Na decisão, diante do União Operário, de Laranjeiras do Sul, o Grêmio Esportivo Recreativo Goioerê venceu, em casa, por 1 a 0 (na quinta-feira, do dia 13 de dezembro de 1990). Três dias depois (no domingo, do dia 16 de dezembro de 1990), ocorreu o jogo da volta, e o União Operário, venceu por 2 a 0.

Como o saldo de gols não era critério de desempate, a decisão foi para a disputa de pênaltis. Após uma longa disputa, o Grêmio Esportivo Recreativo Goioerê  levou a melhor vencendo por 9 a 8, faturando o inédito título.

FONTES: Rsssf Brasil – Mercado Livre – Wikipédia

 

O Batelzinho Futebol Clube foi outro clube que disputou a Suburbana (Terceira Divisão da FPF – Série Azul) nas décadas de 50 (a partir de 1952) e 60.

O clube foi fundado em 01/05/1950 e existiu até 1972. Chegou a ser vice-campeão em 1957.

Como o nome sugere, o clube foi fundado no bairro Batel mas posteriormente migrou para o bairro Portão. Quando lá chegou passou a utilizar o campo do BECA.

Foto: Acervo Levi Mulford

Fonte: Arquivos de Levi Mulford

Mais informações: http://www.tribunapr.com.br/cacadores-de-noticias/portao/bom-time-comeca-com-grande-goleiro/

Redesenho do escudo: Givaldo Santos

 

 

Dentre os clubes que disputaram a Suburbana de Curitiba (amadora) destaco o BECA – Bloco Esportivo Caão da Amora.

O clube foi fundado em 04 de maio de 1950 e pelo menos entre 1951 e 1961 disputou a chamada Terceira Divisão da FPF (uma espécie de Segunda Divisão da Suburbana). Foi vice em 1958 e 1961.

Conforme informou Levi Mulford (dono de um grande acervo da Suburbana): “o clube tricolor tinha seu campo próximo à conhecida Capelinha do Portão, hoje transformado em blocos de cimento armado pela expansão imobiliária.”

O BECA foi extinto em 1972.

Foto: Arquivo Levi Mulford

Fonte: Arquivos de Levi Mulford

Redesenho do escudo: Givaldo Santos

Mais informações: http://www.tribunapr.com.br/cacadores-de-noticias/portao/quem-se-lembra-do-beca/

 

 

Segue mais um clube inédito: trata-se do Alumínio Futebol Clube da cidade de São Caetano em Pernambuco.

O clube disputou a Terceira Divisão Pernambucana em 2000 (era uma divisão amadora que qualificava o campeão para a segundona profissional).

As 3 estrelas no escudo representam o tri-campeonato municipal.

Presidente Xavier com a taça de 1993

Pesquisa: Givaldo Santos

Fonte: Juninho Xavier (filho do presidente do clube). Facebook: https://www.facebook.com/juninhox7

URL da Foto:  https://goo.gl/GeFLwu

Conversa para conseguir o distintivo: https://goo.gl/4twjQr

Distintivo: https://goo.gl/2YAd3d

 

 

FONTE: Paraná Esportivo

 
Tomou posse no dia 12 de março de 1949 a nova Diretoria da Liga de Esportes de Corumbá, para o biênio de 1949/1950.

 

Presidente: Ricardo Christovam
1º Vice-Presidente: Major Crescêncio Monteiro da Silva
2º Vice-Presidente: Dr. José Attilio Tenuta
1º Secretário: Alcindo Serra Pinheiro
2º Secretário: Djalma Alberto de Medeiros
Tesoureiro: Nilo Carmello Cestari
Adjunto de Tesoureiro: Hermenegildo Torres
Diretor de Estádio: João Rostey
Conselho Técnico: Felicio Carmelio Calabris, Feliciano Christovam e Helio Benzi
Conselho Fiscal: Dr. Pedro Ivo Rostey, Francisco Inacio da Silva Filho e Abilio Nascimento
Junta Disciplinar Desportiva: Dr. José Barros do Valle, Dr. Caio Leite de Barros e João Bernardino Alves do Couto
 
Fonte: Tribuna (MT)
 
 

 

 
No dia 24 de fevereiro de 1925 tomou posse a nova Diretoria do Riachuelo Football Club, da cidade de Corumbá.

