: Bosque Municipal (Cuiabá)

Árbitro: Paulo Emilio Ferreira

Gols: Uirton (3) e Mingote (3)

Mixto: Dito, Uir, Chupapalha, Pinto, Edgar Curvo, Gerbes, Cajabi, Leônidas, Mingote, Uirton e Iris.

 

Mixto 5 x 1 ABC

Data: 23/11/1947

Local: Bosque Municipal (Cuiabá)

Árbitro: Benedito de Carvalho

Gols do Mixto: Leônida (4) e Mingote

Mixto: Dito, Uir, Chupapalha, Pinto, Edgar Curvo, Gerbes, Cajabi, Hugo, Uirton, Leônidas e Leônidas.

 

Mixto 2 x 2 Americano

Data: 14/12/1947

Local: Bosque Municipal (Cuiabá)

Árbitro: Desconhecido

Gols do Mixto: Uirton (2)

Mixto: Dito, Uir, Chupapalha, Pinto, Edgar Curvo, Gerbes, Cajabi, Uirton, Mingote, Leônidas e Iris.

 

Mixto 4 x 1 Dom Bosco

Data: 04.01.1948

Local: Bosque Municipal (Cuiabá)

Árbitro: Benedito Hilário de Carvalho

Gols do Mixto: Uirton (3) e Malheiros

Mixto: Dito, Chupapalha, Uir, Pinto, Edgar Curvo, Gerbes, Cajabi, Uirton, Leônidas, Mingote e Malheiros.

 

 

Fonte: Arquivo Pessoal

 

Em 1937 a Seleção de Corumbá esteve em Cuiabá para realizar três partidas. Abaixo as fichas dos jogos:

 

Comércio 1 x 3 Seleção de Corumbá

Data: 07/10/1937

Local: Campo do Comércio

Juiz: Paulo Correa da Costa

Gols: sem registro

Comércio: Moacir, Marinho, Lulu, Zé Estácio, Pequitito, Santana, Lício, Gelson, Alfredinho, Marinheiro e Enock.

Seleção de Corumbá: Petrola, Japão, Walfrido, Xexé, Totó, Ramão, Foguinho, Chito, Lázaro, Baixinho e Círio.

 

Seleção de Cuiabá 1 x 1 Seleção de Corumbá

Data: 10/10/1937

Local: Campo do Comércio

Juiz: Tem. Júlio Costa

Gols: Jonas e Baixinho

Seleção de Cuiabá: Pires, Marinho, Lulu, Zé Negrinho, Totozinho, Arnaldo, Ventura, Gelson, Agabo, Jonas e Marinheiro.

Seleção de Corumbá: Petrola, Walfrido, Japão, Xexê, Totó, Ramão, Foguinho, Chito, Lázaro, Baixinho e Ciro.

 

Seleção de Cuiabá 2 x 1 Seleção de Corumbá

Data: 12/10/1937

Local: Campo do Comércio

Juiz: Artêmio Silva

Gols: Gelson, Enock e Foguinho

Seleção de Cuiabá: Pires, Marinho, Lulu, Zé Negrinho, Totozinho, Nascimento, Andrade, Gelson, Agabo, Jonas e Enock.

Seleção de Corumbá: Petrola, Carmo, Japão, Xexé, Totó, Ramão, Chito, Foguinho, Lázaro, Baixinho e Ciro.

 

Fonte: Reminiscência do Futebol Cuiabano (Manoel Soares de Campos)

 

1ª RODADA

17.01.1963

CRUZEIRO DO SUL(RJ)

3-1

SERRANO(RJ) PETRÓPOLIS – RJ

17.01.1963

OLARIA(GB)

4-1

CAMPO GRANDE(GB) PETRÓPOLIS – RJ

2ª RODADA

20.01.1963

SERRANO(RJ)

3-3

CAMPO GRANDE(GB) PETRÓPOLIS – RJ

20.01.1963

OLARIA(GB)

1-0

CRUZEIRO DO SUL(RJ) PETRÓPOLIS – RJ

CAMPEÃO – OLARIA ATLÉTICO CLUBE (RIO DE JANEIRO – RJ)

 

FRIGORÍFICO AC (RJ)       3       X       6       YOLANDA FC (RJ)

LOCAL: Estádio Zé Magro, em Mendes (RJ)

DATA: Domingo, no dia 13 de agosto de 1922

CARATER: Amistoso Estadual

HORÁRIO: 16 horas

FRIGORÍFICO: Alcides; Santos e Nestor; João I, Pecego, Nelson e Esperança; Álvaro, Urbino, João II e J. Benedicto.

YOLANDA: Rosas; Pipio e Virgilio; Arlindo, J. Silva e Tito; Mario, Nelson, Severo, Eduardo e Nonô.