 

Presidente: José Silvino da Costa
Vice-Presidente: Dr. Walter Jefferi
1º Secretário: Indalecio de Proença
2º Secretário: Salomço Santiago de Abreu
Tesoureiro: Gustavo M. Cabrita
Adjunto do Tesoureiro: Clarindo d’Albuquerque Araujo
Capitão Geral: Emilio C. Fontanilles
Vice-capitão: Melchiades Velasquez
Comissão Fiscal: Aristides Ramos, Antônio Gregório de Medeiros, Manoel Herculano Marques Fontes, Guilherme Balthar Vaz e Alfredo Almedinha

 

Fonte: O Pharol
 
Estas duas equipes existiram em meados dos anos 1920, em Cuiabá. Porém nada se sabe sobre elas, pela grande falta de fontes. Segue abaixo uma partida amistosa realizada no antigo Campo d’Ourique, onde também foi disputado o primeiro jogo que se tem notícia na capital de Mato Grosso.
 
Tupy Football Club 2 x 1 Commercial Football Club
Data: 14/09/1924
Validade: Amistoso
Local: Campo d’Ourique (Cuiabá)
Árbitro: Fabio Feitosa
Gols: Não divulgado
Tupy: Julião, Roberto, Pinto, José, Gregorio, Cancio, Lulú, Ponceano, Guerra, Lysandro e Perminio.
Commercial: Sylvio, Gastão, Nogueira, Coelho, Salgado, Antônio, Nestor, Marcondes, Rubens, Joaquim e Gôes.

 

Fonte: Jornal A Luz
 

Clube Atlético Juventus – São Paulo (SP), campeão do Torneio Internacional do Japão no ano de 1974 (ano em que completou 50 anos de existência).

Participantes: Seleções A e B do Japão, F.C. Constanta (Romênia) e C.A. Juventus (São Paulo).

As partidas foram realizadas nas cidades de Osaka e Tóquio.

 

13/01/1974 – em Osaka

C.A. Juventus 2 x 1 Seleção B do Japão;

Seleção A do Japão 0 x 0 F.C. Constanta

 

15/01/1974 – em Tóquio

Seleção A do Japão 1 x 0 Seleção B do Japão

C.A. Juventus 2 x 1 F.C. Constanta

Gols: Antoninho e Vanderlei (J)

 

20/01/1974 – em Tóquio

Seleção A do Japão 0 x 2 C.A. Juventus

Gols: Vanderlei e Mário (J)

 

A base da equipe campeã foi esta:

Bernardino, Chiquinho, Carlos, Almeida e Deodoro; Morais e Luisinho; Antoninho (Luís Antônio), Tanesi, Vanderlei (Mário) e Maurinho (Ziza).

Fontes: A Gazeta Esportiva e Placar

 

Grêmio Esportivo Flamengo (atual Sociedade Esportiva e Recreativa Caxias do Sul) foi uma agremiação da Cidade de Caxias do Sul (RS). Fundado no dia 10 de abril de 1935, graças a fusão dos clubes Rio Branco e Rui Barbosa. As circunstâncias que envolveram o surgimento do Flamengo, estão diretamente ligadas ao seu mais tradicional rival, o Juventude.

Germano Pisani, presidente do Rio Branco, procurou o presidente do Rui Barbosa, Sílvio Toigo e propôs uma fusão entre os clubes. Eles pensavam que se unindo forças iriam ter condições de enfrentar os maiores rivais, especialmente o Juventude que dominava o futebol de Caxias do Sul na época.
A primeira diretoria do Grêmio Esportivo Flamengo foi formada por Sílvio Toigo (presidente), Bôrtolo Facchin e Germano Pisani (vice-presidentes), Alfredo Caberlon e Mário Menegaz (secretários), Guerino Bedin e Ítalo Bertuzzi (tesoureiros).
FONTES: Mercado Livre- Blog Relíquias do Futebol
 

FONTE: Revista Theatro & Sport

 

Nome: Panelão Sociedade Anônima

Data: Fundado no dia 26 de Novembro de 1996

Sede: Vila Norma – São João de Meriti (RJ)

Filiação: Liga de Desportos de São João de Meriti

 

FONTE: Valmir Ferreira

 

 

O São Raimundo Esporte Clube é uma agremiação da cidade de Manaus (AM). A sua Sede fica localizado na Rua 5 de Setembro, s/n, no Bairro de São Raimundo, em Manaus. O Tufão foi Fundado oficialmente no dia 18 de Novembro de 1918, logo após do fim do “boom” da Borracha em Manaus.

O nome deve-se ao bairro, que por fim deve este nome ao santo, que nasceu em 1204 na Espanha. O bairro em Manaus foi, por muito tempo, latifúndio da Igreja Católica, no século XIX, até que migrantes nordestinos viessem lá residir. São Raimundo está localizado à 200 metros do Centro Antigo de Manaus, separado deste pela Ponte Fábio Lucena, que só foi inaugurada em 1986.

Em 1915 Francisco Rebelo e o Professor Assis fundam o Risópolis Clube Recreativo. Mais tarde, em maio de 1918, mudam o nome para Risofóles, que meses depois acaba; transformando-se finalmente num nome que identificasse o proletário bairro, daí o nome de São Raimundo.

Alguns dos fundadores do São Raimundo são: Sr. Belmiro Costa, Sr. Olímpio Carvalho, Sr. Carlos Frederico, Sr. José Quincas, Sr. Vidal, Sr. Sena e Sr. Queiróz. O presidente desse novo clube era o “batalhador” Francisco Rebelo.

O maior e mais ferrenho rival do “ Tufão – como o clube é conhecido – é o Sul América do bairro vizinho da Glória, que desde 1932. A 1ª Sede do São Raimundo localizava-se na mesma “Rua da Ponte“, rua 5 de setembro. Antes desta data, as reuniões eram em locais aleatórios.

São Raimundo, ou “Mundico“, ou “Tufão“, ou ainda, “São Rai” só chegou na Primeira Divisão da antiga FADA em 1955, disputando no ano seguinte junto aos “grandes” de Manaus. Dono de uma torcida apaixonada, que mesmo quando o São Raimundo deixou de participar dos campeonatos amazonenses (de 1980 a 1983 e 1994 e 1995) nunca deixou de torcer pelo seu time e em ter esperança de sua volta aos gramados.

São Raimundo, atuando a apenas 5 anos no profissionalismo arrebatou o Título Amazonense de 1961. O outro título viria 5 anos depois, em 1966, sendo o 1º campeão profissional do Amazonas, que neste campeonato tinha a recém criada FAF (Federação Amazonense de Futebol). Esse campeonato só terminou em 1967.

Durante muitos anos, o “Tufão” foi o dono da quarta maior torcida do estado, atrás de NacionalRio Negro e Nacional Fast. Com a sua definitiva volta aos estádios em 1996, o clube fez com sua torcida quintuplicasse em números e pode-se dizer hoje que está no mesmo nível do Nacional e do Rio Negro, sendo que nos últimos 4 anos, sempre esteve nas primeiras posições em presença nos estádios. Note-se que o Bairro de São Raimundo possui cerca de 10 mil moradores.

Após o titulo estadual de 1966, o clube passou por diversas crises econômicas. Tanto é que nos anos 80, o clube quase vendeu seu estádio e o mesmo quase fecha suas portas.O São Raimundo a partir de 1996 “renasceu” para o Amazonas.

Ivan Guimarães e Manecs – o primeiro, radialista -, colocaram a idéia para a presidência do Tufão de se criar um Departamento Autônomo dentro do clube. Orlando Saraiva (então presidente do São Raimundo) mais os outros diretores acataram e acreditaram na idéia.