GOLS: Urbino aos 18 e 20 minutos (Frigorífico); J. Benedicto aos 30 minutos (Frigorífico); Eduardo aos 37 e 46 minutos (Yolanda); Severo aos 39 minutos (Yolanda), no 1º Tempo. Eduardo aos sete minutos (Yolanda); Nelson aos 36 e 40 minutos (Yolanda);

PRELIMINAR (Segundos times) – 14 horas: FRIGORÍFICO         1       X       5          YOLANDA


FONTE: Revista Suburbana

 

FONTE: Revista Suburbana 

 

A primeira partida da história do Operário de Várzea Grande válida pelo Campeonato Cuiabano, ocorreu em maio de 1958 e o placar foi uma derrota de goleada por 10 a 1 diante do Atlético Matogrossense, que na época era o tri-campeão Cuiabano. Abaixo a ficha da partida:

 

Atlético 10 x 1 Operário

Data: 31/05/1958

Local: Estádio do Colégio Estadual

Juiz: Uir Hermógenes Castilho

Gols: Luiz Toucinho (5), Maurício (3), Emílio, Preto e Tatu

Atlético: Fernando, Guiauro, Vital, Sebastião, Portela, Robustiano, Preto, Ataíde, Luiz Toucinho, Maurício e Emílio.

Operário: Fernando, Arruda, Mussa, Conrado, Totó, Ciro, Tatu, Lindolfo, Maneco, Chachalo e Botelho.

 

 

Fonte: Arquivo Pessoal

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Americano e Dom Bosco fizeram pelo segundo turno do Campeonato Cuiabano de 1947, uma partida de quinze gols, terminando com a goleada do Americano por 12 a 3. Abaixo a ficha técnica da partida:

 

Americano 12 x 3 Dom Bosco

Data: 19/10/1947

Validade: Campeoanato Cuiabano

Local: Estádio do Bosque Municipal (Cuiabá)

Árbitro: Alberto Figueiredo Santos

Gols: Juquinha (5), Herminio (3), Hélio (2), Bugrinho (2) e Samuel (3)

Americano: Zebisco, Geraldo, Gato, Florizel, Manoel, Jesus Adherbal, Juquinha, Bugrinho, Hélio, Fernando Fontes e Herminio.

Dom Bosco: Joãozinho, Lisboa, Yule, Cipriano, Mário, Fábio, Rubens Thomem, Cerinha, Bacia, Marzavão e Samuel.

 

 

Fonte: Arquivo Pessoal

 

O Yolanda Foot-Ball Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). Fundado no dia 1º de Setembro de 1915, tinha a sua Sede na Rua  João Vicente, nº 155, no Bairro de Madureira, na Zona Norte do Rio.

Se filiou à Associação Athletica Suburbana, na segunda-feira, no dia 11 de Abril de 1918, onde disputou o Campeonato da AAS até 1922. O Yolanda se fundiu com o SC Ypiranga, da Liga Metropolitana.

No dia 07 de Abril de 1933, um grupo de antigos associados e adeptos do Yolanda resolveram reabri-lo, tendo Ernesto Loureiro como presidente. No entanto, o retorno teve breve, fechando em seguida em definitivo.

 Time de 1917: Aviador; Christovão e Nonô; Sito, Ergulino e Octavio (Cap.); Frer, Creança, Buluca, Barriga e Nictheroy.

 Time de 1922: Rosas; Pipio e Virgilio; Arlindo, J. Silva e Tito; Mario, Nelson, Severo, Eduardo e Nonô.

Time posado de 1922

FONTES: O Imparcial – Jornal dos Sports – O Paiz – Revista Suburbana

 

Mixto e Dom Bosco são os clubes mais antigos de Cuiabá ainda em atividade e fazem o clássico vovô de Mato Grosso. Desde o primeiro confronto entre as duas equipes em 1936, pelo Campeonato Cuiabano, foram mais de 250 partidas. A maior goleada pertence ao Dom Bosco que em 1941, no segundo turno do campeonato não tomou conhecimento do alvinegro e venceu por 11 a 1. Abaixo a ficha técnica da partida:

 

Dom Bosco 11 x 1 Mixto

Data: 05/10/1941

Local: Estádio do Bosque Municipal

Validade: Campeonato Cuiabano

Juiz: Crescêncio Monteiro da Silva

Gols: Lisandro (3), Carvalho I (3), Cajabi (2), Carvalho II (2), Jamil e Didi

Dom Bosco: Ariel, Canchinha, Miguel, Alberto, Uriel, Campos, Cajabi, Jamil, Carvalho II, Lisandro e Carvalho I.

Mixto: Abdala, Darci (Ranulfo), Nuno, João Garimpeiro, Ibarra, Ribeiro, Rubens, Mingote, Didi, Emiliano e Ângelo Maiolino.

 

Fonte: Jornal O Estado de Mato Grosso

 

 

A Taça Cuiabá foi disputada em duas rodadas, onde os vencedores da primeira se enfrentaram valendo o título. Participaram Dom Bosco, Mixto, Operário de Várzea Grande e Goiânia.