A partir daí o São Raimundo rapidamente chamou ninguém mais, ninguém menos que um dos maiores treinadores do Brasil: Aderbal Lana, inscreveram o “Tufão” no Campeonato Brasileiro da Série C de 1996. Os resultados foram ruins naquele primeiro momento, mas a dupla continuou seu trabalho incessante, que deu frutos no tricampeonato amazonense (1997/98/99), no 3º lugar na última Copa Conmebol em 1999 e no vice-campeonato brasileiro na Série C desse mesmo ano, culminando com o acesso à Série B. Obteve excelentes resultados. O Sao Raimundo Esporte Clube ficou durante vários anos na serie B do campeonato brasileiro.

 

FONTES: Mercado Livre – Wikipédia

 

O Jacarepaguá Futebol Clube é uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). Fundado na terça-feira, do dia 16 de Junho de 1992, como Pãozão Futebol Clube, pelo Sr. Altivo M. de Pádua, localizada no bairro de Jacarepaguá, proprietário de uma pequena rede de padarias, com o objetivo principal de integrar seus funcionários através da prática do futebol de salão.

Porém, a idéia deu tão bom resultado que tomou grande vulto, fazendo em pouco tempo, com que sua equipe deixasse as quadras e passasse a disputar competições organizadas pelos bairros. O 1° Presidente foi Florentino Bessa.

A sua 1ª Sede ficava localizada na Avenida Tenente Coronel Muniz Aragão, nº 1.989 / Grupo 202, na Gardênia Azul, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. As suas cores: vermelha, verde e branca. A mascote é o Jacaré.

O clube estreou no Campeonato Carioca do Departamento Autônomo, organizado pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ), de 1992. Acabou sendo “Campeão da Divisão EXTRA em 1992“.

Em 1993, o Pãozão disputou o “Campeonato Amador do Estado do Rio de Janeiro“, conquistando os Títulos de “Campeão Amador Adulto” e “Vice-Campeão Amador Júnior“, além das taças de Eficiência e Disciplina.

Estreia na esfera profissional

Como conseqüência deste trabalho, em um curtíssimo espaço de tempo, foi levado a profissionalizar-se. Sendo, então, registrado e regulamentado pela Confederação Brasileira de Futebol (C.B.F.) e pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (F.E.R.J.).

O “Pãozão” teve, então, a necessidade de assumir uma denominação que o identificasse e promovesse o nome de seu bairro de origem, tornando-se, assim, o Jacarepaguá Futebol Clube, 1º Clube de Futebol Profissional de Jacarepaguá.

Mandando os seus jogos no Estádio IPASE, com capacidade para 3 mil pessoas, o Jacarepaguá debutou no Campeonato da 3ª Divisão de Profissionais de 1994, sagrando-se vice-campeão e conseguindo o acesso para o ano seguinte. Tem ainda o artilheiro do campeonato: Marcelo J. do Rosário.

Em 1995, disputa na vaga do Saquarema Futebol Clube o Estadual da Intermediária A, tendo uma campanha bastante ruim, sendo rebaixado. Contrastando com esse desempenho abaixo do esperado, a equipe de Juniores vence o Campeonato da Segunda Divisão, na prática a Terceira, da categoria.

No mesmo ano a equipe principal consegue se manter na mesma divisão, fugindo do descenso. O mesmo ocorre no ano seguinte, quando disputa o mesmo certame.

Em 1997, se licencia, mas volta no ano seguinte, na Segunda Divisão como convidado, quando consegue apenas se manter no mesmo grupo. Em 1999 e 2000, o Jacarepaguá disputa a Copa Rio, mas é eliminado na fase inicial. Após, pede licença das competições.

O clube foi arrendado a 5 de junho de 2000 pelo prazo de cinco anos pelo Bidon Grupo Empresarial, com o intuito de levá-lo à 1ª Divisão do campeonato profissional de futebol do estado do Rio de Janeiro.

Após cinco anos fora das disputas, o clube alterou a ‘razão social’, em 20 de Dezembro de 2005, passando a se chamar: C.C. Esportivo Jacarepaguá. No entanto, o nome ‘fantasia’, segue como Jacarepaguá Futebol Clube. O novo endereço fica na Rua das Margaridas, nº 14, no Bairro da Vila Valqueire, na Zona Oeste do Rio. O atual presidente é Mario Ferreira de Souza.

 

FONTES: Wikipédia – Conceitual – Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ) – André Luiz Pereira Nunes

 

O Laginha Futebol Clube é uma agremiação da cidade de Petrópolis, situada na Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro. O clube Alviverde Petropolitano foi Fundado no dia 23 de Agosto de 1965. A sua Sede fica localizada na Estrada das Arcas, nº 2.999, em Itaipava, em Petrópolis. O Laginha participou de diversas edições do Campeonato Citadino de Petrópolis. 

FONTES: Wikipédia – Mercado Livre

 

O Palmeira Futebol Clube foi uma agremiação da cidade Rio de Janeiro (RJ). Fundado na quarta-feira, do dia 13 de Janeiro de 1943. A sua Sede ficava localizado na Estrada Marechal Malet, nº 272, no Bairro de Magalhães Bastos, na Zona Norte do Rio. Participou do Campeonato Carioca do DA (Departamento Autônomo) de 1958.

FONTES: Tribuna da Imprensa – André Luiz Pereira Nunes

 

O Club Athletico Lapa, do bairro da Lapa, na Zona Oeste da cidade de São Paulo, foi fundado no ano de 1927, com a denominação Lapa Football Club.

Jornal A Gazeta, no ano de 1931

Fontes: álbum de figurinhas “Varzeana Paulista” dos anos 50/60, A Gazeta e o historiador Waldevir Bernardo (Vie).

 

Voltando de algumas férias – forçadas, por conta de doença e de meus empregos – volto a publicar no Blog.

Peço desculpas pela significativa ausência.

Bom, este é o escudo do Pacajús Esporte Clube, que irá disputar a terceira divisão do estadual em 2017.

Nota: a equipe foi fundada em 2017. Não confundir com o Pacajús Esporte Clube, que disputou a segunda divisão do Ceará em 2000.

Fonte: Federação Cearense de Futebol.

 

Segue uma bela surpresa: o escudo da Associação Esportiva DR-5 de Goiana (PE).

Fundado em 02/03/1971, a ASSOCIAÇÃO ESPORTIVA DR-5 tinha sede em Goiana, Pernambuco. Seu nome deve-se ao fato do clube ter pertencido ao 5º DISTRITO REGIONAL da CELPE (COMPANHIA DE ELETRICIDADE DE PERNAMBUCO). Daí também o seu nome de fantasia: GRÊMIO ESPORTIVO CELPE.

O clube foi bi-campeão municipal em 76/77 (ambos de forma invicta), disputou a Segunda Divisão de Pernambuco em 1977 (ficou em sexto lugar) e foi campeão da Copa do Interior em 1981 (já conhecido como Grêmio CELPE).

Seguem algumas fotos do clube:

Pesquisa: Givaldo Santos
Fonte: Ailton Cavalcanti de Melo (ex-jogador nos anos 70)
Facebook: do ex-Jogador: http://www.facebook.com/ailton.cavalcanti.3

 

Charge publicada no jornal “A Crítica”, de Buenos Aires – Argentina, em referência ao brasileiro Petronilho que estava jogando pelo C.A. San Lorenzo de Almagro, no ano de 1933.

Petronilho de Brito nasceu na cidade de São Paulo-SP, na data de 31 de maio de 1904 e faleceu no ano de 1984, na mesma cidade.

Irmão de Waldemar de Brito, do CR do Flamengo, Petronilho atuou pelos clubes Antárctica F.C., Minas Geraes F.C., S.C. Syrio e C.A. Independência , todos de São Paulo e também pelo C.A. San Lorenzo de Almagro, onde se  sagrou campeão argentino no ano de 1933.