 

Mixto 2 x 1 Operário (VG)

Data: 20/04/1979

Local: Estádio Governador José Fragelli (Cuiabá)

Árbitro: Armando Camarinha

Gols: Pastoril, Fabinho e Justino

Mixto: Ernani, Luis Carlos Beleza, Jorge, Miro, Remo, Fabinho (Osvaldo), Pastoril, Toninho Campos, Arildo, Ideraldo e Marcinho.

Operário: Veludo, J. Alves, Zé Augusto, Tim, Zé Maria (Joilson), Joel Diamantino, Marquinhos, China, Ernani, Gerson Lopes e Jaci (Zé Polula).

 

 

Dom Bosco 1 x 1 Goiânia

Data: 20/04/1979

Local: Estádio Governador José Fragelli (Cuiabá)

Renda: Cr$ 137.005,00

Árbitro: Olandir Rondon

Gols: Adilson e Heber

Dom Bosco: Mão de Onça, Tuca, Altivo, Valter, Amauri, Fidélis, Barga, Nenê, Babá, Adilson, e Juju (Joãozinho)

Goiânia: Valdir, Beto, Ulisses, Lula, Odon, Pedro Paulo, Pedrinho, Zé Krol, Paulo Monteiro, Lourenço (Roberto Lopes) e Heber.

OBS: O Goiânia venceu nos pênaltis

 

 

Operário (VG) 2 x 1 Dom Bosco

Data: 22/04/1979

Local: Estádio Governador José Fragelli (Cuiabá)

Árbitro: Civis das Neves Rodrigues

Gols: Joel Diamantino, Ernani e Adilson

Operário: Veludo, J. Alves, Joilson, Tim, Zé Maria, China, Joel Diamantino, Marquinhos, Zé Polula, Ernani e Jaci.

Dom Bosco: Mão de Onça, Tuca, Altivo (Ede), Valter, Amauri, Lopes, Fidélis, Barga, Babá, Adilson e Nenê.

 

Goiânia 1 x 0 Mixto

Data: 22/04/1979

Local: Estádio Governador José Fragelli (Cuiabá)

Renda: Cr$ 173.455,00

Árbitro: Benedito Pio dos Santos

Gol: Pedro Paulo

Goiânia: Valdir, Neto, Lula, Lima, Odon, Pedro Paulo, Heber, Lourenço (Roberto Lopes), Paulo Monteiro (Valdir), Pedrinho e Zé Krol.

Mixto: Nelson, Luis Carlos Beleza, Jorge, Miro, Remo (Chico), Fabinho, Osvaldo, Pastoril, Toninho Campos, Ideraldo e Marcinho.

Com estes resultados o Goiânia Esporte Clube sagrou-se campeão da Taça Cuiabá 1979

 

Fonte: Quatro Anos de Verdão – Macedo Filho) 

 

 

Boa tarde amigos e membros do História do Futebol.

Gostaria de apresentar o novo membro:

Natural de Porto Alegre, Kaio Knauth é advogado e, entre outras vertentes, gosta de pesquisar causos de clubes e jogadores.

 

Desde já desejo todo sucesso e que possa vir a agregar grandes publicações ao História do Futebol!

 

Seja bem-vindo!

 

O Torneio Arquimedes Pereira Lima teve a participação de Dom Bosco, Mixto, Operário de Várzea Grande e Comercial de Ribeirão Preto. Foram três rodadas disputadas e ao final sagrou-se campeão a equipe paulista.

 

1ª Rodada

Dom Bosco 2 x 1 Operário (VG)

Data: 06/05/1979

Local: Estádio Governador José Fragelli (Cuiabá)

Árbitro: Benedito Pio dos Santos

Gols: Adilson (2) e Odenir

Dom Bosco: Mão de Onça, Tuca, Ede, Valter, Serginho, Fidélis, Barga, Ismael, Babá, Adilson (Bosco) e Juju.

Operário: Veludo, Zé Maria, Zé Augusto, Gaguinho, Joilson, Tim, China, Ernani, Luizinho (Marco Aurélio), Mosca (Joel Diamantino) e Bernardo (Odenir).

 

Comercial (SP) 2 x 1 Mixto

Data: 06/05/1979

Local: Estádio Governador José Fragelli (Cuiabá)

Renda: Cr$ 210.675,00

Árbitro: Armando Camarinha

Gols: Wagner, Anselmo e Ideraldo

Comercial: Bernardinho (Raul), Wagner, Lauro, Almeida, Fantik, Pedro Omar, Luiz Alberto (Mauricio), Luiz Poiane (Leo), Ciro (Anselmo), Carlos Hansen (Celso) e Zé Roberto.

Mixto: Ernani, Arildo (Remo), Jorge, Miro, Luis Carlos Beleza, Fabinho, Pastoril, Toninho Campos, Ideraldo, Delcy (Osvaldo) e Marcinho.

 

2ª Rodada

Operário (VG) 2 x 1 Mixto

Data: 08/05/1979

Local: Estádio Governador José Fragelli (Cuiabá)

Árbitro: Yunes Untar

Gols: Odenir (2) e Toninho Campos

Operário: Veludo, Zé Maria, Zé Augusto, Gaguinho, Justino, Tim, China, Mosca (Joel Diamantino), Ernani, Luizinho (Joilson) e Odenir.

Mixto: Ernani, Arildo, Jorge, Miro, Luis Carlos Beleza, Fabinho, Pastoril, Jonas (Pelezinho), Ideraldo, Marcinho e Toninho Campos.

 

Comercial (SP) 2 x 1 Dom Bosco

Data: 08/05/1979

Local: Estádio Governador José Fragelli (Cuiabá)

Público:  4.262

Renda: Cr$ 119.920,00

Árbitro: Airton de Souza Franco

Gols: Vander (2) e Barga

Comercial: Raul, Lauro, Wagner, Almeida, Fantik, Pedro Omar, Mauricio, Vander (Luiz Alberto), Luiz Poiani, Anselmo e Zé Roberto (Carlos Hansen).

Dom Bosco: Mão de Onça, Tuca, Altivo, Valter, Serginho, (Amauri), Fidélis, Barga, Ismael (Vitor), Ede, Babá (Bosco) e Juju.

 

3ª Rodada

Dom Bosco 2 x 1 Mixto

Data: 10/05/1979

Local: Estádio Governador José Fragelli (Cuiabá)

Árbitro: Civis das Neves Rodrigues

Gols: Juju, Barga e Pastoril

Dom Bosco: Mão de Onça, Tuca, Altivo, Valter, Serginho (Amauri), Ismael, Fidélis, Ede, Babá, Barga e Juju.

Mixto: Ernani, Arildo, Jorge, Miro, Remo, Fabinho, Pastoril, Chico (Osvaldo), Pelezinho, Ideraldo e Marcinho.

 

Comercial (SP) 1 x 0 Operário (VG)

Data: 10/05/1979

Local: Estádio Governador José Fragelli (Cuiabá)

Renda: Cr$ 136.890,00

Árbitro: Olandir Rondon

Gol: Carlos Hansen

Comercial: Raul, Lauro, Wagner, Almeida, Fantik, Pedro Omar, Mauricio, Vander (Carlos Hansen), Luiz Poiani (Celso), Anselmo (Ciro) e Zé Roberto.

Operário: Veludo, Zé Maria, Edval, Gaguinho (Joilson), Justino, Tim, China, Ernani, Mosca (Joel Diamantino), Luizinho e Odenir (Bernardo).

 

Fonte: Quatro Anos de Verdão – Macedo Filho

 

Durante muitos anos o futebol da capital de Mato Grosso teve como seu templo principal, o Estádio Governador José Fragelli ou simplesmente Verdão. Nesse estádio ocorreram memoráveis jogos, dignos de ser guardados para sempre na memória do torcedor cuiabano. O Verdão foi inaugurado oficialmente em 08 de abril de 1976, com um quadrangular envolvendo Dom Bosco, Mixto, Operário e Flamengo do Rio de Janeiro. Em 2009 foi realizada a última partida antes de ser demolido para a construção da Arena Pantanal.

 

 

 

 

 

Fonte: Nelson Vasquez (ex-jogador)

 

O Oliveiras Atlético Clube foi uma agremiação da cidade de Niterói (RJ). O clube Alvianil foi Fundado no Sábado, do dia 12 de Junho de 1926, por operários da Fábrica de Vidros Orion, denominado como Orion Football Club.

O clube existiu com essa nomenclatura até 1929, quando a diretoria optou em dar outro nome com o intuito de não criar nenhum vinculo com a empresa, construindo assim uma identidade própria.

A Sede ficava na Travessa Carlos Gomes, nº 17, no Bairro Santana, e depois passou para a Travessa Nossa Senhora da Conceição, nº 08, em Niterói. Por um tempo ele teve um campo na Rua Dr. Benjamin Constant, no Bairro Largo do Barradas.

O Oliveiras teve um rival ferrenho: Espírito Santo Futebol Clube, do Bairro da Engenhoca. Em 1937, o  Oliveiras participou da fundação da Associação Nictheroyense de Atletismo junto com os grandes clubes da cidade.

A sua trajetória futebolística foi animadora, afinal Oliveiras disputou diversos amistosos, vencendo e empatando, inclusive diante das grandes forças. Em suma: vencer que é bom o Oliveiras, ninguém conseguia.

Esse sucesso criou um incomodo. Então, nos bastidores os clubes grandes de Niterói se articularam a fim de alijar o Oliveiras, que no final das contas acabou saindo.