Foi o primeiro negro brasileiro a jogar em um clube estrangeiro.

Atuou também pela seleção paulista e seleção brasileira.

Segundo Leônidas da Silva, Petronilho de Brito teria sido o verdadeiro inventor do gol de bicicleta.

Fontes: A Gazeta” e Grandes Craques.

 

Outro escudo cedido gentilmente pelo amigo, pesquisador e jornalista André Luiz Pereira Nunes. O Piraquara Futebol Clube foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). Fundado na quinta-feira, do dia 15 de Julho de 1948. A sua Sede ficava localizada na Estrada General Canrobert da Costa, nº 204 – Bairro Realengo – Zona Oeste do Rio. As suas cores: vermelho, preto e branca.

O Piraquara participou de algumas edições do Campeonato Carioca do DA (Departamento Autônomo), organizado pela Federação Metropolitana de Futebol (FMF), como por exemplo, em 1953 (Série Carlos Lopes Guimarães); 1954, 1958.

Títulos

Bicampeão da “Taça Disciplina (1953 e 1957);

Campeão de Amadores “Série Wilson Lopes de Souza” (1957);

Campeão de Aspirantes “Série Suburbana (1958);

Vice-campeão de Aspirantes “Série Manoel Caetano Alves”.

 

Algumas formações

Time de 1948: Borracha; Homero e Gordo; Juquinha, Coção e Duide; Djamiro, Jorginho, Rubens, Mite e Jorge Braga.

Time de 1949: Babo; Homero e Joãosinho; Juquinha, Coção e Duide; Bacalhau, Jorginho, Rubens, Mite e Jorge Braga.

Time de 1950: Dadá; Homero e Francisco; Juquinha, Mario e Duide; Jorginho, Mite, Chiquinho, Waldemar (Índio) e Jorge Braga.

Time de 1952: Ivan; Ataliba e Bira; Heitor, Orlando e Carioca; Tuninho, Camaleão, Cidoca, Menildon e Paulo.

Time de 1954: José; Carioca e Darci; Duca, Zico, Odilon; Jorginho, Tampinha, Mito, Mário e Alexandre.

FONTES: A Manhã – Diário de Notícias – Gazeta de Notícias – André Luiz Pereira Nunes

 

Contando com a preciosa colaboração do amigo, pesquisador e jornalista André Luiz Pereira Nunes, segue mais um clube inédito. Trata-se do Esporte Clube Oity, que foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). O ‘Oityense Alviceleste’ foi Fundado na sexta-feira, do dia 14 de Outubro de 1938. A sua Sede e a Praça de Esportes ficavam localizados na Avenida Santa Cruz nº 500 (atual nº 12.516), no Bairro de Senador Vasconcelos, na Zona Rural (atual Zona Oeste) do Rio. O espaço (campo e sede) de aproximadamente 14 mil metros quadrados, foi adquirido pelo clube na década de 50.

Oity foi um dos clubes que ajudaram a fundar o D.A.

O Oity começou a sua trajetória futebolística jogando festivais, excursões pelo estado do Rio. Após a extinção da Federação Atlética Suburbana, onde o Oity participava das competições, os clubes que dela faziam parte se sentiram desprestigiados com a política estabelecida pela Federação Metropolitana de Futebol (FMF).

Na tentativa de mudar esse quadro, o Oity juntamente com outras agremiações ajudou a fundar o Departamento Autônomo (DA) em Assembléia realizada na quinta-feira, do dia 7 de julho de 1949. Além do Esporte Clube Oity, os demais clubes que estiveram presentes foram:

Andaray Atlético Clube;

Atilla Futebol Clube;

Atlético Clube Nacional;

Associação Atlética Portuguesa;

Associação Atlética Nova América;

Bento Ribeiro Futebol Clube;

Cacique Futebol Clube;

Cruzeiro Futebol Clube;

Del Castilho Futebol Clube;

Distinta Atlético Clube;

Engenho de Dentro Atlético Clube;

Esporte Clube Anchieta;

Esporte Clube Coríntians;

Esporte Clube Guanabara;

Esporte Clube Royal;

Esporte Clube São José;

Esporte Clube Valim;

Irajá Atlético Clube;

Kosmos Atlético Clube;

Manufatura Nacional de Porcelana Futebol Clube;

Mavílis Futebol Clube;

Oriente Atlético Clube;

Realengo Futebol Clube;

Sampaio Atlético Clube.