Posteriormente, o Oliveiras foi bicampeão do Campeonato Niteroiense da Segunda Divisão, nos anos de 1942 e 1943. Novamente, por “detrás dos panos”, os “homens da Cartola” mexeram os “paulzinhos” e não deixaram que o Oliveiras tivesse o direito legitimo do acesso.

Após muita luta, o clube conseguiu o acesso em 1947,  e, de cara, ficou com o vice-campeonato do Campeonato Niteroiense da Primeira Divisão, daquele ano. Depois de três temporadas, o Oliveiras se sagrou campeão do Campeonato Niteroiense da 1ª Divisão, em 1951, e vice-campeão em 1952.

Em 1955, voltou a conquistar o título. Mas naquela edição, o futebol niteroiense tinha duas com competições: o Amador (vencido pelo Oliveiras), e o Profissional (onde o Fonseca foi o campeão).

O final da linha do Oliveiras Atlético Clube foi ironicamente o começo de uma das maiores obras feitas no Brasil: a Ponte Rio-Niterói, que iniciou as obras em janeiro de 1969 e foi concluída no dia 04 de março de 1974. As obras praticamente extinguiu o Bairro Santana. Quarenta e três anos depois, o Bairro de Santana se resume a um monte de pista de acesso e algumas casas pobres.

 

FONTE: O Fluminense

 

O Bandeirante Futebol Clube de Botucatu / SP foi  fundado em 1942 por Grupo de esportistas do município, para representar Botucatu e disputar o Campeonato Municipal de Botucatu da 1ª divisão e o Campeonato Paulista do Interior de 1942, sem ter sede ou campo próprio.

Em 20 março de 1943, foi fundado a Liga Botucatuense de Futebol, vinculada a Federação Paulista de Futebol, sendo o Bandeirante Futebol Clube, um dos fundadores junto com a Associação Atlética Botucatuense, a Associação Atlética Ferroviária, Flor da Madrugada Futebol Clube, Pardinho Futebol Clube e Blasi Futebol Clube.

Sua primeira partida oficial pelo campeonato municipal foi contra a Associação Atlética Botucatuense, no Estádio Antônio Delmanto, perdendo o caçula para a veterana por 4 a zero. O Jornal Correio de Botucatu demostrando exagerada simpatia, publicou: “Embora derrotado, o caçula foi superior ao seu adversário em entusiamo e técnica, pois dominou a partida do começo ao fim, e por falta de arremates, deixou escapar um triunfo  que seria mais que merecido, o Bandeirante for senhor absoluto da partida, dando autêntico baile na Veterana e só não venceu – que seria de justiça, foi por falta de um artilheiro, um só, e as estas horas o vencedor estaria curtindo a amarga derrota”. Seu técnico era o popular Zé Guimarães, e seus “pupilos”: Caricati, goleiro;  Avaré, Bento, Waldomiro e  Fê, defesa; Pedrinho, Paulo, João, Fernando, Cearense e Manézinho no meio campo e  ataque.

Em 1943, o primeiro campeonato oficial da 1a divisão promovido pela Liga Botucatuense de Futebol, realizado com a participação de 3 clubes, AA Botucatuense, AA Ferroviária e o Bandeirante FC que iniciou sua jornada de derrotas e goleadas sofridas; Torneio Inicio: Ferroviária 2×0 Bandeirante e Botucatuense 4×2 Bandeirante. No Campeonato Municipal, 1º turno: Ferroviária 7×0 Bandeirante e Botucatuense 4×0 Bandeirante; 2º turno: Ferroviária 4×0 Bandeirante e Botucatuense 4×2 Bandeirante. Em 1944, no Campeonato Municipal, os mesmos 3 participantes;  1º turno: Ferroviária 4×0 Bandeirante e Botucatuense 6×2 Bandeirante; 2º turno: Ferroviária 3×0 Bandeirante e Botucatuense 3×4 Bandeirante (1ª vitória). Em 1945, no Campeonato Municipal, os mesmos 3 participantes;  1º turno: Ferroviária 5×1 Bandeirante e Botucatuense 8×1 Bandeirante; 2º turno: Ferroviária 4×0 Bandeirante e Botucatuense 5×0 Bandeirante.

Em 1946, seu presidente era o escritor Hernani Donatto, que nesta oportunidade tinha 22 anos, descreve em documento em papel timbrado, enviado a prefeitura na tentativa de também receber verba da municipalidade como os demais clubes, com um clube modesto, exclusivamente de operários e pessoas de poucas posses.

Em 1946, no Campeonato Municipal, os mesmos 3 participantes; Bandeirante 0×7 e ?x?  Ferroviária, Bandeirante 2×8 e 0x6 Botucatuense.  Em 1947, no Campeonato Municipal, os mesmos 3 participantes;  1º turno: Ferroviária 7×0 Bandeirante e Botucatuense 7×0 Bandeirante; 2º turno: Ferroviária 13×0 Bandeirante e Botucatuense 6×1 Bandeirante. Em 1948, o Bandeirante não participou do Campeonato Municipal. Em 1949, no Campeonato Municipal, o Bandeirante volta a participar, totalizando 6 clubes na 1ª divisão; Bandeirante 1×3 e 1×2 Botucatuense, Bandeirante 1×6 e 1×2 EC Avenida, Bandeirante 1×1 e 1×2 AA Experimental, Bandeirante 5×4 (2ª vitoria) e 1×2 CA Fortaleza, Bandeirante 0×0 e 1×1 CA Brasil. Em 1950, no Campeonato Municipal, 4 clubes na 1ª divisão; Bandeirante 2×4 e 2×2 Botucatuense, Bandeirante 3×1  AC Lajeado, Bandeirante 3×1 CA Fortaleza  (3ª vitoria). Em 1951, no Campeonato Municipal, 9 clubes na 1ª divisão; Bandeirante 1×3 Botucatuense, Bandeirante 0×2  AC Lajeado, Bandeirante 1×1  CA Brasil, Bandeirante 0×6  União Operário, Bandeirante ?x?  CRE Bairro Alto, Bandeirante ?x?  Vila Antartica, Bandeirante ?x? CA Fortaleza. Em 1952 e 1953, o Bandeirante não participou do Campeonato Municipal. Em 1954, no Campeonato Municipal, o Bandeirante volta a participar, totalizando 8 clubes; Bandeirante ?x? e 1×2 AC Lageado, Bandeirante 1x1  e ?x? Rodoviário AC, Bandeirante 3×1 e 1×1 CA Brasil, Bandeirante 7×1 e ?x? CRE Bairro Alto, Bandeirante 1×0  e 3×3 EC Inca, Bandeirante 2×3 União Operário e Bandeirante 1×4 e 5×2 Sete de Setembro FC e Bandeirante 5×2 e ?x? Boa Vista FC; Bandeirante ficou em 4ª colocação. Em 1955, no Campeonato Municipal, o Bandeirante participar pela ultima vez, totalizando 10 clubes; Bandeirante 1×3 e 1×0 AC Lageado, Bandeirante ?x? Rodoviário AC, Bandeirante 0×4 e OxW CA Brasil, Bandeirante 2×4 e 0×4 CRE Bairro Alto, Bandeirante ?x? EC Inca, Bandeirante 2×0 União Operário e Bandeirante 1×7 e 1×4 Sete de Setembro FC, Bandeirante 2×2 e 1×1 Botucatuense; Bandeirante 1×13 e 0×3 Ferroviária; Bandeirante ficou em 9ª colocação (penúltimo).

A Ultima formação do Bandeirante FC em 1955: Chandrico, Júlio, Gaviúna, Bugre, Marreco, Ferreira, Lambari, Guto, Natal, Meneguim, Boaro.

Em muitos jornais era publicado erroneamente Bandeirantes, com “s”, no plural, mas como se comprova pelo papel timbrado do clube que o nome correto era Bandeirante Futebol Clube.

E sua ultima diretoria era assim constituída: Presidente de Hora, Emílio Peduti (Prefeito Municipal); Presidente, Paulo Paguozi; vice presidente, Narciso Mori; 1º Secretário, Amilcar Pupo Aiello; 2º Secretário, José Maurício de Oliveira; 1º Tesoureiro, Arlindo Durante; 2º Tesoureiro, Ulisses Rossi Grassi; Diretores Esportivos, Orlando Paguozi e Brasílio Paguozi; Diretores, Dr. Mário Rodrigues Torres (Procurador), Brasílio Damato, Francisco Lira BrandãoHélio DonatoAntônio Pinheiro Jr. e Antônio Calixto.

Muitos dos integrantes do Bandeirante Futebol Clube, foram cidadãos importantes para o município de Botucatu,  reconhecidos pelos botucatuenses sendo homenageados com logradouros públicos como ruas, avenidas, praças, biblioteca, complexo funerário e  escola.

Dedico este meu singelo artigo do Bandeirante Futebol Clube ao amigo Hélio Donatto, que tive o privilégio de frequentar sua casa e conviver com toda sua família.

Fonte: Livro “Os Esquecidos” da Datatoro de Rodolfo Kussarev e dos pesquisadores Eduardo Cacella, Julio Diogo, Fernando Martinez, Marcio Javaroni e Antonio Mario Ielo, Almanaque Futebolístico de 1957 da FPF de Nelson Martíns de Almeida e Thomaz Mazzoni, Jornal Correio de Botucatu, Os Campeões Amadores de Botucatu de Nivaldo Ceará e Arquivo do pesquisador e historiador Zulo e arquivo pessoal.