A 1ª competição do Departamento Autônomo (DA) aconteceu no mesmo ano da fundação (1949), tendo como campeão o Engenho de Dentro A.C. Durante mais de uma década dez anos o DA organizou com sucesso os campeonatos dos clubes amadores pela FMF, até seu encerramento oficial em 1960.

O DA foi extinto, dando lugar ao Departamento de Futebol Amador da Capital. Hoje se chama Campeonato Carioca de Futebol Amador da Capital, promovido pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ), incluindo também as categorias Infantil e Juvenil.

Títulos

O Esporte Clube Oity também participou do DA em diversas edições. Em relação as conquistas, o Esporte Clube Oity acumulou várias taças. Citando algumas:

Campeão de Amadores “Série Carlos Lopes Guimarães” (1953);

Campeão da “Taça de Disciplina” (1956);

Campeão da “Taça de Disciplina” (1957);

Campeão de Amadores “Série Floripes Monção” (1957);

Campeão de Aspirantes “Série Rural” (1958);

Campeão de Aspirantes do Departamento Autônomo (1958);

campeão de Amadores “Série Romeu Dias Pino” (1959).

Ao longo desse percurso, o clube, por duas vezes, esteve próximo de fazer fusão com o Esporte Clube Aliados, de Bangu e depois com o Campo Grande Atlético Clube. No entanto, as duas negociações não avançaram.

Posteriormente, o Oity foi incorporado ao Campo Grande Atlético Clube, continuando o espaço destinado ao lazer da comunidade local, incentivando o esporte, encontros em família, entretenimentos, festas, entre outros.

O campo do E.C. Oity visto de cima

Campo do Oity pode virar uma Vila Olímpica

Em 2013, o vereador Zico (PTB) apresentou um Projeto de Lei nº 618/2013, com o intuito de transformar o campo do Oity numa Vila Olímpica. No documento, o vereador explicou os motivos para a construção da Vila:

Logo, tendo em vista as razões dos moradores que anseiam por espaços públicos nesse sentido, a construção de uma Vila Olímpica permitirá a todos os moradores o fácil acesso à prática de vários esportes, colaborando para uma melhora significante da saúde da população, especialmente porque o bairro não possui uma área para tal final. Portanto, o Projeto visa proporcionar gratuitamente à comunidade local e aos bairros vizinhos, como Santíssimo, Senador Camará, Campo Grande, espaços adequados para o lazer, esporte e diversão. 
Vale acrescentar que, onde outrora funcionava uma área de lazer, hoje o local está ocupado por um depósito de carros rebocados pelo Detran. Sendo assim, pelos pedidos incansáveis de moradores locais, que necessitam da urbanização de uma área até então abandonada e degradada, é que venho pedir o apoio dos senhores parlamentares em prol desse projeto de lei“. 

 

FONTES: Google Maps/2010 – Câmara Municipal do Rio de Janeiro – O Fluminense – Correio da Manhã – André Luiz Pereira Nunes

 

Há 47 anos, o Nacional Fast Clube se tornaria o 1º campeão do Norte de 1970, pelo Amazonas em competição oficial chancelada pela antiga CBD (antiga Confederação Brasileira de Desportos. Atual CBF).

Chaveiro dos anos 70

Naquela época, apenas o Amazonas e o Pará praticavam o futebol profissional e a competição teve como participantes, além dos times amazonenses: Fast Clube, Nacional e Rio Negro; contou ainda com os três grandes do Pará: Clube do Remo, Paysandu e Tuna Luso.

Não era variada em quantidade de estados participantes, mas era fortíssima em nível técnico. A competição terminou com o Fast Clube sendo campeão e a Tuna Luso do Pará foi o vice-campeão. O Nacional terminou em último lugar na competição.


Texto: Elias Abensur

FONTES: Mercado Livre – Página do clube no Facebook 

 

 

Amistoso em 1910 – Corinthian-Casuals F.C. (Inglaterra) 2 x 0 A.A. das Palmeiras (São Paulo)

Partida realizada na data de 1º de setembro de 1910, no Velódromo Paulistano, na Consolação, em São Paulo-SP.

Juiz: H.Friese do S.C. Germania.

Gols: Day (2-Corinthian)

Corinthian-Casuals: Rodgers, Page e Timmis. Tuff, Morgan, Owen e Braddel. Snell, Day, Vidal, Brysley e Kerry.

AA das Palmeiras: Orlando, J. Rubião e Urbano. Gullo, Rubens e Octavio Egydio. Dédé, Mario Egydio, Irineu, Eurico Mendes e Godinho.

Fonte: Correio Paulistano

 

Fonte: Correio Paulistano

 

FONTE: Mercado Livre

 

FONTE: A Razão

 

O Hino oficial do Ceará Foot-Ball Club, não o da capital cearense, mas sim da cidade de Itapipoca. O hino do clube alvinegro foi criado em 1932, de autoria de Carlyle Martins.

 

FONTE: A Razão

 

Ficha do Jogo:

Atlético Paranaense1×3Grêmio
Data: 5 de fevereiro de 1973, segunda-feira.
Horário:
Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba-RS
Árbitro: Jefferson de Freitas
Assistentes: Leandro Faco e Cícero Salata
Público:
Renda: Cr$ 52.283,00
Cartões amarelos:
Cartões vermelhos:
Competição: Taça Atlântico Sul de 1973

Gols

Grêmio: Tarciso (30/1′), Carlos Alberto (41/1′) e Mazinho (33/2′)
Atlético-PR: Renatinho (pênalti, 40/1′)

Times

GRÊMIO: Picasso; Espinosa, Beto, Renato Cogo e Tabajara; Carlos Alberto e Paulo Sérgio; Carlinhos, Oberti, Tarciso (Mazinho) e Bolivar
Técnico: Milton Martins Kuelle
ATLÉTICO-PR: Altevir; Vanderley, Almeida, Di e Júlio; Sérgio Lopes e Valtinho; Buião (Nilton), Liminha, Babá (Sicupira) e Renatinho.
Técnico: Francisco Sarno

Matéria do Jornal “A Tarde” de 1973

 

 

   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Jornal “A Tarde”

 

Em 15/06/1920 foi realizada a primeira partida da história entre Grêmio e Juventude de Caxias do Sul, no Estádio da Baixada em Porto Alegre.

A partida teve como peculiaridade a estréia do “mitológico” goleiro Eurico Lara na equipe de Porto Alegre.

Ficha do Jogo:

Dados Gerai

Grêmio 3x0 Juventude

Data: 15 de junho de 1920.

Horário: 16h

Local: Estádio da Baixada, em Porto Alegre-RS

Árbitro: Paulo Grauberger

Competição: Amistoso

Gols:

Grêmio: Ramãozinho (12′/1), Gertum de pênalti (18′/2) e Lagarto de pênalti (‘/2).

Times:

GRÊMIO: Lara; Assumpção e Jorge Py; Rodolpho Costa “Costinha”, Dorival Fonseca e Moreno; Oscar Gertum, Bruno Cossi, Lagarto, Máximo Laviaguerre e Ramão “Ramãozinho”. 

Técnico: Lagarto 

JUVENTUDE: Nicolau; Bortagaray e Bado; Muratore, Luise e Mengatto; Gregollo, Edmor, Martinez, Zanella e Greggio. 

Técnico: Bortagaray  

Matéria do Jornal “A Federação” sobre a partida realizada

 

Fonte: Jornal a Federação.

 

© 2017 História do Futebol Suffusion theme by Sayontan Sinha