 

DATA: 14 DE AGOSTO DE 1966
LOCAL: TRÊS RIOS – RJ

1º JOGO

ROYAL

1-0

AMÉRICA

2º JOGO

CENTRAL

0-0

BARRA MANSA (3-2 PEN)

3º JOGO

ENTRERRIENSE

0-0

BARBARÁ (5-4 PEN)

4º JOGO

CENTRAL

0-0

ROYAL (4-3 PEN)

FINAL

CENTRAL

1-0

ENTRERRIENSE

CAMPEÃO – CENTRAL SPORT CLUB (BARRA DO PIRAÍ – RJ)

 

O Campeonato Niteroiense de 1952, teve como o grande campeão o simpático Cruzeiro Futebol Clube, de Pendotiba. Já o Ypiranga Futebol Clube ficou com o título nos Aspirantes. Na categoria Juvenil o Fonseca se sagrou Bicampeão (1951 e 1952). O Marítimo Futebol Clube ficou com o caneco da Segunda categoria de Niterói.

La na Região Sul Fluminense, o Cordeiro Futebol Clube foi o campeão do Campeonato Citadino de Cordeiro de 1952. A Campanha do Cruzeiro de Pendotiba foi a seguinte:

2 x 2 Fluminense

4 x 0 Manufatora

3 x 3 Espírito Santo

3 x 4 Niteroiense

3 x 2 Byron

1 x 0 Oliveiras

1 x 1 Canto do Rio

8 x 0 Ypiranga

4 x 0 Fonseca

3 x 0 Cruzeiro Atlético

 

Pentagonal decisivo (os cinco primeiros colocados):

25 de Janeiro de 1953                   –           2 x 0 Niteroiense

31 de Janeiro de 1953                   –           4 x 2 Espírito Santo

05 de Fevereiro de 1953               –           1 x 1 Oliveiras

21 de Fevereiro de 1953               –           4 x 3 Cruzeiro Atlético

 

Desempate: (melhor de quatro pontos)

05 de Março de 1953                     –           3 x 3 Oliveiras

08 de Março de 1953                     –           3 x 1 Oliveiras

18 de Março de 1953                     –           4 x 3 Oliveiras

 

 

FONTE: O São Gonçalo

 

CAMPEÕES  MUNICIPAIS DE SÃO GONÇALO

1920 Club Athletico Mutondo 1950 Esporte Clube Metalúrgico
1921 Porto Novo Football Club 1951 Esporte Clube Metalúrgico
1922 Club Athletico Mutondo 1952 Eletroquímica Futebol Clube
1923 desconhecido 1953 Esporte Clube Metalúrgico
1924 desconhecido 1954 Tamoio Futebol Clube
1925 desconhecido 1955 Forte Futebol Clube
1926 desconhecido 1956 Eletroquímica Futebol Clube
1927 desconhecido 1957 Estrela D’Alva Futebol Clube
1928 desconhecido 1958 Esporte Clube Trindade
1929 desconhecido 1959 Forte Futebol Clube
1930 desconhecido 1960 Esporte Clube Metalúrgico
1931 Tamoio Futebol Clube 1961 Esporte Clube Metalúrgico
1932 Flamenguinho Futebol Clube 1962 Clube Esportivo Mauá
1933 Carioca Futebol Clube 1963 Clube Esportivo Mauá
1934 Neves Atlético Clube 1964 Clube Esportivo Mauá (segundo o site do clube)
1935 Neves Atlético Clube 1965 desconhecido
1936 Neves Atlético Clube 1966 desconhecido
1937 desconhecido 1967 desconhecido
1938 desconhecido 1968 desconhecido
1939 desconhecido 1969 Clube Esportivo Mauá
1940 desconhecido 1970 desconhecido
1941 Flamengo Futebol Clube 1971 CROL Futebol Clube
1942 Esporte Clube Metalúrgico 1972 Não foi realizado
1943 Esporte Clube Metalúrgico 1973 Unidos do Porto da Pedra Social Clube
1944 Esporte Clube Metalúrgico 1974 Unidos do Porto da Pedra Social Clube
1945 Esporte Clube Metalúrgico 1975 Vitória Futebol Clube
1946 Tamoio Futebol Clube 1976 Clube Esportivo Mauá
1947 Clube Esportivo Mauá 1977 Unidos do Porto da Pedra Social Clube
1948 Esporte Clube Metalúrgico 1978 Unidos do Porto da Pedra Social Clube
1949 Forte Futebol Clube 1979 Unidos do Porto da Pedra Social Clube
XXX
A lista acima foi sendo preenchida durante as minhas pesquisas sobre o futebol fluminense. O campeonato gonçalense nunca foi o foco de minhas pesquisas, fui anotando conforme as anotações apareciam. Nas observações (e em itálico), os títulos duvidosos / não confirmados. Caso alguém consiga preencher (ou queira começar a pesquisar tendo essa lista como ponto de partida), fiquem à vontade.xxx
Em 1919 foi fundada a primeira liga de futebol em São Gonçalo, denominada Liga Sportiva Gonçalense. A LSG foi desfiliada pela Liga Sportiva Fluminense em 1924, por conta de uma grave crise na administração, e dissolveu-se no mesmo ano. Não encontrei informações sobre um campeonato em 1919, 1923 ou em 1924. Aparentemente, o campeonato de 1920 foi o .
Aparentemente, apenas em 12 de Outubro de 1931 uma outra liga foi fundada: a Associação Gonçalense de Esportes Athleticos (filiada à Associação Fluminense de Esportes Athleticos). Nos anos de 1928, 1929 e 1930 é comum ver jornais anunciando o Tamoio como “o campeão gonçalense“, mas nunca achei informações sobre uma liga em São Gonçalo nessa época. Pode ser o caso de o clube ser chamado de “campeão” apenas por ser o mais forte da cidade (isso era comum).

Em 1931,  como a liga foi fundada em outubro de 31, não deu tempo de fazer um campeonato, mas um torneio relâmpago do qual o Tamoio foi campeão (E considerado campeão gonçalense de 31). No começo de 1932 o Tamoio é considerado o atual campeão. De 1932 a 1936 a AGEA organizou campeonatos regulares, com os campeões abaixo:

Em 1935 uma Liga Gonçalense de Sports (ou de Football, já a vi com mais de um nome, é preciso confirmar o nome correto) foi fundada, filiada À FFE. Aparentemente, durou pouco tempo, e teria o Carioca como campeão de seu único campeonato – no entanto, as fontes divergem se esse campeonato foi organizado em 1935 ou 1936. Em 1937 mais uma liga foi fundada, a Associação Gonçalense de Sports, mas nunca encontrei informações sobre campeonatos até 1941.

1935 ou 1936??: Carioca F.C. 

Em 1941, o Campeonato Gonçalense teve o Flamengo Futebol Clube (uniforme igual ao clube da Gávea) como o grande campeão. O título rendeu ao Mengão de São Gonçalo o direto de ser o representante da cidade no Campeonato Fluminense de 1941. A partir da temporada de 1942 em diante são disputados campeonatos regulares da Liga Gonçalense de Desportos (embora em 1942 ela seja chamada de Associação, talvez tenha mudado em 1943 por força da Lei dos Desportos).

A LGD considera sua fundação como sendo a da AGEA, de 1931. Após 1979, não tenho informações sobre o campeonato, pois nunca pesquisei o período. O site do C.E. MAuá informa que o clube foi tricampeão de 1962, 1963 e 1964, mas só pude confirmar os títulos de 1962 e 1963. No ano de 1969, o Mauá foi campeão.

Em 1972, não teve campeonato, só teve quatro inscritos, um desistiu, campeonato só teve uma rodada em dezembro. Em 1975, o vencedor  foi o Vitória Atlético Clube, do Morro do Castro. Em 1977, o Mauá chegou a ser considerado campeão até 1979, quando o Unidos do Porto da Pedra levou o título no tapetão.

 

Importantes observações:
1) O Lisandro Pavan conseguiu uma vez uma lista com a própria Liga Gonçalense de Desportos. Aquela lista, no entanto, não bate na maioria absoluta dos anos com as informações dos jornais, talvez seja fruto da confusão de alguém da liga com documentos do passado (podem ter misturado categorias diferentes, por exemplo).

2) O Porto Novo F.C. (do bairro de mesmo nome) campeão de 1921 tinha as cores azul e vermelho. Encontrei informações sobre um Porto Novo F.C. na internet, fundado em 3 de abril de 1929 – logo, não seria o mesmo, mas talvez seja um “descendente” daquele.

3) O Flamengo F.C. (campeão de 1941) e o Flamenguinho F.C. campeão de 1932 são clubes diferentes, inclusive disputaram campeonatos juntos.

4) O Forte F.C. era do bairro Paraíso.

5) O Crol F.C. é de Várzea das Moças – bairro considerado “bi municipal”, dividido entre Niterói e São Gonçalo. Não tenho certeza sobre o lado onde o Crol fica (o clube ainda existe).

6) O Unidos do Porto da Pedra Social Clube (e não Sport Club) originou a famosa escola de samba.

7) Eletroquímica era o clube dos funcionários da Cia. Eletroquímica Fluminense, que funcionava no bairro Alcântara.

 

O União Football Club foi uma agremiação da cidade de São Pedro da Aldeia (RJ). Fundado em 1927, há poucas informações sobre o Alvinegro Aldeense. No entanto, merece uma citação porque juntamente com o River FC, América FC e Tamoyo SC, ajudaram a fundar a Liga Sportiva de Cabo Frio (LSCF), em 1930.

 

FONTE:  José Francisco de Moura, ‘Professor Chicão’

© 2017 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha